Você está na página 1de 1

Educação para a Sustentabilidade

Olhando para as notícias que nos chegam através dos meios de comunicação
social, facilmente nos apercebemos do momento aflitivo que se tem vivido na
sociedade portuguesa perante os últimos acontecimentos, consequência de uma
conjuntura internacional a que Portugal não escapa, mas ainda pelas opções que se
vão tomando por cá, em território luso.
Um país esfrangalhado; uma península à beira do caos; uma Europa em crise.
O recente protesto dos camionistas em Portugal motivado pelo aumento do preço dos
combustíveis conduziu a um estado de calamidade eminente, vivido um pouco por
todo o lado. As consequências dos dois dias de bloqueio deixaram o país paralisado
tendo sido sentidas pelo cidadão comum, através do esvaziamento de bens essenciais
das prateleiras do supermercado, mas também pelo esgotamento do combustível nos
inúmeros postos de abastecimento. O cenário instalado fez-nos vivenciar algo
semelhante ao que se assiste num palco de caos e de guerra. As gotas do precioso
combustível ficaram em pouco tempo inacessíveis pelos bloqueios, por
impossibilidade de reabastecimento temporário dos postos.
Daqui por poucos anos o cenário poderá ser pior do que o ensaio vivenciado,
quando o petróleo deixar de existir para satisfação das necessidades da sociedade
moderna.
Mas os tempos complicados podem ser uma oportunidade para reflexão e para a
mudança.
A manterem-se os hábitos de vida da sociedade moderna assentes na
destruição desenfreada dos recursos naturais e no consumo exagerado de produtos
muitas vezes supérfluos, podem surgir consequências irreversíveis para o homem e
para a sustentabilidade da Terra.
Numa época em que o desenvolvimento científico e tecnológico se tornou
preponderante para o funcionamento das sociedades modernas, o fomento de
elementos educativos adequados aos nossos alunos, para as relações simbióticas
entre o homem e o ambiente é indispensável. Por isso a primeira regra é a redução do
consumo. Libertem-se do supérfluo.
A segunda regra é a poupança. Poupem muito. Nos combustíveis mas não só.
Mesmo que para isso não participem nas caravanas de apoio à selecção nacional de
futebol no euro 2008.

Publicado no Jornal “Fio Condutor” nº3, da Escola Secundária de Campos Melo, em Agosto de 2008

Professor Steven Casteleiro


Professor do Grupo disciplinar de Biologia /Geologia