UNIVERSIDADE DE UBERABA MARLON DALTON SILVA RA 5106119

RELATÓRIO I FÍSICA III – DENSIDADE APARENTE E DENSIDADE REAL

UBERABA – MG 2011

líquidos segundo o SI(sistema internacional de unidades) é medida em kg/m3. isto é. No cálculo da densidade relativa de sólidos e líquidos. Existem dois tipos de picnômetros: de líquidos e de sólidos. Diferente do que se costuma imaginar a densidade não é apenas o resultado de uma operação aritmética de divisão entre a massa e o volume de uma substância. Por exemplo. A densidade absoluta é uma propriedade específica. pela conveniência da sua densidade (1. que são fontes de erros experimentais. O valor de densidade de uma substância está. maior será a sua densidade. A densidade absoluta ou massa volumétrica. para evitar a formação de bolhas de ar. quanto maior for a compressão sobre um objeto. A densidade relativa é a razão entre as densidades absolutas de duas substâncias.INTRODUÇÃO TEÓRICA Densidade relativa e densidade real Densidade é a relação entre a massa de uma substância e o volume que ela ocupa. A densidade relativa deste material é uma relação da sua densidade absoluta e a densidade absoluta estabelecida por uma substância usada como padrão. o padrão escolhido é a densidade absoluta da água que é igual a 1000g/cm3 a 4 ºC. onde normalmente a água é utilizada como substância padrão. A picnometria é um processo que utiliza um picnômetro (de líquidos ou sólidos) para determinar a densidade relativa de dois materiais (líquido-líquido ou líquido-sólido). sendo seu conceito muito mais amplo. relacionado à compressão e empacotamento dos átomos e moléculas (grau de liberdade). Da mesma forma. mais densa é a substância. A densidade de sólidos. . amplamente. quanto maior for o empacotamento dos átomos. O processo de enchimento de um picnômetro faz-se através do escorrimento do líquido pela parede. cada substância pura tem uma densidade própria que a identifica e diferencia das outras substâncias. define-se como a propriedade da matéria correspondente à massa por volume.00 g/cm³).

Dividindo-se a massa pelo volume real.9 g Densidade aparente: massa/volume feijão = 74. adicionando em seu interior certo volume definido de particulados e em seguida encontrar sua massa. Feijão em grãos.3 g Inserimos 100 cm3 deste tipo de feijão. pedra britada de basalto.3 – 144. medimos então: Nova massa proveta: 219.9 g / 100 cm3 = 0. RESULTADOS E ANÁLISES Densidade aparente feijão (carunchado) Massa da proveta: 144.3 = 74. determinas-se a densidade real. determina-se o volume real de grânulos.749 g/cm3 .OBJETIVOS Determinar experimentalmente a densidade aparente e a densidade real. proveta: Consumo. MATERIAL UTILIZADO Balança.2 g Massa do feijão inserido: 219. Dividindo-se a massa pelo volume. obtemos a densidade aparente. MÉTODOS Determinar a tara da proveta. Pelo método do volume deslocado de água.

observamos o deslocamento do líquido. Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 70.15 g / cm3.9 g / 65 cm3 = 1.6 g Inserimos 100 cm3 deste tipo de feijão. medimos então: Nova massa proveta: 356.Densidade real do feijão (carunchado) Em uma proveta com 100 cm3 de feijão. colocamos mais 100 cm3 de água.8 g / 62.5 cm 3.5 cm3.9 g . Densidade aparente pedra brita Massa da proveta: 144.3 – 144.3 g Inserimos 100 cm3 de pedra britada de basalto. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 62.8 g Densidade aparente: massa/volume feijão = 70. Densidade aparente feijão (novo) Massa da proveta vidro: 285. onde tivemos uma alteração do volume para 165 cm3. colocamos mais 100 cm 3 de água.5 cm3 = 1.8 g / 100 cm3 = 0. observamos o deslocamento do líquido. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 65 cm 3.3 = 70.13 g / cm3.4 g Massa do feijão inserido: 219. onde tivemos uma alteração do volume para 162. medimos então: Nova massa proveta: 280. Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 74.708 g/cm3 Densidade real do feijão (novo) Em uma proveta com 100 cm 3 de feijão.

6 g / 49. observamos o deslocamento do líquido.6 g / 100 cm3 = 1. onde tivemos uma alteração do volume para 145. medimos então: Nova massa proveta: 288. Densidade aparente pedra brita segunda análise Massa da proveta: 144.5 cm3. colocamos mais 100 cm 3 de água. .5 cm3. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 45 cm3.9g / cm3.3 g Inserimos 100 cm3 de pedra britada de basalto. Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 136.3 g Massa da brita inserida: 144 g Densidade aparente: massa/volume brita = 144 g / 100 cm3 = 1.04 g / cm3. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 49.5 cm3.5 cm3 = 2. onde tivemos uma alteração do volume para 149.44 g/cm3 Densidade real pedra brita Em uma proveta com 100 cm3 de brita.Massa da brita inserida: 136. Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 136. observamos o deslocamento do líquido. colocamos mais 100 cm 3 de água.36 g/cm3 Densidade real pedra brita Em uma proveta com 100 cm3 de brita.6 g / 45 cm3 = 3.6 g Densidade aparente: massa/volume brita = 136.

A partir da densidade aparente da amostra compactada. 2011 em: http://www.pt/$densidade-relativa. da densidade aparente dos agregados. 2011 .CONCLUSÃO A densidade aparente é um parâmetro necessário para o cálculo dos parâmetros de dosagem para qualquer tipo de mistura onde o esta mistura caracteriza-se por não possuir um corpos regulares. acesso em 23 fev. do volume de vazios e da densidade máxima teórica determinam-se as características volumétricas de uma mistura. REFERÊNCIAS Densidade relativa. Disponível em http://www.com/doc/24321911/Densidade-e-gravidade-especifica. e também para determinação do volume em quantidade significativas para qualquer tipo de análise. Densidade e gravidade específica.infopedia.scribd. Disponível Acesso em: 23 fev.

4:20104 ..

 .2 .

2   ..

20394 /4 J6:/4  43/0 9. .4397./10703.248 2.$#..42   ..4 /4 .0248 :2..907.4:20 5.248 4 /084.03..07.2 50. ./070. 574.4242.4:20/410470...88.44.43./.2 /0 104  ..8   ./4104 .038/.4790248./4  2 :2.  4-807.7:3.:J2486:04.2  /0 E:. ./0 .7.4.43/0.09.2 !47089034.

4:20  .4.34.

2 ..

4  ./41043807/4     038/.70390104 34.88.2/0890954/0104 20/2480394 4.09.88..5.2.09.88./.88.574./0./0.574...703902.  ./74  3807248 .2   038/.5.

.4:20104 .

2  . .

2 /0 E:.2 50.88.2  /0 104  .07. /0   .09.:J2486:04.4:20 5.907.42   . .8   ..0248 :2..43/0. .  4-807.4  2 :2.2   !47 0890 34.248 2.47 90248.. 574./.2  038/./4104 34.../10703.03.4 .20394 /4 J6:/4  43/0 9. $ # .424 2.248 4 /084. .43.4397.44.  .4:20/410470./070.7.4 /4 .

4:20 .4 . 34.

2 . .

8.-79.5./0..88.2.94 20/2480394 4.574.88.574.. .09.2/050/7././.09.  3807248 .2   038/.-79.  .7039050/7./0-.

-79../0.88.703902.  038/.88./.3807/.5.

.4:20-79. .

 .2 .

 07.4/4. 4-807.50/7.4.. /10703.4:205.2/0E:.0248:2.248 4/084...2482.2  038/.2 !47 089034.09.2 50...8 .:J248 6:04.43/0.4790248.88.03../070.42 . .44.907.4:20 /410470. 2:2./0.43.4397.2/0-79.574.. .7./.$#.20394/4J6:/4 43/09.424 2..-79.

4:20 .34.4.

2 . .

3E80 .80:3/..-79.5.88.3807/.7039050/7./0.574.574.09.2.09.88.703902.  3807248 ..2/050/7.-79./.  .88.2   038/. 038/.94 20/2480394 4.5./0-./.-79./.8.88../0.

..4:20-79.

2 . .

03..2482.43.424 2. .248 4/084.0248:2.4.42 . .88.07..43/0../070.2 !47 089034.44..2 50..4397.7.2/0-79.2/0E:.20394/4J6:/4 43/09../0 .4790248. 4-807.4/4.50/7.-79.4:20/410470.8 .574.:J2486:04..$#./..4:205.09.2  038/. /10703. 2:2.907.

4.4:20 .34.

2 .  .

.2    .

/038/.85.4.4:20/0.6:07 954 /0 289:7.70390F:25. /090723.907.70390 /.E.2-F2 5.8/0:2.0 02 995. 6:..5..797 /./038/.9..7.8.4:20 02 6:.39/.6:07954 /0 ..70. 289:7.907J89.7.7209748 /0 /48. 80 547 34 5488:7 :2 ./090723.7.289:7.425.7.70390/48.4:2F97. /038/. &$  /038/.90O7.5.  8543J.5. .24897.:4/485.02 5.. 43/0 4 089./0 2E2././48 /4. 6:./0 70./0 831.7.   ## $ 038/.9.4 /4 ..088E745.9./0./0.708  0 9../0...47548 70:. .2 80...3E80   5.480/. /..7.8..72097430.

.

59. 31450/.

.08840210./0 70.J1.  8543J./0 0 7././038/.    038/.  ..9./0 0850.0 02 995..

.

42.7-/ . 8.

/4.

.

/0 0850./0 0 7./.0884 02  10...   .  .1.038/..