Você está na página 1de 64

I

' \

--

,

"

--

,

' \

+- ,

'\

"

f '\

~

. ,.
j

/ ,I

'1

\

f

l

')

' )

)

")

" )

I

"

"

,

)

"'

')

I - "\

')

' )

' )

')

)

'j

")

f

l

')

' )

)

")

" )

I

"

"

,

)

"'

')

I - "\

')

' )

' )

')

)

'j

")

o Plano de Salvação»

7

ENTENDENDO SUA SITUAÇÃO

Adão, O primeiro homem, usufruía de uma grande comunhão com seu Criador . Deus o visitava pessoalmen- te, chamando por ele, como mostra Gênesis 3.8-9: "En- tão ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jar-

dim pela viração do dia

Onde estás? " .

Apesar do grande amor de Deus por ele, Adão es-

colheu rebelar - se contra Deus, seguindo o caminho do pecado, dando as costas ao Senhor. Adão, em consequência do pecado, morreu espiritualmente, como vemos em Romanos 6.23: "Pois o salário do pecado é a

morte

'' .

Esta morte referida é a morte espiritual, que ocorre pela separação do homem de Deus, como nos ensina Romanos 3.23: "pois todos pecaram e estão separados de Deus". Afinal , Deus é o Criador , a Fonte de Vida!

o pecado nos separa de Deus porque o Senhor é santo e não pode ter comunhão com o pecado, como revela Isaías 59.2: "mas as vossas iniquidades fazem di- visão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados enco- brem o Seu rosto de vós, para que não vos ouça".

o pecado de Adão foi transmitido à sua descendên- cia, ou seja , a toda a humanidade , como mostra Roma- nos 5.12: "Pelo que, como por um homem entrou o pe - cado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens , porque todos pe ca - ram". Então, desta forma, o pec a do passou a fazer parte da natureza humana .

~ • C o n so l i a a ç a ,

Esta tem sido a sua situação: afastado, separado de Deus, sem real acesso a Ele, condenado a uma eterni - dade no inferno, após a morte física, longe das delícias do paraíso, da comunhão com Deus. Porém, embora o homem O tivesse rejeitado, Deus sempre o amou e pre- parou um plano para que o homem pudesse se reconci- liar com Ele.

o Plano de Deus de Reconciliação com os Homens

A santidade e a justiça de Deus exigiram que o ho- mem fosse punido. O pecado humano não poderia "pas- sar em branco" . Por outro lado, Deus percebeu, por Seu amor e misericórdia, que o homem não tinha condições de pagar por si próprio, a pena de sua infração. A solu- ção de Deus para resolver este impasse foi a de vir, Ele mesm o . sob a forma humana - JESUS CRISTO - pagar pelo d e li t o humano .

Jesus é Deus , é membro da Trindade Divina , é o Filho. Na cena de Seu batismo, quando Ele saiu da água, veja como Deus O apresentou, em Mateus 3.17: " Este é o meu Filho amado , em quem me cornprazo". Em Mate u s 16 . 16, Pedro discerniu quem Jesus, na verda- de é : " Tu és o Cristo , o Filho do Deus vivo".

Deus ofereceu , (e aceitou) , o sacrifício expiatório

de Jesus como pagamento da pena do delito humano, como revela Efésios 1 . 7: "N'Ele temos a redenção pelo

Seu sangue, a remissão dos pecados

apenas por Jesus, Deus ofereceu aos homens a reconci-

''. Por Jesus, e

liação com Ele :

Nin g u é m vem ao Pai, s enão por mim" (João 14.6). Re-

Eu

sou o caminho, a verdade e a vida.

o Pl a no d e Sa iva çã o • 9

par e aqui como se e nganam aqueles que pensam que

" t o d o s o s caminhos l e vam a Deus!

<,

o sacrifício de Jesus está disponível para todos os ho m ens que qu i serem acreditar nes t e plano de Deus , como v e mos por lCoríntios 15 . 22: "Pois assim como tod o s m o rrem (espi r itualme n te) em Adão , assim tam - b é m todo s serão vivificados em Cristo ".

Como Receber de Deus a Bênção da Salva çã o

Todo homem, então, que confessa seus pecados , se arrepende e crê que a morte de Jesus foi em p a gamen - to , em expiação pelos seus pecados , "vira - s e d e frente para Deus ", se reconcil i a com D e us , e recebe d' Ele a bênção da s a lvação .

Para você receber a salvação de Deus são necessá - rios , como v i mos acima , arrcpend í rhento, confissão e fé. Vamos expl i c a r melhor o que são exatamente cada um d ess es três fatores, começando pela ilustração de Jesu s a este respe i to , na famosa parábola do filho pródigo , nar - rada em Lucas 15.11-24. Leia agora esta p assagem e

pe r ceba a analogia qu e Jesus faz acerca de nossa recon -

cili a ção com De u s , o Pai:

a) O filho rebelde virou as costas a seu pai e o dei - xou , ap e sar de ter uma vida abençoada com ele , t al qual Ad ã o fez com Deus;

b) O filho rebelde viveu dissolutamente e começou

a p a ssar grandes constrangedoras necessidades , o que

nu n ca antes tinha lhe ocorrido na cas a d e seu pai . O

mesmo ocorreu com Adão e s ua descendên ci a , que per- deu as bênçãos oriundas d a comunhão c om o Pa i, ao se afa s tar de Deus e passar a viver em pecado ;

10· Co n s o l id aç ã o

c) O filho rebelde se arrepende e confessa seu pe- cado, pedindo perdão a seu pai, e se reconciliando com ele, da mesma maneira que podemos fazê - lo com Deus, através da em Jesus Cristo;

d) Podemos notar, ainda, a grande alegria com que o pai recebe de volta seu filho arrependido, o que é uma ilustração do mesmo sentimento de júbilo que enche o coração de Deus quando um pecador se arrepende e se reconcilia com Ele.

E agora vamos detalhar melhor o que são verdadei - ramente estes fatores:

1)

A fé não se trata de um sentimento, ou de uma concordãncia racional, ou ainda, de "poder do pensa- mento positivo " . A fé não está baseada em nossas emo- ções , mas na crença que temos na fidelidade de Deus em cumprir a Sua Palavra em nossas vidas.

Você deve crer firmemente que o Senhor Jesus é Deus , veio como homem e Se sacri f icou , numa morte horrível , de cruz, embora não tivesse cometido qualquer pecado. Jesus ofereceu Sua vida, e Seu precioso sangue mocente foi derramado, para que você pudesse ter seus pecados pessoais perdoados! E deve crer também que , a p ós isto , Deus ressuscitou a Jesus dentre os mort os, a s sim como concede a você a salvação!

o Pl a n o de Sal v a ç ão'

11

2) Arrependimento

No arrependimento, você primeiro reconhece sua condição de pecador e seu consequente estado de sepa- ração de Deus, ou seja, sua morte espiritual . E, a seguir, manifesta o genuíno desejo de abandonar esta situação

e se reconciliar com o Senhor . O arrependimento gera uma mudança de atitude.

3) Confissão

A confissão é a atitude que toma a pessoa arrepen- dida. Esta confissão deve ser feita, não apenas em pen- samento, mas constituir - se de uma declaração, de viva

voz, como confirma Romanos 10.9-10, que resume os pontos fundamenta i s para se receber a s al vação: " Se com

a tua boca confessares a Jesus c omo Senhor , e em teu

coração creres que Deus O ressuscitou dentre os mo r - tos , serás salvo. Pois com o cora ç ão se crê para a justiça ,

e com a boca se faz confissão para a salvação " .

Se você ainda não teve esta oportunidade, fa ça agora, neste momento, sua oração de entrega de vid a e de aceitação de Jesus c omo seu Senhor e S a l v ador!

" Senhor Deus , confesso qu e tenho sido um pecador

e que tenho estado separado de Ti, mas agora, eu me

arrependo dos meus pecados e r e conhe ço que precis o d o Senhor, das Suas bênçãos par a viver . Eu te a grad eç o , de todo o meu coração , pela reconciliação que o Sen ho r

me oferec e - através do sacrificio do sangu e de Jesus - e

a aceito , recebendo agora a Jesu s Cristo c o mo o Se nho r

da minha vida , o S e nhor que vai d irigir m inha vid a de agora em diante . Ob r igado , m e u Deus , p e lo perdão dos

12 • Co n so li dação

Através desta confissão de recebimento de Jesu s,

c o mo seu Senhor, seus pecad o s s ã o p e rdo a dos,

se recon c ilia com Deus. Assim , Jesus

bém o s eu S al v a dor . E D e u s

e voc ê

passa a ser tam -

o abençoa com a salva ç ã o!

S UA NO VA SITUAÇÃO

\ . pa rtir de seu a r rependimento,

fé e confi s são

de

. J e sus , c omo seu Senhor e Salvador, você se reconciliou com Deus , e como tal:

a) Você se tomou membro da família de Deus , como mostra Efésios 2.19 : "A s s im já não so í s estrangeiros , n e m forasteiros , mas c o n c idad ãos d o s sa nto s , e da famí- lia de Deus";

b) Você se tornou

f il h o d e D e u s , como vemos por

João 1 . 12-13: " Mas a todos os que O receberam , àque -

o poder de serem não do sangue ,

nem da vontade da carne , nem da vontade do homem,

ma s de D eu s" ( not e que n e m todos são considerados

filh o s d e D eu s , m a s ap e nas

c o m o Sen h o r

c rí at ur a .d, e D e u s ) :

le s que cr ê em no Seu nome, deu - lhes feitos filhos de Deus - filhos nascidos

os que recebem

Os d e mais

a Jesus

d e s u a s

vid as .

são apenas

) Se u s p eca do s fora m perdoados, como ja vimos

, - ' E f é si o s 1 . 7: "N ' E l e t e mo s a r e denção

pelo Seu san -

g u e . a r e mi ss ã o

d) Voc ê r ece beu a s alva ç ão, como confirma João 3.36: " Todo a q ue l e que c rê no Filho t e m a vida eterna , mas tod o aqu e l e que r e jeita o Filho não terá a vida, pois

sobr e el e p er man e c e

dos peca do s

"

:

a ir a d e Deu s ".

o Plano de Salva ç ão • 13

o que Deus Espera de Você

Agora que você foi tão abençoado por Deus, Ele quer que você retribua a Seu amor, demonstrando um firme desejo de crescer espiritualmente e de servi-IO.

Para atender a este seu desejo, Deus coloca à sua disposição duas armas fortes: a Sua Palavra e o Seu poder. Isto se torna evidente pela repreensão de Jesus a algumas pessoas, em Mateus 22.29: "Erraís, não co- nhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus".

O poder de Deus está disponível para quem O busca em oração, de forma ardente e constante, como Ele nos revela em Jeremias s29.13: "Buscar-me - eis e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso co- ração".

A oração é o seu canal de comunicação com Deus. Por mais distante e afastado que você pense estar de Deus, esta distância é apenas a de uma oração. Você se liga em Deus pela oração.

É pela oração que você pode expressar sua depen - dência de Deus em cada assunto' da sua vida. Deus vai se agradar de você O ter procurado, mesmo para os seus menores assuntos, como nos mostra Filipenses 4.6-7:

"Não andeis ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e pela súplica, com ações de graças , sejam as vossas petições conhecidas diante de Deus. E a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e as vossas mentes em Cristo Jesus".

É pela oração que você aprende a confiar "em Deus, de forma crescente, diária, em cada área de sua vida.

14· C o n s olid a ç ã o

Esta é a chave que Jesus nos ensina sobre a oração, em Mateus 7.7-8: "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai , e encontrareis; batei e abr í r - se - vos - á. Pois aquele que pede, recebe; o que busca, encontra; e ao que bate, se abre".

Devemos sempre orar, dírígíndo nossos pedidos a Deus, em nome de Jesus, como Ele mesmo nos ensina em João 15.16: " e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo o que em meu nome pedirdes ao Pai Ele vos conceda".

A Bíblia é a genuína Palavra I de Deus, dada aos

homens para sua saúde espiritual, como afirma 2Ti- móteo 3.16-17: "Toda Escritura é divinamente inspira - da e proveitosa para ensinar, para repreender, para cor- rigir, para instruir em justiça; a fim de que o homem de

Deus seja perfeito e perfeitamente preparado para toda boa obra". Enquanto na oração você fala c~m Deus. atra- vés da Bíblia Deus fala com você !

Para que você aprenda a buscar a Deus e venha a alcançar conhecimento da Palavra de Deus , temos algu - mas recomendações a lhe fazer:

a) Ore diariamente , por trinta minutos a uma hora, cedo pela manhã, declar a n d o a Deus que você já sabe quem é , (Seu filho) , e a razã o de e s t ar aqui na Terra (servi-Ia) . Dig a a Deu s qu e v o cê abre seu coração total - mente a Ele, que não há mais na sua vida coisa alguma tão importante para você do que Ele . Peça a Deus trans- formação de caráter e capacitação espiritual para bem servi-Ia. Agradeça a Ele pelo Senhor Jesus e por sua salvação. Então, peça a Deus proteção, em saúde, segu

o Pl a n o d e S a l v a ç ão » 15

rança e paz , para sua vida, para cada um de seus famili- ares, união e entendimento para o seu casamento, bên - çãos na sua vida profissional e financeira. Peça a Deus a graça da salvação para seus familiares, amigos e cole- gas. Ore a Deus pelos seus irmãos na fé cristã, pela sua igreja e pelos seus pastores e bispos;

b) Estude com disciplina , todos os dias, este mate-

rial de "consolidação ", por pelo menos trinta minutos;

c) Adquira uma Bíblia e comece a lê - Ia , hoje mes-

mo, seguindo a orientação que damos ao final de cada

capítulo;

d) Frequente regularmente os cultos da sua igreja.

Isto vai permitir o crescimento da sua fé, como revela Romanos 10.17: " a fé vem pelo ouvir , e o ouvir pela palavra de Deus";

e) Faça parte de uma célula , que é uma pequena

reunião semanal , onde você terá comunhão com pesso- as, que a seu exemplo , também creram em Jesus e tam- bém são da família de Deus, portanto, seus irmãos em Cristo. Lá você aprenderá mais sobre a Palavra de Deus e ouvirá testemunhos de como Deus vem transformando suas vidas . Você também terá oportunidade de falar so- bre sua experiência, s e desejar . O seu crescimento es- piritual dependerá também d a comunhão que você tenha

com os outros filhos de Deus. Nós fazemos parte de uma família e nela devemos conviver, tanto na célula, como na igreja;

f) Peça para ser discipulado, ou seja, acompanhado por um desses irmãos mais experientes na vida cristã , que o ajudará em seu c rescim e nt o espiritual .

l6 • Consolidação

Questionário

(para ser r e spondido agora, , ind i vidualmente. m a s podendo consultar a apostila) :

1) Qual é a situaç ã o dos homens?

2) Quem é Jesus?

3) Com que objetivo Deus nos enviou Jesus?

4) Do que consta a salvação?

5) Que atitude precisamos ter para recebermos a salva- ção de Deus?

6) Que bênçãos recebemos de Deus quando, através do sacrifício do sangue de Jesus , nos reconciliamos com Ele?

7) O que Deus espera daqueles que receberam a Sua salvação ?

8) O que devemos fazer quando nos sentimos ansiosos por alguma coisa?

:J P /UIIO de Salva ç ã o • 1 7

9) P or que é import a n te l er di ariamente a Bí blia ?

10) Por que é import an t e f r eq u entar reg ularmente u m a célul a e a i greja?

PARA CASA

• Leia u m ca pítul o do evangelho de João , a ca da dia .

• Memorize Joã o 3 . 1 6.

• Leia todos o s dias Joã o 1 . 12 , F il ipenses 4 . 6 - 7 e 2Timóteo 3.16- 17.

-> ,

-

o Cr e scim e n to E spi rit u al» 21

o BATISMO DE ARREPENDIMENTO

o batismo nas águas é o rito do ingresso na Igreja Cristã e simboliza o começo da vida espiritual. Assim nos fala Romanos 6.3-4: " Ou não sabeis que todos quantos fomos ba t izado s e m C risto Jesus fomo s batizados na Sua mort e ? D e so rte que fom o s s e pultados c om Ele pelo batism o na m o rt e , par a que , c omo Cristo

n ssurgíu dentr e o s m o rto s, p ela g ló r i a do P a i . ass im \J . d emos nós também e m novida d e de vid a "

Vimos ent ào o si g nifi ca d o do b a ti s mo : a d e scida do c- o n v ertido à s á g u as r et r a t a a m o r te d e C ris to. já ef e tua - da. e simbol i z a a mor te e s e p ul ta mento de s e u "velho homem " . A seg uir , seu l ev a nt a me n t o d as á guas recorda

a ressurrei ç ão d e Jesus . j á o c orr i d a , e s imboliza a res -

s urrei ç ão d o co nve r t id o . p a r a v i v e r e m " no v ida de d e vida " .

o ba tis mo l ld : : > a gu as . em s i, n ã o tem p ode r p a r a salvar - a sa l v a çã o ve m através d a fé no sac r i fíc i o do s an g ue de Jesu s C r i st o e n a ace i taç ã o de J e su s co mo S e nhor e Salv a dor d e su a v i d a . E a p urif i caç ão d e v id a oco rrida no batismo é s i m bó l ic a, p r o por c i ona n do -no s a p e nas um posicioname n t o inic i a l pa r a o cr es c i me n t o e s piritual . Mas o batism o nos r e f orça a se ns a ç ã o d e p ert e ncermos

a Deus, como e n s i n a l Pedro

não é o d es p o j ame n t o d a imu ndíc i e d a c a r n e, mas a indagação de um a boa c onsci ê nci a para com Deus , por meio da ressurreição d e Jesus Cri s to " .

Além disso , é essencial guardarmos a comp l eta obediência a Cristo, que em Mateus 28.19 , assim or- denou : " Portanto, ide e f azei discípulo s de todos os po- vos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espí- rito Santo" .

3 . 2 1 :

.0 q u a l (o b a tismo)

22

Co ns oli daçã o

<.

o batismo nas águas significa que o convertido, pela fé , " vestiu-se de Cristo", (isto é, do profundo desejo d e ---

ter seu caráter transformado,

ráter de Cristo , para poder crescer espiritualmente) , de

modo que os homens podem ver Cristo nele , como se vê o uniforme no soldado . Pelo rito do batismo , o converti- do , figurativamente falando, e de forma pública, "veste a camisa " de Je su s Cristo .

Com ist o , o con vertido que s e ba tizou está tam- b ém dando u m podero s o testemu nho de m ud ança d e v i d a p a r a a p l atéia - bus can do ed íf í c á - la e d ar um bom e xe mplo ao s fam i liares e amigo s q u e a in da não deram este pa s so - p a ra si próprio, como um c ompromisso de vida cristã, e para o mundo esp i ritual, como um novo homem, que mudou de lado.

segundo o modelo do ca-

a pregação de Pedro acer-

ca do sacrifício de Jesus, resultou na conversão e b a tis-

mo de quase

Em Atos 2.38 , vemos que

três

mil pessoas,

em um

só dia :

A r repend e i - vos, e que cada um de vós seja batizado

em nome de Jesus Cristo

" .

Para que seu b a tismo seja pleno de signific a do é necessário que você s e arrependa sinceramente de seus p e cados e expresse um a fé viv a no Senhor Jesus Cristo.

Se você ainda não se batizou,

peça agora, neste

momento, que o consolidador o inclua na próxima ceri - mônia de batismo em nossa igreja !

o Cr e s ciment o Espiritual • 23

A Ceia do Senhor

A Ceia do Senhor é, como o batismo de arrependi- mento, uma ordenança de Jesus Cristo para nós . e como t al, devemos obedecê-Ia .

A Ceia do Senhor é um memorial da obra redento- ra d e Jesus, uma proclamação de Seu sacrifício e vitó- ria. co mo vemos por lCorintios 11 . 23-26: " . 0 Senhor Je s u s, na noite em que foi traído , tomou o pão, o partiu. e di s s e: Isto é o meu corpo que é entregue por vós; fazei ist o em memória de mim. Semelhantemente , depois de c e a r . tomou o cálice, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança no meu sangue; faze i isto todas as vezes que beberdes, em memória de mim".

Cada vez que um grupo de cristãos se reúne para celebrar a Ceia do Senhor , estão relembrando o sacrifí- cio expiatório de Jesus Cristo, através do qual, alcança- mos o perdão dos pecados e a libertação do domínio do pecado sobre nossas vidas . A Ceia do Senhor é um memorial dessas bênçãos tremendas que recebemos de Deus , através de Jesus Cristo, e um momento de grati- dão a Deus por isso.

Jesus, em João 6.35, diz: "Eu sou o Pão da Vida.

Aquele que

que o simbolismo do pão partido , no relato acima da Ceia do Senhor, é que o Pão teve que ser partido. na morte de cruz, a fim de ser distribuído entre todos os que estavam. estão e estarão espiritualmente famintos!

Para melhor entendermos o real significado do sa- crifício de sangue de Jesus por nós, precisamos ler

vem a mim não terá fome

". Vemos então

2 4 · C on s o iu l acú o

Êxodo 12.1-14 e 21-27: ali v em os que a libertação do po v o de Deu s , de sua e scravidão no Egito , principiou na d é cima praga, a da morte dos primogénitos egípcios. E a proteção de Deus para cada família de Seu povo se deu através de uma aliança de sangue: pela aplicação, na verga das portas de suas casas , do sangue de um cordei - ro consagrado e sa c r if i c ado a Deus. Com isso, o anjo da mort e se desv ia v a das casas assim aliançadas, "passan - do sobre" elas, expr es são qu e é o significado original da pal a vra Pá s coa.

O sacrifício de sangue de um animal era a maneira

que Deus havia dado para proteger e purificar Seu povç>

dos pecados. E a razão disso é que o sangue é o princípio

da vida e que sem derramamento de sangue inocente não há remissão dos pecados ( Hebreu s 9.22 ) .

A aliança de sangue entre Deus e Seu povo perma-

.

neceu através do Senhor Jesus. O sac r ifício do sangue inocente de Jesus Cristo por nós ocorreu durante uma celebração da Páscoa - a Festa da Libertação - e trans - formou J esus no Cordeiro de Deus e e m Nossa Páscoa!

.

A aliança de sangue com o Senhor, através de um

cordeirinho proporcionou a libertação ma te ri a l , ou seja,

física, da escravidão no Egito. En q uan t o que quando a aliança de sangue foi executada através de Jesus, o Cor - deiro de Deus , e l a realizou e continua realizando a li - bertação esp i r it ua l do povo de Deus da escravidão dos '

pecados e sua salvação .

Vemos então que o simbolismo do vinho na Ceia do Senhor nos diz que o sangue inocente de Jesus Cristo , o qual é a Sua vida, foi derramado na morte, a fim de que Seu poder exp i ador pudesse ser distribu í do para a salvação de muitos!

.

U Cr e sci m e n to E s piritual' 25

Além disso, a Ceia do Senhor nos proporciona uma comunhão com Jesus no presente! Pois Ele próprio vem para o noss9 meio, como vemos por lCoríntios 10.16: "Não é o cálice de bênção, que abençoamos, a comunhão do sangue de Cristo? E não é o pão que par - timos a comunhão do corpo de Cristo? " . Quando cele - bramos a Ceia do Senhor, Jesus quer ter comunhão conosco! Afinal , esta cerimônia é chamada de Ceia do Senhor porque é d'Ele , e não nossa!

A Ceia do Senhor nos possibilita também uma co- munhão com a Igreja, o Corpo de Cristo, como vimos na mesma passagem acima.

Para que esta nossa comunhão com Jesus possa ser a melhor possível, e Deus venha a atuar com poder em nossas vidas, temos que dela participar de forma digna - discernindo tratar-se de um momento sagrado e fun- damental da fé cristã - e também confessar previamen- te nossos pecados, para que não permaneçamos desa- nimados ou enfermos, como nos mostra lCoríntios 11 . 27-30: "Portanto, qualquer que comer o pão ou be- ber o cálice do Senhor, indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor . Examine-se o homem a si mesmo antes de comer deste pão e beber deste

cálice

Por causa disto, há entre vós muitos fracos e

doentes

''.

Vemos, na passagem do Salmo 32.3, que foi isso o que Davi sentiu em seu corpo, enquanto esteve calado. sem se examinar e confessar seus pecados: " Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pe - los meus constantes gemidos todo o dia ".

A Ceia do Senhor é o rito de comunhão e simboli- za a continuidade da vida espiritual, a qual ne ce ssita estar sempre sendo alimentad a . para alcançar cre s c i · mento .

'26 • Con s olida çã o

A Ação do Espírito Santo

o Espír i to Sa n to é uma Pessoa da Trindade Dív í n a. Ele tem personalidade, não se tratando apenas de uma força, o u de uma influência . O Espírito Santo é Deus! E le tem os mesmos atributos de Deus, como a eternida - de, a onipotência, a onisciência , a onipresença , a sabe- doria , e outr o s. O Espírito Santo age poderosamente so - bre dois tipos de homens:

a) Aqueles que ainda n ão se reconciliaram com Deus , pelo Senhor Jesus:

O mundo estava pere ce ndo no pecado, mas ignora- va o triste estado em que se en c ontrava . Havia, então, uma grande necessidade de a lguém que o convenc e sse n ã o somente da realidad e do pecado, como também da sua natureza e das suas c o nsequ ê ncias. O mundo pre - cisava , ainda , ser convencido de que Cristo veio salvá -lo do pecado. Esta l i ção foi resumida por Jesus, em João 16.8-11: " Quando Ele vier, convencerá o mundo do pe- cado, da justiça e do juízo. Do pecado. porque não crêem em mim: da justiça , porque vou para o Pai, e não me vereis mais ; do ju í zo , porque já o príncipe deste mundo está julgado" .

Aqui vemos que o Espíri t o Santo age sobre os homens ainda não-convert i dos, como "um promotor de justiça", trabalhando para mostrar - lhes o pecado em que vivem, de forma a convencê - Ios a receber a Jesus Cristo como ' seu Senhor e Salvador .

Respare a prof u ndidade infini t a do a m or de Deus p or nós , pois, além de sacrificar Seu Filho Jesus para nos oferecer - a Sua salvação , Ele enviou também o Seu

o Crrsr i m e nto Espiritual' 27

Espírito, para trabalhar no mesmo objetivo. convencen- do o mundo do pecado, da justiça e do Juizo! Tudo quanto era possível fazer para levar o homem ao arre- pendimento e à salvação, Deus já fez!

a) Nos cristãos

o Espírito Santo age sobre os cristãos consolando -

os. santificando - os e revestindo - os com o poder de Deus .

b . 1) O Consolador

o Espírito Santo nos consola em nossas fraquezas ,

intercedendo por nós, como mostra Romanos 8.26: " Da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fra - quezas: Não sabemos o que havemos de pedir como con - vém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemi - dos ínexprímíveís". Ele também nos ajuda, instruindo - nos e trazendo-nos à memória os ensinos de Jesus, como João 14.26 revela: " Mas o Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" ,

b.2) O Santificado r

No dia em q u e aceitamos a Cristo como nosso Se - nhor e Salvador, transformamo - nos na morada do Espí - rito Santo, Ele passa a habitar dentro de nós , como re- vela lCorintios 6.19-20 : "Ou não sabeis que o nosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus? Não sais de vós mesmos ; fostes comprados por bom pre ç o. Glori f icai , pois , a Deus no vosso corpo (e no vosso espírito , os quais pertencem a Deus)". O cristão então é c hamado "santo" e seu dever é

28

Consolidação

rogar ao Espírito Santo que venha a promover um verda - deiro processo de santificação de sua vida, ao mesmo tempo em que deve guardar a santidade inicial con - quistada deste templo, isto é, de seu corpo.

b.3) O Doador de Poder

o Espírito santo nos reveste com o poder de Deus para que possamos ter uma vida cristã reta e direita, apresentando sempre crescimento espiritual , e também para que possamos bem desempenhar - com eficiência -

o papel que Deus espera de nós, a Seu serviço! Trata - se do batismo no Espírito Santo e das unções especiais para servirmos ao Senhor.

o Batismo no Espírito Santo

Você aprendeu, em Mateus 28 . 19, que o Se -

nhor Jesus quer que nós evangelizemos pessoas que

ainda não O

ciliadas com Deus e receber a bênção da salvação: " ide

e fazei discípulos de todos os povos

conhecem para que elas possam - ser recon-

' '.

Vemos, todavia. em A t os 1 . 4,8 , que Ele recomenda que primeiro recebamos um revestimento de poder , con- cedido pelo Espírito S a nto, para que possamos apresen- tar crescimentos cont í nuos e m nossa vida espiritual e para que possamos t e r UTII ~c s e mpenho eficiente no evangelismo. E o Espírito . : : . : . ,, ,,,(0 , que Jesus anunciou, desceu com poder sobre o grupo dos apóstolos e díscí - pulos que estavam reunidos em oração , no chamado batismo no Espírito Santo. ou "batismo de fogo", como relata Atos 2.1-4.

() Cr esc iment o E spiritual • 29

o apóstolo Pedro, batizado no Espírito Santo , ex- plicou aos judeus, em Atos 2.16-17, 32 - 33 , o fenórne- no sucedido ' . Ante o interesse de muitos pela salvação de Deus, através de Jesus Cristo , e p e lo batismo com o

Espírito Santo, Pedro recomendou-lhes , para tal, em Atos 2.38, um genuíno arrependimento e a aliança do batis-

mo nas águas:

seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo".

A mensagem de Pedro tomou-se particularmente eficaz pela ação do Espírito Santo, que o havia revestido do poder de Deus. De fato , vemos o tremendo resultado dela, no versículo 41 : "Os que de bom grado receberam a sua palavra foram banzados , e naquele dia agregaram- se quase três mil almas ".

Arrependei - vos, e cada um de vós

Questionário

(para ser respondido agora , individualmente, mas podendo consultar a apostila)

1) Qual é o significado do batismo?

2) Que testemunho você dá ao ser batizado?

3) O que é preciso para seu bat i smo ser significativo?

4) O que simboli z am o pão e o vinho na Ceia do Senhor?

30· C on s oli dação

5) Por que o Senhor Jesus é chamado de Cordeiro de Deus na Bíblia?

6) A que objetivos visa a Ceia do Senhor?

7) Como age o Espíri t o Santo sobre aqueles que ainda não se reconciliaram com Deus?

8) Como o E s pírito Santo consola os cristãos?

9) Qual é o objetivo do batismo no Espírito Santo?

10) O que o cristão deve fazer quando acontecer de pe - car?

Para casa

• Contin u e a l e r o evangelho de João, a cada dia.

• Lei a a Primeira Carta de João .

• M e mo ri ze 1Coríntios 6 . 19 - 20.

"

)

:~:

1 'i.

1 l:

li!

:i:

S

e r v in do a D e us'

33

A UNÇÃO DIÁRIA DO EspíR I TO SANTO

Todo cristão recebe um nível inicial de

enchimento do Espírito Santo, no ato de sua

.Tendo

n'Ele crido, fostes selados com o Espírito Santo da .

pr o messa

conversão, como aprendemos por Efésios 1.13:

Mas, embora o idea l de uma vida cristã dedicada ao crescimento espiritual esteja descrito em Gálatas 2.20 -

"Estou crucificado com Cristo , e já não vivo , mas Cristo

vive em mim

sempre sujeitos a tentações . Eventualmente, acontece de p ecarmos. Como desejamos servir a Deus e aprender a fazer a Sua vontade em nossas vidas, não podemos permanecer tão impregnados de mundanismo, como nos exorta Romanos 12.2: "E não vos conformeis com este mundo , mas transformai - vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa ,

- vivemos num mundo material e estamos

-- agradável e perfeita vontade de Deus".

Para estarmos mais resistentes às tentações e termos maior eficiência no evangelismo que Cristo nos c omissionou a fazer , precisamos buscar um segundo r <, nível de enchimento do Espírito Santo . Precisamos do i > ba t ismo no Espí r ito Santo.

Mesmo já batizados no Espírito Santo, e portanto , r--- m a is fortalecidos espiritualment e , ainda ocorre de .> pecarmos, às vezes. Necessitamos . en t ão entender que

(

Deus nos dá um es c ape para a pronta restauração de

(

no s sa comunhão com Ele, como vemos em l João 2 .1 :

I . : "M e us f i lhinhos, es t as coisas vos escrevo para que não pequeis. Se , porém, alguém pecar , temos um Advogado ( ' para com o Pai , Jesus Cristo, o Justo " .

,4 . L on s olida c à o

Um arrependimento gen uino, seguido da confissão a Jesus Cristo, quebra a força do pecado e restaura nossa comunhão com Deus, o Pai , como nos ensina lJoão 1 . 9:

"Sp confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados , e nos purificar de toda -ruustiça"

o que efetivamente reduz a frequéncia de novas

-i

f

l

r

ten taçoes

e nos

fortalece

contra

as situações

pecaminosas é a reposição diária do nível de presença do Espírito Santo em nossas vidas.

Em Jeremias 2.13 , temos a ilustração disto . Ali Deus S e a b o rreceu ao ver que Seu povo não mais O

buscava - Ele, a Font e

caminhos, perdendo toda a sua bén ç ão: "O meu povo fez duas maldades : A mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retém as águas". Estas cisternas, além de não receberem mais a entrada de água nova do Espírito de Deus - porque O deixaram - nem sequer retinham as

águas que existiam inicialmente, porque eram rotas .

de Vida - para elegerem novos

Nossas "cisternas espirituais " perdem água por "rachaduras na nossa estrutura moral e espiritual" , ou mesmo pelo efeito da "evaporação causada pelo calor das tentações " a que estamos expostos em nosso cotidiano

humano. Portanto , temos uma necessidade muito grande de nos enchermos diariamente de uma nova unção do Espírito Santo!

Que uma unção fresca do Espírito Santo possa estar santificando diariamente nossas vidas cristãs e nos

renovando para servirmos a Deus em ministérios poder!

de

")

Ser v indo a Deu s » 35

A Obediência

° crescimento físico, como sabemos, é uma função do tempo. E o crescimento intelectual é uma função do aprendizado. Mas o crescimento espiritual não é uma função do tempo, nem do aprendizado, e sim, da obediência. Quando obedecemos à Palavra de Deus, que

é falada pelo Espírito Santo, crescemos e adquirimos

maturidade nos momentos d e conflito e sofrimento.

A chave de nosso crescimento espiritual é a

obediência à Palavra de Deus, como atesta o Senhor

Jesus, em João 14.21: "Aquele que tem

mandamentos e os guarda, esse é o que me ama . E quem me ama será amado de meu Pai, e Eu também o amarei

e me manifestarei a ele " . Tiago nos diz, em 1 . 22,25,

que aquele que ouve a Palavra de Deus e não a pratica, está se auto - enganando , enquanto que o que a pratica será feliz em tudo o que realizar .

os meus

Em Mateus 7.24-27, Jesus qualifica de prudente

o homem obediente que ouve e pratica as Suas palavras,

tendo semelhança com alguém que ed í fíca sua casa sobre

a rocha , fazendo - a resistente às inundações e vendavais ;

e chama de insensato o homem desobediente que as ouve , mas não as pratica , como o que constrói sua casa sobre a areia, e a perde quando vêem as intempéries.

Em Mateus 4.19, Jesus nos chama para segui-Ia, com o propósito de fazer de nós evangelistas: "Vinde após mim, e Eu vos farei pescadores de homens " . Isto envolve, de nossa parte, o desejo de sermos transformados pelo Espírito Santo e um compromisso de servirmos ao Senhor.

~6·C onsohda ç à o

Afinal . fomos libertos do reino das trevas. da terrí-

vel dominação de Satanás, pela graça e misericórdia de Deus, que para isto, pagou um preço altíssimo. totalmente fora de nossas possibilidades. Assim, não somos donos de nossos destinos, mas devemos procurar a vontade de Deus quanto a isso, conforme vemos em lPedro 1 . 18-19 : "sabendo que não foi com coisas corruptíveis. como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver , a qual por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue

de Cristo,

mancha". E também em lCorintios 6.19-20: " Não sois de vós mesmos; fostes comprados por bom preço . Glorífícaí, pois, a Deus no vosso corpo {eno vosso espírito. os quaís pertencem a Deus)".

Mas isso não é motivo de preocupação . e sim . de alegria, pois pertencemos a Deus e Ele cuida de nós. aliviando as cargas que carregamos, como disse Jesus , em Mateus 11 . 28-30: "Vmde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados . e Eu vos aliviarei . Tomaí sobre vós o meu jugo , e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração , e encontrareis descanso para as vossas almas . Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" .

o desejo de servir a Deus deve ser o foco principal de nossas, sobrepujando as preocupações com nossas necessidades particulares, porque Deus está atento a ~ nós e honrará nossa atitude desprendida, como Jesus nos ensina, em Mateus 6.32-33: "Pois os gentios procuram todas estas coisas . De certo vosso Pai Celestial bem sabe que necessitais de todas elas. Mas buscai --- - primeiro o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas ~ vos serão acrescentadas" .

como de um cordeiro sem defeito e sem

_

Servindo a Deus' 37

A Obediência nos Dízimos e Ofertas

Deus exige obediência em todas as áreas de nossas vidas. Nada fica fora do senhorio do Senhor sobre nós, inclusive o aspecto financeiro . Há duas formas de obediência (e fidelidade) a Deus quanto aos recursos

financeiros que Ele disponibiliza e as ofertas.

Estes dois elementos foram instituídos não somente para que houvesse suporte para o ministério de evangelizar e ensinar as pessoas, como Jesus nos ordenou, mas - desde que Deus é o dono de todo o ouro

e toda a prata, e não tem necessidade de seu dinheiro

em particular - para que o homem exercitasse a sua obedíêric í a e fidelidade à Sua pessoa. Afinal, Deus Se

relaciona com os homens através de alianças, e os dízimos e ofertas são sinais de sua aliança com Deus, como vemos na passagem de Gênesis 28.20-22 .

para nós: os dízimos

o dízimo representa a décima parte de tudo o que

o homem ganha e representa seu reconhecimento de

-r-, que Deus é o r e sp o n s á vel pela existência

~ manutenção do seu emprego e do seu negócio. Quem não obedece entregando seus dízimos (e ofertas) traz sobre si maldição, enquanto que aquele que obedece dizimando à casa do Senhor é abençoado abundantemente , como revela Malaquias 3.8-12.

As ofertas são produto da gratidão do homem por aquilo que Deus fez e faz (e ainda fará) por sua vida .

Deus fará prosperar o homem obediente quanto aos dízimos e ofertas, em tudo o que ele fizer .

e pela

:::t

38· C o ns o lida ç ão

Autoridade Espiritual

A vontade de Deus representa a autoridade de Deus. Para conhecermos a vontade de Deus precisamos nos submeter à Sua autoridade. Autoridade e obediência

foram instituídas por Deus . Desde o princípio, a vontade de Deus é que o homem fosse governado pela obediência

e não pela sua própria vontade. A queda do homem

deveu - se à sua desobediência e m relação à autoridade de Deus. Desobedecer autoridade é um princípio satânico . Não podemos servir a Deus se andarmos em

rebeldia.

Deus serve-Se de homens para alcançar Seus propósitos na Terra e constitui líderes , delegando a eles

a Sua autoridade. A sujeição à autoridade delegada de

Deus tem um significado muito mais amplo do que o de apenas estar submisso a uma pessoa, mas implica em

estar sob a unção que vem a esta pessoa quando Deus lhe ordena que seja uma autoridade.

Assim, rebelar-se contra a autoridade delegada de Deus é o mesmo que rebelar-se contra Deus. Quem rejeita a autoridade delegada de Deus está, na verdade. rejeitando ao próprio Deus.

Jesus é o modelo a ser seguido por nós em termos

de humildade e obediência . Veja . em Filipenses 2.5-8.

~

participado

obedien t e ao Pai e cumprir a missão de sacrifício que lhe havia sido reservada: "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus , que , ~ sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser -> ,

'\

o que custou ao Senhor Jesus - que era Deus e havia

da criação do mundo (João 1 . 10) - ser

Servindo a Deus' 39

igual a Deus, mas a Si mesmo Se esvaziou, tomando a forma de servo, fazendo - Se semelhante aos homens. E, acabado na forma de homem, humilhou - Se a Si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz".

Veja o que Jesus diz acerca da humildade para obedecer, em Mateus 23.12 : "Pois quem a si mesmo se exaltar será humilhado, e quem a si mesmo se humilhar será exaltado" .

Então, uma pessoa que está cheia de Cristo deve ser também uma pessoa humilde, que está cheia de obediência.

Ame o seu líder , o seu discipulador, o bispo, todos os pastores e autoridades da sua igreja! Não deixe entrar em seu coração qualquer raiz de insubordinação e ~ rebeldia, mas submeta-se, para crescer espiritualmente e colaborar com o ministério , servindo ao Senhor!

Assim você também será abençoado por Deus!

o Chamado de Deus e o nosso Serviço

Nosso chamado é para dar frutos, isto é, ganhar almas, ou seja , levar pessoas a se reconciliar com Deus, através de Jesus , e a permanecer em Jesus, sendo evangelizadas , discipuladas, como vimos em Marcos 16.15 e Mateus 28 . 19-20, respectivamente: "Ide por ~ todo o mundo , e pregai o evangelho a toda criatura" e "Portanto, ide e fazei discípulos de todos os povos,

batizando-os

".

40· C ons o lid aç ão

Fazer discípulos é levar homens e mulheres , que não conhecem a Jesus, a assumirem um compromisso de segui-IO e de tomarem-se também discipuladores de novos discípulos. multiplicando o processo de estabelecimento do reino de Deus - um reino espiritual - aqui na Terra.

Somente quando ouvimos a Palavra e estamos cheios

do

Espírito de Deus é que damos fruto, ganhamos almas.

O

Senhor Jesus nos revela, na parábola da videira , de

João 15.1-5 que, para servirmos a Deus , necessitamos permanecer n'Ele , Jesus. Além disso, aprendemos que Deus não nos quer com baixa produtividade a Seu serviço, muito menos improdutivos: " Eu sou a videira ~

verdadeira , e meu Pai é o agricultor . Todo ramo em mim que não dá fruto Ele o corta , e todo ramo que produz - fru to Ele o poda, para que produza mais fruto -

ainda

O ramo de si mesmo não pode produzir fruto , se não

estiver na videira. Tampouco vós poder e is produzir fruto, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira , vós

sois os ramos . Se alguém permanecer em mim, e Eu - nele, esse dá muito fruto; sem mim nada podeis fazer".

Sessão. Pregar, batizar e ensinar são os meios que devemos utilizar . Mas é somente a presença de Cristo a " nossa garantia de sucesso. É o que Deus nos confirma, -r-, em lCoríntios 3.6-7 , através do apóstolo Paulo: "Eu - plantei , Apolo (colaborador de Paulo) regou , mas Deus ~ deu o crescimento. Pelo que, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega. mas Deus , que dá o crescimento" .

Por isso, temo s que nos posí c íonar , neste trabalho . ->, como humildes agentes de Deus , Seus instrum e ntos , e ,

Permanecei em mim, e Eu permanecerei em vós .

Servind o ( / [ )P U S · 41

não como se fossemos " vendedores ", quer en d o con ven - cer alguém , com nossa lábia e esperte za - o u mesmo com irritação e agressividade - acerca da s a l vação . Deu s nos fala , em Zacarias 4.6 : " Não por for ça nem por vio - lência, mas pelo meu Esp í rito , diz o Senh or dos Exé r ci - tos".

Ques t io n á r i o

(para ser respondido agora, indi vi du almente , ma s , podendo consultar a a po st i la ) ,

1) Por que precisamos re c ebe r um a unção diári a d o Espírito Santo?

2) Qual é a chave de nosso c re scimen t o esp i ri t ual ?

3) O que precis a m o s de m o nstrar para qu e Jes us nos fa ç a pesc a dores d e hom e ns ?

4) Interprete c om su as p alavras o versículo d e Mateus

6.32 - 33.

5) O que Deus f az àq u el es q ue obede c em ao ' dí z í rno?

6) O que representam a s o fer t as?

42· Consolida çà i.

7) Em que implica estar sob a autoridade delegada de Deus?

8) O que Jesus nos ensina acerca da humildade para obedecer?

9) O que Jesus espera de nós, em termos de serviço a Deus?

10) Explique , com suas palavras , o que quer dizer a passagem "Eu plantei, Apolo regou, mas Deus deu o

crescimento

".

PARA CASA

• Conclua a leitura do evangelho de . Joa o

• Releia a Primeira Carta de J 08 ).

• Memorize lJoão 1 . 9 , Mateus 23.12 e 28.19-20 .

"

• Leia Malaquias 3.10 e lCoríntios 3.6-7.

\

' \

p ó s-EnC O l l f r o ·4 S

Inform ações Gerais do Pós - Encontro ao Ministrador

No encontro

a s p es soa s s ão im pac tadas

pela

ministração do Senhor . O p ós- e nco nt r o v is a solidifi c ar o

ensino m i nist r ad o du rant e o Encont r o .

O Pós-encontro é u m a s é r ie d e 4 r eumo e s , cada ~ uma com a dura ç ão d e uma hor a . d urante 4 s eman a s , qu e acontec e m a p ós o E n c o n t ro . o u 2 r e uni õe s co m 2 horas de dura çã o c a d a .

l i

e

h

m p or . QL' I

r

VO :

!

• F or t a l e c e r o n o vo c on v e r t ido ou o l íde r ;

.• Cons o l i d a r mai s i ntensame n te o no vo c onv e rtido ;

• S o lidifi ca r o cr e s c im e n t o da f é do novo con ve rtido ;

• Impla nt ar a vi s ã o co m q u a lidad e;

• Firm a r nos caminhos d o S e nhor o novo convertido , através da conscien t ização da PaLavra ;

• Estimular o cumprim e nto do propósito - ganhar vid a s ;

• AL e rtar o novo convertido sobr e os contra-ataques do Diabo .

No Pós-encon t ro o discipulador deve:

]raça

• Cobrir o coração do novo convertido de unção. e força. Ele precisa sab e r qu e o S e nhor é bom e

que traz estas b ê nçãos. A p es so a fi ca e n r i q u ec íd a

f é:

n a

• P r e parar o d i s cí p u l o p a r a p e r m a n e c e r f irme ao

c on t r a at aqu e do in imi go

( E f 6 : 11 - 1 3 ) :

46

Consolidação

• Ensinar o discípulo a proibir e inoperar as retalia ções do Diabo ( Mc. 3:27 );

• Fortalecer o ensino, para que não sejam pegos de surpresa (Mc . 3:27);

• Firmar o discípulo no propósito de Deus, mostrando que ele não pode perdera noção da caminhada;

• Ensinar sobre submissão, unção e vida de Deus nessa nova fase ( Atos 20:24 );

• Incentivar e encaminhar Escola de Líderes.

o discípulo

Administração:

a fazer

a

• No Encontro , avisar previamente

sobre o pós-

encontro e a necessidade de se fazerem presentes;

• mesmo local do Pré-Encoritro pode ser utilizado

para o pós-encontro,

desde que mantenham

o

mesmo clima de aprendizado ;

• Escalar com antecedência pessoa responsavél pela ministração da palavra ;

• Seguir os mesmos princípios do Pré-Encontro.

PÓS-ENCONTRO (1 ª Aula)

Carga horária : 1 hora

P á s - E n co n tro ·47

Tema : A Importânc ia do Pó s- e n c ontr o

Mat e us 4/ lP e d r o 5: 8

Consci ent i z e s eu Reb a n h o :

' Todo propó s i t o e plano s qu e s ã o sé r io s e de ca r áter profundamente es piritua l at raem o c o n t ra-ataque do inimigo " ,

Mencione t est e munho s e alerte os discípulos a aprenderem a vigiar e a entenderem que o adversario poderá usar a f a mília, os amigos , etc.

Após o Encontro, o inimigo tentar á nos intimidar para sairmos da benção. Muitas situações satanás armara para tentar nos prender . O que devemos fazer , então? Entender que estamos no meio de uma batalha espiritual e que t e mos que resistir ao inimigo. Os contra-ataques < , do inimigo virão , por isso devemos estar vigilantes e preparados .

No Encontr o D e u s rea l i zou um obra maravilhosa e específica n a sua vida . Isto foi um ataque ao reino das - trevas , pois o diabo perdeu mais uma b at alha na sua . vida. E, como estamos em meio a u ma g u er ra , o reino inimigo está preparando um contra-ataque. É por isso que você precisa participar do Pós - encontro , para saber como vencer o contra - ataque do diabo.

-tx • C o ns otida çt u)

o contra-ataque do inimigo

De onde vem o contra-ataque?

Satanás utilizará as áreas de fragilidade da nossa alma. O contra-ataque virá por uma área que lhe afeta , ~ mexe, assusta, amedronta (nunca por uma área em que ~ você já esteja plenamente curado).

Satanás virá para afrontar , dizendo que nada do - que lhe aconteceu no Encontro realmente vai permanecer em você. Foi assim com Jesus quando saiu -r -, do Encontro de 40 dias com Deus no deserto - satanás veio afrontá-lo.

Suas áreas de fragilidade podem ser : brigas, álcool , - drogas, amigos mundanos, prostituição , brincadeiras sujas, adultério, insubmissão , grosseria, namoro ilícito , família entre outros.

Satanás fará tudo para afetar a sua comunhão com ~ Deus, para promover o desânimo; este é o alvo do inimigo. O nosso despreparo permite que o desânimo venha. O diabo " tem estratégias para destruir sua vida. Estas estratégias sâo fraudulentas , sujas , Satanás tem um - curriculum sujo.

Como neutralizar o contra-ataque?

Lembre-se: Se você está num contra-ataque é por- que antes voc ê atacou .

Você não atacou sozinho, Jesus estava com você. Esteve no Encontro e estará para sempre com você. Ele é vencedor, está à sua frente. Agora , para satanás l he '

Pós- EncOnl7D";:;'j

vencer, terá que vencer Jesus; como isso não é possível , . póís Jesus já o venceu, vocé está seguro . Assegure - se da sua vitória: venha o que vier, vocé é vencedor .

Tenha a linguagem de Jesus na sua boca durante o contra-ataque . Vocé é uma nova criatura, não deve responder da forma que fazia antes. Você precisa agir

como Jesus agiria na situação que está enfrentando. Aprenda a calar na maioria das vezes. Não agrida, não

(Tg 3 : 1 - 12).

discuta , não murmure - cuide da sua língua

Creia na grande obra que Jesus fez , e ainda está

fazendo em sua vida. Está escrito: " Sem fé é impossível agradar a Deus". A fé é o escudo para apagar os dardos

inflamados de satanás contra

lanças , no mundo físico ; no espiritual são ingerências na mente, nas emoções , ou mesmo no corpo.

São situações ou pensamentos que satanás lança para que caiamos na armadilha dele . A fé na Palavra de Deus, o agir e o f a lar dire c ionado pelo Espírito Santo , farão com que você envergonhe o inimigo e ele terá qu e desistir de você .

você (Ef . 6 : 16) . Dardos são

Quando você for agredido aprenda a agir no Espírito. Se alguém vier a você com p e dras , v á c om amor . (GI . 5:22 - 23)

Não lute contra a s p es so as , lute co nt ra satanás e seus demõnios. Está escrito: Nossa luta não é con tr - carne e s a ngue , mas s i m contr a satan á s e s e us ag e n t e s (Ef . 6: 12) . P o r isso , ore , bus q u e a Deus , peça c o n s elhos ao s e u discipul a d or , não vá p e l a s u a própri a ca rn e, p e l o seu próprio d e s e jo: ago r a v o cê é uma no va c r i at u r a ( 2 f"

50· Consolidação

Oração

• Ore por todos. Leve-os à cruz novamente. Siga os mesmo desígnios da palestra "Cruz";

• Promova

o mesmo sentimento

de alegria

e

quebrantamento pela presença do Senhor

experimentado no Encontro;

• Utilize a mesma música tacada no Encontro;

• Incentive-os sobre a Escola de Líderes;

• Estabeleça

o horário para a próxima

motive-os a não faltar.

reunião e

Po s - E n co n t ro • 51

PÓS-ENCONT RO (2ª Aula)

Carga horária: 1 hora Tema: Conservando a Libertação e a Cura Interior Efésios 6: 10-18

Revestindo-se de toda a "Armad u ra de De us "

(Efésios 6 : 10-18)

• Cingindo - se com a verdade ;

• Vestindo-se da COU ; 2 ç ada justi ç a ;

• Calçando os p é s com a pr e paração do evangelh o da paz ;

• Embraçando sempre o escudo da fé ;

• Tomando o capacete da s alvação ;

• Tomando a espada do Espírito . que é a Palavra

de Deus ;

• Orando em todo o tempo no Espí r i t o.

Con f essando a B e n çã o

Declarações negativas caracterizam a influência demoníaca. Confissão positi v a é fé expressada. Confesse aquilo que a Palavra de Deus diz . Qualque r outra declaração abrirá a porta a o inimi g o (Hb. 10:23).

52· Consolidação

Permanecendo nas Escrituras

Jesus resistiu às tentações de satanás pelo uso das Escrituras. A Palavra é um espelho para a alma; é lâmpada para os ' pés, mostra claramente o caminho (S1 . 119:105); é um purificador (Ef . 5:26) ; é como uma espada de dois gumes (Hb . 4: 12); é alimento para o espírito (I Pe. 2:2/ Mt. 4:4). Ninguém pode conservar sua libertação por muito tempo sem que a Palavra de Deus seja um fator primordial em sua vida .

"Bem aventurado o homem que não anda segundo

< ,

o conselho dos ímpios , não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores . Antes, tem o seu prazer na lei do Senhor , e na sua lei medita de dia e de noite . Ele é como árvore plantada

de águas que, no devido tempo , dá o

seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido . " (SI . 1 : 1-3) .

junto a corrente

Crucificando a Carne

Tome sua cruz diariamente e siga a Jesus (Lc. 9:23). Quebre os hábitos ligados com os espíritos do mal . Se os vícios, desejos e concupiscências não estão entregues ao pé da cruz , o caminho para a volta dos demõnios está aberto (G1 . 5:19 - 21,24). Ainda que você sinta um intenso desejo de voltar à prática do pecado , diga " não" a si mesmo , renuncie, lute. Não atenda aos . apelos da carne.

Pós-Encontro' 53

Desenvolvendo uma Vida de Louvor e de Oração Contínua

o lo uvor c ala o inimigo. Não devemos louvar ape -

n a s q u an do te mos v ontade , mas em todo momento , mes-

m o

que o nos s o coração esteja triste , ou que as situa -

ções se ja m adversas . Isto é sacrif í cio de louvor ao Se -

~ nhor (Hb. 13: 15). O louvor deve ser a expressão de gratidão a Deus, expressão de adoração e alegria atra - vé s do falar , cantar , dançar, tocar instrumentos , bater palmas, etc.

A Palavr a nos exorta a orar sem cessar (I Ts. 5: 17) . Devemos orar no Espírito (em línguas) e também no entendimento (I Co . 14: 14). '

Mantendo uma vida de comunhão e um ministério espiritual:

A ovelha que anda desgarrada é a que está em maior perigo. Junte - se ao rebanho de Jesus . Procure cumprir sua função dentro do Corpo de Cristo . Deseje os dons espirituais e deixe-os operarem, através de você , sendo útil na Igreja (I Co . 12:7 - 14).

Mantenha - se submisso à autoridade . Sempre procure seu discipulador para lhe ajudar . Busque a comunhão com os irmãos.

Entregando-se por completo a Cristo

Determine que cada pensamento , palavra e ação reflita a natureza de Cristo . Permaneça em Cristo , de modo que o fruto do Espírito possa fluir em abundãncia.

54 • Conso li dação

Os espír i tos demoníacos são inimigos do fruto do Espíri- to. A fé e a confiança em Deus são as armas mais pode - rosas contra as mentiras do diabo.

" E mbraçando s e mpre o escudo da fé , com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno". (Ef . 6: 16).

Fechando as Janelas da A l ma

As janelas são:

Olhos - cu i de com seus olhos, d e svi e o olhar de coisas impuras.

Ex. : alguns programas da TV , revistas pornográficas ,

etc

Ouvidos - não ouça tudo que

lhe dizem . Você pode

até escutar , mas não retenha , não dei x e entrar.

Tato - não toque em coisas imundas .

Ex.: sexo fora do casamento.

Olfato - E x . : incenso , perfumes associados ao departamento sexual, etc .

Paladar

-

não

coma

nem beba alimentos

consagrados a ídolos , pois por detrás d e cada ídolo existem demônios . (I Co. 10:20)

Cumprindo esses itens, sua "casa " (vida) ficará re - pleta da pr e sença de Deus, depois da limpeza p e la qual passará . Mesmo que você peque, dando assim brecha para o inimigo, lembre - se que Jesus perdoa t o dos os seus pecados, quando você os confessa e se arrepende.

Pás-Encontro= 55

Dessa forma , repreenda o inimigo utilizando sua autoridade espiritual . Não aceite acusações e caminhe firme na sua libertação, confessando o que a Palavra diz: "Se o Filho do homem vos libertar, verdadeiramente sereis livres . " (Jo. 8:36). Uma libertação total foi o que Jesus tornou possível a nós. Ande totalmente liberto diariamente. Não aceite menos do que isso!

"Porque se nós, quando inimigos , fomos reconcilia - dos com Deus mediante a morte de seu Filho , muito mais, estando reconciliados, seremos salvos pela Sua vida". (RmS : 10)

Oração

• Faça uma oração de batalha espiritual pedindo a cobertura do sangue do Cordeiro revestindo - se com a armadura de Deus. ministre sobre eles neutralizando toda a cilada de satanás;

• Incentive-os a não faltarem a próxima reunião ;

• Fale sobre a Escola de Líderes .

S6· C o nsolida ç ão

PÓS-ENCONTRO (3ª Aula)

Carga horária: 1 hora Tema: As Áreas de Contra-Ataque

Êxodo 14:9/ Tiago 4:4/ I Coríntios 15:30

Introdução

"Depois que o povo de Israel tinha saído do Egito , Faraó armou o contra - ataque (Êxodo 14). Satanás quer fazer o mesmo. Jesus nos tomou das mãos de satanás , mas o inimigo quer nos pegar de volta para sermos seus escravos . Ao declarar sua libertação , o d i abo vai querer agir. "

As Áreas de Contra-Ataque

Amigos do passado (Tg 4:4):

• Eles virão para o persuadir

na fé: " Ah, voce e

doido!" ; "Ah, você vai virar mulher de pastor?"

• Nós sentimos a perda deles;

• Vão nos criticar com gozações;

• Virão fazer observações sobre sua fé e vida ;

• Trarão novas propostas para tentar nos impedir de prosseguir firmes na fé.

Pás-Encontro» 57

o que fazer?

• R e s istir firme para não perder a comunhão com D

• P r o c ura r l e mbrar dos ensinamentos recebidos , até q u e e s t e j af i r mado ; talvez precise mudar de hábitos , t e r no vos a m igo s ;

e

u s;

• F ug ir do h om e m mau (cama l) . Por quê? Com e l e o

T Lív e ld e c o n v e r sa não é boa , e a s más conversações

c or r omp e m o s b o n s c o st u m es

(I Co . 15:33);

• Não vo l tar a s e alian ç ar com os incrédulos (Sl . 1 : 1) . E v i te s a í d as com se us an t igos amigos se você sabe qu e e l es vão lh e chamar para o caminho mau , evite es t a r e m rodinhas de piadas , pois estas sempre t e n de m a pornofonias , e eles certamente esca m e c e rão da sua decisão por Cristo . Deus dará es trat é gias. O discipulador lhe ajudará nesse p r o ce s s o , e O Senhor lhe dará novas estratégias para ganhar seus amigos para Jesus, mas não v o l te p a r a o mundo.

Algu é m da sua família

• S at a n á s p od e t e ntar usar alguém da sua família pa r a d e san im á- l o . Por qu e da família? Porque a [ e ri da Je i t o . p or uma p e ssoa que amamos dói muito m a i s do qu e a quela f e ita por alguém com quem n ão t e mos ta n t o a f et o .

• T emos q u e r e jeit a r t o d a id é ia que vem c ontra a

noss a f é . As p e sso as

de de ntro de casa serão

ganhas por vo cê ( At . 1 6: 3 1 ) :

58· Co n s ol ida çã o

Desde o Pré-Encontro Satanás armou ciladas e jogou setas para que, quando vocé voltasse do Encontro, encontrasse na família pessoas frias, desacreditas sobre você;

Satanás vai querer que você desista e para tal usará diversos argumentos ;

• Você vai conquistar cada membro da sua família através da oração . Diga: A minha família não ficará nas mãos do inimigo.

Saúde (Êx. 23:25b)

• o diabo vai querer mexer em sua saúde;

• Lembre ao inimigo que Isaías 53 é uma verdade.

Finanças (Fp. 4: 19)

• Seja fiel no pouco e sobre o muito o Senhor o colocará. (Is.1: 19/ Lc. 16:10) ;

• Sejafiel nos dízimos e nas ofertas. (Ml . 3: 1 O);

• É visível a benção para os fiéis; as brechas são fechadas, então , vão aparecendo coisas novas para abençoar sua vida. (II Co . 8 : 9) .

Ataques na mente e na alma

• o tempo todo você poderá sentir a vontade de questionar, dizendo: será que isto é verdade? Estou mesmo no lugar certo?; • A nossa mente é um campo de batalha e o diabo

p ós - E l lco l ll r o ·59

nos ataca. Rejeite todo pensamento do inimigo, en L nome de Jesus (Fp . 4:8) ;

• Rec e b e m o s a m e n t e d e J e sus Cristo , por isso Ele

t od o o li x o do diabo (Rm.

vai tran s for má - l a .

12: 1 -2) ; .

t irar

• Diga: Fora os padrões do mundo , eu sou de Deus! ;

• A m e nte r e novada transforma o mundo (Rm . 12: 1 -

2 ):

• Noss a me nt e é dominada pelo que nós ouvimos , v e m o s , l e m os , sentimos. Você gastou muito tempo d a v i da se e xpondo ao que não era de Deus , agora t e r á que tr abalhar sua mente pela Palavra. Gaste te mpo l e ndo a Bíblia, orando e jejuando até que sua mente esteja limpa e cheia de Jesus.

Oração

• Ore pelos encontristas ministrando

a bênção de

D e us e que os mesmos sejamfortaiecidos no Senhor , permanecendo em Seus caminhos.

• Incentive-os a matricularem-se desde já na Escola de Líderes para que haja continuação do processo de Deus em suas vidas.

60

Consol id aç ão

POS-ENCONTRO (4ª Aula)

Carga horária: 1 hora Tema: Como posso deter Satanás? Marcos 3:27/ Efésios 6:10-18

I ntrodução

"Satanás não é o senhor do universo, ele não é onisciente, nem onipresente, nem onipotente . Jesus nos deu toda a autoridade para determos o maligno e destruímos as obras de Satanás (Lc . 10:19). "

Como deter Satanás

Amarrando as forças das trevas (Me 3:27/ Lc 11 :21-

22) :

Prender as forças demoníacas é um ensino de Jesus . Ele nos ensinou que quando um valente guarda a sua casa, se faz necessário que um mais valente venha e o a marre para que sua casa seja saqueada (Lc. 11 : 21-22) .

Satanás se acha valente , mas há um povo autorizado a pisar serpentes, escorpiões e toda a força do maligno (Lc 10 : 19). Nós somos este povo com autoridade par a manietar , prender, amarrar o diabo. Quando alguém est á preso , por mais que queira reagir, ele não tem como o fazer .

P

ás - E n co n t r o » 61

Usando a autoridade dada por Deus

A Bíblia diz qu e Deus nos dá o ce tr o d e au t o r idad e . Domine o inimigo. não seja domin a d o p o r el e . (Lc . 10 : 17 -

19) .

Declare: "Eu tenho a promessa : o inimigo não me toca" (I Jo. 5 : l8b).

Evitando brechas

Por que o inimigo toca em alguns de nós? Devido a brechas, a portas abertas para sua atuação. Vejam com o esta portas são abertas:

Pecado: Desobediência deliberada ;

Medo: O amor lança fora o medo (I Jo . 4 : 18) ;

'i

Desconfiança (falta de fé): colocar em suspei t a o caráter de Deus (I Jo . 5: 10) ;

Incredulidade: "Não creio que Deus fará". (Rrn . 8:31/ H b. 11 :6 )

Quando abrimos precedentes deixamos a carne em operação.

Conheça os Inim igos

o mundo - se vence com oração (Mt , 7:7-8) ;

A carne - se vence com jejum (Mt . 17: 21);

62

· C on s o l i d a çã o

Como guerrear contra Satanás

• Pelo poder do sangue

• Pelo poder

de Jesus (Ap 12:11 ) ;

do nome de Jesus (Mc 16: 1 7) ;

• Revestindo - se de toda a armadura de Deus (Ef

6:10-18) ;

• Fe ch a ndo as portas. Se as portas forem f e chadas , a vitória e stará instalada (Ef 4:27). Hoje precisamos

fechar as portas do medo , da insegurança, incredulidade (lI Tm 1 :7).

o contr a -ataque vem do adversário e ele não brinc a .

da

Não se pode vac i lar .

declarado. T e mos a certeza que o poder de Jesus Cristo e m nós é maior do que qualquer força inimiga, mas não pod e mos esquecer que est a mos em batalha espiritual (1 Jo 4 : 4b) .

Satanás

é o nosso adversário

Como vencer o contra-ataque

Sa i ba quem você é :

Eu vou vencer porque eu sei quem Deus é, e sei quem sou em Cristo : sou mais que vencedor ( Rm .

8 : 37) ;

-

.,

• M aior é o Senhor que vive em mim do que o diabo;

• A autoridade que es t á em mim dá-me autoridade s obr e principados (Le . 10: 19).

Pás-Encontro» 63

Co nh eça o p l an o da cruz

• Sei q ual é, e q u anto v al e o plano da cruz.

N ão baixe a guarda

• E steja alerta o tempo t o d o.

Rete nh a a conf i s são d a es p e r ança

. • Deus é fiel para cu mp r ir suas promessa s

10:23).

(H b

Feche as portas pa r a o pecado

~ • Anule os argum e ntos e a condenação do i ni mig o

cont r a você . " Não d eis lug ar ao d i abo. " (Tiago 4 :2 7 ).

"\

Co m o Cons er vara Vit ória

• Con f essando a Pa l a vr a , retendo a conf i ssã o da fé e da esperança .

" T u do p o sso naque l e qu e me f ortalece " (Fp 4 : 1 3)

" E m to d as as c o i sas s ou m ais do que vence d o r " ( R m

"\ 8:37 )

-> ,

"M i nhas nec e ss i dades são supr i das seg und o as

~ riquezas de Cris t o" (Fp 4: 1 9)

6

4 . Con so l i daç ão

o q u e acontecerá com o encon tr ista d epois do Pós-encontro

• D everá esta r debai x o d o acompanhamento de seu d iscipulado r semanalmente;

• p a ra a E scola de Líderes. Lá ele será edificado e crescerá n o modelo dos 12;

D e v erá imediata m en t e

ser encami n hado

--.,

S olicitar que eles se m pre

estimulem

outros a -. ,

pa rticiparem do Encont r o , pois este é tremendo ;

• P os t e r iormente ele ser á convocado a p a rticipa r de u m Reencon t ro.

f

l

')

' )

)

")

" )

I

"

"

,

)

"'

')

I - "\

')

' )

' )

')

)

'j

")

Embaixad a d a Rei no de Deu s 'QMS W 04 - Lo t es 7 / 8

Se t or S udoeste'

Bra síl i a / DF

F one: (61) 3035 -9047

Site: ww w .saranoss a terra.com . br

E- mail: sarab rasil @ saranossa t erra.com.br