Você está na página 1de 3
Secretaria Municipal de Fazenda Secretaria Municipal Adjunta da Receita Coordenadoria de Arrecadação e Fiscalização 6.

Secretaria Municipal de Fazenda Secretaria Municipal Adjunta da Receita Coordenadoria de Arrecadação e Fiscalização

6. TRIBUTOS MOBILIÁRIOS

Conceito: Tributos mobiliários são os tributos que não têm sua origem relacionada a imóveis (IPTU e ITBI). Basicamente os tributos mobiliários são o ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) e as taxas pelo exercício do poder de polícia (taxas de fiscalização).

6.1. ISSQN – Imposto sobre serviços de Qualquer Natureza:

O ISSQN – imposto sobre serviços de qualquer natureza, é de competência dos municípios (art. 156, II CR/88), tem como fato gerador a prestação de serviços constantes da Tabela I, Anexo II - A do Código Tributário do Município de Contagem – Lei nº 1.611/1983, ainda que esses não se constituam como atividade preponderante do prestador. (art. 72 CTMC). O Contribuinte do imposto é o prestador do serviço, profissional autônomo ou a empresa, que exerça qualquer das atividades constantes da Tabela I, Anexo II - A do CTMC.

A base de cálculo do imposto é o preço do serviço (o valor total recebido ou devido em conseqüência da prestação do serviço, vedada qualquer dedução, exceto a expressamente autorizada em lei), o ISSQN será calculado aplicando-se ao preço do serviço as alíquotas correspondentes, previstas na Tabela I, Anexo II-A, do CTMC. O ISSQN pode ser recolhido nas seguintes formas:

a) Próprio: art. 72 a 78-B, 80 a 90 do CTMC;

b) Retido (ou de terceiros): art. 78-C, 78 - D, 78 - E e 78 - G do CTMC;

Para o recolhimento do ISSQN Próprio e retido, a apuração do valor do ISSQN será feita, mensalmente,

sob a responsabilidade do contribuinte através dos registros em sua escrita fiscal e deverá ser recolhido

na forma e prazos regulamentares, sujeito a posterior homologação pela autoridade competente.

A guia para recolhimento do ISSQN Próprio e/ou Retido deverá ser emitida, obrigatoriamente, pelo

Sistema DEISS. O prazo para pagamento do ISSQN estabelecido no Decreto nº 311/2006 é o 5º (quinto)

dia útil do mês subsenquente ao da ocorrência do fato gerador.

c)

Fixo (autônomo): art. 93 do CTMC;

O

valor do ISSQN Fixo devido pelos prestadores de serviço autônomo, sob forma de trabalho pessoal do

próprio contribuinte, será devido anualmente, atualizados a cada exercício, conforme a variação de índice definido em lei.

d)

Estimado: art. 92 do CTMC

O

valor do ISSQN Estimado será fixado, à critério da autoridade competente, ou mediante requerimento

do interessado, e será recolhido mensalmente nos prazos estabelecidos em regulamento.

6.2. Taxas de Fiscalização:

São taxas cobradas pela municipalidade que têm como fato gerador o exercício regular do poder de polícia, ou a utilização, efetiva ou potencial, de serviço público específico e divisível, prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição. (art. 77 do CTN Lei nº. 5. 172, de 25 de Outubro de 1966 e art. 143 a 225 do CTMC) São taxas mobiliárias no município de Contagem:

a) TFLF – Taxa de Fiscalização de Localização e Funcionamento; (art. 150 a 157)

“Art. 150 - A Taxa de Fiscalização de Localização e Funcionamento (TFLF), fundada no poder de polícia do Município tem como fato gerador:

I – A atividade de fiscalização do cumprimento da legislação disciplinadora do uso e ocupação do solo urbano, segurança, ordem ou tranqüilidade pública;

II – O controle a que se submete qualquer pessoa natural ou jurídica, em razão da localização, instalação ou funcionamento de qualquer atividade no Município.”

b) TFA – Taxa de Fiscalização de Anúncios; (art. 158 a 162)

“Art. 158 - A Taxa de Fiscalização de Anúncios (TFA), fundada no exercício regular do poder de polícia, concernente à utilização de seus bens públicos de uso comum, a estética urbana, a segurança e tranqüilidade públicas, tem como fato gerador a fiscalização exercida pelo Município sobre a utilização e a exploração de anúncio, em observância à legislação municipal específica”

AV. CARDEAL EUGÊNIO PACELLI, 1887 - CIDADE INDUSTRIAL - CEP 32.210-000 – CONTAGEM – MINAS GERAIS

Secretaria Municipal de Fazenda Secretaria Municipal Adjunta da Receita Coordenadoria de Arrecadação e Fiscalização c)

Secretaria Municipal de Fazenda Secretaria Municipal Adjunta da Receita Coordenadoria de Arrecadação e Fiscalização

c) TFS – Taxa de Fiscalização Sanitária; (art. 167)

“Art. 167 - A Taxa de Fiscalização Sanitária (TFS), fundada no exercício regular do poder de polícia, concernente ao controle de saúde pública e bem estar da população, tem como fato gerador a fiscalização exercida sobre locais e instalações onde são fabricados, produzidos, manipulados, acondicionados, conservados, depositados, armazenados, transportados, distribuídos, vendidos ou consumidos alimentos, bem como o exercício de outras atividades pertinentes à saúde pública em observância às normas sanitárias vigentes.”

d) TFLOS – Taxa de Fiscalização de Localização e Ocupação do Solo; (art. 168)

“Art. 168 A Taxa de Fiscalização e de Licença para Ocupação do Solo, TFLOS, tem como fato gerador o exercício regular do poder de polícia, concernente à autorização, à vigilância

e a fiscalização, desenvolvida pelos diversos órgãos municipais, visando disciplinar a

ocupação de vias e logradouros públicos para a prática de qualquer atividade, eventual ou

permanente, onde forem permitidas.”

LANÇAMENTO DE TRIBUTOS MOBILIÁRIOS

Definição: é o procedimento administrativo que verifica a ocorrência do fato gerador da obrigação correspondente, identifica o sujeito passivo, determina a matéria tributável, calcular o montante do tributo devido. É o ato praticado pela administração fiscal que torna líquido e certo o tributo devido por um determinado contribuinte.

O lançamento efetuar-se-á com base em dados constantes do Cadastro Técnico Municipal e declarações

apresentadas pelos contribuintes, nas formas e épocas estabelecidas nesta Lei ou em Decretos regulamentar. (Art. 19

do CTM)

O lançamento é ato privativo da autoridade administrativa, são de responsabilidade da DIREM/GETM, o lançamento de:

a) TFLF – Taxa de Fiscalização de Localização e Funcionamento; (art. 150 a 157)

b) TFA – Taxa de Fiscalização de Anúncios; (art. 158 a 162)

c) TFS – Taxa de Fiscalização Sanitária; (art. 167)

d) TFLOS – Taxa de Fiscalização de Localização e Ocupação do Solo; (art. 168);

e) ISSQN Fixo (autônomo): art. 93 do CTM;

f) ISSQN Estimado: art. 92 do CTM

Fundamentação legal: Código Tributário Nacional – CTN - Lei nº. 5. 172, de 25 de Outubro de 1966, artigos 142 a 150; Código Tributário Municipal – CTM – artigos 15 a 27.

SERVIÇOS RELACIONADOS

REVISÃO E/OU CANCELAMENTO DO LANÇAMENTO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS

A revisão e/ou cancelamento do crédito tributário pode ser feita de ofício pela autoridade fazendária ou a requerimento

do interessado nos casos previstos em lei e por decisão administrativa do órgão municipal competente.

Compete à Junta de julgamento fiscal, em primeira instância, e à Junta de Recursos Fiscais, em grau de recurso, julgar processos administrativos tributários ou fiscais de reclamação contra lançamento de tributos mobiliários. (Decreto

484/2006)

Fundamentação legal: Decreto 311 de 03 de fevereiro de 2006. Art. 20 O contribuinte ou responsável poderá requerer a revisão do lançamento dos tributos e contribuição previstos neste Decreto à Superintendência da Receita até 30 (trinta) dias da data da notificação do lançamento.

§ 1º O pedido de revisão, devidamente fundamentado e instruído com a documentação

comprobatória das alegações, deverá ser protocolizado na referida repartição, situada na Avenida Cardeal Eugênio Pacelli, 1887, Cidade Industrial, ou onde estiver indicado na guia

de lançamento e arrecadação.

§ 2º A decisão do pedido de revisão do lançamento de que trata este artigo implica

alteração do prazo de vencimento da obrigação tributária, de modo a garantir que entre a

AV. CARDEAL EUGÊNIO PACELLI, 1887 - CIDADE INDUSTRIAL - CEP 32.210-000 – CONTAGEM – MINAS GERAIS

Secretaria Municipal de Fazenda Secretaria Municipal Adjunta da Receita Coordenadoria de Arrecadação e Fiscalização

Secretaria Municipal de Fazenda Secretaria Municipal Adjunta da Receita Coordenadoria de Arrecadação e Fiscalização

data da ciência da decisão e o prazo para pagamento do débito fiscal, sem desconto pela antecipação, decorram 10 (dez) dias.

Documentos necessários:

Requerimento próprio – Revisão de Lançamento de Tributos

Contrato social quando pessoa jurídica;

CNPJ ou CPF, quando autônomo;

Cópia do alvará

Espelho cadastral do imóvel (IPTU);

Outros documentos comprobatórios da situação alegada no requerimento,

Comprovantes de registro profissional e de residência (só no caso de autônomos).

SETOR RESPONSÁVEL

Diretoria de Receita Mobiliária Receita Municipal de Contagem Av. Cardeal Eugênio Pacelli, 1887 – Cidade Industrial Telefones para informações: 3363-5629 / 3363-5642 / 3363-5649

AV. CARDEAL EUGÊNIO PACELLI, 1887 - CIDADE INDUSTRIAL - CEP 32.210-000 – CONTAGEM – MINAS GERAIS