ESCOLA E. B.

2, 3 MARIA VELEDA BIBLIOTECA ESCOLA / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS

REGIMENTO 2010 / 2011

Regimento da BE/CRE Maria Veleda

1

Capítulo I
A Biblioteca Escolar Artigo 1º Definição A BE/CRE é uma estrutura que gere recursos educativos diretamente ligados às atividades curriculares, extracurriculares e à ocupação dos tempos livres. Artigo 2º Objetivos Proporcionar uma boa integração escolar; Contribuir para a formação geral dos utilizadores da BE/CRE; Criar hábitos de frequência e de utilização; Estimular o gosto pela leitura; Promover um maior envolvimento de toda a comunidade escolar; Divulgar a diversidade documental da Biblioteca; Tornar a BE/CRE um espaço vivo e dinâmico; Incentivar a pesquisa; Difundir documentação e informação relativa aos vários domínios de atividades, satisfazendo as necessidades dos alunos; Estimular a criatividade, a curiosidade intelectual e o sentido crítico.

         

Capítulo II
     Artigo 3º Organização funcional do espaço A BE/CRE instalada no Bloco C, 1º andar, funciona de acordo com o horário afixado; Os utilizadores, ao entrarem na BE/CRE, deverão deixar, à entrada, em local destinado para o efeito, as mochilas, casacões e guarda-chuvas; Os utilizadores têm livre acesso às estantes; O utilizador terá de preencher uma ficha de requisição destinada a fins estatísticos, e que se encontra no balcão de atendimento; Após a utilização dos livros ou outro material, os mesmos devem ser depositados nos cestos de reposição. Artigo 4º Espaços afectos à BE/CRE Zona de Atendimento ou Receção Zona de Trabalho de Grupo Zona de Leitura Informal Zona de Leitura Zona de Informática Zona de Áudio e Vídeo

     

Regimento da BE/CRE Maria Veleda

2

 

Artigo 5º Horário O horário de funcionamento da BE/CRE é definido no início de cada ano letivo, e afixado em local visível. No início de cada ano lectivo será afixado, à entrada da BE/CRE, o horário dos professores que integram a equipa educativa.

Capítulo III
Gestão dos Recursos Humanos Artigo 6º Constituição da Equipa  A equipa da BE/CRE é constituída por uma Professora Bibliotecária, à frente designada por PB, que coordena a equipa, professores da escola com serviço de componente não letiva atribuída e uma assistente operacional.  A PB é designada de acordo com as condições estabelecidas na Portaria nº 756/2009 de 14 de Julho.  Os docentes que integram a equipa da BE são designados pela Diretora do Agrupamento, e executarão as tarefas que lhes forem atribuídas pela Coordenadora.  A distribuição de serviço será efetuada pela PB no início do ano lectivo.  A distribuição de serviço será estabelecida de acordo com as competências de cada um, em função da carga horária distribuída e das áreas a assegurar.  As competências e funções da PB e dos professores da equipa constam do artigo seguinte.  Os professores da equipa da BE/CRE devem registar diariamente a sua presença e sumariar as atividades realizadas no livro de ponto que se encontra na zona de atendimento.  As PB das BE/CRE do Agrupamento deverão reunir trimestralmente para a coordenação do processo de partilha de recursos humanos e materiais, sempre que se justifique.  A PB da BE/CRE Maria Veleda tem assento no Conselho Pedagógico, e na sua ausência será substituída pela P B da EB1/JI Fernando de Bulhões.  A PB apresenta a proposta do PAA da BE/CRE em Conselho Pedagógico e recolhe sugestões para articulação com os Departamentos.  Compete ao Professor Bibliotecário: →assegurar serviço de biblioteca para todos os alunos do agrupamento; →promover a articulação das atividades da biblioteca com os objetivos do Projeto Educativo, do Projeto Curricular de Agrupamento/Escola e dos Projetos Curriculares de Turma; →assegurar a gestão dos recursos humanos afetos à(s) biblioteca(s); →garantir a organização do espaço e assegurar a gestão funcional e pedagógica dos recursos materiais afetos à biblioteca; →definir e operacionalizar uma politica de gestão dos recursos de informação, promovendo a sua integração nas práticas de professores e alunos; →elaborar o Plano Anual de Atividades a integrar no Plano de Atividades do Agrupamento, que deve respeitar o Projecto Educativo, o Projeto Curricular, e submetê-lo à apreciação do Conselho Pedagógico;
Regimento da BE/CRE Maria Veleda 3

→apoiar as atividades curriculares e favorecer o desenvolvimento dos hábitos e competências de leitura, da literacia da informação e das competências digitais, trabalhando colaborativamente com todas as estruturas do agrupamento; →apoiar atividades livres extracurriculares e de enriquecimento curricular incluídas no Plano de Atividades ou Projeto Educativo do Agrupamento; →estabelecer redes de trabalho cooperativo, desenvolvendo projetos de parceria com entidades locais; →implementar processos de avaliação dos serviços e elaborar um relatório anual de auto-avaliação a apresentar ao Conselho Pedagógico e a remeter ao Gabinete Coordenador da Rede das Bibliotecas Escolares (GRBE); →convocar e dinamizar as reuniões da equipa, assim como reuniões com a Professora Bibliotecária da EB1/JI Fernando de Bulhões; →contactar Editoras e Instituições para a oferta de livros e patrocínios de atividades; →representar a Biblioteca Escolar no Conselho Pedagógico, nos termos do Regulamento Interno; →na sua ausência, a Coordenadora da BE/CRE será substituída pela Professora Bibliotecária da EB1/JI Fernando de Bulhões.  A equipa deverá registar a sua presença e sumariar as atividades realizadas no livro de ponto que se encontra na zona de atendimento.  Compete aos elementos que compõem a equipa coadjuvar o PB, proceder à divulgação das actividades da BE/CRE, realizar o tratamento de dados, proceder ao registo, classificação, etiquetagem e catalogação informática do material livro e não livro, elaborar e actualizar dossiês temáticos, e dar apoio pedagógico aos alunos que vêm para a BE/CRE, sempre que se mostre necessário.  A Assistente Operacional tem como funções: → atender os utilizadores; → controlar a leitura presencial e o empréstimo domiciliário e para as aulas; →controlar as impressões; → zelar pela manutenção dos equipamentos →proceder à limpeza e arrumação das instalações.

Capítulo IV
Organização e Gestão dos Recursos de Informação Artigo 7º A Gestão da Biblioteca        Inclui: A organização do espaço; O controlo de todo o serviço; A elaboração de um manual de procedimentos; O tratamento de toda a documentação – registo, carimbo, classificação, etiquetagem e catalogação; A orientação dos utilizadores na biblioteca; A difusão seletiva da informação aos utilizadores; A elaboração de um plano anual de actividades e de relatórios anuais;
4

Regimento da BE/CRE Maria Veleda

    

A planificação, divulgação e concretização das actividades anuais; A aplicação do modelo de auto-avaliação; A organização da correspondência; A elaboração de estatísiticas; O planeamento das aquisições.

Capítulo V
Utilização da Biblioteca Artigo 8º Acesso à Biblioteca São utilizadores da BE/CRE todos os membros da comunidade educativa – alunos, funcionários e professores, bem como pais e encarregados de educação, sob autorização da Direção da Escola e da PB Todos os utilizadores devem possuir um documento que os identifique e apresentá-lo sempre que solicitado. Artigo 10º Direitos do Utilizador Frequentar e utilizar os recursos da BE/CRE, desde que respeite as regras de funcionamento impostas; Consultar livremente o catálogo online; Retirar das estantes os documentos impressos que pretendam consultar, ler ou requisitar para empréstimo domiciliário; Ser auxiliado pela funcionária e professores em funções na BE/CRE; Dispor de um ambiente calmo e agradável nas várias zonas funcionais; Participar nas atividades promovidas pela BE/CRE; Apresentar por escrito, sugestões e propostas, devidamente fundamentadas relativamente ao funcionamento da BE/CRE. Artigo 9º Deveres do Utilizador Cumprir as regras estabelecidas por este Regimento; Apresentar cartão de identificação para requisitar documentos; Efetuar a requisição necessária à utilização do material e equipamentos; Aceitar as indicações dadas pela funcionária ou professores em serviço na BE/CRE; Manter o bom estado dos documentos que lhe forem facultados e fazer bom uso dos equipamentos e instalações; Não utilizar qualquer produto que danifique o mobiliário (chicletes, tesouras, tintas, x-atos, etc); Repor ou pagar a importância necessária à reposição de todo o material perdido ou danificado; Não alterar a arrumação dos documentos, nem o posicionamento do equipamento; Não alterar a configuração dos equipamentos;

      

        

Regimento da BE/CRE Maria Veleda

5

    

Trabalhar com o menor ruído, de forma a não perturbar o trabalho dos restantes utilizadores; Não comer nem beber dentro do espaço da BE/CRE, nem utilizar telemóveis; Cumprir os prazos estipulados para a devolução dos documentos requisitados para consulta domiciliária; Não escrever, sublinhar, dobrar ou utilizar qualquer outra forma de marcar as folhas nos documentos; Acatar as indicações que forem transmitidas pela PB ou por qualquer professor presente e pela funcionária. Artigo 11º Serviços Todos os serviços prestados são gratuitos exceto as impressões, cujo preço será afixado em local visível; Não são permitidas impressões a cores; Terminada a consulta, os documentos devem ser colocados nos cestos metálicos ou entregues na receção/atendimento. A tarefa de arrumação é da exclusiva competência da funcionária; Depois de consulta, os jornais e revistas devem ser arrumados, pelos utilizadores, nos locais destinados para o efeito; O utilizador é sempre o responsável pelo serviço que utilizou; Artigo 12º Procedimentos específicos Os utilizadores têm acesso livre a todo o fundo documental existente na BE/CRE, respeitando os requisitos estabelecidos e as orientações dos professores e funcionária; Nas estantes de “Dossiês Temáticos”, o utilizador pode consultar os textos de apoio, tendo o cuidado, após a sua utilização, de os colocar na ordem em que se encontravam. Artigo 13º Empréstimo Domiciliário Está disponível para empréstimo domiciliário todo o fundo documental, com exceção das obras de referência (dicionários e enciclopédias), as publicações periódicas, as obras reservadas, o material audiovisual e multimédia; O empréstimo dos documentos é feito pelo prazo de 5 dias úteis, com a possibilidade de renovar o pedido desde que não haja outros interessados em lista de espera; Os manuais escolares podem ser requisitados por um período de 5 dias úteis, podendo ser renovável; Só poderão ser requisitados novos documentos desde que os anteriores tenham sido devolvidos; O não cumprimento do prazo de devolução implicará a suspensão temporária ou permanente deste serviço;

    

 

    

Regimento da BE/CRE Maria Veleda

6

  

O utilizador é sempre o único responsável pelo exemplar que requisitou – o documento deverá ser entregue no mesmo estado de conservação em que se encontrava antes de sair da BE/CRE; Todos os recursos requisitados deverão ser devolvidos até 8 dias antes de terminarem as aulas, data a partir da qual não é possível a requisição que implique saída da escola; A BE/CRE pode, ainda, emprestar os seus documentos em regime de permuta com outras Bibliotecas do Agrupamento e do concelho, sempre que isso não prejudique os utilizadores internos. Artigo 14º Empréstimo para aulas Os professores podem requisitar livros e obras de referência para as aulas. A requisição será feita antes da aula, e a devolução imediatamente após a aula.

Artigo 15º Utilização do equipamento informático A utilização dos computadores tem como principal objetivo a consulta e a realização de trabalhos escolares. Assim:  A zona de informática promove o contacto com as novas tecnologias de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências ao nível da pesquisa, seleção e organização da informação para a transformar em conhecimento mobilizável;  Esta zona está equipada com 13 computadores em rede, com ligação à Internet;  A utilização dos equipamentos obriga ao preenchimento prévio da inscrição, com a identificação do utilizador, hora de entrada e saída e número do computador.  Cada computador deve ser utilizado apenas por um aluno;  Em situações de trabalho a pares, um computador pode ser utilizado por dois alunos. A lotação máxima é de 26 alunos;  A duração de utilização é de trinta minutos, renováveis se não houver outros utilizadores;  Não é permitida a utilização dos recursos informáticos da BE/CRE para atividades fora das suas finalidades educativas: fins pessoais, de entretenimento ou qualquer outra (respeitando a ordenação);  É proibido fazer downloads para o disco. Os trabalhos e outros documentos deverão ser gravados em suportes informáticos próprios e compatíveis com o equipamento; →A utilização dos suportes informáticos externos (pen´s, leitores de mp3, etc), requer de uma análise prévia, a fim de se detetar a existência de vírus. Assim, os utilizadores antes de introduzirem os suportes informáticos externos no equipamento informático da BE/CRE deverão

Regimento da BE/CRE Maria Veleda

7

solicitar aos elementos da equipa educativa em serviço na BE/CRE uma análise prévia.  A utilização dos computadores para o trabalho de pesquisa na BE/CRE requer guião para orientação dos alunos;  A utilização do equipamento informático deverá respeitar a legislação em vigor sobre criminalidade informática;  Os recursos informáticos só estarão disponíveis à comunidade educativa quando houver um professor ou funcionário que garanta o apoio aos utilizadores;  Qualquer anomalia verificada durante a utilização dos equipamentos deve ser registada na folha de ocorrências;  Depois de terminadas as tarefas, os utilizadores devem ter o cuidado de fechar o(s) programa(s), deixando o equipamento ligado e o espaço arrumado;  Não são permitidos, em quaisquer circunstâncias, os seguintes actos: →Introduzir "passwords"; →Alterar a configuração dos computadores ou do software instalado  Quando o professor pretender que alguns alunos efectuem trabalho de pesquisa e não os puder acompanhar por ficar na sala de aula com o resto da turma, esses alunos deverão ser encaminhados para a BE/CRE pela funcionária do pavilhão, que entregará também a indicação, por escrito, do trabalho que os alunos vão realizar. A funcionária entregará essa indicação na BE/CRE, ao mesmo tempo que acompanha os alunos;  A comunicação será feita em impresso próprio disponível na zona de atendimento da BE/CRE.

Capítulo VI
Política de Desenvolvimento da Colecção Artigo 16º  Será definida ouvida a Directora, o Conselho Pedagógico, os professores, os alunos e a restante comunidade educativa e deve estar de acordo com: → Currículo Nacional → Projeto Curricular de Escola → Projeto Educativo de Escola → Equilíbrio entre os níveis de ensino existentes na escola  A seleção será feita de acordo com a Directora do Agrupamento, tendo em atenção: → as necessidades e especificidades da Escola em termos de planos curriculares, níveis de ensino e projectos educativos e pedagógicos; → a coleção existente; → a taxa de utilização dos recursos; → a diversidade temática do fundo documental; → a variedade de formatos e suportes; → o orçamento existente;
Regimento da BE/CRE Maria Veleda 8

→ o número de alunos da escola; → o espaço disponível na BE/CRE Todos os documentos adquiridos devem receber o adequado tratamento técnico na BE/CRE e ficarem acessíveis através do seu catálogo. A PB reserva-se o direito de recusar ofertas documentais que se encontrem desactualizadas, deterioradas e/ou não satisfaçam os critérios de selecção acima mencionados.

Capítulo VII
  Disposições Finais Artigo 17º Qualquer situação omissa neste regimento é da competência da PB em harmonia com a Directora do Agrupamento; O presente regimento pode ser revisto sempre que se entender necessário, por decisão da Directora do Agrupamento ou por proposta da PB.

1ª revisão: 8/4/2013

Regimento da BE/CRE Maria Veleda

9