Você está na página 1de 6

A Missão da Mulher Discípula e Apóstola “Cristo, superando as normas vigentes da cultura do seu tempo, teve

para com as mulheres uma actitude de abertura, de respeito, de


acolhimento e de ternura. Deste modo, honrava na mulher a
A herança recebida de Jesus
dignidade que ela tem desde sempre, no projecto e no amor de Deus.
Inserido na realidade de uma sociedade patriarcal, e fazendo alusão
Jesus ensinou-nos que as mulheres são fundamentalmente pessoas,
aos relatos da criação, Jesus introduziu uma mudança fundamental
rejeitando com o seu comportamento toda a servidão e
de atitude em relação à mulher. Devolveu-lhe o seu lugar original,
marginalização patriarcal, que pesava sobre os seus ombros”.
isto é, igualdade de dignidade, de natureza e direitos em relação ao
Adinolfi diz que “Jesus demonstra (...) que a mulher é (...) tão capaz
homem (Gn 1,26-28). Jesus relacionou-se livremente com várias
como o homem (e às vezes mais do que ele) de arrepender-se, de
mulheres, sem dar atenção às prescrições sociais que as segregavam.
acreditar, de comprometer-se segundo as rigorosas exigências éticas
Tratava-as com naturalidade, conversava abertamente com elas,
de Jesus, de amar e prodigar-se por Ele e por Deus Pai”.
sentia por elas um predilecção especial e aceitava os seus gestos
femininos de afecto e de fidelidade. Admitiu-as na comunidade com
Consideramos de grande importância descobrir o papel protagonista,
os discípulos, permitindo que O acompanhassem nas suas viagens.
libertador e missionário, universal e feminino no Novo Testamento.
Este comportamento revolucionário de Jesus era considerado pelos
O ponto de partida para realizar uma interpretação dos textos
seus discípulos como algo surpreendente (Jo 4,27) gerando muitas
bíblicos a partir da perspectiva feminina é a actitude de Jesus que, no
reacções da parte dos seus adversários. Os evangelhos apresentam as
seu meio patriarcal propiciou a acção missionária das mulheres e
mulheres como pecadoras e como beneficiarias privilegiadas de
admitiu-as na sua comunidade de discípulos (Mc 15,40ss; Lc 8,1-3;
vários milagres de Jesus. Em Lc11,27-28 Jesus rompe o esquema
Act 1,14). Fez delas testemunhas privilegiadas da sua Ressurreição,
patriarcal e intervém para responder e corrigir uma mulher que do
o que por muitos séculos foi silenciado.
meio da multidão lhe diz:
Segundo os evangelhos, as mulheres assumiram o convite de Jesus
- Feliz o seio que te trouxe e os peitos que te amamentaram!
desafiando o sistema patriarcal vigente da época, falando a sós com
- A esta mulher Jesus respondeu: “Diz antes: Felizes os que
Ele, tocando o Seu corpo, dirigindo-se a Ele em público,
ouvem a palavra de Deus e a põem em prática”.
interpelando o seu actuar etnocêntrico, seguindo-O e servindo-O
como discípulas. Elas a partir da perspectiva do Evangelho
Para Jesus o importante não é o que a sociedade diz que somos
constituem um ponto de referência para o reconhecimento da
por natureza, mas sim o que se é por opção própria, o que nos
participação fundamental das mulheres na acção missionária da
faz ser mais pessoa; por isso, tanto o Homem como a Mulher são
Igreja.
pessoas pela opção fundamental que fazem, pelo que escolhem
para a sua vida. A postura de Jesus e a acção missionária das mulheres nos
evangelhos que orientações e atitudes nos sugerem para o nosso
João Paulo II, na sua mensagem dirigida às mulheres de todo o actuar missionário?
mundo, por ocasião do encontro da IV Conferência Mundial das
Nações Unidas sobre a mulher, em Pequim(1995), expressou assim a
predilecção especial de Jesus para com a mulher: Discipulado de iguais – o envio às mulheres
estava na Galileia; e outras que tinham subido com Ele a Jerusalém
(Mc 15, 40-41).
Maria de Madalena apóstola dos apóstolos (Jo 20,17)
Lucas (8,1-3) também reconhece Maria Madalena como uma das que
seguiam Jesus na proclamação da Boa Notícia do Reino de Deus e O
Maria Madalena é a mulher, discípula, mais presente no Novo
ajudavam a nível económico.
testamento. Aparece sempre ligada ao grupo das mulheres que
Os quatro Evangelhos relatam que Maria Madalena foi testemunha
acompanham Jesus até ao momento supremo da Cruz. É uma das
da morte e da sepultura de Jesus e também da sua ressurreição e do
personagens mais simpáticas e mais misteriosas do Evangelho,
anuncio do Kerigma dirigido aos apóstolos “a partir dai o anuncio da
devido ao seu relacionamento com o Senhor e por ter sido a primeira
Palavra libertadora e humanizadora de Deus feita carne em Jesus
testemunha da Ressurreição de Jesus. Foi salva por Jesus que pode
seria a sua missão” (M.Navarro). A Páscoa de Jesus fez compreender
fazer dela a Apóstola dos doze Apóstolos. Madalena é um símbolo
profundamente a Maria Madalena tudo o que tinha visto e ouvido,
insuperável do feminino cristão; nela podemos ver o amor
confessando Jesus como seu mestre “Rabbuni”. Por isso Maria
reconhecido de “uma mulher que anuncia a maior notícia do
Madalena reúne os atributos de um apostolo: tinha visto, encontrado,
cristianismo aos próprios Doze, a quem Jesus tinha instruído ao
Jesus ressuscitado e tinha recebido o mandato - envio de O anunciar.
longo de três anos”. Jesus entregou às mulheres, tal como aos
A experiência do encontro prepara o anuncio da missão que o Senhor
homens, o encargo do anuncio do Reino (Herc. Alves).
lhe confia (Act 1,21-22).
Sublinhando a importância do papel da mulher no anuncio da Boa
Fiel à Tradição, a Igreja Ortodoxa reconhece Maria Madalena como
Nova, as teólogas Mercedes Navarro e Carmen Bernabé realçam o
“apêstol” dos apóstolos, enquanto a nossa tradição católica popular a
papel de Maria Madalena dizendo: “ao falar das mulheres em missão
recorda erroneamente como a pecadora, prostituta arrependida.
é necessário começar por aquela que foi a primeira a receber a
O certo é que esta mulher faz a experiência de encontro e de
experiência do Ressuscitado e, a receber o Seu envio «Vai ter com os
movimento. Vai e depois vem. Mostra-nos a sua liberdade de ir e vir,
meus irmãos e diz-lhes...» (Jo 20,17)”.
a liberdade da discípula, do discípulo, liberdade de quem ama (Tese
A comunidade Joanina dá uma atenção especial à dimensão feminina
Beta Almendra).
na missão de Jesus, dando um lugar de destaque a Maria Madalena.
Ela é considerada tanto pelos sinóticos como por João discípula e
apóstola de Jesus. Ela é testemunha fiel dos ensinamentos, da vida,
Que elementos encontras neste texto que melhor caracterizam o
da morte e ressurreição de Jesus.
ser apóstola/o e discípula/o e que orientações podemos tirar para
Marcos apresenta Maria Madalena junto de outras mulheres, a quem
nós hoje?
é revelado o Mistério do Reino, dentro do movimento missionário de
Jesus e da sua comunidade de discípulos. A capacidade de fidelidade
feminina no discipulado não se manifesta apenas na participação na
missão, mas também no seguimento da cruz o que contrasta com a
fragilidade dos discípulos. Havia também umas mulheres
observando de longe, entre elas, Maria Madalena, Maria, a mãe de
Tiago o Menor e de José, e Salomé que O seguiam e serviam quando
“Em Sua Memória” messiânico. Como aconteceu noutras ocasiões, Jesus abre espaço à
mulher e dá-se conta que ela é a única a entender, que o vão julgar
nas próximas horas e, por isso, realiza uma acção profética ao ungi-
Mulher que unge Jesus (Mc 14,3-9)
Lo. Ele defende e aceita a presença feminina profética dizendo:
O Evangelho de Marcos inicia a narração da paixão e ressurreição de
“Deixai-a; porque estais a atormenta-la? Praticou em mim uma boa
Jesus dando muita importância a seis cenas que realçam a traição de
obra (...) Em verdade vos digo, onde quer que se proclame a Boa
Judas e a negação de Pedro, deixando na sombra a unção feita por
Nova, pelo mundo inteiro, contar-se-á também,o que ela fez em sua
uma mulher anónima em Betânia. “É estranho que o nome de quem
memória” (Mc14, 6 e 9). Jesus põe em evidência o anúncio universal
atraiçoou seja conhecido, enquanto o nome da fiel discípula tenha
da Boa Notícia e diz que onde for anunciado o Evangelho será
sido esquecido talvez porque era mulher” ( E. Schusseler).
recordada a acção desta mulher. A relação do anúncio do Evangelho
Jesus visita a casa de Simão, o leproso. De acordo com a tradição,
com a mulher anónima indica que as mulheres tiveram um papel
um convidado era recebido com algumas honras características em
importante no desenvolvimento da sua missão e pregação. Diz
Israel; porém a Jesus, Simão não lhe fez as honras que eram comuns
Elizabeth Schusseler que esta mulher é a expressão duma
nessa época. Uma mulher aparece num lugar reservado aos homens,
comunidade que já prevê a missão de ir por todo o mundo: “onde
ultrapassa as normas e toca um homem em público. Entra na casa
quer que se proclame a Boa Notícia” em qualquer lugar do mundo,
sem ser convidada, apenas guiada e empurrada pela sua fé. Desafia
se recordará o nobre gesto desta mulher.
as estruturas sociais e religiosas milenares. Corajosa e sem
Ivone Gebara diz que esta passagem está “prenhada” de futuro, um
necessidade de palavras nem discursos arrisca, ungindo o corpo de
momento anunciador de Boa Nova. Com este acto se recorda e se
Jesus, indiferente à reacção dos presentes, suas criticas e
distingue a participação de muitas seguidoras e discípulas de Jesus
murmurações. Nem considera as conseqüências futuras e a censura
que desempenharam um papel decisivo no anuncio do Evangelho.
da sociedade patriarcal da época.
No meio da opressão existente a actuação desta mulher é um sigilo
Memória: Jesus sensível ao gesto desta mulher refere-se a ele
impetuoso, que abre os olhos a todos os presentes, provoca e reclama
usando a palavra Memória como no Cenáculo: “Fazei isto em minha
uma participação activa, impulsiona o nascimento de uma nova
Memória”. È grande esta palavra de Jesus! Contém a capacidade de
consciência diante dos factos que sucederão. A mulher, despojando-
acolher, com a qual, ontem como hoje, o Seu Espírito transforma
se dos seus bens, comprou perfume puro, nardo de alto preço. O
qualquer gesto realizado por amor, num “sinal Eucarístico” para a
mais provável é que a mulher tenha vendido tudo o que possuía para
salvação do mundo. Tudo o que se realiza por amor entra no grande
poder adquiri-lo. Ironicamente os homens presentes só dão ao acto
rio da “Memória coletiva”, da qual podemos receber força para a
um valor económico colocando-se a falsa máscara da caridade,
nossa vida de hoje e inspiração para o futuro. (Simpósio E. F 2003)
pensando no que se poderia adquirir com esse valor para o dar aos
pobres “para quê este desperdício de perfume? Podia vender-se por
“Memória”: uma palavra e uma atitude essencialmente
mais de trezentos denários e depois dar-se o dinheiro aos pobres. E
feminina. Duas vezes aparece nos evangelhos esta palavra:
censuravam-na irritados” (Mc14,4b-5). Jesus diante das críticas
“Fazei isto em minha memória” e “contar-se-á o que ela fez em
dirigidas à mulher faz ver aos seus seguidores o valor daquele gesto
sua memória”. Que relação e ensinamento podemos tirar destas
como sinal e dimensão profética. Os profetas ungiam os reis de
passagens?
Israel com óleo, símbolo da consagração e reconhecimento
A Mulher e a Missão aos de fora... etnocêntrica. Admirado pela grande fé da mulher, exclama: “pelo
que disseste o demónio saiu da tua filha”Mc 7,29).
A Apóstola dos Samaritanos (Jo 4,1 42)
A mulher da missão universal (Mc 7,24-31; Mt 15,21-28)
O evangelista João relata-nos a atitude subversiva tanto de Jesus
O relato da mulher sirofenícia encontra-se nos sinópticos de Marcos
como da mulher samaritana, no diálogo teologal entre os dois. Este
e de Mateus. As duas versões afirmam que ela discute sobre os
comportamento causava surpresa aos próprios discípulos, porque
limites da prática libertadora do evangelho. A sirofenícia é
Jesus falava com uma mulher (Jo 4,27) e porque ela participava na
considerada como “a principal teóloga e porta voz da atitude de
conversa, dialogava, perguntava e respondia. Um comportamento
abertura aos gentios”, constituindo-se na “antiga mãe apostólica” dos
impensável na sociedade judaica em que a mulher carecia de palavra
gentios que entravam no cristianismo ( E. Schusseler). Em Marcos a
digna de crédito e pior ainda porque era Samaritana e tinha uma
passagem começa com a subida e o retirar de Jesus para os limites da
conduta pouco digna. A mulher samaritana encontrou em Jesus um
fronteira com Tiro, quando a rejeição dos chefes do povo contra Ele
homem livre que a acolheu sem preconceitos, superando os
começou a crescer. Jesus não podia passar despercebido. A mulher
condicionamentos culturais e religiosos da época. Ela, neste dialogo
atravessou-se no seu caminho estabelecendo uma discussão
é convidada por Jesus a acreditar “Acredita-Me, mulher, vai chegar a
teológica a favor da cura da sua filha. No diálogo Jesus revela um
hora” e mais, vive a experiência da manifestação messiânica de
preconceito religioso, desprezando a mulher pela sua condição
Jesus: “Sou Eu, que falo contigo”, igual à manifestação do nome
cultural (grega), étnica (Síria da Fenícia) e religiosa (Pagã) (Mc
divino revelado a Moisés (Ex 3,14). O encontro com Jesus gerou na
7,26), rejeitando a idéia de ser enviado aos pagãos. Jesus insistia que
mulher a iniciativa de levar o anúncio missionário ao povo
a sua missão se destinava sobretudo às ovelhas perdidas da casa de
samaritano motivada pela sua palavra.Brown faz uma comparação
Israel. “Não está bem tirar o pão aos filhos para o deitar aos
entre a expressão e a frase que aparece na oração sacerdotal de Jesus
cachorrinhos” (Mc 7,27b; Mt 15,26;) Ela respondeu: “também os
pelos seus discípulos: “não rogo somente por estes, mas também por
cachorrinhos comem debaixo da mesa as migalhas dos filhos”, Mc
aqueles que pela sua palavra hão-de crer em Mim” (Jo 17,20) para
7,28) com esta frase a mulher se expõe na discussão teológica. É
manifestar que o evangelista descreve tanto a mulher como os
uma das poucas vezes que os autores bíblicos concedem a palavra a
discípulos na última ceia, pessoas que dão testemunho de Jesus com
uma personagem feminina. A sirofenícia representa a voz bíblico-
a pregação, atraindo assim a gente a acreditar n’Ele pela força da sua
teológica das mulheres excluídas, reprimidas ou marginalizadas do
Palavra. A mulher samaritana cumpriu uma autentica função
discurso cristão (E.Schusseler). Com a sua atitude de fé a mulher
missionária no meio do seu povo. Ela foi um pilar da sua
questiona o etnocentrismo de Jesus manifestando o alcance universal
evangelização.
que deve ter a mensagem e a obra de Jesus (Joel 3). M.Navarro e
C.Bernabé referem que Jesus recebe ajuda de uma mulher “na
O que chama muito à atenção são os encontros de dialogo
abertura universal da sua pregação e mensagem libertadora”. Existe
teológico que Jesus estabelecia com as mulheres, marcados pela
a hipótese de que este encontro com a mulher tenha levado Jesus a
reciprocidade, de intercambio e de entrega da mensagem da Boa
um segundo período de abertura da sua missão aos gentios.Com a
Nova. Quais e como são as tuas experiências de dialogo a este
sua capacidade de empatia a mulher consegue apresentar o seu
nível?
argumento e Jesus fica evangelizado e transformado na sua atitude
Missão desprendimento e solidariedade
Mateus menciona um grupo de mulheres que seguiam e serviam
As mulheres discípulas e financiadoras económicas da missão de
Jesus: “Havia ali muitas mulheres olhando de longe, aquelas que
Jesus (Lc 8,1-3).
tinham seguido Jesus a partir da Galileia para o servir” (27,55). O
Lucas é um dos evangelistas que deu espaço e importância à mulher
exegeta Schurmann diz que o facto “de Jesus admitir mulheres ao
nos seus relatos. Mostra-nos que Jesus incorporou as mulheres à sua
seu seguimento era um comportamento muito escandaloso no
comunidade de discípulos e apóstolos. Esta atitude demonstrava a
contexto da Palestina. O que devia dar um estímulo inicial para a
sua fidelidade à Escritura (Dt31,12). Embora fosse contra os
situação social e religiosa da mulher na Igreja e fora dela (...). Com o
costumes sociais, religiosos e patriarcais, assumiu como mestre as
seu comportamento livre de preconceitos, Jesus liberta
implicações suspeitosas deste comportamento. Jesus percorria
fundamentalmente a mulher para uma aceitação social (...). As
cidades e aldeias proclamando a Boa Nova do Reino.
mulheres estão presentes com toda a naturalidade nas reuniões dos
Acompanhavam-nO os doze e algumas mulheres que tinham sido
discípulos de Jesus e desempenham na vida da comunidade tarefas
curadas por Ele e muitas outras que O serviam com os seu bens.
importantes”. Dentro do ambiente patriarcal Israelita a atitude destas
Lucas coloca muitas mulheres no mesmo plano dos apóstolos que
mulheres é de fé inabalável. Numa sociedade que as segregava e
acompanhavam Jesus. Seguiam-nO e financiavam a sua tarefa
confinava ao trabalho doméstico era inconcebível a sua saída dos
missionária. Mulheres que puseram os seus bens ao serviço da Boa
limites sócio-culturais para se entregarem ao anúncio evangelizador.
Notícia.
Numa perspectiva feminina estas mulheres sabiam o que é o
desprender-se e conheciam o que significava realizar uma tarefa,
Relaciona este texto com a realidade de hoje e diz quais as
com as suas implicações económicas próprias de alimentação e
orientações que nos podem ser úteis. Conheces experiências deste
outras necessidades básicas do grupo de Jesus que tinha deixado
tipo?
tudo.
O evangelho de João fala da bolsa comum (12,6 ;13,29) da
comunidade dos/as discípulos/as onde colocavam os seus bens; umas
eram provavelmente viúvas, outros de escassos recursos. Esta atitude
feminina de entrega generosa e o pouco apego aos bens materiais é
mencionada várias vezes nos evangelhos (Mc 12,44; Mt 26,6-13; Lc
7,36-50). Em contraposição os evangelhos mostram-nos a atitude de
alguns homens, como o jovem rico, que recusou seguir Jesus por
causa das suas riquezas; e a discussão dos discípulos com a mulher
de Betânia por ter comprado um perfume caro para ungir o corpo de
Jesus (Mt 26,8).
A Mulher na Bíblia - o ambiente Patriarcal Jesus e as Mulheres – Discípulas e Apóstolas

As sociedades Semita e Cristã são Patriarcais, deixam pouco espaço Mc7,2431/Mt15,21-28 A Mulher e a Missão Universal
á mulher... A Bíblia com frequência nos mostra esta influência Jo 4,1-42 O dialogo de Jesus com a Mulher Samaritana
Patriarcal.... Por vezes parece que só o que fazem os homens é que é
importante... Para Jesus o importante não é o que a sociedade diz que somos por
Um provérbio africano diz: “Um pássaro não pode voar se não tiver natureza, mas sim o que se é por opção própria, o que nos faz ser
as duas Asas iguais.” Também a comunidade Humana tem as suas mais pessoa; por isso, tanto o Homem como a Mulher são pessoas
duas asas: a masculina e a feminina; ela não tem qualquer pela opção fundamental que fazem, pelo que escolhem para a sua
possibilidade de progredir verdadeiramente se continuar unicamente vida. Reflectir...Comentar...
a bater a asa masculina.
Comenta um destes pontos e apresenta o teu parecer... Escolhe uma destas figuras para apresentares no próximo encontro...
Lê, Medita, ora, Prov. 31,10-31 e tira as tuas conclusões...
Homem e Mulher reflexo da imagem de Deus Celebra o dia mundial da mulher (8-3-2004) com algum gesto!

Os dois relatos da criação: Gn1,26-30 e 2,5-25 mostram-nos como


Homem e Mulher partilham a mesma natureza, com as mesmas
potencialidades e idêntica missão.
- os dois criados à imagem e semelhança de Deus Que o Senhor te conceda a audácia de Débora e a
- os dois abençoados por Deus coragem de Ester e de Judite. Que te encha de alegria
- os dois chamados a dominar sobre os animais, a reinar sobre como fez com Ana, Sara, Rebeca, Raquel e de
o universo, a participar da mesma vida de Deus. franqueza e amor fiel como a Ruth Que possas
H. e M. se necessitam para aprender a dialogar e reflectir Deus. É no cantar e dançar junto ao mar, como Maria a profetiza
e reconhecer o Deus da Aliança como Agar.
estar frente a frente que se descobrem e crescem como Pessoas. E como Maria de Nazaré exultar de alegria e
H. e M. são reflexo da vida de Deus, que é Pai e Mãe, não é solidão, proclamar as grandezas do Senhor junto dos pobres,
é dialogo no mistério do Seu Ser. dos famintos e dos humildes.
A alteridade fundamenta-se na harmonia – iguais e diferentes! Que possas encontrar-te com Jesus, o Senhor, como o encontraram, Maria,
Marta, Salomé, a Samaritana, Maria Madalena e tantas outras..., às quais deu
nova vida, dignidade, liberdade e um nome novo.
Mulheres que exerceram uma função social em Israel E também como aquela mulher encurvada, à qual Jesus se aproximou e a
endireitou, possas tu viver “erguida”, bem direita, olhando o horizonte e ajudar
Três mulheres que salvaram o seu povo em situações difíceis, com as os outros a erguer-se e a caminhar direitos. Porque ela, tu, todas nós, mulheres
e homens estamos chamadas/os a pôr-nos de pé: a servir os mais necessitados, a
suas intervenções a nível social, publico:
anunciar e proclamar as maravilhas do reino e a dar gloria a Deus como
Débora - profetiza e juiz (Juises cap 4 e 5) Maria e com Maria! Amem!
Judite - celebra a victória... (Livro de Judit)
Ester - Eleita rainha ... (Livro de Ester)