CURSO DE EDUCAÇÃO CONTINUADA EM GERIATRIA E GERONTOLOGIA

Da teoria á prática...
WACHHOLZ, P.A.

Introdução
- “Verificar a habilidade de uma pessoa para desempenhar respostas de natureza intelectual”

(VIEIRA & KOENIG, 2003)

Á quem interessa a avaliação cognitiva de um idoso ?
- interesses pessoais - interesses pecuniários - ...

- interesses corporativos - interesses judiciais

Introdução
Três pontos principais:
1. Adequada seleção dos testes, segundo o interesse da avaliação 2. Avaliação não é mera aplicação de testes, é integração de informações 3. Reconhecer e aplicar a sutil diferença entre postura e conduta durante a aplicação de testes cognitivos

1

atenção para os sinais não verbais : motivação. 1996 Cognição e envelhecimento idade escolaridade motivação e interesse comportamento atividades que desenvolve aspectos psicopsico-emocionais e sóciosócio-culturais . recordar. coação.estímulos. influência de terceiros.Antes da avaliação cognitiva . etc Cognição e envelhecimento Cognição habilidade para sentir. raciocinar.familiarizarfamiliarizar-se com a aplicação de cada teste proposto e reconhecer seus objetivos. limitações e escores . - Influenciam na cognição 2 . pensar. dentre outros.fornecer ambiente física e psicologicamente adequado . formar estruturas complexas de pensamento e produzir respostas às solicitações internas e externas VIEIRA. perceber. sedução.

núcleos talâmicos) e áreas multimodais de associação (pré(pré-frontal. lobos temporais) Funções Cognitivas difusamente distribuídas – SRAA (tronco cerebral.Cognição e envelhecimento A mudança no desempenho cognitivo pode ser mais importante que o resultado da própria avaliação cognitiva O IMPACTO DAS SÍNDROMES DEMENCIAIS Idade 65 70 75 80 85 90 95+ % 1 2 5 9 18 32 53 Idade 90 80 9% 85 19% 32% 95+ 53% Fonte: GAO e colaboradores. parietal • Funções executivas – Lobos frontais • Memória – Sistema límbico (hipocampo e diencéfalo) 3 . 1998 • Atenção/concentração posterior.

( LENT. 2001 ) MECANISMOS DE FORMAÇÃO DE MEMÓRIA Evento Interno ão leç Se Influência do Comportamento e Evocação Utilização Evento Externo Seleção AQUISIÇÃO RETENÇÃO TEMPOTEMPORÁRIA ConsoliConsolidação RETENÇÃO RETENÇÃO DURADURA DURADOURA DOURA ESQUECIMENTO ( LENT.• Hemisfério Dominante – Linguagem – Cálculo – Praxias Funções Cognitivas “localizáveis” • Hemisfério NãoNão-dominante – Habilidades construcionais – Percepções visuovisuo-espaciais – Componentes prosódicos da linguagem • Memória é a capacidade de reter e fazer uso posterior de uma experiência. 2001 ) 4 .

Cognição e envelhecimento armazenamento inicial e breve dos estímulos. uma vez processados. são transferidos para memória de curta duração ou esquecidas armazenamento de eventos ou informações seriadas que aprendemos para posteriormente evocar Pode ser Primária ou Operacional Memória Sensorial - Memória de Curto Prazo - Cognição e envelhecimento - Memória de Longo Prazo estruturada pela codificação (como é classificado) e recuperação Pode ser declarativa (explícita) ou não declarativa (processual ou implícita 5 .

sem existir déficit motor ou sensorial • Apraxia – • Agnosia – falhas de reconhecimento de objetos ou pessoas • Distúrbios do sono ou do comportamento • Alterações na execução de funções executivas e na capacidade de aprendizado.memória episódica. . 1995) Critérios de Demência 1) Múltiplos déficits cognitivos. .reconhecimento de figuras e objetos. funções executivas !!! (LEZAC.evocação da memória de longo prazo. 6 .Cognição e envelhecimento - armazenamento e uso consciente de experiências prévias Episódica (eventos e coisas associados a tempo/lugar) Semântica (conhecimento geral) Memória Declarativa - Memória Não Declarativa independe da consciência. .atenção e concentração. intencionalidade ou linguagem (LEZAC. . aprendizado. .habilidades visuovisuoespaciais e construtivas NÃO ALTERAM COM A IDADE -memória semântica. incluindo distúrbio de memória e pelo menos mais um dos seguintes: • Afasia – problemas com linguagem(receptiva e expressiva) inabilidade em desenvolver movimentos ou tarefas DSM IV = DSM III-R III III-R previamente conhecidas.memória de curto prazo (operacional e primária). .memória não declarativa.linguagem e sintaxe. . 1995) Cognição e envelhecimento ALTERAM COM A IDADE .memória sensorial. .

3) O déficit cognitivo representa declínio de prévia função cognitiva superior. 2005 DOENÇA DOENÇA DE DE ALZHEIMER ALZHEIMER • PROVÁVEL Critérios -ADRDA) (NINCDS Critérios diagnósticos diagnósticos (NINCDS(NINCDS-ADRDA) – Demência estabelecida por exame clínico e documentada por exame de estado mental – Demência confirmada por exames psicométricos – Deficit de 2 ou mais áreas cognitivas – Deterioração progressiva da memória e outras funções cognitivas – SEM ALTERAÇÃO DA CONSCIÊNCIA – Início entre 40 e 90 anos de idade – Ausência de outra doença sistêmica ou do SNC capaz de produzir demência 7 . 4) Esses déficit´s não ocorrem exclusivamente durante o curso de dellirium Doenças que Causam Demência Doenças Degenerativas primárias sintoma principal sintoma associado Doenças Vasculares Cerebrais Doenças Infecciosas Hidrocefalias Doenças Desmielinizantes Doenças Priônicas Epilepsia Distúrbios Metabólicos Doenças Sistêmicas Intoxicações Carências Nutricionais Doenças Autoimunes Neoplasias Traumatismo Craniano Estado Pós-anóxico Doenças Psiquiátricas Fonte: Teive & Coletta.2) Os deficit´s deficit´s cognitivos interferem de modo significativo na vida social e/ou ocupacional do indivíduo.

2001) 8 . de Alzheimer Déficit cognitivo leve Déficit cognivo leve Provável DA Função DA definitivo Idade (PETERSEN.• DEFINITIVO – Critérios clínicos de PROVÁVEL – Comprovação histopatológica de d.

9 .

com p_wachholz@ hotmail.com 10 .p_wachholz @hotmail.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful