Você está na página 1de 7

Quando nos foi pedido para escolher um criativo de quem gostasse para a

realização deste trabalho, pensei automaticamente no Tim Burton.


Assim sendo decidi fazer o trabalho sobre este
realizador/produtor/argumentista/..., pois é uma pessoa com a qual me identifico, e
porque admiro bastante o seu trabalho, seja qual for o papel que esteja a
desempenhar.
Biografia:

Timothy William Burton nasceu a 25 de Agosto de 1958, filho de Bill e Jean


Burton e irmão de Daniel Burton. Tim passou a sua infância e adolescência em
Burbank, Califórnia, uma cidade dos subúrbios repleta de estúdios de televisão e
filmes.
Sempre foi um rapaz calado e introvertido, perdido muitas vezes no seu mundo.
Contudo, Burton tinha uma enorme paixão por livros e filmes de terror, interesse esse
despertado pelo actor Vincent Price e o escritor Edgar Allan Poe.
Tim Burton começou assim a dar assas à sua imaginação, ainda novo, realizando
Super 8 Movies, incluindo The Island of Doctor Agor e alguns filmes de lobos, entre
outros.
Quando terminou o liceu, em 1976, Burton ganhou uma bolsa da Disney para
estudar no Instituto das Artes da Califórnia. Apos três anos de estudo, em 1979, foi
contractado pela Walt Disney Studios como assistente de animação, nos estúdios The
Fox and the Hound. Mas Burton estava descontente, pois as aspirações que tinha
quando se juntou à Disney, não eram de todo desenhar uma raposa amorosa. Os
desenhos de Burton eram mais sombrios e mórbidos, nada que se comparasse com os
desenhos sempre heróicos e amorosos da Disney.
Contudo, enquanto lá trabalhava, Burton continuou sempre a fazer os seus
característicos desenhos e sketches, que rapidamente chamaram à atenção de algumas
pessoas da Disney.
Antes de conseguir terminar o texto e os desenhos da animação Vincent, deram-
lhe a oportunidade de fazer um filme de 5 minutos. Burton fez assim a animação de
Hansel and Gretel e, o seu próprio, Frankenweenie, um re-make de 25 minutos dos
filme Frankenstein, de James Whale. Burton conseguiu assim trabalhar com o seu
ídolo, Vincent Price, pela primeira vez, tendo ficado seu amigo até ao actor falecer em
1993.
Foi Steven King que, ao ver Frankenweenie, o passou para a Warner Bros, dando
a Burton a oportunidade de fazer o filme A Grande Aventura de Pee Wee, com Pee
Wee Herman. Três anos depois, a sua visão gélida resultou em Beetlejuice – Os
Fantasmas Divertem-se, que acabou por ser outro enorme êxito, fazendo com que a
Warner Bros lhe propusesse a realização da tão esperada adaptação para filme, dos
livros de banda desenhada, Batman, com Michael Keaton no papel do Cavaleiro das
Trevas. Durante a sua produção, em 1989, Burton casa-se com a artista alemã, Lena
Gieseke.
Tim Burton aproveitou esta nova popularidade para enveredar no seu próprio
projecto. E foi assim que nasceu Eduardo Mãos de Tesoura, começando assim uma
grande parceria entre Tim Burton e Johnny Depp. Pela primeira vez, Burton teve
total controle de um filme, tendo sido ele a escrever a história e a produzir o filme.
Todo o seu trabalho e emprenho dedicado neste filme acabou por ser recompensado
com inúmeras nomeações e prémios, dando-lhe mais credibilidade com artista.
Burton oscila muito entre filmes de grande sucesso em Hollywood e filmes
pessoais que não rendem muito, mas mesmo assim sendo, tem sempre criticas de
grande respeito por ele.
Em 1992 regressa com a sequela Batman Regressa. Não teve tanto sucesso como
o primeiro filme e sofreu enormes criticas por parte de pais, que achavam este novo
filme demasiado sombrio para os pequenos fans do Batman. Apesar do filme ter sido
um triunfo artisticamente, o grande desapontamento por parte do público levou com
que Joel Schumacher retirasse o “franchise” a Burton, apesar deste ter crédito como
produtor no filme Batman Para Sempre. Neste ano acaba também o casamento de
Burton com Gieseke.
No mesmo ano, Tim Burton encontrou tempo para representar um pequeno papel
no filme grunge de Cameron Crowe, Singles, e um ainda mais pequeno papel em
Hoffa, de Danny DeVito.
Depois de ver o seu sonho a ser realizado com a realização do filme O Estranho
Mundo de Jack (The Nightmare Before Christmas), Burton voltou aos pequenos
filmes, com o seu projecto Ed Wood, um filme dedicado ao pior realizador de filmes
de todos os tempos, onde voltou a trabalhar com Johnny Depp. Não foi o grande
sucesso de bilheteira, mas rendeu-lhe as melhor criticas da sua carreira, tendo ganho
dois Óscars.
Ed Wood foi seguido por outra homenagem, desta vez indirecta, ao realizador.
Marte Ataca! foi uma desilusão de bilheteira e teve muitas criticas, mas desta vez
más. Ao longo dos anos Marte Ataca! ganhou outro estatuto, passando a ser visto
como um filme de culto.
Em 1997, Burton lança-se no mundo da escrita, com o livro A Morte Melancólica
do Rapaz Ostra e outras Estórias. Apesar de ser infantil, o livro tem cenas de
violência familiar, suicídio, sexo não-explícito e traição extraconjugal.
É tipo de Burton narrar histórias de aberrações, mas nem sempre as suas histórias
são só desgraças. O mundo do rapaz Ostra, apesar de estranho, está mais próximo da
realidade do que parece.
Dois anos depois, Burton e Depp juntam-se novamente, desta vez com Sleepy
Hallow, a Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, o seu primeiro filme de terror.
Entre Marte Ataca! e Sleepy Hollow, Tim Burton passou um ano a trabalhar num
novo filme do Superman. O guião preliminar foi escrito por Kevin Smith
(Perseguindo Amy) e Nicolas Cage estava destinado a desempenhar o papel de
Homem de Aço. Contudo, Burton na estava contente com o guião e o aumento do
orçamento fez com que a Warner Bros cancelassem o projecto.
O seu projecto seguinte foi um re-make do filme O Planeta dos Macacos, que
resultou numa produção estonteante com actuações brilhantes, mas por muitos foi
considerado uma desilusão.
Por esta altura, Burton passava uma má fase da sua vida pessoal, a sua relação
com a actriz Lisa Marie, que conheceu em Ed Wood, acabará e os seus pais faleceram
com um curto espaço de tempo entre eles. Pouco tempo depois do lançamento do
filme O Planeta dos Macacos, Burton começou um romance com a actriz Helena
Bonham Carter, que conheceu em Beetlejuice – Os Fantasmas Divertem-se, e com
quem se manteve até aos dias de hoje.
O projecto seguinte de Burton, não poderia ser mais diferente que o último, apesar
de contar com o mesmo produtor, Richard D. Zanuck. O Grande Peixe, com Ewan
McGreggor, resultou da adaptação do romance de Daniel Wallace. Pensa-se que
Burton optou por fazer este filme devido à recente morte do seu pai. O filme ganhou
respeitáveis criticas e um bom lugar nas bilheteiras.
Em Outubro de 2003, Tim Burton e Helena Bonham Carter tiveram a alegria de
ter nascido o seu primeiro filho, Billy.
Em 2005, Burton dirigiu outro re-make, Charlie e a Fábrica de Chocolate, onde
se junta novamente a Johnny Depp, que interpreta o papel do louco Willy Wonka. O
filme acabou por ser um enorme êxito de bilheteira, e foi seguido, dois meses depois,
pelo filme de animação A Noiva Cadáver, com Johnny Depp e Helena Bonham Carter
nos papeis principais.
Ambos os filmes receberam boas criticas, tendo sido A Noiva Cadáver nomeado
para a categoria de Melhor Filme de Animação dos Óscars (perdendo para “Wallace
and Gromit).
Para o seu projecto seguinte, Burton foi nomeado para realizar o filme Believe or
Not, com Jim Carrey. Contudo o projecto atrasou-se e agora Tim apenas irá produzi-
lo.
Tim Burton aventorou-se num musical, Sweeney Todd – O Terrível Barbeiro de
Fleet Street, juntando-se mais uma vez a Johnny Depp e Helena Bonham Carter. O
filme estreou nos Estados Unidos em Dezembro de 2007.
Actualmente, Burton tem um novo filme de animação,“9” (a estrear a 9 de
Setembro de 2009), está a realizar o filme Alice no País das Maravilhas, com Johnny
Depp, e tem em vista o filme Frankenweenie and The Spook's Apprentice.
A arte e as influências de Tim Burton:

Tim Burton não é de todo um realizador normal. A sua forma de encarar a arte do
cinema é diferente de tudo aquilo a que se está habituado a ver no mundo
“Hollywoodesco”.
A forma que Burton tem de criar arte, deve-se em muito aos seus ídolos, pessoas
que este admirava muito durante a adolescência, e que o levaram a ser quem é hoje.
Burton tem enorme admiração pelo actor Vincent Price e pelo realizador Ed
Wood, tendo tido a magnífica oportunidade de trabalhar com o primeiro e realizar o
seu sonho.
Os livros de Allan Poe foram também uma enorme inspiração para este monstro
do cinema, assim como na música foram os The Cure. Recentemente, Burton
entregou o prémio de “Godlike Genius” da “NME” à banda britânica e confessou
mesmo, à BBC, que deseja trabalhar com eles um dia, pois é fã há muitos anos e, que
em todos os filmes que fez, foi a música de Robert Smith que o inspirou.

Vincent Price Ed Wood E. Allan Poe Robert Smith

Os filmes de Tim Burton, assim como os seus desenhos e os seus livros são fruto
do tempo em que Burton passava os dias no seu mundo a pensar em histórias de
terror.
Esse mundo é assim transportado para toda a sua arte. É um mundo sombrio,
mórbido e esquecido, mas ao mesmo tempo é também tornurento.
Dizem, as pessoas que tiveram a oportunidade de trabalhar com Burton, que ele
tem uma linguagem própria que quase ninguém entende, à parte de Johnny Depp, mas
que quando ele mostra o resultado do seu projecto toda adora, por mais estranho que
seja.
Tim Burton, apesar de ter o seu mundo de fantasia mórbida, tem os pés na terra,
como pessoa e nos seus projectos. Todas as suas histórias, por muito fantásticas que
sejam, têm sempre uma história que nos lembre a realidade e/ou uma moral realista e
bastante directa.
Pode-se dizer assim que Tim Burton é um ser diferente, com uma mente aberta, e
ao mesmo tempo humilde e com o conhecimento dos seus limites. Para Burton, a
única coisa que não tem limites é a sua imaginação!
Filmografia de Tim Burton:

• Sweeney Todd – O Terrível Barbeiro de Fleet Street (2007)

• A Noiva Cadáver (2005)

• Charlie e a Fábrica de Chocolate (2005)

• O Grande Peixe (2003)

• O Planeta dos Macacos (2001)

• The World of Stainboy (2000)

• Sleepy Hollow – A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça (1999)

• Marte Ataca! (1996)

• Ed Wood (1994)

• Batman Regressa (1992)

• Eduardo Mãos de Tesoura (1990)

• Batman (1989)

• Beetlejuice – Os Fantasmas Divertem-se (1988)

• A Grande Aventura de Pee Wee (1985)

• Frankenweenie (1984)

• Luau (1982)

• Vincent (1982)

• Stalk of the Celery (1979)

• The Island of Doctor Agor (1971)


Bibliografia:

• http://members.tripod.com/~multiple_monsters/timburton.html

• http://minadream.com/timburton/Director.htm

• http://www.thebiographychannel.co.uk/biography_filmography/82
0:930/Tim_Burton.htm

• http://cinema.ptgate.pt/pessoas/129

• Burton, T. , A Morte Melancólica do Rapaz Ostra e outras


Estórias, Antígona, Lisboa, 2007

Interesses relacionados