Você está na página 1de 3

o Tribunal Pleno

'\
I

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 02390/06
AdministraçiJo Direta Municipal. PRESTAÇÃO DE
CONTAS ANUAIS do EXERCíCIO de 2005, da MESA DA CÃMARA
MUNICIPAL DE PRINCESA ISABEL, da responsabilidade do Senhor
EUGÊNIO PACELLI COSTA MANDÚ· Infringência a item do Parecer
Normativo PN TC 52/04 - Verificação de que o Gestor deixou de
recolher as contribuições previdenciárias dos Vereadores
IRREGULARIDADE.
ATENDIMENTO PARCIAL às exigências da Lei de
Responsabilidade Fiscal.
RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO - Interposição a
tempo e por recorrente legitimo - CONHECIMENTO - Argumentos
apresentados que niJo se prestam a reformar a decisão atacada -
IMPROVIMENTO.

ACÓRDÃO APL TC ,X L L( 12.008


Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSO TC - 02390/06 e,
CONSIDERANDO que o Gestor deixou de descontar e, por isso mesmo,
recolher à Previdência Social, as contribuições devidas a este título, tanto do
servidores quanto dos Vereadores, que estaria obrigado a fazê-lo, configurando
hipótese prevista no Parecer Normativo PN TC 52/04 que redunda em julgamento
dando pela irregularidade das contas prestadas;
CONSIDERANDO que o recorrente trouxe aos autos documentos que não se
prestam a esclarecer e comprovar pretenso parcelamento de dívida previdenciária,
posto que sem os requisitos mínimos de comprovação, que redundassem a sua
aceitabilidade, sem constar no SAGRES qualquer pagamento de valores a este
título;
CONSIDERANDO os fatos narrados no Relatório;
CONSIDERANDO o mais que dos autos consta;
ACORDAM os Membros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAíBA
(TCE-Pb), à unanimidade, com a declaração de suspeição suscitada pelo
Conselheiro Antônio Nominando Diniz Filho, na Sessão realizada nesta data, de
acordo com a Proposta de Decisão do Auditor Relator, em conhecer do Recurso de
Reconsideração, não lhe concedendo provimento e, portanto, mantendo-se
incólume a decisão atacada (Ac ão APL TC 152/2008).
Publique-se, intime-s, gistre-se e cumpra-se.
Sala das Sessões d CE-R - lenário Ministro João Agripino
João Pes a, 1 ovembro de 2.008.

Ana Têresa Nóbrega


Procurador Geral do Ministério Público Especial Junto
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 02390/06 [@]J


Administração Direta Municipal. PRESTAÇÃO DE
CONTAS ANUAIS do EXERClclO de 2005, da MESA DA
CÂMARA MUNICIPAL DE PRINCESA ISABEL, da
responsabilidade do Senhor EUGÊNIO PACELLI COSTA
MANDÚ - Infringência a item do Parecer Normativo PN TC
52/04 - Verificação de que o Gestor deixou de recolher as
contribuições previdenciárias - IRREGULARIDADE -
APLICAÇÃO DE MULTA.
ATENDIMENTO PARCIAL às exigências da Lei de
Responsabilidade Fiscal.
RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO - Interposição a
tempo e por recorrente legitimo - CONHECIMENTO - Argumentos
apresentados que não se prestam a reformar a decisão atacada -
IMPROVIMENTO.

RELATÓRIO E PROPOSTA DE DECISÃO

RELATÓRIO

Esta Corte de Contas, na Sessão Plenária de 26 de março de 2.008, nos autos que
trataram da análise da Prestação de Contas Anual da Mesa da Câmara Municipal de
PRINCESA ISABEL, relativa ao exercício de 2005, sob a responsabilidade do Senhor
EUGÊNIO PACELLI COSTA MANDÚ, decidiu, através do Acórdão APL TC 152/2008,
fls. 317/319, em:
1. "JULGAR IRREGULARES as contas da Mesa da Câmara de Vereadores de
PRINCESA ISABEL, relativas ao exercício de 2005, de responsabilidade do
Senhor EUGÊNIO PACELLI COSTA MANDÚ, considerando nestas que o
Chefe do Poder Legislativo atendeu parcialmente as exigências da Lei de
Responsabilidade Fiscal;
2. RECOMENDAR à Administração da Câmara Municipal de Princesa Isabel,
no sentido de que não mais se repitam as falhas observadas nestes autos;
3. ORDENAR a formalização de autos apartados destes com vistas à
verificação, pela DEAPGIDIGEP, acerca da ocorrência de contratação de
servidores sem concurso público. 11

Inconformado com tal decisão, o gestor antes nominado interpôs Recurso de


Reconsideração (v. fls. 321/341 e 342/354), no tocante ao não recolhimento das
contribuições previdenciárias ao órgão competente (INSS), tendo a Auditoria analisado e
concluído por manter integralmente a irregularidade inicialmente apontada.
Instado a se pronunciar, o Parquet, através da Ilustre Procuradora Geral Ana
Terêsa Nóbrega, teceu comentários e opinou pelo recurso e, no
mérito, pelo seu improvimento.
~oram feitas as comunicações de estilo. ~ ,I.
E o Relatório. ~~t"l
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 02390/06 ~J
PROPOSTA DE DeClsAo

De fato, a documentação inserta nestes autos (fls. 344/349), na qual se alicerça o


recorrente para vergastar a decisão do Tribunal, que lhe fora desfavorável, não há no
Termo de Parcelamento apresentado, indicação da data de assinatura do acordo nem
assinatura de que concedeu o pretenso parcelamento, tampouco não consta no
SAGRES, até agosto/200B, contabilização de pagamentos da referida dívida, não
havendo, assim, motivos para modificação da decisão recorrida.

Com efeito, o Relator em harmonia com o Parquet com a Unidade Técnica de


Instrução, propõe aos integrantes deste egrégio Tribunal Pleno que conheçam do
Recurso de Reconsideração, não lhe concedendo provimento, mantendo-se incólume a
decisão atacada (Acórdão APL Te 152/2008).

É a Proposta.

}luditor :Marc

Interesses relacionados