Você está na página 1de 3

Universidade Federal de São Carlos Fundamentos de Balanços de Massa e Energia FORMULÁRIO

VARIÁVEIS DE PROCESSO

Vazão Mássica ( m)

m

massa

m

tempo

t

Vazão Volumétrica ( V)

V

volume

V

tempo

t

Vazão

M

T

  

L 3

T

kg

g

ton

lbm

 

s

,

3

min

,

mL

h

L

,

ft

h

3

s

,

min

,

, dia

,etc

   m

h

 

 

,etc

Vazão Molar ( n)

n

número de mols

n

tempo

t

mol

T

kg

mol

g

min mol

lb

mol

s

,

,

h

,etc

Massa específica () e Volume específico ( V ): relacionam a massa total com o volume total de uma Substância Pura ou Mistura

massa

m

t

volume

V

t

3

 

m

t

/ t

m

t

logo:

 

 

V

t

/ t

volume

V

t

,

V

3

V

 

t

 

 

massa

m

t

M

L

M

L

kg

m

3

g

lbm

,

cm

3

,

ft

3

m m   t  t V V  t t
m
m 

t
t
V
V
t
t

m

3

cm

3

ft

3

kg

,

g

,

lbm

 

1  V
1

V

,etc

,etc

, logo:

Massa ou Peso Molar (PM): Relaciona massa (m) e número de mols (n) ou vazão mássica ( m) e vazão molar ( n) de uma substância ou mistura de substâncias.

m n  PM
m
n 
PM

ou

n / t

m / t

PM

m  n   PM
m 
n  
PM

Composição Química Suponha um componente i de uma mistura de n componentes:

Suponha um componente i de uma mistura de n componentes: Fração Mássica (x i ) x

Fração Mássica (x i )

x

x

i

i

massa de i massa total

m

/ / t t

m

 

i

m

Fração Molar (y i )

y

y

mols de i

i

i

 

 

m

i

M

M

a dimensional

m i m  x i   i m m  t t
m
i m
x i 
i
m
m
t
t

g

g

kg

i

lbm

i

i

m

t

t

,

kg

t

,

lbm

t

,

i logo:

,

t

m

t

n a dimensional

n

mol

  mol

   

g

g

mol

i

kg

 

mol

mol

i

t

mols totais

n

/ t

n

mol

t

,

kg

t

,

n  y i n i   i n n t  t
n
y
i n
i 
i
n
n t
t

i

i logo:

i

n

t

/ t

n

t

,

Massa ou Peso Molar Médio ( PM ) de uma Mistura de “n” Componentes

n

i 1

PM

y

i

PM

i

ou

1   n x i PM PM i  1 i
1
 
n
x
i
PM
PM
i  1
i

Concentração Mássica (C mi ): relaciona a massa ou a vazão mássica do soluto i com o volume ou vazão volumétrica da solução (mistura = total)

Cm

Cm

massa dosoluto i

i volume da solução

i

/ t

m

i logo:

i

V

t

/ t

V

t

,

m

m

i

V

t

M

L

3

g

L

kg

i

lbm

i

i

,

m

3

,

ft

3

Cm

m

V

i m

V

t

i

t

i

,

Concentração Molar (C ni ): relaciona o número de mols ou a vazão molar do soluto i com o volume ou vazão volumétrica da solução (mistura = total)

Cn

Cn

i

i

volume mols do da soluto solução i

n / t

n

i logo:

i

V

t

/ t

V

t

,

n   mol   i V    L 3 t n
n
  mol 
i
V
 
L
3
t
n i n 
Cn
i 
i
V
V
t
t

g

mol

i

kg

mol

i

L

,

m

3

,

FBME UAB/UFSCar Eng. Ambiental

BALANÇO DE MASSA

Equação Geral de Balanço: pode ser escrita para qualquer material que entra ou deixa o sistema e pode ser aplicada para a massa total ou para qualquer espécie atômica ou molecular envolvida no processo. Vale para “massa” e para “mols”.

SAI

ENTRA  GERADO  CONSUMIDO  ACUMULADO 

fronteira atravésda

fronteira atravésda

dentroda fronteira

dentroda fronteira

dentroda fronteira

GERADO - CONSUMIDO = REAGE

SAI ENTRAREAGEACUMULADO

Balanço de Massa Total (BM Total)

REAGE = 0

logo

Em termos “mássicos”:

SAI ENTRAACUMULADO ou

m

S

m

E

dm dt

Em termos “molares”:

dn n   n   S E dt
dn
n 
 n 
S
E
dt

Processos em Batelada

ENTRA = 0

e

SAI = 0

ACUMULADO = 0

logo:

MASSA INICIAL = MASSA FINAL

 

ou

m E =0
m E =0

e

m S = 0
m S = 0

logom E =0 e m S = 0 

ou

n E  0
n E  0

e

n S  0
n S  0

logon E  0 e n S  0 

mi  mf ni  nf
mi  mf
ni  nf

Processos Semicontínuos

ENTRA = 0

SAI = 0 dm  m   0 dt E
SAI = 0
dm
 m 
 0
dt
E

ou

logo:

Em termos “mássicos”:

ou

dm   m 0 dt S
dm
 
m
0
dt
S

FBME UAB/UFSCar Eng. Ambiental

Em termos “molares”:

Processos Contínuos

ENTRA  0 e dm m    m  S E dt
ENTRA  0
e
dm
m 
 
m
S
E
dt
dn  n   0 dt E logo: dn n   n 
dn
 n 
 0
dt
E
logo:
dn
n 
 n 
ou
S
E
dt

ou

0 dt E logo: dn n   n   ou S E dt ou
dn   n 0 dt S
dn
 
n
0
dt
S

Balanço de Massa para um Componente “A”

SAI(A) ENTRA(A) REAGE(A) ACUMULADO (A)

* o índice “m” indica em termos mássicos e o índice “n” em termos molares.

Processos em Batelada

ENTRA(A) = 0 ou dm A  r dt Am
ENTRA(A) = 0
ou
dm
A
 r
dt
Am

e

ou

SAI(A) = 0 logo, dn A  r dt An
SAI(A) = 0
logo,
dn
A
 r
dt
An

Processos Semicontínuos

REAGE(A) ACUMULADO(A) = 0

ENTRA(A) = 0

 

ou

 

SAI(A) = 0

 

logo:

 

Em termos “mássicos”:

dm

A

r

Am

m

A

ou

 

dm

A

r

Am

m

A

 

dt

 

E

 

dt

 

S

Em termos “molares”:

 

dn

A

r

n

   

ou

 

dn

A

r

n

   
   

dt

An

A

E

 

dt

An

A

S

Processos Contínuos ENTRA(A) 0

 
 

e

SAI(A) 0

 

logo:

 

m

m

r

dm

A

 

ou

n

n

r

dn

A

   
 

A

S

A

E

Am

dt

 

A

S

A

E

An

dt

* se o componente A for um reagente: r A < 0, de for um produto: r A > 0.

Combustão: reação rápida de um combustível com oxigênio.

Quando um combustível é queimado (reage com oxigênio):

Enxofre reage para formar SO 2 : S SO 2

Hidrogênio reage para formar H 2 O:

Carbono reage para formar CO 2 ou CO:

H

H 2 O

C

CO 2 (combustão completa ou total)

C

CO (combustão incompleta ou parcial

Fonte de O 2 Ar (21% de O 2 e 79% de N 2 em mols)

Oxigênio Teórico - (O 2 ) teor : mols ou vazão molar de O 2 necessários ou requeridos para a combustão completa de todo o combustível. É obtido pela estequiometria.

Excesso de Ar: quantidade de ar alimentado que excede a teórica.

(O

2

)

teor

(Ar)

teor

% Excesso

100%

(O

2 )

a lim

(O

2

)

teor

(Ar)

a lim

(Ar)

teor

ou

(O2 )alim (1% Excesso/100)(O2 )teor

(Ar)alim (1% Excesso/100)(Ar)teor

Convenção:

BALANÇOS DE ENERGIA

Excesso/100)  (Ar) teor Convenção: BALANÇOS DE ENERGIA Formas de Energia: Energias em Trânsito: Calor :

Formas de Energia:

Energias em Trânsito: Calor: Q (J) e Trabalho: W (J)

 

E

C

1

2

m

g

v

c

2

U (J) m (kg) Uˆ (J/kg)

 

onde:

Energias do Sistema: Cinética -

Energia Interna:

, Potencial -

Uˆ (J/kg) é a energia interna específica.

g E P  m   z g c
g
E
P 
m
 z
g
c

e

Sistema Fechado (1 a Lei da Termodinâmica):

E U EC EP Q W

ˆ

1

ˆ

U

ˆ

ˆ

U

2

ˆ

Processo: A(T  , V )  A(T , V )  A(T , V )

1

1

1

2

2

2

ˆ

U

,

A(T , V )  A(T , V ) 1 1 1 2 2 2 

Uˆ Uˆ  U2 ˆ

1

Uˆ 1  0 pois T  0  gás ideal   U ˆ
Uˆ 1  0 pois T  0
 gás ideal
 
U
ˆ ˆ
U
T 2
C
(T) dT
, logo
2
T
V
 gás real a V cte
ˆ
1
 líquidos e sólidos
  
E 
E
Q
W 
E
 j 
ECj
EPj
 U j
Sistema Aberto:
j
j
onde
[J/s=W]
SAÍDA
ENTRADA
m 
2
g
Q :fluxo de calor
W : trabalho
1
 v
E
j
j
E
 m 
 z
Cj
2
g
,
Pj
j
g
j
,
,
c
c
W
P .V
P .V
W 
f
j
j
j
W  
f
W  
e
ENTRADA j
SAÍDA
trabalho fluxo de
trabalho eixo de
H (J)  m (kg) Hˆ (J/kg)
H (J/s)  m (kg/s)  Hˆ (J/kg)
ou
onde:

Hˆ Uˆ P.Vˆ

é a entalpia específica

Logo, para uma corrente entrando e uma saindo:



H

EC



EP

Q

We

1

ˆ

H

ˆ

H

2

Processo: A(T  ,P )  A(T ,P )  A(T ,P )

1

1

1

2

2

2

ˆ

 

H

ˆ

H

1

ˆ

 H

2

Hˆ 1  0
Hˆ 1  0

gás ideal

gás reala V cte

ˆ

ou

Hˆ 1 (P.Vˆ ) Vˆ .P

líquidos e sólidos

e

 H ˆ   T 2 C (T) dT  2 T P 1
H
ˆ
 T
2
C
(T) dT
2
T
P
1

gás ideal

gás real a P cte

líquidos e sólidos

GasesIdeais: LíquidoseSólidos: C C C

P

P

V

 

C R

V

T 2  C (T) dT  P T T 2 1
T
2
C
(T) dT
P
T
T
2
1

C

P

(T

1

T

2

)

T 1

H ˆ ˆ  H C  2 1 P T  T 2 1
H
ˆ ˆ
 H
C
2
1
P
T
T
2
1

Capacidade Calorífica Média ( CP ):

logo:

ou

 

Hˆ (T1

T2 )

Hˆ (T2 )

Hˆ (T1)

(CP )T

2

(T2

Tref )

(CP )T

1

(T1

Tref )

Capacidade Calorífica da Mistura (C Pm ):

C

Pm

(T)

n

i

y .C

i

Pi

(T)

FBME UAB/UFSCar Eng. Ambiental