Foliações:Classificação e Processos Geradores

1

Conceito Estrutura planar presente em rochas de natureza diversa, excetuando as fraturas e estruturas rúpteis.

2

Conceito Estrutura planar presente em rochas de natureza diversa.

3

Foliação Classificação de Foliação ♣ Quanto à natureza: Primária X Secundária 4 .

bandamento textural) e magmáticos (ex: foliação de fluxo magmático.Foliação ♦ Primária: Ex: Foliação composicional formadas por processos sedimentares (ex: estratificações cruzadas e plano paralelas. bandamento composicional). bandamento composicional. 5 .

MECANISMOS FORMADORES DE FOLIAÇÃO PRIMÁRIA EM ROCHAS SEDIMENTARES 6 .

S0 FOLIAÇÃO PRIMÁRIA 7 .

S0 FOLIAÇÃO PRIMÁRIA T 8 .

MECANISMOS FORMADORES DE FOLIAÇÃO PRIMÁRIA EM ROCHAS ÍGNEAS Cristalização Fracionada em Câmara Magmáica S0 9 .

MECANISMOS FORMADORES DE FOLIAÇÃO PRIMÁRIA EM ROCHAS ÍGNEAS Fluxo Magmático 10 .

MECANISMOS FORMADORES DE FOLIAÇÃO PRIMÁRIA EM ROCHAS ÍGNEAS Fluxo Magmático 11 .

MECANISMOS FORMADORES DE FOLIAÇÃO PRIMÁRIA EM ROCHAS ÍGNEAS Fluxo Magmático 12 .

MECANISMOS FORMADORES DE FOLIAÇÃO PRIMÁRIA EM ROCHAS ÍGNEAS Derrames vulcânicos S0 13 .

MECANISMOS FORMADORES DE FOLIAÇÃO PRIMÁRIA EM ROCHAS ÍGNEAS Derrames vulcânicos S0 14 .

Classificação de Foliação . ♦ Secundária: Foliação gerada durante os processos deformacionais /metamórficos 15 .

Classificação de Foliação Secundária Subdivisão baseada em: → Espaçamento entre domínios com variáveis intensidades de deformação e proporção da rocha ocupada pela foliação → Regularidade do domínio de foliação e da orientação preferencial → Continuidade lateral (planar ou lenticular) → Características distintivas entre domínios. 16 . tais como variação na composição dos leitos e grau de orientação preferencial dos minerais.

Classificação de Foliação ♣ Secundária a) Critério 1 .Espaçamento entre domínios com variáveis intensidades de deformação Espaçada X Contínua 17 .

descontínua (crespa) (Rough) Zonal Discreta Contínua (> 70% de volume de clivagem ou xistosidade) Planar Crenulação 18 .→Espaçamento entre domínios com variáveis intensidades de deformação Composicional Difusa (Difuse) Bandada (Banded) Disjuntiva Foliação Espaçada (< 70% de volume de clivagem ou xistosidade) Estilolítica (Stylolitic) Anastomótica (Anastomosing) Irregular/curva.

Classificação de Foliação Secundária Espaçada → Composicional ♠ Definição: Foliação formada por um conjunto de leitos paralelos. ♠ Ocorrência: Pode ser encontrada em rochas de variáveis graus metamórficos. de composição diferenciada. 19 . distribuídos de forma alternada. Cada interface caracteriza uma interface composicional e textural. tabulares ou lenticulares.

Classificação de Foliação Secundária Composicional S1 Sn Carbonato / Pelito Bandamento Gnáissico 20 .

♠ Bandada: Leitos bem definidos. Contatos entre leitos ainda não bem definido. Amplo espaçamento entre leitos que estão imersos em uma rocha com litologia predominante. 21 . com composição bem definida e repetitiva. A variação de composição ocorre de forma mais contínua.Classificação de Foliação Secundária Espaçada → Composicional: Metamórfica e Primária ♠ Classificação ♠ Difusa: Baixa definição dos leitos. Os leitos são menos espaçados (Não quero dizer espessos!!!) que são mineralogicamente distintos entre si. Ex: Gnaisses. Ex: Leitos espaçados de piroxênio em dunitos.

ZC 22 .Classificação de Foliação Secundária Composicional Espaçada Bandada D1 – Bandamento composicional D2 .

Classificação de Foliação Secundária Anastomótica ou paralela Foliação Disjuntiva: Classificação quanto à regularidade do domínio de foliação (Paschier & Trouw 2006) 23 .

ESTILOLITOS – ROCHAS CARBONÁTICAS DISSOLUÇÃO 24 .

Classificação de Foliação Secundária Espaçada Disjuntiva Foliação Disjuntiva: Classificação quanto à regularidade de orientação preferencial. 25 .

Classificação de Foliação Secundária Espaçada Disjuntiva Classificação quanto à regularidade do domínio de foliação 26 .

Classificação de Foliação Secundária Espaçada Disjuntiva – Crenulação 27 .

Classificação de Foliação Secundária Contínua 28 .

Pode apresentar estiramento ou não. →Clivagem filítica: Clivagem de filitos. Filossilicatos não são visíveis. →Foliação de forma: plano marcado pela orientação de minerais planares.Classificação de Foliação Secundária CLASSIFICAÇÃO COM BASE EM OUTRAS DENOMINAÇÕES →Clivagem (Baixo grau metamórfico. Filossilicatos moderadamente visíveis. →Foliação Gnáissica (Contínua): Minerais visíveis. minerais não visíveis a olho nu) X Xistosidade (médio a alto grau metamórfico. tabulares. paralela ao bandamento metamórfico. minerais visíveis a olho ) →Clivagem ardosiana: Clivagem típica de ardósias. Geralmente. 29 .

espaçada. disjuntiva (O termo era usado para classificar um sistema de fratura que posicionava-se no plano axial das dobras) 30 .Foliação Secundária Classificação abandonada (termos genéticos) Clivagem de fratura: Foliação não penetrativa.

Foliação Secundária Relação de foliação com outras estruturas versus Significado da foliação ♣♣ Plano Axial – DOBRAS Pode ser uma Clivagem ardosiana.ZONAS DE CISALHAMENTO. com diminuição na granulometria da rocha. Xistosidade * Relações geométricas no plano de perfil (S. 31 . Z e M/W) * Relações geométricas no plano horizontal: Determinação do ângulo de caimento da dobra. ♣♣ Milonítica . filítica.

Foliação Secundária Associada com dobras – Foliação Plano Axial 32 .

Foliação Secundária Associada com dobras – Foliação Plano Axial Refração de foliação (Arco interno) Foliações convergentes (em leque) → maior competência Foliações divergentes: → menor competência 33 .

Foliação Secundária Associada com dobras – Foliação Plano Axial Refração de foliação (Arco interno) Foliações convergentes (em leque) → maior competência Foliações divergentes: → menor competência 34 .

Foliação Secundária Associada com dobras – Foliação Plano Axial Refração de foliação (Arco interno) Foliações convergentes (em leque) → maior competência Foliações divergentes: → menor competência 35 .

Foliação Secundária Foliação milonítica Associada com zonas de cisalhamento por fluxo coaxial ou não coaxial. há a diminuição da granulometria da rocha e formação de uma matriz de grãos de menor granulometria. podendo estar acompanhado de microfraturamento de fases minerais mais competentes. por recristalização tectônica. Grãos recristalizados Porfiroclasto Protólito Tectonito Redução da granulometria + desenvolvimento de orientação preferencial (Foliação) Processos cristal-plásticos Nesta foto não há fragmentação. Nesse caso. Só RECRISTALIZAÇÃO 36 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful