Você está na página 1de 1

Agonistas Colinérgicos. Inibem a ação da acetilcolinesterase, aumentando a Ach na fenda e potencializando os efeitos parassimpáticos.

Ação direta. Drogas que ligam-se diretamente aos receptores muscarínicos: Ésteres da colina: Ach, metacolina, carbacol, betanecol. Alcalóides: Nicotina, muscarina, pilocarpina, etc. Agonistas colinérgicos que simulam o efeito da estimulação parassimpática. Compostos parassimpatomiméticos. Fisiostigmina. Aumenta a motilidade do intestino e bexiga. Tratam. Atonia de bexiga, reduz pressão Reversível Ação indireta intraocular, glaucoma. Neostigmina. Miastenia-gravis: doença auto- imune. Tacrina. Tratamento de alzheimer (não muito eficaz).

Irreversível. Ex: Sarin, malation, paration, soman, tabum,etc. Quadro clínico: Fraqueza, fadiga, ataxia, redução dos reflexos, perturbações sensoriais leves, paralisia flácida e posteriormente espástica.

Antagonistas Colinérgicos. Drogas parassimpátolític as ⇨reduzem a ação do SN parassimpático

Drogas Antimuscarínicas. Drogas que competem com a Ach pelos receptores muscarínicos ⇨ impedem a ligação do neurotransmissor endógeno ⇨ ausência de efeito ⇨ estimulação simpática age sem oposição. Alcalóides da belladona: atropina, escopolamina e o sintético ipratrópio. Bloqueadores Ganglionares. Atuam especificamente nos receptores nicotínicos dos gânglios autonômicos ⇨ ausência de seletividade simpática ou parassimpática ⇨ pouco uso terapêutico. Nicotina ⇨ fumaça do tabaco ⇨ inicialmente estimula e posteriormente paralisa cadeia ganglionar. Trimetafano ⇨ crises de emergências hipertensiva ⇨ bloqueador ganglionar nicotínico competitivo. Ex: Atropina (Reduz atividade do TGI, promove relaxamento da bexiga), escolopolamina (Bloqueia memória recente) e Ipratrópio (Vasosdilatação brônquica, tratamento de asma e bronquite)

Bloqueadores Neuromusculares. Inibem a síntese de Ach. Inibem a liberação de Ach. Interfere na atuação pós- sináptica da Ach nos receptores: Despolarizantes. Não despolarizantes. Indicações Entubação endotraqueal. Estados convulsivos. Facilitar ventilação mecânica. Controle da agitação
Catecolaminas, ação em alfa e beta Ação direta Naturais. Ex. Dopamina, adrenalina e NA. Isoproterenol - tratamento da asma. Sintéticas Dobutamina – usada no infarto, insuficiência cardíaca e aumento da força de contração. Fenilefrina – alfa1 – descongestionante nasal. Terbutalina - beta 2. Isoetarina - beta 2. Fenoterol - beta 2 – broncodilatador. Em dose estimula os recep. Beta1 e frequência e contratabilidade Não catecolaminicas, cardíaca. ação seletiva em alfa Albutero l- beta 2. ou beta Ação Indireta. Ex. ANFETAMINAS. Estimulam a liberação da NA. Inibe o MAO. Atuam nos receptores alfa e beta. Usado em distúrbios hipercinéticos em crianças, narcolepsia e obesidade (não recomendado). Uso continuo causa dependência. O Fenoproporex reduz o apetite. Ação Mista. Age nos receptores alfa e beta e no SNC. Ex: Efedrina, metaraminol . Aceler. Metabol. Vasoconstrição, superdosagem; alunicanções, tremores tontura. Era usado como descongestionante nasal . Bloqueadores Adrenérgicos Alfa. PA. Ex. Fentalomina, prazosin, terazosin.

Agonistas Adrenérgicos. Drogas que atuam sobre os receptores estimulados pelas catecolaminas-NA e Adrenalina

Antagonistas Adrenérgicos

Beta 1. Ex. Atenolol. Tratamento da angina
Bloqueadores Adrenérgicos Beta

Beta 2. Ex. Propranolol.

PA