Você está na página 1de 24

BIOLOGIA––TEMA

BIOLOGIA TEMAIIII

OBTENÇÃO DE
OBTENÇÃO DE MATÉRIA
MATÉRIA

10º /11º ANO DE ESCOLARIDADE – BIOLOGIA/GEOLOGIA

Prof. Steven Casteleiro


mail: stevencasteleiro@gmail.com

1
Unidade II - BIOLOGIA TÓPICOS A TRATAR

Obtenção de Matéria:
Autotrofia e Heterotrofia
Distribuição de materiais nos seres vivos:
Transporte em Plantas.
Transporte em Animais.

Transformação e utilização de energia


pelos seres vivos:
Fermentação e Respiração Aeróbia.
2
Unicelularidade e Multicelularidade: princípios
unificadores

Todos os seres vivos são constituídos pelos mesmos elementos


químicos.
Todos os seres são constituídos por células.
Todos os seres precisam das mesmas biomoléculas básicas
Todos os seres necessitam de obter matéria e energia. 3
Seres Autotróficos Elaboram a sua matéria
orgânica a partir da matéria
inorgânica que retiram do
meio.
Elaboram a sua matéria
orgânica a partir da matéria
inorgânica que retiram do
meio.
Ex. Plantas e certos Protistas unicelulares e multicelulares (Algas)

Seres Elaboram a matéria orgânica


a partir de outra matéria
Heterotróficos orgânica que obtêm através
de outros seres vivos.

Ex. Animais, Fungos e parte dos Protistas (paramécias) e Bactérias


4
Absorção

As substâncias necessárias a nível celular são idênticas em todos os


seres vivos.
Primeiro ocorre o processamento dessas substâncias e depois a
absorção.
Absorção: Passagem das substâncias do meio externo para o meio
interno das células.
Nos unicelulares – as substâncias atravessam a membrana celular
Nos pluricelulares – as substâncias podem: atravessar directamente
a membrana do meio externo para o interior da célula;
- as substâncias são ingeridas e sofrem
transformações mais ou menos complexas.

5
ULTRA- ESTRUTURA DA MEMBRANA
CELULAR OU CITOPLASMÁTICA

A matéria orgânica é
utilizada a nível celular
qualquer que seja o
processo de obtenção
de matéria. Como a
célula é delimitada pela
Membrana Celular, que
controla as entradas e
saídas da / para célula é
aqui que vamos
começar!!!

6
EVIDÊNCIAS DA EXISTÊNCIA DE MEMBRANA CELULAR
OU CITOPLASMÁTICA

Antes do desenvolvimento das


observações ao ME era
conhecida a membrana celular
através de experiências de
variação de volume em células
colocadas em determinados
meios de diferentes
concentrações.
A sua espessura é inferior ao
poder de resolução de um
MOC.
Penetração de agulhas mostra Microinjecção de um óvulo para
a resistência da superfície uma técnica de fertilização in vitro
celular assim como o
extravasamento do citoplasma.
7
Funções da Membrana Celular pág. 54

Compartimentação

Barreira selectiva - separa dois


meios distintos (intra e
extracelular)

Transporte de solutos

Resposta a estímulos externos

Interacção intercelular

Actividades bioquímicas

8
Algumas descobertas associadas à Estrutura da
Membrana Celular:

Século XIX: Overton (1899) – Apresenta dados acerca da composição


da membrana
1) Constatou que quanto maior a solubilidade das substâncias nos
lípidos maior é a velocidade com que essas substâncias atravessam a
membrana celular.

Vel. de
penetração Constatou ainda que a membrana celular é
na célula destruída por solventes de lípidos.

Grau de solubilidade em lípidos

A membrana celular tem na sua composição lípidos


9
2) Constatou-se que a maioria dos lípidos da membrana são
fosfolípidos.
Qual a disposição destas moléculas nas membranas biológicas?

Monocamada?

ou

Bicamada?

 Em 1925 admitiu-se a existência de uma bicamada de fosfolípidos.


PORQUÊ???
Devido ao facto de existir água quer no meio intracelular quer no
meio extracelular que rodeia as células. (exp. com Hemácias)
10
3) Modelo de Davson e Danielli (1935) – Reformulado 1954

1 – Camada proteica;
Pág. 56 do
2- Poro Hidrofílico livro
3- Bicamada de fosfolípidos

Observações ao ME estão de acordo com este modelo: surge uma


estrutura trilamelar; isto é, Banda escura – Banda clara – Banda
escura
A zona da banda clara corresponde às caudas hidrofóbicas dos
fosfolípidos;
A zona de banda escura corresponde às proteínas e aos pólos
hidrofílicos.
11
Anos 50 do século XX - ME

Estrutura da membrana celular ao Microscópio Electrónico.


Interpretação
Linhas / bandas escuras – proteínas e as cabeças do fosfolípido
Linhas / bandas claras – caudas dos fosfolípidos 12
Anos 50 do século XX - ME

A técnica da Criofractura e o Modelo de Singer


e Nicholson (1972)

Análises Quantitativas mostram que as proteínas não podem


revestir todas a estrutura da bicamada de fosfolípidos;
Bicamada de fosfolípidos é assimétrica: há proteínas mergulhadas
na bicamada;
Proteínas inseridas na estrutura da membrana (intrínsecas) e
outras proteínas periféricas (extrínsecas) à bicamada de fosfolípidos.
Há proteínas quer se destacam mais facilmente da membrana do
que outras.
13
ULTRA- ESTRUTURA DA MEMBRANA CELULAR OU CITOPLASMÁTICA

Modelo da Estrutura
da Membrana
Plasmática

1972 Singer e Nicolson


Pág. 58 e 59
Modelo do mosaico fluído (estrutura dinâmica)
14
1972 Singer e Nicolson

Modelo do mosaico fluído (estrutura dinâmica)

O modelo aceite considera que:

Existem proteínas intrínsecas e extrínsecas à membrana;

Os glícidos estão ligados a proteínas, constituindo as


glicoproteínas;

Existem glícidos ligados a lípidos (Glicolípidos);

As moléculas de fosfolípidos de cada uma das camadas da


bicamada apresentam mobilidade
- Difusão lateral
- Movimentos de Cambalhota ou flip-flop

Os fosfolípidos apresentam mobilidade de uma camada para a


outra.
15
A membrana plasmática é permeável à água.

A água está permanentemente a entrar e a


sair da célula através da membrana celular.

O movimento da água através de


uma Membrana - OSMOSE

No movimento da água não intervêm


moléculas de transporte.
16
A água movimenta-se sempre de um
meio hipotónico (menos concentrado
em soluto) para um meio hipertónico
(mais concentrado em soluto) com o
objectivo de igualar a mesma
concentração em ambos os meios
(isotónicos).
A osmose ajuda a controlar o
gradiente de concentração de sais em
todas as células vivas.

Este tipo de transporte não apresenta


gastos de energia por parte da célula
por isso é um transporte passivo .

17
Movimento da água nas Plantas

Trabalho prático – O movimento da


água através da Membrana Celular

Pág. 62 e 63 do livro

18
Osmose – movimento da água através de uma membrana
permeável

19
O caso de Células Animais: as Hemácias ou
Glóbulos Vermelhos colocadas em diferentes
soluções

20
As hemácias mergulhadas
numa solução hipertónica
Nas células animais por em relação ao seu
vezes, a entrada de citoplasma perdem água por
água supera a osmose e murcham. Este
elasticidade da fenómeno é chamado
membrana e a célula Plasmólise. Se as hemácias
rebenta (lise celular). forem colocadas numa
Esta situação não ocorre solução muito hipotónica
em células vegetais (água destilada), o volume
devido à existência da aumentará tanto que as
Parede Celular células rebentam,
constituída por celulose espalhando o conteúdo na
que confere rigidez à solução. Esta ruptura é
célula. chamada nas hemácias:
hemólise.
21
Movimentos Transmembranares: o transporte de partículas e
substâncias

22
Movimentos Transmembranares: o transporte de partículas e
substâncias

23
Próximos temas - Digestão intracelular
- Obtenção de Matéria pelos seres
heterotróficos: Ingestão,
Digestão e Absorção

24