Você está na página 1de 13

Certificação em Edifícios

Engenharia em Gestão Industrial
Energia e Ambiente - 3º ano
Grupo 2
Maio de 2012
Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão
CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA
O que é a Certificação Energética em Edifícios?

É a avaliação da qualidade térmica dos edifícios, ou seja, do seu desempenho energético.
O Decreto-lei nº 78/2006 de 4 de Abril aprova o Sistema Nacional de Certificação
Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios (SCE) e transpõe parcialmente para
a ordem jurídica nacional a Directiva n.º 2002/91/CE, do Parlamento Europeu, de 16 de
Dezembro, relativa ao desempenho energético das novas edificações, bem como no caso
de edifícios existentes.

Para que serve?

Edifícios Residenciais – informar os proprietários, compradores e arrendatários sobre a
eficiência energética e os consumos de energia esperados numa utilização normal do
edifício bem como das medidas de melhoria.


Edifícios de Serviços – Assegurar aos utentes que o edifício reúne condições para garantir
uma adequada qualidade do ar interior, bem como informar sobre o desempenho
energético do edifício.

CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA
Permite ainda:

•Informar os consumidores (aluguer, compra, entre outros) sobre a qualidade térmica
do "produto final", permitindo-lhe comparações objetivas entre várias ofertas, e
avaliações do tipo custo - benefício;

• Fazer recomendações sobre medidas com viabilidade económica que possam
conduzir à melhoria do desempenho energético dos edifícios;

• Promover as reabilitações dos edifícios mais antigos, melhorando a sua eficiência
energética, aquando da revenda ou do arrendamento;

• Aumentar a eficiência média do sector dos edifícios, reduzindo a dependência
externa da EU e contribuindo para o cumprimento dos objectivos de Quioto;

• Realizar a escritura cumprindo a legislação: o proprietário do imóvel que não
apresente o certificado de eficiência energética na escritura está sujeito a uma coima
de € 250,00 a € 3.740,98;

• Recuperar o custo: Majoração em 10% da dedução à colecta dos custos de Crédito à
Habitação em sede de IRS caso tenha classe A ou A+;


Legislação
• Decreto – lei nº 78/2006 , de 4 de Abril: Sistema Nacional de Certificação
Energética e da Qualidade do Ar Interior nos edifícios (denominado SCE);

• Decreto – lei nº 79/2006 , de 4 de Abril: Regulamento dos Sistemas
Energéticos de Climatização em Edifícios, nas vertentes Energia e
Qualidade do Ar Interior (RSECE);

•Decreto – lei nº 80/2006, de 4 de Abril: Regulamento das Características
de Comportamento Térmico dos Edifícios (RCCTE);

•Despacho nº 10250/2008: Define o modelo de Certificado Energético;

•Portaria nº 835/2007: Define o valor das taxas de registo das declarações
de Conformidade Regulamentar e dos Certificados Energéticos na Agência
para a Energia (Adene);

•Portaria nº 461/2007: Define a calendarização da aplicação do Sistema de
Certificação Energética (4 Fases).
Legislação – Âmbito de Aplicação
RCCTE

• Edifícios residenciais;
•Pequenos edifícios de serviços sem sistema de climatização centralizados ou com sistemas de
potência inferior ou igual a 25 kW;

RSECE

•Edifícios de serviços:
- Grandes ( 500 m2 ou maior que 1000 m2);
- Pequenos com climatização ( Potência maior a 25 kW);

• Edifícios de habitação com sistemas de climatização de potência maior a 25 kw.



Excepções
• Infra estruturas militares;
• imóveis afetos ao sistema de informações ou a forças de segurança que se encontrem sujeitos a
regras de controlo de confidencialidade;
• Igrejas e locais de culto;
• Garagens, armazéns e similares não climatizados;
• Edificios industriais e agrícolas destinados a atividades de produção
• Edificios em zonas históricas ou edifícios classificados.
CALENDARIZAÇÃO
Processo de Certificação
O processo de certificação é desenvolvido por diferentes fases de intervenção do perito
nas várias etapas do edifício, que vão desde o projeto à sua construção e utilização:

Certificado Energético
O Certificado Energético e da Qualidade do Ar Interior constitui uma atualização de
conteúdo da Declaração de Conformidade Regulamentar já emitida, com base nos
elementos obtidos pelo perito qualificado.
O mesmo vai conter informação sobre:

• Identificação do Imóvel e do perito qualificado;

• Desempenho Energético do Imóvel :
- Atribuição de classe energética (vai de A+ a G);
- Para os edifícios novos ( só classes B-, B, A e A+).

• Emissões de CO2 do imóvel;

•Desagregação das necessidades de energia:
- Aquecimento, arrefecimento e águas quentes.

•Vai sugerir medidas de melhoria de desempenho e nova classe energética caso essas
medidas fossem implementadas


Quando deve ser apresentado? Nos prédios novos após a verificação da obra concluída, o
qual será utilizado no processo de pedido de licença de utilização. Nos prédios já existentes,
no ato da escritura de venda ou aquando da celebração do contrato de arrendamento.



Certificado Energético
Validade do Certificado Energético:
RCCTE – 10 Anos


RSECE:
• Edifícios ou locais que funcionem como estabelecimentos de ensino ou de qualquer
tipo de formação, desportivos e centros de lazer, creches, infantários e estabelecimentos
para permanência de crianças – 2 Anos

• Edificios ou locais que alberguem atividades comerciais, de serviços de turismo,
transportes, atividades culturais, escritórios e similares – 3 Anos

• Restantes Casos – 6 Anos

• Edificios Novos – primeira auditoria energética ao final do 3º ano de utilização dos
mesmos.




Custo da Certificação
A emissão dos Certificados Energéticos pelos peritos qualificados, não possui valores
pré-definidos variando com o tipo e com a complexidade do edifício.

O Registo das Declarações de Conformidade Regulamentar e dos Certificados
Energéticos está sujeito ao pagamento de uma taxa variável, tendo por base a
finalidade do edifício:

• A taxa correspondente ao registo do certificado de edifícios destinados à habitação –
45, 00 Euros/fracção;
• A taxa correspondente ao registo do certificado de edifícios destinados à habitação –
45, 00 Euros/fracção.

Registo na ADENE no decurso de licenciamento de edifícios novos ou já existentes mas
sujeitos a grandes intervenções de reabilitação:

• 70 % do montante da taxa com o registo da declaração de conformidade no decurso
do procedimento de licenciamento;

• 30 % do montante da taxa com o registo do certificado do desempenho energético e
da qualidade do ar interior nos edificios no momento do pedido de emissão da licença
de utilização.



Simulador
http://www.deco.proteste.pt/casa/casa-simulador-de-eficiencia-
energetica-em-edificios-s572331.htm
Muito obrigada pela atenção.
Netgrafia
http://www.oficinacivil.com/

http://www.adene.pt/

http://www.certificacaoenergetica.com/

http://certificadoenergetico.net/

http://www.ecoarkitekt.com/eficiencia-energetica/certificacao-energetica-de-
edificios/