Você está na página 1de 1

Florianópolis, novembro de 2009

XXXXX de 2008 Cartola 16


Contracapa 

Por que muros brancos? O espaço urbano foi criado pelas


pessoas e é por elas transformado.
É ali, no concreto das cidades que
estão marcadas as memórias, se
expressam os desejos, se realizam
as trocas simbólicas e as ideias
nascem e morrem. Os olhos
percorrem os prédios, percorrem as
ruas, e é a cidade com seus sinais
que nos diz o que pensar. Se assim
acontece, por que não transformá-la
nós mesmos para mudar o jeito que
a gente pensa e se relaciona?
Pixação tem um caráter de ruptura que o grafite não necessariamente tem. É bem comum o grafite funcionar como simples ‘decoração urbana’ mas Por Marcelo Andreguetti e Jessé Torres
pixação não, pixação é ruído. Acho que a arte é urbana quando está na cidade por opção, não poderia estar no museu. Ela é gratuita, espontânea, o Luana Amaral

cara não espera um reconhecimento, não de um jeito ‘artístico’.


João Serraglio - Artista e arquiteto - flickr.com/photos/vendaval

O espaço urbano é um meio onde as pessoas te veem, mesmo que elas não queiram. Impor essa alteração tem que ter propósito para ter valor. Nem A cidade é feita para ser repensada, e os meios de marketing e micropoderes
que seja chocar, ou alertar as pessoas para alguma coisa. Inserir uma intervenção é criar contato com as pessoas, observar suas reações; é tentar sabem muito bem disso e agem continuamente para controlar, proibir ou
quebrar a monotonia e alterar o espaço de convívio. vender. Os artistas, do contrário, devem também olhar a cidade como um local
Pedro Biz - Designer de Porto Alegre - www.pedrobiz.com fértil para intervenções e transformações, mas no sentido de deslocar o olhar,
causar estranhamento e gerar reflexão.

Trabalhamos com especificidades de espaços urbanos, e no caso de


Florianópolis, exploramos sua condição contraditória que levará ao caos, pois
não há diálogo entre natureza e exploração dentro da lógica de mercado que
prega crescimento a todo custo. A ilha não pode crescer com o mercado.
Luana Raiter - ERRO Grupo - errogrupo.com.br

As cidades, como os sonhos,


são construídas por desejos
e medos, ainda que o fio
condutor de seu discurso
seja secreto, que as regras
sejam absurdas, as suas
perspectivas enganosas,
Paisagem Especulada interveio na região do Pântano do Sul dentro do contexto de uma mobilização em favor da transformação da área em parque e que todas as coisas
natural. Com ampla participação da comunidade, o gesto de escrever na areia expressou uma simbologia da relação de baixo impacto com o meio: o
caráter efêmero e não poluente reforça a mensagem de deixarmos apenas um vestígio que se apaga com as ondas e o vento.
escondam uma outra coisa.
Silvana Macedo - Artista Plástica/Grupo Rosa dos Ventos - Vídeo da intervenção em: youtube.com/watch?v=SKNbZt6y5N8 ITALO CALVINO