Você está na página 1de 45

Contabilidade e custos

Contabilidade e custos

Wanderson Rocha Bittencourt Mestrando em Ciências Contábeis

Agenda

Apresentação PEA

Ementa Objetivos Conteúdo Procedimento metodológicos Bibliografia Básica Princípios, terminologia e fundamentos da contabilidade

2
2

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Disciplina: Contabilidade e Custos

Carga HoráriaTeórica: 40 H

Carga Horária Outras: 20 H

Carga HoráriaTotal: 60 H

3
3

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Ementa

Princípios, terminologia e fundamentos da contabilidade.

O inventário e as demonstrações contábeis.

A análise econômico-financeira.

Gestão dos Custos.

Sistemas de acumulação dos custos.

Etapas da implantação do sistema de custos.

A departamentalização nas empresas para avaliação de custos.

4
4

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Objetivos

Aquisição de conhecimentos em contabilidade.

Realizar análise econômico-financeira, gestão dos custos, sistemas de acumulação dos custos e implantação do sistema

5
5

de custos.

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

1. Princípios, terminologia e fundamentos da contabilidade

1.1. Conceitos e Objetivos das informações geradas pela

Contabilidade;

1.2 Campo de aplicação e campo de ação da Contabilidade;

1.3 Conceito e objetivos da contabilidade gerencial;

6
6

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

2. O inventário e as demonstrações contábeis

2.1 Conceito e Objetivos do inventário: Métodos de controle dos estoques (PEPS

e Custo Médio);

2.2

Demonstrações contábeis: Balanço Patrimonial;

2.3

Demonstrações contábeis: Demonstração do Resultado do Exercício DRE;

2.4

Demonstrações contábeis: Demonstração das Mutações do Patrimônio

Líquido;

2.5 Demonstrações contábeis: Demonstração do Fluxo de Caixa - DFC

7
7

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

3. A análise econômico-financeira

3.1 AnáliseVertical;

3.2 Análise Horizontal;

3.3 O parecer de análise e diagnóstico da empresa;

8
8

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

4. Gestão dos Custos

4.1 Histórico, conceitos e terminologias de custos;

4.2 Custo em relação à sua apropriação aos produtos fabricados -

Custos diretos e indiretos;

4.3 Custo em relação aos níveis de produção - Custos fixos,

semifixos, variáveis, semivariáveis, fixo unitário e variável unitário;

4.4 Métodos de custeio;

9
9

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

5. Sistemas de acumulação dos custos.

5.1 Sistemas de acumulação dos custos por ordem específica,

lote.

5.2 Sistema de acumulação dos custos por processo.

6. Etapas da implantação do sistema de custos;

6.1 A departamentalização nas empresas para avaliação de custos

6.2 Custeio por absorção: Conceito e aplicação;

6.3 Rateio dos custos dos departamentos: Conceito e aplicação

10
10

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Procedimentos Metodológicos Indicados

Aulas expositivas.

Exercícios práticos.

Estudos em grupo.

Sistema de Avaliação

1° Avaliação 1° Bim.

Atividades Avaliativas

Práticas: 3,00 Teóricas: 7,00 Total: 10

11
11

Disciplina: Contabilidade e Custos

2° Avaliação 2° Bim.

Prova Escrita Oficial

Práticas: 3,00 Teóricas: 7,00 Total: 10

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Bibliografia Básica Padrão CARIOCA,Vicente Antônio. Contabilidade de Custos. 1ª ed. São Paulo: Alínea, 2009.

Bibliografia Básica Unidade

PIZZOLATO, Nelio Domingues. Introdução a contabilidade gerencial. 4ª ed. Rio de Janeiro: LTC -

LivrosTécnicos e Científicos, 2008.

12
12

CREPALDI, Silvio Ap. C

São Paulo: Atlas, 2009.

Disciplina: Contabilidade e Custos

Contabilidade de Custos. 4ª ed.

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Bibliografia Complementar:

BOMFIM, Eunir de Amorim; PASSARELLI, João. Custos e Formação de Preço. 1ª ed. São Paulo: IOB, 2009.

MARION, José Carlos. Análise das Demonstrações Contábeis : Contabilidade Empresarial. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2009.

FERREIRA, José Antônio Stark. Contabilidade de Custos. 1ª ed. São Paulo: Pearson,

2008.

RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Avançada. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

PADOVEZE, Clóvis Luís. Manual da contabilidade básica : contabilidade introdutória e intermediária: texto e exercícios. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 2008.

13
13

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Cronograma de Aulas

Semana n°.Tema

1 Apresentação da Disciplina. Ementa. Objetivos. Bibliografia. Critérios de Avaliação.

2 Princípios, terminologia e fundamentos da contabilidade.

3 Princípios, terminologia e fundamentos da contabilidade.

4 O inventário e as demonstrações contábeis.

5 O inventário e as demonstrações contábeis.

6 O inventário e as demonstrações contábeis.

7 A análise econômico-financeira.

8 A análise econômico-financeira.

9 Atividades de Avaliação.

10 Gestão dos Custos

14
14

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

Cronograma de Aulas

Semana n°.Tema

11 Gestão dos Custos

12 Gestão dos Custos

13 Sistemas de acumulação dos custos.

14 Sistemas de acumulação dos custos.

15 Etapas da implantação do sistema de custos.

16 Departamentalização nas empresas para avaliação de custos.

17 Departamentalização nas empresas para avaliação de custos.

18 Prova Escrita Oficial

19 Revisão.

20 Prova Substitutiva

15
15

Disciplina: Contabilidade e Custos

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM (PEA)

1. Princípios, terminologia e fundamentos da

1.3 Conceito e objetivos da contabilidade gerencial;

2. O inventário e as demonstrações contábeis

3. A análise econômico-financeira

4. Gestão dos Custos

5. Sistemas de acumulação dos custos.

6. Etapas da implantação do sistema de custos;

16 Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Origem da Contabilidade

Escavações administradas por arqueólogos invariavelmente descobriram

evidências de que a contabilidade era uma característica de civilizações

antigas + 4000 a.C (Marion: 1998 32 ).

Sistema de Contas já era mantido na antiguidade;

Introdução da moeda como meio de troca - serviu para o desenvolvimento da contabilidade

2000 a.C China: Formas sofisticadas de contabilidade governamental incluindo a contabilidade histórica e o controle orçamentário, era acompanhada por uma função de auditoria executada por um alto e

independente funcionário público oficial

17 Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Definição de Contabilidade

Não existe definição satisfatória da palavra “contabilidade.A definição mais amplamente citada apareceu no Boletim de

Terminologia de Contabilidade n.º 1 do Instituto Americano de

Contadores Públicos Certificados (AICPA 1941):

18
18
de Contadores Públicos Certificados (AICPA – 1941): 18 Contabilidade é a arte de registrar, classificar e

Contabilidade é a arte de registrar, classificar e sintetizar de

maneira resumida e significativa, em termos monetários as transações e eventos que são, pelo menos de natureza financeira possibilitando a interpretação de seus resultados.

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

O Instituto de Contadores Registrados dos Países Baixos, definiu a contabilidade como:

O registro sistemático, processamento e fornecimento de

informação para o gerenciamento e operação de uma entidade e para relatórios que devem ser emitidos.

19
19

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

A Junta de Princípios de Contabilidade, em sua Declaração n.º 4 (outubro, 1970) também tentou definir a contabilidade com referência ao conceito de informação:

20
20
com referência ao conceito de informação: 20 Contabilidade é uma atividade de serviço. Sua função é

Contabilidade é uma atividade de serviço. Sua função é providenciar informação quantitativa, principalmente de natureza

financeira, sobre entidades econômicas para serem úteis na tomada

de decisões econômicas, fazendo escolhas dentro de linhas alternativas de ação.

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

A contabilidade desenvolveu-se à medida que o homem foi necessitando de novas técnicas para a administração de seu patrimônio.

O objeto da contabilidade é o Patrimônio das Entidades

21
21

Disciplina: Contabilidade e Custos

CRESCIMENTO DO CONHECIMENTO DE RESPONSABILIDADE 1775 - 1975 Comportamento Humano Valor da mão de obra
CRESCIMENTO DO CONHECIMENTO DE
RESPONSABILIDADE 1775 - 1975
Comportamento Humano
Valor da mão de obra
Relações intergovernamentais
Contabilidade Social
Planejamento de Sistema Total
Aplicações Interdiciplinares
Revisões de SistemaTot
Evolução da Auditoria
Evolução Efetiva
Computadores
Cibernéticos
Sistema de Informação
Modelos Organizacionais
Planejamento Organizacional
Teoria de Decisão
Análise de Custo - Benefício
Administração
Científica
Processos Gerenciais
Descoberta de deficiência
Auditoria Gerencial
Serviços Administrativos
Sistema de Planejamento e Controle
Revolução Industrial
Contabilidade Gerencial
Planejamento Tributário
Consultor Tributário
Contabilidade Fiscal
P.P.B.S.
Controle de Apropriação
Contabilidade Pública
Custo Padrão
Análise de Custo – Receita Bruta
Análise de Custo
Estatística de Custo e Produção
Contabilidade de Custo Princípios de Relatório Financeiro
Norma de
Auditoria
Relatórios Uniformes
Exames de Certificação - CPA
Auditoria de Registros e Demonstrações
Auditoria Financeira
Computadores alimentados c/
Registros de Impostos
cartão de gravação
Ênfase na demonstração de Resultado
Ênfase ao Balanço Patrimonial
Corpo comum do conhecimento de responsabilidade

Escrituração Contábil (partida

22 simples Partida dobrada)

1775

1800

1825

1850

Fonte: Dr. Léo Hebert, U.S. General Accounting Office.

1875

Anos

1900

1925

1950

1975

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

23
23

O Método de Partidas Dobradas foi criado em Veneza e tornou o modelo para a exposição da contabilidade publicada por

Pacioli em 1494.

organização

profissional de contadores fundada emVeneza.

Somente

1581

surgiu

primeira

em

a

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Período em que o mundo sofreu poucos mudanças entre 1494 e 1775. Contabilidade de partidas-dobradas que espalharam-se para a Alemanha, para os países baixos (agora a Bélgica e Holanda) a Inglaterra, Escócia, Portugal e Espanha durante esse período. Contas eram para o próprio uso da pessoa, não a registros sobre a preparação de declarações financeiras e suas auditorias ocupando um lugar central Nem declaração de renda de período ou balancete do tipo com que estamos atualmente familiarizados.

24
24

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Declarações financeiras eram preparadas para períodos específicos,

Conta de lucros e perdas, precursora da demonstração de resultado de renda moderna,

Uma lista de lucros e perdas em eram mantidas atividades

individuais

ou linhas de negócios.

O balanço patrimonial era uma lista de balanços (balancete) restante após determinação da conta de lucros e perdas.

Os conceitos de capital como a diferença entre ativos e passivos, e de

lucro líquido como a mudança em capital entre duas datas era bem

estabelecida durante essa idade.

Contabilidade inclui várias ramificações por exemplo, contabilidade financeira, contabilidade gerencial e contabilidade de governamental.

25
25

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Contabilidade Financeira e Societária

Planejamento Tributário

Auditorias Independentes

Auditorias Internas

Processamento de dados e Sistema de Informação

Controladoria, Orçamento e Contabilidade de Custo

Contabilidade Fiduciária

Contabilidade Social (Contabilidade de Renda Nacional)

Assessoria e Consultoria Organizacional

Perícias Contábeis

Contabilidade Pública

Contabilidade de Organizações não Governamentais e Ambiental

26
26

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Objetivo e utilidade do relatório contábil-financeiro de

propósito geral

O objetivo do relatório contábil-financeiro de propósito geral é fornecer informações contábil-financeiras acerca da entidade que reporta essa informação que sejam úteis a investidores existentes e em potencial, a credores por empréstimos e a outros credores, quando da tomada decisão ligada ao fornecimento de recursos para a entidade.

Essas decisões envolvem comprar, vender ou manter participações em instrumentos patrimoniais e em instrumentos de dívida, e a oferecer ou disponibilizar empréstimos ou outras formas de crédito. CPC (2014).

27 Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

As características qualitativas da informação contábil

Relevante

Representação fidedigna.

Comparabilidade

Verificabilidade

Tempestividade

Compreensibilidade

28
28

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Elementos das demonstrações contábeis

As demonstrações contábeis retratam os efeitos patrimoniais e financeiros

das transações e outros eventos, por meio do grupamento dos mesmos em classes amplas de acordo com as suas características econômicas.

Os elementos diretamente relacionados à mensuração da posição patrimonial e financeira no balanço patrimonial são: os ativos, os passivos e o patrimônio líquido.

Os elementos diretamente relacionados com

do

a

mensuração

desempenho na demonstração do resultado são as receitas e as despesas.

A demonstração das mutações na posição financeira usualmente reflete os elementos da demonstração do resultado e as alterações nos elementos

do balanço patrimonial.

29 Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Posição patrimonial e financeira

Ativo é um recurso controlado pela entidade como resultado de eventos passados e do qual se espera que fluam futuros

benefícios econômicos para a entidade;

Passivo é uma obrigação presente da entidade, derivada de

eventos passados, cuja liquidação se espera que resulte na

saída de recursos da entidade capazes de gerar benefícios

econômicos;

(Patrimônio líquido é o interesse residual nos ativos da entidade

depois de deduzidos todos os seus passivos.

30
30

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Performance

Receitas são aumentos nos benefícios econômicos durante o período contábil, sob a forma da entrada de recursos ou do aumento de ativos ou diminuição de passivos, que resultam em

aumentos do patrimônio líquido, e que não estejam relacionados

com a contribuição dos detentores dos instrumentos patrimoniais;

Despesas são decréscimos nos benefícios econômicos durante o

período contábil, sob a forma da saída de recursos ou da redução

de ativos ou assunção de passivos, que resultam em decréscimo do patrimônio líquido, e que não estejam relacionados com distribuições aos detentores dos instrumentos patrimoniais.

31
31

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Conceitos de capital

Capital financeiro (ou monetário) é o dinheiro investido ou o seu poder de compra investido, sendo sinônimo de ativos

líquidos ou patrimônio líquido da entidade.

Capital físico, tal como capacidade operacional, é considerado como a capacidade produtiva da entidade baseada, por

exemplo, nas unidades de produção diária.

32
32

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Conceitos de manutenção de capital e determinação do lucro

Manutenção do capital financeiro. o lucro é considerado auferido

somente se o montante financeiro (ou dinheiro) dos ativos

líquidos no fim do período exceder o seu montante financeiro

(ou dinheiro) no começo do período, depois de excluídas

quaisquer distribuições aos proprietários e seus aportes de capital durante o período.

33
33

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Conceitos de manutenção de capital e determinação do lucro

Manutenção do capital físico. O lucro é considerado auferido

somente se a capacidade física produtiva (ou capacidade

operacional) da entidade (ou os recursos ou fundos necessários

para atingir essa capacidade) no fim do período exceder a

capacidade física produtiva no início do período, depois de excluídas quaisquer distribuições aos proprietários e seus aportes de capital durante o período.

34
34

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Contabilidade

Iudícibus (1997) define a contabilidade como a ciência que

avalia e fornece informações sobre a utilização dos recursos

escassos alocados pela sociedade a uma entidade, sendo útil para

a sua avaliação de desempenho e de seus gestores.

35
35

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Contabilidade Financeira

Conforme Garrison, Noreen e Brewer (2007) a contabilidade

financeira preocupa-se como o fornecimento de informações

aos agentes situados fora da organização, tais como acionistas e

credores.

É a Contabilidade regulamentada pelas normas contábeis.

36
36

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Contabilidade Gerencial

A contabilidade gerencial é aquela que visa fornecer

informações de interesse dos usuários internos, principalmente

aos administradores, que possui ênfase em dados futuros e na

relevância dos dados, não sendo obrigatória ou regulamentada

(GARRISON, NOREEN; BREWER, 2007).

37
37

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Quesito

Contabilidade Gerencial

Contabilidade Financeira

Usuário primários

Gestores das organizações

Usuários externos

Liberdade de escolha

Sem restrições, exceto custos em relação a benefícios de melhores decisões gerenciais

Restringida pelos princípios contábeis

Implicações

Preocupação com a influência que as mensurações e os relatórios exercerão sobre o comportamento cotidiano dos gestores

Preocupação em mensurar e comunicar fenômenos econômicos.As considerações comportamentais são secundários, embora a compensação dos executivos

baseados em resultados

comportamentais

 

relatados possa ter impacto

em seu comportamento.

38 Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Quesito

Contabilidade Gerencial

Contabilidade Financeira

Enfoque de tempo

Orientação para o futuro, uso formal de orçamentos, bem como de registros históricos

Orientação para o passado:

avalição histórica

Horizonte de tempo

Flexível, com uma variação que vai de

Menos flexível: geralmente um

horas a 10 ou 15 anos

ano ou um trimestre

Relatórios

Detalhados: preocupa-se com os detalhes de partes da entidade, produtos, departamentos, territórios,

Resumidos, preocupam-se primeiramente com a entidade como um todo

etc.

Delineamento das atividades

Campo de ação se define com menor precisão. Uso mais intenso de disciplinas como economia, ciências de decisão comportamentais.

Campo de ação se define com maior precisão. Menor uso de disciplinas afins

39 Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Contabilidade gerencial

Ramo da contabilidade,

Instrumento da administração

Mera ferramenta, utilizada apenas em momentos específicos.

40
40

Disciplina: Contabilidade e Custos

Santos et al. (2008)

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

A contabilidade gerencial visa a produção de informações que se destinam aos usuários internos, de maneira especial

aquelas direcionadas aos gestores responsáveis pelo processo

decisório (FREZATTI et al. (2007).

O sistema de contabilidade gerencial deve ser capaz de auxiliar o usuário interno com informações pertinentes e oportunas sobre a empresa, seus funcionários, clientes,

fornecedores e concorrentes (BEUREN e ERFURTH (2010).

41
41

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Relatórios gerados pela contabilidade gerencial Relatórios com ênfase ao desempenho dos administradores ou

unidades de negócios comparando resultados efetivos a planos e padrões.

Outros relatórios fornecem informações oportunas e frequentes a respeito de indicadores fundamentais, tais como número de pedidos recebidos, número de pedidos a atender, utilização de capacidade produtiva e vendas.

Outros relatórios analíticos são preparados na medida da necessidade e com o fim de estudar problemas específicos, tal como uma queda da rentabilidade de uma linha de produtos.

Outros, ainda, analisam o andamento de uma situação ou oportunidade de negócio.

42 Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Práticas da Contabilidade Gerencial

A utilização de métodos de custeio, tais como custeio por absorção (ou custeio funcional ou custeio tradicional), o método de custeio variável, o custeio padrão, o custeio

baseado em atividades (ABC) e o custeio-alvo ou custeio

meta;

Análise com base no ROI - Retorno sobre Investimento;

Processo de descentralização e utilização de preços de transferência;

Utilização de relatórios em moeda constante;

Elaboração de orçamento;

43
43

Disciplina: Contabilidade e Custos

1. Princípios, terminologia e fundamentos

da contabilidade

Utilização de processos oriundos de programas de qualidade, tais como benchmarking, Kaizen e Just in Time (JIT);

Teoria das Restrições ;

Gestão Baseada em Atividades;

Análise com base no resultado econômico: EVA (Economic

Value Added) e Gestão Econômica (GECON); Utilização de painéis balanceados de indicadores de controle, tais como o Balanced Scorecard (BSC).

44
44

Disciplina: Contabilidade e Custos

Soutes (2006)

Referências

CPC 00 R1. Comitê de pronunciamentos contábeis. Estrutura Conceitual para Elaboração e

Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro. ,2011.

BEUREN, Ilse Maria, ERFURTH, Alfredo Ernesto. Pesquisa em Contabilidade Gerencial com Base no Futuro Realizada no Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasilia, v. 13, n. 1, p. 44-58, jan./abr. 2010.

FREZATTI, Fábio; AGUIAR, Andson Braga de; GUERREIRO, Reinaldo. Diferenciações entre a contabilidade financeira e a contabilidade gerencial: uma pesquisa empírica a partir de

pesquisadores de vários países. Revista Contabilidade & Finanças - USP, São Paulo, Ed. 18, n. 44,

2007.

GARRISON, Ray H.; NOREEN, Eric W.; BREWER, Peter C. Contabilidade Gerencial. 11 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007.

IUDÍCIBUS, Sérgio de. Conhecimento, Ciência, Metodologias Científicas e Contabilidade. Revista Brasileira de Contabilidade. Brasília, n. 104 p. 68-71, mar./abr. 1997.

MARION, José Carlos. Contabilidade Básica. 10 ed. São Paulo: Atlas, 1998.

SANTOS, Carlos Werner dos et al. Existe de fato uma contabilidade gerencial? Revista Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 19, n. 2, p. 87-107, abr./jun. 2008.

SOUTES, Dione O., SCHVIRCK, Eliandro. Formas de Mensuração do Lucro e os Reflexos no Cálculo do ROA. BBR-Brazilian Business Review. V.3, n. 1, p. 74-87, janeiro/junho 2006.

45
45

Disciplina: Contabilidade e Custos