Você está na página 1de 4

NÚMERO

36

Ano 2

29/06/2015

Prefeitura Municipal de Santos Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação

Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação

Inovação Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Referência em tratamento humanizado a pacientes acamados ou

Referência em tratamento humanizado a pacientes acamados ou impossibilitados de acessar uma unidade de saúde, a Seção de Atendimento Domiciliar (Seadomi) acaba de ganhar a contribuição da tecnologia. A Prefeitura recebeu 15 tablets do Ministério da Saúde, destinados exclusivamente ao serviço, para implementação do Prontuário Eletrônico dos Pacientes. Ele será integrado ao novo sistema informatizado da Secretaria de Saúde (SMS), o Soul MV, plataforma da MV Sistemas recém adquirida pela Prefeitura por meio de licitação. Os tablets devem ser utilizados no segundo semestre pelas equipes, que receberão treinamento. No momento, é feito o cadastramento dos pacientes em ambiente web. “Contribuirão no registro das informações dos pacientes, como visitas, procedimentos e encaminhamentos realizados, condutas adotadas, além de possibilitar a integração com outros serviços”, afirmou o coordenador da Atenção Domiciliar, Devanir Paz. PIONEIRISMO Realizado na Cidade há 23 anos de forma pioneira, o serviço de atendimento domiciliar conta atualmente com 876 pacientes. Os números mudam quase que diariamente. Eles são atendidos por cinco equipes com dez médicos, 14 enfermeiros, 32 auxiliares e técnicos de enfermagem, dois fisioterapeutas, dois nutricionistas, um assistente social e um farmacêutico. “Com esse atendimento, diminuímos o tempo de internação de pacientes e os riscos de infecções hospitalares. O paciente se recupera melhor em casa, com conforto e perto da família”, ressalta Paz.

Fonte: Diário Oficial de Santos 16/06/2015

ressalta Paz. Fonte: Diário Oficial de Santos 16/06/2015 Banco de dados terá dados da Gestão Para

Banco de dados terá dados da Gestão

Para contribuir para o melhor fluxo de informação entre os setores e integrantes da Administração, o que resulta em mais agilidade e eficiência, a Secretaria de Gestão (Seges) está elaborando um grande

25ª CONFERÊNCIA ANPROTEC

Foi lançada a Chamada de

Trabalhos para a 25ª Conferência

Anprotec, evento até então

conhecido como Seminário Nacional

de Parques Tecnológicos e

Incubadoras de Empresas. Com o tema “Ambientes de Inovação mais Sustentáveis: o empreendedor como

protagonista da nova economia”, o evento deste ano será realizado de 19 a 23 de outubro, em Cuiabá (MT). O tema da 25ª Conferência Anprotec propõe uma discussão sobre o papel dos empreendedores como protagonistas da Nova Economia, ao serem levados a pensar em inovações que tragam não apenas ganhos econômicos e produtivos, mas ambientalmente e socialmente justos.

em:

Leia

mais

5º WORKSHOP

EM MICROFLUÍDICA

O Laboratório Nacional de

Nanotecnologia (LNNano) realizará a quinta edição do Workshop em Microfluídica nos dias 23 e 24 de julho de 2015. As inscrições estão abertas até dia 12 de julho. O evento ocorrerá no auditório do LNNano, no campus do Centro Nacional de Pesquisa em

Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas-SP. Desde 2011 o workshop reúne estudantes e jovens pesquisadores de diferentes estados brasileiros para discutir recentes inovações em microfluídica, trocar informações sobre pesquisas e demonstrar técnicas e outras aplicações de microfabricação. Para esta edição, cerca de 200 pessoas são esperadas. Os participantes também poderão compor a programação oficial do evento, apresentando resultados de pesquisas em sessões de pôsteres

ou apresentações orais. O período

de submissão vai até 22 de junho.

Mais

informações:

Leia

mais

em:

MATRÍCULAS ABERTAS PARA CURSO DA INOVA UNICAMP

O curso de Especialização em

Propriedade Intelectual com ênfase

em Inteligência Tecnológica, oferecido pela Agência de Inovação

Inova Unicamp, Escola de Extensão

da Unicamp (Extecamp) e Faculdade

de Engenharia Química (FEQ), já

está com matrículas abertas.

Interessados podem efetuar a

matrícula

O curso, que está na segunda

edição, apresenta a experiência em inovação tecnológica e empreendedorismo da Unicamp, visando atender a demanda de empresas para capacitação de seu quadro de funcionários e dar oportunidade de formação e

pelo link

atualização para profissionais que buscam atuar nesta área. Inscrições: 4/5/2015 a 26/7/2015

Fonte:

triculas-abertas-para-curso-de- banco de dados com as informações estratégicas da Prefeitura.

SANTANDER UNIVERSIDADES

Fórmula Santander 2015 Lançado em 2010, o Programa Fórmula Santander é iniciativa de mobilidade internacional que

beneficia 300 estudantes universitários do Brasil, Espanha,

Reino Unido e México, anualmente.

Nesta 6ª edição, estudantes de graduação e de pós-graduação de 47

universidades brasileiras poderão se inscrever para conquista uma bolsa

de estudo em um dos 20 países

onde o Santander Universidades está presente.

São 100 bolsas de estudos para

cada um dos três países, tendo como

recomendação às universidades a seleção de alunos com alto desempenho acadêmico, condições socioeconômicas desfavoráveis e bons conhecimentos em outros idiomas.

As inscrições estão abertas de 05/05/2015 a 07/09/2015 às 23h59 (Horário de Brasília).

Fonte:

O sistema deverá ser acessível pela internet e a previsão é que esteja disponível no próximo ano,

contribuindo para o desenvolvimento do programa Participação Direta nos Resultados (PDR).

DISCUSSÕES

A proposta é uma das soluções encontradas durante o workshop Orientação Estratégica para Gestão

do Conhecimento, iniciativa com apoio da Fundação Vanzolini. Evento foi realizado segunda, na Associação Comercial, com 35 gestores e servidores do projeto-piloto na Seges.

Fonte: Diário Oficial de Santos 25/06/2015

Governo de São Paulo lança "Movimento pela Inovação"

O Governo de São Paulo lançou, em 22 de junho, o “Movimento pela Inovação”. Conduzida pela

Desenvolve SP Agência de Desenvolvimento Paulista, o objetivo é aproximar pesquisadores, startups e empresas das instituições de fomento com o objetivo de impulsionar os investimentos em inovação no Estado. A iniciativa conta com o apoio da FAPESP, do Instituto de Pesquisas

Tecnológicas (IPT), do Centro Paula Souza, do Sebrae-SP, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e também de fundos de

investimento e parques tecnológicos.

O Movimento reunirá periodicamente as instituições apoiadoras e organismos multilaterais do campo

da inovação e da pesquisa para orientar e atender individualmente dentro de incubadoras, aceleradoras e universidades e parques tecnológicos os interessados desenvolver projetos inovadores. Nesses encontros, a expectativa é apoiar empreendedores na definição de ação, com orientação sobre como obter crédito sustentável para investimentos, indicação para uma eventual subvenção ou buscar aportes diretos por meio de fundos de investimento, entre outras opções disponíveis.

“Queremos mostrar que a inovação está ao alcance de todos. Além disso, ao encurtar a distância entre

os centros de pesquisa, empresas e instituições de fomento, o conhecimento científico produzido pode

ser transformado mais rapidamente em produtos e negócios de sucesso, gerando riqueza para a sociedade e o desenvolvimento do país”, disse Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Desenvolve

SP.

A Desenvolve SP é responsável por oferecer linhas de crédito exclusivas para projetos inovadores com

condições especiais e também por repassar recursos da Finep e do BNDES. A instituição trabalha também com cinco Fundos de Investimentos em Participações (FIP) para investimento direto, entre eles, o Fundo de Inovação Paulista, criado pela própria Desenvolve SP, e que tem o Sebrae-SP, a FAPESP e a Finep como investidores.

O primeiro evento do “Movimento pela Inovação” será nos dias 29/6 e 3/7, no Parque Tecnológico de São Carlos (ParqTec), quando a equipe da Desenvolve SP realizará atendimento individual aos empresários, para tirar dúvidas e dar encaminhamento aos de projeto inovação. Para participar desse encontro é preciso fazer um pré-agendamento pelo e-mail jrosa@parqtec.com.br ou telefone (16) 3362

6262.

CHAMADA DE PROPOSTAS PARA O PROGRAMA PIPE - 3º CICLO DE ANÁLISE DE 2015

As propostas de financiamento devem conter projetos de pesquisa que podem ser desenvolvidos em duas etapas:

Fase 1: demonstração da

Fase

1: demonstração da

viabilidade tecnológica de um produto ou processo, com duração máxima de 9 meses e recursos de até R$ 200 mil.

Fase 2: desenvolvimento

Fase

2: desenvolvimento

do produto ou processo

inovador, com duração máxima de 24 meses e recursos de até R$ 1 milhão. (Quando os

proponentes já tiverem realizado atividades

 

tecnológicas

que

demonstrem a viabilidade do projeto podem submeter propostas diretamente à Fase 2). Condições de participação:

Podem apresentar propostas pesquisadores vinculados a empresas de pequeno porte (com até 250 empregados) com
Podem apresentar propostas pesquisadores vinculados a empresas de pequeno porte (com até 250 empregados) com

Podem apresentar propostas pesquisadores vinculados a empresas de pequeno porte (com até 250 empregados) com unidade de P&D no Estado de São Paulo; Empresas ainda não constituídas formalmente podem apresentar propostas na condição de “empresa a constituir”,

devendo

essa

formalização ocorrer após

a

aprovação da proposta

antes da celebração do Termo de Outorga;

e

O pesquisador proponente

O

pesquisador proponente

deverá demonstrar conhecimento e

competência técnica no

tema

do projeto, mas não

é

exigido nenhum título

formal (seja de graduação ou pós-graduação);

A empresa deverá

A

empresa

deverá

comprometer-se a oferecer condições adequadas para o desenvolvimento do projeto de pesquisa durante o período de sua execução e em envidar os melhores esforços para a comercialização bem

sucedida dos resultados. O manual completo para submissão de propostas está disponível no site

no

Datas:

03 de agosto de 2015 - Data limite para submissão das propostas no SAGe (obs.: até a data limite as propostas podem ser corrigidas e ressubmetidas para análise no 3º ciclo) 01 de julho de 2015 - Reunião aberta a interessados para esclarecimentos sobre o PIPE 06 de novembro de 2015 -

FAPESP

da

Divulgação dos resultados da chamada Fonte: http://www.fapesp.br/9487

Projeto reúne dados das operações do cais santista

Iniciativa de professores e alunos do Senai será apresentado em concurso que premia ideias

inovadoras

será apresentado em concurso que premia ideias inovadoras Captar e organizar informações sobre as operações do

Captar e organizar informações sobre as operações do Porto de Santos, em tempo real, e ainda disponibilizá-las para a comunidade são os objetivos de um projeto ambicioso da unidade do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) em Santos. Para alcançar essa meta, professores e alunos de cursos portuários da entidade desenvolveram a Mesa de Operações Portuárias, que simula uma visão aérea do cais santista.

O projeto será inscrito na categoria Soluções Didáticas do programa Inova Senai, que vai

acontecer em outubro, na Capital. O evento incentiva a elaboração de estudos e premia ideias

inovadoras e com potencial de serem utilizadas pelo mercado.

Na Mesa de Operações Portuárias, criamos o setup atual do Porto de Santos. Tivemos alguma dificuldade em reunir muitas informações. E essa é justamente a proposta: reunir todas as informações que mostrem o cenário das operações em uma plataforma única, explicou o coordenador do curso técnico em Logística Portuária do Senai, Hélio Hallite. Segundo o professor, várias fontes de informação são utilizadas simultaneamente. O problema é que elas utilizam terminologias diferentes e priorizam aspectos distintos. No site da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp, a Autoridade Portuária), por exemplo, estão concentrados os dados das embarcações atracadas, fundeadas na Barra ou ainda com previsão para chegar ao cais santista. O problema, neste caso, é que a página não é constantemente atualizada e apenas esses registros não mostrariam o cenário atual das operações.

A saída, então, foi utilizar as informações disponíveis pela Praticagem de São Paulo, entidade que

reúne os profissionais responsáveis pelas manobras de entrada e saída no Porto de Santos. No

entanto, os dados disponíveis tratam, especificamente, das embarcações e não das cargas transportadas.

O

mesmo acontece com o serviço Semafórico. Outra ferramenta importante utilizada pelos alunos

do

Senai é o site Marine Traffic. O portal reúne as informações dos radares das embarcações e

mostra, em tempo real, a posição em que os cargueiros estão no Porto ou ainda fora dele, antes

da chegada.

A informação não está disponível para ser utilizada para ensinar. O desafio é disponibilizá-la para professores, alunos e para os entes do Porto de Santos e, além disso, virar uma referência das informações necessárias, explicou o coordenador do curso do Senai.

GARGALOS

Além de informações sobre as condições do mar (como altura da maré, ventos e temperatura), a ideia é que a Mesa de Operações Portuárias mostre os principais pontos de gargalos do cais santista, sejam eles rodoviários, ferroviários ou aquaviários. Para isso, todo o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), principal acesso rodoviário ao Porto de Santos é representado por luzes de LED, que se modificam de acordo com a intensidade

do tráfego de veículos. Se o trânsito estiver tranquilo, as vias serão selecionadas com a cor verde.

Caso o fluxo esteja lento, as luzes ficarão azuis e, se o movimento estiver intenso e com pontos

de parada, as vias ficarão vermelhas.

Para isso, usamos o Waze (aplicativo que informa as condições do trânsito) e as condições são atualizadas a cada hora, com o uso de um outro aplicativo que muda as cores. Para variar, vemos que o tráfego sempre está mais intenso no Viaduto da Alemoa e nos cruzamentos rodoferroviários e isto interfere diretamente no movimento dos gates dos terminais, explicou Hallite. Futuramente, o projeto dará o mesmo tratamento aos dados sobre o tráfego ferroviário do complexo marítimo. Neste caso, as informações serão disponibilizadas pelas concessionárias férreas que atendem o cais santista.

CALADO

E como cada região do Porto tem uma dimensão de calado operacional a distância entre a

superfície do mar (ou rio) e a parte mais inferior de um casco na água, ou seja, a metragem vertical da parte da embarcação que fica submersa, a Mesa de Operações Portuárias também deverá fornecer esse dado. Olhando as informações dos navios e o local onde eles estão, identificamos os de maior calado, os atracados, os fundeados e até quais são os que farão maiores operações, além de mostrarmos, também, a localização do terminal onde estão ou para onde vão, explicou o coordenador do Senai.

Fonte: A Tribuna 16/06/2015

explicou o coordenador do Senai. Fonte: A Tribuna 16/06/2015 ESCOLHA OS MELHORES CAMINHOS PARA SUA EMPRESA

ESCOLHA OS MELHORES CAMINHOS PARA SUA EMPRESA Palestra que orienta sobre a importância da busca da excelência no planejamento, organização e controle do negócio. 28/07 (terça), das 16h às 18h

Local: Associação Comercial de Cubatão - Rua Bahia, 171 Vila Paulista - Cubatão - SP Público-alvo: ME Informações e inscrições: 0800 570 0800

SAIBA ADMINISTRAR O CAPITAL DE GIRO Palestra que visa orientar o empresário sobre a gestão do capital de giro, propiciando o desenvolvimento das habilidades gerenciais e as condições para a obtenção de melhores resultados econômicos e financeiros em seus empreendimentos. 27/08 (quinta), das 16h às 18h Local: Sebrae-SP Baixada Santista

TUDO QUE O EMPREENDEDOR INDIVIDUAL PRECISA SABER PARA ESTAR LEGAL

Palestra que orienta empreendedores individuais sobre seus direitos e obrigações legais no exercício de sua atividade. 28/07 (terça), das 16h às 18h Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: MEI Informações e inscrições:

PALESTRA EMPRETEC Palestra de apresentação do seminário EMPRETEC, uma metodologia desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU), ministrada no Brasil com exclusividade pelo Sebrae- SP. Reúne quase vinte mil empresários por ano, com resultados excelentes. Quer ser um empresário de sucesso? Com o EMPRETEC você desenvolve suas características de comportamento empreendedor e amplia as habilidades de administração do seu negócio. 02/07 (quinta), das 19h às 21h 23/07 (quinta), das 09h30 às 11h30 30/07 (quinta), das 09h30 às 11h30 06/08 (quinta), das 09h30 às 11h30 13/08 (quinta), das 19h às 21h 20/08 (quinta), das 09h30 às 11h30 27/08 (quinta), das 09h30 às 11h30 Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: ME e EPP Informações e inscrições:

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

|

(13) 3362-5311

Público-alvo: ME Informações e inscrições:

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

Valor: gratuita

13/08 (quinta), das 09h30 às 11h30 Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: ME

SEBRAE MAIS: ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS Palestra de apresentação do programa “Sebrae Mais: estratégias empresariais”, que visa desenvolver o pensamento estratégico e a prática do estabelecimento de estratégias, visando o direcionamento para a tomada de decisões acertadas que sejam fruto de reflexão, pesquisa e conhecimento do ambiente onde a empresa atua. 23/07 (quinta), das 19h às 21h 20/08 (quinta), das 19h às 21h Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: EPP Informações e inscrições:

Valor: gratuito

Informações e inscrições:

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

TRANSFORME SUA IDEIA EM MODELO DE NEGÓCIOS Oficina que utiliza o modelo de negócios Canvas, que é uma ferramenta de gerenciamento estratégico, que permite desenvolver e esboçar modelos de negócios novos ou existentes com base em nove aspectos: proposta de valor,

Valor: gratuita

POR DENTRO DOS CUSTOS, DESPESAS E PREÇO DE VENDA Palestra que visa orientar os empresários para o desenvolvimento de competências gerenciais que melhorem

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

gestão financeira de sua empresa. 30/07 (quinta), das 16h às 18h

a

segmentos de clientes, canais, relacionamento com clientes, fontes de receitas, recursos principais, atividades principais, parcerias-chave e estrutura de custos. 29 a 31/07 (quarta a sexta), das 09h às 13h 26 a 28/08 (quarta a sexta), das 09h às 13h Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: PE Informações e inscrições:

Valor: gratuita

Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: ME Informações e inscrições:

PLANEJAMENTO: O PRIMEIRO PASSO PARA COMEÇAR SEU NEGÓCIO Palestra que visa apresentar aos participantes a importância e os conceitos da constituição de uma

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

Valor: gratuito

Valor: gratuita

NA MEDIDA: COMO CRIAR UMA PÁGINA EMPRESARIAL NO FACEBOOK Oficina que apresenta o passo a passo para o empresário criar uma página

COMO SE TORNAR MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

Palestra que visa informar os participantes sobre os principais aspectos da lei complementar 128/2008 que dispõe sobre o microempreendedor individual. 06/07 (segunda), das 15h às 17h 27/07 (segunda), das 15h às 17h 10/08 (segunda), das 15h às 17h 24/08 (segunda), das 15h às 17h 31/08 (segunda), das 15h às 17h Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: PE Informações e inscrições:

empresa, abordando as necessidades do empreendedor, do empreendimento e da parte legal. 03/07 (sexta), das 09h30 às 11h30 31/07 (sexta), das 09h30 às 11h30 07/08 (sexta), das 09h30 às 11h30 14/08 (sexta), das 09h30 às 11h30 28/08 (sexta), das 09h30 às 11h30 Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: PE Informações e inscrições:

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

empresarial no Facebook (também conhecida como fanpage), de forma a

possibilitar a inserção da empresa no mundo virtual. 21/08 (sexta), das 09h30 às 12h30 Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: ME Informações e inscrições:

Valor: R$ 190,00

NA MEDIDA: GESTÃO FINANCEIRA Este curso capacita o empresário a conhecer os movimentos financeiros que são primordiais no gerenciamento do dia a dia na microempresa, desenvolvendo nos participantes atitudes proativas para um gerenciamento eficiente e eficaz dos aspectos financeiros. 04, 11, 18, 25/08 e 02/09 (terças e quarta), das 09h às 13h Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: ME Informações e inscrições:

0800

17/07 (sexta), das 09h30 às 11h30 24/07 (sexta), das 09h30 às 11h30

570 0800 | (13) 3289-5818

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

Valor: R$ 70,00

21/08 (sexta), das 09h30 às 11h30 Local: Sala do Empreendedor Santista Rua João Pessoa, 132 - Centro - Santos Público-alvo: PE Informações e inscrições:

APRENDER A EMPREENDER Curso de nível básico que oferece a oportunidade de interagir com os conceitos básicos sobre empreendedorismo, mercado e finanças. 18 a 20/08 (terçaa a quinta), das 08h30 às 18h Local: Sebrae-SP Baixada Santista Público-alvo: MEI Informações e inscrições:

570 0800 | (13) 3289-5818

13/07 (segunda), das 09h30 às 11h30 20/07 (segunda), das 09h30 às 11h30 03/08 (segunda), das 09h30 às 11h30 17/08 (segunda), das 09h30 às 11h30 Local: Sala do Empreendedor Santista Rua João Pessoa, 132 - Centro - Santos

0800

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

Valor: gratuita

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

Público-alvo: PE

Valor: R$ 260,00

Informações e inscrições:

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

Valor: gratuita

0800

570 0800 | (13) 3289-5818

Valor: gratuita

IX WORKSHOP EMPRENDESUR SERÁ EM SETEMBRO

O IX Workshop EmprendeSUR

“Empreendedorismo e Inovação na América Latina” será promovido em

setembro entre os dias 9 e 11 de

setembro em Mar del Plata, na Argentina. A Rede é uma associação civil sem fins lucrativos focada principalmente na educação para o empreendedorismo e a inovação, a capacitação de empreendedores, o desenvolvimento de novos negócios, a difusão da cultura empreendedora e da inovação e ainda das pesquisas cooperativas e comparadas nessas temáticas. O Workshop foi concebido como a oportunidade de apresentar, discutir

e refletir acerca de experiências

concretas, seu desenvolvimento e

os seus resultados alcançados em

questões relacionadas à inovação e ao empreendedorismo nos países da América Latina e Caribe, no campo da educação e da formação

de empreendedores, da atuação pública e privada para o apoio e o fomento ao empreendedorismo e a inovação e ainda, à pesquisa referida a essas temáticas.

Fonte:

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O PRÊMIO NACIONAL DE EMPREENDEDORISMO INOVADOR

Estão abertas, até o próximo dia 10 de agosto, as inscrições para o

Prêmio Nacional

Empreendedorismo Inovador. A premiação chega à 19 a edição neste ano e tem por objetivo reconhecer e prestigiar projetos, incubadoras de empresas, parques tecnológicos e empresas graduadas e incubadas, que, por meio de suas ações, serviços e produtos, fortalecem o

de

movimento do empreendedorismo inovador no país. O Prêmio é uma realização da Anprotec, em parceria com o Sebrae. Serão premiadas instituições e empresas em seis categorias:

Melhor incubadora de empresas orientada parapremiadas instituições e empresas em seis categorias: a geração e uso intenso de tecnologias (PIT)

a

geração e uso intenso

de

tecnologias (PIT)

Melhor incubadora de empresas orientada paraa geração e uso intenso de tecnologias (PIT) o desenvolvimento local e setorial (DLS) Melhor parque

o desenvolvimento local e setorial (DLS)

Melhor parque científico e tecnológico (PCT) orientada para o desenvolvimento local e setorial (DLS) de do Melhor projeto da promoção empreendedorismo cultura
Melhor parque científico e tecnológico (PCT)

de

do

Melhor

projeto

da

promoção

empreendedorismo

cultura

inovador (CEI) Melhor empresa incubada (EI)de do Melhor projeto da promoção empreendedorismo cultura Melhor empresa graduada (EG) em: Leia

Melhor empresa graduada (EG)cultura inovador (CEI) Melhor empresa incubada (EI) em: Leia http://anprotec.org.br/site/2015/06/a

em:

Leia

mais

bertas-as-inscricoes-para-o-premio- nacional-2/ mais Indústria pode terceirizar inovação ou buscar ideias em

Indústria pode terceirizar inovação ou buscar ideias em startup criada dentro da organização

Ambas as práticas são consideradas inovadoras e estão sendo adotadas pelas empresas brasileiras, apontam especialistas

A partir dos anos 2000, empresas preocupadas em criar modelos de negócios inovadores

abandonaram antigos pontos de vista, focados na capacidade da empresa em comprar equipamentos mais eficientes, e passaram, então, a olharem para dentro de seus domínios em busca de soluções. "O que podemos fazer com o que temos para inovar e, por consequência, fazer mais, obter mais receita, com menos?", foi a pergunta que muitos empreendedores fizeram.

Foi a aposta correta. Os negócios tidos hoje como inovadores são aqueles que, em um passado recente, passaram a olhar com mais atenção para aquilo que já possuíam dentro da empresa e,

a partir desta prática, visualizaram uma fonte importante de novas ideias. Surgiu então um pilar relevante dentro da inovação no setor: estimular a capacidade de sugerir ideias entre funcionários.

"As empresas que se tornaram inovadoras foram aquelas que passaram a propor intercâmbio de

ideias entre seus colaboradores, pessoas que estão mais próximas de certos gargalos da empresa que os responsáveis pela gestão, por exemplo", relata José Roberto Secorato Junior, diretor da Saint Paul Advisors, consultoria de fusões e aquisições para médios negócios. Segundo o especialista, as pequenas e médias empresas constituem os negócios que melhor respondem a esse estímulo e conseguem melhores resultados. Isso se dá em função do número reduzido de funcionários, o que, segundo Secorato, torna a comunicação entre setores mais rápida. "Os pequenos e médios negócios têm uma vantagem: por serem menores, a conversa com os funcionários é mais fácil, o que já é algo complexo dentro de grandes empresas. Por isso, as PMEs tendem a ser mais inovadoras porque a informação circula mais rapidamente", completa o executivo. Outro vetor que tem movimentado a inovação em negócios é uma tendência mais recente no Brasil, que consiste em terceirizar junto às startups algumas áreas da empresa como forma de reduzir custos e atrair especialização. Para Bruno Ghizone, especialista em inovação da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o mercado brasileiro descobriu que nos espaços acadêmicos e nas incubadoras de empresas de base tecnológica existem oportunidades de atrair métodos inovadores de gestão, por exemplo, para empresas que buscam um salto em inovação. "Esse modelo de terceirizar um departamento da empresa que carece mais de inovação a uma empresa formada por gente jovem e detentora de know - how mais atualizado tem despertado a indústria como um todo. É interessante aos pequenos porque uma startup que atua com desenvolvimento de projetos, para citar como exemplo, pode ser mais barata e eficiente do que dois ou mais engenheiros trabalhando internamente", explica Ghizone.

O especialista conta, no entanto, que esta tendência só não conseguiu se massificar ainda mais

entre as empresas porque adotá-la esbarra em uma problema de cultura organizacional neste

segmento da economia, tido como conservador pelos analistas de mercado.

"O maior entrave, sem dúvida, é o problema cultural que existe. As empresas precisam ter uma

proximidade maior, os empreendedores precisam entender que juntos ficam mais fortes, para tornar essa tendência algo mais fácil de ser absorvido", finaliza.

Contudo, este conceito, conhecido internacionalmente como "corporate ventures", também pode

se configurar em uma estrutura pequena dentro da própria empresa. Por definição, estas células

de negócios trabalham com o desenvolvimento de novas ideias que são ou podem ser

absorvidas pela empresa onde estão inseridas. No momento em que esse departamento vai

crescendo, geralmente ele se torna uma nova empresa.

Ele virou presidente da Bombril aos 36 anos e dá 4 dicas para o sucesso

Em 2013, quando tinha 36 anos, Marcos Scaldelai assumiu a presidência da Bombril, uma das empresas mais tradicionais do país, dona do produto que é sinônimo de palha de aço. O executivo teve uma trajetória que pode ser vista como meteórica, mas ele afirma que nunca mirou chegar ao cargo mais alto de uma companhia. "Nunca quis ser presidente. O que eu queria era fazer diferente. Não queria ser mais um", conta Scaldelai. "Nunca pedi aumento de salário ou um cargo. As coisas acontecem naturalmente quando o trabalho é focado em resultados. Saio de casa pensando em entregar 200%", afirma.

O executivo lançou o livro "99,9% não é 100%" (Editora Gente), onde conta o que considera ser o

segredo para o sucesso rápido. Estudos foram pagos por empresário e maçonaria Nascido em Catanduva, a 385 km de São Paulo, Marcos Scaldelai é filho de professores. "Nunca passei fome, mas vivi dentro dos limites normais da classe média brasileira". Ele frequentou escola estadual até a 8ª série, quando foi para uma particular. Depois, estudou propaganda e marketing em uma faculdade paga de São Paulo. Os estudos foram bancados em parte pelo pai, mas só foram possíveis com ajuda de um empresário de sua cidade, que foi procurado por professores de Scaldelai, e da maçonaria. "Tinha um irmão e uma irmã que já estudavam em escolas particulares, e meus pais não tinham condições de pagar". Ainda na faculdade, começou como estagiário na Nielsen, empresa de pesquisa de mercado. Depois ficou quase dez anos na alimentícia General Mills, dona da marca de sorvetes Häagen- Dazs, onde chegou à gerência de Marketing, e foi convidado para ser diretor de Marketing da Bertin, dona das marcas Vigor, Danúbio e Leco. Executivo afastou Garoto Bombril

Em 2010, um acionista da Bombril viu uma reportagem a seu respeito em uma revista. A empresa precisava de um diretor de Marketing e Scaldelai foi o escolhido. "Quando entrei, fui conversar com consumidores, em grupos de pesquisa. A Bombril estava distante da mulher jovem. Percebi que a empresa precisava de um grande rejuvenescimento", afirma. Ele foi responsável por uma mudança radical: o afastamento do garoto-propaganda, interpretado pelo ator Carlos Moreno por mais de 30 anos. No lugar, colocou as humoristas Marisa Orth, Dani Calabresa e Mônica Iozzi no lugar. Mais tarde, a marca ainda fecharia um acordo milionário com a cantora Ivete Sangalo. Depois de passar pela área de vendas da Bombril, recebeu o convite para assumir a presidência, em setembro de 2013, aos 36 anos, cargo que ocupa até hoje. As quatro competências para o sucesso Em uma trajetória meteórica, a sorte conta? "Estou na Bombril porque uma pessoa me viu em uma reportagem na revista. Isso é sorte? Pode ser. Mas acho que sorte é um primeiro passo".

O executivo diz que não pulou etapas para chegar tão longe, tão rápido. Começou como

estagiário e chegou à presidência, subindo cada degrau da hierarquia corporativa.

Para o sucesso rápido, ele diz, acelerou essas etapas. "O que aconteceu é que o espaço encurtou. O que me ajudou a acelerar foi sempre buscar mais, arriscar mais, e sempre trabalhar quatro competências".

1 - Ser um executivo empreendedor

Não importa o nível hierárquico, o funcionário deve se sentir e agir como se fosse o dono da empresa em que trabalha. "Muitos profissionais dizem que vestem a camisa da empresa. Vestem hoje, mas amanhã tiram".

2 - Ter senso de urgência

Se há algo a ser resolvido, tem de ser o mais rápido possível. "Tudo o que faço é para ontem. Não posso deixar para amanhã. É preciso acelerar resultados, dar agilidade para a companhia, sem perder tempo".

3

- Buscar excelência

O

profissional deve ter o foco no resultado. "Missão dada é missão cumprida. Devo estar sempre

orientado para resultados".

4 - Ter brilho nos olhos

Brilho nos olhos, para Scaldelai, é o carisma que um líder emana. "É preciso conseguir que as pessoas o vejam como um líder, um exemplo, e gerar empatia. Fazer com que se sintam motivadas e tenham vontade de ajudá-lo e fazê-lo crescer".

Fonte:

FRASES PARA INSPIRAR

"Um gênio se faz com

um por cento de

inspiração e noventa e

nove de esforço” -

Thomas Edison (1847-

1931), um dos maiores

da

humanidade. Sua maior

invenção foi da lâmpada

elétrica. Chegou a

inventores

registrar um

total de

1.033 patentes.

Fonte:

ESTANTE

http://www.e- biografias.net/thomas_edi son/ ESTANTE Autor: Jaime Teixeira Filho Editora: Senac Autor: José

Autor: Jaime Teixeira Filho Editora: Senac

son/ ESTANTE Autor: Jaime Teixeira Filho Editora: Senac Autor: José Carlos Barbieri, Jorge Emanuel Reis Cajazeira

Autor: José Carlos Barbieri, Jorge Emanuel Reis Cajazeira

e Antonio Carlos Teixeira Álvares Editora: ARTMED

Especialistas definem prioridades para Plano Diretor de CT&I de São Paulo

Em palestra na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP), no dia 19 de maio, Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, apresentou os primeiros resultados do diagnóstico do sistema paulista de Ciência, Tecnologia e Inovação. Essas informações subsidiarão o Plano Diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo (PDCTI). Proposto pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI) e desenvolvido com o apoio da FAPESP, o plano fornecerá diretrizes para políticas para o setor ao longo das próximas duas décadas, possibilitando a intensificação e a expansão da pesquisa científica, do desenvolvimento tecnológico e da inovação de maneira estratégica para o estado. De acordo com Brito Cruz, os objetivos do PDCTI são consolidar São Paulo como referência em educação superior de excelência, aumentar o impacto científico da pesquisa acadêmica realizada no estado e ampliar seu impacto econômico e social com base na expertise local. “São Paulo é o principal centro inovador do país, formado por uma grande rede institucional de ciência, tecnologia e inovação amparada por um forte conjunto de programas de fomento. Mas para tornar esse sistema ainda mais efetivo é preciso conhecer seus potenciais e elaborar estratégias que contribuam para seu desenvolvimento de forma plena, e é nisso que trabalham agora as equipes dedicadas à formulação do PDCTI”, disse. Na ocasião, Brito Cruz apresentou avaliações da atividade científica em São Paulo realizadas por grupos de trabalho coordenados pela FAPESP. “Os grupos buscam conhecer em profundidade as ações públicas e privadas relacionadas à pesquisa, identificando eventuais obstáculos ao seu desenvolvimento. Trata-se de um esforço para sinalizar para esse conjunto de organizações e pessoas quais os desafios e as prioridades para o estado, considerando o investimento feito pelo contribuinte e a necessidade de revertê-lo em benefícios para a sociedade como um todo.” Em 2013, de acordo com os dados levantados pelos grupos, foram investidos R$ 25 bilhões em atividades de pesquisa e desenvolvimento no Estado de São Paulo.

Ainda de acordo com os dados apresentados, São Paulo conta hoje com mais de 57 mil pesquisadores em atividade, sendo 25 mil em instituições de ensino superior, 3 mil nos institutos de pesquisa e 29 mil em empresas.

O sistema de ciência e tecnologia do estado é composto por três universidades estaduais, quatro

instituições de ensino superior federais, pelo menos 19 institutos estaduais de pesquisa e três

federais, além de institutos de pesquisa particulares e entidades privadas de ensino superior. Grupos de trabalho Os grupos de trabalho, formados por especialistas, membros da comunidade acadêmica, dos institutos de pesquisa e do setor privado, foram divididos em seis áreas de interesse. Os relatórios gerados pelos grupos serão utilizados pela coordenação do projeto na elaboração do documento final, com recomendações preliminares para o desenvolvimento do PDCTI, que será encaminhado ao Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Concite).

O grupo dedicado aos sistemas de ciência e tecnologia (C&T) é coordenado por Hélio Nogueira

da Cruz, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP; a formação de recursos humanos em C&T é o tema do grupo coordenado por Elizabeth Balbachevsky, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP; o grupo com foco em pesquisa e desenvolvimento (P&D) nas empresas tem coordenação de Gerson Valença Pinto, da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei).

A atividade dos institutos de pesquisa estaduais, federais e privados é discutida no grupo

coordenado por Cylon Gonçalves da Silva, membro da coordenação adjunta de Programas Especiais da FAPESP; a pesquisa acadêmica é tratada pelo grupo coordenado por Marcelo Knobel, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); e o grupo dedicado a setores focais é coordenado por Renato Corona, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), e Carlos Pacheco, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM).

Prioridades

É tarefa dos grupos identificar prioridades em cada área tratada. Nos setores industriais, por

exemplo, foram identificadas oportunidades importantes, a médio prazo, na produção de etanol de

segunda geração e em setores como aeronáutica, automotivo, fármacos e vacinas e equipamentos médicos e hospitalares. Também foram apontadas três áreas com grande potencial de desenvolvimento em São Paulo: energia eólica, energia solar, aeroespacial e defesa.

Os grupos discutem ainda desenvolvimentos em biocombustíveis, petróleo e gás; meio ambiente, em especial mudança climática global, biodiversidade e oceanografia; tecnologia de informação e comunicações, com foco em equipamentos e serviços de telecomunicação; indústria aeroespacial; agronegócio, em especial citricultura e risco sanitário; nanotecnologia; saúde, com desdobramentos em equipamentos médicos e hospitalares, pesquisa clínica, neurociências, fármacos e vacinas e câncer; setor automotivo; tecnologia industrial básica; metrópoles e violência; e educação. “Todo esse trabalho tem o objetivo de identificar os setores que, do ponto de vista do desenvolvimento do Estado de São Paulo, deveriam chamar mais atenção, especialmente quando se tem quantidade limitada de recursos e é preciso escolher prioridades”, explicou Brito Cruz. Dessa forma, quando finalizado, o PDCTI apresentará propostas de ações em diversas frentes, instituindo uma política abrangente de expansão e intensificação da pesquisa científica, do desenvolvimento tecnológico e do processo de inovação no estado nos próximos 20 anos.

A primeira versão do documento deverá ser finalizada até setembro.

Ideia do pendrive surgiu após falta de cópia de apresentação, diz inventor

"Nunca mais irei a um lugar onde não tenha uma cópia de minha apresentação em meu bolso." Foi esse o mote que inspirou o engenheiro eletricista israelense Dov Moran, 60, a criar um dos itens mais populares do mundo da tecnologia: a memória USB Flash Drive, mais conhecida como pendrive.

O inventor do pendrive conversou com o UOL durante uma passagem relâmpago por São Paulo.

Ele veio ao Brasil para o HighTech Nation, um evento que reuniu especialistas em tecnologia para discutir inovação e empreendedorismo.

De acordo com o israelense, a ideia da criação do pendrive veio de um baita problema que teve durante uma apresentação. Ele, como conta, estava em uma conferência nos Estados Unidos. Durante sua vez de falar sobre a M-Systems, sua empresa na época, o computador parou de funcionar. "Como minha empresa era listada na Bolsa de Valores, não podia falar besteira. Se eu dissesse algo errado, poderia ser processado. Estava desesperado", afirmou. Um amigo até sugeriu emprestar o computador, porém ele não tinha uma cópia da apresentação.

No fim, lembra, o computador voltou a funcionar normalmente e a conferência foi apresentada. "Depois que acabei, foi o exato momento em que tive a ideia de nunca mais ir a um lugar sem ter uma cópia portátil. Aliás, aqui está a minha que fiz hoje", disse ao tirar um pendrive do bolso do paletó. "Naquele momento, vi que tínhamos de investir em uma tecnologia que fizesse uma memória flash portátil agir como um disco rígido", disse o inventor do pendrive.

A patente da memória USB Flash Drive foi registrada em 1998. Porém o primeiro produto só

surgiu em 2000.

"Na época riram da ideia. Alguns falavam que tudo estaria nos e-mails e que não precisavam do pendrive. Outros ainda diziam que o 1,44 Mbyte de um disquete era o suficiente para guardar arquivos", recorda.

O fato é que o produto foi um sucesso e Dov Moran vendeu sua companhia para a SanDisk,

empresa norte-americana de soluções em armazenamento, em 2006. O valor da operação foi US$ 1,6 bilhão.

Fonte: