ão

Ediç
Esta usa o
não acordo
o”
“nov gráfico
orto

2 EDITORIAL

A Papiris está bem viva, ainda é muito jovem
e tem tido pouca disponibilidade para
aparecer, mas está a crescer. Não se nota
nesta edição, pois tiveram de ser cortados
alguns elementos da agenda, ironicamente,
por falta de mais elementos para preencher
devidamente estas páginas, de relações
interpessoais no nosso estaminé. Um novo
jantar está eminente antes do natal, conto
com a inspiração desta revista, para que
surja a próxima rapidamente, com o apoio
dos tagarelas, com textos de sua autoria.
Esta Papiris mostra-nos imagens desde a
primavera até ao outono, não esquecendo
o verão fantástico, em que suámos e
lutámos, mas fomos recompensados
devidamente. Não esquecendo a nova
tagarela Mara de Sousa Pucarinho, uma
pequerrucha tão fofinha que ilumina o call
center de cada vez que nos visita.
Quando o nosso Hipervisor, Tiago
Pucarinho, se ausentou por mais de um
mês, para assumir as funções de pai em
casa, estávamos em julho, e o calor do

verão pede Férias. Fui selecionado para
apoiar a supervisão enquanto esteve fora,
foi uma das experiencias mais gratificantes
da minha vida!
Tinha como missão apoiar a sala com toda
a informação processual e comercial, com
especial atenção para os recém chegados
tagarelas, que tiveram a formação de 15
dias e foram atirados ao “sharktank” sem
o devido apoio parental, com o Tiago no
“nightshisft” em casa. Eu também estive
15 dias a dar apoio, a essa malta e aos
tagarelas em geral, ajudei no que pude,
transmiti conhecimentos que considero
dignos, daquilo que é esperado que
façamos neste ofício. Consegui realizar um
megaday antes de voltar às minhas funções
normais, o “dia do dado”, que se perlongou
depois de ter ido de férias, os prémios
ainda vão aparecer, para os 3 primeiros.
Gostaria de agradecer à NOS e Randstad
pela oportunidade dessa experiência, à
Megaboss Dora, pelo voto de confiança,
fiquei satisfeito e tive um “feedback”
positivo. Realizei um inquérito espontâneo
sobre o meu apoio, aos meus colegas,
quando voltei de férias. Fiquei emocionado
com as palavras de reconhecimento e de
estima, tenho noção que criei laços de
amizade ao longo dos anos, não tinha a
noção de que os meus amigos me apontam
qualidades e profissionalismo. Obrigado a
todos e por tudo!
Ivo Almeida

CALINADAS 3
Do lado de lá: “Eu tenho a voz grossa mas de grossa
não tenho nada”
Do lado de cá: “Podemos encaixar os 3 no seu
pacote”

Do lado de lá: “…o vosso roiter trabalha muito mal
e a vossa boixer é muito lenta… A vossa sorte é
que eu não gosto de mudanças radicais, sou muito
observadora…”
Do lado de cá: “…isso é clicar em cima dele…”

Do lado de cá: “Numa escala de zero a dez, onde
zero é nada satisfeito e dez totalmente satisfeito,
qual o seu grau de satisfação para com os nossos
serviços?”
Do lado de lá “5”
Do lado de cá “Obrigado. Nos últimos 3 meses
ponderou mudar de operadora?”
Do lado de lá “8”
Do lado de Lá: “É tudo NOS, tv, net, telefone,
telemóveis... Até o meu marido é NOS já viu?”
Do lado de cá: “É possível falar com a Senhora Maria
Pinheiro?”
Do lado de lá: “Quem? Não conheço nenhuma Maria
Pinheiro!”
Do lado de cá: “A Senhora Maria Olívia Jesus
Pinheiro? Não conhece?”
Do lado de lá: “Ah sim sim, diga. Sou eu.”

Do lado de cá: “…eles ainda lá estão, só que ficam
como se lá estivessem…”
Do lado de lá: “…eu no ano passado activei o Air
Sport no telemóvel… Eu agora queria activar outra
vez…”
Do lado de lá: “…oh amigo, olhe que eu chego ao
quarto e só apanho um pau…”
Do lado de lá: “…a minha box diz que perdeu a
colectividade…”
Do lado de cá: “…Senhora Dona Tânia Abano?”
Do lado de lá: “Tatiana Albano…”
Do lado de lá: “…estou tão satisfeito, que se fosse
um cão, estava a abanar o rabo…”

Do lado de lá: “É que deixei cair o telemóvel e agora
está todo enrolado em cola fita, está a ver menina?”

Do lado de cá: “…é só facultar um dado pessoal ou
um número de cliente à sua escolha…”

Do lado de cá: “Quer continuar a receber a fatura
eletronicamente, por email?”

Do lado de lá: “…eu tinha mais de 120€ no telemóvel,
então andei a desgastar do número…”

Do lado de lá: “E quando não estiver ponho-me e
prontos...”

Do lado de lá: “…oh menina, eu tenho o telefone
cheio de bezoiros…”

Do lado de lá: “A fatura elétrica... Nunca lá fui...”

Do lado de lá: “…a minha internet, dantes, apanhava
fibra, agora, a andar a pé, a gente anda mais rápido
do que a internet. Para abrir uma página, dava pra ir
a Fátima a pé, e vir!...”

Do lado de lá: “... sabe menina, tenho de reduzir
custos... É que a minha vida deu uma volta de 380º...”
Do lado de lá: “Recebi proposta da Cabovisão com
telemóveis.”
Do lado de cá: “Da Cabovisão? Não tenho
conhecimento de essa operadora ter serviços com
telemóveis.”
Do lado de lá: “Tem sim, é da MEO!”
Do lado de lá “Eu tinha a luz do telefone sempre a
piscar e não funcionava. Eu pensava que era um
problema dos aviões.”
Do lado de lá: “Desculpe lá mas da vossa parte estas
coisas parecem só Jajão!”
Do lado de cá: “Eu ouvi-o com algumas folhas, pode
repetir por favor?”

Do lado de lá: “… Do lado de lá: “…eu não quero o
canal NIOLANDA…”
Do lado de lá: “…eu estou na internet e aquilo depois
diz que a página expediu…”
Do lado de lá: “…eu queria reanimar o contracto…
que já cá estiveram os da Mês… ou da Mezzo…”
Do lado de lá: “…na Vodafone dão-me 5 televisões,
com 200 megas cada uma…”
Do lado de cá: “…pode acumular até ao máximo da
metade…”
Do lado de cá: “…vale o dinheiro em notas…”

4 MEGADAYS
Escusado será dizer, que esta, é uma equipa Auto motivada por natureza. Os momentos
MEGA, são o reforço essencial para manter a força anímica no auge. Ficam as imagens,
de alguns desses MEGAMOMENTOS, ao longo deste ano! [I.A.A.]

5

6 CAPA

MANJARES À LÁ TAGARELAS
Já ninguém se lembrava de quando é que tinha sido o último jantar, tanto
tempo se passou. Este veio mesmo a calhar, com várias gerações de caloiros a
celebrar o seu rito de passagem. Mas jantares tagarelas são um mito urbano,
pouco é revelado a quem não presenciou os factos...
10h30 da noite. Hora do costume para
jantares tagarelas, já que os últimos
pelotões, saem das trincheiras às 10
da noite. Oportunamente, o salão que
albergou estes importantes comensais,
situava-se a menos de 50 metros do call
center. Ceámos mais de 30, com entradas
e dois pratos à escolha, perdeu quem não
escolheu a carne de porco à alentejana,
pois, aparentemente, os bifinhos com
cogumelos foram encomendados na rua
dos Sapateiros... Os tradicionais shots a
pedido foram cantados sem excepção,

com uma ênfase especial por parte da
Megaboss Dora Jorge, que fez questão de
que toda a gente devia tomar o remédio.
Foram feitos vários brindes conjuntos com
votos de sucesso para todos e boas vindas
aos caloiros. O ukulele do João Ruivo foi um
puxador de talentosos, o Eliseu cantou de
Funaná até Bob Marley, a Jacinta ia tocando
pela cabeça dele a baixo. Depois da ceia
fantástica, houve quem escapasse. Os
restantes embrenharam-se nas entranhas
da cidade, com a missão de perpetuar
estes momentos familiares! [I.A.A.]

7

8 EVENTO

COIMBRA E NOS ALIVE
Caros leitores,
No mês de junho o árduo e dedicado
trabalho efetuado com os headsets, levoume ao NOS ALIVE dia 11 de Julho de 2015.
Com a missão de me divertir por toda uma
equipa Nos Coimbra, mochila às costas
com espirito festivaleiro arranquei para o
passeio marítimo de Algés.
Cartaz interessante com nomes como:
Chet Faker no palco principal, concerto
memorável há muito que não gostava tanto
de um concerto, artista muito presente em
palco e com sentimento de agradecimento
para com quem estava a admirar, sem
dúvida o espetáculo com maior número
presente.
Sam Smith musica para as meninas

voarem e delirarem com o que de melhor
comercial se faz no mundo dos anos 2015.
O último concerto com Disclosure LIVE
deixa muito a desejar, esperava melhor,
qualificando será música eletrónica de
“carrinhos de choques moderno”. O
concerto que, sendo sincero, mais prestei
atenção nos palcos secundários foi The
Jesus & Mary Chain, levamos um pouco
ao rock dos loucos anos 70/80.
O espaço não desiludiu, 6 palcos, muito
divertimento extra concertos com pavilhões
interativos sempre com novidades.
Experimentei alguns, como não podia
deixar de ser o pavilhão que estava
intitulado, “ajuda às crianças e jovens
desprotegidos”, tinha duas bicicletas, que

9
fazendo equipas fazíamos quatrocentos
metros em sprint, a nossa ajuda para que o
mais rapidamente possível saiamos deste
estado das coisas em Portugal.
Outros só tive como espectador sendo
o da Control o que mais graça tinha, um
par de namorados, um speaker sempre a
palrar, e um contador de … acho que já
entenderam, hilariante ;).
Caros, depois sabem como é o regresso?
Esperar um pouco pelo comboio sem lugar
para descansar as pernas, já que aquelas
horas muita gente pensa e sente o mesmo
que nós.
Mas assim cheguei com mais um dever
de divertimento cumprido por mim e por
todos vocês equipa, que se assim não
fosse, não teria desfrutado de mais um
bom dia de divertimento.
Obrigado,
João Baptista.

10 FORA DE ÂMBITO

MORTE, LIBERDADE E AMOR,
UM ESBOÇO SOBRE A FINITUDE
A essência do homem é a de estar agrilhoado a uma liberdade que
não é sua. O martírio da sua existência está destinado no selo embrionário
de ser simultaneamente livre e mortal. Deram-te um doce amargo que não
podes usufruir, a liberdade não é tua pobre homem mas também não é toda
não tua pois foste livre para a morte que se sepulta na terra, foste livre para
não seres livre, no entanto, e sempre no entretanto desse tanto tão escasso e
ténue do teu respirar, bebeste desse néctar divino, dessa liberdade que rasteja
nos cantos lamacentos da tua carne, e de tanto escorregar em ti deixou o rastro da inconsolável esperança de beberes perenemente nessa dádiva divina.
E quando te destes a pensar nesse ávido desejo, soltaram-se as bacantes da
tua vontade de poder mas de novo olhaste para ti e reparas-te que morres a
cada desejo onde desejas viver…
Portanto, se queres ir mais longe ama a morte com a liberdade de
quem morre por amor, pois o amor, esse Outro, é a continuação da liberdade
projectada pela fragilidade do teu existir… o Outro te dará essa liberdade na
recordação que resguarda a tua finitude pois só quem está vivo pode estar
livre, livre da morte, livre de ser esquecido. A recordação é uma manifestação dessa tua liberdade que te fez homem mesmo quando o deixaste de ser.
Assim, a tua liberdade foi para ti, de seguida em ti mas para um Outro, e no fim só e somente para o Outro, agora estás presente ausente, já não
deliberas mas fazes deliberar, já não decides mas fazes decidir, já não amas…
mas fazes amar aquele que deixaste eternamente solitário… No entanto, jamais solitário enquanto a morte não morrer nessa saudosa reminiscência
que dá vida à morte e que da morte fez vida…

Ricardo Vieira

EVENTO 11

IPHONE COM LEITÃO
O colega Hugo Veloso prometeu, ainda
decorria uma competição de 3 meses
para ganhar um Iphone 6, que oferecia um
leitão assado à malta, se ganhasse o dito.
A promessa não foi de politico, o Hugo
está de parabéns duplamente, foi pena
que não tenha ido muita gente ao manjar.
Fica a fotogaleria, inédita, desse evento!

HALLOWEEN 2015

PRÉMIOS DE VERÃO

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful