Você está na página 1de 7

Textos

FORGS & CEPS


Federação Operária do Rio Grande do Sul Centro de Estudos e Pesquisa Social
Dados
Número 10

Uma nova greve achando-se naquele local, começou


Na Companhia Força e Luz a pregar as suais idéias, entre o
Motorneiros e Condutores referido grupo de motorneiros e
Os Sucessos de ontem condutores.
À proporção que a palestra
Ontem, pela manhã, como prosseguia, os ânimos exaltavam-
circulasse o boato de que a diretoria se, a ponto de surgir, entre alguns
da Força e Luz não efetuaria hoje, e motorneiros e condutores, a idéia,
sim a 8 do corrente, o pagamento de fazer cessar o trafego de
dos salários de seu pessoal, um bondes, o que foi tentado.
grupo de 17 motorneiros e A vista disso, o Major Virgilio do
condutores, em sua maioria Valle, comunicou o fato ao auxiliar
praticantes, dirigiu-se a estação do 1º Posto, Capitão Teophilo
central da companhia, no Campo da Chatagnier, que imediatamente
Redenção. tomou providencias, fazendo seguir
Ai reclamaram eles o pagamento para a frente do escritório da Força
dos salários correspondentes a e Luz um contingente de 8 guardas,
segunda quinzena do mês findo. sob o comando do Inspetor Ataliba
O Senhor Alberto Simoni, Militão.
encarregado da estação, fez-lhes Logo depois, também comparecia
ver que era infundado tal boato, pois ao local o Coronel João Leite,
o pagamento seria feito hoje. Delegado Judiciário do 1º distrito.
Alguns deles, porém, não se Os ânimos serenaram, então, e os
conformaram com a explicação do bondes, já começaram a trafegar
Senhor Simoni, e foram procurar o sem as vaias anteriormente dadas
Major Virgilio do Valle, diretor do nos respectivos motorneiros, alguns
tráfego, no escritório da Praça dos quais foram mesmo intimados a
Senador Florêncio. abandonar o serviço.
Esse, por sua vez, confirmou as Como acussassem o Senhor
declarações anteriormente feitas Anástacio Gago Filho de haver sido
pelo encarregado da estação o insuflador do movimento, o
central. Coronel João Leite fe-lo conduzir a
Os interessados, saindo dali, em Chefatura de Polícia, onde, no seu
atitude pacifica, foram postar-se no gabinete, o interrogou
ponto onde costumam estacionar, a demoradamente.
Praça Senador Florêncio, em frente No trajeto da Praça Senador
a Bohemia. Florêncio aquela repartição, esse
Por volta do meio-dia, o Senhor agitador socialista foi acompanhado
Anastácio Gago Filho, pintor e por numeroso grupo de populares e
conhecido propagandista socialista,

FORGS - CEPS Página 1 16/04/2010


pelos motorneiros e condutores que Ontem a tarde foi distribuído o
desejavam a greve. seguinte boletim:
Depois de admoestado, por aquela
autoridade, o Senhor Anastácio Ao Povo de Porto Alegre
Gago foi solto, recolhendo-se a sua
residência, até onde o Em vista da atitude que a
acompanharam vários motorneiros Companhia Força e Luz assumiu,
e condutores. não pagando os vencimentos dos
Alguns dos grevistas alegavam condutores e motorneiros
também que a Companhia pretendia quinzenalmente, conforme
reduzir-lhes os salários. compromisso tomado; a maioria
Um dos diretores da Força e Luz dos referidos condutores e
informou-nos, entretanto, não ser motorneiros deliberaram não
isso exato. Acrescentou ele que, voltarem ao serviço, enquanto
atualmente, há duas categorias de não forem pagos. Os mesmos,
motorneiros e condutores – os em atenção a seu exaustivo
antigos, que percebem 433 réis por trabalho, pedem aumento de
hora de trabalho, e os novos, que ordenado.
percebem 370 réis; que, porém, Por tratar-se de assunto de
segundo já está deliberado, essa grande interesse para a classe,
distinção vai cessar, e que, de 1º de são convidados os motorneiros e
julho em diante, ganharão 433 réis condutores, a comparecerem
por hora de trabalho todos os hoje, as 8 horas da noite, na sede
empregados – velhos e novos – da Federação Operária, a rua
que, durante uma quinzena, se Santo Antonio, 156.
conduzirem bem, zelando o material Para essa sessão, são
da empresa e cumprindo fielmente convidados todos os
os seus deveres. Companheiros operários desta
A tarde, o Doutor Conrado Penafiel, cidade. Os motorneiros e
Diretor-Presidente, e o Major Virgílio condutores da Companhia Força
do Valle, Diretor do Trafego da e Luz.
Força e Luz, estiveram na Chefatura
de Polícia, narrando os fatos ao À noite, na sede da Federação
Doutor Vasco Bandeira, que Operária, a Rua Santo Antonio nº
prometeu cercar a companhia de 156, efetuou-se a reunião
todas as garantias, em caso de convocada no boletim acima.
necessidade. Presidiu a sessão o Senhor Lucidio
Na ocasião em que um motorneiro Marinho Prestes, Presidente
era intimado, na Praça Senador daquela associação, servindo de
Florêncio, a deixar o seu veículo, o Secretário o Senhor Valdomiro
Major Virgílio do Valle, Padilha.
pessoalmente, impediu que tal Estes, depois de se referirem ao
intimação, fosse cumprida. movimento dos empregados da
A diretoria da Força e Luz ordenou, Força e Luz, hipotecaram-lhes apoio
que o respectivo pessoal, composto incondicional, em nome da classe
de mais de 350 empregados, operária.
compareça hoje, as 4 ½ horas da Também fez uso da palavra o ex-
madrugada, na estação central, presidente da Federação Operaria,
antes, portanto, da hora do Senhor Luiz Derivi, que concitou os
costume. motorneiros e condutores a não

FORGS - CEPS Página2


2 16/04/2010
transigir, enquanto não obtiverem Em conseqüência disso, o pessoal
vitória completa. efetivo não teve descanso, a fim de
Como exemplo, o orador citou o não ser interrompido o trafego.
procedimento dos pedreiros e
carpinteiros, os quais, por serem A polícia esteve vigilante, durante a
unidos, conseguiram a desejada noite, nas imediações do escritório
redução das horas de trabalho. da Força e Luz.
Depois de discutido o assunto que O Coronel João Leite, Delegado
fazia objeto da reunião, assinaram o Judiciário, auxiliado pelo Inspetor
livro de presença cento e sei Municipal Affonso Baptista de
empregados da Força e Luz. Almeida, permaneceu naquele local,
Estes deliberaram nomear os seus onde estacionaram fortes patrulhas
colegas Godofredo Salgado, de agentes do 1º Posto e de praças
Raulino Machado, Gomercindo da Brigada Militar.
Correia da Silva, Paulo Manchão e
Arnaldo Simas para em comissão, Os motorneiros e condutores que se
se entenderem com o Major Virgílio recusaram a trabalhar nomearam
do Vale. logo, pela manhã, seu delegado
junto às autoridades e a diretoria da
A proposta por eles formulada é a Força e Luz o condutor efetivo
seguinte: Gastão Araujo.

I – Pagamento imediato dos A Usina, a Estação Central e os


salários correspondentes a escritórios da Companhia foram,
segunda quinzena de maio findo; durante a noite, vigiados pela força
II – Equiparação do pessoal em pública.
uma só classe;
III – Elevação, para 500 réis, dos Muitos motorneiros e condutores
salários de 370 e de 433 réis por não se declararam solidários com a
hora de trabalho, tanto para os atitude assumida por seus colegas.
motorneiros, como para os
condutores. Ontem, a noite, esteve em nosso
Também ficou resolvido que uns e escritório o Diretor-Presidente da
outros não trabalharão enquanto Força e Luz, Doutor Conrado
não seja dada solução a essa Penafiel, que veio explicar-nos os
proposta. fatos, dizendo-nos, pouco ou mais
A sessão terminou em boa ordem, ou menos, o que relatamos em
achando-se as salas da Federação algumas das notas acima.
Operária repletas de Operários e de
empregados da Força e Luz. À hora em que encerramos esta
noticia (1 ½ da madrugada), reina
Hoje, às duas horas da tarde, calma, tendo sido recolhidos à
haverá, naquele local, nova reunião Estação Central, todos os bondes,
de motorneiros e condutores. na melhor ordem.

Ontem, às seis horas da tarde, A comissão nomeada no reunião de


faltaram ao serviço dez rendedores, ontem, procurou, ontem mesmo, as
motivo pelo qual houve grande 9 ½ horas da noite, o Major Virgílio
atraso nos bondes de todas as do Valle, no escritório da Força e
linhas. Luz.

FORGS - CEPS Página3


3 16/04/2010
O Diretor do trafego, recebeu-a Posta a votos a questão, ficou
cavalheirescamente, e depois de resolvido que os reclamantes não
ouvir as alegações dos reclamantes, voltem ao trabalho sem que,
declarou-lhes: primeiramente, a Diretoria da Força
e Luz resolva sobre o memorial que
Que, quanto ao pagamento de lhe será apresentado hoje, às 9
salários correspondentes a segunda horas da manhã.
quinzena de maio, já estavam
tomadas providências, no sentido Correio do Povo
de ser aquele ai efetuado hoje, às 8 Porto Alegre
horas da manhã na estação central, 03 de junho de 1911.
no Campo da Redenção.

Que, quanto ao aumento de


salários, não podia ele, por si,
resolver o assunto.
Que, porém, os aconselhava a
voltarem ao trabalho e a dirigirem
um memorial à diretoria, expondo a
sua pretensão.

Saindo da residência do Major


Virgílio do Valle, os reclamantes
voltaram a sede da Federação
Operária, onde os esperavam os
demais Colegas que haviam tomado
parte na reunião antes ali realizada,
como acima noticiamos.

Em nome da comissão, e a pedido


desta, fez uso da palavra o operário
pintor Waldomiro Padilha, que
expos aos reclamantes o resultado
da conferência com o Major Virgílio
do Valle.

O orador aconselhou aos grevistas


que procedessem com calma, e
disse-lhes achar razoável que
dirigissem a Diretoria da Força e
Luz o memorial aconselhado pelo
diretor de trafego.

Acrescentou que, quanto aos


reclamantes voltarem, ou não, ao
trabalho antes de solucionado o
pedido de aumento de salários, era
caso que só eles próprios deveriam
resolver.

FORGS - CEPS Página4


4 16/04/2010
A Greve Os motorneiros e condutores que
reclamavam aumento de salários
Motorneiros e Condutores não endereçaram, como haviam
deliberado fazer, um memorial a
Vários detalhes diretoria da Força e Luz, justificando
a sua pretensão.
Pode-se considerar extinta a A Federação Operária, que
projetada greve dos motorneiros e oferecera incondicional apoio aos
condutores da Força e Luz, pois a grevistas, foi quem dirigiu, ontem,
maioria do pessoal dessa aquela companhia, o seguinte oficio:
companhia não aderiu ao
movimento. Secretaria da Federação Operária,
É de cerca de 420 o número de tais em Porto Alegre, 2 de junho de
empregados, e, destes, apenas um 1911. – Ilustríssimos Senhores: -
reduzido grupo se conservou A Federação Operária,
solidário com a parede. considerando justo o pedido de
Ontem as 3 ½ horas da madrugada, aumento de ordenado que foi
o Major Virgílio do Valle, diretor do feito, pelos condutores e
tráfego, esteve na Estação Central, motorneiros, apela para os
no Campo da Redenção, vossos sentimentos de
providenciando no sentido de não humanidade, pedindo que digneis
ser o serviço de bondes atende-los.
interrompido. Consideramos coerente o pedido
Como medida preventiva, o pessoal dos nossos companheiros
foi convidado a comparecer ali as 4 proletários, porque julgamos que
½ da manhã; antes, portanto, da o atual ordenado, não paga
hora a que saem, diariamente, justamente o seu trabalho
daquela estação, os primeiros excessivo e penoso,
veículos. principalmente no inverno.
A diretoria havia deliberado, caso Esperamos, portanto, sermos
faltasse pessoal, que os condutores atendidos, em vista do que
substituiriam os motorneiros e os acabamos de expor, confiantes
fiscais preencheriam os lugares em vossos sentimentos
daqueles. altruísticos . – Sem mais, vos
Essa media, porém, não foi posta desejamos Saúde e Paz. – Lucidio
em prática, porque, à hora de Marinho Prestes, presidente.
saírem os primeiros bondes o Severiano Correia da Silva
pessoal, com raras exceções, secretario; Waldomiro Padilha,
estava à postos, verificando-se até delegado da Federação Operária,
um excesso de 203 empregados junto ao movimento. – Aos
sobre o número necessário para o Senhores Diretores da Força e
serviço comum. Luz.
Durante o dia, o tráfego correu
regularmente, não havendo Em resposta, a Diretoria dessa
incidente algum, apesar de haver empresa dirigiu, à tarde, este ofício
sido grande o movimento de a Federação Operária:
motorneiros e condutores, na Praça
Senador Florêncio e em outros
pontos.

FORGS - CEPS Página5


5 16/04/2010
Ilustríssimo Senhor Lucidio M. um serviço que interessa a toda a
Prestes, muito digno presidente da população. – Saúde e Fraternidade.
Federação Operária nesta Capital. – Conrado Penafiel. – João B.
Louvando o vosso procedimento, de Sampaio – Virgílio do Valle.
sempre associar-se as causas
justas, no que se refere aos vossos A noite, na sede da Federação
companheiros de classe, e de posse Operária, houve uma reunião, sob a
de vosso ofício de hoje, dirigido aos presidência de Lucidio Prestes,
administradores da Companhia secretariado pelo Senhor Severiano
Força e Luz Porto-Alegrense e em o Correia da Silva.
qual apelais para os nossos
sentimentos de humanidade e Este leu os ofícios que publicamos
pedis, ao mesmo tempo, de atender acima e historiou a greve dos
às reclamações de alguns motorneiros e condutores.
empregados desta empresa sobre
aumento de salários, passamos a O Senhor Lucidio Prestes, fazendo
vos responder, vos afirmando que o uso da palavra, concitou os
procedimento de ontem, desses empregados da Força e Luz a se
empregados, foi todo baseado em congregarem, a fim de unidos,
falsas informações. poder pugnar por seus direitos.
Nem a administração da Força e Ficou, então, resolvida a fundação
Luz pretendeu protelar o pagamento de uma sociedade de motorneiros e
da quinzena última, e nem tão condutores.
pouco cogitou da diminuição de
salários. Destes, apenas 9 estiveram
Disso tiveram eles ciência, quando presentes a reunião.
foram se entender com o diretor do
tráfego. O serviço de policiamento continuou
Deveis estar bem certo que um a ser feito, ontem, na Praça
pedido em termos, justificando a Senador Florêncio.
pretensão de empregados
cumpridores de seus deveres e Caso elevasse os salários de seus
ordeiros, será sempre bem recebido empregados em 500 réis por hora
por esta administração, guardando- de trabalho, como queriam os
se a devida harmonia de vistas, que reclamantes a Força e Luz teria um
deve existir entre superiores e aumento de despesa de 50 a 60
subalternos. contos de réis, por ano.
E foi este o intuito do chefe do
trafego, aconselhando os Correio do Povo
reclamantes que tomassem conta Porto Alegre
de seus carros, dirigindo, depois, 04 de junho de 1911.
um memorial a diretoria.
Agradecendo as palavras
atenciosas com que esta
corporação se dirigiu a Força e Luz,
contamos que, amigos da ordem,
como sois, incutis no espírito dos
aludidos empregados o
cumprimento do dever, mormente
em se tratando, como se trata, de

FORGS - CEPS Página6


6 16/04/2010
A Greve

O tráfego de bondes continua sendo


feito com regularidade.
Todo pessoal, exceto oito
motorneiros, tem comparecido,
diariamente, às horas de saírem os
carris da estação central, no Campo
da Redenção.
A diretoria efetuou, como
antecipáramos, o pagamento, a
todo o pessoal, dos vencimentos
correspondentes à segunda
quinzena de maio findo.
Sabemos que alguns motorneiros
vão solicitar demissão, por ter
fracassado a greve.

Correio do Povo
Porto Alegre
05 de junho de 1911.

FORGS - CEPS Página7


7 16/04/2010