ESTUDO DIGITALIZADO PELO SITE

WWW.SEMEANDOVIDA.ORG
Projeto exclusivo de resgate de revistas antigas de
Escola Bíblica Dominical.
Para mais estudos visite o nosso site.

.org .." Jesus deu prosseguimento à matéria tratada. Lucas 15. Mas será que não enfraquecemos a proposta do texto ao nos limitarmos a apenas um trecho do capítulo 15? Pensando em tudo isso. só ouvimos o ensino de uma..2).7. porém. essa reação tem a ver com crescimento (ou não) da igreja.semeandovida. É melhor aprender o que ele quis ensinar. O contexto das três parábolas O contexto das três parábolas se encontra em Lucas 15. Assim a parábola da dracma perdida é continuação do assunto anterior e ainda se relaciona com a atitude dos fariseus e escribas no início do capítulo. Queremos que o texto fale primeiro e depois faremos as aplicações necessárias. mas três parábolas. A parábola da ovelha perdida (Lc 15. Como começa? "Ou qual è a mulher que.11-31). Nada disso deixa de ser verdade. ou melhor. Para responder a isso. de meia parábola.Página |1 A RESPOSTA DIVINA AO RETORNO DE ARREPENDIDOS Texto da lição: Lucas 15 Introdução Você gostaria mesmo que todos os tipos de sua rua ou bairro começassem a frequentar a sua igreja? Não é verdade que a presença de alguns "pecadores" nos incomoda? Com certeza. II.25-32). Trata-se da parábola conhecida como do "Filho pródigo" (Lc 15.1-2.2). Ficamos também sabendo que com esses pecadores Jesus partilha da refeição (v.3-7) foi pronunciada porque os fariseus e escribas se queixavam de Jesus. em geral. 1).8.. Essa gente se chega ao Mestre para ouvir dele sua mensagem (v. mais ainda. Sublinha-se que o pecador é como o filho pródigo e que para ele há salvação.3: "Então. Tal atitude da parte de Jesus provoca ressentimentos nos fariseus e escribas (v. Poderíamos pensar que o texto teria seu encerramento em Lucas 15. queremos propor uma leitura mais integral do texto de nossa lição de hoje. mas vejamos o versículo seguinte. I. Jesus recebe gente de má fama considerada pecadora. isto ó. Vejamos como começa Lucas 15. Três parábolas Em Lucas 15 encontramos três parábolas. mas. Enfatizamos "meia parábola" justamente porque quase nenhum pregador fala do trecho final (Lc 15. Para mais estudos visite o site www. Essa reação por parte dos religiosos motiva Jesus a pronunciar a primeira parábola. lhes propôs Jesus esta parábola. Jesus não contou uma." Notemos que o termo "então" se refere aos dois versículos anteriores. Um outro dado é que essa parábola é muito utilizada para pregações evangelísticas. tem a ver com nosso autoconceito e com nosso conceito de graça e perdão divinos.

Sem a quarta roda o carro não anda.semeandovida. na hora de tua morte. Falta a quarta roda. A sabedoria popular judaica aconselhava a não repartir os bens antes da morte. Jesus.11-32 possui duas partes. O empenho da busca demonstra o valor que se dá ao que se perdeu. Jesus está dizendo que juntamente com Deus os anjos se alegram com a conversão de um pecador (v.10).. IV. " É isso aí.org . Mas mesmo assim o pai reparte os haveres. Pecado. Essas partes são interdependentes.32? E continuação da parábola do filho pródigo. Na verdade a parábola iniciada no versículo 11 segue até o versículo 32. III. Procura-se a ovelha perdida. restauração e alegria A terceira parábola que vem narrada em Lucas 15.11: "Continuou: Certo homem tinha dois filhos. ao enunciar essas parábolas. varrer a casa e vasculhar a casa com toda a diligência.11 e seguintes ainda se referem ao início do capítulo. Os rabinos repetiam: "No último dia dos dias de tua vida. É o objetivo final de todo o capítulo 15. procura-se a dracma perdida. Será que Jesus desejou que esquecêssemos do trecho final dessa parábola? Creio que não. Perder e achar As duas primeiras parábolas narram a experiência comum de se possuir algo (ovelhas. Os versículos 13 a 16 de nosso texto apresentam a progressiva degradação do filho caçula. A reivindicação desse filho não era vista com bons olhos pelos judeus. O texto de Lucas 15.. Qual a reação natural? A resposta é "procurar". cuida da fraturada e fortalece a enferma (Ez 34.13). o ensino de Jesus no capítulo 15 fica incompleto. portanto "alegrai-vos comigo". Deus é o pastor que está à procura da ovelha perdida. traz de volta a desgarrada.25. seja dracma.11). Sem esse trecho. Nas entrelinhas. Mas e Lucas 15. sai de casa. Vai para um lugar distante e lá começa a viver desregradamente (Lc 15. Jesus pinta com cores vivas as atitudes de um filho esbanjador. É como um carro com apenas três rodas. Quando a ovelha e a dracma são encontradas. a alegria no céu é muito maior por um pecador que se converte. Jesus utiliza imagens cotidianas que refletem a atitude normal diante de uma situação corriqueira. não podem ser separadas. Se em situações do dia a dia as pessoas se alegram por encontrar um pertence que se perdeu. mas prossegue em Lucas 15. O filho mais novo reclama para si a parte que lhe cabe da herança (Lc 15. reúne-se os amigos e vizinhos declarando que o que se havia perdido se encontrou. seja ovelha. a de perder um bem. uma dracma). A atitude de procurar pode levar alguém ao extremo de deixar noventa e nove ovelhas no deserto. estudaremos todo o capítulo 15 de Lucas. Para mais estudos visite o site www. pretende apresentar o caráter de Deus na busca do pecador. E esse trecho ao nosso ver é muito importante.Página |2 O tema tratado por Jesus não termina em Lucas 15. Portanto. 7.15-16a). Na primeira parte a narração focaliza a atitude do filho mais novo. distribui a tua herança".10. O empenho da busca leva a mulher a acender uma candeia. dracmas) e perder uma parte (uma ovelha. Ajuntando tudo o que era seu. Ele busca.

o anel no dedo e as sandálias nos pés representam que o moço não será tratado como escravo e nem como um empregado. Já fomos informados que a terra para qual ele foi era distante.2223). Toda a sua arrogância inicial. O pai abraça o jovem e o beija. podemos concluir que ele também.18). Comia-se carne somente em ocasiões especiais. Lembra-se que mesmo os empregados com menor contrato de trabalho têm muito mais que ele ali naquele lugar (Lc 15. O novilho na brasa é manifestação do caráter especial do evento.15). Essa atitude de correr não ficava bem às pessoas de idade. Reconhece que pecou. O moço chega ao último estágio de sua degradação.org . Mas mesmo ali não mata a sua fome. A melhor roupa no corpo. Dt 14. Além dessa informação explícita. A fome é tanta que tem vontade de comer a comida dos porcos. Vive em situação sub-humana. Inicialmente o pai o viu chegar ao longe. Após a declaração do filho seguem-se as ordens do pai. Lemos em Lucas 15. mas foi restaurado à posição de filho. Com a declaração do pai a festa tem início (Lc 15. uma grande fome passa a assolar o país (Lc 15. Geralmente uma coisa acompanha a outra.30). teve que forçar a situação para ser por ele ouvido. Conta somente com a misericórdia do pai em aceitá-lo como mais um empregado seu (Lc 15. retornando do campo. Outro dado que se refere a esse país é que seus habitantes não tinham nenhum escrúpulo em criar porcos.19).8). toda a sua insensibilidade para com o seu pai são consideradas pecado.28). Ele mesmo reconhece isso.17). Seu pecado. Para mais estudos visite o site www. antes de tudo.Página |3 Ficamos sabendo pela boca do filho mais velho que a vida dissoluta de seu irmão se caracterizava por desperdiçar todos os bens com meretrizes (Lc 15. A miséria total é tamanha que nem se comporta mais com dignidade. Sua decisão surge em sua mente como a última alternativa para sua vida. no mesmo círculo de amizades. Na segunda parte da parábola somos apresentados ao filho mais velho. Reconhece também que não tem nenhum direito. Mas superando as expectativas.20-21 que ele fez justamente o que ensaiou. Habita nos porões da humanidade. Para o infortúnio desse rapaz. Cheio de compaixão correu ao seu encontro. o pai se antecipou a ele. Inflamado e indignado recusa-se a participar da celebração (Lc 15.semeandovida. diante do júbilo do pai. Trata-se de costume pagão abominável aos judeus (Lv 11. Decide dar meia volta. Os versículos 17 a 19 narram sua tomada de decisão. O filho mais velho.14).16). deveria ter gasto o dinheiro com jogo e bebida.2526). obtém informações de que seu irmão voltou (Lc 15. é pecado contra Deus e depois contra seu pai (Lc 15. A fome chega quando ele não tem um níquel no bolso. Inferimos do texto que essa fase é vivida pelo moço em completa solidão. mas o pai não estava interessado nas convenções sociais.7-8. mas nem isso lhe davam (Lc 15. Lembra-se do ambiente da casa paterna. Não tem direito de ser chamado de filho. pois para suprir suas necessidades precisa se agregar a um criador de porcos (Lc 15. Dá a impressão de que o filho.

E hora de celebrar..semeandovida. tu mandaste matar para ele o novilho cevado" (Lc 15. solidão. Não se julga mais um filho. mas o pai. A mensagem do texto é bastante clara. Do outro lado da cena está o filho mais velho. porém.31). O amor de pai é igual para os dois.24).30). sacerdotes e anciãos). Toda a petulância inicial desapareceu. mais misericordioso. Os últimos serão os primeiros. Pois o vê ainda como filho.. O amor e a bondade de Deus se revelam numa forma que transtorna os esquemas e as expectativas humanas..tu sempre estás comigo. vindo.9-18). O filho arrependido aprendeu que sua rebeldia contra o pai trouxe somente miséria. Estes não se conformarão diante da magnitude do amor e misericórdia de Deus manifestados nos atos e palavras de Jesus.Página |4 Ao seu pai declara a seguinte queixa: ". tudo o que é meu é teu" (Lc 15.esse teu filho. O que adiantou ser o "certinho"? O filho pródigo tem mais privilégios do que o obediente? V. e acabarão sendo excluídos do reino de Deus. O amor para com o perdido é o amor para com o justo. O ensino da parábola do filho pródigo A figura central do texto não é o filho mais moço (pródigo) e nem o filho mais velho.2930). Ficamos sabendo que o ciúme não permitia que o filho mais velho participasse da alegria do pai.. Não vê o irmão mais novo como irmão (". A iniciativa de Deus é enfatizada. Devemos ainda notar que o evangelho vai apresentando uma progressão no relacionamento de Jesus com o grupo dos pecadores e com o dos religiosos de seu tempo (fariseus. O pai não age para com o filho pródigo como um carrasco. O filho é convidado a compartilhar da alegria do pai. escribas. servidão e falta de dignidade. esse teu filho. não se acha digno de ser tratado como filho. mas Deus restaura... Jesus também enfatiza o amor do pai para com o filho que retorna. a ser cheio da graça como o pai. Em nenhum momento reivindica a posição que tinha anteriormente na casa do pai. O homem.. Não é merecedor disso. Enciumado. que desperdiçou os teus bens com meretrizes. Aos que se julgam obedientes. Para esse filho o pai disse: ". Para mais estudos visite o site www. Não adianta acrescentar mais pena ao filho que já sofreu as consequências de sua atitude precipitada.nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos. " — Lc 15. Seu amor perdoa e restaura. não quer participar da festa. O distanciamento da casa do pai era disciplina suficiente. um filho perdido que foi achado (Lc 15. reconhecendo seu pecado.org . Mas faltava uma coisa a esse filho: um coração mais solidário. Com essas três parábolas Jesus quer ensinar que Deus está pronto para aceitar o pecador que está sinceramente arrependido. Percebe que não merece ser tratado como filho. Em nenhum momento é dito que o pai ama mais o filho caçula do que o outro filho.. Para eles a porta se fechará (Lc 20. Um filho morto que retornou à vida. Ao narrar a degradação do primeiro filho. o chamado de Lucas 15 é para que abandonem seu egoísmo santo e se unam a Deus na alegria da conversão dos pecadores.

org . Participaremos da alegria de Deus pela conversão de pecadores? Daremos a mão para aquele que. da degradação.semeandovida. Não devemos abrigar sentimentos reprováveis como: "esse tipo de gente vai enfear nossa igreja". Celebremos com Deus. Deve manifestar o mesmo sentimento que Deus manifesta para com o perdido. Se assim agimos pode acontecer que sejamos reprovados e não achemos lugar no reino de Deus por causa de nossa "justiça" e "dignidade". Porque Deus tem um grande coração. nós somos acolhidos. Aplicação • Converter-se a Cristo é reconhecer o estado de rebeldia e miséria espiritual em que estamos. Em tudo isso. E também sermos restaurados como filhos amados de Deus. é Deus que tem a iniciativa. é restaurado por Deus? Ou criaremos obstáculos para a sua permanência em nosso meio? Cada um responda por si. É um refrão que também apela para o leitor do texto. Ninguém tem o direito de recusar lugar na igreja para aqueles que vem de uma situação tão indigna. • A igreja é desde já a casa do Pai. Casa que abriga os perdidos e mortos espiritualmente e que agora são encontrados e ressuscitados em Cristo Jesus. AUTOR: REV. JOSÉ ROBERTO CORRÊA CARDOSO Para mais estudos visite o site www. • A atitude daquele que não vem de um estado tão crítico como o do filho pródigo deve ser de alegria e compaixão.Página |5 O texto se encerra com o refrão pronunciado pelo pai (Lc 15.32).