Você está na página 1de 5

ESTO001-13 - Circuitos Elétricos e Fotônica

Experimento 3 – 2015.3

Experimento 3: Diodos emissores de luz e a constante de Planck

1- Objetivos Parte 1) Estimar a constante de Planck utilizando um conjunto de LED’s de diferentes cores. Parte 2) Obter a curva corrente vs tensão (IxV) de um dos LED’s fornecidos e estimar grandezas físicas relacionadas à equação do modelo correspondente.

2-

Material

1 Fonte de tensão DC com uma saída ajustável de 0 a 30 V Minipa MPL-3303M (ou equivalente)

1 Miliamperímetro Multímetro de bancada (Politerm POL-79 ou MDM-8045A)

1 Voltímetro com Pontas de Prova

 

Multímetro portátil (Minipa ET-2510 ou ET-2075B)

1 Placa de circuito impresso contendo resistores e 3 LED’s conectados em série

 

, ¼ W) e 3 LED’s (1 vermelho, 1 amarelo e 1 verde)

 

2 Resistores (2,7 k

LED’s (UFABC): Lote 9, Itens 25, 26 e 27.

Cabos de conexão Cabo 1: Vermelho, com terminais banana-jacaré

Cabo 2: Preto, com terminais banana-jacaré

Cabo 3: Preto, com terminais banana-banana

Cabo 4: Vermelho, com terminais banana-jacaré

Cabo 5: Preto, com terminais banana-jacaré

3- Montagem e verificação do circuito

a) Com a fonte de tensão desligada, monte o circuito ilustrado na figura abaixo utilizando os cabos fornecidos.

Atenção: Verifique a polaridade da fonte de tensão de modo a polarizar corretamente os LED’s. Tensões reversas de apenas alguns volts podem queimar estes componentes. OBS.: Os resistores estão soldados junto ao anodo (+) de um dos LED’s.

Cabo 1 2k7 2k7 - + V + Cabo 3 Cabo 2 A - +
Cabo 1
2k7 2k7
-
+
V
+
Cabo 3
Cabo 2
A
-
+

anodo
anodo

catodo

1 2k7 2k7 - + V + Cabo 3 Cabo 2 A - + anodo catodo

Na figura, = Fonte de tensão variável 0 30 V (MPL-3303M), A = Miliamperímetro (Multímetro de bancada) e V = Voltímetro (Multímetro portátil). Utilize a entrada “mA” do amperímetro .

b) Inicialmente, ajuste a escala do amperímetro para 20 mA DC.

ESTO001-13 - Circuitos Elétricos e Fotônica

Experimento 3 – 2015.3

c) Ligue a fonte de tensão e gire (cerca de 1 volta completa) o potenciômetro limitador de corrente da saída. OBS.: Isso garante um limite adequado de corrente através do circuito.

d) Aumente a tensão de saída da fonte até que a corrente indicada no amperímetro alcance aproximadamente 10 a 15 mA. Nessa condição, todos os LED’s devem estar acesos. Anote os valores de tensão e corrente.

4- EXPERIMENTO: PARTE 1 Informações úteis

o

A frequência f da luz emitida por um LED depende do bandgap E G do material semicondutor. A energia do fóton hf E G , com a constante de Planck h = 4.135 10 15 eVs (= 6.626 10 34 Js).

o

A energia do bandgap pode ser escrita como E G = qV L + W, sendo q a carga elementar (q = 1,6 10 19 C), V L a tensão no LED e W um termo de energia que depende da corrente I que flui pelo LED. Para os LED’s selecionados nesse experimento, podemos assumir que o valor de W é aproximadamente igual para os três LED’s quando eles são percorridos pela mesma corrente I, com a condição de que a corrente seja suficientemente baixa (I < 10 A).

o

Os comprimentos de onda de pico de cada um dos LED’s são = 644 nm (vermelho), = 585 nm (amarelo), = 568 nm (verde). (Ver espectros no Anexo do roteiro).

Procedimento experimental

 
 

a) Ajuste a tensão da fonte até obter uma corrente no amperímetro de I 1 A. Note que os LED’s estarão “apagados” nessa condição.

b) Meça a tensão

V

L

nos terminais de cada um dos LED’s. Preencha a linha correspondente na Tabela.

c) Varie agora a tensão da fonte até obter uma corrente de I

10 A no amperímetro. Refaça as

 

medidas de tensão nos terminais do LED´s e anote os valores na Tabela.

 
   

LED 1

LED2

LED3

 

Cor

       
 

(I

1 A)

V L (V)

     
 

(I

10 A)

V L (V)

     

Análise dos resultados

 
 

a) Construa um gráfico de

V

L

(1/ ), representando no mesmo gráfico os dados para os dois valores

 

de corrente (1 e 10 A). Utilize pontos para ilustrar os dados experimentais (não ligue os pontos com linhas).

 

b) Para cada conjunto de dados, estime a constante de Planck a partir de um ajuste de curva linear do tipo y = ax+b. No gráfico, represente as curvas de ajuste com linhas sólidas.

c) Compare os valores obtidos com o valor conhecido de h. Mostre todo o procedimento de cálculo, faça uma estimativa da incerteza de sua medida e discuta seus resultados.

EXPERIMENTO: PARTE 2 Informações úteis

5-

 

o

A equação do modelo que relaciona a corrente e a tensão em um diodo é dada pela expressão:

ESTO001-13 - Circuitos Elétricos e Fotônica

Experimento 3 – 2015.3

I

=

I

S

exp

V

L

V

T

1

, onde

I

S

é a corrente de saturação reversa,

é o fator de idealidade (depende

da fabricação do LED) e

Para T = 300 K,

OBS.: Observe que para tensões

V

T

=

(

k T

B

V

L

K, OBS.: Observe que para tensões V T = ( k T B V L V

V

T

=

26 mV.

I

=

I

S

exp

V L

V L

T

V

.

e

)

é a tensão equivalente da temperatura.

> 0,1 V, a equação acima pode ser aproximada por

a) Escolha um dos LED’s e conecte o voltímetro nos seus terminais. OBS.: Você pode utilizar dois cabos do tipo banana-jacaré (Cabos 4 e 5 da lista de materiais) para não ter que ficar segurando as pontas de prova nos terminais do LED.

no LED em função da corrente I , fazendo-a variar na região entre 10 A < I < 1

b) Meça a tensão

mA (varie a tensão da fonte e monitore o valor da corrente pelo amperímetro). Preencha a Tabela com pelo menos 10 pontos.

V

L

expressa na equação do diodo considera apenas a tensão na região da junção. Para

valores maiores de corrente (I>1mA), a resistência ôhmica do semicondutor passa a ser relevante, de modo que a tensão medida nos terminais do LED afasta-se da tensão na junção, e o modelo exponencial já não é tão bom.

OBS.: A tensão

V

L

LED ESCOLHIDO: I (mA) V (V) I (mA) V (V) I (mA) V (V) L
LED ESCOLHIDO:
I (mA)
V
(V)
I (mA)
V
(V)
I (mA)
V
(V)
L
L
L

Análise dos resultados

a) Construa um gráfico de

. Utilize a equação teórica para traçar a curva que melhor se ajusta

aos dados experimentais e estime

representar os dados experimentais (não ligue os pontos com linhas) e represente a curva de ajuste com uma linha sólida.

e para o LED em questão. OBS.: Utilize pontos para

I V

L

I

S

b) Faça uma análise dos seus resultados e os comentários que julgar pertinentes.

6- Questões Complementares

a) Que tipo de tensão (direta ou reversa) deve ser aplicada a um LED para que ele opere como uma fonte luminosa? Explique.

b) Apresente alguns tipos de LEDs e suas aplicações.

c) Compare a produção de luz em uma lâmpada incandescente e em um LED, discutindo aspectos como: princípio de funcionamento, eficiência, características da radiação emitida, etc. A partir desta experiência, você consegue explicar porque os LEDs são mais econômicos que as lâmpadas?

ESTO001-13 - Circuitos Elétricos e Fotônica

Experimento 3 – 2015.3

d) Compare os valores das tensões medidas nos terminais dos três LEDs. Qual é a relação entre a tensão e a frequência da radiação emitida pelo LED ? Explique a relação entre a cor do LED e a tensão em que o LED começa a conduzir corrente.

e) Liste quais foram as hipóteses assumidas neste experimento.

f) Pesquise quem foi o primeiro cientista a determinar experimentalmente o valor da constante de Planck e descreva brevemente qual foi o método utilizado, indicando a data do experimento.

ANEXO- Espectros dos LEDs

1.0 ABC 568nm ABC 585nm 0.9 ABC 644nm 0.8 Corre nte i = 10 mA
1.0
ABC 568nm
ABC 585nm
0.9
ABC 644nm
0.8
Corre
nte i =
10
mA
0.7
Espectros:
Prof. Agnaldo
Freschi
0.6
01/07/2011
0.5
0.4
0.3
0.2
0.1
0
500
550
600
650
700
750
Irradiância espectral normalizada

Comprimento de onda (nm)

ESTO001-13 - Circuitos Elétricos e Fotônica

Experimento 3 – 2015.3

OBS.: Cada equipe deverá entregar esta página ao professor ao final do experimento, com os dados coletados.

Inserir número do grupo, RA e Nome

GRUPO # :

RA

NOME

PARTE 1

 

LED 1

LED2

LED3

Cor

       

(I

1 A)

V L (V)

     

(I

10 A)

V L (V)

     

PARTE 2

LED ESCOLHIDO: I (mA) V (V) I (mA) V (V) I (mA) V (V) L
LED ESCOLHIDO:
I (mA)
V
(V)
I (mA)
V
(V)
I (mA)
V
(V)
L
L
L