Você está na página 1de 4

Principal Currículo

Rodrigo Pádua
Mac OS X PHP Zend Framework Postgresql GEO Javascript Prototype

5 Entendendo o modelo CMMI-DEV v1.2 (Resumo)


mar Em: CMMI-DEV, Governança de TI
2009 Autor: admin

Artigos (RSS) Comentários (RSS)


1. No CMMI-DEV pode ser incluir o IPPD, que é aplicado em empresas que desenvolvem softwares
com equipes geograficamente distribuídas, em diferentes culturas.

2. CMMI-DEV possui duas formas de representação:


a) Por Estágios:
comentários artigos
a empresa busca avaliar a sua maturidade. Em cada nível de maturidade a organização precisa
implementar determinadas Áreas de Processos. Busca aumentar a maturidade da organização. Entendendo o modelo CMMI-DEV v1.2 (Resumo)
b) Contínuo: Encontrando coordenadas geográficas
ao invés de implementar um conjunto de Áreas de Processos, a organização escolhe quais as Áreas manualmente com Google Maps API e GMapEasy
são estratégicas para ela. Busca aumentar a capacidade em algumas áreas. Facilitando o uso do Google Maps API com a
GMapEasy
3. O modelo do CMMI-DEV é composto por Áreas de Processos, que são organizadas por:
"Loading" AJAX automático (Protoloading)
a) Nível de Maturidade (na representação por estágios). Ex.: quando a empresa quer alcançar o
Alertas "on top" utlizando Prototype
Nível de Maturidade 2, ela terá 7 Áreas de Processos que terão de ser implementadas;
(Protomessage)
b) Categorias (na representação contínua).
Instalando o PostgreSQL 8.3.3 + PostGIS 1.3 no
4. O CMMI-DEV possui 22 Áreas de Processos. Mac OS X (Leopard)
Instalando o Apache2 + PHP5 no Mac OS X (Tiger)
5. Para institucionalizar um processo, é preciso que ele seja: Instalando o Tsearch2 no PostgreSQL com
a) definido; b) documentado; c) treinado; d) praticado; e) suportado; f) mantido; g) controlado; h) dicionários em português
verificado; i) validado; j) medido e; k) capaz de ser melhorado. Instalando o PostgreSQL 8.2.4 no Mac OS X
(Tiger)
6. Um modelo de processo diz o que deve ser feito (práticas) para se obter um determinado Preparando o Mac OS X para compilar programas
resultado. UNIX
7. A abordagem utilizada para melhoria contínua no CMMI é o IDEAL, que possui 5 fases, que são:
a) Iniciação; b) diagnóstico; c) estabelecimento; d) ação; e) aprendizagem. Pesquisar...

8. As Áreas de Processos (Process Areas - PA) possuem:


a) propósito; b) notas introdutórios e; c) a quais Áreas de Processo são relacionadas.
Possuem também Metas Específicas (Specific Gols - SG) e Metas Genéricas (Generic Gols - GG). Categorias
GEO (2)
9. Para cada PA pode existir de 1 a 3 SG (Metas Específicas). Google Maps API (2)
Governança de TI (1)
10. Metas Específicas possuem Práticas Específicas (SP). CMMI-DEV (1)
Javascript (4)
11. Práticas Específicas geram Produtos de Trabalho Típicos, que é uma lista de possíveis artefatos
Ajax (1)
que a prática irá gerar. Não é uma lista completa. Dependendo da organização pode-se adicionar Prototype (4)
outros produtos. Mac OS X (5)
PostgreSQL (3)
12. Dentro de cada Prática Específica vai haver sub-práticas, que são descrições detalhadas que PostGIS (1)
servem como guia de como você pode implementar a Prática Específica. Tsearch2 (1)

13. Uma determinada Área de Processo possui Metas Genéricas (GG). Uma mesma Meta Genérica
pode se repetir em diversas Áreas de Processos. Por isso são genéricas. Significa que em cada Área Arquivo
de Processo o controle é melhorado no planejamento e implementação do processo da área.
março 2009
julho 2008
14. Cada Meta Genérica tem as suas Práticas Genéricas. Que são atividades que garantem que os setembro 2007
processos associados com a Área de Processos serão efetivos, repetíveis e duradouros. Genérica agosto 2007
porque a mesma prática apresenta-se em múltiplas Áreas de Processo. Essas metas caracterizam a
institucionalização do processo.
Tags
15. Uma Prática Genérica possui Elaborações de Práticas Genéricas. Serve como guia para
aplicação da Prática Genérica. Ajax Apache Draggable GEO GeoCoder
Georeferenciamento GIS GMapEasy Google
16. ** Algumas Metas Genéricas se aplicam apenas na “representação Contínua”.

17. ** Alguns componentes estão marcados a qual representação ele se aplica. Se não estiver
Maps API Javascript loading Mac OS

marcado, se aplica a ambas as representações (Contínua e Por Estágios). X MacPorts PHP PostGIS PostgreSQL Protoloading

18. O CMMI suporta 2 caminhos de aperfeiçoamento:


Protomessage Prototype responders resumo
a) Contínua: que é o melhoramento de determinadas Áreas de Processos (PA). Aumenta o nível de Tsearch2

capacidade. Os Níveis de Capacidade vão de 0 a 5;


b) Por Estágios: capacita a organização para melhorar um conjunto de processos, para atingir um
nível de maturidade. Os níveis de Maturidade vão de 1 a 5; Essa representação é mais utilizada.
Anúncios
19. Na representação Contínua, as Áreas de Processos (PA), são organizadas por categoria, são
Qualidade software CMMI
elas: Consultoria, treinamentos e avaliações
a) Gerenciamento de Processos; b) Gerenciamento de Projetos; c) Engenharia e Suporte. oficiais CMMI.
www.swprocess.com.br
20. Na representação por Estágios, as PA’s estão organizadas por Nível de Maturidade, que são:
a) 5 Otimizando (2 PA’s): melhoria contínua de processo ; Planejamento Estratégico
b) 4 Gerenciado Quantitativamente (2 PA’s): coleta de dados e gera estatísticas para avaliar o Curso On-line: Com videoconferência
tutor, animação, vídeo, certificado
desempenho dos processos; tutor, animação, vídeo, certificado
www.PortalEducacao.com.br
c) 3 Definido (11 PA’s): padronização dos processos.
d) 2 Gerenciado (7 PA’s): gerenciamento básico de projeto. apenas a PA Gerenciamento com
Desenvolvendo Projetos
Fornecedores não é obrigatória; Aprenda Fundamentos de Projetos Por
e) 1 Inicial: prática inconsistente. empresa imatura; Apenas R$ 42,90. Compre Já o Seu!
www.VideoLivraria.com.br/Projetos
Todas as PA’s do nível anterior devem ser mantidas para alcançar um nível superior.

21. Na representação Contínua existem 6 níveis de capacidade para se atribuir a um processo


executado em uma organização, são eles:
a) 5 Otimizando: melhora a partir do entendimento das causas comuns de variação. Remove a
causa (ou erro) para que não ocorra novamente;
b) 4 Gerenciado Quantitativamente: são utilizados métodos estatísticos para avaliar o desempenho
dos processo (ex.: 6 Sigma e CEP);
c) 3 Definido: já existem padrões que são seguidos em toda a organização (procedimentos,
templates etc.);
d) 2 Gerenciado: já existe infra-estrutura de suporte. O processo já é monitorado e seu
desempenho é avaliado;
e) 1 Realizado: existe o processo, mas ele ainda não está institucionalizado. Cada pessoa na
organização faz do seu jeito. Não existe um padrão.
f) 0 Incompleto: o processo não é realizado ou é realizado parcialmente;

22. Para verificar se uma Área de Processo está em funcionamento correto, é preciso verificar se a
Metas Específicas (EG) e se a Metas Genéricas (GG) estão sendo obtidas com êxito (se de fato as
práticas dessas metas estão sendo executadas).

23. Uma das vantagens de se implementar o CMMI é a melhora nas estimativas/previsibilidade das
entregas dos projetos.
Links
24. No nível 3 de maturidade, inicía-se a utilização do ciclo PDCA.
Tecnoplace
25. 7 PA’s do Nível 2 de maturidade: Blog Diego Santos
Blog Carlos Andre Ferrari
Principais áreas relacionadas a planejamento de projetos.

a) REQM - Gerenciamento de Requisitos. Não são os requisitos do software. Trata-se de gerenciar Meta
requisitos do negócio. O que o cliente quer, e não como o software será.
Login
SG 1 - Gerenciar Requisitos. Valid XHTML
b) PP - Planejamento de Projeto.
SG 1 Estabelecer Estimativas.
SG 2 Elaborar um Plano de Projeto.
SG 3 Obter Comprometimento com o Plano.
c) PMC - Monitoramento e Controle de Projeto.
SG 1 Monitorar o Projeto em Relação ao Plano.
SG 2 Gerenciar Ações Corretivas até o Encerramento.
d) SAM - Gerenciamento de Acordos com Fornecedores (opcional). Muito relacionada a aquisição de
produtos ou componentes.
SG 1 Estabelecer Acordos com o Fornecedor.
SG 2 Satisfazer Acordos com o Fornecedor.
e) MA - Medição e Análise. O foco é estabelecer uma estrutura para monitoramento dos projetos e
processos.
SG 1 Alinhar as Atividades de Medição e Analise.
SG 2 Fornecer Resultados de Medição.
f) PPQA - Garantia da Qualidade de Processo e Produto. Munir a equipe a gerência com uma visão
clara sobre os processos e seus produtos de trabalho.
SG 1 Avaliar Objetivamente Processos e Produtos de Trabalho.
SG 2 Fornecer um Entendimento Objetivo.
g) CM - Gerenciamento de Configuração.
SG 1 Estabelecer Baselines.
SG 2 2Ratrear e Controlar Alterações.
SG 3 Estabelecer a Integridade.

26. 11 PA’s do nível 3 de maturidade:


a) ED - Desenvolvimento de Requisitos. Produzir e analisar os requisitos de cliente, produto e
componente de produto.
SG 1 Desenvolver os Requisitos de Cliente.
SG 2 Desenvolver Requisitos de Produto.
SG 3 Analisar e Validar Requisitos.
b) TS - Solução Técnica. Projetar, desenvolver e implementar soluções para requisitos. Aplica-se
também aos processos.
SG 1 Selecionar as Soluções de Componentes do Produto.
SG 2 Elaborar o Design.
SG 3 Implementar o Design do Produto.
c) PI - Integração de Produtos. Integrar os componentes de um produto e garantir a execução das
funçoes.
SG 1 Preparar para a Integração de Produto.
SG 2 Garantir a Compatibilidade das Interfaces.
SG 3 Montar os Componentes do Produto e Entregar o Produto.
d) VER - Verificação. Assegurar que os produtos de trabalho selecionados atendem aos seus
requisitos especificados.
SG 1 Preparar para a Verificação.
SG 2 Realizar Revisão por Pares.
SG 3 Verificar os Produtos de Trabalhos Selecionados.
e) VAL - Validação. Demonstrar que um produto ou componente de produto atende ao seu uso
pretendido quando colocado em seu ambiente alvo.
SG 1 Preparar para a Verificação.
SG 2 Validar o Produto ou os Componentes de Produto.
f) OPF - Foco no Processo Organizacional.
SG 1 Determinar as Oportunidades de Melhoria de Processo.
SG 2 Planejar e Implementar as Atividades de Melhoria de Processo.
SG 3 Implementar os Ativos de Processo da Organização e Imcorporar Lições Aprendidas.
g) OPD - Definição do Processo Organizacional + IPPD.
SG 1 Estabelecer Ativos (procedimento, templates etc.) de Processo da Organização.
h) OT - Treinamento Organizacional.
SG 1 Estabelecer uma Capacidade de treinamento Organizacional.
SG 2 Fornecer Treinamento Necessário
i) IPM - Gerenciamento Integrado de Projeto + IPPD.
SG 1 Usar o Processo Definido do Projeto.
SG 2 Coordenar e Colaborar com os Stakeholders Relevantes.
j) RSKM - Gerenciamento de Riscos.
SG 1 Preparar para a Gestão de Risco.
SG 2 Identificar e Analisar Riscos.
SG 3 Mitigar Riscos.
k) DAR - Análise de decisão e resolução.
SG 1 Avaliar Alternativas.

27. 2 PA’s do nível 4 de maturidade:


a) OPP - Desempenho do Processo Organizacional.
SG 1 Estabelecer Baselines e Modelos de Desempenho.
b) QPM - Gerenciamento Quantitativo do Projeto.
SG 1 Gerenciar o Projeto Quantitativamente.
SG 2 Gerenciar Estatisticamente o Desempenho de Subprocesso.

28. 2 PA’s do nível 5 de maturidade:


a) OID - Inovação e Implantação Organizacional.
SG 1 Selecionar as Melhorias
SG 2 Implementar Melhorias
b) CAR - Análise de Cusa e Resolução.
SG 1 Determinar Causas e Defeitos.
SG 2 Tratar as Cusas dos Defeitos.

29. As Metas Genéricas (GG), aplicam-se a todas as Áreas de Processo, tanto na representação
contínua e na representação por estágios.

30. As Metas Genéricas ajudam a institucionalizar os processos. Fazer com que as pessoas da
organização sigam os processo.

31. O total é de 5 Metas Genéricas, onde todas são usadas na representação Contínua, e apenas as
Metas Genéricas 2 e 3 são usadas na representação por Estágios.

32. As Metas Genéricas são:


a) GG 1 - Alcançar Metas Específicas.
b) GG 2 - Institucionalizar um Processo Gerenciado. Planejado conforme as políticas da
organização. O processo é controlado e revisado.
c) GG 3 - Institucionalizar um Processo Definido. É estabelido padrões. Ativos de processo são
criados.
d) GG 4 - Insitucionalizar um Processo Quantitativamente Gerenciado Quantitativamente. O
processo é controlado e medido através de ferramentas que fornecem estatísticas para ajudarem a
identificar variações no processo.
e) GG 5 - Institucionalizar um processo em otimização. O processo sofre mudanças e vai sendo
melhorado para atender melhor os objetivos do negócio.

33. As representações Contínua e por Estágios podem ser utilizadas em conjunto.

34. Caminho para implementação do CMMI:


a) Iniciação (kick-off). Deve-se escolher quais áreas da organização se vai implementar o CMMI e
deve-se indentificar os objetivos do negócio;
b) Entendimento do CMMI;
c) Análise de GAP. Também conhecida como avaliação Classe C. Ajuda a identificar o pontos fortes
e fracos da organização;
d) Plano de Ação. Quais as áreas de processo e práticas precisam ser implementadas;
e) Implementa-se os Processos;
f) Pré-avaliação (classe B); Verifica se os processos estão institucionalizados. Se os processos estão
sendo seguidos. Verifica se existem GAPS;
g) Elimina-se os GAPS (lacunas);
h) Avaliação Formal (classe A);

35. O método de Avaliação SCAMPI tem como objetivo determinar o nível de aderência de um
processo, ou conjunto de processos, à um modelo de referência (no caso o CMMI).

Tags: resumo

Você pode ter acesso aos comentários deste artigo através do RSS 2.0.

Deixe um comentário
Nome (*)

E-mail (*)

URI

Mensagem

Copyright © 2007 - Rodrigo Pádua


Dilectio Theme is created by: Design Disease brought to you by Smashingmagazine.com