Você está na página 1de 10

PEDRA NATURAL – UM MATERIAL ÚNICO

*
Frank Hesselbarth
frank.hesselbarth@maxit.de
Kim Rosenbom†
kim.rosenbom@maxit.pt
João Garcia‡
joao.garcia@maxit.pt
Marta Antunes§
marta.antunes@maxit.pt

Resumo
A pedra natural está associada a uma imagem de indestrutibilidade e elevada
qualidade. Consequentemente, é utilizada hoje em dia numa grande variedade de aplicações
– azulejos, revestimentos de fachadas, escadarias, balcões de casas de banho ou cozinhas.
Ao contrário de azulejos de cerâmica, cada pedra natural é uma peça única. Pode
ter uma aparência diferente e até características diferentes, mesmo com origem na mesma
pedreira. Como consequência disto, podemos observar diversos problemas, mesmo ao
assentar pedras preciosas – descoloração, eflorescência, warping (deformação) e outros.
A água representa um papel significativo como causa da maior parte dos danos.
Esta humidade pode ser impelida contra a pedra natural a partir do exterior (chuva nas
zonas exteriores, processos de limpeza, vaporização de água em casas-de-banho e
cozinhas), ou pode ter origem no próprio suporte. Esta é a razão pela qual, em casos de
zonas em contacto com o solo, é imprescindível uma camada de impermeabilização de
protecção contra as humidades ascensionais. Para além disso, deverão ser utilizados os
adesivos e juntas adequados para a sua colocação. Deverão ser escolhidos materiais de
assentamento de secagem rápida para pedra natural com propriedades significativas de
absorção de água. Esta apresentação irá dar uma visão geral das pedras naturais existentes,
as razões dos problemas e os produtos recomendados para fixação e betumação de juntas.
Palavras-chave: Pedra Natural, Descoloração, Eflorescência, Impermeabilização.

1 Introdução
A utilização de pedras naturais em áreas residenciais assim como grandes
projectos tais como áreas comerciais ou aeroportos torna-se cada vez mais habitual
– isto são boas notícias para os produtores.
Em contraste com a situação de há 15 ou até 20 anos atrás – quando o
mercado Europeu estava dominado pelo granito e mármore vindo da Itália,
Espanha, Grécia ou Turquia – tudo mudou drasticamente. Diz-se que hoje cerca de
46,5% da exportação de pedra natural (placas padronizadas e calibradas) vêm da
China [1]. Arquitectos e clientes particulares têm hoje um grande leque de escolha

*
e  VP Commercial Development - maxit Group.
‡ §
e I&D maxit Portugal.
– existe uma enorme variedade de pedras naturais – tanto nos estabelecimentos
comerciais como na Internet.
Mas neste cenário de luz existe uma sombra – manchas escuras desfiguram
o granito, a descoloração castanha altera as zonas brancas do mármore, zonas
oleosas à volta das juntas de dilatação etc. Infelizmente existe uma longa lista de
reclamações e zonas danificadas após um curto período de tempo; isto é
embaraçoso para todos os intervenientes – para um arquitecto, para um fornecedor
e até para um aplicador de pedra natural.
Estes problemas podem ser evitados tendo em conta algumas questões básicas.

2 Pedras Naturais
Várias factores devem ser tidos em conta para assegurar a fixação segura do
revestimento de pedra natural. A pedra natural deve ser adequada às tensões
subsequentes; o método e material de fixação devem ser adequados ao tipo de
pedra e ao suporte e deve ser determinada a composição do suporte e sua
humidade.
Em primeiro lugar é importante saber qual o tipo de pedra existente, como se
formou e ainda mais importante, que propriedades contém.

Tabela 1: Grupos e propriedades típicas de pedras naturais


Grupo Sub-grupo Exemplos Propriedades típicas

Matriz geralmente compacta, baixa


Plutonite Granito, diorato, gabro absorção de água, dureza elevada,
Pedras geralmente de fácil fixação
Magmáticas Textura fluida, dureza elevada,
Pórfiro, basalto,
Vulcanite apresentando, no entanto,
diabase
tendência para deformação
Arenito, aglomerados, Grande variação, níveis de
Clásticas
wacke cinzenta resistência muito diferentes
Formação a partir de resíduos de
Pedras Biogénicas Pedra calcária, marga fósseis de animais e plantas,
Sedimentares muitas vezes ainda detectável
Frequentemente não resistente aos
Químicas Travertino, ónix ácidos devido a um elevado teor de
cal
Pedras Metamórficas
- Baixo nível de significância
Metamórficas de contacto
Mármore, gneisse, Formação a partir da
Pedras Metamórficas
quartzito, ardósia, transformação de pedra, grande
Metmórficas regionais serpentinite variação
Em geral existem três grupos principais, seguindo os diferentes modos de
formação.
As Pedras Magmáticas são simplesmente o resultado do processo de
solidificação de magma. Na sua grande maioria são bastante duras e resistentes.
Exemplos típicos são o Granito e o Basalto.
As Pedras Sedimentares formaram-se por partículas de pedra soltas e
solidificadas. O arenito, como exemplo, é simplesmente areia que foi compactada
sob elevada temperatura e elevada pressão durante mais de milhões de anos.
Algumas pedras como a Muschelkalk representam restos de conchas de fósseis. A
variação em propriedades, tais como a absorção de água, resistência à compressão
ou resistência ao congelamento, é muito maior para este grupo.
O terceiro grupo tem o nome de Pedras Metamórficas e formou-se muito
abaixo do solo por transformação de pedra como resultado de elevadas
temperaturas e pressão. Exemplos típicos são o mármore e a ardósia [2].
A tabela seguinte procura fazer uma primeira abordagem sobre propriedades
típicas das pedras típicas [3]. Mas nunca se deve esquecer: Mesmo que tenha a
indicação de que não tem risco de descoloração – nunca existe 100% segurança,
devido a possíveis variações, mesmo que a pedra tenha tido origem na mesma
pedreira.

Tabela 2: Riscos de anomalias das pedras naturais I


Resistência Possibilidade Risco de Risco de
Exemplo Aderência
ao gelo de polimento descoloração eflorescência

Pedras Magmáticas
Plutonites
Granito sim sim problemático possível não
Diorato sim geralmente problemático possível não
Gabro sim geralmente problemático não não
Sienito sim sim problemático não não
Vulcanites
Pórfiro Pórfiro Pórfiro Pórfiro Pórfiro Pórfiro
Basalto, Basalto, Basalto, Basalto, Basalto, Basalto,
Dolerito Dolerito Dolerito Dolerito Dolerito Dolerito
Traquito Traquito Traquito Traquito Traquito Traquito
(Basalto- (Basalto- (Basalto- (Basalto- (Basalto- (Basalto-
Lava) Lava) Lava) Lava) Lava) Lava)
não há
Diabase sim sim não não
problema
Tabela 3: Riscos de anomalias das pedras naturais II
Resistência Possibilidade Risco de Risco de
Exemplo Aderência
ao gelo de polimento descoloração eflorescência

Pedras Sedimentares
Arenito geralmente raramente problemático possível raramente
Pedra calcária
geralmente raramente problemático possível raramente
arenosa
não há
Aglomerados sim raramente possível possível
problema
não há
Brecha geralmente mediano raramente possível
problema
Kalke,
geralmente não há
Dolomite, sim raramente não visível
bom problema
denso
não há
Pedra calcária raramente mediano raramente possível
problema
não há
Muschelkalk sim mediano possível possível
problema
não há
Travertino geralmente mediano raramente não visível
problema
Pedras Metamórficas
não há
Mármore geralmente mediano possível possível
problema
Mármore não há
geralmente mediano sim sim
Dolomite problema
não há
Serpentinite raramente mediano não não
problema
Granulite sim sim problemático possível não
Gneisse,
sim sim problemático possível não
Migmatite
Quarzito sim sim problemático não não
Ardósia raramente não possível problemático não não
Ardósia
sim não possível problemático não não
argilosa
Quartzito sim não possível problemático não não

3 Possíveis anomalias
As reclamações típicas relacionam-se com qualquer alteração da cor da
pedra ou das juntas. A água representa um papel importante na maioria dos
problemas. Pode ter origem no suporte (humidade ascensional ou da própria
construção), nos produtos utilizados para a sua fixação e betumação, ou pode vir de
cima – chuva em condições exteriores, água de limpeza em áreas comerciais, etc.

3.1 Descoloração

Figura 1: Descolorações em locais isolados

As manchas escuras de humidade em locais isolados podem, com alguma


sorte, desaparecer após um determinado período de secagem. O mais provável é
que tais manchas sejam causadas pela humidade vinda da parte de trás da pedra, do
suporte ou do adesivo.
A humidade que vem de baixo pode ser indicada com o apoio de uma folha
de PE, 50x50 cm, fixada com silicone em cima do suporte. No caso de humidades
ascensionais é necessário aplicar uma membrana de impermeabilização mesmo por
baixo do adesivo. No caso de pedras com uma significativa capacidade de absorção
de água, recomenda-se a utilização de um adesivo de presa e secagem rápidas.
Com esta tecnologia quase toda a água utilizada para misturar a argamassa é ligada
por uma reacção química – chamada “ligação de água cristalina”.

Figura 2: Descolorações à volta das juntas

Apresentam-se aqui alguns exemplos de descoloração pouco depois da


aplicação da junta mineral (após 1 – 24 horas) ou do silicone, que não desaparece
após algum tempo (listas gordurosas ao longo das juntas). Nestes casos, foi
utilizado incorrectamente uma junta de presa normal ou um silicone normal.
Para pedras tão sensíveis desenvolveram-se juntas especiais:
- juntas especiais de presa e secagem rápidas (ligação de água cristalina)
- silicone especial sem partes movíveis
Utilizando estes produtos não existe risco de descolorações tão feias à volta
das juntas causadas pelos selantes de juntas.

Figura 3: Exemplos de descolorações

Por vezes poderá observar-se descolorações em locais isolados. Tal tanto


pode suceder pouco tempo após a fixação como semanas ou até meses mais tarde.
A razão em qualquer dos casos é o transporte de colorantes com a humidade, da
parte de trás para a superfície da pedra. Essas partes colorantes podem existir na
própria pedra e serem transportadas dissolvidas na água em movimento para cima.
Podem também existir partículas de ferro ou similares no suporte que sejam
igualmente transportadas com a água através da pedra até à sua superfície. Muitos
de tais problemas podem ser prevenidos com aplicação apropriada (sem pregos
ferrugentos ou restos de cigarros na argamassa) e com aplicação de uma membrana
de impermeabilização no caso de risco de humidades ascensionais.
Na fixação de pedras sensíveis recomendamos a utilização de materiais
com efeito de ligação de água cristalina.

3.2. Eflorescência
Em geral existem dois tipos de eflorescência branca ou cinzenta:
- Eflorescência de cal
- Eflorescência de silicato causada por ASR – reacção de silicatos alcalinos
Para distinguir entre eflorescência de cal e eflorescência de silicate (ASR –
Reacção de Silicatos Alcalinos) só é necessário colocar algumas gotas de um
agente de limpeza acídico nas manchas brancas: no caso de bolhas de gás
imediatamente visíveis trata-se de cal, no caso de não haver nenhum impacto, trata-
se de eflorescência de silicato. As manchas de cal podem facilmente ser removidas
com tais agentes de limpeza; a eflorescência de silicato (muitas vezes de cor
amarelo - acastanhado) só pode ser removida mecanicamente.

Figura 4: Exemplos de eflorescências

A eflorescência é visível nestes casos na forma de manchas brancas na superfície


das juntas e/ou das pedras. Este fenómeno é praticamente causado por uma
combinação de humidade no suporte com partes solúveis. A humidade pode
resultar de humidades ascensionais, do adesivo ou da água que está a penetrar do
exterior (principalmente em exteriores).
Em condições exteriores, deve prevenir-se a migração da água através das juntas
para a parte de baixo da construção. Isto pode conseguir-se através de uma barreira
de impermeabilização mesmo por baixo do adesivo. Para além disso, é útil utilizar
uma argamassa de juntas com propriedades de repelente de água.

3.3. Razões para descoloração e eflorescência


Para a grande maioria de problemas – para além de mão-de-obra
inapropriada – a água tem um papel significativo.
Existem três causas possíveis para a descoloração de pedras naturais (4):
1. Penetração de substâncias descolorantes a partir da superfície (durante a
utilização);
2. Descoloração de substâncias no interior da pedra;
3. Penetração de substâncias descolorantes a partir do suporte (betonilha,
adesivo).

Utilização

Adesivo

Suporte

Figura 5: Indicação esquemática das causas de descoloração e eflorescência


A eflorescência é causada por razões similares: Em qualquer dos casos a água é
responsável pelo transporte de cal ou silicato. A água pode ter origem na chuva em
condições exteriores ou no suporte por humidades ascensionais.

Mancha na pedra

Mancha no suporte
Humidade do
Adesivo/Suporte

Figura 6: Aparência das manchas

A água que tem origem no suporte pode levar consigo cal ou silicato
dissolvido em direcção à superfície. Aí a água evapora e os sais cristalizam em
forma de eflorescência visível. No que diz respeito à descoloração o processo é
idêntico: A humidade do suporte dissolve materiais que mancham que podem
existir neste (pregos ferrugentos, pontas de cigarros, etc.) ou nas próprias pedras. A
água vinda do suporte apresenta sempre propriedade alcalinas – o pH é
habitualmente >11. Isto deve-se ao potencial alcalino do cimento/cal. Esta água ou
humidade alcalina representa um elevado potencial de dissolução para muitas
manchas – ferro castanho, mangan ou outros componentes inorgânicos ou
orgânicos.

3.4. Como prevenir a descoloração e a eflorescência


Uma vez que já vimos que água é responsável por originar alterações
coloridas mas indesejadas na superfície das pedras naturais, a prevenção parece ser
óbvia: manter a água afastada da estrutura.
Em condições exteriores só devem ser utilizadas as pedras não sensíveis
com resistência ao congelamento aprovada e baixa absorção de água. Não é
recomendável tentar melhorar a adequabilidade exterior aplicando um selante
transparente na superfície – mais cedo ou mais tarde esta camada será destruída
pela carga do tráfego e pelas condições meteorológicas. Como argamassa para as
juntas recomenda-se a utilização de uma junta flexível, de presa rápido, com
propriedades repelentes à água – ex. Cerinol Flex da maxit. Adicionalmente, nunca
se deve esquecer a aplicação de juntas de dilatação suficientes para prevenir
fissuras na estrutura.
Para segurança adicional poderá ser aplicada uma membrana
impermeabilizante ex. uma lama flexível como Superflex D1 entre a betonilha e o
adesivo. Assim, nenhuma água da superfície pode migrar para dentro da betonilha
e/ou laje de betão e nenhuma humidade ascensional pode causar eflorescência ou

Figura 7: Eficácia da membrana de impermeabilização

descoloração. O transporte de água na estrutura é interrompido com esta simples e


eficiente membrana.
Em ambientes interiores, para o assentamento e betumação de juntas de
pedras sensíveis, recomendam-se sempre produtos de presa e secagem rápidas.
Com esta tecnologia de ligação bastante recente – baseada na ligação de água
cristalina – a maioria da água de amassadura é consumida pela matriz de cimento.
Deste modo, o risco de descoloração por dissolução de colorantes e respectivo
transporte para a superfície é quase nulo – simplesmente porque existe muito pouca
água em excesso com necessidade de evaporar. Existe também um outro aspecto
positivo: o valor de pH desses produtos de presa e secagem rápidas é inferior, i.e. a
alcalinidade e consequentemente o potencial de dissolução são muito menores em
comparação com os adesivos e argamassas de juntas normais.
Em áreas com risco de humidades ascensionais (contacto directo com o
solo, condensação em quartos por baixo, etc.), e também para prevenir que a
humidade possa ascender com todos os riscos envolventes, é fortemente
recomendada a aplicação de uma membrana de impermeabilização conforme
descrito em cima.
A tabela em baixo dá uma ideia geral sobre os casos possíveis e os
produtos recomendados. É de notar que constitui apenas uma primeira indicação,
em caso de qualquer dúvida recomenda-se a realização de pequenos testes para
avaliar o melhor produto.
Tabela 4: Produtos recomendados de acordo com os casos possíveis
Pedra Natural Exemplo Produtos para fixação Exemplo

Granito C2, presa normal ou DTM KM Flex


Não sensível
Gabro rápida Cerinol F20
DTM KMH
Não sensível, Granite C2, Fluído
Flex+Fix
exteriores Gabro Junta flexível
Cerinol Flex
Não sensível, Cor Mármore (não DTM KM Flex
C2, Adesivo branco
branca, translúcida sensível) White
DTM KM Flex+Fix
Dolomite C2, presa e secagem
Pedras sensíveis White Cerinol FN,
Mármore rápidas
Silicone FDX
Mármore de DTM KM Flex+Fix
C2, presa e secagem
resina White DTM KMH
Pedras de resina rápidas
Quartzo de Flex+Fix
Ou adesivo epóxi
resina Plastikol Multipox

4 Conclusão
A Pedra Natural, como elemento de decoração, pode ser utilizada em muitas áreas
de aplicação. Está quase sempre ao nosso redor – em áreas comerciais, nas
fachadas e também em ambientes particulares. Infelizmente, tem-se dado pouca
atenção à melhor estratégia para fixar pedras naturais sem risco de reclamações
embaraçosas.
Em grande parte das falhas a água representa um papel importante: como meio de
transporte para colorantes originando manchas, sais ou simplesmente como
responsável de danos. Mas tais problemas são definitivamente inevitáveis:
seleccionando as pedras correctas para determinadas aplicações e os produtos
certos para as fixar. Com o novo desenvolvimento da tecnologia de presa e
secagem rápidas existem produtos disponíveis que reduzem drasticamente o risco
das reclamações tais como descoloração ou deformação. Já não existe razões para
ter manchas escuras ou bordos gordurosos à volta das pedras naturais!

5 Bibliografia
[1] Fliesen und Platten 11/2005, página 42
[2] www.natursteinnet.de/deutsch/lexikon/steinkunde.index.htm
[3] Kownatzki, R., Info, RMC Consulting, Herzogenrath, Germany
[4] www.natursteinnet.de/deutsch/lexikon/verlegung/index.htm