Você está na página 1de 2

BIODIVERSIDADE

Apesar de ser um pequeno planeta, à escala do Universo, a Terra reúne condições que asseguram a
sobrevivência e a evolução dos seres vivos: luz solar, calor, crusta terrestre sólida, água e atmosfera
rica em oxigénio.

De facto, existe uma enorme qualidade e variabilidade de formas vivas no nosso planeta - biodiversidade.

A maioria dos cientistas considera que nos ambientes aquáticos há maior biodiversidade do que nos
ambientes terrestres. Esta observação estará relacionada com o facto de a superfície terrestre ser ocupada
por dois terços de água.

Até ao momento, de acordo com os dados obtidos pela Convenção da Diversidade Biológica, foram
identificadas cerca de 1, 7 milhões de espécies. No entanto, admite-se a existência, no nosso planeta, de
cerca de 10 a 100 milhões de organismos diferentes, o que sugere o grande desconhecimento da
biodiversidade.

Ao longo do tempo, os seres vivos relacionaram-se com o meio ambiente, modificando-o e sendo por ele
influenciados. Mas, apesar da enorme biodiversidade, os seres vivos apresentam uma unidade básica
comum.

A CÉLULA – UNIDADE BÁSICA DA VIDA

A teoria celular

Em 1838 – 39 o botânico Schleiden e o zoólogo Schwann formularam a teoria celular. Segundo esta teoria,
todos os seres vivos são constituídos por células e, apesar da enorme biodiversidade existem na Terra, a
célula é a unidade básica dos seres vivos.

A maioria das células é invisível à “vista desarmada”, pelo que o seu estudo apenas foi possível com a
descoberta e o aperfeiçoamento do microscópio.

A ciência que se ocupa do estudo da estrutura e função da célula denomina-se citologia. A citologia permitiu
que o conhecimento da célula evoluísse ao longo do tempo.

Actualmente, a teoria celular engloba ainda os seguintes princípios fundamentais:

• A célula é a unidade mais pequena dos seres vivos que realiza os processos vitais;

• A célula é a unidade morfológica e fisiológica do ser vivo;

• A célula é a unidade genética do ser vivo, isto é cada célula resulta da divisão de outras pré-
existentes.

Estes princípios têm, globalmente um significado fundamental – ao estudarmos as células, estamos a


estudar a própria vida.

Organização celular

As células, de acordo com a sua organização básica, classificam-se em procarióticas e eucarióticas.

Células procarióticas – células que apresentam uma constituição muito simples. Nestas células, o material
genético não está envolvido por uma membrana nuclear. Não apresentam, por isso, um verdadeiro núcleo,
mas uma estrutura designada nucleóide.

Células eucarióticas – células mais complexas e geralmente de maiores dimensões que as procarióticas. O
núcleo está bem definido e organizado, pois existe uma membrana nuclear a envolver o material genético.
Existem inúmeros organitos celulares (estruturas das células com formas e funções diferentes) no
citoplasma, envolvidos por membranas.

Seres unicelulares e pluricelulares

Existem alguns seres vivos que são constituídos por uma única célula. Esses seres vivos denominam-se
unicelulares.
Outros seres vivos, constituídos por várias células que têm funções específicas e diversificadas, denominam-
se pluricelulares.

As células possuem formas muito variadas. Esta variedade de formas está relacionada com a função que as
células desempenham nos organismos a que pertencem e ao contacto que existe entre elas.