Você está na página 1de 2

DIFICULDADES E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM

POR QUE MEU FILHO NÃO APRENDE? (Parte I)

Imagine que seu filho está com febre e você, rapidamente, o leva para o pronto
socorro. Os motivos pelo quais ele está febril são os mais variados, desde uma infecção
por vírus ou bactéria, até doenças mais sérias como o câncer, por exemplo. A febre é a
“ponta do iceberg”, ou seja, uma manifestação visível de que algo não está bem
internamente. Com as dificuldades de aprendizagem o raciocínio segue a mesma linha.
A dificuldade é a manifestação de que algo não está bem, mas a sua origem pode ter
inúmeros motivos.
A dificuldade de aprendizado pode ser reflexo de alguma situação que a criança
ou adolescente esteja vivenciando - como uma mudança de escola, troca de professor,
nascimento de um irmão, separação dos pais, perda de um familiar, problemas de saúde,
falta de rotina de estudos, entre outros, e nesses casos com o manejo adequado da
situação a tendência é que desapareçam.
Há casos em que a dificuldade de aprender se caracteriza pelo caráter inato e
persistente, são dificuldades que sempre estiveram presentes na vida escolar, ou seja, há
um histórico com defasagem em uma ou mais áreas do conhecimento sem uma causa
evidente e nesses casos é muito provável que haja a presença de um transtorno de
aprendizagem. Este último é um grupo de dificuldades pontuais e específicas que são
caracterizadas pela presença de uma disfunção neurológica.
Os transtornos de aprendizagem mais comumente encontrados são a dislexia, a
disgrafia, discalculia, dislalia, disortografia e o transtorno de déficit de atenção e
hiperatividade.
Cada transtorno de aprendizagem possui características especificas e na próxima
coluna conheceremos melhor cada uma delas.
DIFICULDADES E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM
POR QUE MEU FILHO NÃO APRENDE? (Parte II)

Conforme descrito na coluna anterior as dificuldades de aprendizagem possuem uma


quantidade enorme de causas, desde as mais simples, como alterações de rotina da
criança ou adolescente, até as mais complexas com a presença de questões neurológicas.
Entre os transtornos de aprendizagem segue abaixo os mais comumente
encontrados.
 Dislexia: Dificuldade que aparece na leitura, no reconhecimento preciso e
fluente das palavras e na habilidade de decodificar e soletrar.
 Disgrafia: Dificuldade na formação de letras, normalmente associada à dislexia,
É caracterizada por letras mal traçadas e ilegíveis e erros de ortografia, como
trocar, omitir, acrescentar ou inverter letras.
 Discalculia: Dificuldade para cálculos e números. De um modo geral os
portadores não identificam os sinais das quatro operações e não sabem usá-los,
não entendem enunciados de problemas, não conseguem quantificar ou fazer
comparações e não entendem sequências lógicas.
 Dislalia: Dificuldade na emissão da fala. Apresenta pronúncia inadequada das
palavras, com trocas de fonemas e sons errados, tornando-as confusas.
 Disortografia: Dificuldade na linguagem escrita. Suas principais características
são a desmotivação para escrever, aglutinação ou separação indevida das
palavras, falta de percepção e compreensão dos sinais de pontuação e
acentuação.
 TDAH: O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é um problema de
ordem neurológica, que traz consigo sinais evidentes de inquietude, desatenção,
falta de concentração e impulsividade.

Diante da percepção de qualquer dificuldade de aprendizagem os pais ou


responsáveis devem buscar apoio e orientação de Psicóloga Escolar e da equipe
gestora da Escola. Caso observe sintomas antes da idade escola procure orientação
médica.