Você está na página 1de 1

O Mito de Rômulo e Remo, e a fundação de Roma

Segundo o mito, Rômulo e Remo, irmãos gêmeos, eram filhos do deus Marte
(também conhecido como Ares, seu nome grego), e da mortal Réia Sílvia, a
filha de Numitor, rei de Alba Longa.

Amúlio, irmão do rei Numitor, deu um Golpe de Estado, apoderando-se da


coroa e fazendo de Numitor seu prisioneiro. Réia Sílvia foi confinada à
castidade, para que Numitor não viesse a ter descendentes. Entretanto, Marte
desposou Réia que deu a luz aos gêmeos Rômulo e Remo. Amúlio, rei
usurpador, ao saber do nascimento das crianças as jogou no rio Tibre.

Contudo, a correnteza levou-os à margem. E os irmãos foram encontrados por


uma loba, que os teria amamentado e cuidado até que foram achados pelo
pastor Fáustulo, que junto com sua esposa os criou como filhos.

Quando adulto Remo se indispôs com pastores vizinhos, e estes o tomaram e


levaram a presença do rei Amúlio que o encarcerou. Fáustulo revelou a Rômulo
as circunstâncias de seu nascimento, este foi ao palácio e libertou o irmão,
matou Amúlio e libertou seu avô Numitor. Numitor recompensou os netos
dando-lhes direito de fundarem uma cidade junto ao rio Tibre.

Os dois irmãos consultaram os presságios e seguiram até a região destinada a


construção da cidade. Remo dirigiu-se ao monte Aventino e viu seis abutres
sobrevoando o monte. Rômulo indo ao monte Palatino, avistou doze aves, e ali
fez um recinto sagrado onde seria a nova cidade. Remo, enciumado por não ser
o escolhido, escarneceu do irmão e, numa disputa foi morto por Rômulo, que o
enterrou no Aventino.

Rômulo, após a fundação da cidade de Roma, preocupou-se em povoá-la. Criou


o Capitólio, um refugio para todos os banidos, devedores e perseguidos da
redondeza. A notícia da nova cidade se espalhou e os primeiros habitantes
foram chegando, principalmente Latinos e Sabinos. Rômulo se tornou seu
primeiro rei e reinou na grande cidade de Roma. Atribui-se também a Rômulo a
instituição do Senado e das Cúrias.