Você está na página 1de 3

História da África

A África tem como característica a diversidade cultural e sua História está bastante
ligada à História do Brasil. Os africanos, que foram trazidos para nosso país como escravos, entre
os séculos XVI e XIX, enriqueceram a cultura brasileira com seus costumes, rituais religiosos,
culinária, danças etc. Somente no século XIX, com o movimento abolicionista, os negros
ganharam a liberdade com a assinatura da Lei Áurea (1888).
O continente africano é um território banhado pelo Oceano Atlântico, pelo Mar
Mediterrâneo e pelo Oceano Índico, onde provavelmente surgiram os primeiros seres humanos.
Os mais antigos fósseis de hominídeos foram encontrados na África e têm cerca de cinco milhões
de anos. Esse tipo de hominídeo, que habitava o sul e o leste da África, há cerca de 1,5 milhão
de anos evoluiu para formas mais avançadas: o Homo habilis e o Homo erectus. O primeiro
homem africano, o Homo sapiens, data de mais de 200.000 anos.
O Egito foi provavelmente o primeiro estado a constituir-se na África, há cerca de 5000
anos, mas muitos outros reinos ou cidades-estado foram sucedendo-se neste continente, ao
longo dos séculos. Além disso, a África foi, desde a antiguidade, procurada por povos de outros
continentes, que buscavam as suas riquezas como sal e ouro. A atual divisão territorial da África,
no entanto, é muito recente – de meados do século XX – e resultou da descolonização européia.
No fim da década de 70, quase toda a África havia se tornado independente. Os jovens
Estados africanos enfrentam vários problemas básicos, como o desenvolvimento econômico, o
neocolonialismo e a incapacidade de se fazerem ouvir nos assuntos internacionais. A maioria
dos Estados africanos é considerada parte do Terceiro Mundo.

Disponível em: <http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/Continentes/Africa/?pg=2>.


Acesso em: 15/04/2018

História da África
Introdução
Nas escolas e nos livros, costumamos estudar apenas a história de um povo africano: os
egípcios. Porém, na mesma época em que o povo egípcio desenvolvia sua rica civilização, outros
povos africanos faziam sua história. Conheceremos abaixo alguns destes povos e suas principais
características culturais.
O povo berbere
Os berberes eram povos nômades do deserto do Saara. Este povo enfrentava as
tempestades de areia e a falta de água, para atravessar com suas caravanas este território,
fazendo comércio. Costumavam comercializar diversos produtos, tais como : objetos de ouro e
cobre, sal, artesanato, temperos, vidro, plumas, pedras preciosas etc.

Costumavam parar nos oásis para obter água, sombra e descansar. Utilizavam o camelo
como principal meio de transporte, graças a resistência deste animal e de sua adaptação ao
meio desértico.
Durante as viagens, os Berberes levavam e traziam informações e aspectos culturais.
Logo, eles foram de extrema importância para a troca cultural que ocorreu no norte do
continente.

Os bantos
Este povo habitava o noroeste do continente, onde atualmente são os países Nigéria,
Mali, Mauritânia e Camarões. Ao contrário dos Berberes, os bantos eram agricultores. Viviam
também da caça e da pesca.
Conheciam a metalurgia, fato que deu grande vantagem a este povo na conquista de
povos vizinhos. Chegaram a formar um grande reino ( reino do Congo ) que dominava grande
parte do noroeste do continente.
Viviam em aldeias que era comandada por um chefe. O rei banto, também conhecido
como manicongo, cobrava impostos em forma de mercadorias e alimentos de todas as tribos
que formavam seu reino.
O manicongo gastava parte do que arrecadava com os impostos para manter um
exército particular, que garantia sua proteção, e funcionários reais. Os habitantes do reino
acreditavam que o maniconco possuía poderes sagrados e que influenciava nas colheitas,
guerras e saúde do povo.

Os soninkés e o Império de Gana


Os soninkés habitavam a região ao sul do deserto do Saara. Este povo estava organizado
em tribos que constituíam um grande império. Este império era comandado por reis conhecidos
como caia-maga.
Viviam da criação de animais, da agricultura e da pesca. Habitavam uma região com
grandes reservas de ouro. Extraíam o ouro para trocar por outros produtos com os povos do
deserto (Berberes). A região de Gana tornou-se com o tempo, uma área de intenso comércio.
Os habitantes do império deviam pagar impostos para a nobreza, que era formada pelo
caia-maga, seus parentes e amigos. Um exército poderoso fazia a proteção das terras e do
comércio que era praticado na região. Além de pagar impostos, as aldeias deviam contribuir
com soldados e lavradores, que trabalhavam nas terras da nobreza.

Império Songai
Esta civilização se desenvolveu, desde o século VIII, na região noroeste da África (região
do atual Níger, Mali e Burquina Faso), tendo seu auge entre os séculos XV e XVI. A capital do
império era a cidade de Gao (margem do rio Níger). Os songais eram o grupo étnico que liderava
o império. Viviam da agricultura, pesca, pastoreio e comércio de ouro e sal. Conquistaram Mali
no século XV, momento em que formaram um único império.

Reino de Cuxe
Desenvolveu-se na região nordeste do continente africano (atual região do Sudão),
entre os anos de 2.000 a.C. e 350 d.C. Foi por muito tempo dominado pelo Egito, de quem
recebeu muitas influencias nas áreas política, religiosa e arquitetônica. Também eram politeístas
e acreditavam na vida após a morte. Construíram cidades às margens do rio Nilo, com presença
de templos, palácios e pirâmides. Praticavam o comércio marítimo nas águas do Mar Vermelho.
O Estado de Cuxe era governado por um rei. Dominavam a arte da metalurgia, principalmente
do ferro.

Disponível em: <https://www.suapesquisa.com/afric/>. Acesso em: 15 abr. 2018