Você está na página 1de 11

JORNAL DA ALERJ

A S S E M B L É I A L E G I S L AT I VA D O E S TA D O D O R I O D E J A N E I R O
Ano VI N° 170 – Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008
Rafael Wallace

O fim da
burocracia

l NESTE NÚMERO Assembléia se mobiliza para simplificar processos administrativos,


aprovando leis que modernizam a administração pública

E
Alerj cria telefone
0800 para combater
pirataria no estado mbora seja originária da união dos de campeão mundial da burocracia, segundo
PÁGINA 3 termos bureau (escritório, em fran- levantamento recente do International Business
cês) e krátos (poder, em grego), foi Report (IBR). Para reverter esta realidade, a As-
em bom português que a burocracia encontrou sembléia Legislativa do Rio vem apresentando e
Conheça os seu significado mais amplo e disseminado. aprovando normas que buscam desburocratizar
deputados que Herança dos tempos do Brasil colônia, em a administração pública, como a aprovação do
tomaram posse na que tomou força com a chegada da Família projeto, agora lei, que dá ao servidor estatu-
Assembléia em abril Real portuguesa, este sistema de divisão de tário a prerrogativa de certificar documentos,
PÁGINAS 4 e 5 responsabilidades e poderes passou a ser visto dispensando a autenticação. “Antes, os Diários
como sinônimo de regras e procedimentos Oficiais precisavam ser cedidos para auxiliar na
desnecessários ao funcionamento do sistema autenticação em cartório. Agora fazemos tudo
Jorge Babu e seus administrativo, devido às suas limitações e aqui, o que assegura o cuidado no manuseio dos
projetos em defesa soluções morosas. periódicos e facilita a vida de quem nos procura”,
da Zona Oeste Presente em todos os patamares da admi- elogia o documentarista Luis Fernando Teixeira
PÁGINA 12 nistração pública do País, esta organização faz (foto), que trabalha da Biblioteca da Alerj.
do Brasil, hoje, o detentor do desagradável título PÁGINAS 6, 7 e 8
2 Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008

Frases Consulta popular Expediente

“ Não é hora de
jogar pedra no
secretário (estadual
l Gostaria de saber se a Comissão de Minas e Energia
da Alerj pode me informar o que devo fazer para evitar
abastecer o meu carro com combustível adulterado.
de Saúde, Sérgio Bruno de Souza - Rio das Ostras
Côrtes), até porque
é um caso de do posto, tais como placa da
ALERJ
Assembléia Legislativa

guerra e nosso povo ANP visível com o telefone do Estado do Rio de Janeiro

está morrendo. Deputado do Centro de Relações com


Precisamos dar Glauco o Consumidor, bandeira do
as mãos, mas Lopes posto e marca da distribuido- Presidente
Jorge Picciani
não podemos ser (PSDB) ra no caminhão que abastece
1ª Vice-presidente
enganados pela o posto igual à informada na


Coronel Jairo
secretaria bomba. Também é possível 2º Vice-presidente
solicitar ao posto que faça o Gilberto Palmares
José Nader (PTB), sobre a carência no
atendimento às pessoas com dengue. l Bruno, para evitar es- “teste da proveta”, um teste 3º Vice-presidente

tes abusos e não pôr em risco obrigatório que verifica o teor 4º Vice-presidente


o seu carro, algumas medidas de álcool na gasolina. Não Gerson Bergher
A situação da
devem ser tomadas ao esco- tenha vergonha de pedir, não. 1ª Secretária
Barcas S/A é aflitiva Graça Matos
lher um local para abastecer. Este teste é obrigatório con-
economicamente? 2º Secretário
A primeira delas é exigir sem- forme a Portaria ANP de 2000.
E a do cidadão que Zito
pre a nota fiscal para garantir Qualquer dúvida ligue para
ganha mil reais 3º Secretário
o conhecimento da origem o atendimento ao Cliente da Dica
por mês e trabalha
do combustível do seu tan- Agência Nacional do Petróleo. 4ª Secretário
todos os dias aqui, Fabio Silva
que. Além disso, podem ser Anote o número, a ligação é
na cidade do Rio de 1a Suplente
verificadas outras obrigações gratuita: 0800 900 267.
Janeiro? O mínimo 2 o Suplente
que ele paga de Armando José
passagem, se não l Gostaria de solicitar a intervenção e ajuda da Co- 3º Suplente
tiver que pegar um missão de Saúde para o seguinte caso: minha mãe tem Pedro Augusto

ônibus, são R$ 8 Alzheimer e está internada na Casa Geriátrica Sol Lar 4º Suplente
Edino Fonseca
por dia, nos dias Vivendas da 3ª idade. O principal problema é que esta
normais. Será que casa para idosos não possui uma estrutura adequada JORNAL DA ALERJ
Publicação quinzenal
a situação desse para minha mãe, que tem apresentado pioras no quadro do Departamento de
cidadão não clínico. Seria possível, encaminhá-la para algum hospital Comunicação Social da


Assembléia Legislativa do
é aflitiva? da rede estadual para que ela pudesse fazer os exames Estado do Rio de Janeiro

Gilberto Palmares (PT), criticando o


necessários e ter acompanhamento médico? Jornalista responsável
preço da passagem para Paquetá. Iara Paiva - Caxambi, Rio de Janeiro Fernanda Pedrosa (MT-13511)

Rafael Wallace
dimento de emergências Coordenação: Geiza Rocha

e, além disso, a rede conta Reportagem: Everton Silvalima,


Deputado com alguns institutos espe- Luciana Ferreira, Fernanda Porto e
Marcela Maciel
Átila cializados em cardiologia,
Nunes tuberculose, hanseníase e Estagiários: Ana Beatriz Couto,
Camila de Paula, Carla Boechat,
(DEM) hemodiálise. A secretaria Fabiano Veneza, Karina Moura,
espera criar, em breve, um Natalia Alves e Zô Guimarães

Instituto do Cérebro, onde Fotografia: Rafael Wallace


as demências poderão ser
“ Se pirataria é
crime, imagina
pirataria de remédio!
l Prezada Iara, enca-
minhamos seu pedido para
tratadas em clínicas-dias,
locais em que a pessoa é
Diagramação: Daniel Tiriba

Telefones: (21) 2588-1404/1383


a Secretaria de Estado de tratada durante o dia mas Fax: (21) 2588-1404
Então, tem que Saúde, que nos informou não é internada. Tendo em Rua Primeiro de Março s/nº sala 406
prender, condenar que, embora os hospitais vista esta resposta da se-
CEP-20010-090 – Rio de Janeiro/RJ
Email: dcs@alerj.rj.gov.br
à prisão perpétua da rede estadual possam cretaria, mesmo não sen- www.alerj.rj.gov.br
o cara que faz isso, fazer alguns exames clí- do possível um tratamento
mas ele também nicos, nenhum tem perfil, mais específico, iremos en- Impressão: Gráfica da Alerj
quer multar

Cidinha Campos (PDT), sobre o
tratamento, estrutura e pro-
fissionais para manejo de
caminhar sua mãe para a
realização dos exames que
Coordenação: Leandro Pinho
Montagem: Bianca Marques e
Rodrigo Graciosa
projeto de lei do deputado Dionísio Lins demências. O perfil dos hos- estão disponíveis na rede Tiragem: 2 mil exemplares
(PP), que estabelece penalidades para
a comercialização de medicamentos e pitais estaduais é de aten- estadual de saúde.
remédios pirateados.

Dúvidas, denúncias e reclamações: 0800 22 00 08


Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008 3

alerta

Disque contra pirataria


Zô Guimarães
Comissão lança serviço
gratuito para receber
queixas dos consumidores

A
Natalia A lves

população fluminense ganhou


este mês mais um canal pa-
ra combater a pirataria no
estado. A Comissão da Alerj criada para
prevenir e combater a pirataria lançou o
Disque-Pirataria (0800 282 6582), ser-
viço gratuito para orientação e registro
de denúncias sobre a venda de artigos
falsificados. De acordo com o presidente da
comissão, deputado Dionísio Lins (PP), o
serviço, que funciona de segunda a sexta,
das 9h às 18h, traz mais visibilidade ao tra-
balho que vem sendo realizado pela Casa.
“Antes do disque, atendíamos a popula-
ção no gabinete. Agora vamos partir das
denúncias para operar em parceria com a
Receita Federal e a polícia, que têm condi-
ções de desarticular esquema organizado
de contrabando e pirataria”, explicou o
parlamentar, acrescentando que os cam-
peões de reclamação referem-se à venda De acordo com o deputado Dionísio Lins, próximo passo da comissão será alertar os jovens
de CDs, DVDs, artigos esportivos, óculos e
remédios piratas. “O grande problema do
País é a impunidade. O Disque-Pirataria l Texto ensina a distinguir produtos falsificados
será a nossa ferramenta para combater A cartilha da Comissão da As- peças, medicamentos, CDs, DVDs,
esse mal”, afirmou o deputado. sembléia Legislativa do Rio criada softwares. A cartilha traz ainda o que
Além de atuar em conjunto com as para prevenir e combater a pirataria consta do Código de Defesa do Consu-
instituições responsáveis por reprimir informa sobre os dispositivos legais, midor. Também podem ser encontrados
a pirataria, a comissão irá trabalhar na atos e regulamentações que caracteri- nela endereços e telefones dos orga-
área da Educação. “Estamos lançando zam uma mercadoria legal. Nela estão nismos reguladores de fiscalização e
uma cartilha direcionada aos jovens para definidas técnicas de etiquetagem, combate aos produtos. Em relação aos
mostrar o que está por trás da compra de como identificar produ- tênis, um dos produtos piratas
um produto falsificado”, anuncia o presi- tos originais e piratas, mais consumidos pelos jovens,
dente da comissão. De acordo com Lins, responsabilidades sobre a cartilha apresenta um es-
o público-alvo foi escolhido com base no a fabricação e comer- tudo do laboratório de bio-
levantamento realizado pela comissão. cialização de pro- mecânica da Universida-
“Desde a sua criação, em setembro de dutos como tênis, de do Estado de Santa
2007, percebemos que os denunciantes brinquedos, pro- Catarina (Udesc), que
que entram em contato com a comissão, dutos saneantes revela prejuízos cau-
em sua maioria, possuem entre 35 e e têxteis, botijões, sados às estruturas
60 anos”, esclarece o parlamentar, que mangueiras e re- moleculares, esquelé-
realizará palestras nas escolas públicas guladores de gás, ticas e de ligamentos,
e particulares e em universidades. “Acre- táxis, gás natural podendo acarretar artro-
ditamos que educando o consumidor veicular (GNV), auto- se precoce.
de hoje, num futuro próximo, vamos
criar uma consciência coletiva, de que
a pirataria é um péssimo negócio para
todos nós”, declarou.
Disque-Pirataria 0800 282 6582
4 Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008

renovação

As novas caras
Dentre os deputados que (PTB) ocupam as vagas dos deputados abril, considera a Lei 2.828/97, que dá
tomaram posse na Alerj em licenciados Rodrigo Dantas (DEM), que direito a pessoas acima de 60 anos de
abril, três são veteranos e deixou a Alerj para ser secretário muni- terem um acompanhante em internações
três, estreantes no Parlamento cipal de Obras do Rio de Janeiro, Pedro em casas de saúde, sua principal contri-
Fernandes (DEM), secretário municipal buição à utilidade pública fluminense. “A

A
Luciana A lmeida de Meio Ambiente também da capital, expectativa é que eu possa ser o que fui
e Walney Rocha (PTB), convidado para durante os seis anos que trabalhei neste
Assembléia Legislativa do assumir a Secretaria de Saúde do muni- Parlamento, ou seja, um deputado que
Estado do Rio de Janeiro cípio de Nova Iguaçu. O suplente Antônio compôs o bloco ético da Casa, que traba-
está de cara nova. No início Pedregal (PSC) deixou a Assembléia com lhou questões importantes, de interesse do
do mês de abril, cinco novos deputados a volta do deputado Sabino (PSC), que estado, e que apresentou uma quantidade
tomaram posse e um deputado licenciado ocupava até março a Secretaria estadual extraordinária de projetos, com muitas leis
voltou à Casa. Os deputados Nilton Sa- de Trabalho e Renda. aprovadas”, afirmou.
lomão (PMDB) e Iranildo Campos (PTB) Nilton Salomão, Iranildo Campos e Empossado na mesma ocasião, o
entraram, respectivamente, nas vagas José Távora já conhecem a Alerj de longa deputado Iranildo Campos, que foi
abertas após a cassação de Jane Cozzo- data. Salomão, que passou pela Casa entre presidente da Comissão de Assuntos
lino (PTC) e Renata do Posto (PTB). Já 1997 e 2002, pretende retomar a luta pelos da Criança e do Adolescente durante o
os suplentes José Távora (DEM), Rafael direitos da terceira idade nesta legislatura. período em que esteve na Alerj, de 2005
Aloísio Freitas (DEM) e Marcus Vinícius O deputado, que tomou posse em 7 de a 2006, também pretende trabalhar em

Deputado Nilton Deputado Iranildo Deputado Sabino


Salomão (PMDB) Campos (PTB) (PSC)

Natural de Teresópolis, o deputado Advogado e policial Bacharel em Letras e funcionário


Nilton Salomão é bancário, foi militar da reserva, o petebista concursado da Caixa Econômica
professor universitário e, até o Iranildo Campos é natural do Federal, o deputado Alcebíades
início de abril, exercia a função Rio de Janeiro, mas escolheu Sabino, natural de Rio das
de subsecretário estadual de São João de Meriti para atuar Ostras, na Região dos Lagos, foi
Habitação. O parlamentar politicamente. No município, fundador da primeira associação
do PMDB, que já ocupou foi vice-prefeito, secretário de moradores do município.
uma cadeira na Assembléia municipal de Governo, de Eleito prefeito da cidade em
Legislativa do Estado do Rio Obras, de Urbanismo, de Meio 1996 e reeleito em 2000, Sabino
de Janeiro entre 1997 e 2002, Ambiente e de Saúde. Durante assumiu no Governo do estado
entrou para a política em 1993 o período em que esteve na os cargos de subsecretário
através do Movimento pela Ética Alerj, o deputado foi presidente de Meio Ambiente, em 2005,
e Competência na Administração da Comissão de Assuntos da e de secretário de Trabalho e
Pública (Mecap). Criança e do Adolescente. Renda, em 2007.
Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008 11
5

renovação

da Assembléia
favor da terceira idade. “Foco, especial- Deputados de primeira viagem, Mar- arbitrariedades de certas empresas, e
mente, nas crianças e nos idosos, mas é cus Vinícius e Rafael Aloísio Freitas, pela Saúde, onde já venho atuando e
óbvio que todo meu mandato será pau- empossados, respectivamente, em 8 e conheço bem”, revelou Freitas.
tado para toda a sociedade fluminense, 9 de abril, compartilham o entusiasmo O deputado Sabino, que voltou à
sempre pensando em elaborar e aprovar pela nova função. “Não estou assustado, Alerj em 3 de abril depois de ocupar
projetos que beneficiem a população de apesar de ser minha primeira experiên- a Secretaria estadual de Trabalho e
um modo geral”, ponderou. cia em um cargo público. Recebi muitos Renda desde o início da legislatura,
Com 16 anos dedicados ao Poder votos em Petrópolis (região Serrana do pretende aplicar na Assembléia lições
Legislativo, José Távora, que foi presi- estado), cidade que é meu reduto eleito- que aprendeu neste período. “Volto
dente da União Nacional dos Legislati- ral e onde vivo, e estou aqui para honrar para representar nesta casa as pes-
vos Estaduais (Unale) durante a última esses votos”, informou Marcus Vinícius. soas que me colocaram. Trago muitas
legislatura, voltou à Casa em 10 de abril. “Chego a esta Casa com o principal experiências positivas da secretaria,
“Pretendo dar continuidade aos traba- dever de somar e, principalmente, com quero desenvolvê-las aqui também”,
lhos que sempre realizei na Assembléia, a vontade de aprender, observando os afirmou, lembrando que políticas pú-
priorizando os mais pobres e necessita- trabalhos dos demais deputados, que blicas de responsabilidade social,
dos. Farei um levantamento dos meus são muito mais experientes. Colocarei desenvolvidas pelo Governo Sérgio
projetos de lei, que não são poucos, para o meu mandato à disposição da luta Cabral, foram fundamentais para atrair
analisar qual precisa ser retirado dos pela defesa dos direitos do consumidor investimentos e estimular o mercado
arquivos”, destacou Távora. fluminense, muito penalizado pelas de trabalho no estado.

Deputado José Deputado Rafael Deputado Marcus


Távora (DEM) Aloísio Freitas (DEM) Vinicius (PTB)

Fotos: Rafael Wallace

Ex-vice-presidente da Alerj, o Nascido na cidade do Rio de Natural de Barra do Piraí, mas


democrata José Cardoso Távora Janeiro, o deputado Rafael Aloísio com atuação em Petrópolis,
é autor de 43 leis e 54 projetos Freitas, 28 anos, formou-se em na Região Serrana do Rio de
elaborados durante os 16 anos odontologia pela Universidade Janeiro, o deputado Marcus
em que foi parlamentar na Casa. Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Vinícius Vasconcelos Ferreira,
Presidente da União Nacional e iniciou sua carreira política de 35 anos, casado e pai de
dos Legislativos Estaduais atuando ao lado do pai, o atual três filhos, é secretário-geral do
(Unale) na gestão 2005-2006, presidente da Câmara Municipal PTB no Rio. Corretor de imóveis
Távora defende o fortalecimento do Rio de Janeiro, vereador e ex-assessor da Eletronuclear,
da capacidade de legislar Aloísio Freitas (DEM). Em Marcus Vinícius trabalhou,
dos deputados, transferida 2004, Rafael teve sua primeira por oito anos, com o sogro e
em grande parte, a partir da experiência em um cargo público, presidente nacional do PTB,
Constituição de 1988, para o quando assumiu a Subprefeitura o ex-deputado federal
Poder Executivo. do Grande Méier. Roberto Jefferson.
12
6 Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008 Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008 11
7

capa

Palavra de ordem é descomplicar Fotos: Zô Guimarães


firma”, lembra a gerente de Atendi-
Mudanças na legislação

mento ao Segurado do RioPrevidência,
buscam simplificar processos Eu não podia pagar
Sureadna Reis.
e dar fim à burocracia pelas autenticações dos
A nova regra é um dos mais re-
documentos. Agora está

A
presentativos exemplos da busca da
F ernanda Porto, mais fácil, não preciso
Assembléia Legislativa do Rio por
Camila de Paula e Carla Boechat ficar indo até o cartório
medidas de combate à burocracia
e o atendimento está


ainda reinante no setor público es-
mais rápido
dona de casa Jose- tadual. São ações que, mais do que
fa Maria da Silva significar um avanço no tempo e custo Josefa Maria da Silva
lembra com de- dos processos, combatem a desones-
talhes da época tidade propiciada pelas barreiras bu-
em que teve que rocráticas. “Um dos maiores avanços
fazer uma peregrinação para conseguir da lei foi ter reduzido a abordagem
habilitar sua pensão. “Foi em 1999, de advogados e despachantes com
dois anos após a morte do meu marido. ofertas de facilitações, muitas vezes
Pediram tantas provas de união estável conquistadas desonestamente. A lei
que eu não agüentava mais vir aqui. trouxe transparência ao procedimento,
Ficava sem dinheiro para vir de Niló- e esta prática foi reduzida em muitos
polis, onde moro, e uma vez cheguei a setores da administração pública”,
ter que pedir o dinheiro da passagem elogia Sureadna, lembrando que boa
para desconhecidos na rua”, relembra.
“Uma advogada chegou a me oferecer
parte da burocracia existente no sis-
tema de pensões do estado teve fim “ Um dos maiores avanços
da lei foi ter reduzido a
abordagem de advogados
ajuda, mas eu não podia pagar. Não quando a Alerj aprovou, no final do
podia pagar nem as autenticações dos ano passado, o projeto de autoria do A dona de casa Josefa da e despachantes com
documentos. Agora está mais fácil, Poder Executivo que promoveu a fu- Silva sendo auxiliada no ofertas de facilitações,
posto de atendimento do muitas vezes conquistadas
não preciso ficar indo até o cartório, são do RioPrevidência com o Instituto

RioPrevidência: processo
e o atendimento está mais rápido”, de Previdência do Estado do Rio de simplificado após criação de lei desonestamente
relata, aliviada, a pensionista de 56 Janeiro (Iperj). “Revisões de pensão,
Sureadna Reis, gerente do RioPrevidência
anos, durante a revisão do benefício que antes eram feitas através de pro-
no RioPrevidência, Centro do Rio. cessos judiciais, agora são resolvidas
Histórias como a de Josefa para- administrativamente”, salienta. ga tributária, que é a mais elevada do combate à burocracia, como observaram Leis e projetos criados para facilitar a vida da população
ram de se repetir a partir de julho de À fusão, soma-se outra importante País, temos ainda que combater a falta os deputados Paulo Ramos (PDT) e o
2007, quando entrou em vigor a Lei medida desburocratizante aprovada de empreendedorismo causada pelos ex-deputado Antônio Pedregal (veja Autonomia ao servidor – A Lei 5.069/07, de autoria da ex-deputada es-
5.069/07, que estabelece a dispensa pela Alerj no último ano: a Lei 5.147/07, excessivos entraves burocráticos que no ponto a ponto). Os dois apresenta- tadual Andréia Zito, dá autonomia ao servidor público para atestar a autenti-
da autenticação em cartório das cópias que adequa o sistema de tributação impedem o crescimento das empresas de ram projetos que prevêem o uso desta cidade de documentos, o que acabou com a necessidade de autenticação na
de documentos exigidos por órgãos estadual ao Simples Nacional (ou Su- capital privado e nos leva à atual situação ferramenta como meio de pular etapas administração pública.
integrantes da administração pública. persimples), que unifica a cobrança de do estado, em que as 30 companhias e agilizar procedimentos. “Neste mo- Preferência ampliada – O deputado Glauco Lopes (PSDB) apresentou o
A proposta, apresentada em 2006 pela tributos para micro e pequenas empre- com maior faturamento são públicas”, mento, insistir em velhos formatos e projeto 1.450/08, que estabelece a prioridade na tramitação dos processos de
então deputada estadual – e hoje federal sas. A regra irá fomentar um ambiente adverte o deputado Pedro Paulo (PSDB), meios, além de custoso e desgastante, portadores de deficiência. O projeto amplia a lei 5.059/07, também de Lopes, que
– Andréia Zito (PSDB-RJ), dá autonomia favorável aos pequenos negócios no autor de projeto, atualmente em trami- é desnecessário. Não faz sentido que dá preferência aos processos de maiores de 65 anos.
aos servidores dos órgãos públicos para estado, dando descontos de até 70% no tação na Casa, que lista princípios para não usemos um instrumento que, ao Autenticação – O projeto de lei 1.267/08, criado pelo deputado Pedro Paulo
confrontar o original e a cópia e declarar pagamento do Imposto sobre Circulação o reconhecimento de firma na abertura facilitar o acesso às informações, dá (PSDB), estabelece normas para o reconhecimento de firma na abertura de pro-
sua autenticidade. “Mesmo agora, após de Mercadorias e Prestação de Serviços de processos na administração direta, transparência à administração, além de cessos na administração direta, autárquica e fundacional do estado do Rio.
mudanças que já simplificaram o proces- (ICMS) aos pequenos empresários que autárquica e fundacional do estado. “A poupar tempo e esforço dos cidadãos.
Habilitação – O deputado Paulo Ramos (PDT) propôs, através do projeto 930/07,
so, ainda é necessária a apresentação optarem pelo sistema simplificado de burocracia configura-se como um mal Espero ver, em breve, a Internet sendo
que a segunda via da Carteira Nacional de Habilitação possa ser retirada pela in-
da cópia de nove documentos para se cobrança de tributos. De acordo com o que impede o desenvolvimento do Rio de utilizada como meio facilitador de todos
ternet, assim como a troca da permissão temporária pelo documento definitivo.
dar entrada na pensão. Imagine quando Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Janeiro. Ela deve ser combatida, ou não os serviços públicos”, torce Ramos, cuja
havia a necessidade de validar todos Empresas do Rio de Janeiro (Sebrae-RJ), haverá progresso econômico no estado”, proposta estabelece que os motoristas Cancelamento de linha – A proposta 274/07, do ex-deputado Antônio Pe-
eles? Agora o atendimento flui melhor, esta regra beneficiará cerca de 130 mil conclui o tucano. do estado possam tirar a segunda via dregal, poderá permitir que os usuários de serviços de telefonia móvel cancelem
porque os pensionistas não precisam empresas no Rio. Em tempos de expansão dos meios da Carteira Nacional de Habilitação no os serviços por intermédio de fax, telegrama, e-mail, carta, sedex, formulário
mais voltar aqui várias vezes trazendo “Foi uma conquista, mas, além de de acesso à informação, a Internet tam- site do Departamento de Trânsito do próprio ou qualquer outro meio de contato, independentemente de a possibilidade
autenticações e reconhecimentos de trabalharmos para reduzir a nossa car- bém pode ser uma importante aliada no Rio de Janeiro (Detran-RJ). constar ou não em contrato.
12
8 Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008

capa

l Combate à burocracia envolve a adoção de ferramentas como a internet Fotos: Rafael Wallace

“Erradicar a burocracia da “A internet oferece conveniências “O sistema burocrático é muito


administração pública permitiria ao das quais temos que tirar prejudicial para a população
estado avançar economicamente, vantagem, sobretudo no combate em geral, mas, sobretudo, para
através do fortalecimento das ao sistema burocrático e a todos quem não tem como esperar
micro e pequenas empresas e, os desconfortos que ele oferece. por soluções e respostas muito
conseqüentemente, da redução da Por isto apresentei um projeto demoradas. Combater uma
economia informal. E este cenário que visa a agilizar o processo organização tão enraizada na
contribuiria para a geração de de obtenção da Carteira de administração pública brasileira
empregos. Combater a burocracia Habilitação por pessoas que não é tarefa árdua, mas podemos, ao
no estado do Rio é fundamental podem comparecer aos postos menos, minimizar seus efeitos
e urgente. Temos que pensar, do Detran, qualquer que seja através da aprovação de leis que
sempre, em medidas para o motivo. Esta iniciativa já foi privilegiam o atendimento àqueles
reverter este formato que só implementada em Minas Gerais e que têm mais urgência na solução
causa atraso e prejuízo para eu espero poder vê-la em prática de seus casos, como os idosos e os
a população fluminense” também no estado do Rio” portadores de deficiência”

Deputado Pedro Deputado Paulo Deputado Glauco


Paulo (PSDB) Ramos (PDT) Lopes (PSDB)

Centrais de atendimento implantadas pelo Governo orientam cidadãos


Rafael Wallace
Centralizar, em muitos casos, pode não poder faltar ao trabalho. Saber deste
ser sinônimo de desburocratizar. Este é serviço me permitiu retirar a segunda via
o princípio do Programa de Atendimento de todos de uma vez, no horário de almo-
Integrado (PAI), implantado pelo Go- ço”, comemora a auxiliar administrativa
verno do Estado do Rio de Janeiro com Elizabete Assis Martins (foto).
o intuito de auxiliar pessoas físicas e Com o mesmo fim, o Rio Fácil oferece
jurídicas na obtenção de documentos. 14 serviços de orientação empresarial e
Vinculado à Secretaria de Estado de contábil ao futuro empreendedor, desde a
Desenvolvimento Econômico, Energia, escolha do nome da empresa até sua le-
Indústria e Serviços, o PAI divide-se em galização. “Gasto, aqui, quase a metade
dois segmentos: Central Rio Fácil, de do tempo que levava anteriormente na
atendimento empresarial, e Central Rio legalização da empresa. Isto me ajudou a
Simples, de atendimento ao cidadão. produzir mais”, afirma o contador Paulo
Dentre os serviços oferecidos pelo Rio Gouvêa, que já abriu 25 empresas desde pessoas por dia, num total de 215 ser-
Simples estão a emissão de carteiras de que conheceu o serviço, em 2002. viços prestados. Mas ainda estamos em
identidade, de motorista, de segunda via Contando com duas filiais, uma na fase de expansão, e temos a intenção
de contas de gás, luz, água e telefone, além Estação de Metrô da Carioca e outra de abrir duas novas unidades ainda em
do atendimento do Procon e da consulta na Central do Brasil, o programa já 2008. Uma na Baixada Fluminense e
ao cadastro do Serasa. “Vinha adiando a atendeu, desde sua implantação, em outra na Zona Oeste da cidade”, prevê
retirada dos meus documentos, perdidos 2001, até março deste ano, 3.447.806 a coordenadora do programa, Maria da
em um assalto há quase um ano, por usuários. “Recebemos cerca de 3.600 Conceição Ribeiro.
Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008 9

cultura

Valor à experiência
Lei sancionada considera no interior do estado, onde se concentra o trabalho dos músicos e incentivar
bandas civis centenárias o maior número das bandas”, aposta o as pessoas a recorrer mais à música
Patrimônio Cultural do estado autor da lei, que já foi procurado por como expressão artística. “As bandas
algumas entidades para saber como de músicas civis centenárias são da

E
Camila de Paula e K arina Moura será feito este registro. mais absoluta importância para a pro-
O Estado do Rio possui inúmeras pagação da arte e fomentam a cultura
las animam a população ao corporações musicais que contribuem em nosso estado. Cada uma delas em
desfilar pelas ruas, nas apre- para a formação cultural e divulgam atividade hoje, inclusive a que faço
sentações em praças e audi- sua arte. Atualmente, o conjunto de parte, representa preciosa manifestação
tórios. E agora, as bandas de música bandas civis centenárias em atividade de nossa identidade. Exatamente por
civis centenárias poderão fazer parte no estado é formado por 20 corporações. isso, torná-las oficialmente patrimônio
do Patrimônio Cultural do Estado do Uma delas é a Banda de Música do cultural é um importante e justo reco-
Rio de Janeiro. Foi sancionada no dia Colégio Salesiano Santa Rosa, locali- nhecimento, além de ser um incentivo”,
3 de abril, a Lei 5.215/08, de autoria zada em Niterói. Fundada em 1888, “a exalta o parlamentar.
do deputado Altineu Côrtes (PT), que banda colegial mais antiga do Brasil”
permitirá às entidades que se julga- possui uma trajetória de sucesso na
rem aptas a receber o título requerer sua longa jornada musical. Com 120
o mesmo junto à Secretaria de Estado
de Cultura. O requerimento deve ser
anos, 36 campeonatos disputados e
24 vezes campeã, a banda conta com “ Temos que dar importância
e preservar este trabalho,
presente em quase todos
entregue pelo representante legal da seis títulos em sua discografia. Para
entidade e estar acompanhado das de-
vidas comprovações documentais. “Te-
Affonso Gonçalves Reis, maestro da
banda desde 1948, através dessa lei o
os municípios

Deputado Altineu Côrtes (PT)
mos que dar importância e preservar trabalho de todos os músicos vai poder
este trabalho, presente em quase todos ser reconhecido e valorizado. “Vejo
os municípios. Resgatar a cultura do esta lei como um reco-
povo é dever do Governo. Para muitos nhecimento do nosso
músicos, elas são verdadeiras escolas trabalho. Espero que
profissionalizantes, responsáveis pela a partir disso as ban-
formação de muitos membros de ban- das recebam mais apoio
das militares e orquestras do Brasil e cultural e financeiro para
exterior”, ressalta o parlamentar. continuarem sua cami-
De acordo com a lei, é considerada nhada com brilhantismo”,
banda de música civil toda entidade elogia o maestro. Rafael Wallace
sem fim lucrativo que contribui para a Para o deputado Ol-
formação cultural e divulgação da arte ney Botelho (PDT), que é
em todo território fluminense. “Estas membro do Conselho Deli-
entidades são responsáveis pela divulga- berativo da Sociedade Mu-
ção da arte e da cultura, e contribuem há sical Euterpe Friburguense,
quase um século e meio para a formação do município de Nova Fribur-
cultural do povo fluminense, ainda mais go, a nova lei vai reconhecer
Divulgação

Lei beneficiará bandas como a do Colégio


Salesiano, de Niterói, com 120 anos
10 Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008

l curtas escola do legislativo

Celulares proibidos

Desde 14 de abril está proibido, em to-


Aula sobre Constituição
do o estado, o uso de aparelhos celula- votação tinha que obedecer a Constituição
Procurador da Alerj
res nas salas de aula das escolas públi- federal, desprezando o que diz a Constitui-
explica que voto aberto em
cas estaduais. De acordo com o autor ção estadual, que estabelece o voto aber-
cassações não é permitido
da Lei 5.222/08, deputado João Pedro to”, comparou. O procurador criticou ainda
pela Carta de 1988
(DEM), o objetivo é evitar a dispersão a centralização de poder acarretada pela

A
causada pelo uso destes aparelhos Natalia A lves sobreposição das constituições. “Além de
durante as aulas. “O uso do celular na termos um processo legislativo centrali-
escola compromete o desenvolvimento sobreposição da Constitui- zador, temos um processo de federação
e a concentração dos alunos. A lei não ção federal à estadual foi falso, que não permite a autonomia dos
vai proibir que o celular seja levado o principal tema levantado estados. Autonomia essa que se refletiria
para as escolas, mas sim o uso do apa- pelo procurador da Alerj Rodrigo Lopes no Poder Legislativo”, avaliou.
relho em sala de aula, durante o horário Lourenço, no dia 7 de abril, durante a aula O diretor-geral da escola, Marcelo
escolar”, ressaltou o parlamentar. inaugural dos cursos técnicos do Instituto Henrique da Costa, revelou que o objetivo
Brasileiro de Administração Municipal da aula inaugural é trazer para a Alerj
Estímulo à leitura (Ibam), que serão ministrados na Esco- o debate de temas centrais que dizem
la do Legislativo do Estado do Rio. “A respeito à legislação e à sociedade.
Foi sancionada, no dia 11 de abril, a Constituição de 1988 não tem alterações “Estamos recebendo um especialista
Lei 5.220/08, de autoria do deputado significativas em relação à da ditadura reconhecido para tratar de um tema
Olney Botelho (PDT), que cria a Sema- militar, no que se refere ao processo le- que, em alguns casos, inviabiliza todo
na do Autor Fluminense no calendário gislativo. Essa última Carta Magna, que o trabalho dos gabinetes. Queremos que
anual das escolas públicas estaduais. é tão elogiada como democrática, não é toda aula inaugural tenha essa caracte-
Durante a semana, as escolas deverão nada democrática se levarmos em conta a rística”, pontuou. O diretor frisou, ainda,
realizar exposições e debates, com a separação dos poderes e a questão federa- a importância da realização dos cursos
presença dos autores. “Quero incenti- tiva”, explicou Lopes. Para ele, o processo em parceria com o Ibam para a formação
var a produção literária e ajudar na di- legislativo mantido é interpretado pelo continuada dos servidores da Alerj. “Os
vulgação das obras fluminenses, facili- Supremo Tribunal Federal (STF) como cursos de Processo e Técnica Legislativa,
tando o acesso dos alunos aos livros e de obediência obrigatória à Constituição Redação Oficial, Contabilidade Pública e
autores”, explica Botelho. A Secretaria federal pelos estados e municípios, sem Licitação e Contrato são mais um passo
estadual de Educação deverá fixar uma levar em consideração as distorções entre para a formação continuada dos nossos
data para a realização da semana e cada local ou região. quadros”, revelou.
destinar parte das compras à obtenção O coordenador da Es-
Fabiano Veneza
de livros de autores fluminenses. cola do Legislativo, de-
putado Gilberto Palmares
Validade maior para cartão (PT), falou da expectativa
em ampliar os trabalhos da
A Comissão de Defesa do Consumidor escola para além da Casa
da Alerj venceu na Justiça e conseguiu e do município do Rio.
que a concessionária que administra “Estamos com o processo
o Metrô, a Opportrans, amplie a vali- de licitação em curso pa-
dade do cartão unitário, que substitui ra realizarmos um sonho
os bilhetes eletrônicos, de três para 15 antigo de oferecer o MBA
dias. Na decisão, tomada no dia 1º de em Técnico do Legislativo,
abril, a juíza Fernanda Galiza do Ama- uma iniciativa pioneira em
ral, da 2ª Vara Empresarial do Tribunal todo o País. Estamos fa-
de Justiça do Estado do Rio concedeu Procurador da Alerj Rodrigo Lopes durante aula inaugural
zendo uma parceria com
cinco dias, a contar daquela data, pa- a Secretaria de Estado de
ra que a concessionária cumprisse a Fazenda para habilitar nos-
determinação. “O parecer da Justiça Como exemplo prático dessa obe- sos servidores para lidar com o Sistema de
vai ao encontro dos interesses dos diência, o procurador citou a anulação, Administração Financeira para Estados e
usuários do Metrô. Afinal, se eles não pelo STF, da cassação de um deputado Municípios (Siafem) e com o Sistema de
utilizassem o crédito no prazo de três aprovada por voto aberto na Alerj, já que, Informações Gerenciais (SIG), que são fer-
dias, a viagem perdia a validade. Ago- de acordo com a Constituição brasileira, ramentas fundamentais para a fiscalização
ra, o passageiro terá tempo para fazer casos como esse devem ser analisados do Executivo. Queremos expandir nossas
uso do cartão unitário”, explica a presi- através de voto secreto. “As assembléias ações para todo o estado, promovendo
dente da comissão, deputada Cidinha legislativas ficam obrigadas a se estrutu- cursos técnicos para câmaras municipais
Campos (PDT). rarem como a Câmara Federal. Por isso, a e prefeituras”, sublinhou o petista.
Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008 11

movimento

União pelo fim do exame da OAB


Fabiano Veneza
Frente parlamentar tem
como objetivo a extinção da
obrigatoriedade da prova para
o exercício da advocacia

C
Natalia A lves

om o objetivo de apoiar a ex-


tinção da prova da Ordem dos
Advogados do Brasil (OAB) e
alertar a sociedade quanto a uma série de
dúvidas, falhas e injustiças que envolvem
o tema, foi lançada, no dia 11 de abril, a
Frente Parlamentar contra o Exame de
Ordem da OAB, no Plenário Barbosa Lima
Sobrinho da Assembléia Legislativa do
Rio. “A OAB está sendo responsável pelo
desemprego de quase quatro milhões de
bacharéis em Direito, que estão tendo cer-
ceada a garantia de exercer a profissão. O advogado João Antônio Volante, do Rio Grande do Sul, defendeu o fim do exame de ordem
Esse exame não reflete, verdadeiramente,
a qualidade do profissional. Teremos um
trabalho árduo e de longo prazo”, revelou ro (PP-RJ), o interesse da OAB em rela- definir a qualificação de um profissional.
o presidente da frente, deputado Flávio ção ao exame é puramente econômico. A sociedade precisa se conscientizar em
Bolsonaro (PP). O desembargador Luiz “Seria favorável à realização do exame relação a isso”, constatou.
Eduardo Rabelo aproveitou o evento se ele fosse dividido ao longo dos cinco Segundo o coordenador regional do
para alertar sobre a inconstitucionali- anos de curso, e sem qualquer tipo de Movimento Nacional dos Bacharéis em
dade da prova. “O exame teria que ser contribuição financeira por parte do Direito, José Valadão, o grupo não é
criado por lei e regulamentado pelo estudante. O que a OAB quer contrário à OAB ou a
presidente da República, não por um é arrecadar o valor referente profissionais do Direi-
deputado federal”, pontuou. à taxa do exame. Isso é que to em particular. “Es-
O desembargador disse ainda que
esse exame contraria diversos dispo-
sitivos constitucionais, que atribuem
precisa ser discutido e revis-
to”, defendeu. “ A OAB está sendo
responsável pelo
Segundo Jair Bolsonaro, desemprego de
ta luta é em favor da
dignidade do bacharel
e pela democracia.
competência às universidades e ao a OAB foi convidada e não quase quatro milhões Não somos contra
poder público. “Além de impedir o
exercício da profissão pelo bacharel, que
é assegurado pela Constituição, esse
mandou representante. “Que de bacharéis
democratas são esses que ”
não admitem ou respeitam Deputado Flávio Bolsonaro (PP)
uma instituição a que
queremos pertencer.
Entendemos que esse
exame impede a realização de alguns uma posição contrária a exame fere de morte
concursos públicos. Outra questão que seus interesses? Se o que a OAB e, por isso,
deve ser abordada é que o Governo fe- aconteceu hoje aqui fosse uma ses- lutamos pela sua extinção”, emendou
deral criou o Prouni e o financiamento são de julgamento, das duas uma: Valadão. O presidente nacional do
estudantil para facilitar o acesso de ou a OAB seria condenada à revelia Movimento Brasil dos Bacharéis em
jovens a universidades. O financiamen- ou, caso estivesse presente, sofreria Direito, João Antônio Volante, fez
to estabelece o início do pagamento uma derrota memorável, pois os fun- denúncias relativas à utilização da
do empréstimo para seis meses após damentos e argumentos levantados taxa paga para a realização do exame.
o término do curso”, indicou Rabelo, por esses bacharéis em direito, que “Sabemos que essa verba tem sido
acrescentando que a obrigatoriedade da a OAB julga serem incompetentes, utilizada para o financiamento de
aprovação no exame de Ordem impede convenceriam até os mais ignoran- campanhas”, condenou.
muitos estudantes de exercerem a pro- tes, inclusive os burocratas da OAB”, Os deputados Paulo Ramos (PDT),
fissão e, com isso, terem rendimentos provocou Bolsonaro. Natalino (DEM) e José Nader (PTB)
para arcar com o empréstimo. “Esse A promotora de Justiça Dora Beatriz participaram do evento e manifestaram
aspecto político pode sensibilizar o da Costa assegurou que a prova não defi- seu apoio à criação da frente, da qual
Supremo Tribunal Federal (STF) em ne um bom profissional. “Ofereço inúme- também fazem parte os deputados
relação à causa”, explicou. ras denúncias contra maus profissionais Glauco Lopes (PSDB), Marcos Abrahão
Para o deputado federal Jair Bolsona- diariamente. Esse exame é inútil para (PSL) e Dionísio Lins (PP).
12 Rio de Janeiro, de 1º a 15 de abril de 2008

l ENTREVISTA jorge babu (Pt)


Zô Guimarães

“Meus projetos
foram criados a
partir do que vejo”

P
F ernanda Porto

ai de duas filhas adolescentes, morador orgulhoso de


Santa Cruz, zona Oeste do Rio de Janeiro, policial civil
e tricolor, o deputado Jorge Babu (PT) somou a estas
auto-intitulações a de “defensor incansável da parcela menos fa-
vorecida da população”, quando, há oito, anos, decidiu investir na
política como forma de ver resolvidos os problemas da Zona Oeste
do Rio. Afeito a associações com São Jorge e a umbanda – fé que
professa e que já se tornou uma marca – o deputado estreante é
comedido ao falar sobre o “santo guerreiro”, cujo dia foi transfor-
mado em feriado estadual a partir de projeto de sua autoria. “Ajo
movido pela certeza de que o simbolismo do santo dá garra e traz
benefícios a todos. Mas tenho o cuidado de não ter minha imagem
excessivamente associada à dele. Minha devoção é séria e meu
interesse maior é o de fazer bem o meu trabalho como legislador,
do qual me orgulho”, salienta, ladeado por cinco imagens do santo
que decoram seu gabinete.

O que levou o senhor para mara deixando 111 projetos de rúrgica do Atlântico, pre- sobre um empreendimento tão
a política? lei e 32 leis aprovadas em seis sidida pelo senhor? importante e não apresentar
Meu desejo de poder fazer anos de trabalho. Alguns deles Pedi sua prorrogação por mais nenhuma conclusão.
algo pelo povo da região de já apresentei aqui, como o que 30 dias porque quero apresen-
Santa Cruz, que estava aban- tira os caixas eletrônicos dos tar um relatório final do estudo. Há anos o senhor tem a
donado. As pessoas estavam locais onde não há segurança O trabalho da comissão me bandeira da homenagem
muito decepcionadas com os 24 horas. Entendo que o banco surpreendeu. Para ser fran- a São Jorge e já emplacou
políticos, que só nos procura- não pode ser 24 horas se não co, esperava encontrar uma duas leis, uma municipal
vam em época de eleição. Foi oferece segurança durante situação bem mais definida. e outra estadual, res-
o desejo de atuar em defesa todo o tempo. É um projeto Encontramos algumas licenças paldando o 23 de abril
do bairro que me convenceu de que gosto, que consegui suspeitas e coisas funcionan- como dia santo. Qual o
a trilhar este caminho. Des- tornar lei no município e que do aos trancos e barrancos, o significado para o senhor
de então, está tudo correndo espero ver estendido a todo o que é preocupante. Por isso deste tributo?
melhor do que esperava. En- estado. Também estou finalizando Veja que citei vários projetos
trei no PT a convite de meu
irmão, fundador do partido, e
me elegi vereador na primeira
aposto nas pro-
“ Foi o desejo de
postas que torna- atuar em defesa
um relatório com
tudo o que foi vis-
rão obrigatória a do bairro de Santa to para ser envia-
sem mencioná-los. Não quero
criar polêmica, eles foram
pensados enquanto devoto do
tentativa. Cumpri um manda- vacinação contra Cruz que me do ao Ministério santo, mas também por conta
to e meio como vereador na o tétano no setor convenceu a trilhar Público. Acredito de uma preocupação com a


Câmara Municipal do Rio e da construção este caminho que esta empresa população fluminense. Num
me elegi deputado estadual. civil e o exame poderá ser ruim determinado momento, São
Em oito anos na política ga- de vista gratuito para a qualidade Jorge passou a ser o principal
nhei três eleições. Considero- para alunos da rede pública, de vida do povo de Santa Cruz. santo do Rio, o mais popular.
me um vitorioso. que muitas vezes são preju- Ela será benéfica pela movi- Minha iniciativa nasceu des-
dicados pela limitação visual. mentação de capital e geração ta conclusão. As coisas não
E a expectativa de po- Não faço distinção entre meus de empregos, mas será prejudi- andam bem no estado, e o
der ajudar sua região se projetos, acredito em todos, cial porque está danificando o Santo Guerreiro traz em sua
cumpriu? porque foram criados a partir meio ambiente ao aterrar área história uma mensagem bo-
Sim, e foi além. Além de ter do que vejo. de manguezal. Também acre- nita de luta, de perseverança.
mais condição de ajudar o dito que ela causará danos à Vencer a batalha representada
lugar onde nasci, cresci e crio Como está o trabalho da Baía de Sepetiba. Decidi fazer pelo dragão é uma analogia
minhas filhas, pude desenvol- Comissão Especial para um relatório porque não faz ao povo do Rio, que enfrenta
ver um trabalho legislativo do acompanhar a implanta- sentido me colocar à disposi- batalhas diárias em busca de
qual me orgulho. Saí da Câ- ção da Companhia Side- ção para presidir os trabalhos uma vida mais digna.