Você está na página 1de 56

IDAJ______________________________________________________________________________________

DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

(atualizada até janeiro 2009)

COMO CONCEITUAR O DIREITO ELEITORAL?

Vejamos o que dizem alguns especialistas:

“ Consiste o direito eleitoral num sistema de normas de direito público que regulam o dever do
cidadão de participar na formação do governo constitucional, o exercício, tanto dos direitos pré
eleitorais, como daqueles que nascem com o processo eleitoral e, ainda, as penas correlatas às
infrações criminais e administrativas, concernentes à matéria eleitoral” (prof. Elcias Ferreira da Costa
– Direito Eleitoral , 3ª edição ).

“ O direito eleitoral precisamente, dedica-se ao estudo de normas e procedimentos que


organizam e disciplinam o funcionamento do poder de sufrágio popular, de modo a que se
estabeleça a precisa equação entre a vontade do povo e a atividade governamental ‘’ ( Fávila Ribeiro
– Direito Eleitoral – 4ª edição ).

“O direito eleitoral é o ramo do direito público que trata de institutos relacionados com os direitos
políticos e das eleições, em todas as suas fases, como forma de escolha dos titulares dos mandatos
eletivos e das instituições do estado.” ( Joel Cândido – Direito Eleitoral Brasileiro – 9ª edição ).

“Direito eleitoral é o ramo do direito público ( direito constitucional ) que visa o direito ao sufrágio, a
saber, o direito subjetivo de natureza política que confere ao cidadão a capacidade eleitoral ativa ( de
eleger outrem – direito de votar - alistabilidade ) e capacidade eleitoral passiva ( de ser eleito –
elegibilidade ), bem como o direito de participar do governo e sujeitar-se à filiação, à organização
partidária e aos procedimentos criminais e cíveis ( inclusive regras de votação, apuração, etc. )
e, em especial à preparação, regulamentação, organização e à apuração das eleições.” (Thales
Tácito Pontes Luz de Pádua Cerqueira –Direito Eleitoral Brasileiro 3ª edição ).

QUAIS SÃO AS FONTES DO DIREITO ELEITORAL?

CONSTITUIÇÃO FEDERAL – traça as linhas fundamentais do sistema eleitoral brasileiro.

FONTES PRÓPRIAS :
CÓDIGO ELEITORAL E AS LEIS ESPARSAS, introduzindo acréscimos e inovações.

FONTES LEGISLATIVAS SUBSIDIÁRIAS:

CÓDIGO PENAL, CÓDIGO DE PROCESSO PENAL, CÓDIGO CIVIL, CÓDIGO DE PROCESSO


CIVIL , RESOLUÇÕES DO TSE .

DAS PRINCIPAIS NORMAS REGULAMENTADORAS DO DIREITO ELEITORAL

1. A CONSTITUIÇÃO FEDERAL - apresenta as regras gerais regulamentadoras do estado


democrático e do pleno exercício dos direitos políticos.

2. A LEI COMPLEMENTAR Nº 64/90 – disciplina outros casos de inelegibilidade, em


complementação a nossa carta magna, além de regulamentar os etapas processuais do registro dos
candidatos e da ação de investigação judicial eleitoral.

3. CÓDIGO ELEITORAL – recepcionado como lei complementar.

4. A LEI Nº 9.096/95 (ALTERADA PELAS LEIS 9.259/96, 9.693/98, 9504/97)- Dispõe sobre os
partidos políticos, considerando a necessidade de regulamentar artigos da constituição federal (artigo
14, artigo 17 – alterado pela Lei Complementar nº 52/06).

5. A LEI Nº 9.504/97 (ALTERADA PELAS LEIS 9.840/99, 10.408/02, 740/03, 11.300/06) - estabelece
normas para todas as eleições oficiais do nosso país.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 1
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

6. LEIS CORRELATAS – Tratam de diversos assuntos relacionados com o processo eleitoral (lei do
transporte de eleitores no dia da eleição, Lei complementar do ministério público, etc.).

7. RESOLUÇÕES DO TSE – regulamentando artigos das leis referentes ao pleito específico ou


consolidando legislações espessas sobre matéria eleitoral.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

1. COMO ESTUDAR DIREITO ELEITORAL?

R. É mais fácil estudar direito eleitoral acompanhando todas as suas fases processuais, desde o
alistamento dos eleitores até os procedimentos finais com a diplomação dos eleitos. Antes, porém,
devemos conhecer a organização da justiça eleitoral, fixando competências, estabelecendo suas
funções administrativas e judiciais. Observe o programa abaixo:

DIREITO ELEITORAL

Justiça eleitoral
Órgãos. Organização. Competências. Ministério Público Eleitoral.

DIREITO DE VOTAR

Alistamento eleitoral
Inscrição. Qualificação. Segunda via. Transferência. Cancelamento. Exclusão.

DIREITO DE SER VOTADO

Dos partidos políticos. Da organização e funcionamento. Criação. Programa. Estatuto. Filiação


Partidária. Fidelidade e disciplina. Fusão. Incorporação. Extinção. Finanças. Prestação de contas.
Fundo partidário. Acesso rádio e TV. Convenção. Escolha de candidatos.

CONDIÇÔES DE ELEGIBILIDADE

Nacionalidade brasileira. Pleno exercício dos direitos políticos. Alistamento eleitoral. Domicílio
eleitoral na circunscrição. Filiação partidária. Idade mínima.

INELEGIBILIDADES

Afastamentos. Desincompatibilizações. Inelegibilidade constitucional. Reeleição. Lei complementar


64/90.

REGISTRO DAS CANDIDATURAS

Estatuto do partido registrado no TSE. Coligações partidárias. Prazos. Convenções. Filiações.


Domicílio. Pedido de registro. Órgão competente para registrar os candidatos. Documentação exigida.
Preenchimento das condições de elegibilidade. Número dos partidos e dos candidatos. Percentual
por sexo. Representantes dos partidos e das coligações. Do processo de impugnação. Do
julgamento.

DA PROPAGANDA ELEITORAL

Diferença entre propaganda partidária e eleitoral. Início. Término. Propaganda em geral. Imprensa.
Rádio e TV. Internet. Propaganda em bloco e inserções. Condutas vedadas aos agentes públicos em
campanha eleitoral. Crimes e penalidades.

DAS PESQUISAS ELEITORAIS

Início. Registro. Impugnações. Divulgação. Crime.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 2
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

DAS ELEIÇÕES

Sistemas majoritário e proporcional. Dos atos preparatórios. Seções eleitorais. Mesas Receptoras.
Fiscalização. Material para votação. Do ato de votar. Voto secreto. Cédula oficial. Urna eletrônica.
Encerramento.

DA APURAÇÃO

Juntas eleitorais. Composição. Escrutinadores. Prazos. Abertura de urnas. Apuração manual.


Apuração eletrônica. Voto cantado. Impugnações. Recursos. Proclamação dos eleitos. Quociente
eleitoral.

DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Recursos. Responsáveis. Comitês. Gastos eleitorais. Da prestação das contas. Sobras de campanha.
Ato necessário para a diplomação dos eleitos.

DA DIPLOMAÇÃO

Competência. Formalidades. Fiscalização. Recursos. Natureza jurídica.

AÇÕES ESPECIFÍCAS DO DIREITO ELEITORAL

Reclamações e representações (lei n. 9504/97). Juízes auxiliares. Investigação judicial. Da ação de


impugnação de mandato eletivo.

DOS RECURSOS E DOS CRIMES ELEITORAIS

Dos recursos eleitorais. Aspectos gerais. Prazos. Recursos contra decisão de Juízes e Tribunais.
Dos crimes eleitorais. Previsão legal. Aplicação subsidiária do Direito penal e processual penal.
Polícia judiciária eleitoral. Habeas corpus eleitoral. Mandado de Segurança

PRIMEIRA PARTE

ÓRGÃOS DA JUSTIÇA ELEITORAL


(CÓDIGO ELEITORAL)

1. Quais são os órgãos da Justiça Eleitoral?

R. A Justiça Eleitoral é composta de quatro órgãos, a saber:

TSE - TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

TREs – TRIBUNAIS REGIONAIS ELEITORAIS

JUÍZES ELEITORAIS

JUNTAS ELEITORAIS

DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

JURISDIÇÃO: em todo território nacional.

COMPOSIÇÃO:
03 juízes dentre os ministros do STF (escolhidos pelo STF);
02 juízes dentre os ministros do STJ (escolhidos pelo STJ) e
02 Advogados (indicados pelo STF e nomeados pelo Presidente da República).
O TSE é responsável pelas eleições presidenciais.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 3
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL


O TRE é responsável pelas eleições federais e estaduais (Senadores e suplentes, Deputados
federais, Deputados Estaduais e Deputados Distrital).

JURISDIÇÃO: Em cada estado / território da federação e no Distrito Federal.


Atualmente, não existem territórios no país.
COMPOSIÇÃO:
02 Juízes dentre os Desembargadores do TJ (escolhidos pelo TJ);
02 Juízes dentre Juízes de Direito (escolhidos pelo TJ);
01 Juiz do TRF ou, onde não houver, um Juiz Federal (escolhidos pelo TRF) e
02 Advogados (indicados pelo TJ e nomeados pelo Presidente da República).

O Presidente e o Vice são escolhidos sempre entre os desembargadores do TJ. Já os corregedores


serão escolhidos de acordo com o regimento interno de cada TRE. No caso do TRE de Pernambuco,
são escolhidos entre os magistrados.

JUIZ ELEITORAL

O juiz é responsável pelas eleições de Prefeito e Vice e de Vereador. (Ficam nas zonas)

COMPOSIÇÃO: magistrado da Justiça Estadual – Juiz de Direito


Na justiça comum, cada área em que o juiz atua é chamada de comarca. Para a justiça eleitoral, é
chamada Zona Eleitoral.
JURISDIÇÃO: em cada Zona Eleitoral.
Para cada zona, existe um número mínimo de eleitores (70 mil eleitores). Pode-se ter um município
com várias zonas eleitorais, assim como se pode ter mais de um município com apenas uma zona
eleitoral. Cada juiz fica responsável PELA ZONA.
Atualmente, Recife tem 13 zonas eleitorais.
O juiz eleitoral não tem o tempo de remoção contado como os membros do TRE e do TSE, se só
houver um juiz será ele o juiz eleitoral até que haja outra opção. Se houver dois juízes, haverá o
rodízio de dois em dois anos.
Os critérios de escolha do juiz eleitoral serão: aquele que nunca foi juiz eleitoral; aquele que foi
juiz eleitoral há mais tempo; aquele que é mais antigo na comarca; aquele mais idoso. Exatamente
nessa ordem.
JUNTA ELEITORAL

Não é um órgão fixo da justiça eleitoral, são formadas apenas para realização das eleições. Existe
uma junta por zona.

JURISDIÇÃO: Apuração das eleições para onde foi designada.


COMPOSIÇÃO: 01 Juiz de Direito e 02 ou 04 cidadãos. (os cidadãos são escolhidos pelo juiz)
Nº membros da junta: 3 ou 5.
As juntas são formadas apenas para apurar e totalizar os votos. Em eleições municipais, a junta
apura e totaliza os votos. Se forem eleições estaduais ou federais, a junta apura os votos e envia para
o TRE, que totalizará os votos de todos os municípios.
O cartório eleitoral é o ambiente físico do TRE, portanto não é considerado um órgão da justiça
eleitoral.
Teoricamente, quando há mais de uma junta no mesmo município, a junta onde o juiz mais antigo
estiver lotado será a responsável pela totalização dos votos.

2. A composição do Tribunal Superior Eleitoral pode ser aumentada? E dos Tribunais Regionais
Eleitorais?
R. A composição do TSE, de acordo com a Constituição Federal, artigo 119, que atualizou o código
eleitoral, é de no mínimo sete, portanto é possível aumentar o número de Juízes do TSE. Já para os
Tribunais Regionais Eleitorais, é previsto no mesmo diploma legal, artigo 96, inciso II, alínea b, que o
TSE poderá propor ao Congresso Nacional alteração do número de seus membros.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 4
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

3. Por quanto tempo os Juízes dos Tribunais Eleitorais exercem as suas funções eleitorais?

R. Quanto ao tempo, os Juízes do TSE e dos TREs servirão, salvo motivo justificado, por dois anos,
ou seja, um biênio, e nunca mais de dois biênios. Eles são convocados para exercerem funções
eleitorais, pois a Justiça Eleitoral não tem quadro próprio de juízes, sendo eles de outras esferas do
poder judiciário nacional e da categoria de advogados.

4. É possível interromper a contagem do biênio dos Juízes?


Parentes até 2º grau participando do processo eleitoral como candidatos.
R. Sim, em casos específicos. Exemplo: o irmão do Juiz do Tribunal vai ser candidato a um cargo
eletivo na sua área de circunscrição eleitoral (candidato no estado). Neste caso, da homologação do
nome do candidato pela convenção do partido até a apuração final, o Juiz será afastado das funções
eleitorais. O Código Eleitoral limita a necessidade do afastamento quando existir parentesco até o
segundo grau, inclusive se for por afinidade (sogro, cunhado...). Exige o afastamento também se o
candidato for um cônjuge. A lei nº 9.504/97 estabelece ainda que o Juiz que seja parte em ações
judiciais que envolvam determinado candidato não poderá exercer suas funções em processo
eleitoral no qual o mesmo candidato seja interessado.

5. Os Juízes dos Tribunais são escolhidos com substitutos?

R. Sim, são escolhidos em número igual por categoria. Exemplo: classe de Desembargadores nos
TREs, teremos dois suplentes de Desembargadores, classe de jurista (Advogados), teremos dois
Advogados suplentes da classe de jurista.

6. Quem pode ser eleito presidente e vice presidente do TSE?

R. Um dos três ministros do STF que foram convocados para compor o TSE, cabendo a vice-
presidência a um dos outros dois.

7. Quem pode ser Corregedor Eleitoral?

R. Um dentre os dois ministros do STJ convocados para compor o TSE (a nossa Constituição
denomina atualmente corregedor eleitoral e não mais corregedor geral eleitoral).

8. Pode compor o egrégio TSE membros parentes entre si? E nos TREs?
Egrégio – corte
R. Não podem entre si, parentes até quarto grau, ainda que por afinidade, excluindo-se, sempre o
último que foi indicado (o TSE recentemente corrigiu a nota existente abaixo do artigo do código
eleitoral que considerava para os TREs que o impedimento era de parentes entre si até 2º grau). Em
todos, a proibição é até o 4º grau.

LEMBRETE: a escolha do presidente, do vice e do corregedor do TSE, será feita pelos Juízes
do próprio Tribunal - os órgãos de origem escolhem os membros e quando chegam ao
Tribunal Eleitoral é feita a votação (que pode ser secreta ou conforme regimento interno do
Tribunal).

9. Qual a competência do TSE?

R. De acordo com o artigo 121, da Constituição Federal, Lei Complementar disporá sobre a
competência dos órgãos da Justiça Eleitoral. A lei ainda não foi editada, razão pela qual o Código
Eleitoral é recepcionado como Lei Complementar e estabelece as diversas competências do TSE, do
TRE, dos Juízes Eleitorais e das Juntas Eleitorais.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 5
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

ÓRGÃOS DA JUSTIÇA ELEITORAL – COMPETÊNCIAS

TSE e TRE

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL


ORIGINÁRIA (começa com vogal): ORIGINÁRIA (começa com vogal):
1. O registro e cancelamento de Estatuto de 1. O registro de diretório regional e municipal de
partido no TSE. Registro de candidatos ao cargo partido político ( O partido comunica à justiça
de Presidente e Vice. eleitoral a constituição dos seus órgãos de direção
e os nomes dos respectivos integrantes). Registro
2. O conflito entre TREs e Juiz Eleitoral de das candidaturas de Governador, Vice, Senador,
Estados diferentes. Deputado Federal e Deputado Estadual.
2. Os conflitos de jurisdição entre Juízes Eleitorais
3. A suspeição e impedimento de seus membros, do mesmo Estado.
do Procurador Geral e de funcionários da 3. A suspeição de seus membros, do Procurador
secretaria do Tribunal. Regional Eleitoral e funcionários da secretaria,
Juízes Eleitorais e escrivão.
4. Os crimes eleitorais: membros do TSE - crimes
comuns e de responsabilidade- competência do 4. Os crimes cometidos pelos Juízes Eleitorais.
STF; membros dos TREs –crimes comuns e de
responsabilidade – STJ 5. O habeas Corpus e Mandado de segurança –
autoridades que respondem perante o TJ por
5. Habeas corpus em matéria eleitoral de atos do crime de responsabilidade e recurso denegado ou
Presidente, Ministro de Estado e de Tribunais concedido pelo Juiz Eleitoral.
Eleitorais
ATENÇÃO: Mandado de segurança contra ato 6. As reclamações as obrigações impostas por lei
de Presidente – julgado no STF; do Ministro de aos órgãos regionais dos partidos políticos-
Estado – STJ. Competência da Justiça escrituração do partido e apuração de qualquer ato
Eleitoral para mandado de injunção. Atos dos que viole as prescrições legais ou estatutárias em
tribunais- julgamento do M.S. pelos próprios matéria financeira.
Tribunais - competência dos TREs para julgar
M.S. contra atos inerentes a sua atividade 7. As impugnações à apuração do resultado geral,
meio. proclamação dos eleitos e expedição de diploma
na eleição de Governador e Vice, Senador,
6. As reclamações relativas as obrigações Deputado Federal e Deputado Estadual.
impostas por lei aos partidos políticos-
escrituração do partido e apuração de qualquer 8. O pedido de desaforamento dos feitos não
ato que viole as prescrições legais ou estatutárias decididos pelos Juízes Eleitorais dentro de 30 dias
em matéria financeira. da conclusão (mesmas partes do TSE).

7. As impugnações à apuração do resultado 9. Julgar os recursos interpostos das decisões dos


geral, proclamação dos eleitos e expedição de Juízes eleitorais e Juntas eleitorais.
diploma de diploma na eleição de Presidente e
Vice.
PRIVATIVAMENTE:
8. Os pedidos de desaforamento dos feitos não
decididos nos TREs dentro de 30 dias da 1. Elaborar Regimento Interno, organização da
conclusão do relator ( partidos, candidato, MP, ou secretaria e da corregedoria regional.
parte interessada)
2. Conceder licença e férias aos seus membros e
9. As reclamações contra os seus próprios Juízes Juízes eleitorais, e afastar seus membros dos
se, a contar da conclusão não julgou os feitos a cargos com aprovação do TSE.
eles distribuídos, no prazo de 30 dias.
3. Dividir a circunscrição eleitoral em zonas e
10. A ação rescisória- casos de inelegibilidade, submeter à divisão e a criação de novas zonas ao
interposta por lei aos partidos políticos interposta TSE.
em 120 dias de decisão irrecorrível.
4. Marcar data eleição para os cargos de
11. julgar os recursos interpostos das decisões Governador, Vice, Prefeito e Vice, Deputado

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 6
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

dos TREs, (de decisão judicial do TRE sobre Estadual e Juiz de Paz.
matéria administrativa não eleitoral)
5. Constituir as Juntas eleitorais e designar
PRIVATIVAMENTE: jurisdição.
1. Elaborar Regimento Interno e organizar a sua
secretaria e corregedoria geral e propor criação de 6. apurar resultados parciais pelas Juntas em
cargos administrativos, fixação de vencimentos e eleições de Governador, Senador, Deputado
forma de provimento. Federal e Deputado Estadual, expedindo diplomas.

2. Conceder aos seus membros férias e licença 7. Responder as consultas formuladas em tese,
assim como afastamento do exercício dos cargos por autoridade pública e partido político.
efetivos.
8. Indicar as seções onde deverão ser feitas
3. Aprovar afastamento do exercício dos cargos apuração pelas mesas receptoras de votos.
efetivos dos Juízes dos Tribunais Regionais
Eleitorais. 9. Pedir ao TSE Força Federal e requisitar força
necessária ao cumprimento de suas decisões.
4. Aprovar a divisão dos Estados em Zonas
Eleitorais ou a criação de novas zonas. 10 Aplicar pena disciplinar, advertência e
suspensão ao Juízes eleitorais.
5. Propor criação de TRE em territórios e propor
aumento de número de Juízes de qualquer 11. Requisitar funcionários da União, do Distrito
Tribunal Eleitoral, indicando a forma desse Federal e em cada Estado ou Território,
aumento. funcionários dos respectivos quadros
administrativos.
6. Fixar data para a eleição de Presidente e vice,
Senadores, Deputados Federais quando não tiver
sido feito em lei (fixa data de referendo e
plebiscito).

7. Expedir instruções que julgar convenientes à


execução do código eleitoral.

8. Fixar diária do Corregedor geral das


Corregedorias Regionais e auxiliares quando em
diligências fora da sede.

9. enviar a lista tríplice organizada pelos Tribunais


de Justiça para o Presidente da República.

10Responder as consultas, em matéria eleitoral


feitas em tese, por autoridade com jurisdição
federal ou órgão nacional de partido político.

11. Autorizar a contagem dos votos pelas mesas


receptoras de votos quando solicitado pelo TRE.

12. Requisitar força federal para o cumprimento


da lei, de suas decisões ou das decisões
dosTREs.

13. Requisitar funcionários da União e do DF para


exercerem funções na sua secretaria.

14. Publicar Boletim Eleitoral ( hoje revista de


jurisprudência ).

15. Tomar providências para execução da


legislação eleitoral.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 7
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

10. No caso da classe de jurista, tanto do TSE como do TRE, qual o procedimento de indicação e
escolha?

R. Para o TSE são indicados seis advogados pelo STF e para os TREs também seis advogados
indicados pelo TJ (exigência de 10 anos de prática profissional, salvo se já for Juiz do Tribunal). Os
nomes dos seis advogados irão compor duas listas tríplices (três para cada vaga) que, após
publicação e prazo de impugnação, serão remetidas para apreciação e escolha de um dos indicados
na lista pelo Presidente da República. A lista não poderá conter nome de pessoa que seja demissível
ad nutum, que seja diretor, proprietário ou sócio de empresa beneficiada com subvenção, privilégio,
isenção ou favor em virtude de contrato com a administração pública ou que exerça mandato de
caráter político federal, estadual ou municipal. Na lista para os TREs não pode constar também
nome de magistrado aposentado ou de membro de ministério público.

11. Qual a estrutura de uma Zona Eleitoral?

R. Em primeiro lugar, a Zona Eleitoral é a menor divisão administrativa e judicial da Justiça Eleitoral.
Corresponderia a uma comarca, mas nem sempre é assim que funciona, temos zonas onde não
existe comarca. Cabe a jurisdição da zona a um Juiz de Direito em efetivo exercício que gozem das
prerrogativas estabelecidas pela Constituição Federal (o Juiz de Direito substituto, mesmo que não
goze ainda da vitaliciedade, poderá atuar como juiz eleitoral). Temos ao todo, 151 Zonas Eleitorais no
Estado de Pernambuco. Pode-se ter uma Zona composta de mais de um município, um município
com mais de uma Zona, ou ainda, um município que corresponde a uma só Zona. Veja:

Recife (um município)...................... tem........................13 zonas ( várias zonas )

Moreno (um município)...................... tem......................01 zona (uma só zona )

Garanhuns II (vários municípios)...... Tem ...................... 01 zona (uma só zona)

O contato direto do eleitor no momento de sua inscrição eleitoral é com o cartório eleitoral. 0 cartório
administra o cadastro dos eleitores da zona eleitoral. O que determina a inscrição do eleitor em
determinada zona eleitoral é o fato de ele ter domicílio eleitoral naquela circunscrição (local onde
mora, estuda, tem patrimônio, trabalha). Se o eleitor tiver mais de um domicílio, sua inscrição poderá
ser requerida em qualquer um deles. Exemplo: o eleitor nasceu em Olinda, mora no Recife e tem uma
casa em Tamandaré. Ele poderá indicar qualquer um dos lugares acima para ser o seu domicílio
eleitoral.

12. Como é convocado Juiz de Direito que servirá na Zona Eleitoral?

R. Havendo um só Juiz de Direito na comarca, exercerá as funções de Juiz Eleitoral. Havendo mais
de uma vara, o Tribunal Regional correspondente designará aquele ou aqueles a quem incumbirá o
serviço eleitoral. Aplica-se na justiça eleitoral o rodízio dos Juízes, obedecendo aos critérios
estabelecidos na resolução do TSE sobre a matéria, bem como aos adotados pelos regimentos
internos dos Tribunais. O período será de dois anos.
Para escolha do juiz eleitoral, seguem-se os seguintes critérios: 1) o que nunca foi juiz eleitoral; 2) o
que foi juiz eleitoral há mais tempo; 3) o mais antigo na comarca; 4) o mais idoso.

13. Como funcionam as Juntas Eleitorais?

R. Elas só entram em ação no período da apuração dos votos. A Junta é composta pelo Juiz de
direito, de regra o próprio Juiz Eleitoral, que exerce a função de presidente e por dois ou quatro
cidadãos (são chamados de vogais), de notória idoneidade. São eles que apuram voto a voto na
contagem manual e na apuração eletrônica providenciarão todos os atos necessários ao
processamento dos dados, determinando, por exemplo, a regeneração de um disquete de uma urna
eletrônica cujo original não pode ser lido. Nas eleições municipais, apuram e totalizam os votos, nas
eleições estaduais e federais (nos estados) e nas eleições presidenciais (do país) realizam apuração
parcial, uma vez que a apuração e totalização dos votos são de responsabilidade dos TREs e do
TSE, respectivamente.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 8
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

ÓRGÃOS DA JUSTIÇA ELEITORAL - COMPETÊNCIAS

JUÍZES ELEITORAIS E JUNTAS ELEITORAIS

JUIZ ELEITORAL JUNTAS ELEITORAIS


1. Cumprir e fazer cumprir as decisões e 1. Apurar, no prazo de 10 dias, as eleições
determinações do TSE e do TRE realizadas nas zonas eleitorais sob sua jurisdição.
2. Processar e julgar os crimes eleitorais e os
comuns que lhe forem conexos, ressalvada a 2. Resolver as impugnações e demais incidentes
competência originária do TSE e TRE. verificados durante os trabalhos da contagem e
3. Decidir habeas corpus e mandado de da apuração.
segurança em matéria eleitoral C/ ressalva das
competências do TSE e TRE. 3. Expedir os boletins de apuração mencionados
4. Fazer diligências que julgar necessárias. no art. 179.
5. Tomar conhecimento das reclamações que lhe
forem feitas verbalmente ou por escrito, 4. Facultado nomear escrutinadores e auxiliares
reduzindo-as a termo. em número capaz atender à boa marcha dos
6. Indicar para aprovação do TRE a serventia trabalhos ( é obrigatório essa nomeação sempre
de justiça que deve ter o anexo da escrivania que houver mais de dez urnas a apurar ).
eleitoral.
7. Dirigir os processos eleitorais e determinar a 5. Expedir diplomas aos eleitos para cargos
inscrição e exclusão de eleitores. municipais.
8. Expedir títulos e conceder transferência de
eleitor.
9. Dividir a zona em seções eleitorais.
10. Mandar organizar, em ordem alfabética,
relação de eleitores de cada seção para
remessa à mesa receptora de votos,
juntamente com a folha individual de votação.
11. Ordenar o registro e cassação de registro dos
candidatos aos cargos de prefeito, vice e
vereador.
12. Designar até 60 dias antes das eleições os
locais das seções eleitorais.
13. Nomear, 60 dias antes da eleição, em
audiência pública anunciada com pelo menos 05
dias de antecedência, os membros das mesas
receptoras.
14. Instruir os membros das mesas receptoras
sobre as suas funções.
15. Providenciar para a solução das ocorrências
que se verificarem nas mesas receptoras.
16. Tomar todas as providências ao seu alcance
para evitar os atos viciosos das eleições.
17. Fornecer aos que não votaram por motivo
justificado e aos não alistados, por dispensados
do alistamento, um certificado que os isente das
sanções legais.
18. Comunicar até as 12 horas do dia seguinte à
execução da eleição, ao TRE e aos delegados de
partidos credenciados, o número de eleitores que
votarem em cada uma das seções da zona sob
sua jurisdição, bem como o total de votantes da
zona.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 9
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

DO MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL

ATUAÇÃO:

No TSE – exercerá as funções do Ministério Público o Procurador Geral da República. Ele será o
Procurador Geral Eleitoral. O Procurador Geral Eleitoral designará dentre os
subprocuradores da República o Vice- Procurador Geral Eleitoral (substitui em casos
de impedimento e, em caso de vacância exercerá o cargo até provimento definitivo).

No TRE: exercerá as funções do Ministério Público um dos Procuradores Regionais da República no


Estado e no Distrito Federal (ou Procurador da República vitalício, onde não houver Procuradoria
Regional da República), designado pelo Procurador Geral Eleitoral.

JUIZ ELEITORAL E JUNTA ELEITORAL: as funções eleitorais do Ministério público Federal serão
exercidas pelo promotor Eleitoral (não havendo, ou havendo impedimento ou recusa justificada o
Chefe do Ministério público local indicará ao Procurador Regional Eleitoral o substituto a ser
designado).

COMPETÊNCIA: Compete ao ministério Público Federal exercer, no que couber junto à Justiça
Eleitoral, as funções do Ministério Público, atuando em todas as fases e instâncias do
processo eleitoral.

DO ALISTAMENTO ELEITORAL

14. O alistamento no Brasil é obrigatório?

R. Pela legislação eleitoral brasileira, o alistamento e o voto são obrigatórios para os maiores de 18
anos em gozo dos seus direitos políticos (inclusive para pessoas portadoras de deficiência). Para
aqueles que são analfabetos, maiores de 70 anos, que tenham entre 16 anos e 18 anos, o
alistamento e o voto são facultativos.

15. Como se processa o alistamento eletrônico?

R. É feito mediante processamento eletrônico de dados. O eleitor deve procurar o cartório eleitoral
responsável por sua zona eleitoral ou, se houver, o posto de alistamento (lembre-se que é no local do
domicílio eleitoral, seja por que mora , trabalha, tem laços de família) ou ainda, se residir fora do país,
os consulados brasileiros no exterior, munido de um dos seguintes documentos:
a) prova de identidade mediante apresentação da:
Carteira de identidade ou carteira emitida pelos órgãos criados por lei federal, controladores do
exercício profissional, certidão de nascimento ou casamento, extraída do registro civil, instrumento
público do qual se infira por direito que o requerente tenha a idade mínima de 16 anos e do qual
constem, também, os demais elementos à sua qualificação, ou ainda, documento do qual se infira a
nacionalidade brasileira do requerente.
b) No caso dos homens, apresentar também prova do alistamento militar (maior de 18 anos).

16. Os nacionais, com menos de 16 anos, podem requerer, em alguma hipótese, o título eleitoral?

R. Sim, no ano em que se realizarem eleições, o menor que completar 16 anos até a data da eleição
(primeiro turno), poderá requerer sua inscrição eleitoral.

17. O naturalizado tem prazo especial para se inscrever como eleitor?

R. Tem, precisa se alistar até um ano depois de adquirida a nacionalidade brasileira.

18. O que acontece com quem não tira o título quando completa os requisitos legais?

R. É passível de pagar a multa eleitoral. O alistando que não tirou título até 19 anos, poderá fazê-lo
sem pagar multa, até o 151º dia antes da eleição subseqüente a data em que completou a idade
limite anteriormente citada.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 10
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

19. É possível solicitar transferência do título de uma zona para outra a qualquer tempo?

R. É preciso ter um ano de inscrição original ou da última transferência e três meses no novo
domicílio.

20. Existe exceção a esta regra?

R. Sim, se for servidor público civil, militar ou autárquico, ou de membro de sua família, por motivo de
remoção ou transferência.

21. O eleitor poderá solicitar a sua inscrição eleitoral a qualquer tempo?

R. Não. A inscrição eleitoral e a transferência serão suspensas 150 dias antes da eleição, pois será
fechado o cadastro dos eleitores. Nem mesmo as revisões de dados constantes do cadastro
individual poderão ser feitas. Só será possível atender aos pedidos de 2ª via (até 10 dias antes da
eleição), pois não provocam alteração no cadastro de eleitores.

22. O que prova o título de eleitor?

R. Prova que foi feita a inscrição eleitoral e que o eleitor está quite com a justiça eleitoral até a data
da sua emissão.

23. É possível ter acesso a informações de caráter geral dos eleitores?

R. As informações são acessíveis as instituições públicas e privadas, exceto aquelas de caráter


pessoal do eleitor, que só podem ser fornecidas a ele próprio, eleitor ou atendendo solicitação de
autoridade judiciária, ministério público para instruir processo.

24. O eleitor pode ter seu título cancelado? Ser excluído do cadastro de eleitores? Quais as
hipóteses?

R. São causas de cancelamento: não poder alistar-se eleitor, não ter domicílio eleitoral, o falecimento
do eleitor, o eleitor que deixar de votar, justificar ou pagar multa, por três pleitos consecutivos,
considerados por turnos, bem como se tiver sentença condenatória transitada em julgado, se mudar
de nacionalidade, se ocorrer revisão do eleitorado e o eleitor deixar de comparecer. A ocorrência das
causas acima enumeradas acarreta a exclusão do eleitor. Sem prova de que votou na última eleição,
pagou a respectiva multa ou de que se justificou devidamente, não poderá o eleitor:

1. inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se


neles;
2. receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público,
autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades
de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público
delegado, correspondentes ao segundo mês subseqüente ao da eleição;
3. participar de concorrência pública ou administrativa da união, dos estados, dos territórios, do
distrito federal ou dos municípios, ou das respectivas autarquias;
4. obter empréstimos;
5. passaporte;
6. identidade;
7. renovar matrícula em estabelecimento oficial ou fiscalizado pelo governo e
8. praticar qualquer ato que exija quitação militar ou imposto de renda.

25. Quem não pode se alistar como eleitor no Brasil?

R. Os conscritos e os estrangeiros. São considerados conscritos aqueles que prestam o serviço


militar obrigatório.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 11
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

DOS PARTIDOS POLÍTICOS

Estabelece o artigo 1º da constituição federal:

“A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados e municípios e do
Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos:

I – a soberania;
II – a cidadania;
III – a dignidade da pessoa humana;
IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
V – o pluralismo político.

26. Como se define um partido político?

R. Um partido político pode ser definido como um grupo social que busca alcançar o poder, para
realização dos seus objetivos, implantando as suas idéias. A lei nº9.096/95, alterada pela lei
nº9.259/96, dispõe sobre partidos políticos e regulamenta os artigos 17 e 14, §3º, inciso V, da
constituição federal.

27. Qual a personalidade jurídica do partido político?

R. É pessoa jurídica de direito privado. O partido adquire sua personalidade jurídica na forma da lei
civil.

28. Quais os procedimentos para criação e registro de um partido político?

R. Devemos considerar dois momentos: o primeiro é aquele em que um grupo deseja criar um
partido e vai precisar requerer o registro do mesmo no cartório de registro civil das pessoas jurídicas
da capital federal. O pedido deve ser acompanhado dos seguintes documentos:

I – cópia autêntica da ata de reunião de fundação do partido;


II – exemplares do diário oficial que publicou o programa e o estatuto do partido;
III - a relação contendo os nomes completos, naturalidade, número do título eleitoral com a zona,
seção, município e estado, profissão e endereço da residência . O pedido deve conter também o
nome e função dos dirigentes provisórios e o endereço da sede do partido na capital federal. Os
fundadores deverão ser em número nunca inferior a cento e um, com domicílio eleitoral em, no
mínimo, um terço dos estados brasileiros ( 1/3 de 27 = 09 ) .

No segundo momento, após o registro civil, o partido deverá promover a obtenção do apoio mínimo
de eleitores para garantia do seu caráter nacional. Significa dizer que eles precisam remeter uma
relação contendo o nome de pessoas que apóiam o partido para os respectivos cartórios dos eleitores
apoiantes com os dados de cada um: nome, zona, título, seção e a assinatura correspondente.

29. Qual o percentual necessário, exigido pela lei de assinantes?

R. O correspondente a meio por cento dos votos dados na última eleição geral para a câmara
dos deputados (votos válidos), distribuídos por um terço ou mais dos estados, com um mínimo de
um décimo por cento do eleitorado que haja votado em cada um deles. O partido então solicitará o
registro do seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral.

EXEMPLO:

UF VOTOS VÁLIDOS 0,5% DOS VOTOS NÚMERO DO 0,1% DO


PARA A CÂMARA VÁLIDOS ELEITORADO ELEITORADO
DOS DEPUTADOS QUE VOTOU QUE VOTOU

AC 319297 1596 334418 334


PE 4189273 20946 4769970 4770
...MAIS 07 ESTADOS, USANDO A MESMA FÓRMULA.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 12
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

TOTAL DE VOTOS VÁLIDOS PARA A CÂMARA DE DEPUTADOS:


93.777913

TOTAL DE ASSINATURAS PARA O APOIAMENTO MÍNIMO:


468890

Para registro no TSE, onde será formado um processo, o partido deverá juntar a seguinte
documentação:

I. inteiro teor do programa e estatuto;


II. certidão do registro civil;
III. certidões dos cartórios eleitorais que comprovem o apoiamento mínimo dos eleitores.

29. O registro no TSE garante o direito de uso exclusivo de cores para os partidos políticos?

R. A primeira garantia é a possibilidade de lançar candidatos aos pleitos eleitorais, com direito a
uma denominação própria, uma sigla e símbolos específicos. Os partidos utilizam cores diversas
como identificadoras de suas propagandas, mas não possuem direito de exclusividade sobre elas.

30. As alterações promovidas nos estatutos e programas devem ser registradas no TSE?

R. Não só no TSE, mas também no cartório de registro civil. Um partido pode apenas alterar suas
regras partidárias, ou ainda se fundir com outro, formando um só, ou proceder a incorporação, ou
seja, um partido se incorpora ao outro, adotando seu estatuto e seu programa partidário.

31. Como funcionam os partidos políticos nas casas legislativas?

R. Os partidos políticos funcionam através de suas bancadas, que devem constituir suas lideranças.

32. Quais as normas que precisam ser regulamentadas pelos partidos políticos, nos seus estatutos?

R. Os partidos políticos possuem autonomia para se organizarem internamente. É preciso, entretanto,


que, mesmo com autonomia, eles regulamentem as normas definidas na lei partidária, tais como
regras de filiação e de desligamento de seus membros, condição e forma de escolha de seus
candidatos a cargos e funções eletivas, normas de fidelidade e disciplina partidárias, suas
finanças e contabilidade, etc.

33. Quais os procedimentos para uma filiação partidária?

R. Já foi dito anteriormente que um partido político tem autonomia para estabelecer sua organização
interna. A filiação é ato partidário, que segue as regras dos estatutos dos partidos políticos. Eles
deverão remeter ao respectivo juízo eleitoral de cada filiado, duas vezes por ano, nos meses de abril
e outubro, na segunda semana, a relação contendo o nome de todos os seus filiados, para efeito de
candidaturas a cargos eletivos. Não havendo novos filiados, não precisa remeter a lista, pois fica
valendo a lista anterior já anotada na Justiça Eleitoral.

Atenção: as finanças e contabilidade dos partidos, bem como as regras para acesso ao rádio e a
TV, serão estudados em capítulos separados.

CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE

35. Quais são as condições de elegibilidade para que um cidadão possa concorrer a um cargo
público ?

R. De acordo com o artigo 14, § 3º, da Constituição Federal, são condições de elegibilidade:

I – nacionalidade brasileira;

II – o pleno exercício dos direitos políticos;

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 13
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

III – o alistamento eleitoral;


IV – o domicílio eleitoral na circunscrição;
V – a filiação partidária;
VI – a idade mínima de:
a) 35 anos para presidente, vice e senador;
b) 30 anos para governador e vice;
c) 21 anos para deputado federal, deputado estadual ou distrital, prefeito e vice, juiz de paz;
d) 18 anos para vereador.

Vamos estudar cada uma das condições acima citadas.

I - nacionalidade brasileira – já sabemos que o estrangeiro não pode se alistar como eleitor no
nosso país. São brasileiros aqueles previstos na nossa constituição, sejam eles:
1.natos - nascidos no Brasil, mesmo que de pais estrangeiro, desde que eles não estejam a serviço
de seu país; nascidos no estrangeiro, de pai ou mãe brasileira , desde que qualquer deles esteja a
serviço do Brasil e os nascidos no estrangeiro, de pai ou mãe brasileira que venham a residir na
República Federativa do brasil e optem, em qualquer tempo, pela nacionalidade brasileira.
2.naturalizados – os que na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira( de países de língua
portuguesa a exigência é de residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral) e estrangeiros
residentes no Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal.

Aos portugueses com residência permanente no país, se houver reciprocidade em favor de


brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os casos previstos na
Constituição.

Alguns cargos são privativos dos brasileiros natos .são eles :

Presidente e Vice - Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do


Senado Federal, Ministro do Supremo Tribunal Federal (regra que obedece a cadeia sucessória em
caso de vacância do cargo de Presidente da República). Além dos cargos Carreira Diplomática,
Oficial das Forças Armadas e Ministro de Estado da Defesa.

II - o pleno exercício dos direitos políticos - capacidade de votar e ser votado, que pode ser
perdida ou suspensa, de acordo com o artigo 15 da Constituição Federal, por:
1. cancelamento da naturalização por sentença transitada em julgado; 2. incapacidade civil
absoluta; 3.condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos; 4. recusa de
cumprir obrigação a todos impostas ou prestação alternativa nos termos do artigo 5 °, inciso VIII,
da C.F. e 5. por improbidade administrativa, nos termos do artigo 37, 4º, da C.F.

Determina a nossa constituição que os analfabetos são inelegíveis, portanto, não possuem o
pleno exercício dos seus direitos políticos , assim como os inalistáveis (conscritos- aquele que
presta o serviço militar obrigatório) e estrangeiros.

III - alistamento eleitoral – um ano antes da eleição. Não podem ser alistados os conscritos e os
estrangeiros, ou anda, os que se encontram nas situações previstas no código eleitoral e já
elencadas anteriormente .

IV - domicílio eleitoral na circunscrição – é preciso, de acordo com a lei n° 9.504/97, que o


candidato seja domiciliado um ano antes da eleição ( a eleição ocorre sempre no primeiro domingo de
outubro – ano par e, em segundo turno, no último domingo do mesmo mês ) para concorrer ao pleito
eleitoral na circunscrição. São circunscrições eleitorais : para a eleição presidencial, o País, para a
eleição de governador, senador, deputado federal e deputado estadual, os Estados e para a eleição
de prefeito e vereador, o Município.

V - filiação partidária - primeiro passo é ser filiado a um partido político, um ano antes da eleição. É
facultado aos partidos políticos estabelecerem, nos seus estatutos, prazo maior para o seu filiado
participar da própria convenção que escolhe os candidatos, só não pode alterar a regra estatutária
em ano de eleição.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 14
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

atenção ! Existem casos especiais em que não se exige a comprovação da formalização da filiação
partidária um ano antes. Veja as situações especiais : 1. Os militares pela constituição federal não
podem, na ativa, serem filiados a qualquer partido político. Como a própria constituição permite
que eles se candidatem , a solução é a seguinte : quando o partido faz sua convenção para
escolha de candidatos e, se constar no pedido de registro um candidato militar, a justiça eleitoral,
ao deferir o seu registro considera que o mesmo encontra-se filiado, por ter sido indicado em
convenção. Se o militar passar para inatividade após o prazo de 1 ano para filiação partidária, mas
antes da escolha em convenção, deverá filiar-se a partido político, no prazo de 48 horas, após se
tornar inativo. 2. os magistrados precisam comprovar a filiação no prazo de 06 meses ou 04
meses antes do pleito, assim também os membros dos Tribunais de Contas ( prazo igual para
desincompatibilização –previsto na lei complementar 64 /90 – para concorrer ao cargo de prefeito,
o prazo de desincompatibilização é de 04 meses, para os demais cargos é de 06 meses ). aplica-
se a mesma regra, atualmente, aos membros do ministério público ( eles não podem se filiar na
ativa – ressalva apenas para os representantes do MP que optaram pelo regime de garantias e
vantagens instituído antes da Constituição Federal de 1988 ).

DAS INELEGIBILIDADES E DESINCOMPATIBILIZAÇÕES

36. Quais são os casos de inelegibilidade previstos na constituição federal ?

r. Situações constitucionais:

I – o presidente da república, os governadores de estado e do distrito federal e os prefeitos podem


ser reeleitos por mais um mandato subseqüente ( 4 + 4 anos ).

II. – para concorrer a outro cargo, o presidente, o governador, o prefeito deve se afastar de suas
funções, 06 meses antes do pleito ( outro cargo que não seja o de vice do cargo que já foi titular -
princípio da irreelegibilidade ).Exemplo: governador se afasta, 06 meses antes da eleição para
concorrer ao senado. Não pode concorrer ao cargo de vice – governador.

II. – os parentes, até 2º grau, consangüíneos ou afins, bem como o cônjuge, dos titulares do poder
executivo, de qualquer esfera, são inelegíveis, no território de jurisdição deles, salvo se já titular
de mandato eletivo e candidato a reeleição. Parentes até 2º grau: filho, neto, irmão e parentes por
afinidade - sogro, cunhado ).

observação : com o advento da reeleição, a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral tem


admitido:

1. A possibilidade dos parentes e cônjuge se candidatarem ao cargo do titular se ele tiver


direito a reeleição, desde que o titular se afaste 06 meses antes e não se candidate ao cargo.
Exemplo: ( governador se afasta 06 meses antes e a mulher concorre no lugar dele);

2. Se já foi reeleito, mesmo que se afaste 06 meses antes, o seu parente até 2º grau e o cônjuge
estão inelegíveis. Cônjuge para o direito eleitoral é quem é casado, quem vive em união estável e
quem vive em concubinato. A jurisprudência do TSE já se firmou no sentido de que, se ocorrer a
separação no curso do mandato, o cônjuge continua inelegível.

3.Se for outro cargo, estando o titular em 1º mandato, os parentes e cônjuge poderão concorrer,
desde que o titular se afaste 06 meses antes e se ele já está em 2º mandato, poderão concorrer, se
ele se afastar 06 meses antes, desde que não seja ao cargo de vice (exemplo: prefeito eleito e
reeleito – o filho só poderá concorrer ao cargo de vereador naquela mesma circunscrição).

37.O militar alistável é elegível ?

r. Sim. Só não é elegível os conscritos( presta serviço militar obrigatório). Os militares se contarem
com menos de 10 anos de serviço, serão afastados. Se tiverem mais de 10 anos, serão agregados
pela autoridade superior militar (agregado significa passar para uma listagem em separado, sem
direito a promoção dentro do órgão) e se eleito, passarão automaticamente, para a inatividade.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 15
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

38. Quais os outros casos de inelegibilidade previstos na lei complementar nº64/90 ?

r . São casos de desincompatibilizações de cargos ou funções públicas cujo exercício possa


influenciar no resultado do pleito ( princípio da isonomia entre os candidatos),ou ainda:

1.titulares de cargos que perderam mandatos anteriores ( membros do congresso nacional,


assembléias legislativas, câmaras municipais – inelegível pelo período remanescente do mandato e
nos 08 anos subseqüentes ao término do mandato );

2. o governador e vice, o prefeito e vice que perderem cargos eletivos ( inelegíveis para as eleições
do período remanescente e nos 03 anos subseqüentes ao término do mandato);

3. os que tiveram contas rejeitadas no exercício de funções ou cargos públicos, por


irregularidades insanáveis ( inelegíveis por 05 anos contados da decisão);

4. os quem tenham contra si, condenação criminal transitada em julgado, por crimes contra a
economia popular, fé pública, patrimônio público, mercado financeiro, tráfico de entorpecentes ou
por crimes eleitorais inelegíveis por 03 anos após cumprimento da pena) e,

5.os que tenham contra si representação julgada procedente pela Justiça Eleitoral, transitada em
julgado por uso e abuso do poder econômico ou político ( inelegíveis para a eleição na qual
concorrem ou tenham sido diplomados e as que se realizarem nos 03 anos seguintes).

Alguns cargos ou funções que exigem a desincompatibilização de seus titulares para que
possam concorrer aos diversos pleitos:

I - para concorrerem aos cargos de presidente da república, governador, senador, deputado


federal, deputado estadual, vereador, o ministro de estado, o magistrado, os secretários de estado,
os prefeitos municipais , os presidentes, diretores e superintendentes de autarquias, empresas
públicas, sociedades de economia mista, fundações públicas, precisam se afastar definitivamente
do seus cargos seis meses antes do pleito.

II. - o vice-presidente, o vice-governador e o vice–prefeito, poderão concorrer a outros cargos,


preservando os mandatos respectivos, desde que, nos últimos 06 meses anteriores ao pleito não
tenham sucedido ou substituído o titular .

III – para concorrer ao cargo de prefeito e vice–prefeito, o candidato que exerce cargo ou função
prevista na lei complementar deve se afastar 04 meses antes do pleito.

IV - os servidores públicos que desejarem concorrer a qualquer cargo público, deverão se afastar de
seus cargos 03 meses antes. É preciso considerar se a atividade pode influenciar no resultado da
eleição. Se for servidor público num município e sair candidato por outro, não é necessário o
afastamento.

DO REGISTRO DAS CANDIDATURAS

39.Quem pode pedir registro de candidatos ?

r. O pedido de registro das candidaturas pode ser solicitado pelo partido político isoladamente, ou
coligado, que tenha o estatuto registrado no TSE. O candidato só pode solicitar registro
isolado, caso tenha sido indicado em convenção do seu partido e o mesmo deixou de solicitar o seu
registro.

40. Quando devem ocorrer as convenções de escolha dos candidatos?Quais as regras ? O que
deve ser decidido nas convenções?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 16
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r. A convenção partidária para escolha de candidatos, de acordo com a lei nº 9.504/97 , deve ser
realizada no período de 10 a 30 de junho do ano eleitoral. As regras, para sua realização estão
estabelecidas no estatuto do partido político ( quem convoca, quem vota na convenção, como
deve ser feita a convocação aos filiados, etc.) Além do estatuto, a convenção deverá cumprir também
a legislação eleitoral sobre a matéria . Na convenção, o partido decidirá quem serão os candidatos,
se o partido vai se coligar ou não, quem serão os delegados e seus representantes.

Observação: A emenda constitucional nº 52/06, alterou o § 1º do artigo 17 da constituição federal,


fazendo incluir autonomia aos partidos para definir critérios de escolha e o regime de suas coligações
eleitorais, sem obrigatoriedade de vinculação entre as candidaturas em âmbito nacional, estadual,
distrital ou municipal. Em outras palavras, deixa de existir, a partir do próximo pleito geral a
obrigatoriedade da verticalização.

41. Como funcionam as coligações?

r. Elas funcionam como se fossem um partido político, devendo ter uma denominação própria,
podendo ser só para as eleições majoritárias ou só para as eleições proporcionais, ou ainda, para
ambas.

42. Até que data os partidos ou coligações podem solicitar o registro de seus candidatos?
perante qual órgão da justiça eleitoral ?

r. O pedido de registro das candidaturas deve ser feito até às dezenove horas, do dia 05 de
julho do ano eleitoral, nos seguintes órgãos :

NO TSE - para os cargos de presidente e vice – presidente.

NO TRE – para os cargos de governador, vice - governador, senador (com dois suplentes ),
deputado federal e deputado estadual.

NO JUIZ ELEITORAL – para os cargos de prefeito e vice- prefeito e vereador.

43. Quais os documentos necessários que acompanham os pedidos de registro das candidaturas
?

r. Quando o partido realiza sua convenção, ele deve produzir uma ata, registrada em livro
próprio, aberto e rubricado pela justiça eleitoral, podendo ser usado o livro já existente. O pedido de
registro ( por meio eletrônico, com cópia impressa ) deverá conter os nomes de todos os
candidatos escolhidos na convenção, conforme descrito na ata, já autenticada na justiça eleitoral. A
justiça eleitoral deverá juntar, nos autos do processo, a prova do registro do estatuto no TSE, bem
como a prova de que o partido tinha, na época da convenção, órgão de direção na circunscrição
do pleito.

O pedido de registro de cada candidato deverá ser acompanhado dos seguintes documentos:

I – autorização do candidato, por escrito, em modelo próprio da justiça eleitoral;

II – prova de filiação partidária ( comprovação feita pela própria justiça eleitoral, com exame do
cadastro do eleitor) ;

III – declaração de bens atualizada, assinada pelo candidato ( digitada no sistema de registro da
candidatura – atual CANDEX);

IV – cópia do título de eleitor ou da certidão, fornecida pelo cartório eleitoral, de que o candidato é
eleitor, na circunscrição ou requereu sua inscrição ou sua transferência de domicílio até um ano
antes do pleito ( comprovação feita pela própria justiça eleitoral, com exame do cadastro do eleitor);

V – certidão de quitação eleitoral ( comprovação feita pela própria justiça eleitoral, com exame do
cadastro do eleitor);

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 17
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

VI - certidões criminais fornecidas pela justiça eleitoral, federal, e estadual com jurisdição no
domicílio eleitoral do candidato e pelos tribunais competentes quando os candidatos gozarem de
foro especial (um senador que deseja se reeleger deve também solicitar certidão criminal do STF );

VII– fotografia recente do candidato em preto e branco dimensão 5 x 7, sem moldura, papel
fotográfico, fosco ou brilhante, cor de fundo branca, características frontal, trajes adequados
para fotografia oficial e sem adornos que tenham conotação de propaganda eleitoral, que induzam
ou dificultem o reconhecimento pelo eleitor.

VIII - comprovante de escolaridade ( pode ser certificado ou prova de próprio punho ).

Atenção! A resolução do TSE sobre o registro de candidatos exige ainda que ele prove, se for o
caso, que se desincompatibilizou de cargo ou função, como exige a constituição e a lei complementar
64/90.

44 .É preciso comunicar quanto vai gastar nas eleições ?

r.Com a nova lei (11.300/06), a cada eleição caberá à lei, observadas as peculiaridades locais, fixar
até o dia 10 de junho de cada ano eleitoral o limite dos gastos de campanha para os cargos em
disputa; não sendo editada lei até a data estabelecida, caberá a cada partido político fixar o limite de
gastos, comunicando à Justiça Eleitoral, que dará a essas informações ampla publicidade. No pedido
de registro de seus candidatos, os partidos e coligações comunicarão aos respectivos tribunais
regionais eleitorais os valores máximos de gastos que farão por cargo eletivo em cada eleição a que
concorrerem, observados os limites estabelecidos, seja pela lei editada ou pelo partido.

45. Como se determina os números adotados pelos candidatos ?

r. Na eleição majoritária (presidente, governador, prefeito ) o número do candidato será o da


legenda do partido. Na eleição majoritária de senador, o número será o da legenda do partido
e no caso de renovação de 2/3 do senado, além do número do partido será acrescentado mais um
dígito (na renovação de 1/3 o TSE poderá determinar os três dígitos também). Na eleição
proporcional, se for candidato ao cargo de deputado federal concorrerá com o número da legenda
do partido, acrescido de dois algarismos à direita; se for ao cargo de deputado estadual, o
número do partido acrescido de três algarismos. Na eleição de vereador, o TSE poderá fixar quantos
números os candidatos deverão ter (atualmente, mantém os cinco números ).

46.Quantos candidatos o partido político pode lançar, no caso das eleições proporcionais ?

r. Em primeiro lugar, observe que na eleição majoritária o número de candidatos é fixo, ou seja,
um candidato ao cargo de presidente, de vice, de governador, de vice – governador, um senador
quando a renovação for de 1/3, com dois suplentes, dois senadores, quando a renovação for de
2/3, com dois suplentes cada, um prefeito e um vice – prefeito. Nas eleições proporcionais, o
partido isolado poderá lançar até 150% dos lugares a preencher.

Veja o caso de Pernambuco :

vagas para a câmara dos deputados ..........25......corresponde a 100%.......mais 50% para


completar os 150% = 38 candidatos, sendo que do total das candidaturas deverá ser
reservado, no máximo 70% para um sexo e, no mínimo, 30% para o outro.

vagas para a assembléia legislativa .........49.....corresponde a 100%....... mais 50% para


completar os 150% = 74 candidatos, sendo que do total das candidaturas deverá ser reservado,
no máximo 70% para um sexo e, no mínimo, 30% para o outro.

No caso de coligação, independentemente do número de partidos coligados, poderão ser


registrados candidatos até o dobro das vagas a preencher. observe :

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 18
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

deputado federal ............vagas ............25............dobro ...................... 50 candidatos

deputado estadual...........vagas............ 49.............dobro...................... 98 candidatos

a reserva dos 70% e dos 30% anteriormente explicada, também será obedecida nos casos
de coligações.

Para a câmara de vereadores, o número de candidaturas será o mesmo, ou seja, 150%, o que
muda, é o número de vagas, pois elas são fixadas nas leis orgânicas dos municípios, obedecendo
aos critérios de proporcionalidade do artigo 29 da constituição federal .

47 . Quais os procedimentos para o registro das candidaturas ?

r. 47.1.Protocolizado o pedido de registro( até 19 horas do dia 05 de julho), o mesmo será distribuído
a um relator ( quando o pedido for dirigido a um tribunal), ou ao juiz eleitoral nas eleições
municipais;

47. 2. Será publicado, na imprensa oficial ou afixado nos cartórios eleitorais, nas eleições
municipais (salvo capital ), edital, abrindo o prazo de 05 dias para possíveis impugnações ao
pedido de registro, que poderá ser apresentado por qualquer candidato, partido político, coligação
ou o ministério público ( salvo se nos dois anos anteriores, o M.P. tenha disputado cargo eletivo,
integrado diretório de partido político ou exercido atividade político-partidária) e ainda, pode ser
apresentada a notícia de inelegibilidade, por qualquer eleitor, caso em que, após audiência do
candidato, o ministério público deverá se manifestar, no prazo de 02 dias.

47.3.Havendo impugnação, os prazos correrão da seguinte forma :

5 dias para impugnar .....................07 dias para se defender, notificado o impugnado via
telegrama, fax, correio eletrônico, devendo apresentar testemunhas (máximo de 06 ), se tiver,
documentos que prove o contrário do que foi alegado, requerer provas, até mesmo que esteja
em mãos de terceiros.....................os 04 dias seguintes, serão para ouvidas das testemunhas, se
for o caso......................05 dias para diligências que o relator ou o juiz achar
necessária ....................encerrado o prazo de dilação probatória, será aberto o prazo de 05 dias
para alegações finais .......................os autos serão conclusos ao juiz /relator no dia
seguinte........................o julgamento ocorre no prazo de 03 dias após a conclusão dos autos .

Atenção I !

A inelegibilidade do candidato ao cargo de presidente, governador e prefeito, não atingirá o


candidato ao respectivo cargo de vice, assim como destes não atingirá aqueles.

47.4. Não havendo impugnação ao registro do candidato, o procedimento será da seguinte forma:

passado o prazo do edital, o setor competente da justiça eleitoral presta informação sobre os
documentos apresentados e, em seguida, caso seja necessário, o relator/juiz determina o prazo de
diligência(72 horas). Se o candidato completar a documentação correta, vai a julgamento pelo
deferimento. Se não completar ou completar incorreta, vai a julgamento pelo indeferimento. O
candidato que tiver o registro de sua candidatura indeferido, poderá, se recorrer da decisão, concorrer
sub judice, com direito a fazer, inclusive, propaganda eleitoral por sua conta e risco até que seja
dada a decisão final. O nome também constará da urna eletrônica.

atenção II !

1. os prazos que dizem respeito ao julgamento do registro das candidaturas são peremptórios e
contínuos, correm aos sábados, domingos e feriados. As decisões são publicadas em sessão
dos tribunais ou, no caso da eleição municipal, afixadas nos cartórios, correndo da publicação o
prazo de 03 dias para recurso da decisão.

2. atualmente, serão autuados isoladamente os documentos relativos ao registro de cada candidato.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 19
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

48. É possível substituir candidatos após o pedido de registro ?

r.Sim, é uma faculdade do partido ou da coligação substituir o candidato que renunciar


(documento com firma reconhecida ou assinado na presença de duas testemunhas ), for
considerado inelegível ou que falecer. É preciso ter cuidado apenas com os prazos: no caso de
eleições majoritárias, a substituição poderá ser feita até 24 horas antes do início da votação,
desde que seja requerida até 10 dias do fato gerador. No caso da eleição proporcional,
observado o prazo de 10 dias do fato gerador, só poderá ser requerida até 6 0 dias antes do
pleito. Se o candidato for de coligação, a substituição será feita por decisão da maioria absoluta dos
órgãos executivos de direção dos partidos políticos coligados, de preferência entre candidatos do
partido do substituído.

exemplo : faltando 12 dias para a realização da eleição, o candidato x faleceu. Ele concorria ao
cargo de deputado federal. Sua substituição não poderá ser solicitada pelo partido, mesmo que
ainda tenha o prazo de 10 dias do fato gerador (falecimento ), mas já foi ultrapassado em muito o
prazo de 60 dias que garantia a possível substituição .

49 . Como são resolvidos os casos de homonímia nos pedidos de registro das candidaturas ?

r. Ocorre homonímia quando dois candidatos, concorrendo ao mesmo cargo, solicitam o registro
de nomes iguais. Há uma série de critérios que serão adotados para verificação da prioridade do
uso do nome ou da variação nominal solicitada. Verifica-se, através de provas se ele é conhecido
pela opção solicitada, se já exerce mandato eletivo, ou se exerceu nos últimos quatro anos,
ou concorreu em igual prazo com a variação requerida. Pode-se verificar também se por sua vida
política, social ou profissional é conhecido pelo nome indicado para registro. Não havendo acordo
sobre o uso da variação, nem critérios de preferência, a justiça eleitoral registrará cada um com o
nome pedido. A Justiça Eleitoral indeferirá todo nome de candidato coincidente com o nome de
candidato majoritário (salvo se for o nome do próprio candidato ) .

SEGUNDA PARTE

PROPAGANDA PARTIDÁRIA E PROPAGANDA ELEITORAL

50. Qual a diferença entre propaganda partidária e propaganda eleitoral ?

r. A propaganda partidária é aquela que busca difundir os programas partidários , bem como
transmitir mensagens aos seus filiados sobre a sua execução e divulgar a posição do partido em
relação a temas político-comunitários. A propaganda eleitoral é aquela em que o partido divulga os
seus candidatos.

51. Quais as proibições nos programas de propaganda partidária?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 20
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r. É proibido, nos programas partidários, a participação de pessoa filiada a partido que não o
responsável pelo programa, a divulgação de propaganda de candidatos a cargos eletivos e a
defesa de interesses pessoais ou de outros partidos, a utilização de imagens ou cenas incorretas
ou incompletas, efeitos ou quaisquer outros recursos que distorçam ou falseiem os fatos ou a
sua comunicação .

51. Qual o período de apresentação da propaganda partidária?

r. Ela é apresentada em ano não eleitoral e até o primeiro semestre do ano das eleições (30 de
junho).

52. Qual o horário de apresentação ?

r. Entre as dezenove horas e trinta minutos e vinte e duas horas .

53. Quais as formas de apresentação ?

r. Ela pode ser apresentada em bloco nacional ou em inserções. A apresentação em bloco é


deferida pelo TSE, enquanto as inserções são deferidas, se for nacional, pelo TSE e , se for
regional, pelos TREs.

54. Quantas apresentações o partido tem direito ?

r. 1. O partido com registro definitivo no TSE, que tenha concorrido ou venha a concorrer às eleições
gerais para a Câmara dos Deputados, tem direito a realização de um programa nacional , em
cada semestre, com duração de dez minutos cada. Para as inserções, pode utilizar vinte
minutos, por semestre (inserções de trinta segundos ou em um minuto);
2. Ao partido que tenha elegido e mantenha filiados, no mínimo, três representantes de diferentes
Estados, é assegurada a realização anual de um programa, em cadeia nacional, com duração de
dez minutos;
3. Ao partido que não tenha atendido ao dispositivo nos incisos anteriores fica assegurada a
realização de um programa em cadeia nacional em cada semestre, com a duração de cinco
minutos, não cumulativos com o tempo previsto nos incisos anteriores.

4.Os tribunais regionais eleitorais, autorizarão a utilização de vinte minutos para inserções de trinta
segundos ou um minuto cada, ao partido que tenha funcionamento parlamentar, nos Estados onde,
nas assembléias legislativas e nas câmaras de vereadores, elegeram representante para a
respectiva casa e obtiveram um total de um por cento dos votos apurados na circunscrição, não
computados os brancos e nulos. Os TREs poderão estabelecer procedimentos complementares à
regulamentação da veiculação de inserções estaduais.

55. Quando começa a propaganda eleitoral ?

r. A propaganda eleitoral, em geral, começa no dia seguinte ao prazo final de registro das
candidaturas ( 06 de julho).

56. É possível realizar alguma forma de propaganda anterior ao prazo acima citado ?

r. Só será permitida a propaganda intrapartidária, ou seja, aquela que pode ser realizada na
quinzena que antecede a escolha dos candidatos pelos partidos políticos em convenção. Ela visa
divulgar entre os convencionais com direito a voto, os que se lançaram candidatos, sendo permitida
através de faixas e cartazes próximos ao local da convenção. Não poderá ser feita a divulgação
através de rádio, TV, internet e outdoors .

57. O que é permitido e o que é proibido na propaganda eleitoral ?

R. É PERMITIDO:

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 21
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

em bens públicos – desde que não seja fixa ( uma pessoa segurando), é possível placas ,
estandartes, faixas em pontes, passarelas , viadutos.

em bens particulares – fixação de placas ( observar tamanho – outdoors são proibidos), faixas,
cartazes, pinturas inscrições (com autorização do proprietário).

nas dependências do poder legislativo – à critério da mesa diretora .

distribuição de folhetos, volantes e outros impressos.

atos de propaganda em recinto aberto ou fechado (comunicar à autoridade policial 24 horas antes
para garantia do local ).

comícios (das 8 horas às 24 horas- inclusive utilização de aparelhagem de sonorização),


propaganda na imprensa escrita (até a antevéspera das eleições), participação em debates (nas
eleições majoritárias ou será feito em conjunto, com a presença de todos , podendo ser feito
sem algum dos candidatos se a emissora comprovar que chamou todos, ou em grupo com a
presença de pelo menos três candidatos, alto – falantes ( deve respeitar o horário das 8 às 22
horas, vedada a instalação e uso em distância inferior a 200 metros de hospitais , escolas,
sedes dos poderes públicos ...) guia eleitoral (com as seguintes regras: para presidente, para
deputado federal e para vereador – dias de terças , quintas e sábados; para governador,
senador, deputado estadual e para prefeito – dias de segundas , quartas e sextas – feiras ;
a divisão do tempo será de um terço igualmente para os que tenham candidatos ao cargo e dois
terços, proporcional ao número de representantes na câmara dos deputados. no caso de
eleições municipais, os órgãos regionais dos partidos podem solicitar que, onde não existir
emissora, seja reservado o tempo de 10 minutos para propaganda eleitoral, pelas geradoras que
atinge o município. O TSE tem regulamentado da seguinte forma: a emissora de maior audiência
passa a propaganda da capital, a segunda de maior audiência passa a propaganda da cidade
com o segundo maior eleitorado.... as inserções serão apresentadas inclusive aos domingos, em
tempo dividido em partes iguais – seis minutos para cada cargo. serão inserções de até 60
segundos.

É PROIBIDO :

em bens públicos - nos bens cujo uso dependa de cessão ou permissão do Poder Público, ou que a
ele pertençam, e nos de uso comum, inclusive postes de iluminação pública e sinalização de
tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos, é
vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza, inclusive pichação, inscrição a tinta,
fixação de placas, estandartes faixas e assemelhados.

em bens particulares e públicos - outdoors.

Arregimentação de eleitor.

Proibido na campanha eleitoral a confecção, utilização, distribuição por comitê, candidato, ou com
a sua autorização, de camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas ou
quaisquer outros bens ou materiais que possam proporcionar vantagem ao eleitor.

Realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos, bem como a


apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral

usar símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às empregadas por órgão do


governo (crime eleitoral).

no dia da eleição usar alto-falantes, amplificadores de som, realizar comícios, carreatas, distribuir
material de propaganda, volantes e outros impressos, praticar aliciamento, coação ou manifestação
tendentes a influir na vontade do eleitor, divulgar qualquer espécie de propaganda de partidos ou de
seus candidatos, mediante publicações, cartazes, camisas, bonés broches ou dísticos em vestuário
(crime eleitoral).

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 22
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

a partir do resultado da convenção, é vedado, ainda, às emissoras transmitir programa


apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção.

divulgar nos guias imagens de realização de pesquisa , ou qualquer tipo de consulta


popular ; usar trucagem, montagem ou outro recurso de áudeo e vídeo que degradem ou
ridicularizem candidato, partido ou coligação

a propaganda não pode usar meios artificiais que possam criar, na opinião pública estados
emocionais, mentais e passionais, não pode estimular a guerra, ou processos para subverter o
regime democrático, a ordem política e social, ou de preconceitos de raça ou classes, que
provoque animosidade entre as forças armadas ou contra elas, ou delas contra as classes e
instituições civis, de incitamento a atentado de pessoas e bens, de instigação à desobediência
coletiva ao cumprimento de lei de ordem pública, que implique em oferecimento, promessa ou
solicitação de dinheiro, dádiva , rifa, sorteio, uso de impressos que uma pessoa rústica possa
confundir com moeda, que prejudique a higiene e a estética urbana ou contravenha a posturas
municipais ( prazo de 30 dias após a eleição para retirada da propaganda espalhada pelas cidades
), que desrespeite os símbolos nacionais, que caluniar, difamar ou injuriar quaisquer pessoas

58. A lei das eleições veda aos agentes públicos uma série de condutas, visando o equilíbrio da
disputa eleitoral, para que alguns não se beneficiem do uso da máquina administrativa em benefício
próprio ou de outrem Quem são os considerados agentes públicos ? Quais são as condutas
vedadas pela lei ?

r. São considerados agentes públicos quem exerce, ainda que transitoriamente, ou sem
remuneração, por eleição, nomeação, designação, contratação, ou qualquer outra forma de
investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nos órgãos ou entidades da
administração pública direta, indireta ou fundacional

É PROIBIDO, ENTRE OUTRAS, AS SEGUINTES CONDUTAS :

1.usar bens móveis ou imóveis pertencentes à administração direta ou indireta de todas as


esferas administrativas, salvo para realização de convenções partidárias;

2.usar material ou serviços custeados pelos governos ou casas legislativas (exceto para as
consignadas em regimentos);

3. ceder servidores para comitês de campanha eleitoral durante o horário de expediente dos
mesmos;

4. realizar , nos três meses que antecedem ao pleito, propaganda institucional de atos,
programas, obras, serviços, e campanhas de órgãos públicos , salvo se for de grave e urgente
necessidade, reconhecida pela justiça eleitoral ( é proibida a propaganda institucional sem
autorização para os agentes públicos cujos cargos estejam em disputa);

5.fazer, nos três meses que antecedem ao pleito, pronunciamento em rádio e TV, salvo se a
matéria for urgente, relevante, autorizada pela justiça eleitoral (também para cargos em disputa);

6.ainda nos três meses, é proibido aos candidatos ao cargo do poder executivo participar de
inaugurações de obras públicas, é proibido ainda, realização de shows artísticos pagos com
recursos públicos na realização de inaugurações;

7.no ano em que se realizar eleição, fica proibida a distribuição gratuita de bens, valores ou
benefícios por parte da administração pública, exceto nos casos de calamidade pública, de
estado de emergência ou de programas sociais autorizados em lei e já em execução orçamentária no
exercício anterior, casos em que o ministério público poderá promover o acompanhamento de sua
execução financeira e administrativa.
.
59. Os candidatos a reeleição dos cargos do poder executivo poderão usar bens públicos,
uma vez que não são obrigados a se desincompatibilizarem ?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 23
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r.Sim. eles podem usar as residências oficiais, inclusive para fazer contatos, etc.., sem caráter
público, e, no caso do presidente da república, é permitido o uso dos transportes oficiais,
inclusive em campanha, sendo que o partido ou coligação deverá ressarcir as despesas com o uso,
para esta finalidade.

60.O candidato que tenha tido seu registro indeferido e tenha recorrido da decisão, poderá fazer
propaganda eleitoral ?

r. Sim, é candidato sub judice, pode participar até do guia eleitoral .

61. Na propaganda eleitoral é permitida a participação de qualquer cidadão ?

r. Sim, desde que não seja filiado a um outra agremiação partidária ou partido que esteja em
outra coligação e deve ser sem remuneração .

62.A partir de quando é possível solicitar direito de resposta?

r. Desde a escolha dos candidatos em convenção. O ofendido terá o prazo de 24 horas para
requerer direito de resposta se a ofensa se produziu no guia eleitoral, 48 horas se for na
programação normal da emissora e 72 horas quando se tratar de órgão da imprensa escrita,
devendo ser anexado ao pedido cópia do exemplar da publicação e o texto da resposta. No guia
eleitoral, a resposta nunca será inferior a um minuto.

63.É possível a censura prévia a um programa eleitoral ?

r.Não, a lei não admite cortes instantâneos, nem censura prévia. Caso se repita uma
propaganda já julgada, o partido poderá sofrer a suspensão do próximo programa ou parte
dele, garantindo, se houver o pedido, o direito de resposta

64. Quando começa e quando termina a propaganda eleitoral ?

r.O guia eleitoral começa 45 dias da antevéspera da eleição ou seja, indo até três dias
antes da eleição. No mesmo prazo, terminam os comícios , os debates e reuniões públicas. O
uso do alto – falante e de amplificadores de som e a distribuição de material ( volantes,
impressos ), só são proibidos no dia da eleição.

65. Quando começa a propaganda no segundo turno ?

r. Começa 48 horas após a proclamação do resultado e vai até a antevéspera da eleição , no caso
de guia, reuniões, comícios, . . o tempo de rádio e TV, será dividido igualmente entre os candidatos.

DA PESQUISA ELEITORAL

66. Quais são as regras para divulgação de uma pesquisa eleitoral ? Até quando pode ser divulgada?

r. Os institutos de pesquisas precisam , 05 dias antes de divulgá-las, proceder ao registro das


seguintes informações na justiça eleitoral: como elas foram realizadas , ou seja, quem contratou,
qual foi a metodologia adotada, valor e origem dos recursos despendidos, o plano amostral e
ponderação quanto ao sexo, idade, etc..., o questionário utilizado, quem pagou a pesquisa. A
divulgação pode ser até o dia da eleição.

Procedimentos para registro da pesquisa eleitoral :

I – será afixado aviso comunicando o registro da pesquisa;

II- será colocada à disposição dos partidos e coligações pelo prazo de 30 dias;

os partidos e coligações poderão ter acesso aos dados da pesquisa, até mesmo em meio magnético.
A publicação, sem o devido registro, sujeita os infratores as penalidades legais.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 24
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

DAS ELEIÇÕES

A emenda constitucional nº 16, de 1997, dando nova redação aos artigos 28 , 29 e 77 da nossa
constituição federal, estabeleceu que as eleições no nosso país, em primeiro turno, serão
realizadas no primeiro domingo de outubro e, em segundo turno, no último domingo do
mesmo mês .

67. Quais os sistemas eleitorais adotados no nosso país? Para quais cargos é possível a
realização do segundo turno? Quais os critérios ?

r. No Brasil são adotados dois sistemas: o sistema majoritário e o sistema proporcional .

sistema majoritário: é adotado para as eleições de presidente da república , vice –


presidente , governador e vice, prefeito e vice e senador. No sistema majoritário, o escrutínio
de um só turno, elege aquele que obteve a maioria de votos (maioria simples) ocorre nas
eleições para o senado e nas eleições para maioria das prefeituras. Exemplo: A teve 100 votos, B
teve 120 e C teve 121. Está eleito o candidato C. No escrutínio em dois turnos, está eleito no
primeiro turno o candidato que obteve a maioria absoluta de votos (mais da metade dos votos
válidos). Exemplo: A teve 100, B teve 120 e C teve 221. Se nenhum candidato alcançar a
maioria absoluta será realizado o 2º turno, dentre os dois candidatos mais votados
do primeiro, vencendo quem alcançar a maioria dos votos válidos (não são
computados os votos brancos e nulos). De acordo com nossa legislação, o segundo turno é
possível de ser realizado nas disputas dos cargos de presidente e vice, governador e vice
e no caso de prefeito e vice, só nos municípios com mais de duzentos mil eleitores.

sistema proporcional - tem por objetivo proporcionar as diversas correntes de opiniões uma
repartição dos lugares a preencher nas casas legislativas, de acordo com a votação obtida. São
cargos pelo sistema proporcional: deputado federal, deputado estadual e vereador.

68. Como se estabelece quantas vagas serão preenchidas por um partido ou coligação pelo
sistema proporcional ?

r. Primeiro é preciso saber quais foram os votos válidos (dados aos candidatos e as legendas
do partido ou da coligação), para determinado cargo. Vejamos :

na eleição de 2002, em Pernambuco, foram os seguintes votos apurados para os cargos de


deputado federal e deputado estadual:

deputado federal :

votos nominais ...................................................................3.389.022

votos de legenda .............................................................. 423.905

votos válidos ......................................................................3.812.927


divide-se o total de votos válidos pelo número de vagas a preencher:

então, 3.812.927: 25 (número de vagas ) = 152.517 (quociente eleitoral)

com a divisão, encontramos o chamado quociente eleitoral, ou seja, o número mínimo de votos que
um partido ou coligação precisa obter para eleger pelo menos um candidato .

deputado estadual :

votos nominais....................................................................3.249.964

votos de legenda .............................................................. 560.117

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 25
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

votos válidos ..................................................................... 3.810.081

então, 3.810.081: 49 (número de vagad0) = 77.757 (quociente eleitoral )

será desprezada a fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um se superior.

num segundo momento, após o cálculo do quociente eleitoral, é feito o cálculo do chamado
quociente partidário, determinando-se quantas vagas foram preenchidas pelos partidos ou
coligações .

situação hipotética :

para deputado federal :

partido x (votos dos candidatos e da legenda) = 896.358 : 152.517 = 5...............

coligação z (votos dos candidatos e das legendas) = 1.595.272 : 152.517= 10......

partido w ( votos dos candidatos e da legenda ) = 595.306 : 152.517 =3..................

coligação y (votos dos candidatos e das legendas ) = 325.981 : 152.517 = 2...........

partido h (votos dos candidatos e da legenda ) = 195.306.: 152.517 =1...................

partido q (votos dos candidatos e da legenda) = 204.704 : 152.517=1.......................

a fração será desprezada no cálculo do quociente partidário.

foram preenchidas 22 vagas . sobraram 03 .

cálculo das sobras

os votos dos partidos ou coligações, serão divididos pelo número de vagas já obtidas, somadas a
mais 1 = maior média, preenche mais uma vaga.

observe ainda as seguintes regras :

I – o preenchimento dos lugares com que cada partido ou coligação for contemplado far –
se - á segundo a ordem de votação nominal de seus candidatos;

II – havendo empate entre dois candidatos do mesmo partido ou coligação, será considerado
eleito o mais idoso;

III – ocorrendo empate nas médias e nos números de votos dados as coligações, prevalecerá, para
o desempate, o número de votos nominais recebidos pelas respectivas coligações;

IV – se nenhum partido ou coligação partidária alcançar o quociente eleitoral, considerar-se-ão


eleitos os candidatos mais votados até preencher as vagas.

69. Se antes do segundo turno, um candidato morrer, desistir ou tiver impedimento legal, qual o
procedimento ? E se for depois do segundo turno? E se for depois da diplomação?

r.Antes do segundo turno, convoca-se dentre os remanescentes, o de maior votação. Se houver


mais de um candidato com a mesma votação, qualificar-se-á o mais idoso;

na hipótese de ser após o segundo turno e antes da diplomação dos eleitos, será diplomado como
titular o vice eleito;

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 26
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

Caso ocorra entre a diplomação e a posse, aplica-se as regras constantes dos artigos 80 e 81 da
Constituição Federal.

70. Como funcionam as mesas receptoras de votos ?

r. Os juízes eleitorais designarão e farão publicar, na imprensa ou afixar no cartório, 60 dias antes
do pleito os locais de votação e o edital de convocação dos mesários. A cada seção corresponde
uma mesa receptora de votos, salvo hipótese de seção agregada. A mesa será constituída de um
presidente, um primeiro e segundo mesários, dois secretários e um suplente ( resolução do TSE
permite número menor de mesários).

Não podem ser nomeados mesários:

I – os candidatos e seus parentes, ainda que por afinidade, até o segundo grau, inclusive, e bem
assim o cônjuge;

II – os membros de diretórios de partido político, desde que exerçam função executiva;

III – as autoridades e agentes policiais, bem como os funcionários no desempenho de cargos de


confiança do executivo;

IV – os que pertencem ao serviço eleitoral;

V – os eleitores menores de 18 anos.

e ainda,

não podem ser nomeados para a mesma mesa:

I – servidores de uma mesma repartição pública ou empresa privada (salvo se forem de


dependências diversas, do mesmo ministério, secretaria de estado, de município, autarquia,
fundação pública de qualquer ente federativo, nem de sociedade de economia mista ou empresas
públicas, nem serventuários judiciais e extrajudiciais);

II – os que tenham entre si parentesco em qualquer grau.

serão nomeados, de preferência, entre os eleitores da própria seção e entre estes, os diplomados
em escola superior, os professores e os serventuários da justiça .

71. As seções eleitorais podem funcionar em qualquer prédio público e particular ?

r. A preferência é por prédio público. O prédio particular será cedido gratuitamente e


obrigatoriamente. Não podem funcionar seções eleitorais em propriedade pertencente a candidato, a
membro de diretório de partido político, delegado de partido político ou de coligação, autoridade
policial, bem como dos respectivos cônjuges e parentes, consangüíneos ou afins, até 2º grau. as
seções também não podem funcionar em fazendas, sítios ou qualquer propriedade rural privada,
mesmo existindo ali um prédio público.

72. O que acontece com o mesário que foi convocado e não compareceu ?

r. O membro da mesa que não comparecer e não apresentar justa causa ao juiz eleitoral até 30 dias,
incorrerá em multa mediante execução fiscal. Se ele for servidor público ou autárquico, a pena será
suspensão de até quinze dias. A pena será aplicada em dobro se a mesa receptora deixar de
funcionar por culpa dos faltosos. A pena será também aplicada em dobro, se o membro da mesa
abandonar os trabalhos no decurso da votação e não apresentar justa causa até 03 dias após a
ocorrência.

73. Quais os materiais utilizados pela mesa receptora de votos?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 27
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r. São vários. Urna eletrônica, folha de votação, listas com os nomes dos candidatos (hoje em dia, é
afixada num local visível no prédio de votação), cabina de votação, canetas, senhas para serem
distribuídas após as 17:oo horas, envelopes, folhas apropriadas para impugnações, ...).

74. Quando começa a votação? Quais os primeiros procedimentos ?

r. No dia marcado para as eleições, às 07:00 horas, deverão comparecer os membros da mesa
receptora de votos. Estando em ordem o material para votação, o presidente da mesa, na presença
dos fiscais que comparecerem, emitirá a zerésima, que será assinada por ele, pelo primeiro
secretário e pelos fiscais que estejam presentes, ato em que se verifica a não existência de votos na
urna eletrônica. Às 08:00 começa a votação. Se tiver faltado algum mesário, o presidente da mesa
poderá nomear ad hoc, entre os presentes, quantos eleitores forem necessários para completar a
mesa.

75. Como as mesas podem ser fiscalizadas pelos partidos políticos ?

r. Cada partido ou coligação, poderá nomear dois delegados para cada município e dois fiscais para
cada mesa receptora de votos, funcionando um de cada vez. Quando o município abranger mais de
uma zona eleitoral, eles podem nomear dois delegados para cada uma delas. As credenciais dos
fiscais serão expedidas pelos partidos e coligações, devendo apenas remeter aos juízes o nome de
quem pode emitir credencial.

76.O eleitor pode votar sem título?

r. O eleitor, mesmo sem apresentação do título, poderá votar apresentando documento com foto,
desde que o seu nome conste do cadastro de eleitores da seção constante da urna eletrônica.

77. Quem tem prioridade na hora da votação ?

r. Os candidatos, o juiz da zona, os juízes dos tribunais eleitorais, os auxiliares em serviço, os


promotores públicos quando a serviço da justiça eleitoral, os policiais militares em efetivo exercício
de policiamento, os fiscais e delegados de partido político ou de coligação, os maiores de 60 anos, os
enfermos, os portadores de necessidades especiais, mulheres grávidas e lactantes.

78. É possível instalar seções especiais ?

r. Sim. É possível abrir seção especial para portadores de deficiência física, em estabelecimentos
de internação coletiva, nos leprosários, em estabelecimentos para cegos...

79. O cidadão que esteja preso pode votar?

r. O preso provisório pode exercer o direito de votar, ou seja, aquele que ainda não tem uma
condenação definitiva, transitada em julgado. Poderão ser abertas seções especiais em presídios.

80. É possível impugnação à identidade de um eleitor ?

r. Sim, quando existir dúvida quanto a identidade do eleitor. No caso de uso da urna eletrônica,
persistindo a impugnação, o juiz será convocado na hora, para decidir. Se a votação for manual, o
voto e o título do eleitor serão colocados em um envelope especial (voto em separado ) e remetido,
dentro da urna de lona, para o local de apuração. Antes da contagem dos votos, a junta eleitoral
decidirá a impugnação apresentada. Decidindo pela contagem do voto impugnado, ele será misturado
aos demais, ficando garantido assim o sigilo da votação.

81. Quais as modalidades de votação ?

r. Votação eletrônica e votação manual. Na votação eletrônica, será exibido no painel da urna em
primeiro lugar, os nomes dos candidatos ao pleito proporcional. A urna eletrônica disporá de
recursos que, mediante assinatura digital, permitam o registro digital de cada voto e a identidade da
urna em que foi registrado, resguardado o anonimato do eleitor. Ao final da eleição, a urna eletrônica
procederá à assinatura digital do arquivo de votos, com aplicação do registro de horário e do arquivo

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 28
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

do boletim de urna, de maneira a impedir a substituição de votos e a alteração dos registros dos
termos de início e término da votação. Na eleição manual serão confeccionadas duas cédulas: uma
para a eleição majoritária (na cor amarela) e outra para a eleição proporcional (na cor branca). as
cédulas deverão ser rubricadas, pelo presidente e mesários e serão numeradas, em série contínua de
um a nove. O TSE autorizou a confecção de cédula sem impressão de nomes ( caso eleição
majoritária), com a finalidade de diminuir gastos eleitorais.

82. Quais os programas informatizados utilizados pela justiça eleitoral no nosso processo eleitoral ?

r. A justiça eleitoral utiliza os seguintes sistemas de processamento de dados: sistema de


candidaturas, horário eleitoral, montador de dados, gerador de mídias, votação eletrônica, apuração
eletrônica, gerenciamento de zona eleitoral, totalização dos resultados, prestação de contas, ...

83.Como se garante o sigilo do voto?

r. O sigilo do voto é assegurado mediante o uso de urna eletrônica ou cédulas oficiais, isolamento do
eleitor na cabina indevassável, verificação da autenticidade da cédula eleitoral à vista das rubricas,
uso de urna que assegure a inviolabilidade do sufrágio.

84. Se a mesa não se reunir , o que acontece ?

r. Se deixar de se reunir todas as mesas de um determinado município, o tribunal competente


determinará outro dia para que a eleição seja realizada.

85.É possível força policial no recinto das seções eleitorais?

r.A força armada deve ser conservada a cem metros da seção eleitoral, não podendo nela penetrar,
sem autorização do presidente da mesa. exceção: menos de cem metros nos casos das seções
em detenções.

atenção ! compete ao presidente da mesa receptora de votos e ao juiz eleitoral a polícia dos
trabalhos eleitorais . Vale dizer que, durante os trabalhos eleitorais , as autoridades
acima citadas podem determinar a retirada de quem não guarde a ordem e a
compostura ou atente contra a liberdade eleitoral, inclusive podendo chamar a força
policial .

86. É Proibido usar nas vestes do eleitor propaganda de seu candidato, no dia da eleição? e o
mesário ?

r. É permitida a manifestação individual e silenciosa da preferência do eleitor por partido, coligação


ou candidato, incluída a que se contenha no próprio vestuário ou que se expresse no porte de
bandeira ou de flâmula ou pela utilização de adesivos em veículos ou objetos de que tenha posse. Os
servidores da justiça eleitoral, mesários e os escrutinadores não podem usar ou portar qualquer tipo
de propaganda. Os fiscais, nos trabalhos da votação, podem usar vestes contendo o nome e a sigla
do partido ou coligação.

87. As mesas receptoras de votos podem apurar votos ?

r. Sim, quando for determinado pela justiça eleitoral e nos casos das mesas que funcionaram no
exterior.
DA APURAÇÃO , TOTALIZAÇÃO E PROCLAMAÇÃO DOS ELEITOS .

88. Qual o órgão da justiça eleitoral responsável pela contagem dos votos ?

r. A junta eleitoral, que é composta de até cinco membros (um presidente, dois ou quatro membros
titulares, nomeados 60 dias antes da eleição).

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 29
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

Atenção!
a contagem dos votos será sempre ato da junta eleitoral. Com relação a apuração total dos votos, a
junta é responsável pela eleição de sua jurisdição ( eleição municipal ) os TREs , serão
responsáveis pela apuração total dos votos da eleição geral ou eleição federal e estadual
( governador, senador, deputado federal e deputado estadual ) após apuração parcial
da juntas e o TSE pela apuração total dos votos da eleição presidencial ( após apuração
parcial dos TREs).

89. Quem não pode ser membro da junta eleitoral ?

r. Não podem ser nomeados membros das juntas:

1.os candidatos e seus parentes, ainda que por afinidade, até 2º grau, inclusive, bem como o cônjuge
ou companheiro;

2. os membros dos diretórios ou qualquer órgão de partido político;

3. as autoridades e agentes policiais, bem como funcionários no desempenho de cargos de confiança


do executivo;

4. os que pertencem ao serviço eleitoral, os fiscais e delegados de partidos políticos ou coligações,


os menores de 18 anos e , ainda,

5. não podem compor a mesma junta ou turma, servidores de uma mesma empresa pública ou
empresa privada ( salvo se dependências diversas dos mesmo órgão – vide mesários ) e parentes
entre si em qualquer grau.

90. É obrigatório nomear escrutinadores e auxiliares das juntas eleitorais ?

r. Sim, sempre que houver mais de 10 urnas a apurar. serão nomeados até 30 dias antes da eleição,
pelo juiz eleitoral.

91.Qual a competência da junta eleitoral ?

r. Cabe a junta, após o encerramento da votação proceder a apuração dos votos, nas seções
eleitorais sob sua jurisdição, resolver as impugnações e expedir os boletins de urna, na
impossibilidade de sua emissão nas seções eleitorais. Os boletins das urnas serão recebidos pela
pessoa autorizada pelo comitê interpartidário de fiscalização (formado por um representante de cada
partido político ou coligação).

92. Como serão apurados os votos ?

r. A regra é a apuração eletrônica dos votos e na hipótese de votação manual (por cédulas), elas
serão apuradas mediante sistema eletrônico, ou seja, os votos serão cantados e digitados numa urna
eletrônica, que expedirá no final, um boletim de urna e registrará os votos em disquete. Uma via do
boletim será afixada no local de votação, outra acompanhará o disquete, uma será entregue ao
comitê interpartidário. nos casos dos disquetes não serem lidos nos computadores da justiça
eleitoral, a junta determinará a geração de um novo disquete, com a recuperação dos arquivos
magnéticos contendo os votos. Ao final dos trabalhos, os votos serão totalizados.

93.Qual o procedimento de uma apuração manual?

r. Na apuração manual, a contagem das cédulas será feita, em primeiro lugar, com uso de canetas
vermelhas, sendo feita pela junta eleitoral no prazo de até 05 dias ( prazo da resolução do TSE-
eleição 2002 ). Serão utilizadas as listas contendo o nome dos candidatos ( por ordem de partidos e
coligações, por ordem numérica e onomástica ).É proibida a divulgação de expressões, frases ou
desenhos estranhos apostos nas cédulas eleitorais, sob pena de multa pela divulgação. Antes de
abrir a urna de lona, serão examinadas as seguintes condições : se há indícios de violação, se a
mesa receptora de votos se constituiu legalmente, se as folhas de votação são autênticas, se a
eleição ocorreu no dia e local designados , se foi infringidas as condições que resguardam o sigilo do

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 30
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

voto. Havendo indícios de violação da urna , será designado um perito para exame, junto com o
ministério público. O perito não pode ser candidato ou seu parente até 2º grau, bem como o cônjuge,
não pode ser autoridade e agentes policiais, bem como funcionários no desempenho de cargos de
confiança do executivo, nem pertencer ao serviço eleitoral.

94. A junta pode determinar a anulação e apuração em separado de uma urna?

r. Sim, remetendo o resultado de sua decisão à comissão totalizadora de votos, quando ela existir.

95. Quando uma cédula poderá ser considerada nula ?

r. Quando não corresponder ao modelo oficial, não estiver autenticada, contiver expressões, frases ou
sinais que possam identificar o voto.

96. Quando serão nulos os votos ?

r. Na eleição majoritária, quando forem assinalados os nomes de dois ou mais candidatos ao


mesmo cargo, quando a assinalação estiver fora do quadrilátero próprio, tornando duvidosa a
vontade do eleitor e na eleição proporcional, quando a indicação não for clara o suficiente para
distinguir o candidato escolhido de outro, quando escrever o nome de mais de um candidato ou
número de candidatos diferentes, quando escrever mais de uma legenda partidária. No caso do
eleitor colocar o nome de um candidato e o número de outro, vale o voto para o candidato cujo nome
foi escrito. Se escrever o nome ou número de um candidato e a legenda de outro partido, vale o voto
sempre para o candidato.

97. Quando os votos serão contados para legenda ?

r. Se o eleitor escrever apenas a sigla de um partido, se o eleitor escrever o nome ou número de


mais de um candidato do mesmo partido.

98. Em caso de ter sido registrado candidatos homônimos, como apurar os votos?

r. Se o eleitor escrever apenas o nome, é impossível distinguir para qual candidato vai o voto. Este
será computado para nulo. O voto só será computado, em caso de candidatos homônimos, se o
eleitor escrever o número.

98.É possível trocar a urna eletrônica, durante o processo de votação ?

r. Sim . Haverá urna de contingência.

99. A incoincidência entre o número de votantes e o de cédulas oficiais é motivo de anulação da


votação ?
r. Não, desde que não resulte de fraude comprovada.

100. Os partidos políticos ou coligações poderão fiscalizar a apuração dos votos ?

r. Sim. Poderão ser credenciados perante as juntas até três fiscais , por partido ou coligação, em
regime de revezamento. Se houver divisão por turmas, serão três fiscais por turma.

101. Quem pode impugnar os votos?


r. Os fiscais, delegados bem como os advogados e os candidatos, após manifestação do ministério
público. A impugnação deverá ser feita, voto a voto, sob pena de preclusão do direito e o recurso será
oral ou escrito, devendo a sua fundamentação ser apresentada no prazo de 48 horas, para que o
recurso possa ter seguimento.
102. É possível a recontagem dos votos ?

r. Sim, e ela é obrigatória sempre que o boletim de urna apresentar resultado não coincidente com o
número de votantes ou discrepante dos dados obtidos no momento da apuração, ficar evidenciada a
atribuição de votos a candidatos inexistentes, não fechamento da contabilidade da urna ou a

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 31
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

apresentação de totais de votos nulos, brancos ou válidos, destoantes da média geral das demais
seções do mesmo município e zona eleitoral.

103. Quais os procedimentos da totalização de votos ?

r. A partir das doze horas do dia anterior até às doze horas do dia da eleição, será oficializado o
sistema de totalização de votos, na presença de fiscais dos partidos ou coligações, imprensa ou
cidadãos interessados. Oficializado o sistema, com uso de senha própria, será emitida a zerésima,
com a finalidade de provar a lisura do pleito. Os programas dos sistemas de totalização ficarão à
disposição dos interessados, pelo prazo de 60 dias após o trânsito em julgado da diplomação,
inclusive para fins de auditoria.

104. Quem compõe a comissão apuradora de votos ?

r. Havendo eleição geral, federal e estadual, será designada uma comissão, composta de três
membros do Tribunal. ao final dos trabalhos, a comissão apresentará um relatório geral da
apuração, constando as seções apuradas, número de votos, seções anuladas, seções onde não
houve eleição, as impugnações, o quociente eleitoral, a votação de todos os candidatos. O relatório
ficará à disposição, pelo prazo de três dias para exame dos resultados, pelos partidos, coligações e
candidatos. Terminado o prazo acima citado, os partidos e coligações poderão apresentar, no prazo
de dois dias, reclamações sobre o resultado das eleições. A comissão apresentará as modificações
que procedeu, se for o caso, remetendo para apreciação do tribunal. O tribunal, antes de apreciar o
relatório, apreciará as reclamações não providas pela comissão. Se deferir, volta o relatório para a
comissão proceder às alterações. Da decisão final do tribunal, será elaborada uma ata, com a
proclamação dos eleitos e respectivos suplentes, marcando de imediato a diplomação .

DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

105. A falta da prestação de contas, impede a diplomação dos eleitos ?

r. Sim, enquanto não for prestada as contas, o candidato eleito não será diplomado. De acordo com
o artigo 17, da Constituição Federal, um dos preceitos dos partidos políticos é a prestação de
contas à justiça eleitoral. O partido será obrigado a enviar, anualmente, à justiça eleitoral, o balanço
contábil do exercício anterior, no final do mês de abril do ano seguinte. É uma prestação de contas
do partido político, do que ele recebeu e como administrou esses valores, ou seja, discriminação
dos valores e destinação dos recursos do fundo partidário, origem e valor das contribuições e
doações, despesas de caráter eleitoral, com a especificação e comprovação dos gastos com
programas de rádio e TV, comitês, propaganda, publicações, comícios, discriminação detalhada das
receitas e despesas.

106. como é constituído o fundo partidário ?

r. É constituído por multas e penalidades pecuniárias aplicadas nos termos do Código Eleitoral,
recursos financeiros que lhe forem destinados por lei, doações de pessoa física ou jurídica, efetuadas
por meio de depósitos bancários, dotações orçamentárias da união. O fundo partidário será
distribuído, pelo TSE, obedecendo aos seguintes critérios: cinco por cento do total será entregue,
em partes iguais, a todos os partidos com registro de seus estatutos no TSE; noventa e cinco por
cento do total será distribuído com os partidos que possuem funcionamento parlamentar, na
proporção dos votos obtidos na última eleição geral para a câmara dos deputados.

107. Como deve ser aplicado o fundo partidário ?

r. Deve ser aplicado na manutenção das sedes e serviços do partido, para pagamento do pessoal
(até 20% do total recebido), na propaganda doutrinária e política, no alistamento e campanhas
eleitorais, na criação e manutenção de instituto ou fundação de pesquisa e de doutrinação e
educação política.

108. Como ocorre a prestação de contas no período eleitoral?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 32
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r. Os candidatos, os comitês financeiros dos partidos políticos, precisam prestar contas dos gastos
com a campanha eleitoral até 30 dias após a realização das eleições, em primeiro turno. havendo
segundo turno, a prestação dos candidatos que o disputarem, referente aos dois turnos, serão
apresentadas até o trigésimo dia posterior à eleição do segundo turno. A decisão que julgar as
contas dos candidatos eleitos será publicada em sessão até 8 ( oito) dias antes da diplomação.

109. quem compõe o comitê financeiro?

r.O comitê financeiro é constituído até 10 dias úteis após a escolha dos candidatos em convenção e
registrado até 05 dias após sua constituição nos órgãos da justiça eleitoral. Será composto de
quantos membros o partido desejar, tendo obrigatoriamente, um presidente e um tesoureiro. A
prestação de contas dos candidatos majoritários serão elaboradas pelos candidatos e
encaminhadas à justiça eleitoral através do comitê financeiro. As contas dos candidatos majoritários,
engloba a dos vices e suplentes. A prestação de contas dos candidatos proporcionais será
elaborada pelos candidatos, podendo ser encaminhadas pelo comitê financeiro ou pelo próprio
candidato. O candidato que for indeferido, que renunciar, prestará contas e o que veio a falecer, as
contas serão prestadas pelo seu administrador financeiro ou até pela direção partidária
correspondente. A falta de registro do comitê, implicará na rejeição das contas dos candidatos a ele
vinculados.

110.Qual o valor máximo que pode ser gasto, na campanha eleitoral?

r. o valor máximo será aquele informado no pedido de registro das candidaturas pelos partidos e, em
caso de coligação, por cada partido da coligação. Os valores dos vices e suplentes, correspondem
aos valores dos titulares. Os gastos deverão ser feitos, mediante recibos eleitorais, sendo obrigatório
a abertura de conta bancária, ressalvado os casos de eleição municipal, em municípios onde não haja
agência bancária e, ainda, para o cargo de vereador, em municípios com menos de 20 mil eleitores.
Os bancos são obrigados a acatar o pedido de abertura de conta, vedado condicioná-la a depósito
mínimo.

111. Quais são as fontes de arrecadação permitidas por lei ?

r. recursos do próprio candidato, doações de pessoa física (até 10% dos rendimentos brutos auferidos
no ano anterior à eleição), doações de pessoa jurídica (até 2% do faturamento bruto do ano
anterior à eleição), sendo proibido as doações de: entidade ou governo estrangeiro, órgão da
administração pública direta e indireta ou fundação mantida com recursos provenientes do poder
público; de entidade de classe, concessionário ou permissionário de serviço público; entidade de
direito privado que receba contribuição compulsória em virtude de dispositivo legal; entidade de
utilidade pública, pessoa jurídica sem fins lucrativos que receba recursos do exterior; instituto ou
fundação de pesquisa e de doutrinação e educação política criados com recursos do fundo partidário;
entidades beneficentes e religiosas; entidades esportivas que recebam recursos públicos,
organizações não-governamentais que recebam recursos públicos e organizações da sociedade civil
de interesse público. Além das fontes já citadas, que a lei permite doação, temos ainda doações de
outros candidatos, comitês financeiros ou partidos, repasse de recursos provenientes do fundo
partidário . As doações em conta bancária, serão sempre por meio de cheque cruzado e
nominal ou transferência eletrônica de depósitos e depósito em espécie devidamente identificados.
Ficam vedadas quaisquer doações em dinheiro, bem como de troféus, prêmios, ajudas de
qualquer espécie feitas por candidato, entre o registro e a eleição, a pessoas físicas e
jurídicas.

112. quais são os gastos eleitorais ?


r. considera – se gasto eleitoral, despesas com confecção de material impresso, propaganda e
publicidade, aluguel de imóveis, remuneração paga a quem presta serviços, montagem de carros de
som, realização de pesquisas, despesas com transporte ou deslocamento de candidato e pessoal a
serviço das candidaturas, realização de comícios ou eventos destinados à promoção de candidatura,
produção de programas de rádio, televisão ou vídeo, inclusive destinados à propaganda gratuita,
produção de jingles, vinhetas e slogans...

113. O eleitor pode gastar com um candidato ?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 33
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r. Sim, a lei permite até mil UFIR.

114. Qual o procedimento da justiça eleitoral quando rejeita as contas de um candidato ou


comitê ?

r. A lei nº 11.300/06 acrescentou que qualquer partido ou coligação poderá representar à Justiça
Eleitoral relatando fatos e indicando provas e pedir abertura de investigação judicial para apurar
condutas em desacordo com as normas desta lei, relativas à arrecadação e gastos de recursos.
Comprovados captação ou gastos ilícitos de recursos, para fins eleitorais, será negado diploma ao
candidato, ou cassado, se já houver sido outorgado. Quando rejeitada as contas, a cópia do
processo deve ser remetida processo ao ministério público eleitoral, para fins de recurso contra a
diplomação ou ação de impugnação de mandato eletivo.

115. Qual o procedimento com as sobras de campanha ?

r. Devem ser transferidas para a respectiva direção partidária ou à coligação para ser dividida
pelos partidos que a compõem. A sobra será utilizada pelo partido, na criação e manutenção de
instituto ou fundação de pesquisa e de doutrinação e educação política, comprovada na prestação
de contas anual do partido.

116. Os partidos políticos, em ano eleitoral, só prestam contas uma única vez ?

r. Não. Em ano eleitoral, os partidos enviam balancetes mensais à justiça eleitoral, durante os
quatro meses anteriores e os dois meses posteriores ao pleito.

117. Por quanto tempo os partidos e candidatos devem deixar, à disposição da justiça eleitoral, os
documentos de suas prestações de contas ?

r. Até 180 dias contados da decisão final.

atenção !
1. Os partidos, as coligações e os candidatos são obrigados, durante a campanha eleitoral, a
divulgar, pela rede mundial de computadores(internet), nos dias 6 de agosto a 6 de setembro,
relatório discriminando os recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro que tenham
recebido para financiamento da campanha eleitoral, e os gastos que realizarem, em sítio criado
pela justiça eleitoral para esse fim, exigindo-se a indicação dos nomes dos doares e os
respectivos valores doados somente na prestação de contas final .

2. o TSE determinou que se registre no cadastro do candidato a ausência da prestação de


contas de sua campanha eleitoral , impedindo o fornecimento de certidão com a quitação
eleitoral .

DA DIPLOMAÇÃO DOS ELEITOS

118. Qual o órgão da Justiça Eleitoral que diploma os eleitos?

r. Na eleição presidencial, o TSE; na eleição geral (governador, senador, deputado federal e


deputado estadual), os TREs na eleição municipal, a junta eleitoral. A diplomação tem natureza
declaratória, em conformidade com o resultado das urnas.

119. Quais os dados que devem constar do diploma ?


r. Nome do candidato, indicação da legenda pela qual concorre ou coligação, o cargo que foi
eleito, ou a sua classificação.
120. Havendo recurso contra a diplomação, é possível a manutenção do cargo até a apreciação
do recurso ?
r. Sim, enquanto o tribunal superior não decidir o recurso interposto contra a expedição do diploma,
poderá o diplomado exercer o mandato .

121.É preciso providências especiais quando se diploma um candidato eleito militar ?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 34
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r. Sim, deve ser feita a comunicação à autoridade a que este tiver subordinado, para que
ele passe a inatividade, conforme estabelece a nossa constituição federal.

122. Existe algum documento necessário para que o candidato receba o seu diploma?

r. Sim, nos casos dos eleitos do sexo masculino, que precisam comprovar que está em dia com o
serviço militar.

TERCEIRA PARTE

DOS RECURSOS

Regras gerais dos recursos eleitorais :

I – os recursos eleitorais não terão efeito suspensivo;

II – sempre que a lei não estabelecer prazo especial, o recurso deverá ser interposto em três dias da
publicação do ato, resolução ou despacho;

III– são preclusivos os prazos para interposição de recurso, salvo quando se discutir matéria
constitucional.

Das decisões dos Tribunais Regionais Eleitorais somente caberá recurso quando :

RECURSO ESPECIAL - forem proferidas contra disposição expressa da constituição federal ou de


lei; ocorrer divergência na interpretação de lei entre dois ou mais tribunais eleitorais.

RECURSO ORDINÁRIO- versarem sobre inelegibilidade ou expedição de diplomas nas eleições


federais ou estaduais; anularem diplomas ou decretarem a perda de mandato eletivos federais ou
estaduais e denegarem habeas corpus, mandado de segurança, habeas data ou mandado de
injunção.

Das decisões do Tribunal Superior Eleitoral são cabíveis recursos quando:

RECURSO EXTRAORDINÁRIO- contrariarem a Constituição Federal e declararem invalidade de lei.

RECURSO ORDINÁRIO - denegarem habeas corpus ou mandado de segurança .

DO RECURSO CONTRA ALISTAMENTO ELEITORAL

COMPETÊNCIA: Juiz eleitoral


DENOMINAÇÃO: Recurso inominado

Do despacho que indeferir o requerimento de inscrição eleitoral, caberá recurso interposto pelo
alistando no prazo de cinco dias e, do que o deferir, poderá recorrer qualquer delegado de
partido político no prazo de dez dias, contados da colocação da respectiva listagem à disposição
dos partidos, o que deverá ocorrer nos dias 1º e 15 de cada mês, ou no primeiro dia útil seguinte.

DO RECURSO CONTRA A DIPLOMAÇÃO

COMPETÊNCIA: pergunta-se: quem diplomou?

Nas eleições municipais – a Junta Eleitoral diploma, o recurso, inicialmente, é competência do TRE.

Nas eleições estaduais, federais e distritais- o TRE diploma, o recurso inicialmente é para o TSE.

Nas eleições presidenciais – Recurso, se cabível, para o próprio TSE e/ou para o STF.

Somente cabe recurso contra a diplomação, nos seguintes casos :

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 35
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

I – inelegibilidade ou incompatibilidade de candidato;

II – errônea interpretação da lei quanto à aplicação do sistema de representação proporcional;

III – erro de direito ou de fato na apuração final , quanto à determinação do quociente eleitoral ou
partidário, contagem de votos e classificação de candidato, ou a sua contemplação sob determinada
legenda;

IV – concessão ou denegação do diploma em manifesta contradição com a prova dos autos, na


hipótese do artigo 222, do código eleitoral ( anulável a votação quando viciada de falsidade, fraude,
coação, por interferência do poder econômico e o desvio ou abuso do poder de autoridade, em
desfavor da liberdade do voto ou ainda, emprego de processo de propaganda ou captação de
sufrágios vedado por lei ), e artigo 41-a, da lei 9.504/97 ( ressalvado o disposto no artigo 26 e seus
incisos – gastos eleitorais - constitui captação de sufrágio, vedada por esta lei, o candidato doar,
oferecer, prometer, ou entregar, ao eleitor, com o fim de obter-lhe o voto, bem ou vantagem pessoal
ou de qualquer natureza , inclusive emprego ou função pública, desde o registro da candidatura até o
dia da eleição, inclusive, sob pena de multa de mil a cinqüenta mil ufir e cassação do registro ou do
diploma, observado o procedimento do artigo 22 da lei complementar 64/90 – diferença é que o
pedido será apreciado pelo juiz auxiliar, quando houver e não pelos corregedores ).

DOS CRIMES ELEITORAIS

O título IV, do código eleitoral, trata das penalidades e crimes eleitorais.

regras :

I – sempre que o código eleitoral não indicar o grau mínimo da pena, entende-se que ela será de
15 dias para detenção ( crimes menos graves; regime aberto ou semi-aberto; cumpre pena em
instituição agrícola, industrial ou similar ) e de um ano para reclusão( crimes mais graves; regime
fechado podendo ser aberto ou semi-aberto; cumpre pena em penitenciária).

II – quando a lei determina agravação ou atenuação da pena sem mencionar o quantum, deve o juiz
fixá-lo entre um quinto e um terço, guardados os limites da pena cominada ao crime.

III – a pena de multa é fixada em dia-multa. seu montante é de , no mínimo 01 dia-multa e, no


máximo, 300 dias-multa. Será fixado o valor considerando as condições pessoais e econômicas do
condenado, podendo ser aumentada até o triplo, sem exceder a 300 dias-multa.

As infrações penais definidas no nosso código eleitoral, são de ação pública. Todo cidadão que tiver
conhecimento de infração penal deste código deverá comunicá-la ao Juiz Eleitoral da Zona onde a
mesma se verificou.Se for comunicação verbal, será a mesma reduzida a termo, assinada pelo
apresentante e por duas testemunhas, sendo remetida ao Ministério Público Eleitoral.
A denúncia será oferecida, no prazo de 10 dias, pelo Ministério Público Eleitoral.
Se, ao invés de apresentar a denúncia, requerer o arquivamento da comunicação, o Juiz pode:
Remeter a comunicação ao Procurador Regional Eleitoral que, por sua vez, poderá:
1. Receber a denúncia e designar um Promotor para oferecê –la ou,
2. Pedir o arquivamento, quando então o Juiz será obrigado a atender.

Qualquer eleitor poderá provocar a representação contra o Ministério Público se, no prazo dos dez
dias não agir.

PROCEDIMENTOS:
Recebida a denúncia, o Juiz designará dia e hora para depoimento pessoal do acusado, ordenando a
citação deste e a notificação do Ministério Público.
O réu ou seu defensor terá o prazo de 10 ( dez) dias para oferecer alegações escritas e arrolar
testemunhas.
Ouvida as testemunhas de acusação e defesa, praticadas as diligências necessárias, o Juiz abre
prazo de 05 ( cinco) dias para alegações finais.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 36
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

Os autos, após o prazo acima, em 48 horas, será concluso ao Juiz que proferirá sentença no prazo
de 10 ( dez) dias.

Aplica- se como lei subsidiária ou supletiva o código de processo penal brasileiro.

atenção !

O TSE decidiu: cabimento de ação penal privada subsidiária no âmbito da justiça eleitoral
( garantia constitucional). Inadmissibilidade da ação penal pública condicionada a
representação do ofendido, em virtude do interesse público que envolve a matéria eleitoral ).

A lei 9.504/97, que estabelece normas para as eleições, além de introduzir os crimes referentes
ao processo de informatização das eleições no nosso país, revogou alguns artigos do código eleitoral
.

Crimes eleitorais:

Induzir alguém a se inscrever eleitor com infração de qualquer dispositivo do Código Eleitoral; Juiz
efetuar, fraudulentamente inscrição de eleitor; negar ou retardar a autoridade judiciária, sem
fundamento legal, a inscrição requerida; perturbar ou impedir de qualquer forma o alistamento
eleitoral; reter título de eleitoral contra a vontade do eleitor; promover desordem que prejudique os
trabalhos eleitorais; impedir ou embaraçar os trabalhos eleitorais; dar, oferecer, prometer, solicitar, ou
receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto
e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita; valer-se o servidor
publico de sua autoridade para coagir alguém a votar ou não votar em determinado candidato; usar
violência ou grave ameaça para coagir alguém a votar ou não votar; realizar propaganda eleitoral no
dia da eleição; majorar preços de utilidades e serviços necessários à realização do pleito, fornecer
ao eleitor cédula oficial já assinalada,. . .

DAS AÇÕES ESPECIFÍCAS DO DIREITO ELEITORAL

DAS RECLAMAÇÕES E REPRESENTAÇÕES CONTRA DESCUMPRIMENTO DA LEI ELEITORAL


E RESOLUÇÕES DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

texto

Nas eleições presidenciais e eleições estaduais , a lei nº 9.504/97, no seu artigo 96 estabeleceu
que as reclamações e representações serão dirigidas:

I – aos juízes eleitorais, nas eleições municipais;

II – aos tribunais regionais eleitorais nas eleições federais, estaduais e distritais e,

III – ao tribunal superior eleitoral , na eleição presidencial.

nas eleições municipais , havendo na circunscrição mais de uma zona eleitoral , o tribunal
designará um juiz para apreciar as reclamações e representações. Nas demais eleições , os
tribunais designarão três juízes auxiliares ( são designados dentre os suplentes do tribunal).

Parte legítima para reclamar ou representar :


partido político , coligação , candidato ou ministério público.

123. Como decidem os juízes auxiliares ?

r. Serão designados na eleição geral e na presidencial três juízes suplentes das cortes. A parte entra
com a representação. Ela será distribuída para um dos juízes auxiliares. O juiz decidirá
monocraticamente. Da decisão do juiz cabe agravo regimental para o pleno do tribunal
competente. Prazos : recebida a reclamação ou representação , o reclamando ou representando
será notificado , para querendo apresentar defesa em 48 horas. transcorrido o prazo, apresentada ou
não a defesa, o juiz decidirá e fará publicar a decisão em 24 horas. Quando cabível o recurso ele

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 37
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

deve ser apresentado em 24 horas da publicação da decisão ( afixação ). Em igual prazo o recorrido
apresentará contra-razões.

124. com a competência dos juízes auxiliares, qual o poder dos juízes eleitorais sobre a
propaganda eleitoral ?

r. Os juízes eleitorais exercerão o poder de polícia, na fiscalização do cumprimento da


legislação eleitoral, coibindo as práticas ilegais. O juiz designado para exercer o poder de polícia,
faz cessar a propaganda proibida, remete o caso ao ministério público que, querendo, representa
contra quem divulgou a propaganda irregular.

DA AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL

texto

De acordo com o artigo 22, da lei complementar nº 64/90, qualquer partido, coligação,
candidato ou ministério público eleitoral, poderá representar à justiça eleitoral , relatando fatos e
circunstâncias, indicando provas, para apurar uso indevido desvio ou abuso do poder
econômico ou do poder de autoridade , ou utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político.

125. quem é competente para apreciar a ação de investigação judicial ?

r. O corregedor geral , nos casos da eleição presidencial , o corregedor regional nos casos das
eleições federais e estaduais e o juiz eleitoral nas eleições municipais. Ao final da investigação, os
corregedores levarão o feito a julgamento do pleno do tribunal.

126. Qual a punição cabível, caso seja julgada procedente a representação da investigação judicial ?

r. Será declarado inelegível o representado e quem haja contribuído para a prática do ato, com a
sanção de inelegibilidade por três anos subseqüentes à eleição em que se verificou , além da
cassação do registro do candidato diretamente beneficiado, podendo ser instaurado, pelo ministério
público eleitoral, processo disciplinar, ou ainda, processo crime. Se for julgada após a eleição, serão
remetidas cópias ao MPE , para fins de recurso contra a diplomação ou ação de impugnação
de mandato eletivo. É meio de prova para instruir recurso contra diplomação e AIME, mesmo que
não esteja concluído o seu julgamento ( de acordo com jurisprudência do TSE).

DA AÇÃO DE IMPUGNAÇÃO DE MANDATO ELETIVO

texto .

estabelece o artigo 14, § 10 da nossa constituição:

“ o mandato eletivo pode rá ser impugnado ante a justiça eleitoral no prazo de 15 dias contados da
diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico, corrupção ou fraude.”

e, ainda:

§ 11. a ação de impugnação de mandato tramitará em segredo de justiça, respondendo o autor , na


forma da lei, se temerária ou de manifesta má fé.

127. Qual a legislação que regulamenta o processamento da ação de impugnação de mandato


eletivo ?

r. Ao contrário da ação de investigação judicial , que tem regulamentação processual na lei


complementar 64/90, a ação de impugnação não tem uma regulamentação processual própria. O
TSE decidiu que o rito da ação será da lei complementar 64/90 ( prazos do registro das
candidaturas).

128. O julgamento da ação corre em segredo de justiça ?

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 38
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

r. Não, só a fase instrutória corre em segredo de justiça, de acordo com instruções do TSE.

atenção !

rito processual do artigo 22 da lei complementar 64 /90:

recebida a inicial , o relator determinará em despacho inicial que se notifique o representado, com
cópia dos documentos, a fim de que ofereça ampla defesa , no prazo de 05 dias, juntando
documentos e rol de testemunhas, se cabível. Determinará ainda a suspensão do ato que
determinou a representação (se for relevante o fundamento e do ato impugnado puder resultar a
ineficiência da medida, caso seja julgada procedente ), ou ainda, indeferirá de plano a inicial quando
não for caso de representação ou faltar os requisitos fixados na lei complementar.

129. Caso seja indeferida, ou haja retardo na solução, poderá o interessado renovar o pedido ?

Sim , perante o tribunal, devendo o mesmo resolver em 24 horas. Poderá ainda, se não for atendido
ou ocorra demora , se dirigir ao TSE para providências.

após notificação................a secretaria do tribunal ( ou cartório ) juntará cópia do ofício da


notificação ,bem como prova da recusa em aceitá-la ou dar recibo.

prazo de 05 dias para inquirição de testemunhas , em uma só assentada (06 para cada parte ), cujo
comparecimento independerá de intimação;

03 dias seguintes, o juiz ou relator procederá as diligências que achar necessárias ( ex officio ou a
requerimento das partes ). No mesmo prazo poderá ainda ouvir terceiros como conhecedores dos
fatos. Se os documentos necessários ao caso estiver em poder de terceiros o juiz /relator poderá
ordenar o depósito ou requisitar cópias . Se o terceiro não exibir o documento ou não comparecer em
juízo poderá ser expedido o mandado de prisão e ser instaurado processo de crime de
desobediência;

alegações finais ( 02 dias ) após o que os autos serão concluso ao juiz/relator.

Se o julgador for o juiz ele decidirá e publicará a sentença.

Se o julgador for o corregedor ( ação no TRE ou no TSE ), será apresentado o relatório conclusivo
( 03 dias ), concedendo-se ao ministério público o prazo de 48 horas para se pronunciar sobre as
conclusões. No dia imediato, com pedido imediato de pauta , a ação será levada a julgamento na
primeira sessão subseqüente do pleno do tribunal.

Na AÇÃO DE IMPUGMAÇÃO DE MANDATO ELETIVO, é preciso existência demonstração que o


ato praticado tenha potencialidade para influir no resultado do pleito. Na execução da decisão, não
incide o artigo 224,do código eleitoral, ou seja, os votos não são anulados; Não se aplica o artigo 15
da lei complementar 64/90, ou seja, não é necessário o trânsito em julgado para aplicação da sanção.

ARTIGO 41-A DA LEI 9504/97

É uma representação, que pode ser proposta por partido político, coligação, candidato e pelo MPE,
com o rito do artigo 22, da lei complementar 64/90. Como toda a ação contra descumprimento da lei
eleitoral, deve ser apreciada, nas eleições gerais e presidencial, primeiro pelo juiz auxiliar. Para
caracterizar a captação ilegal de sufrágio é necessário: 1. A prática da ação: doar, prometer...;
2. A existência de uma pessoa física e 3. O resultado a que se propõe o agente, que é a obtenção
do voto. Sanção: Multa, cassação de registro ou do diploma. A decisão deve ser executada de
imediato.

TRANSPORTE DE ELEITORES

Lei nº 6091, de 15 de agosto de 1974


fornecimento gratuito de transporte, em dia de eleição, a eleitores residentes nas zonas rurais.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 39
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

texto

A justiça eleitoral poderá, até 15 dias antes da eleição requisitar dos órgãos da administração direta e
indireta da união, dos estados, territórios, distrito federal e municípios funcionários e instalações que
necessitar para possibilitar a execução dos serviços de transporte e alimentação de eleitores nas
zonas rurais. Os veículos e embarcações, excluídos os de uso militar, ficarão á disposição da
justiça eleitoral, nos dias da eleição. Caso seja insuficiente o número de veículos para atender aos
eleitorado, poderão ser requisitados veículos e embarcações a particulares, de preferência de
aluguel, sendo as despesas pagas até 30 dias depois do pleito, com recursos do fundo partidário. Os
transportes já citados, obedecerão ao percurso estabelecido pela justiça eleitoral, atingindo eleitores
que irão votar com a distância mínima de dois quilômetros .

Para facilitar a sua identificação, os veículos deverão circular com um dístico escrito : a serviço da
justiça eleitoral da elaboração do percurso e demais providências para o cumprimento da
determinação legal, os partidos poderão ser representados, compondo a comissão especial de
transporte e alimentação.
Desde o dia anterior até o posterior à eleição, só poderão fazer transporte de eleitor:
1.os que se encontram a serviço da justiça eleitoral;
2.coletivos de linhas regulares e não fretados;
3.de uso individual do proprietário, para o exercício do próprio voto e de membros de sua família.

EXERCÍCIOS

1. Assinale a questão CORRETA:

A) ( ) o TSE é competente para responder consultas sobre casos concretos, formuladas pelos
diretórios municipais dos partidos políticos.
B) ( ) Os biênios dos Juízes dos Tribunais eleitorais são contados ininterruptamente,
sem desconto de qualquer afastamento.
C) ( ) Os substitutos dos Juízes dos Tribunais não serão escolhidos, na mesma ocasião e pelo
mesmo processo dos titulares, em número igual para cada categoria
D) ( ) Não pode fazer parte do TSE, como membro, os parentes entre si até o 4 grau.
E) ( ) O Corregedor Geral da Justiça Eleitoral será eleito dentre qualquer um dos membros
do TSE

2. Das afirmações abaixo são VERDADEIRAS:


A. O TSE delibera, em sessão pública, por maioria de votos, com a presença da maioria dos seus
membros.
B. O TSE só poderá decidir sobre a cassação de registro de partidos políticos ou perdas de
diplomas , com a presença de todos os seus membros.
C. O TSE não é competente para julgar os conflitos de jurisdição entre TREs e Juízes Eleitorais de
estados diferentes.
D. O TSE é competente para julgar mandado de segurança , em matéria eleitoral, contra ato do
presidente da república.
E. O TRE é competente para julgar as ações rescisórias, nos casos de inelegibilidade intentadas
dentro de 120 dias da decisão irrecorrível

A( ) só a primeira está correta.


B( ) as letra A e B estão corretas.
C( ) as letras A,B,C, estão corretas.
D( ) as letras D e E estão corretas.
E( ) só a letra E está correta.

3. É INCORRETO afirmar:
A) ( ) Em nenhuma hipótese o TSE poderá fixar data para realização de eleições presidenciais no
nosso país

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 40
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

B) ( ) A requisição de força federal é ato do TSE, para fazer cumprir suas próprias decisões e dos
TREs que o solicitarem
C) ( ) A lista contendo nomes dos advogados para indicação pelo Presidente da República de
membros do TRE, classe jurista, não pode conter nome de magistrado aposentado ou membro do
ministério público
D) ( ) O TRE é competente para julgar crimes eleitorais cometidos por juízes eleitorais
E) ( ) A divisão de uma circunscrição eleitoral em zona, é feita pelo TREs, com necessidade da
aprovação do TSE

4. Assinale a alternativa INCORRETA:

A) ( ) O Juiz Eleitoral é competente para dividir a zona em seções eleitorais.


B) ( )As Juntas Eleitorais são nomeadas 60 dias antes do pleito.
C) ( ) Compete a Junta Eleitoral expedir os diplomas dos eleitos para os cargos municipais.
D) ( ) O Ministério Público Eleitoral, nos Tribunais, participará das discussões, da forma como
estabelece o Código Eleitoral.
E) ( )O Procurador Geral Eleitoral será sempre o Procurador Geral da República.

5. Com relação à atual organização e competência da justiça eleitoral, assinale a opção correta.
( questão prova concurso )

A) ( ) Deve haver um TRE na capital de cada estado e no Distrito Federal, em cada um deles é
obrigatória a participação de dois Juízes escolhidos entre seis advogados de notável saber jurídico e
idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Justiça, para nomeação pelo Presidente da
República.
B) ( ) Compõem a Justiça Eleitoral os TREs, os procuradores-regionais eleitorais, os Juízes
Eleitorais e as Juntas Eleitorais.
C) ( )Para a ampliação da atual composição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) prevista na
Constituição da República, não se prescinde de emenda à Constituição.
D) ( ) Compete aos tribunais regionais eleitorais (TREs) processar e julgar originariamente o registro
e o cancelamento do registro dos diretórios estaduais e municipais de partidos políticos, bem como
de candidatos a prefeito e vereador.
E) ( )O TSE elegerá seu presidente entre os ministros do Supremo Tribunal Federal, e seu vice-
presidente e o corregedor eleitoral entre os ministros
do Superior Tribunal de Justiça.
22
6.Assinale a alternativa CORRETA. ( questão prova concurso )

O Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal Regional Eleitoral:

A( ) são eleitos pelo próprio Tribunal Regional Eleitoral dentre os desembargadores que o
compõem.
B( ) são eleitos pelo Tribunal de Justiça do respectivo Estado dentre os desembargadores que o
compõem.
C( ) são eleitos pelo próprio Tribunal Regional Eleitoral dentre os desembargadores e os juízes que
o compõem.
D( ) são eleitos pelo próprio Tribunal Regional Eleitoral dentre os membros que o compõem.

7.Assinale a alternativa CORRETA. ( questão prova concurso )

Os Tribunais Regionais Eleitorais são compostos:

A( ) de sete Juízes de carreira eleitos pelo Tribunal de Justiça do respectivo Estado, para servirem
por dois anos .
B( ) de, no mínimo, sete Juízes, sendo dois eleitos dentre Desembargadores, três Juízes de Direito
escolhidos pelo Tribunal de Justiça e, pelo menos, dois advogados indicados pelo Tribunal de
Justiça do respectivo Estado.
C( ) de sete membros, sendo dois Desembargadores, dois Juízes de Direito, dois Advogados e um
Desembargador ou Juiz Federal.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 41
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

D( ) de, pelo menos, sete membros, sendo, no mínimo, dois Desembargadores, dois Juízes de
Direito, dois Advogados e um Desembargador ou Juiz Federal.

8. Leia com atenção as afirmativas abaixo. ( questão prova concurso )

I - Os funcionários de qualquer órgão da Justiça Eleitoral poderão pertencer a diretório de partido


político ou exercer qualquer atividade partidária.
II - Denomina-se “Código Eleitoral” a Lei nº 4.737, de 15.07.1965; “Lei de Inelegibilidade” a Lei
Complementar nº 64, de 18.05.1990; “Lei dos Partidos Políticos” a Lei nº 9.096, de 19.09.1995; e
“Lei das Eleições” a Lei nº 9.504, de 30.09.1997.
III - Quem se filia a outro partido político deve comunicar ao partido e ao Juiz da respectiva Zona
Eleitoral para cancelar sua filiação; se não o fizer no dia imediato ao da nova filiação, fica
configurada dupla filiação, sendo ambas consideradas nulas para todos os efeitos.
IV - Aos Tribunais Regionais Eleitorais compete aprovar a divisão dos Estados em Zonas Eleitorais
ou a criação de novas Zonas.

Assinale a alternativa CORRETA.

A( ) Somente as afirmativas I e II estão corretas.


B( ) Somente as afirmativas II e III estão corretas.
C( ) Somente as afirmativas III e IV estão corretas.
D( ) Somente as afirmativas I e IV estão corretas.

9. É INCORRETO afirmar:
A) ( ) O Ministério Público poderá se manifestar, por escrito ou oralmente, em todos os assuntos
submetidos à deliberação do Tribunal
B) ( ) Os Procuradores Regionais Eleitorais não serão designados pelo Procurador Geral da
República.
C) ( )Perante os TREs , poderão ser designados outros membros do Ministério Público Federal,
para auxiliarem nos serviços, mediante prévia autorização do Procurador Geral, não tendo estes
assento nas sessões dos Tribunais.
D) ( ) O promotor eleitoral será o membro do ministério público local e, em caso de inexistência, o
chefe do ministério público estadual indicará ao Procurador Regional Eleitoral o substituto para
designação

10. É CERTO afirmar que:

A) ( ) O eleitor poderá solicitar a sua inscrição eleitoral por via de procurador legalmente habilitado

B) ( ) Para requerer o título de eleitor é necessário apresentação de um documento de identificação


e cumprimento das obrigações relativas ao serviço militar obrigatório aos homens maiores de 18
anos
C) ( ) O título do menor de 15 anos só surtirá efeito com o implemento da idade de 18 anos
D) ( ) O naturalizado deverá se alistar até dois anos depois de adquirida a nacionalidade brasileira

11. das AFIRMATIVAS abaixo:

1. Para solicitar transferência , o eleitor precisa provar residência ( vínculo), mínima de um ano no
novo município.
2. O transcurso de um ano da última movimentação e residência mínima de 03 meses no
novo domicílio , não serão requisitos exigidos na transferência de servidor público
civil , militar , ou autárquico , bem como aos membros de sua família , caso tenha
ocorrido remoção ou a transferência em razão de sua atividade profissional.
3.O cancelamento de uma inscrição eleitoral por sentença de autoridade judiciária, impede o
restabelecimento da inscrição original
4.Os cartórios eleitorais poderão receber alistamento ou transferência provisória , nos 150 dias
antes do pleito.

A) ( ) As afirmativas 2, 3 são verdadeiras.


B) ( ) As afirmativas 1, 2, 3, 4 são verdadeiras.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 42
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

C) ( ) Só a afirmativa 4 é verdadeira.
D) ( ) Só a afirmativa 1 é verdadeira.

12. É FALSO afirmar:

A) ( ) O eleitor poderá requerer 2ª via do título até 10 dias antes da eleição


B) ( ) No interesse do resguardo da privacidade do cidadão, não serão fornecidas informações
constantes do cadastro de eleitores , de caráter personalizado
C) ( ) A autoridade judiciária será atendida sobre todos os dados dos eleitores, constantes do
cadastro geral da Justiça Eleitoral
D) ( )O batimento ou cruzamento das informações constantes do cadastro eleitoral, visa expurgar
possíveis duplicidade ou pluralidade de inscrições eleitorais
E) ( )Não será possível a regularização da situação eleitoral de pessoa que tenha perdido seus
direitos políticos ou esteja com os mesmos suspensos, mesmo mediante comprovante de haver
cessado o impedimento.

13.Com relação ao alistamento eleitoral e aos crimes eleitorais, assinale a opção INCORRETA
( questão de prova concurso )

A) ( ) Para o efeito da inscrição, é considerado domicílio eleitoral o lugar de residência ou moradia


do requerente e, se constar mais de um local, considerar-se-á domicílio qualquer um deles.
B) ( )Para efeitos penais, são considerados membros e funcionários da Justiça Eleitoral: os
Presidentes de Juntas Apuradoras, os cidadãos que temporariamente integram órgãos da Justiça
Eleitoral, os cidadãos que tenham sido nomeados para as mesas receptoras ou juntas apuradoras, os
funcionários requisitados pela Justiça Eleitoral.
C)( ) A exclusão do eleitor em decorrência de cancelamento da inscrição eleitoral por suspensão ou
perda dos direitos políticos será promovida, exclusivamente, por meio de requerimento do
Ministério Público Eleitoral.
D)( ) Nos crimes eleitorais cometidos por meio da imprensa, do rádio ou da televisão, aplicam-se
unicamente as normas do Código Eleitoral e as remissões a outra lei nele contempladas.
E) ( ) No Código Eleitoral, são previstas normas gerais em matéria criminal, assim como também
se prevê que devem ser aplicadas as regras gerais do Código Penal aos fatos nele incriminados.

14.A respeito das normas sobre alistamento e serviços eleitorais mediante processamento eletrônico
de dados, regularização de situação de eleitor, administração e manutenção de cadastro eleitoral,
sistema de alistamento eleitoral e fiscalização pelos partidos políticos, constantes da Resolução n.º
21.538/2003 do TSE, assinale a opção incorreta.

A) ( )Para a inscrição, o servidor da justiça eleitoral preencherá o requerimento de alistamento


eleitoral ou digitará as informações no sistema eletrônico de acordo com os dados constantes do
documento apresentado pelo eleitor, complementados com suas informações pessoais. O servidor
deverá exigir comprovação de endereço e um dos documentos do qual se infira a
nacionalidade brasileira.

B)( )Sempre que o eleitor desejar alterar seu domicílio e for encontrado em seu nome número de
inscrição em qualquer município ou zona, unidade da Federação (UF) ou país, a solicitação deve
ser consignada como operação de transferência, hipótese em que o eleitor
permanecerá com o número originário da inscrição e deverá ser, obrigatoriamente, consignada
no campo próprio a sigla da UF anterior.

C)( )No ano em que se realizarem eleições, a pessoa que completar 16 anos até a data do pleito,
inclusive, poderá solicitar o alistamento até o encerramento do prazo fixado para requerimento
de inscrição eleitoral ou transferência, mas o título emitido nessas condições somente surtirá
efeitos com o implemento da idade de 16 anos.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 43
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

D)( ) Os partidos políticos, por meio dos seus delegados, poderão: acompanhar os pedidos de
alistamento, transferência, revisão, segunda via e quaisquer outros, até mesmo
emissão e entrega de títulos eleitorais; requerer a exclusão de qualquer eleitor inscrito
ilegalmente e assumir a defesa do eleitor cuja exclusão esteja sendo promovida; examinar, sem
perturbação dos serviços e na presença dos servidores designados, os
documentos relativos aos pedidos de alistamento, transferência, revisão, segunda via e revisão
de eleitorado, deles podendo requerer, de forma fundamentada, cópia, sem ônus para a justiça
eleitoral.

E) ( ) Em resguardo da privacidade do cidadão, as informações de caráter personalizado constantes


do cadastro eleitoral, assim consideradas as relações de eleitores acompanhadas e dados pessoais
(filiação, data de nascimento, profissão, estado civil, escolaridade, telefone e endereço)
não serão acessíveis às instituições públicas e privadas e às pessoas físicas, mas serão fornecidas
quando solicitadas pelo Ministério Público, devendo a utilização das informações obtidas
vincular-se, exclusivamente, às atividades funcionais.

15. Assinale a resposta INCORRETA:

A) ( ) O partido político é pessoa jurídica de direito privado


B) ( ) O partido político tem autonomia para definir sua estrutura interna, organização e
funcionamento.
C) ( ) É obrigatório o registro do estatuto do partido político no TSE, um ano antes da eleição,
para que ele possa pleitear candidaturas.
D) ( ) O registro no TSE , após o apoiamento dos eleitores, confere aos partidos políticos o caráter
nacional e assegura a exclusividade de sua denominação, sigla e símbolos
E) ( ) Na criação de um partido, é necessário a subscrição de pelo menos 100 fundadores, com
domicílio eleitoral em pelo menos um terço dos estados da federação.

16. É CORRETO afirmar que:

A) ( ) As alterações programáticas ou estatutárias, após registradas no ofício civil, em Brasília, não


precisam ser encaminhadas ao TSE, uma vez que só é preciso ter feito o primeiro registro
B) ( )O estatuto de um partido político não deve conter normas sobre fidelidade e disciplinas
partidárias
C) ( ) A filiação partidária é requisito para registro de um candidato a qualquer pleito. A filiação
partidária só será considerada válida após a entrega da lista de filiados , pelo partido político,
aos cartórios eleitorais
D) ( ) O prazo de filiação partidária, previsto no estatuto de um partido político, pode ser superior ao
previsto na lei das eleições, não podendo, entretanto, ser alterado no ano da eleição, com vista à
candidatura a cargos eletivos
E) ( ) Não gera o cancelamento de uma filiação partidária a verificação de ocorrência de morte,
perda de direitos políticos ou expulsão de filiado.

17. Sobre registro de candidatos, é INCORRETO afirmar que:

A) ( )Os partidos políticos poderão deliberar sobre a realização de coligações e lançamento de


candidaturas , no período de 10 a 30 de junho de ano eleitoral
B) ( ) A idade de 35 anos, para que um cidadão possa concorrer ao cargo de presidente é
verificada na data do seu pedido de registro perante o TSE
C) ( )É permitido o registro de um candidato para mais de um cargo eletivo , no mesmo processo
eleitoral
D) ( ) São inelegíveis os inalistáveis e, os analfabetos
E) ( ) O militar alistável é elegível e sua filiação será considerada válida quando do registro de sua
candidatura

18.Das afirmativas abaixo está CORRETA:

A) ( )Os chefes dos poderes executivos ( federal, estadual e municipal ) são reelegíveis, por mais
de dois períodos subseqüentes ao seu primeiro mandato

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 44
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

B) ( )O presidente da república que queira concorrer ao cargo de senador, no período subseqüente


ao seu mandato, deverá renunciar ao seu cargo, seis meses antes do pleito
C) ( ) A inelegibilidade constitucional poderá ser alegada unicamente na fase de impugnação ao
registro da candidatura
d) ( ) É permitido ao candidato que já exerce o cargo de deputado federal concorrer ao pleito
seguinte, para o mesmo cargo, na condição de candidato nato)
E) ( ) A mãe do governador do estado x, é elegível ao mesmo cargo do seu filho, mesmo que ele já
seja reeleito.

19. Considerando as afirmativas abaixo:

1.Ocorrendo o pedido de registro das candidaturas, o órgão competente da justiça eleitoral , deverá
publicar edital, com o prazo de 06 dias, para abertura de prazo de impugnação
2.Todo o candidato ao senado será registrado com um suplente
3. O partido político isolado, poderá solicitar o registro de candidatos ao cargo de deputado federal,
deputado estadual ou de vereador, até 150% dos lugares a preencher, na respectiva casa legislativa
4. Serão reservadas vagas, no mínimo de 30% e, no máximo 70%, por sexo, calculadas sobre as
vagas a preencher, das candidaturas lançadas pelo partido ou coligação
5. É possível a substituição de candidatos fora dos percentuais acima referidos

A) ( ) Só a primeira está errada


B) ( ) Só a terceira está correta
C) ( ) Só a primeira e a segunda estão erradas
D) ( ) Só a terceira está errada
E) ( )Todas estão erradas.

20. Acerca da legislação vigente sobre eleições, assinale a opção CORRETA.


( questão prova concurso )

A) ( ) Não é vedada a fixação de placas, estandartes, faixas, com propaganda eleitoral em postes
de iluminação pública, viadutos, passarelas e pontes.
B) ( ) Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos
regularmente inscritos e às legendas partidárias.
C) ( ) Para as eleições proporcionais, cada coligação, independentemente do número de partidos
que a integrem, ou cada partido poderá registrar, até o dobro do número de lugares a preencher,
candidatos para a câmara dos Deputados, para a Câmara Legislativa, para as assembléias
legislativas e câmaras municipais.
D) ( ) A partir do registro dos comitês financeiros, pessoas físicas poderão fazer doações em
dinheiro ou estimáveis em dinheiro para campanhas eleitorais, limitadas a 10% dos rendimentos
brutos auferidos pelo doador no ano anterior à eleição, mas a própria lei admite doação de
quantia que ultrapasse o limite porque não estabelece qualquer penalidade em caso de excesso.
E) ( ) É facultado aos partidos políticos, dentro da mesma circunscrição, celebrar coligações para
eleição majoritária, proporcional, ou para ambas. Neste último caso, veda-se a formação de mais
de uma coligação para a eleição proporcional entre os partidos que integram a coligação para o
pleito majoritário.

21. Assinale a alternativa CORRETA ( questão prova concurso ).

A eleição para os cargos de Prefeito e Vice-Prefeito:

A( ) será realizada no primeiro domingo de outubro, em primeiro turno, e no primeiro domingo de


novembro, em segundo turno, se houver, no caso de Municípios com mais de duzentos mil
eleitores, do ano anterior ao do término do mandato dos que devam suceder.
B( ) será realizada no primeiro domingo de outubro, em primeiro turno, e no último domingo de
outubro, em segundo turno, se houver, no caso de Municípios com mais de duzentos mil
eleitores, do ano anterior ao do término do mandato dos que devam suceder.
C( ) será realizada no primeiro domingo de outubro, em primeiro turno, e no último domingo de
outubro, em segundo turno, se houver, no caso de Municípios com mais de duzentos mil
habitantes, do ano anterior ao do término do mandato dos que devam suceder.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 45
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

D( ) será realizada no primeiro domingo de outubro, em primeiro turno, e no primeiro domingo de


novembro, em segundo turno, se houver, no caso de Municípios com mais de duzentos mil
habitantes, do ano anterior ao do término do mandato dos que devam suceder.

22 Leia com atenção os itens abaixo: ( questão prova concurso )

I - A Constituição Federal de 1988 estabeleceu


segundo turno para os cargos executivos, quando
nenhum dos candidatos tiver alcançado maioria
simples no primeiro turno.
II - No sistema proporcional se aplica o cálculo dos
quocientes eleitorais, obtidos pela divisão do número
de votos apurados pela quantidade de vagas a
serem preenchidas.
III - A representação de cada Estado e do Distrito Federal, no Senado Federal, será renovada de 4
(quatro) em 4 (quatro) anos, alternadamente, por um e dois terços.
IV - O sistema proporcional de eleição foi instituído por considerar-se que o sistema majoritário
poderia deixar sem representação minorias consideráveis, às vezes numericamente próximas da
maioria vitoriosa.

Assinale a alternativa CORRETA.

A( ) Somente os itens I, III e IV estão corretos.


B( ) Somente os itens II e III estão corretos.
C( ) Somente os itens III e IV estão corretos.
D( ) Somente os itens II, III e IV estão corretos.

23.Assinale a alternativa CORRETA. ( questão prova concurso )

Os Tribunais Regionais Eleitorais são compostos:

E( ) de sete juízes de carreira eleitos pelo Tribunal de Justiça do respectivo Estado, para servirem
por dois anos .
F( ) de, no mínimo, sete juízes, sendo dois eleitos dentre desembargadores, três juízes de direito
escolhidos pelo Tribunal de Justiça e, pelo menos, dois advogados indicados pelo Tribunal de
Justiça do respectivo Estado.
G( ) de sete membros, sendo dois desembargadores, dois juízes de direito, dois advogados e um
desembargador ou juiz federal.
H( ) de, pelo menos, sete membros, sendo, no mínimo, dois desembargadores, dois juízes de
direito, dois advogados e um desembargador ou juiz federal.

24 Assinale a alternativa CORRETA. ( questão prova concurso )

O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral

A( ) até a diplomação.
B( ) no prazo de dez dias contados da diplomação.
C( ) no prazo de quinze dias contados da diplomação.
D( ) no prazo de vinte dias contados da diplomação.

25.Compete privativamente ao Tribunal Superior Eleitoral esclarecer sobre matéria eleitoral, tendo
tais esclarecimentos caráter normativo. Como são denominados esses esclarecimentos? ( questão
prova concurso )
Assinale a alternativa CORRETA.

A( ) Portarias e Ordens de Serviço.


B( ) Instruções.
C( ) Resoluções.
D( ) Consultas.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 46
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

2
26 Leia com atenção as alternativas abaixo, assinalando a INCORRETA. ( questão prova
concurso )

A( ) É facultado aos partidos políticos, dentro da mesma circunscrição, celebrar coligação somente
para a eleição majoritária, devendo ter denominação própria, que poderá ser a junção de todas
as siglas dos partidos que a integram, sendo a ela atribuídas as prerrogativas e obrigações de
partido político no que se refere ao processo eleitoral.
B( ) Se a convenção partidária de nível inferior se opuser, na deliberação sobre coligações, às
diretrizes legitimamente estabelecidas pela Convenção nacional, os órgãos do partido poderão,
nos termos do respectivo estatuto, anular a deliberação e os atos dela decorrentes.
C( ) Havendo fusão ou incorporação de partidos após o prazo estipulado para o candidato adquirir
as condições legais para participar do pleito, será considerada, para efeito de filiação partidária,
a data de filiação do candidato ao partido de origem.
D( ) O Código Eleitoral contém as normas destinadas a assegurar a organização e o exercício de
direitos políticos, principalmente os de votar e ser votado, sendo que o Tribunal Superior
Eleitoral expedirá as instruções para a sua fiel execução.

27Analise os enunciados, assinalando a alternativa INCORRETA. ( questão prova concurso )

A( ) Cabe a jurisdição de cada uma das Zonas Eleitorais a um Juiz de Direito em efetivo exercício,
que está obrigado a despachar todos os dias na sede da sua Zona.
B( ) A urna eletrônica exibirá para o eleitor, primeiramente, os painéis referentes às eleições
majoritárias e, em seguida, os referentes às eleições proporcionais.
C( ) Na votação para as eleições proporcionais, no sistema eletrônico, serão computados para a
legenda partidária os votos em que não seja possível a identificação do candidato, desde que o
número identificador do partido seja digitado de forma correta.
D( ) Os cegos alfabetizados pelo sistema Brailler, que reunirem as demais condições de
alistamento, podem exercer o direito ao voto, devendo o Juiz Eleitoral providenciar para que se
proceda ao alistamento nas próprias sedes dos estabelecimentos de proteção aos mesmos.

28 Leia com atenção os enunciados, assinalando a alternativa INCORRETA. ( questão prova


concurso )

A( ) A Justiça Eleitoral pode requisitar servidores federais, estaduais e municipais para prestar
serviços e garantir o funcionamento do serviço eleitoral.
B( ) A cobrança judicial da dívida resultante de multa eleitoral será feita por processo de execução
na forma prevista para a cobrança da dívida ativa da Fazenda Pública, correndo a ação perante
a Justiça Eleitoral.
C( ) Para desligar-se de partido político, o filiado faz comunicação verbal ao órgão de direção do
partido e, por escrito, ao Juiz Eleitoral da zona em que for inscrito.
D( ) O serviço eleitoral tem preferência sobre qualquer outro, é obrigatório e não interrompe o
interstício de promoção para os funcionários para ele requisitados.

29 Leia com atenção as alternativas abaixo, assinalando a INCORRETA. ( questão prova


concurso )
A( ) A votação e a totalização de votos serão feitas por sistema eletrônico, podendo o Tribunal
Superior Eleitoral autorizar, em caráter excepcional, a aplicação das regras fixadas para
votação não eletrônica.
B( ) A urna eletrônica disporá de recursos que, mediante assinatura digital, permitam o registro
digital de cada voto e a identificação da urna em que foi registrado, resguardado o anonimato
do eleitor.
C( ) Ao final da eleição, a urna procederá à assinatura digital do arquivo de votos, com aplicação do
registro de horário e do arquivo do boletim de urna, de maneira a impedir a substituição dos
votos e a alteração dos registros dos termos de início e término da votação, a fim de dificultar a
realização de fraude.
D( ) Caberá à Justiça Eleitoral, em conjunto com a empresa de programas contratada mediante
licitação, definir a chave de segurança e a identificação da urna eletrônica.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 47
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

30 Assinale a alternativa CORRETA. ( questão prova concurso )

A justificativa pelo eleitor que não puder votar nas eleições, por se encontrar fora de seu domicílio
eleitoral, deverá ser formulada:
A( ) no dia da eleição, quando o eleitor comparecerá aos locais destinados ao recebimento das
justificativas com o formulário preenchido, munido de seu título eleitoral ou qualquer
documento de identificação para a devida digitação pela Mesa Receptora, ou, quando não
puder comparecer para justificar a falta no dia da eleição, no prazo de 60 (sessenta) dias, por
meio de requerimento ao Juiz Eleitoral de sua zona de inscrição.
B( ) somente antes do dia das eleições, quando o eleitor deverá dirigir-se ao Cartório Eleitoral e
preencher o formulário “Requerimento de Justificação Eleitoral”.
C( ) somente após a eleição, no prazo de até 60 (sessenta) dias, em requerimento dirigido ao Chefe
do cartório Eleitoral.
D( ) nenhuma das alternativas está correta.

31 Analise as alternativas abaixo, relativas aos partidos políticos, e assinale a INCORRETA:


( questão prova concurso )

A( ) têm autonomia para fixar em seu programa seus objetivos políticos e para estabelecer sua
estrutura interna, organização e funcionamento, devendo seu estatuto fixar as normas de
fidelidade e disciplina partidárias.
B( ) por decisão de seus órgãos municipais de deliberação, 2 (dois) ou mais partidos poderão
fundir-se num só ou incorporar-se um ao outro.
C( ) o seu estatuto deve conter as condições de escolha de seus candidatos a cargos e funções
eletivas.
D( ) somente pode filiar-se o eleitor que estiver em pleno gozo de seus direitos políticos.

32. Assinale a alternativa CORRETA. ( questão prova concurso )

O partido político:

A( ) é pessoa jurídica de direito público, com a finalidade de assegurar o regime democrático e


defender os direitos fundamentais definidos na Constituição Federal.
B( ) pode participar do processo eleitoral, mesmo que não tenha registrado seu estatuto no Tribunal
Superior Eleitoral, e receber recursos do Fundo Partidário.
C( ) adquire personalidade jurídica após o registro de seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral.
D( ) é pessoa jurídica de direito privado, que se destina a dar autenticidade ao sistema
representativo democrático e a defender os direitos fundamentais fixados na Carta
Constitucional.

33 Analise com atenção as alternativas, assinalando a INCORRETA. ( questão prova concurso )

A( ) A democracia representativa contemporânea funciona pela escolha periódica de


representantes, efetuada pelo conjunto do eleitorado, obedecido o princípio da maioria, para
que os escolhidos deliberem sobre os interesses comuns.
B( ) O direito de votar e ser votado deflui do princípio constitucionalmente assegurado, de
apresentar-se o cidadão como candidato a cargo eletivo e participar da escolha dos
representantes populares.
C( ) No sistema eleitoral brasileiro o voto é obrigatório para os brasileiros de um e outro sexo, sendo
que os eleitores facultativos que não o exercerem (por exemplo, aqueles entre 16 e 18 anos),
incidem nas penalidades previstas, inclusive em multa eleitoral.
D( ) Em face da representação proporcional admitida em nosso sistema eleitoral, fica facultado a 2
(dois) ou mais partidos coligarem-se para o registro de candidatos comuns a Deputado Federal,
Deputado Estadual e Vereador.

34. Em face da representação proporcional adotada em nosso sistema eleitoral, assinale a alternativa
INCORRETA. ( questão prova concurso )

A( ) A deliberação sobre coligação caberá à Convenção Regional de cada partido, para a eleição
destinada a Câmara de Deputados, Assembléias Legislativas e Câmara de Vereadores.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 48
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

B( ) A deliberação sobre coligação será aprovada mediante a votação favorável da maioria,


presentes 2/3 (dois terços) dos convencionais, estabelecendo-se, na mesma oportunidade, o
número de candidatos que caberá a cada partido.
C( ) A deliberação sobre coligação caberá à Convenção Regional de cada partido, quando se tratar
de eleição para a Câmara dos deputados e Assembléias Legislativas, e à Convenção Municipal
quando se tratar de eleição para a Câmara de Vereadores.
D( ) Havendo cada partido indicado em Convenção os seus candidatos, o registro será promovido
em conjunto pela coligação.

35. Em face da representação proporcional, determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número


de votos válidos apurados pelo de lugares a preencher em cada circunscrição eleitoral, desprezada a
fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um se superior.

Assim sendo, assinale a alternativa INCORRETA.

A( ) Determina-se para cada partido ou coligação o quociente partidário, dividindo-se pelo


quociente eleitoral o número de votos válidos dados sob a mesma legenda ou coligação de
legendas, desprezada a fração.
B( ) Estarão eleitos tantos candidatos registrados por um partido ou coligação quantos o respectivo
quociente partidário indicar, na ordem da votação nominal que cada um tenha recebido.
C( ) Se nenhum partido ou coligação alcançar o quociente eleitoral, considerar-se-ão eleitos os
candidatos mais idosos, pela ordem decrescente de idade.
D( ) Considerar-se-ão suplentes da representação partidária os mais votados sob a mesma legenda
e não eleitos efetivos das listas dos respectivos partidos.

36. É FALSO afirmar que:

A) ( )O pedido de registro de candidatos pode ser feito de 11 de junho até 05 de julho de ano
eleitoral
B) ( ) O candidato deverá provar que está em pleno exercício de seus direitos políticos, a idade
mínima , a filiação partidária, o domicílio eleitoral, dentro do que estabelece a lei para ter o seu
registro deferido
C) ( ) O partido político poderá, até a data da eleição, requerer o cancelamento de registro de seu
candidato que foi expulso do seu quadro partidário
D) O candidato que renunciar a sua candidatura, deverá fazê-lo através de documento datado,
assinado e com firma reconhecida ou na presença de duas testemunhas
E)( ) A substituição de candidato nas eleições proporcionais só poderá ocorrer até 10 dias antes do
pleito e desde que a substituição tenha ocorrido nos 70 dias do fato gerador

37. Assinale a CORRETA:


A) ( ) A propaganda intrapartidária é aquela que ocorre na quinzena anterior a realização das
convenções partidárias, visando a indicação do nome dos postulantes do partido a um cargo eletivo,
podendo ser, inclusive no rádio, TV , internert e outdoors
B) ( ) A propaganda partidária é aquela realizada pelo partido político em ano não eleitoral e no
primeiro semestre de ano eleitoral e visa divulgar o programa do partido
C) ( ) A propaganda eleitoral visa divulgar as candidaturas. Ela começa no dia seguinte a realização
das convenções
D) ( ) A propaganda eleitoral poderá ser feita na língua nacional e estrangeira, visando no segundo
caso, o eleitor que reside no exterior e que vota na eleição presidencial
E) ( )É obrigatório o uso, pela coligação, na eleição majoritária e na eleição proporcional de todas as
siglas dos partidos que a integram

38. É CERTO afirmar que:


A) ( )Não será tolerada, entre outras, a propaganda em local aberto ou fechado, sem licença da
polícia
B) ( )É permitida a propaganda que prejudique a estética da cidade, pelo simples fato de que o
candidato deverá retirá-la até 30 dias após a realização da eleição
C) ( )Os espaços destinados aos outdoors, serão partilhados obedecendo a regra de 30% para os
partidos com candidato ao cargo de presidente, 30% para governador e senador e 40% para
deputado federal

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 49
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

D) ( )A propaganda eleitoral na imprensa escrita, paga, pode ser realizada até o dia da eleição
E) ( ) A propaganda nas dependências do poder legislativo poderá ocorrer a critério da mesa
diretora de cada casa

39. Examine as afirmativas abaixo:


1. A propaganda por outdoor eletrônico não é proibido pela nova legislação eleitoral
2. As emissoras de rádio e TV ficam proibidas, a partir de 1º de julho de ano eleitoral a divulgar,
através de filmes, novelas, miniséries , alusão a candidatos ou crítica a partido político
3.candidato que for locutor de rádio, apresentador de televisão , poderá comentar seus programas
sem problema algum, até a data da eleição, pois não gera inelegibilidade o seu não afastamento
4. É proibida a propaganda eleitoral paga, no rádio e TV
5. A propaganda eleitoral, apresentada por emissora não autorizada a funcionar, gera punição,
inclusive com a possiblidade de uma investigação judicial

A) ( ) As afirmativas 1, 3, estão erradas.


B) ( ) As afirmativas 3, 5, estão erradas
C) ( ) Só a afirmativa 1 está errada
D) ( ) As afirmativas 2, 4, estão erradas
E)( ) Só a afirmativa 2 está errada

40. Está ERRADA:


A) ( ) É vedado aos partidos políticos e coligações , incluir , no horário destinado aos candidatos
proporcionais, propaganda das candidaturas majoritárias ou vice – versa
B) ( ) Convocação para convenção. Propaganda realizada em rádio e televisão, atingindo não
somente os convencionais, mas também os eleitores em geral, constitui violação a dispositivo da lei
eleitoral
C) ( ) O militar da reserva remunerada que se encontra em situação de inatividade, não precisa
cumprir a exigência da filiação partidária, um ano antes do pleito
D) ( ) Propaganda eleitoral e promoção pessoal. A propaganda só se configura como propaganda
eleitoral quando menciona a candidatura , a ação política que se pretende desenvolver ou as razões
que induzem a concluir que o beneficiário é o mais apto ao exercício de função pública
E) ( ) O recurso cabível de decisão de juiz auxiliar é o agravo.

41.É FALSO afirmar que:


A) ( ) São proibidas, por força da lei eleitoral, aos agentes públicos, toda conduta tendente a afetar a
igualdade de oportunidade entre candidatos nos pleitos eleitorais
B) ( ) Nos três meses que antecedem ao pleito, independe de autorização da justiça eleitoral a
divulgação de toda e qualquer propaganda institucional
C) ( ) A lei impede aos candidatos a cargos do poder executivo, participar, nos três meses que
antecedem a eleição de inaugurações de obras públicas
D) ( ) É obrigatório solicitar autorização da justiça eleitoral para que um agente público, cujo cargo
esteja em disputa, possa fazer pronunciamento em rádio e TV, nos três meses que antecedem ao
pleito

42. É FALSO afirmar que:

A) ( ) O Corregedor Regional eleitoral, é competente para apreciar representação de investigação


judicial, nas eleições municipais
B) ( ) A utilização indevida de veículos ou meio de comunicação social pode ser apurado por meio
de investigação judicial, cuja penalidade pode ser a declaração de inelegibilidade do representado e
de quantos hajam contribuído para a prática do ato
C) ( ) As coligações partidárias estão legitimadas a propor ação de investigação judicial, nos
pleitos em que participarem
D) ( ) A investigação judicial julgada procedente antes da eleição cassa o registro do candidato e
declara a sua inelegibilidade
E) ( ) O sistema eletrônico de votação será utilizado em todas as seções eleitorais do país

43. Assinale a resposta ERRADA:


A) ( ) Após o julgamento do último pedido de registro de candidatura, serão elaboradas tabelas de
partidos políticos, coligações e de candidaturas para fins de alimentação do sistema de votação

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 50
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

B) ( ) As tabelas de candidaturas, se for imprescindível, poderão ser alteradas, mesmo nos trinta
dias que antecedem ao pleito
C) ( ) As urnas eletrônicas de contingências, destinadas a substituir as que apresentarem defeitos
durante a votação, também serão preparadas e lacradas, obedecendo aos mesmos procedimentos
D) ( ) É possível urnas eletrônicas única e exclusivamente preparadas para receber justificativas
eleitorais
E) ( ) O dono de um prédio particular poderá cobrar aluguel pelo uso do bem para servir como local
de votação
44.É FALSO afirmar:

A) ( ) A cada seção eleitoral corresponde uma mesa receptora de votos, salvo na hipótese de
agregação
B) ( ) Os eleitores menores de 18 anos, poderão servir como mesários
C) ( ) O registro de candidato, posterior a nomeação de mesário, cujos laços de parentesco impede
o exercício da função, deve ser declarado para evitar o vício de constituição da mesa
D) ( ) No dia da votação, o presidente da mesa emitirá, antes de permitir o início da votação, a
zerésima, relatório que comprova a inexistência de votos na urna eletrônica
E) ( ) Será impedido de votar o eleitor cujo nome não figure na folha de votação ou no cadastro de
eleitores da seção, constante da urna eletrônica

45. É FALSO afirmar que:

A) ( ) O eleitor só poderá votar munido do seu título de eleitor e documento de identificação com
foto
B) ( ) O eleitor que não completar a votação poderá receber o comprovante de quitação com a
justiça eleitoral
C) ( ) Será permitido o uso de instrumentos que auxiliem o eleitor analfabeto a votar
D) ( ) Não serão instaladas seções em penitenciárias, uma vez que todo preso está com seus
direitos políticos suspensos
E) ( ) É possível a suspensão da votação do eleitor que, mesmo admitido a votar, se recuse a
proceder a votação

46. Das afirmações abaixo, está ERRADA:

A) ( ) A impugnação à identidade do eleitor não poderá ser apresentada em qualquer fase da


votação
B) ( ) Ao final da votação, o presidente da mesa deverá proceder a emissão do boletim de urna e
remeterá toda a documentação utilizada na votação para a junta apuradora
C) ( ) A cabina indevassável assegura o sigilo do voto
D) ( ) A cédula oficial poderá ser utilizada na impossibilidade da votação eletrônica, sendo que serão
consideradas válidas as que forem rubricadas pelo presidente e mesários e numeradas em série
contínua de um a nove
E) ( )A credencial de fiscais ( dois para cada mesa receptora ) e de delegados ( dois para cada
município ), será expedida pelo juiz eleitoral competente

47. Não é VERDADEIRO:

A) ( ) É garantia eleitoral a impossibilidade da prisão de eleitores desde cinco dias antes da eleição
até quarenta e oito horas depois, salvo flagrante delito, em virtude de sentença criminal condenatória
por crime inafiançável ou, ainda , por desrespeito a salvo – conduto
B) ( )A polícia deverá ficar sempre a 200 metros da seção eleitoral
C) ( )A votação paralela é forma de auditoria de funcionamento da urna eletrônica
D) ( ) O eleitor que estiver residindo no exterior e tiver procedido ao alistamento ou transferência do
seu título de eleitor, até 150 dias antes do pleito, poderá votar para as eleições majoritárias de
Presidente da República
E) ( ) A junta eleitoral será nomeada 60 dias antes da eleição e será composta de um juiz de direito
e de dois ou quatro cidadãos

48. Das afirmações abaixo, é VERDADEIRA:

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 51
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

A) ( ) As pessoas que exercem cargos de confiança do poder executivo podem ser designadas
membros da junta eleitoral
B) ( ) A junta é competente para apurar as seções sob sua jurisdição, determinando a expedição de
novos boletins de urnas caso não tenham sido emitidos pela urna eletrônica, no local da seção
eleitoral
C) Caso ocorra a votação por cédulas, elas serão apuradas obrigatoriamente pela mesa receptora de
votos, com emprego do sistema de apuração eletrônica
D) ( ) Com o uso de senha especial, não poderá ser regerado um novo disquete, a partir da
extração de dados registrado na urna eletrônica
E) ( )O sistema oficial de totalização não permite a emissão de uma zerésima , com a fiscalização do
comitê interpartidário

49. É FALSO:

A) ( ) Após a totalização dos votos, serão colocados à disposição dos partidos, candidatos e
coligações, por três dias, para exame, o relatório final da apuração, podendo em dois dias, partidos
ou coligações apresentarem reclamações
B) ( ) Proclamado os eleitos, a Justiça Eleitoral, por seu órgão competente, procederá a diplomação ,
de cujo ato cabe recurso no prazo de três dias
C) ( ) A diplomação do eleito, dependerá, para os homens, de prova de estar em dia com o serviço
militar
D) ( ) Se for diplomado candidato militar, a justiça eleitoral procederá comunicação ao órgão a que o
eleito esteja subordinado
E) ( ) O mandato eletivo poderá ser impugnado, perante a justiça eleitoral, no prazo de 15 dias após
a diplomação, desnecessário instruir a ação com prova de abuso de poder econômico, corrupção ou
fraude

50. É FALSO:

A) ( ) . O procedimento da ação de impugnação de mandato eletivo obedece , em sua fase


instrutória, as regras do código de processo civil, exceto para a interposição de recurso, cujo prazo
será de três dias, conforme regra geral do direito eleitoral
B) ( )Não será diplomado candidato eleito, enquanto não prestar conta de seus gastos na campanha
eleitoral
C) ( ) Para que o candidato possa gastar dinheiro com sua campanha eleitoral, é necessário que o
comitê financeiro tenha sido registrado no órgão competente da justiça eleitoral
D) ( )Os candidatos a vice, bem como os candidatos a suplente, não são obrigados a abrir conta
bancária
E) ( ) É crime eleitoral o uso de símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às
empregadas por órgão de governo, empresa pública ou sociedade de economia mista na
propaganda eleitoral .

51. A Lei Eleitoral brasileira (Lei n.º 9.504/1997) é considerada amais importante atualização do
Código Eleitoral. Sua característica fundamental é ser uma lei eleitoral permanente. A partir dela, não
é mais necessária a elaboração de uma lei para cada eleição, como ocorria até então. Com base
nessa lei, assinale a opção CORRETA. (questão prova concurso )

A ) ( )As eleições devem ser realizadas sempre no dia 3 de outubro.


B) ( )O candidato a governador é eleito em primeiro turno na hipótese de maioria simples.
C) ( ) O candidato deve estar filiado ao partido político seis meses antes da eleição, mas pode
desincompatibilizar-se do domicílio eleitoral até quatro meses antes do pleito.
D) ( ) Na eleição majoritária, o critério da idade é utilizado para desempatar, na definição do
participante do segundo turno,quando dois candidatos têm a mesma votação.
E) ( ) A lei eleitoral proíbe coligações partidárias para deputado federal, ao dispor sobre
verticalização.

52) ( ) Em relação à coligação, é CORRETO afirmar: ( questão prova concurso)


A) ( )Na chapa da coligação podem inscrever-se candidatos filiados a qualquer partido político dela
integrante.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 52
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

B)( ))Na propaganda para eleição majoritária, cada partido poderá usar apenas sua legenda sob o
nome da coligação.
C)( ) A coligação não funciona como partido político no relacionamento com a Justiça Eleitoral e no
trato dos interesses interpartidários.
D)( ) Os partidos que integram a coligação poderão nomear quantos delegados quiserem para
representá –la perante o Tribunal Regional Eleitoral.
E) ( )Na propaganda para eleição proporcional, é obrigatória a utilização das legendas de todos os
partidos que integram a coligação.
53. Nos processos das infrações penais definidas no Código Eleitoral, os prazos para oferecimento de
denúncia pelo Ministério Público, para o réu ou seu defensor oferecer alegações escritas e arrolar
testemunhas e para oferecimento e recurso para o Tribunal Regional das decisões finais de
condenação ou absolvição, serão de ( questão prova concurso )

A) ( ) 10 dias, para todas as hipóteses.


B) ( ) 10 dias, 3 dias e 5 dias, respectivamente.
C) ( ) 15 dias, para todas as hipóteses.
D) ( ) 15 dias, 3 dias e 5 dias, respectivamente.
E) ( ) 15 dias, 10 dias e 15 dias, respectivamente.

54. A impugnação de registro ao cargo de Senador poderá ser feita ( questão prova concurso)

A)( ) por qualquer candidato, partido político, coligação, ou pelo Ministério Público, em petição
fundamentada, no prazo de 10 dias contados da publicação do pedido de registro, perante o Tribunal
Superior Eleitoral.
B)( ) por qualquer candidato, partido político, coligação, ou pelo Ministério Público, em petição
fundamentada, no prazo de 5 dias contados da publicação dopedido de registro, perante o Tribunal
Superior Eleitoral.
C)( )apenas pelo Ministério Público Eleitoral, em petição fundamentada, no prazo de 5 dias contados
da publicação do pedido de registro, perante o Tribunal Regional Eleitoral competente.
D)( ) apenas pelos candidatos, partidos políticos e coligações, em petição fundamentada, no prazo
de 3 dias contados da publicação do pedido de registro, perante o Tribunal Superior Eleitoral.
E)( )) por qualquer candidato, partido político, coligação,ou pelo Ministério Público, em petição
fundamentada,no prazo de 5 dias contados da publicação do pedido de registro, perante o Tribunal
Regional Eleitoral competente.

55. Aos agentes públicos, servidores ou não, nos três meses que antecedem o pleito até a posse dos
eleitos, dentre outros casos, proíbe-se a: ( questão prova concurso)

(A) nomeação dos aprovados em concursos públicos homologados até o início desse prazo.
B) ( )exoneração de cargos em comissão.
C) nomeação para cargos do Ministério Público.
(D)) demissão sem justa causa de servidor público, narespectiva circunscrição.
(E) remoção ex officio de agentes penitenciários.

55. A respeito da composição da Justiça Eleitoral no Brasil, é INCORRETO afirmar que:

A) ( ) dela fazem parte juízes de diversos tribunais.


B) ( ) ) trata-se de magistratura exclusiva, organizada em carreira.
C) ( ) a classe dos advogados dela participa.
D) ( ) integram-na pessoas sem formação jurídica.
E) ( )as Juntas Eleitorais são presididas por Juízes de Direito.

55.NÃO se justifica o cancelamento e exclusão de eleitor( questão prova concurso)

A)( ) inscrito em circunscrição eleitoral diversa daquela


que abrange fisicamente seu domicílio.
B)( ) estrangeiro residente no país há mais de 10 anos e que seja capaz de expressar-se em língua
nacional.
C)( ) que sofreu condenação criminal transitada em julgado enquanto perdurarem seus efeitos.
D)( ) surdo-mudo que seja capaz de expressar-se em língua nacional.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 53
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

E)( ) cuja naturalização foi cancelada por sentença transitada em julgado.

56. No que se refere ao sistema eleitoral, é CORRETO afirmar que: (questão prova concurso)

A)( ) do número de vagas a serem preenchidas, cada Partido ou coligação deverá reservar 50% para
candidatos do sexo feminino.
B)( ) no caso de coligação para as eleições para as Câmaras Municipais, podem ser registrados
candidatos até o triplo dos lugares a preencher.
C)( ) cada Partido poderá registrar candidatos para as Câmaras Municipais até o dobro das
respectivas vagas.
D)( )no caso de coligação para as eleições às Câmaras Municipais, as vagas deverão ser
igualmente repartidas entre os Partidos que a compõem.
E)( ) cada Partido poderá registrar candidatos para a Câmara dos Deputados até 150% do número
de lugares a preencher.

57. O pedido de registro de candidato ao cargo de Senador deverá ser feito perante o: ( questão
prova concurso )

A) ( ) Tribunal Regional Eleitoral do respectivo Estado.


B) ( )Juiz da Zona Eleitoral na qual o candidato estiver
alistado.
C) ( )Juiz da Zona Eleitoral da Capital do Estado em que
estiver alistado.
D)( ) Tribunal Superior Eleitoral.
E) ( )Juiz da Zona Eleitoral de sua residência.

58. É correta a afirmação de que a propaganda eleitoral( questão prova concurso )

A) ( )poderá ser feita através da fixação de faixas em árvores do patrimônio público.


B) ( )) nas dependências do Poder Legislativo fica a critério da Mesa Diretora.
C) em bens particulares é livre, dependendo apenas de autorização da Justiça Eleitoral.
D) ( )poderá ser feita através da fixação de faixas em postes de sinalização de trânsito.
E) ( )paga no rádio e na televisão poderá ser feita no segundo semestre do ano da eleição.

59.. Sem provar que votou na última eleição, pagou a respectiva multa ou que se justificou
devidamente, dentre outras sanções, NÃO poderá o eleitor

A) ( )) obter passaporte.
B) ( ) abrir conta em qualquer estabelecimento bancário.
C) ( )abrir crediário em lojas comerciais.
D) ( )receber salários de empresas privadas.
E) ( )ser empossado em cargo de empresa privada.

60. A respeito do sistema eletrônico de votação, é INCORRETO afirmar que


( questão prova concurso )

A) ( ) considerar-se-á voto de legenda quando o eleitor assinalar o número do Partido no momento


de vota rpara determinado candidato e somente para este
será computado.
B) ( ) a urna eletrônica contabilizará cada voto, assegurando-lhe o sigilo e a inviolabilidade.
C) ( ) eleições municipais, a urna eletrônica exibirá para o eleitor primeiramente os painéis referentes
aos candidatos a Prefeito Municipal e, em seguida, os referentes aos candidatos a Vereador.
D)( ) nas eleições proporcionais, serão computados para a legenda partidária os votos em que não
seja possível a identificação do candidato, desde que o número identificador do Partido seja digitado
de forma correta.
E)( ) nas seções em que for adotada a urna eletrônica, somente poderão votar eleitores cujos nomes
estiverem nas respectivas folhas de votação.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 54
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

61. Em investigação judicial pela ocorrência de abuso de poder no processo eleitoral por parte de
candidato já eleito, diplomado e empossado, julgada procedente a representação, ( questão prova
concurso )

A) ( )a Justiça Eleitoral instaurará de ofício processo destinado à cassação do mandato eletivo do


candidato.
B)( ) a Justiça Eleitoral declarará de ofício a nulidade da diplomação e diplomará o segundo colocado.
C)( ) serão ordenadas apenas a instauração de processo disciplinar e de processo criminal, mantida
a posse e
o mandato do candidato eleito por ser ato jurídico perfeito constitucionalmente protegido.
D) ( )) serão enviadas cópias de todo o processo ao Ministério Público para fins de ajuizamento de
ação de impugnação de mandato eletivo.
E) ( )a cassação do mandato do candidato eleito, diplomado e empossado é efeito automático da
sentença.

62. A competência para diplomar candidatos eleitos para os cargos de Deputado Federal e de
Deputado Estadual é( questão prova concurso )

A) ( ) do Tribunal Superior Eleitoral.


B) ( ) do Tribunal Regional Eleitoral.
C) ( )da Junta Eleitoral.
D) ( ) do Congresso Nacional.
E)( ) da Câmara dos Deputados.

63. O uso silencioso de camiseta, boné e botton de Partido Político no dia da eleição( questão prova
concurso )

A) ( ) não caracteriza boca de urna e é permitido, exceto por mesários e escrutinadores no recinto
das seções eleitorais e juntas apuradoras.
B) ( )é proibido por caracterizar boca de urna, constituindo crime eleitoral e sujeitando os infratores
às penas da lei.
C) ( ) é de uso restrito dos delegados e fiscais de Partidos Políticos ou coligações partidárias.
D) ( ) é permitido, mas depende de prévia autorização do Juiz Eleitoral competente.
E) ( ) só é permitido na sede do Partido Político ou no interior de prédios particulares.

64 Considere as afirmativas: ( questão prova concurso )

I. Os Partidos Alfa, Beta, Gama e Delta coligaram-se para Prefeito Municipal. Os Partidos Alfa e Beta
formaram uma coligação e os partidos Gama e Delta formaram outra coligação para Vereador.
II. Os Partidos Alfa, Beta, Gama e Delta coligaram-se para Prefeito Municipal. Os Partidos Alfa, Beta
e Gama formaram uma coligação para Vereador. E o Partido Delta resolveu disputar isoladamente a
eleição proporcional.
III. Os Partidos Alfa e Beta coligaram-se para Prefeito Municipal. Os Partidos Gama e Delta formaram
outra coligação para Prefeito Municipal. Esses quatro Partidos coligaram-se para Vereador.
Nesses casos APENAS
A)( ) I é válido.
B) ( ) I e II são válidos.
C) ( ) I e III são válidos.
D) ( )I e III são válidos.
E) ( ) III é válido.

65 As convenções regionais para escolha de candidatos a Governador, Vice-Governador, Senador,


Deputado Federal e Deputado Estadual, serão compostas pelos: ( questão prova concurso )

A) ( )Deputados Estaduais eleitos no Estado.


B) ( ) eleitores do Estado filiados ao Partido em sua totalidade.
C) ( ) membros indicados no estatuto do Partido.
D) ( )Deputados Estaduais e os Prefeitos Municipais filiados ao Partido, eleitos no Estado.
E)( ) Senadores, Deputados Federais, Deputados Estaduais, Prefeitos e Vereadores filiados ao
Partido e eleitos no Estado.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 55
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268
IDAJ______________________________________________________________________________________
DIR ELEITORAL PROFª. CIBELE FIGUEIREDO

66.Não compete ao Juiz Eleitoral: ( questão prova concurso )

A) ( ) expedir títulos eleitorais e conceder transferência de eleitor.


B) ( )processar e julgar originariamente o registro e o cancelamento do registro dos diretórios
municipais de partidos políticos.
C) ( ) dividir a Zona em Seções Eleitorais.
D) ( )expedir diploma aos eleitos para cargos municipais.
E) ( )nomear os membros das Mesas Receptoras.

67. Tício é brasileiro naturalizado, alfabetizado e tem 40 anosde idade. Paulus é brasileiro nato, tem
18 anos de idade, mas é analfabeto. Petrus é brasileiro nato, alfabetizado e tem 72 anos de idade. O
alistamento eleitoral e o voto são:
( questão prova concurso )

A) ( ) obrigatórios para Tício e facultativos para Paulus e Petrus.


B) ( ) facultativos para Tício e Paulus e obrigatórios para Petrus.
C) ( ) facultativos para Tício e Petrus e obrigatórios para Paulus.
D) ( )obrigatórios para Tício, Paulus e Petrus.
E) ( ) facultativos para Tício, Paulus e Petrus.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO JURÍDICO


RUA AMÉLIA, 528 – GRAÇAS – RECIFE – PE - FONE: (81) 3427-2944- SITE: www.idaj.com.br 56
AV. CONSELHEIRO AGUIAR ,4635 – BOA VIAGEM – RECIFE – PE - FONE: (81) 3465-7268