Você está na página 1de 20

ADMINISTRAÇÃO DA PESQUISA

AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE


DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE
ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

EVALUATION OF USE OF THE TECHNIQUE OF DISCRIMINANT ANALYSIS ON


THESES AND DISSERTATIONS OF SOME HIGHER EDUCATION INSTITUTIONS

Leandro Campi Prearo


Universidade Municipal de São Caetano Do Sul Data de submissão: 06 mar. 2009 . Data de aprovação: 02
mar. 2010 . Sistema de avaliação: Double blind review . Uni-
Maria Aparecida Gouvea
Universidade de São Paulo versidade FUMEC / FACE . Prof. Dr. Cid Gonçalves Filho . Prof.
Dr. Luiz Cláudio Vieira de Oliveira . Prof. Dr. Mário Teixeira Reis
Carolina Monari Neto
Universidade de São Paulo

RESUMO
Este artigo faz parte de um amplo estudo de avaliação da adequação no uso de técnicas
estatísticas multivariadas em teses e dissertações de algumas instituições de ensino supe-
rior na área de marketing na temática do comportamento do consumidor entre 1997 e
2006. Neste artigo, é focalizada a análise discriminante, uma técnica com grande potencial
de uso em estudos de marketing. Foi objetivo deste trabalho a análise da adequação do
emprego desta técnica às necessidades dos problemas de pesquisa apresentados nas
teses e dissertações e a aferição do nível de acerto no atendimento de suas premissas. De
forma geral, os resultados sugerem a necessidade de um aumento do comprometimento
dos pesquisadores na verificação de todos os preceitos teóricos de aplicação da técnica de
análise discriminante.

PALAVRAS-CHAVE
Análise Multivariada. Análise Discriminante. Análise Quantitiva. Comportamento do
Consumidor.

ABSTRACT
This paper is part of a large study to assess the adequacy of the use of multivariate statistical
techniques in theses and dissertations of some higher education institutions in the area of
marketing in the theme of consumer behavior from 1997 to 2006. The discriminant analysis
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

is focused on in this paper, a technique with great potential of using in marketing studies.
The objective of this study was to analyze whether the employment of this technique suits
the needs of the research problem presented in these theses and dissertations as well as to
evaluate the level of meeting of its assumptions. Overall, the results suggest the need for
more involvement of researchers in the verification of all the theoretical precepts of application
of the technique of discriminant analysis.
KEYWORDS
Multivariate Analysis. Discriminant Analysis. Quantitative Analysis. Consumer Behavior.

INTRODUÇÃO utilização do instrumental dos métodos


quantitativos de forma bastante superficial, dado
A qualidade da produção científica nacional
o nível de sofisticação dessas técnicas. O autor
em Administração tem recebido atenção de
alertou ainda para a despreocupação para com
muitos acadêmicos, sobretudo a partir da década
as premissas teóricas de aplicação da maior parte
de 1990: Administração Pública (MACHADO-DA-
dos métodos.
SILVA et al., 1989); Finanças (LEAL et al., 2003);
Marketing (POWERS et al., 1998; BOTELHO Para Gamboa (1987, p. 17), a importância
;MACERA, 2001); Métodos Quantitativos (BREI; da análise da produção científica, amparada nas
LIBERALI, 2004); Operações (ARKADER, 2003), competências metodológicas, justifica-se, visto que
Organizações (MACHADO-DA-SILVA et al., 1990; a sua questão é de fundamental e decisiva
BERTERO; KEINERT, 1994; VERGARA; CARVALHO, importância para o desenvolvimento e resultados
1995; BERTERO et al., 1999; RODRIGUES FILHO, da pesquisa.
2002), Pesquisa em Administração (MARTINS, A evidente contribuição que a análise
1994; TORRES, 2000; PERIN, 2002); Recursos multivariada pode oferecer à análise quantitativa
Humanos (ROESCH et al., 1997; CALDAS et al., dos dados, para a produção científica, alia-se ao
2002; TONELLI et al., 2003), Sistemas de fato de que, nas últimas décadas, vários pacotes
Informação (HOPPEN et al., 1998). computacionais estatísticos se aperfeiçoaram
Em geral, essa análise crítica da produção sobremaneira no sentido de tornar seus conteúdos
acadêmica nacional se divide em duas linhas: a distantes das complexidades matemáticas,
linha das discussões sobre aspectos próprias dos mesmos.
epistemológicos e a linha com ênfase na adoção As técnicas de análise multivariada têm sofrido
de critérios de qualidade e consistência da sofisticações para atender a demanda dos
produção em Administração, ou seja, os aspectos cientistas das ciências sociais aplicadas, entre elas
metodológicos. Essa segunda linha parece ainda a Administração. Essas sofisticações das
contar com um número reduzido de estudos. ferramentas de análise, que atraem os
Martins (1994, p. 65-66) evidenciou, em pesquisadores pelas facilidades oferecidas, podem
estudo sobre a Epistemologia da Pesquisa em levá-los a erros de aplicação, seja na inadequação
Administração, que as dissertações e teses dos objetivos de uso das ferramentas com os
apresentadas na FEA/USP, FEA/PUC e EASP/FGV, objetivos propostos na pesquisa, seja na violação
entre os anos de 1980 e 1993, abusavam da de premissas de aplicação das técnicas. Há

130 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

situações em que o pesquisador apenas exercita mercado, um dos principais alicerces para a
o emprego de uma técnica e distancia-se de seu compreensão do comportamento do consumidor.
problema de pesquisa e do alcance dos objetivos Neste contexto, os objetivos a serem
inicialmente traçados. alcançados neste estudo são:
Uma das áreas da Administração que mais a) Identificar a intensidade de uso das técnicas
utiliza o método quantitativo, especialmente a multivariadas na área de Marketing, temática do
análise multivariada, é a área de Marketing. Comportamento do Consumidor, tendo como
Principalmente pela necessidade de se conhecer unidade de análise dissertações e teses, do
o mercado consumidor, busca-se a mensuração período 1997-2006, de duas universidades
das opiniões, atitudes, preferências, perfil e outras públicas: Faculdade de Economia, Administração
características dos consumidores (MALHOTRA, e Contabilidade da Universidade de São Paulo e
2001). Escola de Administração da Universidade Federal
Os estudos em Marketing, especialmente na do Rio Grande do Sul.
temática do Comportamento do Consumidor, vêm b) Identificar o nível de adequação do uso da
se utilizando sobremaneira das ferramentas de técnica de análise discriminante aos problemas
análise multivariada. Para Milagre (2001, p.74), o de pesquisa apresentados nestas dissertações e
uso da técnica multivariada tornou-se mais comum teses selecionadas.
a partir do momento em que os acadêmicos e c) Identificar fontes de erros da aplicação da
profissionais de Marketing passaram a aplicá-la em técnica de análise discriminante, a partir do não
estudos sobre a preferência e satisfação do atendimento às suas premissas básicas, no
consumidor, bem como o seu perfil e conjunto da produção científica examinada.
comportamento de compras. Martins (1994, p. A seleção destes Programas de Pós-Graduação
66) afirma que os métodos quantitativos são, em como público-alvo desse estudo deveu-se à
Administração, mais aplicados pelos autores de necessidade de delimitação, dada a dificuldade
pesquisa nas áreas de Marketing, Produção e operacional de um levantamento amostral
Finanças. representativo da produção nacional,
Nesse sentido, neste estudo, pretende-se principalmente pela indisponibilidade de material
aprofundar a discussão e oferecer subsídios à em base de dados on-line por uma parcela
reflexão na temática dos Métodos Quantitativos, importante das Instituições do país.
especialmente sob o recorte de suas aplicações Nesse sentido, optou-se inicialmente por um
nos estudos em Marketing sobre o recorte focado nos Programas de Pós-Graduação
Comportamento do Consumidor. de alta performance, na última avaliação da
A análise discriminante ( discriminant Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de
analysis) é uma técnica com grande potencial de Nível Superior (CAPES). Registre-se que a opção
aplicação na área de Marketing, sobretudo pelo por esse critério não se motivou pela suposição
fato de possibilitar a caracterização de grupos de que os programas com avaliação menos
definidos de acordo com alguma variável de positiva, abaixo da nota 6, tratariam as técnicas
interesse na pesquisa (por exemplo, grupo de leais em estudo de forma mais ou menos corretas. A
versus grupo de não leais a uma marca) ou avaliação da CAPES aponta três Instituições com
gerados após a aplicação da análise de nota 6: a FEA/USP, a EA/UFRGS e a EASP/FGV.
conglomerados. A análise discriminante é também Um segundo critério deu-se pela necessidade
empregada na atividade de segmentação de de garantir a maior homogeneidade possível da

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 131
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

população alvo, já que não é objetivo específico Por outro lado, apesar de uma razoável
desse estudo a comparação entre Instituições. complexidade teórica fundamentada na
Nesse sentido, a seleção levou em conta a matemática, as técnicas multivariadas, por
natureza da Instituição: pública ou privada. permitirem o tratamento de diversas variáveis ao
Considerando que, entre as três citadas, duas são mesmo tempo, podem oferecer ao pesquisador
públicas, optou-se pela análise das dissertações e um material bastante robusto para a análise dos
teses das Instituições públicas: FEA/USP e EA/ dados da pesquisa. Conforme Hair et al. (2005),
UFRGS. a análise multivariada auxilia na formulação de
Destacam-se alguns fatores restritivos na questões relativamente complexas de forma
abrangência dessa investigação: específica e precisa, possibilitando a condução de
pesquisas teoricamente significativas.
ƒ Delimitação do público alvo: os resultados
desse estudo são apenas válidos para as Técnicas estatísticas de análise multivariada
dissertações e teses da FEA/USP e da EA/UFRGS,
A escolha dos métodos e tipos de análises
de 1997 a 2006;
empregadas nos trabalhos científicos deve ser
ƒ As informações sobre o atendimento às
determinada pelo problema de pesquisa. Nesse
premissas da análise discriminante são baseadas
sentido, Johnson e Wichern (1998, p. 2) propõem
nos relatos dos autores de cada dissertação ou
uma classificação dos objetivos para atendimento
tese sob análise, que evidentemente podem
do problema em cinco categorias.
conter uma descrição subestimada ou
superestimada do que foi realizado.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Nesta seção haverá uma introdução sobre


análise multivariada, seguida por uma
apresentação geral de técnicas multivariadas,
finalizando com considerações sobre a análise
discriminante.

Análise multivariada
A análise multivariada permite estudar e
evidenciar as ligações, as semelhanças e diferenças
existentes entre todas as variáveis envolvidas no
processo (BOUROCHE; SAPORTA, apud
TRIVELLONI; HOCHEIM, 2001). Segundo Steiner
(1995), a necessidade de entender a relação entre
diversas variáveis aleatórias faz da análise
multivariada uma metodologia com grande
potencial de uso.
Para Lourenço e Matias (2001), por um lado,
as técnicas estatísticas multivariadas são mais
complexas do que aquelas da estatística univariada.

132 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

QUADRO 1
Categorias dos objetivos das técnicas estatísticas de análise multivariada

Fonte: Adaptado de Johnson e Wichern (1998, p. 2).

O passo seguinte para a escolha da técnica de grandes grupos: variáveis métricas e variáveis não
análise multivariada, após considerar os objetivos métricas.
do problema de pesquisa, é verificar o tipo de
Análise Discriminante
relação examinada, número de variáveis depen-
dentes e tipo de escala utilizada.
Sobre o tipo de relação, as técnicas são classi- A Análise Discriminante, também denomina-
ficadas como de dependência ou de interdepen- da Análise do Fator Discriminante ou Análise Dis-
dência. Na primeira situação uma ou mais variá- criminante Canônica, foi originalmente desenvol-
veis (variáveis dependentes) podem ser explica- vida na Botânica, e sua aplicação teve como obje-
das ou preditas por outras (variáveis independen- tivo fazer a distinção de grupos de plantas com
tes). Na segunda, todas as variáveis são analisa- base no tamanho e no tipo de folhas, para que,
das simultaneamente, sem a orientação de de- posteriormente, fosse possível classificar as novas
pendência ou independência. Sobre o tipo de es- espécies encontradas. Em 1936, Fischer foi o res-
cala utilizada, pode-se generalizar a classificação ponsável pelo desenvolvimento da análise para
teórica dessas escalas de mensuração em dois dois grupos.

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 133
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

Entretanto, a aplicação da Análise Discriminan- obstante aos objetivos fundamentais da técnica,


te logo se generalizou a outras áreas do conheci- Garson (2007d) registra outros propósitos da téc-
mento, inclusive a área de Marketing, sempre em nica utilizados na produção científica:
situações em que é possível encontrar grupos de ƒ Determinar o modo mais parcimonioso de
indivíduos e conhecer quais as características que distinguir entre grupos;
os distinguem uns dos outros. Sobre os objetivos ƒ Avaliar a importância relativa das variáveis
de aplicação, a Análise Discriminante enquadra- independentes;
se na categoria de investigação da dependência ƒ Descartar variáveis que têm pouco poder
entre as variáveis e na categoria predição. Não de distinção entre os grupos.

QUADRO 2
Objetivos de aplicação da técnica de Análise Discriminante

134 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

Premissas da técnica estatística de análise dis- ros). Os gráficos dos erros contra os valores reais
criminante e contra os valores calculados pela equação são
A seguir, são comentadas as premissas pre- importantes. Se os pontos estão distribuídos ale-
sentes na Análise Discriminante. atoriamente, sem demonstrar um comportamen-
to definido, há homoscedasticidade. Mas se exis-
Sensibilidade ao tamanho da amostra
te alguma tendência, então há heteroscedastici-
Aliado a um correto procedimento de amos- dade. Havendo heteroscedasticidade, podem ser
tragem, o tamanho da amostra (número de ca- tentadas transformações nas variáveis (geralmen-
sos, indivíduos, observações, entrevistas) deve ser te transformações logarítmicas) ou outras soluções
adequado para permitir a generalização dos re- mais complexas.
sultados, os quais podem ser verificados quanto A literatura consultada apresenta uma série de
à significância estatística dos testes. testes estatísticos para avaliação da homoscedas-
As facilidades oferecidas pela maioria dos pa- ticidade, entre eles (Hair et al., 2005; Garson,
cotes computacionais de aplicação estatística po- 2007l): Teste de Goldfeld-Quandt; Teste de Park;
dem comprometer a observância do tamanho Teste de de Breusch-Pagan-Godfrey; Teste de
mínimo da amostra pelo pesquisador, fato esse White’s; Teste de Levene para Homogeneidade
que pode causar uma série de problemas impor- das Variâncias; Teste de Bartlett’s para Homoge-
tantes. Para Hair et al. (2005), essa omissão pode neidade das Variâncias; Teste F-max; Teste Box’s M.
resultar em:
Linearidade
ƒ Baixíssimo poder estatístico dos testes de
significância; Conforme Hair et al. (2005), de forma geral,
ƒ Um ajuste muito adequado dos dados, tor- os modelos lineares preveem valores que se ajus-
nando os resultados artificialmente bons. tam a uma linha reta, que tem uma mudança
com unidade constante da variável dependente
Homoscedasticidade em relação a uma mudança constante na variável
independente.
Diz-se que, quando a variância dos termos de
A inspeção simples de gráficos, como o dia-
erro (e) parece constante ao longo do domínio
grama de dispersão (scatterplot), por exemplo, é
da variável preditora, tem-se homoscedasticidade
um método simples e comum para a verificação
(HAIR et al., 2005). Esta é uma propriedade fun-
de linearidade. Além disso, a análise de correla-
damental que deve ser garantida, sob pena de
ção e outros testes mais complexos são disponí-
invalidar toda a análise estatística.
veis para a detecção dessa premissa.
Espera-se que os erros sejam aleatórios e, se
Ainda sobre a linearidade das relações, Eisen-
isto não ocorre, há heteroscedasticidade. Significa
beis (1977) e Huberty (1994) admitem o relaxa-
dizer que há chances de ocorrerem erros grandes
mento dessa premissa quando a normalidade
(ou pequenos). Há tendências nos erros. Por
multivariada é atendida e quando a amostra é
exemplo: se, na avaliação de imóveis residenci-
razoavelmente grande.
ais, a equação obtida indica erros maiores para os
imóveis mais caros, progressivamente (quanto Normalidade multivariada
maior o imóvel, maior o erro), não há variância
Nas técnicas de análise multivariada que se
constante. utilizam de variáveis métricas e testes estatísticos,
A homoscedasticidade pode inicialmente ser a normalidade multivariada é a condição mais fun-
verificada por meio de gráficos de resíduos (er- damental de aplicação.

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 135
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

A distribuição normal multivariada tem a for- ƒ Reformular o modelo, usando, por exem-
ma de sinos tridimensionais simétricos quando o plo, a razão entre variáveis;
eixo de x apresentar os valores de uma determi- ƒ Aumentar o tamanho da amostra.
nada variável; o eixo y apresentar a contagem para
A literatura consultada apresenta uma série de
cada valor da variável de x; e o eixo de z apresen-
testes estatísticos para avaliação da multicolinea-
tar os valores de qualquer outra variável em con-
ridade, entre eles (HAIR et al., 2005; GARSON,
sideração.
2007c): Measure of Sampling Adequacy (MSA),
Entretanto, Johnson e Wichern (1998) aler- Kaiser-Meyer-Olkin KMO), Variance inflation fac-
tam que, para dados reais, a presença de variá- tor (VIF), Índice de condição e Índice de tolerân-
veis com distribuição normal multivariada exata cia
dificilmente ocorre. Nesse sentido, a densidade
normal é frequentemente uma aproximação útil Influência de dados extremos univariados e mul-
tivariados
à verdadeira distribuição da população.
Para Sharma (1996, p. 380), há poucos mé- As observações atípicas ou extremas (outliers)
todos disponíveis para testar a normalidade mul- são aquelas substancialmente diferentes das ou-
tivariada. tras. Podem ser identificadas no nível univariado,
bivariado ou multivariado.
O índice de Mardia parece ser o teste para
normalidade multivariada mais disponível para os Segundo Hair et al. (2005) e Garson (2007a),
usuários de pacotes estatísticos. Baseado nas fun- alguns fatores podem causar a presença de ob-
ções de Skewness e Kurtosis, o índice de Mardia servações atípicas univariadas nos dados coleta-
só é disponível no pacote estatístico LISREL e no dos, alterando o resultado de análise e também
pacote estatístico EQS. Valores menores que três, causando violações de normalidade:
dessa estatística, sugerem a normalidade multi- ƒ Erro de entrada de dados ou na codifica-
variada. ção;
ƒ Evento extraordinário: o pesquisador deve
Multicolinearidade
decidir se mantém ou não o dado extremo na
Segundo Gujarati (2000, p. 318), o termo análise;
multicolinearidade foi cunhado por Ragnar Frish,
ƒ Observações extraordinárias para os quais
em 1934. Originalmente, significa a existência de
o pesquisador não tem explicação;
uma “perfeita” (ou exata) relação linear entre al-
ƒ Observações que representam uma com-
gumas ou todas as variáveis explicativas de um
binação única de valores das variáveis: o pesqui-
modelo de regressão.
sador deve manter o dado a menos que haja evi-
Formalmente, o termo multicolinearidade re-
dência específica para desconsiderá-lo.
fere-se à existência de mais de uma relação linear
Sobre os outliers multivariados, esses são ca-
exata, ao passo que o termo colinearidade refere-
sos com valores extremos no conjunto de múlti-
se à existência de uma única relação linear.
plas variáveis e são operacionalmente definidos
Algumas sugestões para tratamento de multi-
por meio de três medidas mais comumente usa-
colinearidade, a partir da leitura de Tabachnick e
das e disponíveis na maioria dos pacotes estatísti-
Fidell (1996), Gujarati (2000), Pestana e Gagei-
cos comerciais: Distância de Cook, Distância de
ro (2000), Hair et al (2005), Garson (2007a):
Mahalanobis e Distância de Leverage.
ƒ Ignorar, se o objetivo é prever;
O QUADRO 3 sintetiza as premissas da técni-
ƒ Eliminar variáveis; ca de análise discriminante.

136 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

QUADRO 3
Premissas subjacentes ao uso da Análise Discriminante

Fonte: Elaboração própria a partir da abordagem de (1) Dillon e Goldstein (1984); (2) Sharma (1996); (3) Hair et al. (2005);
(4) Garson (2007d).

METODOLOGIA DE PESQUISA universo de interesse, podendo ser mais do que


uma aplicação em cada estudo integrante do
Nessa seção, serão apresentados os tópicos
referentes a: caracterização da população, desenho universo de interesse.
metodológico da pesquisa empírica, a construção A identificação da população-alvo foi realizada
do critério de adequação da aplicação da técnica em três etapas:
de análise discriminante, instrumento de coleta ƒ Seleção dos trabalhos que apresentavam o
de dados e variáveis de resultados. termo comportamento do consumidor como uma
das palavras-chaves;
Caracterização da população-alvo
ƒ Leitura dos resumos dos trabalhos não
O universo de interesse foi definido como a
selecionados na primeira etapa, com o objetivo
dissertação ou tese, com foco em Marketing,
de identificar aqueles que tratavam do
especificamente comportamento do consumidor,
e utilização de técnica estatística de análise comportamento do consumidor, ainda que não
multivariada como instrumento de solução do apresentassem o termo como palavra-chave e,
problema de pesquisa, apresentada aos PPGA´s assim, selecioná-los;
das instituições públicas com mais alta avaliação ƒ Exame do conteúdo dos trabalhos
pela CAPES na área de Administração. selecionados na primeira e na segunda etapa,
A unidade populacional, no entanto, refere-se identificando aqueles com aplicação de alguma
à aplicação de técnica estatística multivariada nesse técnica de análise multivariada.

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 137
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

Registraram-se 196 dissertações e teses sobre conclusões não precisas sobre a solução dos
Comportamento do Consumidor (universo – U), problemas.
56 dissertações e teses com aplicação de técnicas A opção pelo uso da técnica de análise de
estatísticas multivariadas (universo de interesse – conteúdo foi orientada especialmente pela
UI) e 99 aplicações de técnicas estatísticas de necessidade primária, desse estudo, de interpretar
análise multivariada (população-alvo – PA). a situação problema das dissertações e teses
selecionadas com o propósito de identificar o
Desenho metodológico da pesquisa
processo de sua solução por meio da seleção de
A construção metodológica da pesquisa uma técnica estatística de análise multivariada
empírica foi orientada, inicialmente, pela avaliação pertinente.
do processo de solução do problema gerador de Da mesma forma como encontrado na
dissertações e teses com aplicação de técnica abordagem de vários autores, entre eles
estatística de análise multivariada, na temática aqui Richardson (1999, p. 221-222) e Rocha e
selecionada. Deusdará (2005, p. 309), também aqui a
Considerou-se, ainda, o fato de que esta identificação precisa da natureza da técnica de
avaliação exige ser orientada por um critério, o análise oscila entre a discussão quantitativa e a
qual foi construído dentro desse próprio estudo, qualitativa.
não tendo sido submetido a um processo de Assim, de um lado é buscada uma objetividade
validação anterior. bastante intensa (RICHARDSON, 1999, p. 221)
Essas duas condições, por si só, remetem esse para categorização dos problemas das dissertações
estudo ao âmbito da pesquisa exploratória, visto e teses, mediante a definição de critérios rígidos
que o processo de aprofundamento do de julgamento da solução desses problemas. De
entendimento do problema é uma etapa aqui outro, o processo geral de avaliações a ser
implementado às unidades de análise
cumprida para subsidiar a construção do critério
(dissertações e teses) está contaminado por
de avaliação da adequação da aplicação da
julgamentos, na medida em que a análise do
estatística multivariada aos trabalhos selecionados
conteúdo supõe também o exame das
do período 1997-2006. Nesse sentido, este
características ausentes ou registros parciais do
estudo insere-se na abordagem quantitativa,
atendimento às premissas da técnica estatística
utilizando a análise de conteúdo.
utilizada.
O delineamento exploratório para este estudo
Nesse sentido, algumas definições de análise
vai ao encontro da abordagem de Selltiz (1974,
de conteúdo parecem contemplar o caminho
p. 60) que evidencia ser uma das finalidades desse metodológico da coleta de dados, de acordo com
método a apresentação de um recenseamento propostas encontradas em Janis et al . ( apud
de problemas considerados urgentes por pessoas RICHARDSON, 1999, p.222): “Assim, a análise
que trabalham em determinado campo de de conteúdo pode ser definida como qualquer
relações sociais. Exemplifica essa convergência o técnica: na base de regras explicitamente
alerta feito em outros estudos de que a rigidez formuladas e sempre quando os juízos do analista
teórica, explicitada nas premissas para aplicações sejam considerados como relatórios de um
das técnicas estatísticas de análise multivariada, observador científico”.
parece não ser acompanhada de rigidez empírica, Entretanto, a definição encontrada em Bardin
explicitada nas concessões feitas pelos (1979, p. 31) propicia a convivência com as duas
pesquisadores, o que, por vezes, pode resultar em abordagens, na medida em que inclui em sua

138 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

definição, de análise de conteúdo, a geração de confronto tem um caráter dicotômico, ou seja, foi
indicadores quantitativos ou não no processo considerada como uma aplicação adequada da
analítico. técnica análise discriminante quando a categoria-
Análise de conteúdo é um conjunto de objetivo de aplicação da técnica ajustou-se à
técnicas de análise das comunicações, visando categoria do problema de pesquisa da unidade
obter, através de procedimentos sistemáticos e “i” de análise.
objetivos de descrição dos conteúdos das
Procedimento de avaliação do atendimento às
mensagens, indicadores (quantitativos ou não), premissas da técnica estatística de análise
que permitam inferir conhecimentos relativos às discriminante: Critério 2
condições de produção dessas mensagens
O atendimento às premissas da análise
(BARDIN, 1979, p. 31).
discriminante foi decorrente da confirmação de
A construção do critério de avaliação da aplicação que todas as premissas postuladas pela teoria
da técnica estatística de análise discriminante foram atendidas. A violação de pelo menos uma
Dois critérios são apresentados a seguir, com das premissas, explicitada no conteúdo
a finalidade de avaliar o grau de acerto na aplicação apresentado na unidade “i” de análise, bem como
da análise discriminante. a não explicitação da situação de cada premissa
(atendimento ou não atendimento), resultou na
Procedimento de categorização do problema de categoria “não atendimento às premissas”. Dessa
pesquisa da unidade de análise: Critério 1 forma, o critério de avaliação do atendimento às
Embora várias técnicas de análise multivariada premissas é dicotômico: atendimento a todas as
tenham sido utilizadas no material analisado, neste premissas da análise discriminante e não
artigo serão destacados os resultados atendimento a pelo menos uma das premissas
correspondentes à pertinência e adequação do desta técnica.
emprego da análise discriminante. A orientação
Avaliação final do nível de adequação do uso da
para categorizar o problema de pesquisa de cada análise discriminante
unidade de análise (unidade “i” de análise) foi
dada pela finalidade ou objetivo teórico de O registro do nível de adequação do uso da
aplicação de diferentes técnicas estatísticas de análise discriminante foi feito em três níveis (FIG. 1):
análise multivariada. Segundo Johnson e Wichern ƒ Nível 1 (Não adequação do uso da técnica):
(1998, p. 2), as categorias são sintetizadas em não ajuste da categoria-objetivo de aplicação da
cinco modalidades: redução dos dados ou análise discriminante à categoria do problema de
simplificação estrutural; agrupamento; pesquisa da unidade “i” de análise,
dependência entre variáveis; predição e independentemente do atendimento ou não
formulação de hipóteses e testes. atendimento às premissas desta técnica (Não
No caso da análise discriminante, o objetivo atendimento ao critério “1”).
alcançado em seu uso pode ser investigação da ƒ Nível 2: ajuste da categoria-objetivo de
dependência entre variáveis ou predição. aplicação da análise discriminante à categoria do
A categoria identificada na unidade “i” de problema de pesquisa da unidade “i” de análise e
análise foi confrontada com a categoria-objetivo não atendimento a pelo menos uma das
da técnica de análise discriminante, na condição premissas da técnica ou à não explicitação da
de tratamento estatístico aplicado para solução do situação de cada premissa (atendimento ou não
problema. A avaliação feita por meio desse atendimento) no documento da unidade “i”

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 139
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

(Atendimento ao critério “1” e não atendimento pesquisa da unidade “i” de análise e atendimento
ao critério “2”). de todas as premissas da técnica, conforme
ƒ Nível 3: ajuste da categoria-objetivo de documento da unidade “i”. (Atendimento ao
aplicação da técnica à categoria do problema de Critério 1 e ao Critério 2).

FIGURA 1 - Avaliação do nível de adequação da técnica


Fonte: eleborado pelos autores

Instrumento de coleta de dados e resultados ƒ Identificação e contagem das premissas


Para a coleta de dados foi desenvolvido um atendidas na aplicação da análise discriminante,
instrumento para registro das ocorrências se esta foi utilizada;
encontradas em cada unidade “i” de análise. ƒ Aplicação do Critério 2: procedimento de
Esses registros referem-se a: avaliação do atendimento às premissas da análise
ƒ Identificação numérica das unidades de discriminante;
análise; ƒ Avaliação final do nível de adequação do
ƒ Ano de defesa do trabalho; uso da análise discriminante.

ƒ Descrição do problema de pesquisa;


ANÁLISE DOS RESULTADOS
ƒ Categorização do problema de pesquisa a
partir dos objetivos de aplicação das técnicas de A primeira etapa de análise dos resultados
análise multivariada; tratou de apresentar as evidências quanto à
ƒ Identificação da técnica de análise intensidade de uso das técnicas multivariadas de
multivariada utilizada no trabalho; modo geral, conforme o objetivo “a”.
ƒ Aplicação do Critério 1: categorização do A segunda parte, conforme o objetivo “b”,
problema de pesquisa da unidade de análise; tratou do nível de adequação do uso da análise

140 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

discriminante aos problemas de pesquisa das Conjunta (3 casos), Regressão Logística (1 caso)
dissertações e teses sob análise. e Correlação Canônica (1 caso).
A terceira parte identificou, a partir do não A Construção de Hipóteses e Testes,
atendimento às premissas básicas de aplicação exclusivamente representada, neste estudo, pela
desta técnica, fontes potenciais de erro. técnica estatística multivariada de Modelagem de
Equações Estruturais, somou 18 casos (32,1%).
Resultados relativos ao objetivo “a”
Já a categoria de agrupamento de objetos ou
Entre 1997 e 2006, as dissertações e teses variáveis foi utilizada em 18 estudos (33,9%), com
sobre a temática Comportamento do Consumidor, maior número de casos com uso da técnica de
defendidas nos PPGA´s da FEA/USP e EA/UFRGS, Análise de Conglomerados (12 casos), seguido
apresentaram maior intensidade de uso de da técnica de Análise de Correspondência (5
técnicas estatísticas multivariadas para atender ao casos) e da técnica de Escalonamento
objetivo de reduzir ou simplificar a estrutura de Multidimensional (1 caso).
dados coletada (62,5%), conforme apresentado Chama a atenção que apenas um dos estudos
na FIG. 2, com a aplicação da técnica de Análise selecionados utilizou-se de técnica de análise
Fatorial Exploratória, única representante dessa multivariada (regressão logística) com o objetivo
categoria. de predição de algum fenômeno ou fato, o que
possivelmente ocorre mais pela ausência de
A categoria de investigação de dependência
interesse por problemas de pesquisa na temática
entre variáveis foi a segunda mais utilizada
de Comportamento do Consumidor do que pela
(46,4%). Nesse contexto, seis técnicas de análise restrição do número de técnicas disponíveis, visto
multivariada apresentam essa categoria como um que essa categoria é representada, nesse estudo,
dos objetivos de aplicação: Análise de Regressão por três técnicas de análise multivariada: Análise
(15 casos), Análise Discriminante (3 casos), de Regressão, Análise Discriminante e Regressão
Análise Multivariada da Variância (3 casos), Análise Logística.

FIGURA 2 – Categoria dos objetivos de aplicação das técnicas estatísticas multivariadas


(base: universo de interesse)
Fonte: Elaborado pelos autores

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 141
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

Ainda a fim de ilustrar o ambiente de uso das mais intenso das técnicas ocorre, em termos rela-
técnicas estatísticas multivariadas, registre-se que, tivos, nas teses, com 81,2% dos casos com apli-
em 64,3% dos estudos selecionados, pelo me- cação de pelo menos duas técnicas, contra 57,5%
nos duas técnicas são utilizadas para atendimen- nas dissertações, sugerindo maior sofisticação dos
to à solução dos problemas de pesquisa. O uso estudos no primeiro grupo.

TABELA 1
Quantidade de técnicas de análise multivariada diferentes usadas nas dissertações e
teses

Fonte: Elaborado pelos autores

Quanto às categorias de aplicação da análise de 1997 e 1998 não se detectou aplicação de


discriminante ao longo do período 1997-2006, técnica estatística multivariada nas Instituições de
deve-se registrar que a categoria de investigação ensino alvo desse estudo. A TAB. 2 apresenta a
da dependência entre variáveis apresentou evolução do uso das técnicas estatísticas a partir
tendência de queda no período 1999-2003, dos objetivos de investigação da dependência
voltando a crescer a partir de 2004; a categoria entre variáveis e predição e a distribuição específica
predição só apresentou uso em 2004. Nos anos do emprego da análise discriminante.

TABELA 2
Distribuição do uso das técnicas com objetivo de investigação da dependência entre variáveis
e predição e uso da análise discriminante, ao longo do tempo (período 1997-2006)

Fonte: Elaborado pelos autores

142 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

Resultados relativos ao objetivo “b” premissas subjacentes ao seu uso nestas


Um resultado positivo deste estudo é a dissertações e teses.
coerência nas dissertações e teses selecionadas O atendimento à multicolinearidade em duas
quanto à adequação da técnica escolhida de aplicações foi resultante do uso do método
análise discriminante ao problema de pesquisa. stepwise.
Assim, pelo critério “1”, todas as aplicações As premissas de linearidade, normalidade
da análise discriminante são “adequadas”. univariada, normalidade multivariada e tratamento
de observações atípicas não foram verificadas em
Resultados relativos ao objetivo “c”
nenhuma das aplicações dessa técnica.
De modo geral, a análise discriminante Nenhum dos estudos atendeu a todas as
apresentou baixos níveis de atendimento às premissas dessa técnica e nem mesmo a mais
da metade das premissas, conforme a tabela 03.

TABELA 3
Atendimento às premissas subjacentes ao uso da Análise Discriminante

Fonte: Elaborado pelos autores

Critério “2” de avaliação dos níveis de adequação discriminante, no que se refere ao seu uso e
da análise discriminante especificamente ao atendimento às premissas
O resultado final da avaliação das aplicações subjacentes à técnica.
encontradas na população-alvo sugere um frágil O emprego do critério “2” do processo de
ambiente operacional de aplicação da análise avaliação revela que nenhuma das aplicações de

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 143
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

análise discriminante atendeu plenamente às suas premissa de tamanho dos grupos, com 100% de
premissas. verificações.
Arrisca-se afirmar que esse ambiente de
Avaliação final do nível de adequação do uso da
análise discriminante resultados delineie uma intensidade maior de
atendimento às premissas que exijam pouco
A avaliação final do nível de adequação do
envolvimento do pesquisador quando da aplicação
uso da análise discriminante pode ser sintetizada
das técnicas. Assim, a premissa de tamanho dos
pelos índices percentuais obtidos nos três níveis
grupos ocorre intencionalmente no desenho, a
retratados na FIG. 1:
priori, da amostra, levando-se em conta apenas
- Nível 1: 100% das aplicações da técnica de padrões de construção de amostras
análise discriminante apresentaram convergência
(especificidades do público, tipo de coleta,
entre a categoria-objetivo de aplicação desta
margem de erro, nível de significância etc.).
técnica com a categoria do problema da pesquisa;
Todo esse ambiente de evidências, revela, a
- Nível 2: 100% das aplicações da análise
partir da aplicação do critério “2”, que nenhuma,
discriminante atenderam parcialmente as suas
entre as 3 aplicações de análise discriminante
premissas;
estudadas, foi totalmente adequada.
- Nível 3: 0% das aplicações da análise
Assim, ainda que os achados desse estudo
discriminante apresentaram uso adequado quanto
não possam ser extrapolados para a produção
ao atendimento de suas premissas.
acadêmica de outras Instituições ou de outros
períodos de tempo, eles sugerem a necessidade
CONCLUSÕES
de maior cuidado conceitual nas aplicações da
Nos trabalhados avaliados, as soluções para técnica de análise discriminante.
os problemas de pesquisa concentraram-se no A partir dos resultados aqui obtidos, pode-se
emprego de técnicas de redução ou simplificação ressaltar a importância das bancas de qualificação
estrutural dos dados (62,5% dos trabalhos),
no sentido de alertar os pesquisadores sobre a
seguido de técnicas de investigação de
necessidade desses cuidados, incentivando a
dependência entre variáveis (46,4% dos
prática do atendimento às premissas subjacentes
trabalhos).
desta técnica.
No conjunto dos trabalhos focalizados, a
Assim, espera-se que o resultado apurado
análise discriminante só passou a ser aplicada em
2002, sendo empregada em cerca de 7% dos nesse estudo, relativo ao elevado nível de não
trabalhos de cada ano. adequação do uso da análise discriminante na
população-alvo, em função da não verificação de
Um fato bastante positivo sobre a aplicação
suas premissas, seja um estímulo aos
da análise discriminante é que 100% das suas
pesquisadores para a busca de um entendimento
aplicações apresentaram-se adequadas à
resolução dos problemas de pesquisa das mais detalhado e aprofundado da técnica a ser
dissertações e teses focalizadas nesse estudo. empregada como parte do processo de solução
do problema de pesquisa, de forma a minimizar
Quanto à qualidade de aplicação desta técnica,
eventuais erros decorrentes da aplicação não
destaque-se que a verificação de todas as suas
adequada. >
premissas não foi constatada em nenhuma das
aplicações.
O foco específico em cada premissa da análise
discriminante evidencia um maior atendimento à

144 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

Leandro Campi Prearo


Universidade Municipal de São Caetano Do Sul

Doutorando em Administração - PPGA FEA USP


Professor Adjunto da Universidade de São Caetano do Sul
Endereço Profissional
Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Reitoria, Pró-
Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa.
Avenida Goiás 3400 – Barcelona
09050-050 - Sao Caetano do Sul, SP - Brasil
Telefone: (11) 42393202
Homepage: www.imes.edu.br
Email: leandro.prearo@uscs.edu.br

Maria Aparecida Gouvea


Universidade de São Paulo

Livre-Docência em Administração pela Universidade de São


Paulo – FEA/USP, Brasil
Doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo,
USP, Brasil.
Endereço Profissional
Universidade de São Paulo.
Avenida Prof. Luciano Gualberto, 908 - Bloco FEA1 - Sala E
110 - Cidade Universitária
05508-900 - Sao Paulo, SP - Brasil
Telefone: (11) 30916044 Fax: (11) 30912460
Email: magouvea@usp.br
Av. Prof. Luciano Gualberto, 908 – FEA 1 – Sala E110 – Cidade
Universitária – CEP 05508-900 – São Paulo- São Paulo

Carolina Monari
Universidade de São Paulo

Graduanda em Administração pela Universidade de São Paulo –


FEA-USP, Brasil
Endereço Profissional
Universidade de São Paulo - Faculdade de Economia, Adminis-
tração e Contabilidade. FEA – USP
Av. Prof. Luciano Gualberto, 908 – FEA 1 – Sala E110 – Cidade
Universitária
CEP 05508-900 – São Paulo – São Paulo
Email: cmonari@gmail.com

REFERÊNCIAS

BARDIN, L.. Análise de conteúdo


conteúdo. Lis- BERTERO, Carlos Osmar; CALDAS, BOTELHO, D.; MACERA. Análise me-
boa: Edições 70, 1979. Miguel Pinto; WOOD JR., Thomaz. teórica de teses e dissertações da área
BERTERO, C. O.; KEINERT, T. M. M. A Produção científica em administra- de Marketing apresentadas na FGV-
evolução da análise organizacional no ção de empresas: provocações, insi- EAESP (1974-1999). In: ENCONTRO
Brasil (1961-93). Revista de Admi- nuações e contribuições para um de- DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-
nistração de Empresas - RAE RAE, [S. bate local. Revista de Administra- GRADUAÇÃO E PESQUISA EM AD-
l.], v. 34, n. 3, p. 81-90, 1994 ção Contemporânea – RAC RAC, [S. l.], MINISTRAÇÃO, 25., 2001, Campinas.
v. 3, n. 1, jan./abr., p.147-178, 1999. Anais
Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2001.

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 145
AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA TÉCNICA DE ANÁLISE DISCRIMINANTE EM TESES E DISSERTAÇÕES DE ALGUMAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

BREI, V. A.; LIBERALI, G. O uso de Topics in Multivariate Analysis. Dis- MAROCO, J. Análise Estatística com
modelagem em equações estruturais ponível em: <http:// utilização do SPSS
SPSS. Lisboa: Edições
na área de marketing no Brasil. In: www2.chass.ncsu.edu/garson/ Silabo, 2003.
ENCONTRO DE MARKETING DA AS- pa765.statnote.html>. Acesso em 20 MARTINS, G. A. Epistemologia da
SOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRA- jul. 2007. 2007l. pesquisa em Administração
Administração. Tese
DUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO GUJARATI, D. N. Econometria Bá- (Livre-Docência) – Faculdade de Ad-
(EMA), 1., 2004, Porto Alegre. sica. São Paulo: Makron Books, 2000.
sica ministração, Economia e Contabilida-
Anais... Porto Alegre: [s. n.], 2004. de da Universidade de São Paulo, São
HAIR, J. F. et al. Análise Multivari-
CALDAS et al. Espelho, espelho meu: ada de Dados
Dados. 5. ed. Porto Alegre: Paulo, 1994.
meta-estudo da Produção científica Bookman, 2005. MILAGRE, R. A. Estatística
Estatística: uma pro-
em Recursos Humanos nos ENANPA- posta de ensino para os cursos de
HOPPEN, N. et al. Sistemas de in-
Ds da década de 90. In: ENCONTRO administração de empresas. Disserta-
formação no Brasil: uma análise dos
DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE ção (Mestrado em Engenharia de Pro-
artigos científicos dos anos 90. In:
PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM dução) - Universidade Federal de San-
ENCONTRO NACIONAL DE PÓS-GRA-
ADMINISTRAÇÃO, 26., 2002, Salva- DUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINIS- ta Catarina, Florianópolis, 2001.
dor. Anais
Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, TRAÇÃO, 22., 1998, Foz do Iguaçu. PEREIRA, Alexandre. SPSS – Guia
2002. Anais
Anais... Foz do Iguaçu: ANPAD, 1998. prático de utilização
utilização. 4. ed. Lisboa:
DILLON, W. R.; GOLDSTEIN, M. Mul- p. 36. Edições Sílabo, 2003.
tivariate Analysis: methods and ap- HUBERTY, C. J. Applied discriminant PERIN, M. G et al. A pesquisa Survey
plications
plications. New York: John Wiley & analysis. New York: John Wiley,
analysis em artigos de Marketing nos
Sons, 1984. 1994. ENANPADs da década de 90. Revista
EISENBEIS, R. Pitfalls in the Appli- JOHNSON, R. A.; WICHERN, D. W. Interdisciplinar de Marketing
Marketing, [S. l.],
cation of Discriminant Analysis in Bu- Applied multivariate statistical v. 1, n. 1, p. 44-59, jan./abr. 2002.
siness, Finance and Economics. The analysis. 4th. ed. New Jersey: Prenti-
analysis PESTANA, M. H.; GAGEIRO, J. N. Aná-
Journal of Finance
Finance, [S. l.], v. 32, n. ce Hall, 1998. lise de Dados para Ciências Soci-
3, p. 875-900, 1997. ais: a complementaridade do SPSS.
LEAL, R. P. C. et al. Perfil da pesqui-
GAMBOA, S. S. Epistemologia da sa em finanças no Brasil. Revista de 2. ed. Lisboa: Editora Silabo, 2000.
Pesquisa em educação
educação. Dissertação Administração de Empresas, [S. l.], POWERS, T. et al. Career research pro-
(Mestrado) – Unicamp, Campinas, v. 43, n. 1, p. 91-103, 2003. ductivity patterns of marketing aca-
1987. LOURENÇO, A.; MATIAS, R. P.. Esta- demicians. Journal of Business Re-
search
search, New York, v. 42, n. 1, p. 75-
GARSON, G. D. Testing of Assumpti- tística Multivariada
Multivariada. Porto: Institu-
to Superior de Engenharia do Porto, 86, 1998.
on.. In: GARSON, G. D. Statnotes:
Topics in Multivariate Analysis. Dis- 2001. RICHARDSON, R. J. et al. Pesquisa
ponível em: <http:// MACHADO-DA-SILVA, C. et al. Pro- Social. 3. ed.. São Paulo: Atlas, 1999.
Social
www2.chass.ncsu.edu/garson/ dução Acadêmica em Administração ROCHA, D.; DEUSDARÁ, B. Análise de
pa765.statnote.html>. Acesso em 20 Pública: período 1983-1988. In: EN- Conteúdo e Análise do Discurso: apro-
jul. 2007. 2007a. CONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIO- ximações e afastamentos na
GARSON, G. D. Fatorial Analysis. In: NAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PES- re(construção) de uma trajetória.
GARSON, G. D. Statnotes: Topics in QUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 13., ALEA
ALEA, [S. l.], v.7, n. 2, p.305-322,
Multivariate Analysis. Disponível em: 1989, Belo Horizonte. Anais... Belo 2005.
<http://www2.chass.ncsu.edu/gar- Horizonte: ANPAD, 1989. p. 1599- RODRIGUES FILHO, J. Estudos Críti-
son/pa765.statnote.html>. Acesso 1618. cos em Administração no BrasilBrasil:
em 20 jul. 2007. 2007c. MACHADO-DA-SILVA, C. et al. Or- classificação da produção de conhe-
GARSON, G. D. Discriminant Ana- ganizações: O estado da arte da pro- cimento sob a ótica da teoria crítica
lisys. In: GARSON, G. D. Statnotes: dução acadêmica no Brasil. In: EN- de Jurgen Habermas. Tese. Universi-
CONTRO NACIONAL DE PÓS-GRA- dade Federal da Paraíba, João Pessoa,
Topics in Multivariate Analysis. Dis-
DUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINIS- 2002.
ponível em: <http://
TRAÇÃO (EnANPAD), 14., [S. l.]. ROESCH, S. M. et al. Tendências da
www2.chass.ncsu.edu/garson/
Anais... [S. l.]: ANPAD, 1990. Pesquisa em recursos Humanos e Or-
pa765.statnote.html>. Acesso em 20
jul. 2007. 2007d. MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Ma- ganizações – uma análise das disser-
rketing. Porto Alegre: Bookman,
rketing tações de mestrado. In: ENCONTRO
GARSON, G. D. Testing of Assumpti- DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PRO-
2001.
ons. In: GARSON, G. D. Statnotes: GRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO E

146 R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa)
LEANDRO CAMPI PREARO . MARIA APARECIDA GOUVEA . CAROLINA MONARI

PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 22., gia para o Reconhecimento de Pa- v. 43, n. 1, p. 105-122, 2003.
1997, Rio das Pedras. Anais
Anais... Rio de drões Multivariados com Resposta TORRES, R. R. Estudo sobre os pla-
Janeiro: ANPAD, 1997. Dicotômica
Dicotômica. 1995. Tese (Doutorado nos amostrais das dissertações e te-
SANDA, R.. Análise discriminante em Engenharia) – Universidade Fe- ses em Administração da Faculda-
com mistura de variáveis categó- deral de Santa Catarina - UFSC, Flo- de de Economia, Administração e
ricas e contínuas
contínuas. Dissertação (Mes- rianópolis, 1995. Disponível em: Contabilidade da Universidade de
trado) – Departamento de Estatísti- <http://www.eps.ufsc.br/teses/stei- São Paulo e da Escola de Adminis-
ca da Universidade de São Paulo, São ner/capit_2/cap2_ste.htm> Acesso tração da Universidade Federal do
Paulo, 1990. em: 28 out. 2007. Rio Grande do Sul Sul: uma contribui-
SELLTIZ, C. et al. Métodos de pes- TABACHNICK, B. G.; FIDELL, L. S. ção crítica. Dissertação (Mestrado) -
quisa nas relações sociais
sociais. São Pau- Using Multivariate Statistics
Statistics. 3. ed. FEA/USP, São Paulo, 2000.
lo: Herder, 1974. New York: Harper Collins, 1996. VERGARA, S. C. ; CARVALHO JR, D.
SHARMA, S. Applied Multivariate TONELLI, M. et al. Produção Acadê- S. Nacionalidade dos Autores Refe-
Techniques, New York: Willey &
Techniques mica em Recursos Humanos no Bra- renciados na Literatura Brasileira so-
Sons, 1996 . sil: 1991-2000. Revista de Admi- bre Organizações. In: ENCONTRO DA
nistração de Empresas - RAE, [S. l.], ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-
STEINER, M. T. A. Uma Metodolo- GRADUAÇÃO E PESQUISA EM AD-
MINISTRAÇÃO - EnANPAD, 19.,
1995, João Pessoa. Anais
Anais... Rio de
Janeiro: ANPAD 1995.

R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte · v. 9 · n. 1 · p. 129-147 · jan./mar. 2010. ISSN 1984-6975 (online). ISSN 1517-8900 (Impressa) 147