Você está na página 1de 4

Disciplinas: Pesquisa Operacional I

Professor : Edwin Mitacc

A TÉCNICA DE DUAS FASES

Uma desvantagem da técnica M é o possível erro de calculo que pode resultar ao designar-
se um valor muito grande à constante M. O método de duas fases tem-se desenhado para
diminuir este problema. Apesar das variáveis artificiais serem adicionadas da mesma forma
que na técnica M, o uso da constante M elimina-se resolvendo o problema em 2 etapas (daí
o nome de método de Duas Fases). A seguir, são descritas estas duas fases.

FASE I: Aumenta-se as variáveis artificiais segundo seja necessário para assegurar uma
solução inicial. Forma-se uma nova função objetivo que procure a minimização
da soma das variáveis artificiais sujeita às restrições do problema original
modificado pelas variáveis artificiais. Se o valor mínimo da nova função
objetivo é zero (o que significa que todas as variáveis artificiais são zero), o
problema tem um espaço de soluções factíveis. Ir para a Fase II. Caso contrario,
se o mínimo for positivo, o problema não tem solução factível. Parar o processo.

FASE II: Utiliza-se a solução básica ótima da Fase I, como solução inicial para o problema
original.

EXEMPLO:
MIN Z  4 x1  x2
sujeito a :
3 x1  x2  3
4 x1  3 x2  6
x1  2 x2  4
x1 , x2  0

Solução:

FASE I  Como necessitamos as variáveis artificiais R1 e R2 na primeira e segunda


equações, o problema da fase I lê-se como:

MIN r  R1  R2
sujeito a :
3 x1  x2  R1 3
4 x1  3 x2  f1  R2 6
x1  2 x2  f2  4
x1 , x2 , f1 , f 2 , R1 , R2  0

1
Como R1 e R2 estão na solução inicial, devem-se substituir na função objetivo da seguinte
forma:

r  R1  R2
r   3  3 x1  x2    6  4 x1  3x2  f1 
r  7 x1  4 x2  f1  9  r  7 x1  4 x2  f1  9

Portanto, o quadro inicial tem o seguinte formato:

QUADRO INICIAL – Fase I

Variáveis Variáveis de Decisão Valores de


na Solução x1 x2 f1 R1 R2 f2 Solução
R1 3 1 0 1 0 0 3
R2 4 3 -1 0 1 0 6
f2 1 2 0 0 0 1 4
Z 7 4 -1 0 0 0 9

A tabela ótima é obtido em duas iterações e é dada por: VERIFICAR!!!!!!!!!!

QUADRO ÓTIMO – Fase I

Variáveis Variáveis de Decisão Valores de


na Solução x1 x2 f1 R1 R2 f2 Solução
x1 1 0 1/5 3/5 -1/5 0 3/5
x2 0 1 -3/5 -4/5 3/5 0 6/5
f2 0 0 1 1 -1 1 1
Z 0 0 0 -1 -1 0 0

Como o mínimo é r  0 , o problema tem uma solução viável. Ir para a Fase II.

FASE II  Até aqui, as variáveis artificiais tem cumprido seu objetivo. Agora devem ser
eliminados em todos os cálculos posteriores. Isto significa que as equações do quadro
ótimo na Fase I podem-se escrever como:

1 3
x1  f1 
5 5
3 6
x2  f1 
5 5
f1  f 2  1

2
Pode-se dizer, que estas equações são exatamente equivalentes às da forma padrão do
problema original (antes de somar as variáveis artificiais). Portanto, o problema original
pode-se escrever como:

MIN Z  4 x1  x2
sujeito a :
1 3
x1  f1 
5 5
3 6
x2  f1 
5 5
f1  f 2  1
x1 , x2 , f1 , f 2  0

Pode-se notar que a contribuição principal dos cálculos na Fase I consiste em proporcionar
uma solução inicial preparada ao problema original.

Para resolver o problema, necessitamos substituir as variáveis básicas x1 e x2 na função


objetivo, como foi feito na técnica M. Isto é feito mediante o uso das equações de restrições,
da seguinte forma:

Z  4 x1  x2
3 1  6 3 
Z  4   f1     f1 
5 5  5 5 
1 18 1 18
Z   f1   Z  f1 
5 5 5 5

Portanto, com estas modificações, o quadro inicial para a Fase II é o seguinte:

QUADRO INICIAL – Fase II

Variáveis Variáveis de Decisão Valores de


na Solução x1 x2 f1 f2 Solução
x1 1 0 1/5 0 3/5
x2 0 1 -3/5 0 6/5
f2 0 0 1 1 1
Z 0 0 1/5 0 18/5

Como o quadro não é ótimo, dado que f1 deve entrar na solução. Se realizarmos os
cálculos SIMPLEX, obteremos a solução ótima em 1 iteração:

3
QUADRO (ITERAÇÃO 1) – Fase II

Variáveis Variáveis de Decisão Valores de


na Solução x1 x2 f1 f2 Solução
x1 1 0 0 -1/5 2/5
x2 0 1 0 3/5 9/5
f2 0 0 1 1 1
Z 0 0 0 -1/5 17/5

Operações para o cálculo do quadro (iteração 1):

Equação do Pivô:
Anterior:  0 0 1 1 1
Novo : 0 0 1 1 1 (anterior dividido pelo pivô=1)
Ver quadro inicial!!!!
Equação x1 :
Anterior : 1 0 1/ 5 0 3 / 5
 1   Nova Equação 
   :  0 0 1/ 5 1/ 5 1/ 5 
5  do Pivô 

Nova (SOMA) : 1 0 0 1/ 5 2 / 5


Equação x2 :
Anterior : 0 1 3/5 0 6 / 5
 3   Nova Equação 
   : 0 0 3/5 3/5 3 / 5
 5  do Pivô 

Nova (SOMA) : 0 1 0 3/5 9 / 5


Equação Z :
Anterior :  0 0 1/ 5 0 18 / 5 
1
     NEP  :  0 0 1/ 5 1/ 5 1/ 5 
5

Nova (SOMA) :  0 0 0  1/ 5 17 / 5 

Solução ótima: x1  2 / 5 , x2  9 / 5 e Z  17 / 5