Você está na página 1de 8

COLÉGIO DE APLICAÇÃO (CODAP)

UNIVERSIDADE FEEDERAL DE SERGIPE

CONCURSO PÚBLICO DE EDUCAÇÃO BÁSICA TÉCNICA E


TECNOLÓGICA PARA PROVIMENTO DE PROFESSOR EFETIVO

VAGA: SOCIOLOGIA

CANDIDATO: EWERTHON CLAUBER DE JESUS VIEIRA

São Cristóvão – SE
Maio/2018
PLANO DE AULA

TEMA 10: TEORIA CLÁSSICA DA CIÊNCIA: ÉMILE DURKHEIM


(POSITIVISTA), KARL MARX (CRÍTICA) E MAX WEBER (COMPREENSIVA).

OBJETIVOS:

GERAL
● Compreender as principais contribuições (conceituais e teóricas) dos clássicos Émile
Durkheim, Max Weber e Karl Marx, no entendimento fundamental do conhecimento
sociológico acerca dos fenômenos sociais das sociedades modernas.

ESPECÍFICOS
● Apresentar o contexto histórico de formação da Sociologia enquanto saber racional e
científico da modernidade;

● Analisar os fundamentos conceituais e as lógicas explicativas das teorias clássicas de


Durkheim, Weber e Marx, em face das transformações entre as sociedades tradicionais e
as sociedades modernas (Problematização Parsoniana – Problema Hobbesiano da
Ordem);

● Identificar didaticamente as contribuições analíticas e conceituais de Durkheim,


Weber e Marx às características do Positivismo, Teoria Compreensiva e Crítica,
respectivamente;

● Apreender os sentidos fundamentais do conhecimento sociológico através das


principais contribuições dos clássicos Durkheim, Marx e Weber, enquanto formas de
interpretação crítica da realidade (destacando os sentidos mais genéricos das
perspectivas sociológicas como “imaginação sociológica”, “trabalho de detetive” e
“esporte de combate”).
CONTEÚDO:

● Caracterização da noção de “modernidade” e contexto histórico de surgimento da


Sociologia enquanto saber científico;

● Estrutura conceitual e analítica de Émile Durkheim (“fato social” e os tipos de


“solidariedades”), Max Weber (Tipos de “ação social”, “relação social” e os
fundamentos do conhecimento racional e científico) e Karl Marx (“classe social” e os
fundamentos da desigualdade social);

● O Problema da Ordem Social (Parsons) nas Teorias Clássicas da Ciência: Positivismo,


Teoria Compreensiva Weberiana e Teoria Crítica Marxiana;

● Sentidos elementares do conhecimento sociológico: contribuições dos clássicos Émile


Durkheim, Max Weber e Karl Marx e as perspectivas sociológicas contemporâneas de
Wright Mills (“Imaginação sociológica”), Peter Berger (“Trabalho de detetive”) e Pierre
Bourdieu (“Esporte de combate”).

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICO:

● Aula expositiva dialogada;


● Exercício analítico para reflexão do conteúdo trabalhado;
● Descrição: A aula será iniciada a partir da apresentação de elementos históricos e
preocupações políticas comuns aos três clássicos. Conforme a 1ª formulação sintética
parsoniana, notadamente na construção da ideia de “problema hobbesiano da ordem”,
desenvolveremos as contribuições durkheiminianas, weberianas e marxianas para o
entendimento dos fenômenos sociais em face das transformações ocorridas entre as
sociedades tradicionais e as sociedades modernas. Em seguida, identificaremos
didaticamente as aproximações desses autores as abordagens clássicas do Positivismo,
Teoria Compreensiva e Teoria Crítica. Por fim, destacaremos os sentidos fundamentais
do conhecimento sociológico, enquanto formas de interpretação crítica da realidade,
notadamente a partir dos referidos clássicos e de algumas perspectivas contemporâneas
que enunciam a potencialidade relacional, investigativa e transformadora do saber
sociológico.

RECURSOS DIDÁTICOS:

● Apostila (Anexo)
● Quadro;
● Piloto;
● Apagador;
● Datashow
● Computador
● Apresentação de Slides.

AVALIAÇÃO:

● Exercício analítico dissertativo.


● Descrição: Considerando a avaliação enquanto processo contínuo do desenvolvimento
da relação de ensino e aprendizagem, ao final dessa aula, os estudantes serão
convidados a refletirem sobre a letra e os versos da música e poesia brasileiras que
retratam fenômenos sociais vinculados ao problema da (des)ordem, especificamente as
questões das desigualdades sociais, trabalho, desemprego e organização social. O intuito
é proporcionar o exercício analítico sobre os referidos acontecimentos sociais a partir
das principais contribuições conceituais e teóricas dos clássicos Durkheim, Weber e
Marx, identificando alguns sentidos elementares do conhecimento sociológico,
enquanto saber relacional (“imaginação sociológica”), investigativo (“trabalho de
detetive”) e potencialmente transformador (“esporte de combate”).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. Tradução de Paulo Neves. São Paulo:
Martins Fontes, 2007.
MARX, Karl e ENGELS, F. A ideologia alemã. Tradução de Luis Cláudio de Castro e Costa.
São Paulo: Martins Fontes, 2001.
WEBER, Max. Conceitos Sociológicos Fundamentais. Tradução de Artur Morão. Covilhã:
LusoSofia, 2010.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO; SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. Orientações
Curriculares para o Ensino Médio. Ciências Humanas e suas Tecnologias. Vol. 3. Brasília,
2006.
SILVA et all. Sociologia em movimento. 1ª ed. - São Paulo: Moderna, 2013.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS COMPLEMENTARES:

BERGER, Peter; LUCKMANN, Thomas. A Construção Social da Realidade: Tratado de


Sociologia do Conhecimento. Tradução de Floriano de Souza Fernandes. Petrópolis-RJ: Ed.
Vozes, 2004.
BOURDIEU, Pierre; CHAMBOREDON, Jean-Claude; PASSERON, Jean-Claude. Ofício de
Sociólogo. Metodologia da pesquisa na sociologia. Tradução de Guilherme João de Freitas
Teixeira. Petrópolis-RJ: Ed. Vozes, 1999.
DURKHEIM, Émile. O Suicídio. Tradução de Alex Martins. São Paulo: Martins Claret, 2008.
JOAS, Hans; KNÖBL, Wolfang. Teoria Social. Vinte lições introdutórias. Tradução de Raquel
Weiss. Petrópolis-RJ: Ed. Vozes, 2017.
MARX, Karl. Miséria da Filosofia. Tradução de Torrieri Guimarães. São Paulo: Martin Claret,
2007.
MILLS, C. Wright. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.
OUTHWAITE, William. Teoria Social. Um guia para entender a Sociedade
Contemporânea. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.
PARSONS, Talcott. A Estrutura da Ação Social. Um estudo de Teoria Social com especial
referência a um grupo de autores europeus recentes. Vol. 1. Marshall, Pareto, Durkheim.
Petrópolis-RJ: Ed. Vozes, ano?
SELL, C. E. “Sociologia clássica: análise crítico-comparativa”. In: Sociologia clássica: Marx,
Durkheim e Weber. 7. Ed. Petrópolis-RJ: Vozes. 2015, p. 155-176.
TURNER; BEEGHLEY e POWERS (2016). “A emergência das perspectivas teóricas
contemporâneas”. In: A Emergência da Teoria Sociológica Contemporânea. Tradução de
Caesar Souza. Petrópolis-RJ: Vozes. 2016, p. 393-438.
WEBER, Max. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. Tradução de José Marcos
Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
ANEXO (Apostila / Exercício Analítico)

CIDADÃO (Lucio Barbosa)

“Tá vendo aquele edifício moço? Aqui não pode estudar


Ajudei a levantar Esta dor doeu mais forte
Foi um tempo de aflição Por que que eu deixei o norte
Eram quatro condução Eu me pus a me dizer
Duas pra ir, duas pra voltar Lá a seca castigava mas o pouco
Hoje depois dele pronto que eu plantava
Olho pra cima e fico tonto Tinha direito a comer
Mas me chega um cidadão
E me diz desconfiado, tu tá aí Tá vendo aquela igreja moço?
admirado Onde o padre diz amém
Ou tá querendo roubar? Pus o sino e o badalo
Meu domingo tá perdido Lá enchi minha mão de calo
Vou pra casa entristecido Lá eu trabalhei também
Dá vontade de beber Lá sim valeu a pena
E pra aumentar o meu tédio Tem quermesse, tem novena
Eu nem posso olhar pro prédio E o padre me deixa entrar
Que eu ajudei a fazer Foi lá que cristo me disse
Rapaz deixe de tolice
Tá vendo aquele colégio moço? Não se deixe amedrontar
Eu também trabalhei lá
Lá eu quase me arrebento Fui eu quem criou a terra
Pus a massa fiz cimento Enchi o rio fiz a serra
Ajudei a rebocar Não deixei nada faltar
Minha filha inocente
Vem pra mim toda contente Hoje o homem criou asas
Pai vou me matricular E na maioria das casas
Mas me diz um cidadão Eu também não posso entrar.”
Criança de pé no chão
O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO
- Vinícius de Moraes (1959 )

Era ele que erguia casas Mas fosse comer tijolo!


Onde antes só havia chão. E assim o operário ia
Como um pássaro sem asas Com suor e com cimento
Ele subia com as casas Erguendo uma casa aqui
Que lhe brotavam da mão. Adiante um apartamento
Mas tudo desconhecia Além uma igreja, à frente
De sua grande missão: Um quartel e uma prisão:
Não sabia, por exemplo Prisão de que sofreria
Que a casa de um homem é Não fosse, eventualmente
um templo Um operário em construção.
Um templo sem religião
Como tampouco sabia Mas ele desconhecia
Que a casa que ele fazia Esse fato extraordinário:
Sendo a sua liberdade Que o operário faz a coisa
Era a sua escravidão. E a coisa faz o operário.
De forma que, certo dia
De fato, como podia À mesa, ao cortar o pão
Um operário em construção O operário foi tomado
Compreender por que um De uma súbita emoção
tijolo Ao constatar assombrado
Valia mais do que um pão? Que tudo naquela mesa
Tijolos ele empilhava - Garrafa, prato, facão -
Com pá, cimento e Era ele quem os fazia
esquadria Ele, um humilde operário,
Quanto ao pão, ele o Um operário em construção.
comia...
(EXERCÍCIO ANALÍTICO)

1- Identifique os fenômenos sociais (acontecimentos) sobre as relações de ordem e


conflito, integração e desintegração social a partir da letra musical e dos versos poéticos
apresentados.
2- Selecione trechos das letras musicais e poéticas acima e analise como as
contribuições teóricas discutidas nas perspectivas teóricas clássicas e contemporâneas
ajudam a interpretar os fenômenos sociais identificados.