Você está na página 1de 9

DUREZA

 É uma propriedade mecânica relacionada à resistência que


um material, quando pressionado por outro material ou
por marcadores padronizados, apresenta ao risco ou à
formação de uma marca permanente.
 A dureza depende diretamente das forças de ligação entre
os átomos, íons ou moléculas e do estado do material
(processo de fabricação, tratamento térmico, etc.)

MEDIDA DA DUREZA

Maneira rápida, barata e não destrutiva de avaliar a


resistência mecânica de um material

O ENSAIO DE DUREZA

Existem 2 tipos de ensaios:


 Estáticos
 Dinâmicos

- A maioria dos ensaios de dureza estáticos consistem na


impressão de uma pequena marca feita na superfície da peça,
pela aplicação de pressão, com uma ponta de penetração.
- A medida da dureza do material é dada em função das
características da marca de impressão e da carga aplicada.
1
PRINCIPAIS ENSAIOS DE DUREZA ESTÁTICOS

 Ensaio de dureza Brinnel


 Ensaio de dureza Rockwell
 Ensaio de dureza e microdureza Vickers e Knoop

2
CARACTERÍSTICAS DOS PENETRADORES USADOS
EM DIFERENTES ENSAIOS DE DUREZA ESTÁTICOS

3
ESCALAS DE DUREZA

4
DUREZA BRINELL (1900)

Foi o primeiro ensaio de dureza por penetração padronizado e


reconhecido industrialmente

Dureza= carga de impressão (N ou Kgf) = P


área da calota impressa (mm2) S

 Há tabelas que fornecem o valor da dureza Brinell a partir


dos diâmetros da impressão em função da carga utilizada e
do diâmetro da esfera
 Quanto maior o diâmetro da calota impressa mais mole é o
material

5
O USO DE QUALQUER CARGA E QUALQUER
DIÂMETRO DE ESFERA NÃO PRODUZEM NUM
MESMO MATERIAL VALORES IDÊNTTICOS DE
DUREZA

Portanto, deve-se escolher cargas (P) e diâmetros de esferas (D)


em que:

P/D2= constante (K)


0,3D < d < 0,6D
ESCOLHA DO TIPO DE ESFERA (AÇO OU CARBONETO
DE TUGSTÊNIO)
Depende da faixa de dureza do material
Esfera de aço para durezas menores que 430 HB

ESCOLHA DO DIÂMETRO DA ESFERA E DA CARGA


Depende da faixa de dureza do material, dimensões da peça, etc.
No entanto quanto maior a esfera, maior é a área abrangida na
medida de dureza, ou seja, mais representativo é seu valor, que é
importante principalmente para materiais com microestrutura
heterogênea.

LIMITE DE ESPESSURA
e 2d

LIMITE DE RAIO DE CURVATURA

6
r 5D
VALORES DE DUREZA EM FUNÇÃO DA RELAÇÃO P/D2
P/D2 Dureza Materiais Ensaiados
Kgf/mm2
30 90-415 - Aços e ferros fundidos
10 30-140 - Cobre, alumínio e suas ligas mais
duras
5 15-70 - Ligas anti-fricção, cobre, alumínio e
suas ligas mais moles
2,5 Até 30 - Chumbo, estanho, antimônio e
metais patentes

VALORES DE P/D2 E DE DIÂMETROS DE ESFERA RECOMENDADOS


NO ENSAIO DE DUREZA BRINELL

Diâmetro da P= 30D2 P= 10D2 P= 5D2 P= 2,5D2


Esfera Kgf Kgf Kgf Kgf
D em mm
10 3000 1000 500 250
5 750 250 125 62,5
2,5 187,5 62,5 31,2 15,6

RECOMENDAÇÃO
Sempre que possível utilizar o maior valor para a relação
P/D2 e a esfera de maior diâmetro

LIMITAÇÃO DO MÉTODO BRINELL


Não pode ser utilizado para peças muito finas e não é aplicável à
materiais muito duros, como aço duro temperado, metal duro e
outros de dureza idêntica ou superior à das esferas penetradoras.
7
CORRELAÇÃO ENTRE A DUREZA BRINELL E A
RESISTÊNCIA À TRAÇÃO

=  . HB

ESTA RELAÇÃO NÃO DEVE SER APLICADA PARA


DUREZAS MAIORES QUE 380 HB (a partir desse valor a
dureza aumenta muito mais que a resistência)

Eleani M. da Costa
9