Você está na página 1de 3

Instrução - Trabalho de Grau A de Técnicas de Construção

I. Objetivo geral do trabalho

O presente trabalho consiste em elaborar o PROJETO EXECUTIVO DE


IMPERMEABILIZAÇAÃ O de uma edificaçaã o residencial multifamiliar. O projeto
executivo de impermeabilizaçaã o elaborado deve atender ao disposto na NBR
9575/2010 Impermeabilizaçaã o – Seleçaã o e projeto, no item 6.2.3.3, alííneas a, b, c,
d e e (a alíínea f naã o precisa ser atendida).
Uma planta de arquitetura de cada pavimento do edifíício deve ser apresentada.
A escolha do edifíício para estudo e das suas caracteríísticas arquitetoô nicas eí livre,
ressalvado que pelo menos um pavimento do edifíício deve possuir aí rea com
terraço impermeabilizado.
Deveraã o ser identificadas em planta as quatro solicitaçoã es de umidade
previstas pela NBR 9575/2010, conforme as hachuras a seguir:

Umidade imposta pela aí gua de condensaçaã o (zigzag)


Umidade imposta pela aí gua de percolaçaã o (line)
Umidade imposta peí la aí gua do solo (net3)
Umidade imposta pelo fluido sopb pressaã o unilateral ou bilateral
(square)

Das quatro possííveis solicitaçoã es de umidade, o grupo deveraí escolher três


para detalhar. Para uma das treô s situaçoã es escolhidas para detalhar, o grupo deve
apresentar DUAS soluções de impermeabilizaçaã o tecnicamente adequadas, as
quais deveraã o ser comparadas entre si atraveí s de levantamento de custos dos
materiais utilizados (naã o eí necessaí rio o levantamento de custos com maã o-de-
obra).
O detalhamento deveraí conter a identificaçaã o das camadas que compoã em as
soluçoã es de impermeabilizaçaã o adotadas, contemplando os transpasses, raios,
alturas, inclinaçoã es, etc., conforme a norma e/ou recomendaçoã es dos fabricantes.
Este deve ser indicado tambeí m em planta baixa.

II. Estrutura do trabalho:


A versaã o final do trabalho deveraí conter todas as plantas dos pavimentos da
edificaçaã o estudada contendo a localizaçaã o e a identificaçaã o do tipo de
impermeabilizaçaã o e os detalhes construtivos propostos para a soluçaã o da
interfereô ncia da impermeabilizaçaã o com os demais elementos construtivos da
edificaçaã o. Complementarmente deveraí ser apresentado um memorial descritivo
com os materiais utilizados para cada caso e a forma de execuçaã o detalhada.
Tambeí m devem ser identificados os referenciais teoí ricos (textos da internet,
livros e revistas teí cnicas, cataí logos de fabricantes, etc.) selecionados para a
descriçaã o das soluçoã es propostas no memorial descritivo da impermeabilizaçaã o,
aleí m dos sistemas escolhidos para detalhamento e orçamentaçaã o.
III. Critérios de avaliação:
 Execuçaã o de hachuras identificando os tipos de impermeabilizaçaã o: 0,5
ponto
 Detalhamento das teí cnicas de impermeabilizaçaã o escolhidas, atraveí s
de esquemas em planta: 1,0 ponto
 Memorial descritivo com as teí cnicas de execuçaã o e materiais
escolhidos para cada caso de impermeabilizaçaã o, bem como a segunda
opçaã o para um dos casos detalhados: 1,5 ponto
 Orçamento comparativo das duas soluçoã es do sistema de
impermeabilizaçaã o propostas: 1,0 ponto
 Apresentaçaã o oral: 1,0 ponto

IV. Observações:
 O trabalho escrito deve ter em torno de 15 paí ginas;
 A apresentaçaã o deveraí ter tempo de duraçaã o entre 15 e 20 minutos, nem
mais nem menos;
 O trabalho em grupo permitiraí ao aluno ao mesmo tempo em que estuda o
conteuí do das disciplinas, aprender a decidir, a avaliar, treinar a capacidade
de ouvir e respeitar opinioã es diferentes, de argumentar e dividir tarefas.
 Grupo 1: Ana Caroline, Gerson Vargas, Jean da Silveira, Marco
Antoô nio, Osmar de Andrade
 Grupo 2: Joseí de Souza, Lucas Champe, Mauro Braga, Nathalya
Florencio, Willy da Silva
 Grupo 3: Ana Paula, Andre Milan, Letíícia, Marcelo Lara, Nolae,
 Grupo 4: Catherine Angelo, Ismael Figuerola, Samir Parreira,
Maria Jaciara, Gabriel Simoã es
 Grupo 5: Brian Macedo, Gustavo Silva, Viníícius Cunha, Milena
Borba, Gabriel Medeiros
 Grupo 6: Antoô nio Eleandro, Eduardo leite, Moises de Oliveira,
Quizi Silva, Ricardo Mussoi

V. Sugestões de Bibliografia:
 AZEREDO, H. A. O edifício até a sua cobertura. Saã o Paulo, Edgard Blucher,
1997, 2ª ediçaã o.
 BORGES, A. C. Prática das pequenas construções. Saã o Paulo, Edgard
Blucher, 1997, 9ª ediçaã o.
 CARDAÃ O, C. Técnica da Construção. Belo Horizonte: Edições
Engenharia e Arquitetura, 1979, Vol. 1 e 2.
 GEHBAUER, F. Planejamento e Gestão de Obras. Curitiba: Editora CEFET-
PR, 2002.
 GIAMUSSO, S. E. Orçamento e Custos na Construção Civil. Saã o Paulo:
Editora PINI, 1991.
 GUEDES, M. F. Caderno de Encargos. Saã o Paulo: Editora PINI, 1987
 PIANCA, Joaã o B. Manual do Construtor. Porto alegre: Globo, 1980.
 PIRONDI, Z., Manual Prático de Impermeabilização e de Isolação
Térmica. Saã o Paulo: 1988.
 FIORITO, A. J. S. Manual de Argamassa e Revestimentos. Saã o Paulo:
Editora PINI, 1994.
 YAZIGI, W. A Técnica de Edificar. Saã o Paulo: Editora PINI, 1998.
 RIPPER, E. Como Evitar Erros na Construção. Saã o Paulo: Editora
Pini,1984.
 REGO, Naí dia Vilela Almeida de. Tecnologia das Edificações. RJ. LTC, 2005,
134p.
 SABBATINI, F. H, BAIÍA, L. L. M. Primeiros Passos da Qualidade no
Canteiro de Obras. Projeto e Execução de Revestimento de
Argamassa. Saã o Paulo: Editora O Nome da Rosa, 2000.
 TCPO 2003. Tabelas de composição de preços para orçamentos. 12ª ed.
Saã o Paulo. PINI, 2003.
 ABNT NBR 15575: Desempenho de Edificações Habitacionais. Rio de
Janeiro, 2013.

Não se esqueça de gentilmente perguntar ao Profissional responsável pela


Visita Técnica se existe alguma restrição de registros fotográficos no canteiro
de obras!

Lembre-se que logo você será um profissional em sua referida área e este
cenário de simulações é muito produtivo e sadio para sua formação técnica!