Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO

FAET – FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIAS


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

BIOLOGIA APLICADA

Relatório de aula prática solicitado


pela professor João Batista Lima,
para a composição da nota
bimestral da disciplina de Biologia
Aplicada.
Discente: Pedro Paulo de Arruda.

CUIABÁ – MT
NOVEMBRO – 2017
RELATÓRIO № 01

PREPARAÇÃO DE LAMINAS PARA MICROSCOPIA.

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...............................................................................................03

2 REFERENCIAL TEÓRICO.............................................................................03

3 OBJETIVOS...................................................................................................03

3.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS...................................................................... 03

4 MATERIAIS ...................................................................................................04

5 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL.............................................................04

6 RESULTADOS...............................................................................................07

7 CONCLUSÃO................................................................................................07

8 REFERÊNCIAS.............................................................................................08

2
1. INTRODUÇÃO

Membranas mucosas são estruturas que formam superfícies úmidas da


cavidade do corpo, que se comunica com o meio externo. Constituída pela
associação de epitélio mais tecido conjuntivo.
A observação de células da mucosa bucal em microscópio óptico é uma
pratica simples, que nos permite conhecer com maior clareza a organização
celular básica, ou seja, a membrana, o citoplasma e o núcleo Os
conhecimentos sobre as células progridem com aperfeiçoamento dos métodos
de investigação.

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

As lâminas para observar células da boca necessitam de corante. O


procedimento, no entanto, também é bastante simples.
Veja só:
Inicialmente raspe levemente o interior da boca com um espátula;
Posteriormente, passe o material coletado sobre uma lâmina;
Coloque uma gota de fucsina;
Cubra o material com a lamínula.
Observe que, apesar do uso do corante, o procedimento é o mesmo
daqueles citados anteriormente. A partir dessa idéia básica, é possível
observar outras estruturas no microscópio, como micro-organismos presentes
em uma gota de água.

3. OBJETIVO GERAL

Abordagem geral dos métodos de preparação de lâminas e materiais


biológicos para microscopia;

3.1 OBJETIVO ESPECIFICO


Utilização do microscópio;
Analise de células eucarióticas em lamina fixada e corada;

3
Analise de Procariontes – bactérias eventualmente presente nas células do
epitélio da boca e em laminas pré-fixadas e coradas.

4. MATERIAIS

Os materiais e equipamentos que foram utilizados seguem na tabela 1


abaixo:
Tabela 1– materiais e equipamentos.
Vidrarias e equipamentos utilizados

Algodão Bico de Busen


Laminas para Microscopia Espátula
Microscópio

Soluções

Álcool Iodado Óleo de Imersão


Solução de Fucsina Solução de éter etílico

5. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

Os procedimentos a seguir são referentes à execução do experimento


realizado no laboratório de microbiologia, sendo este orientado pelo professor;
1- Foi preparado um local em cima da bancada para efetuar os
procedimentos, aonde é feita a assepsia;
2- O microscópio foi preparado de acordo com as necessidades do
operador do experimento;
3- Foi escolhida a lamina que foi utilizada na preparação da amostra e
observação do experimento;
4- Depois de feita a escolha da lamina, foi flambada a lamina, utilizando o
bico de bunsen, sendo realizado esse processo três vezes de cada lado;
5- A espátula foi higienizada, primeiramente com água corrente e depois
com álcool iodado.
6- Foram retiradas as células da cavidade oral, e realizada o esfregaço,
que consiste no espalhamento da amostra horizontalmente de forma que a
amostra ficasse homogênea;

4
7- Após o esfregaço foi feita a cobertura por completo da amostra com
fucsina, deixando secar por um minuto, sendo logo após retirado o excesso
com água corrente;
8- Depois do cobrimento da amostra, foi secagem da lamina na área de
assepsia;
9- Após secagem da lamina foi acoplada ao microscópio para observação
da amostra;
10- No microscópio foi realizada as observações de acordo com as lentes
de aumento, começando pela lente de menor aumento, porem antes de passar
para a ultima lente de cor branca, foi colocado o óleo de imersão.
11- Após analise foi feito o registro fotográfico da amostra, para efetuar os
devidos comentários no relatório técnico;
12- Finalizando o experimento foi realizada a descontaminação antes de se
retirar do laboratório.

Nas imagens abaixo o desenvolvimento do experimento.

Figura 01: cobrimento da lamina com corante.

5
Figura 02: secagem da lamina.

Figura 03: observação da lamina no microscópio.

RESÍDUOS GERADOS
As laminas utilizadas deveram ser descartadas em local apropriado
dentro do laboratório, bem como deve ser feita a descontaminação de quem
fez a manipulação do experimento.

6
6. RESULTADOS E DISCUSSÕES

Durante o início da visualização ao microscópio óptico ou de luz na


objetiva 5x, notou-se de imediato a possibilidade de visualização do núcleo das
células epiteliais da bochecha, isso devido ao destaque da forte cor presente
À proporção que foi mudando-se de objetiva de 5x para 10x e
conseqüentemente para 40x, notou-se uma pequena diferença entre os
núcleos observados, no qual alguns deles encontravam-se no formato
arredondado e outros mais alongados.
Ao proceder para a objetiva 100x pode-se visualizar alguns
microorganismos, bactérias da língua, porém não com tanta perfeição quanto à
visualização das células epiteliais.

Figura 04: exemplo de uma observação da lamina no microscópio.

7. CONCLUSÃO

O objetivo desta prática foi realizado com pleno êxito. O uso do


microscópio nos possibilitou a observação de células, que são invisíveis a olho
humano. Usamos um corante que nos propiciou uma noção da estrutura das
células, infelizmente não pudemos diferenciar o núcleo e os limites de
membranas e citoplasma.
A partir do experimento realizado em laboratório concluímos que: A aula
pratica em laboratório facilita o aprendizado do aluno; experimentos de analises
de células; o uso de microscópios; a facilidade de olhar as células; e aprimorar
mais os conhecimentos sobre a célula bucal.

7
8. Referências

JUNQUEIRA, Luiz C.; CARNEIRO, José. Histologia Básica. 11. ed. Rio de
Janeiro, Guanabara Koogan, 2008. 66p.
JUNQUEIRA, Luis C.Uchôa; Carneiro, José. Biologia celular e molecular;
8.ed.-Rio de Janeiro:Guanabara Koogan,2005.