P. 1
O que são organelas

O que são organelas

4.67

|Views: 72.010|Likes:
Publicado portiagofabiosc1992

More info:

Published by: tiagofabiosc1992 on Sep 21, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/26/2013

pdf

text

original

O que são organelas?

Hi darling! Olha, vou explicar resumidamente e dar a função de cada uma, o que ninguém fez até agora. Organelas são pequenos "departamentos" dentro de uma célula, cada uma com uma função, e são elas que fazem com que a célula trabalhe corretamente. O CITOPLASMA é a parte da célula que fica entre a membrana e o núcleo. É um material gelatinoso e homogênio. E é lá que as organelas ficam. *********ORGANELAS DAS CÉLULAS ANIMAIS************ - MEMBRANA PLASMÁTICA - Uma pequena película que envolve a célula e controla todas as substâncias que saem e entram. - RIBOSSOMOS - Responsável pela fabricação de proteínas. - RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO - São pequenas veias que trasportam os nutrientes nescessários para qualquer lugar da célula. - COMPLEXO DE GOLGI (Se fala Goldi) - Responsável pelo "empacotamento" de proteínas que serão lançadas para fora da célula. - LISSOSOMOS - Responsáveis pela destruição das partes velhas e gastas das células. - MITOCÔNDRIAS - Responsáveis pela respiração celular. - O NÚCLEO - É o centro da célula, comanda tudo. É ele que contém também o RNA (DNA). - CENTRÍOLOS - São pequenos cilindros que ajudam os movimentos dos cromossomos na divisão das células. ****************ORGANELAS VEGETAIS***************** Tdas as organelas animais, porém com: - CLOROPLASTOS - Responsável pela realização da fotossíntese. - VACÚOLOS - Responsável pelo controle de água na célula. - PAREDE CELULAR OU CELULOSÉICA - Responsável pela rigidez da célula. Bem, é só isso e espero que você fique craque na matéria. Até! Kisses.

Outras Respostas (6)
resposta resumo sobre O que são organelas=Na biologia, particularmente na biologia

celular e na citologia, o termo organelo (ou organela, organito, orgânulo ou organóide) é usado para descrever várias estruturas com funções especializadas, suspensas no citoplasma das células vivas. Os organelos foram historicamente identificados com o uso de alguma forma de microscópio e através do fraccionamento de células. Segundo definições mais recentes, organela é uma estrutura envolta por membrana lipoprotéica presente nas células eucariontes e que realiza funções especializadas. Segundo uma teoria geralmente aceita, alguns organelos foram provavelmente originados a partir de bactérias endosimbiontes: * cloroplasto * mitocôndria e o próprio * núcleo celular Outros organelos foram aparentemente formados por invaginação da membrana celular e subsequente especialização: * retículo endoplasmático * aparelho de Golgi ou complexo de Golgi * vacúolos * vesículas * miofibrilha Há ainda outros organelos que parecem ser originados a partir de vesículas do retículo endoplasmático ou do aparelho de Golgi, com substâncias específicas: * lisossoma * centríolo * plastídeos (para além dos cloroplastos) * peroxissoma * ribossoma Outras estruturas relacionadas: * flagelo * citosol * proteassoma * sistema endomembrânico * nucleossoma * microtúbulo * membrana celular * hidrogenossomo

Fonte(s):
O termo organela é usado para descrever várias estruturas com funções especializadas, suspensas no citoplasma das células vivas. Organela é uma estrutura envolta por membrana lipoprotéica presente nas células eucariontes e que realiza funções especializadas.
o o

Bloquear

Organelas são estruturas da célula que possuem função especializada. Seriam como pequenos órgãos. Organelas são estruturas com funções especializadas, suspensas no citoplasma das células vivas.
o o

Bloquear

Na biologia, particularmente na biologia celular e na citologia, o termo organelo (ou organela, organito, orgânulo ou organóide) é usado para descrever várias estruturas com funções especializadas, suspensas no citoplasma das células vivas.
o

Bloquear

Estruturas delimitadas por membranas, sendo que as presentes em praticamente todas as células eucarióticas são: reticulo endoplasmatico, complexo de Golgi, lisossomos, peroxissomos e mitocôndrias. Suor é: Suor (às vezes também chamado de transpiração) é a perda de fluido líquido, consistido principalmente de cloreto de sódio e uréia em solução, que é secretado pelas glândulas sudoríparas na pele de mamíferos. Nos humanos, o suor é uma forma de excretar dejetos de nitrogênio, mas é também, e fundamentalmente, formas de regular a temperatura. A evaporação de suor da superfície da pele tem um efeito refrescante. Então, na água quente, ou quando o indivíduo sente calor por causa de exercício, mais suor é produzido. Suor é aumentado por nervosismo e náusea e diminuido por resfriados. A transpiração excessiva também é chamada de hiperidrose ou hiper-hidrose. Animais com poucas glândulas de suor, como os cachorros, conseguem resultados similares ofegando, evaporando água do revestimento molhado da cavidade oral e faringe.

Osmose: A osmose é o nome dado ao movimento da água entre meios com concentrações diferentes de solutos separados por uma membrana semipermeável. É um processo físico importante na sobrevivência das células. A osmose pode ser vista como um tipo especial de difusão em seres vivos. A água movimenta-se sempre de um meio hipotônico (menos concentrado em soluto) para um meio hipertônico (mais concentrado em soluto) com o objetivo de se atingir a mesma concentração em ambos os meios (isotônicos) através de uma membrana semipermeável, ou seja, uma membrana cujos poros permitem a passagem de moléculas de água, mas impedem a passagem de outras moléculas. A osmose ajuda a controlar o gradiente de concentração de sais em todas as células vivas. Este tipo de transporte não apresenta gastos de energia por parte da célula, por isso é considerado um tipo de transporte passivo. Esse processo está relacionado com a pressão de vapor dos líquidos envolvidos que é regulada pela quantidade de soluto no solvente. Difusão facilitada Difusão facilitada é uma modalidade de difusão - transporte passivo, em que as moléculas atravessam a membrana celular com a assistência de uma proteína transportadora específica localizada em alguma membrana biológica. Assim, este tipo de difusão se diferencia dos demais uma vez que sua velocidade de difusão tende a uma velocidade máxima constante a medida que se aumenta a concentração da substância a ser difundida. O mecanismo responsável por limitar a velocidade da difusão facilitada se embasa no fato da substância transportada ligar-se a uma parte específica da proteína transportadora (um sítio específico). Dessa forma, quando todos esses sítios estiverem "ocupados", não adianta aumentar a concentração da substância a ser transportada. É premente para o aumento da velocidade que antes tais sítios sejam desocupados, para que a proteína tenha atividade. Entre as substâncias, que atravessam as membranas biológicas por difusão facilitada, destacam-se a glicose e grande parte dos aminoácidos. o nome da enzima facilitadora: Permease.

ATP

Trifosfato de adenosina
Estrutura química da molécula de ATP.

Modelo tridimensional da molécula de ATP. Trifosfato de adenosina, adenosina trifosfato ou simplesmente ATP, é um nucleotídeo responsável pelo armazenamento de energia em suas ligações químicas. É constituída por adenosina, um nucleosídeo, associado a três radicais fosfato conectados em cadeia. A energia é armazenada nas ligações entre os fosfatos. O ATP armazena energia proveniente da respiração celular e da fotossíntese, para consumo posterior. A molécula atua como uma moeda celular, ou seja, é uma forma conveniente de transportar energia. Esta energia pode ser utilizada em diversos processos biológicos, tais como o transporte ativo de moléculas, síntese e secreção de substâncias, locomoção e divisão celular, entre outros. Para estocagem a longo prazo, a energia pode ser transferida para carboidratos e lipídios. As principais formas de produção do ATP são a fosforilação oxidativa e a fotofosforilação. Um radical fosfato inorgânico (Pi) é adicionado a uma molécula de ADP(adenosina difosfato), utilizando energia proveniente da decomposição da glicose (na fosforilação oxidativa) ou da luz (na fotofosforilação). Existem enzimas especializadas no rompimento desta mesma ligação, liberando fosfato e energia, usada nos processos celulares, gerando novamente moléculas de ADP. Em certas ocasiões, o ATP é degradado até sua forma mais simples, o AMP (adenosina monofosfato), liberando dois fosfatos e uma quantidade maior de energia. Estima-se que o corpo humano adulto produza cerca de 80 quilos de moléculas de ATP a cada 24 horas, porém consumindo outros tantos no mesmo período. Se a energia gerada na queima da glicose não fosse armazenada em moléculas de ATP, provavelmente as células seriam rapidamente destruídas pelo calor gerado. Celulas A célula representa a menor porção de matéria viva. São as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos. Podem ser comparadas aos tijolos de uma casa. Cada

tijolo seria como uma célula. Alguns organismos, tais como as bactérias, são unicelulares (consistem em uma única célula). Outros organismos, tais como os seres humanos, são pluricelulares[1]. Os seres humanos possuem aproximadamente 100 trilhões de células; um tamanho de célula típico é o de 10 µm; uma massa típica da célula é 1 nanograma. Em 1837, antes de a teoria final da célula estar desenvolvida, um cientista tcheco de nome Jan Evangelista Purkyňe observou “pequenos grãos” ao olhar um tecido vegetal através de um microscópio. A teoria da célula, desenvolvida primeiramente em 1839 por Matthias Jakob Schleiden e por Theodor Schwann, indica que todos os organismos são compostos de uma ou mais células. Todas as células vêm de células preexistentes. As funções vitais de um organismo ocorrem dentro das células, e todas elas contêm informação genética necessária para funções de regulamento da célula, e para transmitir a informação As células foram descobertas em 1665 pelo inglês Robert Hooke. Ao examinar em um microscópio rudimentar, uma fatia de cortiça, verificou que ela era constituída por cavidades poliédricas, às quais chamou de células (do latim "cella", pequena cavidade). Na realidade Hooke observou blocos hexagonais que eram as paredes de células vegetais mortas[1]. Em 1838 Matthias Schleiden e Theodor Schwann, estabeleceram o que ficou conhecido como teoria celular: "todo o ser vivo é formado por células". As células são envolvidas pela membrana celular e preenchidas com uma solução aquosa concentrada de substâncias químicas, o citoplasma em que se encontram dispersos organelos (por vezes escrito organelas, organóides, orgânulos ou organitos). As formas mais simples de vida são organismos unicelulares que se propagam por cissiparidade. As células podem também constituir arranjos ordenados, os tecidos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->