Você está na página 1de 23

18/09/2018

(FCC/SABESP/2018) A empresa Compra e Vende Comércio S.A. adquiriu mercadorias para


revenda e incorreu nos seguintes gastos durante o ano de 2017:

− Pagamento ao fornecedor das mercadorias: R$ 862.500,00.


− Valor do frete para transporte das mercadorias até a empresa: R$ 40.500,00 que foram
pagos após 30 dias da data da compra.
− Pagamento de seguro para transporte das mercadorias até a empresa: R$ 60.000,00.

Nos diversos valores pagos ou a pagar para dispor das mercadorias estavam incluídos
tributos recuperáveis que totalizavam R$ 67.500,00 e tributos não recuperáveis que
totalizavam R$ 48.000,00.

A empresa obteve durante o ano abatimentos sobre as compras efetuadas no valor de R$


90.000,00. Sabe-se que o estoque inicial de mercadorias era R$ 300.000,00 e que no final
do período o saldo apresentado era R$ 225.000,00.

1
18/09/2018

O preço de venda das mercadorias vendidas foi R$ 1.305.000,00, e a empresa concedeu um


desconto de 5% ao comprador em função do volume negociado. Os tributos incidentes
sobre as vendas realizadas totalizaram o valor de R$ 129.750,00.

Adicionalmente, a empresa incorreu nos seguintes gastos relacionados com a venda


efetuada:

− Pagamento de frete no valor de R$ 12.000,00 para a entrega das mercadorias vendidas.


− Pagamento de comissão para os vendedores no valor de R$ 18.000,00.
− Despesas gerais no valor de R$ 60.000,00.

Considerando as informações apresentadas anteriormente, o Custo das Mercadorias


Vendidas (CMV) e o valor do Resultado Bruto com Vendas (Lucro bruto) são,
respectivamente, em reais,

(A) 880.500,00 e 424.500,00. (B) 880.500,00 e 229.500,00. (C) 780.000,00 e 330.000,00.


(D) 880.500,00 e 199.500,00. (E) 780.000,00 e 300.000,00.

(FCC/SABESP/2018) A empresa Não Compro Nada S.A. realizou um contrato de arrendamento


mercantil financeiro para a aquisição de um caminhão. O contrato será pago em 36 parcelas
mensais de R$ 16.067,50 e uma parcela adicional no valor de R$ 50.000,00 que deverá ser
paga juntamente com a 24a parcela mensal. As demais informações sobre o contrato são as
seguintes:

− Data do contrato: 01/12/2016


− Taxa implícita de juros do contrato: 1,2% ao mês
− Valor presente das parcelas em 01/12/2016: R$ 500.000,00
− Valor justo do caminhão em 01/12/2016: R$ 550.000,00
− Vida útil do caminhão para a empresa: 7 anos
− Valor residual esperado de venda do caminhão: R$ 164.000,00

O valor total das despesas que afetaram o resultado de dezembro de 2016, decorrentes do
contrato de arrendamento mercantil financeiro citado foi, em reais,

(A) 64.600,00. (B) 10.600,00. (C) 16.067,50. (D) 6.000,00. (E) 10.000,00.

2
18/09/2018

(FCC/SABESP/2018) A Cia. de Águas Marítimas adquiriu um estoque de mercadorias para


revenda no valor de R$ 500.000,00. A compra foi realizada no dia 30/12/2017, o prazo para
pagamento concedido pelo fornecedor foi de 300 dias e sabe-se que o preço das mercadorias
seria R$ 453.000,00 se a compra fosse efetuada à vista. A Cia. de Águas Marítimas pagou,
adicionalmente, R$ 7.000,00 referente a frete e seguro para retirada das mercadorias junto
ao fornecedor. A Cia. possui um estudo estatístico confiável e auditado por empresa
independente e avalia, por este modelo, que as perdas de estoque, em função do seu
processo de armazenagem e distribuição, representa 2% do valor total de cada compra. Com
base nestas informações, os valores líquidos reconhecidos pela Cia. de Águas Marítimas nas
demonstrações contábeis de 2017 foram:
(A) Estoque = 453.000,00; Fornecedores a Pagar = 500.000,00; Despesa com Frete = 7.000,00;
Despesa Financeira = 47.000,00.
(B) Estoque = 443.940,00; Fornecedores a Pagar = 453.000,00; Despesa com Frete = 7.000,00;
Despesa com Impairment = 9.060,00.
(C) Estoque = 507.000,00; Fornecedores a Pagar = 500.000,00.
(D) Estoque = 450.800,00; Fornecedores a Pagar = 453.000,00; Despesa com Impairment =
9.200,00.
(E) Estoque = 460.000,00; Fornecedores a Pagar = 500.000,00; Despesa Financeira =
47.000,00.

(FCC/ISS SL/2018) Em 31/12/2016, uma empresa realizou vendas totais no valor de R$


1.075.000,00, sendo que R$ 500.000,00 foram vendidos à vista e o saldo remanescente será
recebido integralmente após 15 meses. A empresa praticava a taxa de juros de 11,83% ao
ano para as suas vendas a prazo, que equivale a uma taxa de 15% no prazo de 15 meses.
Em relação às vendas efetuadas em 31/12/2016, a empresa reconheceu Receita de Vendas
no valor de

(A) R$ 1.075.000,00 no resultado do ano de 2016, apenas.


(B) R$ 500.000,00 no resultado do ano de 2016 e Receita de Vendas no valor de R$
575.000,00 no resultado do ano de 2017.
(C) R$ 1.000.000,00 no resultado do ano de 2016 e Receita Financeira no valor de R$
59.150,00 no resultado do ano de 2017.
(D) R$ 537.500,00 no resultado do ano de 2016 e Receita de Vendas no valor de R$
537.500,00 no resultado do ano de 2017.
(E) R$ 1.000.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 75.000,00, ambas no resultado do
ano de 2016.

3
18/09/2018

(FCC/TST/2017) A conta Aplicações Financeiras apresentava a seguinte composição no


Balanço Patrimonial de uma empresa, publicado em 31/12/2015:

Mensuração ao Custo Amortizado 100.000,00

Títulos Mensuração ao valor justo por meio do resultado


Valor do custo amortizado 80.000,00
Ajuste a valor justo 5.000,00

Valor total da conta Aplicações Financeiras 185.000,00

Os mensurados ao valor justo por meio de Outros Resultados Abrangentes remuneram à


taxa de juros de 10% ao ano, enquanto os títulos Mensuração ao valor justo por meio do
resultado remuneram à taxa de juros de 8% ao ano. Os valores justos destes títulos, em
31/12/2016, eram os seguintes:

Categoria dos Títulos Valor Justo em 31/12/2016 (em R$)

Mensuração ao Custo Amortizado R$ 112.000,00


Mensuração ao valor justo por meio do
resultado R$ 92.000,00

O valor total que afetou o resultado da empresa em 2016, decorrente das duas aplicações
foi, em reais,

(A) 16.800,00.
(B) 16.400,00.
(C) 17.000,00.
(D) 19.000,00.
(E) 24.000,00.

4
18/09/2018

(FCC/TST/2017) A empresa Enfeites de Natal S.A. realizou, em 31/12/2015, as seguintes


vendas de mercadorias:
− Vendas à vista no valor de R$ 1.500.000,00.
− Vendas a prazo no valor de R$ 1.650.000,00, para ser recebido em 31/12/2016.
Na data da venda, a taxa de juros que estava sendo praticada pela empresa nas vendas a
prazo era 10% ao ano. A empresa deveria reconhecer, exclusivamente em relação às vendas
efetuadas em 31/12/2015, receita de vendas no valor, em R$, de
(A) 3.150.000,00 no resultado do ano de 2015.
(B) 1.500.000,00 no resultado do ano de 2015 e Receita de Vendas no valor de R$
1.650.000,00 no resultado do ano de 2016.
(C) 1.575.000,00 no resultado do ano de 2015 e Receita de Vendas no valor de R$
1.575.000,00 no resultado do ano de 2016.
(D) 1.500.000,00 no resultado do ano de 2015, Receita de Vendas no valor de R$ 1.500.000,00
no resultado do ano de 2016 e Receita Financeira no valor de R$ 150.000,00 no resultado do
ano de 2016.
(E) 3.000.000,00 no resultado do ano de 2015 e Receita Financeira no valor de R$ 150.000,00
no resultado do ano de 2016.

(FCC/SABESP/2018) A empresa Compra e Vende Comércio S.A. adquiriu mercadorias para


revenda e incorreu nos seguintes gastos durante o ano de 2017:

− Pagamento ao fornecedor das mercadorias: R$ 862.500,00.


− Valor do frete para transporte das mercadorias até a empresa: R$ 40.500,00 que foram
pagos após 30 dias da data da compra.
− Pagamento de seguro para transporte das mercadorias até a empresa: R$ 60.000,00.

Nos diversos valores pagos ou a pagar para dispor das mercadorias estavam incluídos
tributos recuperáveis que totalizavam R$ 67.500,00 e tributos não recuperáveis que
totalizavam R$ 48.000,00.

A empresa obteve durante o ano abatimentos sobre as compras efetuadas no valor de R$


90.000,00. Sabe-se que o estoque inicial de mercadorias era R$ 300.000,00 e que no final
do período o saldo apresentado era R$ 225.000,00.

5
18/09/2018

O preço de venda das mercadorias vendidas foi R$ 1.305.000,00, e a empresa concedeu um


desconto de 5% ao comprador em função do volume negociado. Os tributos incidentes
sobre as vendas realizadas totalizaram o valor de R$ 129.750,00.

Adicionalmente, a empresa incorreu nos seguintes gastos relacionados com a venda


efetuada:

− Pagamento de frete no valor de R$ 12.000,00 para a entrega das mercadorias vendidas.


− Pagamento de comissão para os vendedores no valor de R$ 18.000,00.
− Despesas gerais no valor de R$ 60.000,00.

Considerando as informações apresentadas anteriormente, o Custo das Mercadorias


Vendidas (CMV) e o valor do Resultado Bruto com Vendas (Lucro bruto) são,
respectivamente, em reais,

(A) 880.500,00 e 424.500,00. (B) 880.500,00 e 229.500,00. (C) 780.000,00 e 330.000,00.


(D) 880.500,00 e 199.500,00. (E) 780.000,00 e 300.000,00.

(FCC/SABESP/2018) A empresa Não Compro Nada S.A. realizou um contrato de arrendamento


mercantil financeiro para a aquisição de um caminhão. O contrato será pago em 36 parcelas
mensais de R$ 16.067,50 e uma parcela adicional no valor de R$ 50.000,00 que deverá ser
paga juntamente com a 24a parcela mensal. As demais informações sobre o contrato são as
seguintes:

− Data do contrato: 01/12/2016


− Taxa implícita de juros do contrato: 1,2% ao mês
− Valor presente das parcelas em 01/12/2016: R$ 500.000,00
− Valor justo do caminhão em 01/12/2016: R$ 550.000,00
− Vida útil do caminhão para a empresa: 7 anos
− Valor residual esperado de venda do caminhão: R$ 164.000,00

O valor total das despesas que afetaram o resultado de dezembro de 2016, decorrentes do
contrato de arrendamento mercantil financeiro citado foi, em reais,

(A) 64.600,00. (B) 10.600,00. (C) 16.067,50. (D) 6.000,00. (E) 10.000,00.

6
18/09/2018

(FCC/SABESP/2018) A Cia. de Águas Marítimas adquiriu um estoque de mercadorias para


revenda no valor de R$ 500.000,00. A compra foi realizada no dia 30/12/2017, o prazo para
pagamento concedido pelo fornecedor foi de 300 dias e sabe-se que o preço das mercadorias
seria R$ 453.000,00 se a compra fosse efetuada à vista. A Cia. de Águas Marítimas pagou,
adicionalmente, R$ 7.000,00 referente a frete e seguro para retirada das mercadorias junto
ao fornecedor. A Cia. possui um estudo estatístico confiável e auditado por empresa
independente e avalia, por este modelo, que as perdas de estoque, em função do seu
processo de armazenagem e distribuição, representa 2% do valor total de cada compra. Com
base nestas informações, os valores líquidos reconhecidos pela Cia. de Águas Marítimas nas
demonstrações contábeis de 2017 foram:
(A) Estoque = 453.000,00; Fornecedores a Pagar = 500.000,00; Despesa com Frete = 7.000,00;
Despesa Financeira = 47.000,00.
(B) Estoque = 443.940,00; Fornecedores a Pagar = 453.000,00; Despesa com Frete = 7.000,00;
Despesa com Impairment = 9.060,00.
(C) Estoque = 507.000,00; Fornecedores a Pagar = 500.000,00.
(D) Estoque = 450.800,00; Fornecedores a Pagar = 453.000,00; Despesa com Impairment =
9.200,00.
(E) Estoque = 460.000,00; Fornecedores a Pagar = 500.000,00; Despesa Financeira =
47.000,00.

(FCC/ISS SL/2018) Em 31/12/2016, uma empresa realizou vendas totais no valor de R$


1.075.000,00, sendo que R$ 500.000,00 foram vendidos à vista e o saldo remanescente será
recebido integralmente após 15 meses. A empresa praticava a taxa de juros de 11,83% ao
ano para as suas vendas a prazo, que equivale a uma taxa de 15% no prazo de 15 meses.
Em relação às vendas efetuadas em 31/12/2016, a empresa reconheceu Receita de Vendas
no valor de

(A) R$ 1.075.000,00 no resultado do ano de 2016, apenas.


(B) R$ 500.000,00 no resultado do ano de 2016 e Receita de Vendas no valor de R$
575.000,00 no resultado do ano de 2017.
(C) R$ 1.000.000,00 no resultado do ano de 2016 e Receita Financeira no valor de R$
59.150,00 no resultado do ano de 2017.
(D) R$ 537.500,00 no resultado do ano de 2016 e Receita de Vendas no valor de R$
537.500,00 no resultado do ano de 2017.
(E) R$ 1.000.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 75.000,00, ambas no resultado do
ano de 2016.

7
18/09/2018

(FCC/TST/2017) A conta Aplicações Financeiras apresentava a seguinte composição no


Balanço Patrimonial de uma empresa, publicado em 31/12/2015:

Mensuração ao Custo Amortizado 100.000,00

Títulos Mensuração ao valor justo por meio do resultado


Valor do custo amortizado 80.000,00
Ajuste a valor justo 5.000,00

Valor total da conta Aplicações Financeiras 185.000,00

Os mensurados ao valor justo por meio de Outros Resultados Abrangentes remuneram à


taxa de juros de 10% ao ano, enquanto os títulos Mensuração ao valor justo por meio do
resultado remuneram à taxa de juros de 8% ao ano. Os valores justos destes títulos, em
31/12/2016, eram os seguintes:

Categoria dos Títulos Valor Justo em 31/12/2016 (em R$)

Mensuração ao Custo Amortizado R$ 112.000,00


Mensuração ao valor justo por meio do
resultado R$ 92.000,00

O valor total que afetou o resultado da empresa em 2016, decorrente das duas aplicações
foi, em reais,

(A) 16.800,00.
(B) 16.400,00.
(C) 17.000,00.
(D) 19.000,00.
(E) 24.000,00.

8
18/09/2018

(FCC/TST/2017) A empresa Enfeites de Natal S.A. realizou, em 31/12/2015, as seguintes


vendas de mercadorias:
− Vendas à vista no valor de R$ 1.500.000,00.
− Vendas a prazo no valor de R$ 1.650.000,00, para ser recebido em 31/12/2016.
Na data da venda, a taxa de juros que estava sendo praticada pela empresa nas vendas a
prazo era 10% ao ano. A empresa deveria reconhecer, exclusivamente em relação às vendas
efetuadas em 31/12/2015, receita de vendas no valor, em R$, de
(A) 3.150.000,00 no resultado do ano de 2015.
(B) 1.500.000,00 no resultado do ano de 2015 e Receita de Vendas no valor de R$
1.650.000,00 no resultado do ano de 2016.
(C) 1.575.000,00 no resultado do ano de 2015 e Receita de Vendas no valor de R$
1.575.000,00 no resultado do ano de 2016.
(D) 1.500.000,00 no resultado do ano de 2015, Receita de Vendas no valor de R$ 1.500.000,00
no resultado do ano de 2016 e Receita Financeira no valor de R$ 150.000,00 no resultado do
ano de 2016.
(E) 3.000.000,00 no resultado do ano de 2015 e Receita Financeira no valor de R$ 150.000,00
no resultado do ano de 2016.

Em 31/12/2016, a Cia. Xadrez adquiriu 70% das ações da Cia. Listrada por R$ 7.200.000,00 à
vista. Na data da aquisição, o Patrimônio Líquido da Cia. Listrada era R$ 8.500.000,00 e o valor
justo líquido dos ativos e passivos identificáveis dessa Cia. Era R$ 9.000.000,00, cuja diferença
foi decorrente de um ativo intangível com vida útil indefinida que a Cia. Listrada havia
adquirido em junho de 2014.

No período de 01/01/2017 a 31/12/2017, a Cia. Listrada reconheceu as seguintes mutações


em seu Patrimônio Líquido:

• Lucro líquido: R$ 800.000,00


• Distribuição de dividendos: R$ 300.000,00
• Ajustes acumulados de conversão de investida no exterior: R$ 100.000,00 (negativo)

9
18/09/2018

(FCC/Sabesp/Contador/2018) No ano de 2017, o impacto reconhecido na Demonstração do


Resultado da Cia. Xadrez referente ao Investimento na Cia. Listrada foi, em reais,

(A) 560.000,00.
(B) 490.000,00.
(C) 350.000,00.
(D) 210.000,00.
(E) 280.000,00.

(FCC/Sabesp/Contador/2018) O valor que a Cia. Xadrez reconheceu na conta Investimentos


em Controladas, no seu balanço individual na data da aquisição das ações, foi, em reais,

(A) 9.000.000,00.
(B) 7.200.000,00.
(C) 5.950.000,00.
(D) 6.300.000,00.
(E) 8.500.000,00.

10
18/09/2018

(FCC/ISS São Luís/2018) Uma empresa adquiriu o direito sobre uma tecnologia e definiu que a
vida útil esperada pela sua utilização será de 15 anos. O valor pago foi R$ 30.000.000,00 e,
quando terminar o prazo de vida útil, o ativo não apresentará valor para negociação. O início
de utilização do direito foi em 31/12/2014 e no final de 2015 a empresa realizou o teste de
redução ao valor recuperável (teste de “impairment”), utilizando-se das seguintes informações:
− Valor em uso da tecnologia R$ 25.700.000,00.
− Valor justo líquido das despesas de venda da tecnologia R$ 24.000.000,00.
Na demonstração do resultado do ano de 2015 a empresa
(A) reconheceu uma despesa de amortização no valor de R$ 2.000.000,00 e uma perda por
desvalorização no valor de R$ 2.300.000,00.
(B) reconheceu uma despesa de amortização no valor de R$ 2.000.000,00 e uma perda por
desvalorização no valor de R$ 4.000.000,00.
(C) não reconheceu nenhuma despesa de amortização e reconheceu uma perda por
desvalorização no valor de R$ 1.700.000,00.
(D) reconheceu uma despesa de amortização no valor de R$ 2.000.000,00, apenas.
(E) reconheceu uma perda por desvalorização no valor de R$ 4.300.000,00, apenas.

(FCC/Sabesp/Contador/2018) Em 31/12/2015 uma empresa adquiriu uma patente por R$


10.000.000,00 e poderá explorá-la pelo prazo de 20 anos. No final do prazo de exploração a
patente passa a ser de domínio público e, portanto, não terá valor residual para a empresa. No
final do ano de 2016 a empresa realizou o teste de redução ao valor recuperável (teste de
“impairment”) e obteve as seguintes informações sobre a patente:
− Valor em uso da patente R$ 8.750.000,00.
− Valor justo líquido das despesas de venda da patente R$ 8.000.000,00.
Na demonstração do resultado do ano de 2016, a empresa deveria
(A) reconhecer uma despesa de amortização no valor de R$ 500.000,00, apenas.
(B) reconhecer uma perda por desvalorização no valor de R$ 1.250.000,00, apenas.
(C) reconhecer uma despesa de amortização no valor de R$ 500.000,00 e uma perda por
desvalorização no valor de R$ 750.000,00.
(D) reconhecer uma despesa de amortização no valor de R$ 500.000,00 e uma perda por
desvalorização no valor de R$ 1.500.000,00.
(E) não reconhecer nenhuma despesa por se tratar de ativo intangível que não deve ser
amortizado.

11
18/09/2018

(FCC/Sabesp/Contador/2018) O saldo da conta Provisões evidenciado no Balanço Patrimonial


de uma empresa, em 31/12/2016, era composto dos seguintes valores:

Em 31/12/2017 a empresa obteve as seguintes informações sobre os diversos processos a que


está respondendo:

Na Demonstração do Resultado de 2017, o efeito total que a empresa reconheceu, em função


das provisões necessárias, foi

(A) despesa total no valor de R$ 1.040.000,00.


(B) receita total no valor de R$ 400.000,00.
(C) despesa total no valor de R$ 1.440.000,00.
(D) despesa total no valor de R$ 140.000,00.
(E) despesa total no valor de R$ 540.000,00.

12
18/09/2018

(FCC/Sabesp/Contador/2018) A empresa Não Compro Nada S.A. realizou um contrato de


arrendamento mercantil financeiro para a aquisição de um caminhão. O contrato será pago
em 36 parcelas mensais de R$ 16.067,50 e uma parcela adicional no valor de R$ 50.000,00
que deverá ser paga juntamente com a 24a parcela mensal. As demais informações sobre o
contrato são as seguintes:

− Data do contrato: 01/12/2016


− Taxa implícita de juros do contrato: 1,2% ao mês
− Valor presente das parcelas em 01/12/2016: R$ 500.000,00
− Valor justo do caminhão em 01/12/2016: R$ 550.000,00
− Vida útil do caminhão para a empresa: 7 anos
− Valor residual esperado de venda do caminhão: R$ 164.000,00

O valor total das despesas que afetaram o resultado de dezembro de 2016, decorrentes do
contrato de arrendamento mercantil financeiro citado foi, em reais,

(A) 64.600,00. (B) 10.600,00. (C) 16.067,50. (D) 6.000,00. (E) 10.000,00.

(FCC/Sabesp/Contador/2018) A empresa Novos Problemas S.A. nunca teve problemas com


ações de qualquer natureza, mas no ano de 2017 se deparou com alguns processos movidos
contra ela. Até o dia 31/12/2017 não ocorreu nenhuma audiência ou julgamento para
qualquer dos processos. A assessoria jurídica apresentou para a diretoria da empresa, em
31/12/2017, as informações constantes da tabela a seguir, onde constam a avaliação feita
quanto à possibilidade de perda dos diversos processos e os valores prováveis que poderão
ser desembolsados pela empresa:

13
18/09/2018

Sabendo que os valores estimados para as ações são confiáveis e as probabilidades de perda
foram avaliadas com critérios adequados, o valor total que deveria ser evidenciado como
provisão no passivo, no Balanço Patrimonial de 31/12/2017 da empresa Novos Problemas S.A.
é, em reais,

(A) 17.000.000,00. (B) 21.000.000,00. (C) 50.000.000,00. (D) 38.000.000,00. (E) 0,00 (zero).

(FCC/Analista/DPE AM/2018) O Balanço Patrimonial de 31/12/2014 de uma empresa


apresentava o saldo de R$ 1.100.000,00 na conta Provisões. A composição desta conta era a
seguinte:

Reavaliando a situação dos dois processos, a empresa identificou, em 31/12/2015, alterações


nos valores prováveis, em função de novos fatos analisados. Os novos valores prováveis para
estes processos são:

14
18/09/2018

Dois novos processos judiciais surgiram em 2015 contra a empresa e as informações sobre
eles são apresentadas a seguir:

O efeito líquido no resultado de 2015 da empresa, relacionado com as provisões necessárias


foi, em reais,

a) redução de 80.000,00.
b) aumento de 150.000,00.
c) redução de 180.000,00.
d) redução de 30.000,00.
e) aumento de 70.000,00

(FCC/AL-SE/Analista Legislativo/Contabilidade/2018) A tabela a seguir apresenta as


participações societárias que a Cia. Investe em Tudo detém das empresas investidas, Cias. A, B
e C, bem como o resultado líquido que cada uma destas empresas investidas apurou em
2017, em reais:

As Cias. A, B e C possuíam apenas ações ordinárias e não existiam resultados não realizados
entre a Cia. Investe em Tudo e suas investidas. Com base nestas informações, o Resultado de
Equivalência Patrimonial apurado pela Cia. Investe em Tudo, em 2017, foi, em reais,

(A) 80.000,00 positivo. (B) 160.000,00 negativo. (C) 155.000,00 negativo. (D) 320.000,00
positivo

15
18/09/2018

(FCC/AL-SE/Analista Legislativo/Contabilidade/2018) A Cia. Desenrola está respondendo a


processos em diversas áreas. Em 31/12/2016, apresentava as seguintes informações sobre
seus processos, com valores em reais:

Para o fechamento do Balanço Patrimonial em 31/12/2017, a Cia. reavaliou os processos nos


quais estava envolvida e obteve as seguintes informações, com valores em reais:

Com base nas informações, o impacto no resultado de 2017 decorrente da reavaliação dos
processos judiciais foi, em reais,
(A) 100.000,00 negativo. (B) 720.000,00 negativo. (C) 40.000,00 positivo. (D) 320.000,00
negativo. (E) 580.000,00 negativo.

(FCC/ARTESP/Especialista em Regulação/Contabilidade/2017) A Cia. Só Softwares iniciou em


2012 um projeto de pesquisa e desenvolvimento de um novo software. Os gastos incorridos
com a pesquisa e desenvolvimento deste novo produto estão apresentados abaixo:

Em 2012, o projeto estava na fase inicial de pesquisa. Em 2013, a Cia. iniciou a fase de
desenvolvimento, mas ainda não conseguiu demonstrar como o novo produto iria gerar
benefícios econômicos futuros para a empresa. Em 2014, conseguiu demonstrar que havia
viabilidade técnica para concluir o projeto, mas ainda não conseguiu demonstrar que haveria
demanda para tornar o produto economicamente viável. No início de 2015, a Cia. Conseguiu
demonstrar que o software era economicamente viável. A expectativa era de que o software
fosse concluído no início de 2015, no entanto, acabou sendo concluído no final de 2016, cuja
comercialização se iniciou em 2017.

16
18/09/2018

Com base nestas informações, o valor que a Cia. Só Softwares apresentou no Balanço
Patrimonial de 31/12/2016 para este novo produto foi, em reais,

(A) 310.000,00.
(B) 380.000,00.
(C) 50.000,00.
(D) 130.000,00.
(E) 250.000,00.

(FCC/ARTESP/Especialista em Regulação/Contabilidade/2017) Considere as seguintes


informações:

I. A Cia. A adquiriu 60% das ações ordinárias da Cia. B, passando a ter o controle desta.
II. A Cia. B adquiriu ações da Cia. C e as classificou como para negociação.
III. A Cia. C adquiriu da Cia. D um conjunto de computadores especiais para revendê-los.
IV. A Cia. D adquiriu títulos para manter até o vencimento, sendo este em dois anos.

Os ativos adquiridos pelas Cias. A, B, C e D foram classificados no Balanço Patrimonial das


respectivas empresas, no ativo

(A) não circulante, circulante, circulante e circulante.


(B) não circulante, não circulante, circulante e não circulante.
(C) circulante, não circulante, circulante e circulante.
(D) não circulante, circulante, não circulante e não circulante.
(E) não circulante, circulante, circulante e não circulante.

17
18/09/2018

(FCC/DPE-RS/Contabilidade/2017) A Cia. de Minérios adquiriu o direito de exploração de uma


mina de zinco por R$ 3.960.000,00 que foram pagos à vista. A capacidade total esperada de
extração da mina foi estimada em 80.000 toneladas e no primeiro ano de exploração a Cia.
extraiu 8.000 toneladas. No início do segundo ano, ao reanalisar a capacidade de produção da
mina, a Cia. de Minérios estimou que ainda havia 80.000 toneladas remanescentes e, durante
o segundo ano, fez a extração de 6.000 toneladas. O valor contábil apresentado para esta
mina, no final do segundo ano, foi, em reais,

a) 3.296.700,00
b) 3.330.000,00
c) 3.267.000,00
d) 3.960.000,00
e) 3.564.000,00

(FCC/DPE-RS/Contabilidade/2017) Em 31/12/2015 a Cia. Grampo adquiriu 80% das ações da


Cia. das Pedras por R$ 20.000.000,00 que foram pagos à vista. Na data da aquisição, o
Patrimônio Líquido contábil da Cia. das Pedras era R$ 12.000.000,00 e o valor justo líquido dos
ativos e passivos identificáveis dessa Cia. era R$ 30.000.000,00. A diferença entre o valor justo
líquido dos ativos e passivos identificáveis e o valor do Patrimônio Líquido contábil era
decorrente da variação entre o valor de custo contabilizado e o valor justo de um terreno.
No período de 1/1/2016 a 31/12/2016, a Cia. das Pedras reconheceu as seguintes mutações
em seu Patrimônio Líquido:

Lucro líquido de 2016: R$ 2.000.000,00


Distribuição e pagamento de dividendos em 2016: R$ 500.000,00

18
18/09/2018

Com base nestas informações, é correto afirmar:

a) O valor reconhecido em Investimentos pela Cia. Grampo, na data da aquisição, foi R$


20.000.000,00
b) O resultado de equivalência patrimonial do ano de 2016 foi R$ 1.200.000,00
c) O valor reconhecido em Investimentos pela Cia. Grampo, na data da aquisição, foi R$
9.600.000,00
d) O valor reconhecido no resultado, na data da aquisição, foi um ganho de R$ 4.000.000,00
e) O valor do ágio pago por expectativa de rentabilidade futura foi R$ 10.400.000,00

(FCC/DPE-RS/Contabilidade/2017) A Cia. Só Encrencas possuía alguns processos judiciais em


andamento, cujas informações em 31/12/2015 e 31/12/2016 são apresentadas abaixo.

O impacto reconhecido no resultado de 2016 e o saldo apresentado em seu Balanço


Patrimonial de 31/12/2016 foram, respectivamente,

a) uma perda de R$ 120.000,00 e um saldo de R$ 520.000,00


b) um ganho de R$ 80.000,00 e um saldo de R$ 320.000,00
c) um ganho de R$ 150.000,00 e um saldo de R$ 320.000,00
d) um ganho de R$ 30.000,00 e um saldo de R$ 370.000,00
e) uma perda de R$ 30.000,00 e um saldo de R$ 520.000,00

19
18/09/2018

(FCC/ARTESP/Técnico em Contabilidade/2017) A empresa Ferro e Fogo S.A. possuía, em


31/12/2016, em seu ativo imobilizado, uma Máquina Xtreme especializada em derretimento
de níquel utilizada na produção de ligas de aço, com os seguintes saldos:

Ao elaborar as Demonstrações Contábeis referentes ao ano de 2016, a empresa Ferro e Fogo


S. A.
a) não fez nenhum ajuste (não reconheceu perda por impairment).
b) reconheceu uma perda por desvalorização no valor de R$ 100.000,00.
c) reconheceu uma perda por desvalorização no valor de R$ 200.000,00.
d) reconheceu uma perda por desvalorização no valor de R$ 300.000,00.
e) reconheceu uma perda por desvalorização no valor de R$ 400.000,00

(FCC/ARTESP/Técnico em Contabilidade/2017) Em 02/01/2015, a empresa Paraíso S.A.


adquiriu 15% da Cia. Paulista por R$ 200.000,00 à vista. A empresa Paraíso adquiriu apenas
ações preferenciais e não possui influência na Administração da Cia. Paulista. Em 2016, a Cia.
Paulista obteve lucro líquido de R$ 60.000,00 e distribuiu dividendos no valor de R$
20.000,00. A partir dessas informações, os valores contabilizados na conta Investimentos em
31/12/2016 e no resultado de 2016 da empresa Paraíso S.A. foram, respectivamente, em
reais,

a) 200.000,00 e 3.000,00.
b) 200.000,00 e 9.000,00.
c) 206.000,00 e 6.000,00.
d) 203.000,00 e 3.000,00.
e) 206.000,00 e 9.000,00.

20
18/09/2018

(FCC/ARTESP/Técnico em Contabilidade/2017) A companhia Nordestina S.A. possuía alguns


processos judiciais, em andamento, cujas informações são dadas abaixo:

Com base nestas informações, o valor que a companhia Nordestina S.A. evidenciou no Passivo
como Provisão, em 31/12/2016, foi, em reais,

a) 133.000,00.
b) 65.000,00.
c) 124.000,00.
d) 90.000,00.
e) 99.000,00.

(FCC/ARTESP/Técnico em Contabilidade/2017) Ativos Intangíveis com vida útil indefinida são


mensurados pelo valor

a) de custo, menos a amortização acumulada.


b) justo e estão sujeitos ao teste de redução ao valor recuperável.
c) de custo, menos a eventual perda acumulada por redução ao valor recuperável.
d) justo, sofrem amortização e estão sujeitos ao teste de redução ao valor recuperável.
e) de custo, menos a amortização acumulada e estão sujeitos ao teste de redução ao valor
recuperável.

21
18/09/2018

(FCC/TST/Analista Judiciário)/2017) O Balanço Patrimonial da empresa Petróleos Profundos


S.A. apresentava, em 31/12/2014, a conta de registro de provisões com o saldo de R$
800.000,00 e a seguinte composição:

Em 2015, uma decisão judicial fez com que o valor correspondente ao processo trabalhista
fosse revisado para R$ 400.000,00.
Um novo processo cível foi movido contra a empresa no mesmo ano e, no final de 2015,
foram reavaliadas também as situações dos demais processos. As seguintes informações
estavam disponíveis em 31/12/2015:

O efeito líquido causado na Demonstração do Resultado de 2015 da empresa Petróleos


Profundos S.A., relacionado às provisões apresentadas foi, em reais,

(A) redução de 180.000,00.


(B) aumento de 250.000,00.
(C) redução de 200.000,00.
(D) redução de 280.000,00.
(E) aumento de 170.000,00

22
18/09/2018

(FCC/TST/Analista Judiciário)/2017) A empresa Só Rodovias S.A. ganhou a concessão para


administrar uma rodovia federal e pagou pelo direito de exploração da atividade o valor de R$
90.000.000,00. O prazo da concessão é 30 anos e, no final do prazo do contrato, o governo
reassume a administração da rodovia. A concessão iniciou-se em 01/01/2015 e no final de 2016 a
Só Rodovias S.A. identificou que o valor em uso da concessão havia sofrido uma grande redução,
pois a quantidade de usuários da rodovia estava bem abaixo do que havia sido projetado quando a
concessão foi adquirida. Em 31/12/2016 a empresa realizou o teste de redução ao valor recuperável
(teste de impairment) e o valor em uso calculado para a concessão foi R$75.000.000,00. Na
demonstração do resultado do ano de 2016 a empresa deveria
(A) reconhecer uma despesa de amortização no valor de R$ 3.000.000,00, apenas.
(B) reconhecer uma despesa de amortização no valor de R$ 3.000.000,00 e uma perda por
desvalorização no valor de
R$ 12.000.000,00.
(C) não reconhecer nenhuma despesa por se tratar de ativo intangível que não deve ser
amortizado.
(D) reconhecer uma perda por desvalorização no valor de R$ 15.000.000,00, apenas.
(E) reconhecer uma despesa de amortização no valor de R$ 3.000.000,00 e uma perda por
desvalorização no valor de R$ 9.000.000,00.

23