Você está na página 1de 23

RESUMO

Neste módulo você aprenderá a dar os


primeiros passos para entrar na TRILHA DO
CONHECIMENTO. Ao final, estará apto a
caminhar com segurança, sem dúvidas nas
próximas etapas desta jornada.

Marcelo Souto
Módulo Básico

TRILHA DO
CONHECIMENTO
Módulo básico

0
BEM-VINDO A
TRILHA DO
CONHECIMENTO

MÓDULO BÁSICO

Neste módulo você aprenderá a dar os primeiros passos para entrar na TRILHA DO
CONHECIMENTO.

Ao final, estará apto a caminhar com segurança, sem dúvidas nas próximas etapas
desta jornada.

O foco será sempre ensinar a estudar, mesclando entre teoria e prática os assuntos
abordados no decorrer das etapas.

Assim como em uma trilha teremos os módulos divididos em:

❖ Módulo Básico: primeiros passos – criando um alicerce firme para não se


perder no caminho.

Feito isso, entraremos passos a passo em outras trilhas:

1. Trilha leve:
2. Trilha moderada:
3. Trilha avançada:

DESDE JÁ, acredite que ,


não desista, seja paciente e tenha disciplina.

Tenho certeza que, com apenas 20 minutos por dia,


em breve estará longe na trilha.
1
É sua obrigação a partir de hoje, pegar
no instrumento todos os dias.

UMA FRASE PODE MUDAR UMA VIDA.


Neste primeiro passo, o objetivo é colocar você para caminhar agora.

Leia com atenção está frase:

TOM E SEMITOM são a base para a formação das ESCALAS, que


por sua vez são a base para os INTERVALOS, que são a base para a

formação de ACORDES.

Esses alicerces são, portanto, indispensáveis para o nosso estudo

Maior
Menor:
1. Natural
2. Harmônica
3. Melodica

TOM E SEMITOM são a base para a formação das ESCALAS,


que por sua vez são a base para os INTERVALOS, que são a base
para a formação de ACORDES.

2
ESCALAS
Tom e Semitom: é a distância entre as notas.

 Semitom: Menor distância entre duas notas;


 Tom: formado por dois semitons;

Em outras palavras:

 Quando for Tom: pula uma casa;


 Quando for Semitom: não pula;

Agora fale as notas musicais!!

Vamos organizar as notas de acordo com os intervalos de Tom


e Semitom, ou seja, vamos descobrir a distância entre elas.

Olhando este quadro, chegamos a algumas conclusões


importantíssimas.

 Esta é a escala Maior de DÓ;

 Os Intervalos de Semitom estão entre as notas:

 Mi e Fá (E, F) e Si e Dó (B, C), ou;

✓ Entre os graus III, IV e VII, VIII.


3
 Aprendemos a estrutura intervalar da escala Maior que

é formada pelos intervalos de:

✓ T T ST T T T ST.

 E que essa estrutura (T T ST T T T ST) é um Padrão

seguido por todas as escalas Maiores;

 Aprendemos ainda que, para cada notas, temos um grau

ou número relacionado, e agora podemos enumerar os

Graus da escala de Dó de 1 a 8 e responder perguntas

tais como, exemplos:

✓ Qual o terceiro grau de Dó? Resposta: E (Mi);

✓ Qual a quinta de Dó? Resposta: G (Sol);

✓ Qual a sétima de Dó? Resposta: B (Si);

Agora podemos até propor o seguinte exercício:

Quantos tons e/ou semitons existem entre os seguintes


intervalos?
De Dó para Mi?
De Dó para Fá?
De Fá para Si?
De Mi para Si?
De Fá para Dó?
Respondeu???
4
Como eu havia dito:

Você vai começar a tocar


agora!

O que está faltando?

1. Aprender o nome das cordas.

2. Distribuir as notas no braço do violão.


Muita atenção agora!!!!

Lembra da escala de Dó?

Agora é só distribuir as notas de acordo com a escala,


observando os intervalos de Tom e Semitom.

^F – G – A – B^C – D - E
^C – D – E^F – G – A – B
- A – B^C – D - E^F – G
– E^F – G – A – B^C - D
– B^C – D - E^F – G – A
^F – G – A – B^C – D - E

5
Entendeu!!??
É só falar a escala de Dó começando da corda solta.

→ Vamos ver como que fica no braço do violão.

Estamos agora diante de um divisor de águas.

Porquê??
Infelizmente, muitos param quando se deparam com
o primeiro desafio, por outro lado, existem
aqueles que fazem dos desafios momentos de
superação tornando-se mais fortes e preparados
que os demais.

#nãoparenatrilha #nãosaiadatrilha

6
Vamos dividir para facilitar o entendimento:

Parte 1:

Da 1ª a 3ª Casa

Parte 2:

Da 3ª a 7ª casa

Parte 3

Da 8ª a 12ª
casa

7
Para concluir, no que diz respeito às escalas, memorize
isso agora:
➢ Quanto Tons nós temos?
✓ Resposta: 12 tons

O estudo dos Ciclos (um divisor de águas).

8
ESTES SÃO ALGUNS DOS BENEFÍCIOS DE
TRILHAR POR ESSE CAMINHO, FAÇA UMA
TRANSFORMAÇÃO INSTAN TÂNEA NA FORMA
DE PENSAR.

 Obter uma dos 12 Tons;

 Entender de forma rápida e prática a correlação


entre os Tons;

 Ampliar a visão das cadências e todas as


direções;

 Ser capaz de criar caminhos de resolução, tanto


na harmonização como nos improvisos e solos
(turn around);

 Criar sua identidade musical (sonoridades


próprias) à medida que avançar nessa trilha.

9
INTERVALOS
Eis aqui mais um assunto extremamente importante, entender bem este assunto
agora é fundamental para o seu desenvolvimento, desde agora e para sempre.

É muito comum encontrarmos pessoas que tocam a muito tempo e se sentem


estagnadas sem saber por que, por isso, não conseguem evoluir no conhecimento.

Neste momento vamos aprender o necessário e não menos importante.

Os intervalos são classificados sempre, levando em consideração a distância em


relação a tônica, seguinte forma:

 No quadro abaixo estão os intervalos maiores e justos;

 Os intervalos de 9ª, 11ª e 13ª são chamados compostos, também conhecidos como notas
de extensão que ultrapassam a primeira oitava.

C D E F G A B C
T 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª
9ª 11ª 13ª

 Quadro completo dos intervalos (escala cromática)

C D E F G A B C
T b2 2 b3 3 4 b5 5 #5 6 b7 7 8
b9 9 #9 11 #11 b13 13

 Podemos visualizar estes intervalos direto no braço:


➢ Ter essa visão desde o começo é fundamental

10
O que você aprendeu

até agora?

Um ponto de parada para refletir:

1. Aprendeu que Tom e Semitom é a distância entre

as notas;

2. Aprendeu que na escala de Dó, os intervalos de

Semitons estão entre as notas Mi, Fá e Si, Dó ou

entre os intervalos 3,4 e 7,8;

3. Montamos a escala de Dó no braço do violão e a

dividimos em 3 partes;

4. Aprendeu a visualizar os intervalos;

11
Ainda tem alguma dúvida, que está aprendendo

violão agora?

Para que não haja dúvidas,

como são formados os acordes e pé na

estrada.

TRÍADES O FUNDAMENTO DE TUDO.


Você já ouviu falar nesse nome? TRÍADES!!

O nome Tríades vem de três, isso mesmo, estamos falando de três notas agrupadas,
separadas por intervalos de Terças que estruturam a formação de um acorde.

Vamos entender isso agora e não teremos dificuldades quando “NA TRILHA” chegarmos aos
ACORDES.

1. Temos 4 tipos de tríades:


 Maior: formada pelos intervalos – T, 3, 5ª (tônica, terça maior e quinta);
 Menor: formada pelos intervalos – T, b3, 5ª (tônica, terça menor e quinta);
 Aumentada: formada pelos intervalos – T, 3, #5 (tônica, terça maior e quinta
aumentada);

 Diminuta: formada pelos intervalos – T, b3, b5ª (tônica, terça menor e quinta
diminuta);

2. Agora basta substituir os intervalos pelas notas. Vamos entender como isso funciona em
Dó:

 T = tônica Dó (C);

 3 = terça maior Mi (E);

 5 = quinta justa Sol (G);

12
VAMOS VISUALIZAR A TRÍADE MAIOR NO BRAÇO
DO VIOLÃO.
Começaremos, desde já, a enxergar o formato das tríades em todo o braço do violão.

Não passe para outro tópico sem antes estar totalmente familiarizado com os quatro (4)
formatos em todo o braço, acredite!!

Aqui, acontece a mágica dos 5 formatos de acordes, porquê?

No momento em que deixamos no braço apenas as notas da tríade Maior de Dó


(Dó, MI, Sol), por exemplo, acabamos descobrindo os 5 formatos de fazer este
acorde.

13
Vamos entender passo a passo como se dá esse processo.

Afinal, estamos na TRILHA DO CONHECIMENTO.

14
Entendeu!!??
E agora, como estudar isso?
Siga na mesma TRILHA:
✓ Dividir para facilitar;
Separe as tríades em blocos de três cordas:
 Cordas 1, 2, 3 (mi, si, sol);

 Cordas do meio: 2, 3, 4 (si, sol, ré);

 Bordões: 4, 5, 6 (ré, lá, mi);

15
Chegamos a mais um ponto de reflexão
❖ Já estamos quase no final desse Módulo Básico: primeiros passos – criando um
alicerce firme para não se perder no caminho.
❖ É hora de ajustar as coordenadas, você não pode parar agora ou se perder daqui
para frente.
❖ Para obter êxito será preciso: disciplina, perseverança e paciência.
o Disciplina: estude todos os dias, toque muito, desenvolva intimidade
com seu instrumento;
o Perseverança: desistir jamais, na trilha aparecerão desafios;
o Paciência: com um passo de cada vez, você chegará mais longe do que
imagina, nada acontece da noite para o dia.
❖ Como foi dito anteriormente:

TOM E SEMITOM são a base para a formação das


ESCALAS, que por sua vez são a base para os
INTERVALOS, que são a base para a formação de
ACORDES.
➢ O próximo passo na TRILHA: começar o estudo dos acordes.

Mas antes, um conselho:

Coloque essa TRILHA no seu GPS e ajuste as coordenadas da sua jornada.

Todas as vezes que você quiser estudar uma nova escala, siga estes passos.

 Entenda a sua estrutura intervalar (intervalos);


 Faça o mapeamento das TRÍADES, ou seja, quais tríades aparecem ou se
repetem e em quais graus isso acontece;
 Aprenda os acordes que podem ser gerados, toque cada um passando
pelos cinco formatos;
 E finalmente, faça a associação entre os cinco formatos de acordes com
trechos da escala estudada.

16
ACORDES
O estudo dos acordes é extremamente vasto devido as quase
infinitas maneiras de encará-lo. Ou seja, estamos diante de uma
TRILHA que começa agora e pode durar uma vida inteira.
Por onde começar?
Minha dica: Não abra mão do papel e
caneta, desenvolva seu próprio dicionário
de acordes.

Vamos ajustar as coordenadas e pé na TRILHA.


Os acordes são formados pelo empilhamento de notas separadas
por intervalos de terças, exatamente como as tríades.
Por isso, aqueles que estudam bem as tríades, geralmente, não
acham dificuldade quando entram nesta parte da .
A diferença é que vamos fazer o empilhamento de terças em
cada grau da escala e com isso acharemos quais
pertencem ao de Dó.
Podemos dizer as ;
Vamos ver como o que acontece quando empilhamos as terças
sobre os graus da escala maior
TÔNICA C D E F G A B
3ª E F G A B C D
5ª G A B C D E F
Maior Menor Menor Maior Maior Menor Dim

17
Observações importantes:
 Quais tipos de tríades temos nesta escala?
✓ Resposta: 3 tipos, a Maior, a Menor e a Diminuta.
 Em que graus da escala estão localizadas os tipos de tríades?
✓ A Maior: no primeiro (I), quarto (IV) e quinto (V);
✓ A Menor: no segundo (II), terceiro (III) e sexto (VI);
✓ A Diminuta: no sétimo (VII).

Vamos visualizar no braço do violão, colocando em prática tudo


o que já aprendemos, isso é

A partir deste ponto da TRILHA começamos a entender o


poder das .

18
Aqui podemos dizer que começamos a entrar na

✓ Lembra dos cinco modelos?

Pronto! Agora podemos aplicar este conhecimento aos


de 3 sons ( ) dentro do .
Ou seja, teremos pelo menos 5 formas de fazer as tríades
aprendidas.
Fez a conta? Como são 7 acordes, são pelo menos 35 maneiras
diferentes.

Outro exemplo de visualizção

19
Pronto! Agora me parece que você já está tocando, e
como eu havia dito, tudo que eu queria era ter
recebido um material como esse no começo da
minha jornada.
E você já está com ele em mãos, faça bom proveito
disso.

Ajuste seu foco, renove suas forças, você não pode


parar agora, afinal é o seu sonho. E o início da sua
caminhada .

20
ANEXO
Desde já agradeço sua atenção.
Feito isso, podemos colocar a mão na massa, mas antes!

Conhecendo os dedos das mãos e a postura correta.

É extremamente importante obedecer a postura correta,


principalmente no começo.

21
1. E vamos para os primeiros exercícios:

 1,2,3,4; faça variações sempre subindo e

descendo, siga o ritmo.

 PIMA;
Muita atenção para a posição da mão direita;

Vamos fazer algumas variações;

Siga o ritmo, metrônomo é fundamental.

 Exercício “X “;

Mão direita e esquerda trabalhando jutas;

Deixa de moleza, tenha paciência.

 Agora vamos fazer a escala de Dó nas 3 regiões

sem moleza.

Faça um de cada vez;

Ouça as notas, faça devagar, correr agora só vai

atrapalhar

22