Você está na página 1de 52

sistemasde

enumeração
Sistemas de Numeração e Códigos Binários

oecircuitosde
sistema de numeração que permitia, através de dez símbolos distintos
(algarismos), representar uma determinada grandeza em função de outra
ais : Y2007/08

tomada como unidade.

elógicacomb
Sistema Decimal - Permite representar qualquer quantidade por intermédio
de uma soma ponderada de potências de base 10.
mas Digita

binatória
852=8x102+5x101+2x100
0.852=8x10-1+5x10-2+2x10-3
ho, J.P. @ Sistem

Características de um número decimal:


- Coeficientes de potências de base 10 cujos expoentes crescem com
passos de uma unidade da direita para a esquerda.
esquerda
- Parte fraccionária são coeficientes de potências de base 10 cujos
expoentes decrescem em passos de uma unidade da esquerda para a
Coelh

di it
direita.
sistemasde
2

enumeração
Outras bases de numeração podem ser utilizadas: base 2, base 8 e a
base 16.

oecircuitosde
ais : Y2007/08

O sistema binário de numeração contempla apenas dois símbolos


distintos: o zero ((0)) e o um ((1))

elógicacomb
dígito -> bit
mas Digita

A contribuição
t ib i ã d
de um bit num número
ú bi
binário
ái d depende
d dda posição
i ã

binatória
relativa que ele ocupa.

Equivalente decimal: 100112=1x24+0x23+0x22+1x21+1x20=1910


ho, J.P. @ Sistem

Bit mais significativo (MSB) vs. Bit menos significativo

Conceito de virgula binária:


0 100112=1x2-11+0x2-22+0x2-
0,10011 +0x2 3+1x2-44+1x2-55=0.59375
=0 5937510
Coelh
sistemasde
3

enumeração
Qual o maior número decimal que se consegue escrever com apenas dois
dígitos?

oecircuitosde
Num número binário qual o maior número decimal inteiro que se consegue
ais : Y2007/08

representar com n bits?

elógicacomb
Dependendo do número de bits de uma palavra na base 2: Nibble ou
Byte
Decimal Binário Decimal Binário
mas Digita

1kb = ? 1Mb
1Mb= ?

binatória
0 0 9 1001
1 1 10 1010
2 10 11 1011
ho, J.P. @ Sistem

3 11 12 1100
4 100 13 1101
5 101 14 1110
6 110 15 1111
7 111 16 10000
Coelh

8 1000 17 10001
sistemasde
4

enumeração
OCTAL e HEXADÉCIMAL - são normalmente usadas como
representação alternativa de números binários.

oecircuitosde
Decimal Binário Octal Hexad. Decimal Binário Octal Hexad.
ais : Y2007/08

0 00000 0 0 16 10000 20 10
1 00001 1 1 17 10001 21 11

elógicacomb
2 00010 2 2 18 10010 22 12
3 00011 3 3 19 10011 23 13
4 00100 4 4 20 10100 24 14
mas Digita

binatória
5 00101 5 5 21 10101 25 15
6 00110 6 6 22 10110 26 16
7 00111 7 7 23 10111 27 17
ho, J.P. @ Sistem

8 01000 10 8 24 11000 30 18
9 01001 11 9 25 11001 31 19
10 01010 12 A 26 11010 32 1A
11 01011 13 B 27 11011 33 1B
12 01100 14 C 28 11100 34 1C
13 01101 15 D 29 11101 35 1D
14 01110 16 E 30 11110 36 1E
Coelh

15 01111 17 F 31 11111 37 1F
sistemasde
5

enumeração
27,638=2x81+7x80+6x8-1+3x8-2=23.79687510

9CA 3B16=9x16
9CA,3B 9x162+12x161+10x160+3x16-11+11x16-22=2506.23046875
2506 2304687510

oecircuitosde
ais : Y2007/08

Técnicas de Conversão entre Bases:

elógicacomb
Binário < > Decimal

Binário - > Decimal : Soma Ponderada


mas Digita

binatória
Decimal -> Binário: Divisão (Multiplicação)
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
6

enumeração
Se o número a converter da base 10 para a base 2 não for inteiro puro mas
tiver uma parte fraccionária, a conversão é feita em duas etapas

oecircuitosde
Parte Inteira + Parte Decimal
ais : Y2007/08

elógicacomb
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
enumeração
oecircuitosde
elógicacomb
binatória
2655,639648437510
Decimal -> Octal ou Hexadecimal
ho, J.P. @ Sistem
Coelh ais : Y2007/08
mas Digita
7
sistemasde
enumeração
oecircuitosde
elógicacomb
binatória
Binário <-> Hexadécimal
ho, J.P. @ Sistem
Coelh ais : Y2007/08
mas Digita
8
sistemasde
enumeração
oecircuitosde
elógicacomb
binatória
Binário <-> Octal
ho, J.P. @ Sistem
Coelh ais : Y2007/08
mas Digita
9
sistemasde
10

enumeração
Representação de Números Negativos em Base 2

oecircuitosde
Sinal e Magnitude
ais : Y2007/08

elógicacomb
mas Digita

C
Complemento
l t para 1

binatória
ho, J.P. @ Sistem

Complemento para 2
Coelh
sistemasde
11

enumeração
A representação de números negativos na base 2 apenas tem

oecircuitosde
significado se estiver definido o número de bits usados na codificação!
ais : Y2007/08

1101110 -> 110 (8 bit) ou -18 (7 bit)

elógicacomb
Códigos Binários

conjunto
j de símbolos ((alfabeto)) e das regras
g q
que p
permitem ordenar
mas Digita

binatória
e combinar esses símbolos.

j
O objectivo destes códigos
g é o de facilitar a comunicação
ç entre
ho, J.P. @ Sistem

Homem e máquina.

Ponderados
É possível associar pesos a cada um dos bits da palavra..
Coelh

BCD8421 BCD 4221 BCD 5421


sistemasde
12

enumeração
oecircuitosde
ais : Y2007/08

elógicacomb
Não-Ponderados
mas Digita

binatória
Código Gray: possui a particularidade de que, entre valores
adjacentes, apenas se altera um bit.
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
13

enumeração
oecircuitosde
ais : Y2007/08

elógicacomb
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem

Outro código binário não-ponderado extremamente difundido é o


código ASCII (American Standard Code for Information Exchange)
Coelh
sistemasde
14

enumeração
ÁLGEBRA DE BOOLE

oecircuitosde
• Investigação das leis fundamentais das operações da mente humana ligadas
ais : Y2007/08

ao raciocínio.

elógicacomb
• A álgebra tradicional opera com relações quantitativas enquanto que a
álgebra de Boole opera com relações lógicas
mas Digita

binatória
• Na álgebra Booleana, as funções são binárias de variáveis binárias, ou seja
apenas podem apresentar dois estados distintos: Verdadeiro ou Falso.
ho, J.P. @ Sistem

‘1’ e ‘0’ representam estados físicos da matéria

• Além da forma algébrica, as funções Booleanas podem ser caracterizadas


por tabela de verdades.
Coelh
sistemasde
15

enumeração
OPERADORES LÓGICOS

oecircuitosde
• Na álgebra de Boole existem quatro operadores lógicos elementares.
ais : Y2007/08

São eles a Igualdade, a Negação, a União e a Intersecção

elógicacomb
Sejam x e y variáveis booleanas e F(x,y) uma função booleana de
variável booleana:
mas Digita

binatória
• Operador Igualdade: T. Verdades + símbolo lógico
• Operador Negação: T
T. Verdades + símbolo lógico
ho, J.P. @ Sistem

• Operador Intersecção: T. Verdades + símbolo lógico


• Operador Reunião: T. Verdades + símbolo lógico
Coelh
sistemasde
16

enumeração
Outras Portas Lógicas:
• Reunião Exclusiva (XOR)

oecircuitosde
ais : Y2007/08

• Complemento de União (NOR)


• Complemento de Intersecção (NAND)

elógicacomb
Portas NAND E NOR como funções universais:
mas Digita

binatória
Função Portas NAND Portas NOR
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
enumeração
oecircuitosde
elógicacomb
binatória
Exemplo
17

ho, J.P. @ Sistem


Coelh ais : Y2007/08
mas Digita
sistemasde
18

enumeração
Forma Canónica de uma Expressão Lógica
• Forma canónica de uma função
ç Booleana: p produto de somas ou somas de

oecircuitosde
produtos nos quais aparecem todas as variáveis em cada um dos termos seja
ais : Y2007/08

na sua forma directa ou complementada.


MINTERMS ou canónica disjuntiva: Soma de todos os produtos lógicos

elógicacomb
que dão à função o valor ‘1’.

MAXTERMS ou canónica conjuntiva:Multiplicação de todas as somas


mas Digita

binatória
lógicas que dão à função o valor ‘0’.
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
19

enumeração
Postulados
A+0= A A⋅0 = 0
A+ A= A A⋅ A = A
A +1 =1 A ⋅1 = A

oecircuitosde
A + A =1 A⋅ A = 0
ais : Y2007/08

Regras
Propriedade Comutativa
A+ B = B+ A

elógicacomb
A⋅ B = B ⋅ A
( A + B) + C = A + ( B + C )
Propriedade Associativa
( A ⋅ B) ⋅ C = A ⋅ ( B ⋅ C )
mas Digita

A⋅(B + C) = A⋅ B + A⋅C

binatória
Propriedade Distributiva
A + B ⋅ C = ( A + B) ⋅ ( A + C )
A + A⋅ B = A
A ⋅ ( A + B) = A
Absorção
ç
ho, J.P. @ Sistem

A+ A⋅B = A+ B
A ⋅ ( A + B) = A ⋅ B
((Alguns
g Teoremas Úteis))
A⋅ B + A ⋅C + B ⋅C = A⋅ B + A⋅C
( A + B) ⋅ ( A + C ) ⋅ ( B + C) = ( A + B) ⋅ ( A + C )
Leis de De Morgan
g
A+ B = A⋅B
Coelh

A⋅ B = A + B
sistemasde
20

enumeração
Portas NAND Portas NOR

oecircuitosde
F ( x, y , z ) = ( x + y ) ⋅ ( x ⋅ z + y ) + x ⋅ y ⋅ z F ( x, y , z ) = ( x + y ) ⋅ ( x ⋅ z + y ) + x ⋅ y ⋅ z
ais : Y2007/08

= ( x + y)⋅( x ⋅ z + y) + x ⋅ y ⋅ z = ( x + y)⋅( x ⋅ z + y) + ( x ⋅ y ⋅ z)

elógicacomb
= ( x + y ) ⋅ ( xz + y ) ⋅ x ⋅ y ⋅ z
( ) (
= ( x + y ) + xz + y + xy + z )
= ( x + y ) ⋅ ( xz + y ) ⋅ x ⋅ y ⋅ z
= ( x + y ) + ( x + z + y ) + ⎛⎜ xy + z ⎞⎟
mas Digita

binatória
= ( x ⋅ y ) ⋅ (x ⋅ z ⋅ y) ⋅ x ⋅ y ⋅ z ⎝ ⎠

(
= ( x + y ) + ( x + z + y) + x + y + z )
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
21

enumeração
CIRCUITOS COMBINATÓRIOS

• Até ao momento foram revistas as pedras angulares que suportam a

oecircuitosde
análise e projecto de sistemas lógicos.
ais : Y2007/08

• Da Álgebra
g de Boole aos computadores
p digitais!
g

elógicacomb
• O estado da arte dos circuitos electrónicos digitais assenta num
dispositivo electrónico designado por circuito integrado (CI)
mas Digita

binatória
• Um circuito integrado é um circuito electrónico completo constituído
numa pastilha de material semicondutor
ho, J.P. @ Sistem

• Todos os componentes do circuito são formados simultaneamente


por um processo designado por processo planar.
• Existem os mais variados tipo de circuitos integrados e para as mais
diversas funções.
Coelh
sistemasde
22

enumeração
• Foi criado por um conjunto de fabricantes uma série de circuitos

oecircuitosde
integrados possuidores das funções lógicas mais utilizadas (por exemplo
portas NAND, NOR, NOT etc.)
ais : Y2007/08

elógicacomb
• Estes dispositivos foram projectados de forma a que circuitos
integrados distintos com funções lógicas distintas fossem compatíveis
electricamente entre si
mas Digita

binatória
• Na prática não seria possível conectar uma pastilha de silício
directamente a um circuito electrónico.
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
23

enumeração
• Identificação dos pinos de um integrado!

oecircuitosde
ais : Y2007/08

elógicacomb
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem

• Num circuito integrado lógico


lógico, o número de portas necessárias à
execução das funções dependem da complexidade da operação a
ser realizada
Coelh
sistemasde
24

enumeração
Nível de Integração Número de Portas
Integração em Pequena Escala (SSI) <12
Integração em Média Escala (MSI) [12,100[

oecircuitosde
Integração em Larga Escala (LSI) [100,10000[
Integração em Muito Larga Escala (VLSI) [10000,100000[
ais : Y2007/08

Integração em Ultra Larga Escala (ULSI) ≥100000

V IH (m in) Nível de tensão mínimo capaz de representar o nível lógico '1'


1 à entrada de

elógicacomb
um circuito digital
V IL (m ax) Nível de tensão máximo capaz de representar ainda o nível lógico '0' à
entrada de um circuito digital
mas Digita

binatória
V O H (m in) Nível de tensão mínimo capaz de representar o nível lógico '1' à saída de um
circuito digital
V O L (m ax) Nível de tensão máximo capaz de representar o nível lógico '0' à saída de um
circuito digital
ho, J.P. @ Sistem

I IH Valor da corrente que circula na entrada de um circuito digital quando um


nível lógico alto é aplicado.
I IL Valor da corrente que circula na entrada de um circuito digital, quando um
nível lógico baixo é aplicado.
I OH Valor da corrente que circula na saída de um circuito digital, quando um nível
lógico alto é gerado.
I OL Valor da corrente que circula na saída de um circuito digital, quando um nível
Coelh

lógico baixo é gerado.


sistemasde
enumeração
oecircuitosde
elógicacomb
binatória
25

ho, J.P. @ Sistem


Coelh ais : Y2007/08
mas Digita
sistemasde
26

enumeração
• Teoricamente é possível ligar um número infinito de portas lógicas a
outra porta lógica

oecircuitosde
• Define-se Fan-Out como o número máximo de portas lógicas que
ais : Y2007/08

podem ser ligadas simultaneamente à saída de outra porta lógica

elógicacomb
I OL I OH
FOL = FOH =
I IL I IH
mas Digita

binatória
Se FOL for diferente de FOH considera-se o menor dos dois!

Outra característica a considerar: tempo de propagação das portas


ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
27

enumeração
Imunidade ao ruído.

oecircuitosde
• A capacidade de um circuito lógico tolerar variações de tensão sem
ais : Y2007/08

alterar o seu funcionamento é quantificada pela margem de ruído.

elógicacomb
MRH = VOH (min) − VIH (min)

MRL = VIL (max) − VOL (max)


mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
28

enumeração
Famílias de CI Lógicos

oecircuitosde
• TTL
ais : Y2007/08

• CMOS
Diferenças:

elógicacomb
• Concepção Interna
• Níveis de Tensão
mas Digita

binatória
• Outas características eléctricas
ho, J.P. @ Sistem

TTL

Na família TTL os dispositivos são alimentados por uma fonte de


tensão contínua de 5V
Coelh
sistemasde
29

enumeração
oecircuitosde
ais : Y2007/08

elógicacomb
mas Digita

binatória
(banda morta)

Na lógica TTL,
TTL uma entradas desconectada é considerada como
ho, J.P. @ Sistem

estando ao nível lógico alto.

• Por forma a definir que tipo de operação lógica realiza um CI TTL


TTL,
estes possuem uma referência escrita sobre o invólucro.
Coelh
sistemasde
30

enumeração
Código Significado Particularidade
Baixo consumo de potência quando comparada com a
L Low Power
série padrão
padrão. Baixa velocidade de operação
operação.(obsoleta)
(obsoleta)

oecircuitosde
Maior velocidade de operação do que a série L mas
H High-Velocity
maior consumo de potência.(obsoleta)
ais : Y2007/08

Reduz o retardo de armazenamento aumentado a


S Schottky velocidade de operação. Consumo de potência
equivalente à série H.

elógicacomb
LS Low-Power Schottky Versão S com menor consumo e menor velocidade.
AS Advanced Schottky Série TTL mais rápida. Maiores Fan-Outs
Advanced Low-Power Melhor desempenho que a série LS no que se refere à
ALS
Schottky potência e velocidade de operação
mas Digita

binatória
Código Designação
74LS00 4 Portas NAND de duas entradas
ho, J.P. @ Sistem

74LS02 4 Portas NOR de duas entradas


74LS04 6 Portas Inversoras
74LS08 4 portas AND de duas entradas
74LS10 3 portas
t NAND de
d três
t ê entradas
t d
74LS11 3 portas AND de três entradas
Coelh
sistemasde
31

enumeração
CMOS

oecircuitosde
Principais características
ais : Y2007/08

• Baixo consumo de potência


• Elevada imunidade ao ruído

elógicacomb
• Faixa de alimentação que se pode estender dos 3 aos 18V

O processo de fabrico da tecnologia CMOS é mais simples que o da


mas Digita

binatória
TTL permitindo adicionalmente uma maior densidade de integração

g
Desvantagens
ho, J.P. @ Sistem

• Menores velocidades de operação


• Homogeneidade de características de operação entre fabricantes
• A gama de valores que representam os estados lógicos não são
constantes
Coelh
sistemasde
32

enumeração
• As séries 4000 e 14000 foram as primeiras da família CMOS.
• Séries mais recentes : 74C, 74HC e 74HCT.
• Estas ultimas três séries possuem a particularidade de serem

oecircuitosde
compatíveis pino-a-pino com os seus homólogos TTL
ais : Y2007/08

Código Designação
4000 2 Portas NOR de três entradas e Inversor

elógicacomb
4002 2 Portas NOR de quatro entradas
4012 2 Portas NAND de quatro entradas
74HC00 4 portas NAND de duas entradas
mas Digita

binatória
74HC107 Duplo Flip-Flop JK com Clear
74HC138 Descodificador 3 para 8

74HC 4000B 74 74S 74LS 74AS 74ALS


ho, J.P. @ Sistem

Potência Dissipada (mW) 0,0025 0,001 10 20 2 8 1,2

Retardo Propagação (ns) 8 50 9 3 9,5 1,7 4

Produto velocidade/potência
p
14
1,4 5 90 60 19 13 6
13,6 48
4,8
@100 KHz (pJ)

Máxima Frequência de
40 12 35 12,5 45 200 70
Operação (MHz)

Margem
g de Ruído ((V)) 0,9 1,5 0,4 0,3 0,3 0,3 0,4
Coelh
sistemasde
33

enumeração
Multiplexers e Desmultiplexers

oecircuitosde
• A função de multiplexar consiste em transmitir por um só canal de
saída alguma da informação presente em diversas linhas de entrada.
ais : Y2007/08

elógicacomb
• Este tipo de dispositivo é constituído por um conjunto de 2n
entradas, apenas uma saída e um conjunto de n linhas de controlo
(endereço)
mas Digita

binatória
• Para um determinado instante de tempo, e dependendo do estado
das linhas de controlo, a saída possuí o valor lógico idêntico a uma e
uma só das suas entradas.
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
34

enumeração
• Como exemplo de um multiplexer comercial em tecnologia TTL
aponta-se por exemplo
aponta-se, exemplo, o 74LS42.
74LS42

oecircuitosde
ais : Y2007/08

• Um multiplexer pode ser usado também para gerar funções lógicas


arbitrárias
bit á i d das variáveis
iá i d de controlo.
t l

elógicacomb
Exemplo #1: Implementação da função OU-EXCLUSIVO
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
35

enumeração
Exemplo #2:
x y z F

oecircuitosde
0 0 0 0
ais : Y2007/08

0 0 1 1
x y z F 0 1 0 1
0 0 0 0

elógicacomb
0 1 1 1
0 0 1 1 1 0 0 0
0 1 0 1 1 0 1 0
mas Digita

0 1 1 1

binatória
1 1 0 1
1 0 0 0 1 1 1 0
1 0 1 0
1 1 0 1
ho, J.P. @ Sistem

1 1 1 0
Coelh
sistemasde
36

enumeração
COMPARADORES DIGITAIS

oecircuitosde
• Os
O comparadores
d di it i são
digitais ã circuitos
i it combinatórios
bi tó i usados
d para
determinar se dois números binários são iguais ou distintos e, neste
ais : Y2007/08

último caso, qual deles é maior.

elógicacomb
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
enumeração
oecircuitosde
elógicacomb
binatória
37

ho, J.P. @ Sistem


Coelh ais : Y2007/08
mas Digita
sistemasde
38

enumeração
CIRCUITOS SEQUÊNCIAIS

oecircuitosde
• O que é um circuito
i it sequêncial?
ê i l?
ais : Y2007/08

• Diferença entre circuito combinatório e sequencial...

elógicacomb
O elemento básico e fundamental da lógica sequencial é o
multivibrador biestável.
mas Digita

binatória
Biestáveis Possuem dois estados estáveis e a capacidade de
armazenar informação ( 1 biestável pode armazenar 1 bit).
Monoestáveis Possuem apenas
p um estado estável. Normalmente são
ho, J.P. @ Sistem

utilizados para temporização ou em linhas de atrasos em


sistemas digitais.
Aestáveis Não possuem nenhum estado estável
estável. Este tipo de circuitos
oscila livremente entre os seus dois estados possíveis. Uma
aplicação deste tipo de multivibradores é como geradores de
Coelh

sinais de clock.
sistemasde
39

enumeração
A classe dos multivibradores biestáveis pode ser dividida em:

oecircuitosde
Assíncronos
ais : Y2007/08

Biestáveis Activados por Nível


Síncronos

elógicacomb
Activados por Flanco

• Aos biestáveis síncronos activados for flanco é dado o nome de


mas Digita

binatória
Flip-Flop’s.
• Todos os outros serão designados por Latch’s.
ho, J.P. @ Sistem

Bi tá i Assíncronos
Biestáveis A í
Tipo RS NOTA: RESET e PRESET
Coelh
sistemasde
40

enumeração
oecircuitosde
ais : Y2007/08

NOR NAND
R S Q R S Q

elógicacomb
0 0 Qn +1 = Qn (1) 0 0 Proibida (2)
0 1 1 0 1 0
mas Digita

binatória
1 0 0 1 0 1
1 1 Proibida (2) 1 1 Qn +1 = Qn (1)
Tipo
p JK
ho, J.P. @ Sistem

J K Q
0 0 Qn +1 = Q n
0 1 0
1 0 1
1 1 Qn +1 = Qn (1)
Coelh
sistemasde
41

enumeração
Biestáveis Síncronos Activados por Nível

oecircuitosde
Tipo RS
ais : Y2007/08

clk S R Q
0 0 0 Q n +1 = Qn

elógicacomb
0 0 1 Qn +1 = Qn
0 1 0 Qn +1 = Qn
mas Digita

binatória
0 1 1 Qn +1 = Qn
1 0 0 Qn +1 = Qn
1 0 1 1
ho, J.P. @ Sistem

1 1 0 0
1 1 1 Proibido
Coelh
sistemasde
42

enumeração
Tipo JK
clk J K Q

oecircuitosde
0 0 0 Qn +1 = Qn
ais : Y2007/08

0 0 1 Qn +1 = Qn
0 1 0 Qn +1 = Qn

elógicacomb
0 1 1 Qn +1 = Qn
1 0 0 Qn +1 = Qn
mas Digita

binatória
1 0 1 0
1 1 0 1
1 1 1 Qn +1 = Qn
ho, J.P. @ Sistem

clk D Q
Tipo D
0 0 Q n +1 = Qn
0 1 Qn +1 = Qn
1 0 0
Coelh

1 1 1
sistemasde
43

enumeração
Os biestáveis síncronos activados por nível podem causar problemas
quando as frequências envolvidas são elevadas.

oecircuitosde
Solução: biestáveis activados ao flanco
ais : Y2007/08

Bi tá i Sí
Biestáveis Síncronos A
Activados
ti d por Flanco
Fl

elógicacomb
Tipo D
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem

clk D Q clk D Q
0 0 0 0
1 1 1 1
X X Qn +1 = Qn X X Qn +1 = Qn
Coelh
sistemasde
44

enumeração
Tipo JK

oecircuitosde
ais : Y2007/08

elógicacomb
clk J K Q clk J K Q
0 0 Qn +1 = Qn 0 0 Qn +1 = Qn
mas Digita

binatória
0 1 0 0 1 0
1 0 1 1 0 1
1 Qn +1 = Qn 1 Qn +1 = Qn
ho, J.P. @ Sistem

1 1
X X X Qn +1 = Qn X X X Qn +1 = Qn
Coelh
sistemasde
45

enumeração
Contadores

• Os sistemas digitais de contagem são uma das principais aplicações

oecircuitosde
para mutivibradores biestáveis.
ais : Y2007/08

• Compostos por um conjunto de flip


flip-flop’s
flop s montados em cascata

elógicacomb
que evoluem os seus estados segundo uma determinada sequência
pré-determinada.
mas Digita

Módulo
Mód l d
de um CContador:
t d número
ú d
de ciclos
i l d do sinal
i ld de sincronismo
i i

binatória
ao fim do qual o contador retorna ao estado inicial.
A capacidade de um contador é o número mais elevado, expresso
ho, J.P. @ Sistem

em qualquer código binário, que pode ser representado nas suas


saídas
Coelh
sistemasde
46

enumeração
Á excepção do primeiro flip-flop, cujo sinal de
sincronismo é o sinal de clock, a saída de cada flip-flop

oecircuitosde
será o sinal de relógio do flip
flip-flop
flop seguinte.
seguinte
ais : Y2007/08

Assíncronos

elógicacomb
Contadores
mas Digita

binatória
O sinal de relógio é aplicado simultaneamente a todos os
flip-flop’s, i.e. as saídas de todos os biestáveis são
actualizadas simultaneamente.
ho, J.P. @ Sistem

Síncronos

Nos contadores assíncronos o tempo de propagação é superior ao dos


Coelh

contadores síncronos (porquê?)


sistemasde
47

enumeração
Um contador qualquer genérico efectua a contagem de 0 a 2n − 1
onde n designa o número de biestáveis envolvidos
envolvidos.

oecircuitosde
ais : Y2007/08

• Alterar o valor do módulo do contador ou a sua capacidade.

elógicacomb
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem

• O descodificador é normalmente um circuito combinatório


desenvolvido a partir dos estados presentes do contador e dos
estados que realmente se pretendem como saída.
Coelh
sistemasde
48

enumeração
PROJECTO DE CONATDORES:

oecircuitosde
ais : Y2007/08

EXEMPLO #1 : 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 0, 1, ... (contador assíncrono)

elógicacomb
EXEMPLO #2 : 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 0, 1, ... (contador síncrono JK)
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
49

enumeração
PROJECTO DE CIRCUITOS SEQUENCIAIS

oecircuitosde
• A maior
i partet dos
d processos iindustriais
d ti i dde produção
d ã requerem que um
conjunto de tarefas seja executado com uma determinada sequência
ais : Y2007/08

pré-determinada.

elógicacomb
• Presentemente, as sequências de activação das malhas de
manufacturação são geridas por autómatos e microprocessadores que
podem ser em grande número e interligados em rede.
mas Digita

binatória
Abstractamente, o conceito geral de um circuito digital sequencial pode
ser analisado atendendo ao seguinte
g diagrama
g de blocos.
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
50

enumeração
• Um processo sequencial exige a memorização de estados anteriores do
sistema função
ç esta realizada pelo
p bloco de registo.
g

oecircuitosde
• Os sinais de saídas serão determinados como uma função lógica
ais : Y2007/08

não só das entradas externas mas também das entradas de estado.

elógicacomb
ALGORITMO:
• Passar das especificações verbais para
mas Digita

binatória
um fluxograma
• Construir a Tabela de Estados
ho, J.P. @ Sistem

• Selecção dos Elementos de Memória


• Simplificação das Equações de Excitação
• Implementação
I l t ã d do Ci
Circuito
it SSequencial
i l
Coelh
sistemasde
51

enumeração
Pretende-se desenvolver um circuito digital capaz de controlar, de forma
automática, o processo de enchimento das garrafas. Para isso, o sistema

oecircuitosde
possui três sensores, dois de posição (A e B) e um de nível (C), e dois
actuadores, uma electro-válvula V e o motor do tapete rolante M. Inicialmente o
ais : Y2007/08

tapete rolante movimenta-se até que uma garrafa assuma a posição de


enchimento.
hi t Considera-se
C id que a garrafa
f está
tá bem
b posicionada
i i d quandod o sensor

elógicacomb
B ficar activo depois de A. Nesse instante o motor pára e a válvula abre dando
início à operação de enchimento. Essa operação é terminada quando o sensor
mas Digita

d nível
de í l fificar activo.
ti

binatória
ho, J.P. @ Sistem
Coelh
sistemasde
52

enumeração
• A primeira coisa é fazer corresponder os estados dos sensores e
actuadores a estados lógicos.

oecircuitosde
- Considera-se que os sensores A, B e C estão
ais : Y2007/08

activos quando a '1' lógico e inactivos a '0'.


- O motor e a electro
electro-válvula
válvula consideram-se
consideram se activos a

elógicacomb
'1' e inactivos a '0'.
mas Digita

binatória
ho, J.P. @ Sistem
Coelh