Você está na página 1de 14

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO PARNAÍBA

PÓS-GRADUAÇÃO EM INSTALAÇÕES PREDIAIS

RICARDO ANDRADE OLIVEIRA


MARCSUEL SILVA
EDUARDO CHEZARY DA SILVA ALMEIDA
GUTEMBERG SOUSA DUARTE

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL: SOLUÇÃO BTICINO LEGRAND

Teresina - Pi
2018

1
CONTEÚDO
1. Introdução ........................................................................................................... 3
2. Características .................................................................................................... 6
3. Comandos de Entrada ........................................................................................ 7
4. Meios de Comunicação ...................................................................................... 8
5. Atuadores ............................................................................................................ 9
6. Diferenciais ....................................................................................................... 12
7. Considerações finais ........................................................................................ 13

2
1. Introdução

Com a criação dos computadores pessoais e a popularização da Internet,


aliada a rápida expansão da telefonia móvel, o cotidiano das pessoas mudou
sensivelmente com a presença dessas tecnologias em suas vidas, passando a ter
uma aceitação cada vez maior da automação residencial. A ascensão da indústria
de eletrodomésticos e de outros dispositivos utilizados em residências tem
possibilitado o desenvolvimento de aparelhos com maior sofisticação e com mais
funcionalidades, interfaces para conectividade via rede wireless e interatividade
através de telas de LCD sensível ao toque. No setor residencial, diversas soluções
estão sendo desenvolvidas com o objetivo de possibilitar a comunicação com esses
dispositivos através de ondas de rádio frequência, tornando mais flexível e prático o
uso desses equipamentos com operações cada vez mais simples e intuitivas
(MURATORI E DAL BÓ, 2011).

No Brasil já existem várias empresas que trabalham com automação


residencial, desenvolvedores, pesquisadores, entusiastas e uma associação. A
Associação Brasileira de Automação Residencial (AURESIDE) tem como missão:
fomentar a adoção de tecnologias de Automação Residencial no país; prover
informações e conhecimentos qualificados e atualizados; manter cursos de
capacitação, formação e certificação profissional; homologar produtos e serviços; o
principal meio de divulgação e integração entre os membros da Associação e
demais profissionais ou empresas interessadas é o portal interativo na Internet, onde
são divulgadas as ações programadas, tais como: organização, programação,
realização de seminários, congressos, encontros e feiras nacionais e regionais;
treinamentos; cursos à distância; palestras e conferências virtuais; cursos regulares
de capacitação e certificação profissional; cursos e palestras que abordam linhas
específicas de produtos e serviços de seus associados; divulgação de artigos
técnicos através da Internet; colaboração em matérias editoriais na mídia em geral.

É no ambiente do lar que ficamos mais à vontade e relaxamos de


verdade. O prazer de viver que esse espaço proporciona só é completo quando
temos conforto, qualidade e segurança.

A Automação Residencial traz muitos benefícios reais aos proprietários e


atende também os consumidores com necessidades específicas, tais como a
acessibilidade e a diminuição no consumo de energia elétrica.

1.1. Automação Residencial

1.1.1. Definição de automação residencial

Segundo Muratori e Dal Bó (2011), a Automação Residencial é o conjunto


de serviços proporcionados por sistemas de hardware e software de alta tecnologia

3
que estão integrados para prover o melhor meio de satisfazer as necessidades
básicas de segurança, comunicação, gestão energética e conforto de uma
residência.

Ainda segundo os autores citados, na América do Norte usa-se o termo


Home Automation, no Brasil Automação Residencial e na Europa, "domótica", este
último largamente empregado por ser mais abrangente.

Domótica é a automatização e o controle aplicados à residência. Esta


automatização e controle se realizam mediante o uso de equipamentos que dispõem
de capacidade para se comunicar interativamente entre eles e com capacidade de
seguir as instruções de um programa previamente estabelecido pelo usuário da
residência e com possibilidades de alterações conforme seus interesses. Em
consequência, a domótica permite maior qualidade de vida, reduz o trabalho
doméstico, aumenta o bem-estar e a segurança, racionaliza o consumo de energia
e, além disso, sua evolução permite oferecer continuamente novas aplicações
(MURATORI E DAL BÓ, 2011, p.70).

Continuando o que disseram os autores a cima, o fator que define uma


instalação residencial automatizada é a integração entre os subsistemas nela
contidas, que sejam capazes de executar rotinas e comandos pré-programados. A
integração deve envolver todos os subsistemas da residência.

Para termos uma noção do pode ser controlado em uma residência, a


figura 1 mostra alguns exemplos de sistemas existentes.

Figura 1 – O que pode ser controlado na residência


Fonte: http://www.idealhome.com.br/site/admin/upload/automacaoG.gif

4
1.1.2. Integrador de sistemas residenciais

Segundo Muratori e Dal Bó (2011), o Integrador de sistemas residenciais


é definido como sendo aquele profissional que elabora o projeto integrado, baseado
nas necessidades de uma família ou um proprietário do imóvel, acompanha o
andamento da obra para certificar-se da aplicação correta dos dispositivos,
especifica os materiais, equipamentos e softwares, fornece equipamentos e
acompanha as equipes terceirizadas, realiza as instalações, faz a programação e
testes, dar garantia do perfeito funcionamento do sistema. O integrador pode ser
uma pequena organização ou um profissional autônomo que atua com apoio de
parceiros. Tem sua formação baseada nas áreas de tecnologia: engenharia elétrica
ou eletrônica, tecnologia da informação (TI), automação industrial, mecatrônica e
similares.

1.2. Subsistemas da Automação Residencial

1.2.1. Subsistema de controle de segurança

Este sistema utiliza eletrônica embarcada e são mais comuns nas


grandes cidades. Além da questão da segurança pessoal e patrimonial, está
também à prevenção de acidentes, a assistência remota para os residentes
portadores de necessidades especiais ou que necessite de cuidados específicos.
Dentre as principais soluções, citamos os alarmes contra intrusão que podem ser
instalados no entorno da residência. Os dispositivos mais comuns são as cercas
elétricas, feixes de raios infravermelhos. Podem ser utilizadas soluções mais
avançadas como cabos microfônicos que detectam tentativas de arrombamento. A
instalação é feita dividindo-se em zonas delimitadas, que facilita a identificação mais
rápida e precisa da ocorrência (MURATORI E DAL BÓ, 2011).

Muratori e Dal Bó (2011) relataram que o monitoramento por meio de


Circuito Fechado de TV (CFTV), onde se tem a possibilidade de acessar e
visualizar as imagens à distância usando a Internet. Podem-se utilizar câmeras
comuns ligadas a um gravador digital de imagens (DVR) ou câmeras IP que podem
ser acessadas diretamente por navegadores.

Ainda conforme relataram os autores, o controle de acesso é uma


solução de acesso por meio eletrônico. O recurso mais utilizado atualmente é a
leitura biométrica das digitais. A fechadura elétrica com leitora biométrica é um
eficiente sistema de controle personalizado que aumenta a segurança. Outra
funcionalidade desta solução é permitir que os comandos sejam personalizados para
cada membro da família.

5
1.2.2. Subsistema de controle de áudio e vídeo

No ambiente “home theater” compreende todos os dispositivos utilizados


para execução de músicas e vídeos dos mais variados formatos e gêneros
presentes neste ambiente da residência. Nesta central de áudio e vídeo é onde se
faz todo o gerenciamento de conteúdos, gravações, divisão de canais e distribuição
na rede da residência com a qualidade desejada (BOLZANI, 2007).

1.2.3. Subsistema de controle de climatização

O sistema mais comum usado para o nosso clima, que é


predominantemente tropical, é o sistema de ar-condicionado do tipo split. A
operação pelo usuário normalmente é feita por comandos na parede ou
simplesmente com controles remotos baseados em infravermelho. A automação
embarcada nos aparelhos de ar-condicionado não permite uma integração direta
com outros sistemas de automação residencial. Mas é possível ser desenvolvido
interfaces personalizadas se o morador desejar transferir todos os controles originais
do aparelho de ar-condicionado para o sistema de automação residencial. Assim
como em outros sistemas da residência, o controle da climatização pode ser feito à
distância, através de um celular e computador conectados a Internet, desde que a
instalação da casa esteja configurada para esta facilidade (MURATORI E DAL BÓ,
2011).

2. Características

O sistema My Home é a solução de automação da Bticino e representa


uma nova forma de projetar os sistemas residenciais.

My Home amplia as possibilidades de projeto e torna a vida mais fácil e


funcional, graças à utilização de uma tecnologia de sistema único, o BUS digital. A
instalação feita utilizando-se o BUS digital se aplica a qualquer ambiente, seja ele
residencial ou comercial, com soluções avançadas em termos de conforto,
segurança, economia de energia, multimídia e controle local ou remoto.
A modularidade da instalação e a integração funcional dos diversos
dispositivos oferecem a liberdade de escolha de que funções adotar de imediato e
quais adotar numa futura expansão, sem intervenções estruturais importantes e com
otimização de custos.

O sistema My Home é caracterizado por dispositivos BUS inteligentes,


interligados através de um canal de comunicação dedicado à troca de informações
e à condução da tensão de alimentação. O meio físico consiste de um cabo de par
trançado, sem blindagem, que trafega 27 V c.c., podendo ser lançado junto com os
cabos de alimentação e conectando todos os dispositivos em paralelo

6
ao barramento do sistema. O sistema é composto de fonte de alimentação,
atuadores e comandos.

3. Comandos de Entrada

Os comandos de entrada para o sistema com fio BUS/SCS para


iluminação, persianas, ar condicionado, áudio/vídeo e cenários possui opções de
botoeiras, botões, pulsadores, displays touch screen entre outros. Alguns desses
comandos tem instruções de liga e desliga (ON/OFF), dimmers de ajuste de brilho,
controles de temperatura, controles para alarme etc. Existem também comandos de
entrada por detectores de presença ou temperatura, movimento e etc. esses
dispositivos de comando tem vários formatos e cores como os exemplos da imagem
abaixo:

Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

Já no sistema rádio sem fio, além das botoeiras e dimmers


(funcionamento com baterias), existe outras opções mais flexíveis como controles
remotos, smartphones e tablets através de aplicativos.

7
Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

Os aplicativos como MyHome, NUVO (WholeHomeAudio) e Wi Connect


permitem os smartphone e tablets comandarem as entradas do sistema rádio sem
fio:

Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

4. Meios de Comunicação

Esse sistema da Bticino Legrand funciona em duas tecnologias diferentes:


Tecnologia rádio (Wi Connect Legrand) usando o protocolo ZIGBEE e Tecnologia
BUS (MyHOME) usando o protocolo SCS. O sistema possui uma tecnologia que
permite modificações e ampliações de forma fácil, dando flexibilidade ao sistema.
O sistema Rádio ZIGBEE utiliza transmissores e receptores sem fio em
uma frequência de 2,4 GHz. Essa solução é ideal para instalar de forma rápida e
sem quebras de paredes e pode controlar a iluminação, persianas, ar condicionado,
áudio/vídeo, entre outros. É possível controlar até mesmo cenários, oferecendo
opções de reverter devido a comunicação bidirecional entre os dispositivos.

8
Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

No sistema BUS/SCS os dispositivos são alimentados por energia e


trocam seus dados através de cabos de par trançado de baixa tensão de 2 fios.
Essa solução também pode controlar iluminação, persianas, ar condicionado,
áudio/vídeo e cenários, a diferença entre o sistema sem fio está na flexibilidade dos
comandos de entrada.

Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

9
Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

5. Atuadores

Os atuadores são dispositivos que realizam os comandos dirigidos a eles


através de um dispositivo de comando. Pode-se dizer de forma análoga, em
comparação ao corpo humano, que os comandos de entrada, sensores, seriam os
sentidos humanos, como por exemplo a visão, daria um comando ao corpo, para
assim se desviar de algum objeto. Assim o copo seria um atuador que agiria
conforme os comandos de entrada, a visão.
Os atuadores no sistema My Home podem ser de diversos tipos,
atuadores por desaparecimento, embutidos e de quadro. Conforme representados
nas figuras.

Atuador por desaparecimento

Fonte: Leite (2018)

Atuador embutidos
10
Fonte: Leite (2018)

Atuador de quadro elétrico

Fonte: Leite (2018)

Como exemplo de atuadores, a Legrand traz em seu Catálogo de


Automação o Switch ON/OFF e Dimmers que estão diretamente ligados à carga a
ser controlada e à corrente elétrica.

11
Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018
6. Diferenciais

MyHOME Legrand tem como diferencial final ao consumidor sua


facilidade em garantir a eficiência energética. Em seu manual traz alguns de seus
diferenciais, como por exemplo o fato de aquecer somente quando e onde for
necessário, usando esta função, o usuário pode decidir a temperatura de cada
ambiente com base na sua utilização e a hora do dia. É possível também selecionar
o ambiente que não está sendo usado e, portanto, não precisa ser aquecida. A
ativação do sistema também leva em conta o calor produzido pelo sol, como o
aparelho demonstrado na imagem.

12
Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

Como também o Switch de iluminação OFF, com economia e


gerenciamento da iluminação segundo a presença de pessoas e nível de recursos
naturais de iluminação possibilitando o máximo conforto visual para os usuários e
contribuindo para a economia de energia. Dependendo do local, pode ter uma
economia de 55% a 75%.

Fonte: Catálogo de automação Legrand, 2018

7. Considerações finais

As instalações elétricas têm vindo a mudar significativamente ao longo


dos anos devido à necessidade de uma maior automação e integração de diferentes
soluções para assegurar a proteção e o conforto da habitação.
A automação residencial surge, dentre vários outros recursos disponíveis,
com o propósito de facilitar o dia-a-dia das pessoas. A automação é produto dos
vários avanços no campo tecnológico, e da própria necessidade humana de sempre
buscar o melhor conforto, segurança e praticidade.

13
Estores e cortinas elétricas, luzes de intensidade regulável, aparelhos
para aquecimento e arrefecimento e sistemas de alarme anti-intrusão com
telecâmaras são exemplos de sistemas tecnológicos cada vez mais usados nas
nossas habitações e que necessitam de funcionar em sinergia para ir de encontro às
exigências do utilizador. Tudo isto implica a implementação de instalações elétricas
com características de elevada flexibilidade, que podem ser facilmente configuradas
e expandidas de acordo com as diferentes e múltiplas necessidades do utilizador.
Uma instalação tradicional desenhada para desempenhar todas as
funções anteriormente descritas é inevitavelmente caracterizada por uma elevada
complexidade de circuitos e desenhada para gerir uma única função, sem qualquer
possibilidade de modificação ou integração noutras soluções. A solução para as
limitações anteriormente referidas consiste numa tecnologia de BUS digital, que usa
mecanismos “inteligentes” capazes de comunicar entre si, ligados a uma linha de
sinal (BUS), dedicada tanto à troca de informações como ao transporte da energia
para alimentação desses mecanismos.
A moderna tecnologia de My Home oferece uma variedade
de ferramentas de visualização, local ou remotamente, para manter tudo sob
controle quando se está em casa ou longe dela. Tudo isso com uma aparência
sofisticada e moderna.

14