Você está na página 1de 10

CURSO PRÁTICO DE

iniciação ao
VIOLINO
(Volume I)
Caro(a) aprendiz,

Bem vindo(a) ao Curso Prático de Iniciação ao Violino! Este

pequeno e singelo manual foi elaborado com carinho e dedicação na

tentativa de auxiliá-lo(a) na iniciação de seus estudos práticos de violino.

Em breve você descobrirá o quão prazeroso e divertido é aventurar-se

pelos estridentes e maravilhosos sons emitidos pelas cordas deste

clássico e adorável instrumento musical. Contudo, antes de mais nada, é

preciso que você conheça um pouquinho mais a respeito dos mares onde

almeja navegar. Por este motivo, trouxemos aqui algumas dicas básicas e

instruções elementares que irão contribuir para que você tenha algum

conhecimento prévio a respeito do violino antes de começar a tocá-lo.

Esperamos que estas dicas realmente possam lhe ajudar! Boa sorte

em seus estudos e nunca se esqueça que...

“A música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende.”

[Arthur Schopenhauer]

2
LIÇÃO Nº 1
Do que um bom aprendiz precisa para iniciar seus estudos

Antes de iniciar suas aulas de violino, um aprendiz de violinista,

obviamente, necessita de alguns aparatos que lhe possibilitem a iniciação

de seus estudos. Segue abaixo uma lista de tudo aquilo que você irá

precisar:

1. Um Violino

Sem dúvida, este é o principal objeto de que você irá precisar.

Muitos violinistas iniciantes começam a estudar violino sem possuí-lo,

utilizando os instrumentos emprestados pelas escolas em que estudam.

No entanto, nada se compara à aquisição de seu próprio instrumento.

Assim você poderá estudar com frequência em casa e se dedicar ao

violino de forma mais adequada.

3
2. Um Arco

O arco é um elemento fundamental para que você possa tocar

violino. Logo, assim que você adquire um violino, adquire um arco

também. Você irá utilizar o seu arco para produzir som nas cordas do

seu violino e irá segurá-lo com sua mão direita. Contudo, é essencial que

o seu arco esteja lubrificado, caso contrário não irá produzir som algum.

Para tanto, você vai precisar de um breu ou resina.

3. Breu

O breu será responsável pela lubrificação do arco. Você deve

esfregar a parte branca do seu arco contra o breu de extremidade a

extremidade até que ele esteja adequado ao uso.

4
4. Espaleira

A espaleira é um acessório utilizado para apoiar o violino ao

ombro do musico. Não é um acessório obrigatório, é utilizado apenas

quando o músico não consegue apoiar o violino ao ombro. No entanto, é

recomendável que você adquira uma espaleira para si, uma vez que ela

torna o manuseio do violino menos cansativo e muito mais confortável.

Estes são, sem dúvida, os instrumentos básicos de que você irá

precisar. Geralmente, estarão todos inclusos quando você fizer a

aquisição de um violino novo. Caso algum destes itens não lhe for

garantido na hora da compra, você precisará adquiri-lo à parte depois,

portanto, não hesite em tentar negociar com seu vendedor.

Caso queira, você pode adquirir outros itens auxiliares como um

afinador e uma estante. A estante é ideal para ser utilizada em

apresentações, mas também é muito útil quando se está praticando

também. O afinador, entretanto, pode não ser tão necessário quando

você desenvolve a habilidade de afinar seu violino por si só ou conta

com o auxílio de outras pessoas com ouvidos mais apurados.

5
LIÇÃO Nº 2
Conhecendo melhor o violino
O violino é um intrumento musical, classificado como

instrumento de cordas friccionadas. Ele possui quatro cordas com

afinação da mais aguda à mais grave: Mi, Lá, Ré e Sol.

Durante suas aulas práticas você irá aprender mais a respeito das

notas musicais neste instrumento musical. No entanto, é essencial para

sua iniciação que sejam colocadas quatro marquinhas no seu violino.

Cada uma delas indicará o local exato de determinadas notas musicais,

bem como o local onde seus dedos deverão ser colocados para atingir a

afinação exata de cada uma destas notas. À medida que você for se

acostumando à sonoridade e localização das notas, poderá eliminar as

marquinhas e tocar sem elas.

6
LIÇÃO Nº 3
Como cuidar do seu violino
Nada é eterno. Os instrumentos musicais também não o são.

Quando adquirimos nosso primeiro violino, geralmente o fazemos sem

muita experiência. Na maioria das vezes desconhecemos marcas e

modelos adequados; às vezes damos sorte em receber bons conselhos e

fazemos boas aquisições. Os investimentos iniciais também não devem

ser ousados, mas fundamentados nas reais possibilidades de cada

aprendiz, eis que apesar da vontade, é difícil saber se está-se investindo

em algo que vai realmente dar certo.

Assim, se um aprendiz empenha-se de verdade e resolve adentrar

com coragem o terreno da arte sobre quatro cordas, provavelmente opte

por realizar investimentos mais generosos quando vir suas habilidades

bem desenvolvidas e possivelmente resolva comprar um instrumento

mais aprimorado.

Tal probabilidade, entretanto, não exime o novo aprendiz de ser

cauteloso com seu primeiro violino. Algumas dicas podem auxiliar na

durabilidade e resistência, de seu instrumento, ao tempo:

 Mantenha seu violino afastado do sol, pois o calor pode fazer a


madeira rachar ou descolar.
 Passe regularmente uma flanela no violino, pois a poeira além de
desgastá-lo, pode diminuir o tempo de duração das cordas. O pó
oriundo do breu também é prejudicial e deve ser removido tão logo
possível, uma vez que pode ficar grudado na superfície do
instrumento e prejudicar o seu som.

7
 Sempre limpe as mãos antes de manusear o violino. (Isso evitará o
desgaste do seu instrumento)
 Passe, sempre que necessário, a resina (breu) nas cerdas do arco,
quando for tocar.
 Afrouxe as cerdas do arco antes de guardar o instrumento, recorrendo
ao parafuso-sem-fim. Este ponto é de grande importância dado que a
vara do arco (parte da madeira) tem uma curvatura ideal para
produzir o som. Quando a tensão das cerdas se mantém exagerada
por longos períodos de tempo, esta curvatura tende a desaparecer e o
arco fica, então, inutilizado.
 Lembre-se que a afinação de um violino é muito sensível, de forma
que alterações de temperatura e pressão podem prejudicá-la,
tornando necessário afinar de novo as cordas.

Seguindo estas dicas e tendo uma certa dose de cuidado, seu

violino provavelmente estará apto a acompanhá-lo(a) por uma longa

trajetória de estudo e conhecimento musical!

8
LIÇÃO Nº 4
Sobre a posição correta do corpo e do violino
Posição Correta
Corpo ereto e busto para frente. As pernas devem ficar um pouco abertas
para estabilizar o equilíbrio do corpo, assim, quando o movimento do
arco for rápido, o braço direito terá maior facilidade para executar as
notas. O peso do corpo deve ficar apoiado nas duas pernas. Porém, em
passagens mais aceleradas, pode-se jogar o peso só no pé esquerdo.
Posição do violino no corpo
O violino deve ser colocado em cima da clavícula esquerda e apoiado de
leve no ombro esquerdo.
O braço esquerdo deve estar na mesma direção do pé esquerdo.
Inclinar o violino para o lado direito. Puxar a queixeira e encostá-la no
queixo, para manter o violino horizontalmente. Não levantar nem baixar
o ombro esquerdo; deixá-lo solto. A técnica do violino é muito delicada.
Forçando-se o ombro, o movimento dos braços será impedido. Se o
ombro for baixo, usar almofada (espaleira), para não forçar o pescoço
nem o ombro. A almofada serve para adaptar o instrumento ao corpo do
aluno. A queixeira deve ser adequada a cada pessoa para que o violinista
fique bem à vontade.
Quando segurar o violino a posição tem de ser natural, isto é, sentir o
violino como se fosse uma parte do corpo. Observadas as posições acima
explicadas e o arco tocado com leveza, liberdade, harmonia de
movimentos e perpendicular em relação à corda, é mais fácil tocar o
instrumento.
Como usar a mão esquerda
O cotovelo esquerdo deve situar-se por baixo do tampo do violino,
inclinado para a direita. Para facilitar a movimentação dos dedos
esquerdos, o pulso deve estar na mesma direção do antebraço e
completamente relaxado.

9
A conjuntura dos dedos esquerdos deve estar na altura das cordas. Os
quatro dedos (indicador, médio, anelar e mínimo) devem estar
encurvados. Colocá-los na direção da corda, para depois pousá-los.
O polegar deve estar apoiado de leve no braço do violino, na direção
entre os dois primeiros dedos (indicador e médio). O polegar deve estar
assim para que os quatro dedos restantes se apoiem com a mesma força
nas cordas. Se alguém tiver o polegar maior, este sobressairá para cima
do braço do violino junto à corda sol.
Quando as cordas forem abaixadas pelos dedos, cuidado para não
endurecer as falanges dos dedos, nem o cotovelo. Os dedos devem ser
colocados sem força, de modo leve sobre as cordas. Quando os dedos
não estão sendo usados, deixá-los na posição natural, isto é, encurvados.
Como pegar o arco
Deixar o braço direito solto, como se estivesse a andar. Pegar no arco
com a mão direita livre, sem modificar sua posição. Isto facilitará a
movimentação do arco nas cordas.
(Deixar todo o peso do braço sobre o arco, como se o braço estivesse
morto).
Forma igual à anterior, com as duas falanges do polegar um pouco
curvadas. A extremidade do polegar deve estar na extremidade do talão,
deixando o polegar metade para a madeira do arco e metade para o
talão. O polegar deve estar perpendicular em relação ao arco.
Segurar o arco entre a 1ª e 2ª falanges do indicador e na 1ª falange do
médio; deixar o dedo mínimo na forma arredondada, perto do botão do
arco, e segurando pela ponta. O dedo anelar é deixado naturalmente. O
polegar deve estar no meio do dedo indicador e do médio, só que do
outro lado do arco.
Segurar o arco corretamente é muito importante para uma boa execução.
O indicador direito controla a pressão do arco nas cordas, o que afeta o
volume e o timbre do instrumento. O violinista precisa manter todo o
corpo relaxado, à vontade.
Com estas dicas, aliadas à prática frequente, logo você evoluirá de

um(a) aprendiz iniciante a um(a) ótimo(a) violinista!!! Boa sorte!


10