Você está na página 1de 6

FONTE: REVISTA BRASINDOOR

Vol. II nº 10, pgs.22,23,24


Por: Eduardo H.M. Dantas – Engenheiro Mecânico Especializado em Ar
condicionado, consultor técnico de várias Empresas do segmento em
São Paulo.

Procedimento de Manutenção, Operação e Controle


Em Sistemas de Ar Condicionado

1. Introdução

Com a assinatura da nova portaria pelo Ministério da Saúde, muito se fala em


higienização de dutos de ar condicionado. Porém, manutenção de sistema de
ar condicionado não se resume apenas em higienização dos dutos. É um
contexto muito mais. Até a presente data, antes de ser publicado os limites de
aceitabilidade, tolerância a pré-requisitos de projeto, a portaria ministerial está
exigindo apenas cuidados básicos de manutenção e limpeza nas instalações
de ar condicionado, como se pode ver no texto:

“Art. 1º- Aprovar Regulamento Técnico contendo medidas básicas referentes


aos procedimentos de verificação visual do estado de limpeza, remoção de
sujidades por métodos físicos e manutenção do estado de integridade e
eficiência de todos os componentes dos sistema de climatização, para
garantir a qualidade do Ar de interiores a prevenção de riscos à saúde dos
ocupantes de ambientes climatizados”.

Os pré-requisitos básicos de operação e manutenção dos sistema de Ar


condicionado deverão possuir profissionais habilitados e gabaritos, devendo
os mesmos serem responsáveis técnicos e responder pelo estado geral da
instalação, é o que determina a portaria nos artigos abaixo:

“Art. 6º- Os proprietários, locatários e prepostos, responsáveis por sistemas


de climatização com capacidade acima de 5TR
( 15.000kcal/h=60.000BTU/H ), deverão manter um responsável técnico
habilitado, com as seguintes atribuições:
a) Implantar e manter disponível no imóvel um Plano de Manutenção
Operação e Controle – PMOC, adotado para o sistema de climatização.
Este Plano deve conter a identificação do estabelecimento que possui
ambientes climatizados, a descrição das atividades a serem
desenvolvidas, a periodicidade das mesmas, as recomendações a serem
adotadas em situações de falha do equipamento e de emergência, para
garantia de segurança do sistema de climatização e outras de interesse,
conforme especificações contidas no anexo I deste Regulamento Técnico.
b) Garantir a aplicação do PMOC por intermédio da execução contínua direta
ou indireta deste serviço.
c) Manter disponível o registro da execução dos procedimentos
estabelecidos no PMOC.
d) Divulgar os procedimentos e resultados das atividades de manutenção,
operação e controle aos ocupantes.

“Art. 7º- O PMOC do sistema de climatização deve estar coerente com a


legislação de Segurança e Medicina do Trabalho. Os procedimentos de
manutenção, operação e controle dos sistemas de climatização e limpeza dos
ambientes climatizados, não devem trazer riscos à saúde dos trabalhadores
que os executam nem aos ocupantes destes ambientes.”

O responsável técnico passará a responder, à luz da legislação, por qualquer


ato de omissão ou negligencia perante a vigilância Sanitária, juntamente com
o proprietário, locatário ou preposto e sua falta será configurada como
infração sanitária, sendo os mesmos penalizados pela Lei 6.437 de 20 de
agosto de 1997, podendo ainda arcar com as demais penas previstas na
legislação específica, como discorre o artigo 9º

“Art. 9º- O não cumprimento deste regulamento configura infração sanitária,


sujeitando o proprietária ou locatário imóvel ou preposto, bem como o
responsável técnico, quando exigido, às penalidade previstas na Lei nº.6.437,
de 20 de agosto de 1.977, sem prejuízo de outras penalidades previstas em
legislação específica.”

O que é exigido pela lei é que a manutenção, projeto, operação e sua


responsabilidades sobre os sistema de climatização sejam observadas, sem
prejuízo da população usuária.

2. Manutenção

“Manutenção é o efeito de conservar; manter em bom estado ²”


A manutenção de um sistema de ar condicionado não visa somente a
higienização da rede de dutos. É uma atividade ampla que podemos separar
em três zonas distintas:

• Fonte Primária: É considerada como fonte primária de contaminação do


sistema, a casa de máquinas e o condicionador. É uma zona molhada,
onde devido suas características existe constante presença de água, que
contribui para acelerar a proliferação de microorganismos, entre eles:
fungos, bactérias, protozoários e algas. Este ponto é o foco de
contaminação biológica e muitas vezes químico do sistema;
• Fonte Secundária: É considerado como fonte secundária de
contaminação do sistema, os dutos de ar. É um local onde o ar está com
uma umidade relativa próximo do ponto de saturação, e agravado pelo
acúmulo de pó no seu interior, criando um meio propício para a
proliferação de novos focos de microrganismos, principalmente fungos e
bactérias;
• Fonte Terciária: É considerado como fonte terciária de contaminação do
sistema o ambiente condicionado. É a de retro alimentação de elementos
básicos necessários para a contaminação das fontes primária e secundária
do sistema, uma vez que será liberado neste local fibras de celulose, toner
de fotocopiadoras, escamas de pele, material particulado, ozona,
formaldeído, e outros contaminantes.
A manutenção do sistema de ar condicionado não pode e não deve ser
negligenciada Quando ao aspecto de desempenho térmico do sistema. Os
responsáveis pela área de manutenção devem observar cuidadosamente
as variáveis de controle, de modo a garantir a completa aderência da
operação com o projeto original. É muito importante se ter em mente
durante a elaboração do plano de manutenção quais são as variáveis a
serem mantida, para garantir o perfeito funcionamento dos sistemas. É
comum encontrarmos planos de manutenção que analisam e controlam
variáveis de menor importância, gerando uma relação custo – benefício
inadequada. Quando por políticas internas das empresas, são necessárias
medidas de contenção de despesas, não restando ao departamento de
manutenção outra alternativa a não se abandonar este plano onerosos.
Quando bem elaborado e conduzido um plano de manutenção preventiva,
visa prolongar a vida útil do equipamento, diminuir o resgate mecânico de
peças e artes, reduzir o consumo de energia elétrica e aumentar
confiabilidade operacional do sistema. O ponto de equilíbrio do custo do
plano de manutenção é definido pelo valor de instalação do sistema e pela
confiabilidade operacional necessária (ex. o custo de manutenção de um
sistema de ar condicionado de conforto e um sistema que atende ao CPD
central de um grande banco não pode ser o mesmo).
O responsável pela manutenção precisa identificar de modo objetivo e
eficaz quais são as variáveis de controle que serão adotadas e separá-las
de modo criterioso em atividades diárias, semanais, mensais, trimestrais e
anuais. Com esta separação em função do grau de importância, cria-se um
plano de manutenção capaz de reduzir as quebras e imprevistos, podendo
ser adotada uma menor substituição de peças e consequentemente,
menos custo de manutenção.

3. PMOC - Plano de Manutenção, Operação e Controle

O plano de manutenção exigido pela portaria ministerial exige que as


empresas que possuem sistema de ar condicionado apresentem, primeiro
lugar a evidência física dos dados básicos deste plano de manutenção e
quais os dados dos responsáveis por tais atividades da manutenção.

4. Garantia da Qualidade do Ar

Como no acima exposto, verifica-se que o plano de manutenção para


garantia do ar deve começar pelas atividades de eliminação das fontes
primárias, ou seja, na casa de máquinas do condicionador.
Manutenção na área primária

• Os condicionadores devem receber especial manutenção Quanto ao


estado de conservação dos seus gabinetes, visando evitar poros de
corrosão, infiltrações de ar pela tampa do gabinete, bandejas sem a
presença de biofilme, ter sifão de drenagem com selo hídrico superior a
pressão do ventilador. O isolamento térmico/acústico do gabinete deve
estar isento de pó, fungos e ter a resina de proteção em bom estado, para
evitar a dispersão de fibras e ter seus filtros limpos;
• Os pontos de corrosão devem ser removidos, pois formam poros
profundos onde se instalam colônias de fungos e bactérias, que não são
alcançados durante a limpeza .O doutor Gaylord6 apresentou um estudo
onde mostra como microrganismos podem usar oxigênio dos alimentos e
produzir uma célula com característica química diferente, que induz a
transferência de elétrons causando a corrosão Catódica.
• As casas de máquinas devem ser em locais com boa iluminação, espaço
adequado às atividades de manutenção, com os controles de vazão
( dampers) de retorno e ar externo em bom estado de conservação, além
de regulá-los. As paredes, pisos e tetos devem possuir acabamento
liso para permitir a correta limpeza. É PROIBIDO O USO DAS CASAS
DE MÁQUINAS COMO DEPÓSITOS DE MATERIAIS DE LIMPEZA, OU
ARQUIVO MORTO. Como se refere a seguinte Norma Técnica: - É
proibido guardar objetos estranhos à instalação próximo das partes
condutoras das mesmas.( NR-10 ITEM 10.3.2.10 )³ .
– Os pisos dos locais de trabalho onde se instalam máquinas e
equipamentos devem ser vistoriados e limpos, sempre que
apresentarem riscos provenientes de graxas, óleos e outras
substancias, que os tornem escorregadios ( NR-11 ITEM 12.1.1) 4 .
– Entre partes móveis de máquinas e / ou equipamentos deve haver uma
faixa livre variável de 0,70m ( 70cm ) a 1,30m ( 1.30cm ), a critério da
autoridade competente com segurança e medicina do trabalho ( NR-11
ITEM 12.1.3 ) 4.

Manutenção na área secundária

Os dutos de ar condicionado devem ser mantidos limpos e balanceados para


garantir a correta distribuição do ar nos ambientes.
A higienização do sistema de ar condicionado é uma operação que visa
eliminar os efeitos de contaminantes, inertes biológicos e químicos, do interior
dos dutos e demais acessórios dos sistemas. A higienização de dutos de ar
condicionado e ventilação pode ser executada de três diferentes maneiras.
1. Por aspiração: é utilizado um aspirador de pó portátil com filtro HEPA,
sendo aspirado o pó do interior do duto, porém este sistema apresenta
como inconveniente o fato de necessitar muitas janelas de acesso e pode
deixar partículas em locais de difícil acesso que contaminarão o ar
ambiente.
2. Por Sopro: é conectado ao duto equipamento de alta sucção, criando
pressão negativa na seção a ser limpa e um bico de sopro introduzido para
promover a desincrustação do pó. Com a ação conjunta do equipamento
de pressão e o bico de sopro, o material particulado é aspirado para o
interior do equipamento de sucção.
3. Por escovação mecânica: este sistema é similar ao anterior, porém é
utilizado escovas rotativas para desincrustação do pó7.
Um estudo realizado pela Universidade de Ciências da Saúde de
Västerbotten na Suécia, estabeleceu um teste comparativo entre os métodos
de limpeza de dutos, obtendo os seguintes resultados:
– Sistemas de limpeza por sopro deixam 78% do pó no interior dos dutos;
– Sistemas de escovação mecânica deixam 11% do pó no interior dos
dutos.
Assim , com este teste comparativo chegou-se à seguinte conclusão: “Nós
finalmente recomendamos ao comitê de segurança da Universidade que o
comparativo dos métodos de limpeza indicou que a escovação mecânica
deve ser adotada para todos os processos de limpeza de dutos de
ventilação.” 8
Com base nos estudos realizados podemos concluir que a melhor tecnologia
de higienização dos dutos reúne a escovação mecânica, com a utilização do
sopro para a remoção do material residual que porventura tenha
permanecido nos dutos.
Descontaminação biológica, é uma operação que visa a eliminação ou
redução de crescimento de microrganismos. Biocidas líquidos são
recomendáveis para utilização em bandejas, serpentinas, ventiladores,
gabinetes dos condicionadores e casas de máquinas. Porém deve-se tomar
muito cuidado com as seguintes contra indicações:
O uso de biocidas deverá ser executado sem a presença dos ocupantes e
tomando cuidado para aguardar o tempo de inibição antes de colocar o
sistema em operação. Alertamos que o uso de biocidas líquidos deve ser
permitido no condicionador e casa de máquinas com muito cuidado, para não
deixar fontes de contaminantes, químicos. O uso de produtos líquidos no
interior da rede de dutos é totalmente contra indicada, pois vazamento deste
produto irá umedecer o isolamento térmica e o mesmo perderá sua
propriedade isolante.

Manutenção na Área Terciária

Para a manutenção da climatizada temos que adotar um novo procedimento


de limpeza de superfícies fixas, que consiste:
– Nas entradas dos locais condicionados, principalmente nos halls de
entrada, devem ser utilizados barreiras físicas para a retenção do pó
( capacho );
– Os pisos de pedras ou material sintético deverão ser limpos com MOP.
– Os carpetes e divisórias em tecido deverão ser aspirados com
equipamento com cortina de água.;
– Não se deve permitir o uso de vassouras, pois as mesmas levantam
grande quantidade de material particulado que será aspirado pelo
condicionador;
– As bocas de insuflamento e retorno do sistema de ar condicionado
deverão ser lavadas periodicamente;
– Verificar periodicamente o balanceamento da rede de dutos. Uma rede
de dutos desbalanceada não suprirá as necessidades de ar de um
recinto;
– As máquinas fotocopiadoras devem possuir local próprio de exaustão.

Verificação da Instalação

5. Verificação da Instalação

Para facilitar a verificação e o estado geral do sistema do ar condicionado


temos que ter em mente:
1. Um sistema de ar condicionado que é projetado corretamente, instalado,
mantido, e operado, é essencial para prover qualidade de ar em recintos
fechados.
2. O controla das fontes poluente é o meio mais efetivo de promover
qualidade de ar em ambientes fechados.
3. Uma provisão adequada de ar externo é essencial para a diluição dos
contaminantes nos recintos fechados.
O relatório acima deve ser executado preferencialmente junto com uma
máquina fotográfica que facilita a visualizações das situações das pessoas
que não acompanharam sua elaboração.