Você está na página 1de 11

DEPARTAMENTO

DE CIÊNCIAS ECONÓMICAS E EMPRESARIAIS


CONTABILIDADE DE GESTÃO

CADERNO DE EXERCÍCIOS Nº 1






ANO LETIVO DE 2018/2019





Professor Doutor Joaquín Texeira Quirós
jquiros@autonoma.pt





1) Considere os seguintes elementos referentes ao ano N da empresa “Ar Livre,
Lda.”, que se dedica à comercialização de artigos desportivos (expressos em
euros):

Existências iniciais 5.000


Existências finais 3.000
Compras 16.000
Custos com o pessoal:
Comercial 2.500
Administrativo 500
Outros custos comerciais 2.000
Outros custos administrativos 1.000
Vendas 24.000

Pretende-se:

a) Demonstração de Resultados Líquidos.


b) Demonstração de Resultados por Funções.
c) Análise dos valores apresentados nas Demonstrações, relacionados com a
Rendibilidade das Vendas, com a Estrutura de Custos e com a variação de
Existências.


2) A empresa “Mistério, Lda.” comercializa um único produto. Da Contabilidade
Analítica, relativamente a um mês, obtiveram-se os seguintes elementos:

Vendas 100 unidades 10 € cada


Existências Iniciais 50 unidades 4 € cada
Quantidade comprada 100 unidades 6 € cada

O gerente da empresa verificou que os Resultados Mensais eram diferentes em relação


aos que pensava obter para o volume de vendas realizado. Foi alertado para o facto de
que tinha sido alterado o critério valorimétrico.

Pretende-se:

Resultado industrial, utilizando os critérios FIFO, LIFO e
CMP.

3) Considere a seguinte informação referente ao ano de 200n da empresa


“LogicalTech, Lda.” que se dedica à comercialização de software.

Existências iniciais 2.000 unidades a 10 € / unidade
Compras 20.000 unidades a 12 € / unidade
Vendas 15.000 unidades a 18 € / unidade
Custos administrativos 8.000 €
Custos comerciais fixos 12.000 €
Custos de distribuição variáveis 1 € por unidade
Custos de distribuição fixos 2.0 €


a) Elabore a Demonstração de resultados por Funções
b) Calcule o valor das existências finais utilizando o critério FIFO.

4) Uma determinada empresa fabrica vários produtos, entre os quais, o produto
“A”. Da contabilidade analítica referente a um determinado mês, obtiveram-se
as seguintes informações:
• Relativamente ao Produto A:
Custo primo: 1.000 €
Custo de transformação: 2.700 €
Matéria primas: 300 €

• A variação da produção em Vias de Fabrico relativamente ao produto A:


Ei = 100 €
Ef = 600 €

• Foram produzidas e acabadas 1.000 unidades do produto A.

• Relativamente à produção:
Custos comerciais e de distribuição globais: 200 €
Custos financeiros globais: 100 €

• Não havia produção em vias de fabrico de outros produtos.

• A variação dos produtos terminados relativamente ao produto A:


Ei= 100 unidades/ 3€ cada
Ef= 40 unidades

Critério de valorização: FIFO



Pretende-se:

a) Custo Industrial de produção acabada do mês;


b) Custo Industrial de produção acabada e unitário do produto A, fabricado no
mês;
c) Custo Industrial de produtos vendidos, sabendo que foram vendidas 900
unidades.

5) A Euro Tecidos, Lda, é uma empresa produtora de tecidos de lã que vende
exclusivamente a uma sua associada que os tinge e comercializa.

A actividade da empresa apresenta a seguinte configuração:

—A empresa adquire no mercado fardos de lã de diversos tipos, procedendo às
seguintes fases de transformação:
-A lã é primeiramente transformada numa “carda”, passando em seguida por um
conjunto de 4 máquinas obtendo-se a “mecha de lã”. Este semiproduto segue depois
para a “acabadora” onde sofre uma meia torção, dando origem ao fio, embora ainda sem
resistência. Por fim, transita para os “contínuos” onde é trabalhado, sofrendo operações
de estiragem e torção, dando origem ao fio de lã.
-O fio de lã transita para a secção de teares obtendo-se, a partir das necessidades
do tipo de tecido e de esquemas de design, os tecidos prontos para armazenagem e
venda à associada que os trata nos centros de tinturaria e de estampagem, de acordo
com as necessidades e tendências do mercado para posterior comercialização.
— As operações de transformação exigem uma temperatura ambiental de cerca
de 20 graus e de um constante grau de humidade.

Em relação ao mês de Outubro, a Euro Tecidos, Lda, apresenta as seguintes informações:

— Gastos e Rendimentos:

1. Compras de matérias-primas 25.000 €
2. Custos adicionais de compra 2.500 €
3. Descontos comerciais obtidos nas matérias 500 €
4. Salários dos operários fabris 6.000 €
5. Custos sociais referentes a salários dos operários fabris 3.600 €
6. Ordenados do pessoal de supervisão da fábrica 4.000 €
7. Custos sociais referentes a ordenados do pessoal de supervisão da 2.400 €
fábrica
8. Depreciações do edifício e dos equipamentos fabris 2.500 €
9. Electricidade e água dos serviços fabris 900 €
10. Ordenados da gerência e pessoal de escritório 4.500 €
11. Custos sociais da gerência e pessoal de escritório 1.920 €
12. Vendas 69.000 €
13. Descontos comerciais concedidos nas vendas 4.000 €
14. Comissões de vendedores 3.100 €


— Inventários

Iniciais (Ei) (€) Finais (Ef) (€)
Matérias-primas 34.000 31.000
Matérias subsidiárias 4.000 3.400
Fuel oil 18.750 14.250
Produtos acabados 10.500 9.000


— Produtos em vias de fabrico no final do mês:

a. Matérias-primas
3.200 €

b. Custos de transformação 2.300 €
5.500 €


Pretende-se:

a) Custo de transformação dos produtos acabados (CTPA)
b) Custo industrial dos produtos acabados (CIPA)
c) Custo industrial dos produtos vendidos (CIPV)
d) Custo complexivo (total)
e) Resultado bruto
f) Resultado liquido


6) Considere os elementos referentes a um mês, constantes do quadro seguinte e
relativos à função de Produção de uma empresa transformadora “Transfoma,
SA”:


Descrição Un. Custo Produto A Produto B Produto C Total
Física Unitário € Quantidades Quantidades Quantidades
Materiais Kg 7,5 200 700 500
consumidos
Mão de obra Hh 1,5 1.000 3.000 2.000
aplicada
GGF utilizados 24.000
(em €)

Sabe-se que o critério de imputação de GGF aos produtos é função da quantidade de


Mão de Obra Aplicada e que os Custos não Industriais são:


Descrição Produto A Produto B Produto C Total
Custos comerciais 2.500 2.500 2.500 7.500
Custos de distribuição 1.500 1.500 4.500 7.500
Custos administrativos 7.500
Custos Financeiros 12.500

Volume de Vendas (€) 21.000 19.000 55.000 95.000

Pretende-se:

a) Demonstração de Resultados por Funções e por Produtos, evidenciando a


estrutura de Custos Industriais e não Industriais.

7) Uma determinada empresa fabrica vários produtos, entre os quais, o produto


“A”. Da contabilidade analítica referente a um determinado mês, obtiveram-se
as seguintes informações:

Relativamente ao Produto A:
o Matérias primas e outros materiais: 300 €
o Gastos com Mão de Obra Directa: 700 €
O critério de imputação do GGF aos produtos é o valor da Mão de Obra Directa
utilizada. O produto A representa 25% do valor global da MOD.

A variação da produção em Vias de Fabrico relativamente ao produto A:


o Ei = 100 €
o Ef = 600 €
Foram produzidas e acabadas 10.000 unidades do produto A.
Relativamente à produção:
o Outros consumos de matérias primas e materiais: 1.200 €
o GGF = 2.000 €
o Custos comerciais e de distribuição globais: 200 €
o Custos financeiros globais: 100 €
Não havia produção em vias de fabrico de outros produtos.

Pretende-se:

a) Custo Industrial Global do mês;


b) Custo Industrial Global e unitário do produto A, fabricado no mês.

8) Determinada empresa produziu três produtos – X, Y e Z – no mês de Abril que


originaram os seguintes consumos directos:
o Matérias primas: 15.000 Kg, sendo 8.000 Kg para o produto X, 5.000 kg
para o produto Y e os restantes para o produto Z.
o Mão de obra directa: 2.400 horas, sendo 1.000 horas para o produto
X, 800 para o produto Y e as restantes para o produto Z.

Os gastos gerais de fabrico são repartidos pelos produtos através das seguintes
bases de repartição:

Mão de obra indirecta: mão de obra directa (quota teórica);


Energia: custos directos (MP + MOD);
Depreciações: número de horas da MOD (quota teórica);
Outros gastos gerais de fabrico: número de unidade produzidas.

Durante o referido mês, produziram-se 600 unidades do produto X, 900 unidades do


produto Y e 500 unidades do produto Z.
A contabilidade apurou os seguintes custos:

Foram compradas 20.000 Kg de matéria A, no valor de 928.000 €, havendo


22.000 € de custos de transporte e aprovisionamento;
A mão de obra directa (salários) atingiu 182.000 €.

Os gastos gerais de fabrico foram (em euros):
o Mão de obra indirecta (salários): 67.200 €
o Facturas de electricidade: 65.832 €
o Quota mensal de depreciação: 56.000 €
o Conservação e reparação: 2.475 €
o Seguros da fábrica: 1.689 €
o Consumo de água: 928 €
o Consumo de gás: 474 €
o Matérias subsidiárias e diversas: 3.634 €.
A empresa elaborou estimativas no início do ano, tendo previsto que os encargos
sociais sobre a mão de obra são 65% dos ordenados e salários.
Por outro lado, prevê-se que a mão de obra indirecta seja 0,4 da mão de obra directa e
as depreciações do ano atinjam 672.000 €. Prevê-se ainda utilizar 28.000 horas da
MOD.

Pretende-se:

a) Calcule o custo global e unitário de cada produto.

9) Considere uma determinada empresa que fabrica móveis por medida. Sobre uma
encomenda referente à linha “ECCO”, foram recolhidos os elementos referentes aos
consumos mensais (expressos em euros):

Materiais = 5.000
MOD = 5.000
GGF (parte proporcional) = 7.500

Das fichas dos produtos verificou-se que tinham entrado em armazém 25 conjuntos completos
para escritório da linha “ECCO”.
Os técnicos da produção estimam, para a produção não concluída, que os “inputs” (em %),
incorporados nas Ei e nas Ef eram:

No início do mês: 4 conjuntos, com a seguinte distribuição:

Materiais: 30% com o valor de 560


MOD: 40% com o valor de 480
GGF: 50% com o valor de 600

No fim do mês: 2 conjuntos, com a seguinte distribuição:

Materiais: 10%
MOD: 20%
GGF: 20%

O critério valorimétrico adoptado pela empresa é o FIFO.

Pretende-se:

a) Produção efectiva do mês, utilizando o método das unidades equivalentes.


b) Valor da produção acabada do mês.





10) A repartição dos gastos correntes e financeiros da empresa Júlio, em Julho do ano n pelas
diversas funções foi a seguinte:

Contas SNC G.Ind. G.Dist. G. Adm. G.Fin. Total
61-CMC 31.000 750 250 __ 32.000
62-FSE 25.250 3.000 500 __ 28.750
63- Gastos com pessoal 32.500 3.250 3.050 __ 38.800
64- Gastos de Depreciações 11.250 1.050 200 __ 12.500
67- Provisões do período __ __ 750 __ 750
68-Outros Gastos e Perdas __ 375 600 __ 975
69- Gastos de Financiamento __ __ __ 5.750 5.750
Total 100.000 8.425 5.350 5.750 119.525

Os movimentos verificados no mesmo período na conta de Inventários de produtos acabados
foram os seguintes:

Designação Unidades Valor(€)
Inventários em 31/06/n 95.625 36.337, 50
Vendas 265.000 132.500,00
Inventários em 31/07/n 80.625 __

Tendo em conta que a saída de existências são valorizadas pelo critério do CMP, com base na
informação apresentada, pretende-se:
a) Determinar o custo industrial unitário dos produtos acabados.
b) Valorizar o custo industrial dos produtos vendidos e calcular o valor das existências finais
de produtos acabados.
c) Recalcular o resultado obtido na alínea b, utilizando o critério FIFO.


11) A empresa RM, fabrica um único produto. As informações contabilísticas do mês “m”
foram as seguintes:


Contas SNC G.Ind. G.Dist. G. Adm. G.Fin. Total
62-FSE 16.200 4.500 5.000 __ 25.700
63- Gastos com pessoal 52.000 13.260 27.300 __ 92.560
64- Gastos de Depreciações 2.348 1.200 2.500 __ 6.048
69- Gastos de Financiamento __ __ __ 8.600 8.600
Total 70.548 18.960 38.800 8.600 132.908


Movimentos relativos a existências:

Descrição Matérias Produto Acabado PVF
Ei 2.000 un.a 3,60€/un. 2.000 un. a 10€/un. 8.700€
Produção __ ? __
Vendas __ 6.000 un. a 24€/un. __
Compras 3.000 un. a 4€7un. __ __
Consumo 2.800 un. __ __
Ef ? 4.000 un. 6.000€

Tendo em conta que a saída de existências são valorizadas pelo critério CMP, com base na
informação apresentada, pretende-se:

a) CIPA
b) CIPV
c) Demonstração dos Resultados por natureza.
d) Demonstração dos Resultados por funções.


12) De certa empresa dispõem-se dos seguintes elementos relativos ao ano n.


1. Vendas 4.100.000
2. Descontos 120.000
3. Compras de matérias-primas 820.000
4. Descontos em compras de MP 80.000
5. Despesas de compras 76.000
6. Salários do pessoal fabril 740.000
7. Encargos sociais com salários 444.000
8. Ordenado da direcção da fábrica 200.000
9. Encargos sociais com ordenados 120.000
10. Ordenados do pessoas de vendas 300.000
11. Encargos socias com ordenados do pessoal de vendas 180.000
12. Ordenado do pessoal administrativo 200.000
13. Encargos sociais com ordenados do pessoal administrativo 120.000
14. Electricidade e água da fábrica 40.000
15. Combustíveis dos veículos dos vendedores 160.000
16. Amortizações fabris 180.000
17. Amortizações do equipamento administrativo 38.000

18. Outros custos fabris 260.000


19. Outros custos administrativos 86.000
20. Existências 01/01/n de produtos acabados 410.000
21. Existências 01/01/n de PVF, MP 180.000
22. Existências 01/01/n de PVF, MOD 60.000
23. Existências 01/01/n de PVF, GGF 10.000
24. Existências 01/01/n de MP 360.000
25. Existências 01/01/n de Matérias subsidiárias 190.000
26. Existências 31/12/n de produtos acabados 600.000
27. Existências 31/12/n de PVF, MP 60.000
28. Existências 31/12/n de PVF, MOD 140.000
29. Existências 31/12/n de PVF, GGF 30.000
30. Existências 31/12/n de MP 430.000
31. Existências 31/12/n de matérias subsidiárias 120.000

Pretende-se o calculo do:

a) Custo primo dos produtos fabricados.
b) Custo de transformação dos produtos fabricados.
c) Custo de transformação dos produtos acabados.
d) Custo industrial dos produtos fabricados.
e) Custo industrial dos produtos acabados.
f) Custo industrial dos produtos vendidos.
g) Custo complexivo.
h) Resultado bruto.
i) Resultado liquido.