Você está na página 1de 6

Direito Administrativo II – 6º Bloco – 2019.

1 - VESP
Prof. Jefferson SanCo

1. CONCEITO:

- Procedimento Administrativo para escolha da proposta mais vantajosa ao interesse


público.
- Procedimento Administrativo prévio às contratações do Poder Público.

2. FINALIDADES:

 Escolha da Proposta mais vantajosa;


 Exercício do Principio da Impessoalidade e Isonomia: Oportunidade para que
qualquer um possa contratar com o Poder Público, desde que preencha os requisitos
legais.
 Desenvolvimento Nacional Sustentável.

Art. 3º A licitação destina-se a garantir a observância do princípio constitucional da


isonomia, a seleção da proposta mais vantajosa para a administração e a promoção do
desenvolvimento nacional sustentável e será processada e julgada em estrita conformidade
com os princípios básicos da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da
publicidade, da probidade administrativa, da vinculação ao instrumento convocatório, do
julgamento objetivo e dos que lhes são correlatos.

3. SUJEITOS:

- Entes da Administração Direta; Entes da Administração Indireta e Entes Controlados


direta ou indiretamente pelo Poder Público (OSCIP´s, Serviços Sociais Autônomos).

- Obs.: Empresas Públicas e Sociedades da Economia Mista obedecem à Lei 8.666/93. Se


explorarem atividade econômica, poderão ter licitação com regime especial. Enquanto não
for criado esse regime especial, continuam obedecendo a Lei 8.666/93, gozando,
entretanto, do direito de dispensa para valores de até 20% do valor do convite (art.17, LL).

- Fundo Especial (serve para gestão de interesses ou recursos públicos, que sirvam a um
interesse coletivo): Pode ser órgão público (Administração direta) ou fundação pública
(Administração indireta), nestes 02 casos há necessidade de licitação. Entretanto, o Fundo
Especial também pode ser usado como código orçamentário, sem estrutura ou
personalidade jurídica. Neste caso, não haverá necessidade de licitação.

- Vide art.37, XXI e art.173, §1º, III, da CF/88.


Direito Administrativo II – 6º Bloco – 2019.1 - VESP
Prof. Jefferson SanCo

4. PRINCÍPIOS (Além de seguir a todos os princípios da Administração):

I) Publicidade X Publicação
Intervalo entre a publicação do edital e a realização do evento (certame) = tem que haver
um intervalo mínimo.
Cada modalidade de licitação tem seu prazo de intervalo.

II) Princípio da Vinculação ao Instrumento Convocatório:


- Tudo o que é relevante para licitação deve estar previsto no edital. Exige que todas as
regras a serem a respeitadas estejam previstas no edital (não se pode exigir nem menos
nem mais do que está previsto no edital). O Edital ou a Carta-Convite contém as regras da
licitação.

III) Princípio do Julgamento Objetivo:


- O Edital tem que definir o Tipo de Licitação, não é possível a utilização de qualquer
critério subjetivo numa licitação, sob pena de violação a este princípio: (diferencia-se de
modalidade).

* Menor Preço * Melhor Preço e Técnica


* Melhor Técnica * Melhor Lance (leilão). (vide: Art.45, Lei nº8.666/93)

Em caso de empate de LICITAÇÃO?? ART. 3º, §2º da Lei nº 8.666 (critérios objetivos)

§ 2o Em igualdade de condições, como critério de desempate, será assegurada


preferência, sucessivamente, aos bens e serviços:
 Produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital nacional
 Produzidos no País;
 Produzidos ou prestados por empresas brasileiras.
 Produzidos ou prestados por empresas que invistam em pesquisa e no desenvolvimento
de tecnologia no País.
 Produzidos ou prestados por empresas que comprovem cumprimento de reserva de
cargos prevista em lei para pessoa com deficiência ou para reabilitado da Previdência
Social e que atendam às regras de acessibilidade previstas na legislação. (Incluído pela
Lei nº 13.146, de 2015)

- OBS.: Se o edital estabelecer que o tipo de licitação será o de Menor Preço,


independentemente de qualquer motivo, vencerá aquela empresa que, preenchendo os
requisitos previstos no edital, ofereça o menor preço, ainda que o concorrente ofereça um
produto com qualidade superior. Havendo empate no preço, haverá desempate nos
critérios do art. 3º, §2º da lei 8.666/93.
Direito Administrativo II – 6º Bloco – 2019.1 - VESP
Prof. Jefferson SanCo

- OBS.2.: Quando a licitação for de Melhor Técnica e Preço: O Edital deve prever qual o
critério para resolver a situação na qual um concorrente oferece um melhor preço e o outro
ofereça melhor técnica (pode ser a média, por exemplo).

Margem de preferência:

§ 5o Nos processos de licitação, poderá ser estabelecida margem de preferência para:

I - produtos manufaturados e para serviços nacionais que atendam a normas técnicas


brasileiras; e
II - bens e serviços produzidos ou prestados por empresas que comprovem cumprimento de
reserva de cargos prevista em lei para pessoa com deficiência ou para reabilitado da
Previdência Social e que atendam às regras de acessibilidade previstas na legislação.

§ 7o Para os produtos manufaturados e serviços nacionais resultantes de desenvolvimento e


inovação tecnológica realizados no País, poderá ser estabelecido margem de preferência
adicional àquela prevista no § 5o

§ 8o As margens de preferência por produto, serviço, grupo de produtos ou grupo de serviços,


a que se referem os §§ 5o e 7o, serão definidas pelo Poder Executivo federal, não podendo a
soma delas ultrapassar o montante de 25% (vinte e cinco por cento) sobre o preço dos
produtos manufaturados e serviços estrangeiros.

OBS: Micro e pequenas empresas – margem de preferência de 10%.

IV) Princípio do Procedimento Formal:


- O Processo de Licitação tem que respeitar todas as formalidades previstas na lei. É um
procedimento vinculado.

V) Princípio do Sigilo das Propostas (válido inclusive para o pregão):


- As propostas são sigilosas até o momento de sua abertura em sessão pública. Se houver
fraude (preços combinados entre concorrentes): crime previsto na Lei de Licitação e
improbidade administrativa. Exceção a este princípio: Leilão (propostas verbais).

§ 3o A licitação não será sigilosa, sendo públicos e acessíveis ao público os atos de seu
procedimento, salvo quanto ao conteúdo das propostas, até a respectiva abertura.

5. COMPETÊNCIA para LEGISLAR sobre Licitação:

- Competência Privativa da União para legislar sobre normas gerais de licitação (art.22,
inc.XXVII, C.F/88). Obs.: Norma Geral pode criar nova modalidade de licitação.
Direito Administrativo II – 6º Bloco – 2019.1 - VESP
Prof. Jefferson SanCo

- Competência para legislar sobre normas específicas de licitação: Estados, DF e


Municípios.

- Obs.: Lei complementar poderá delegar ou transferir aos Estados para legislar sobre
normas gerais.

Lei 10.520/02 (define o pregão): Também utilizada como Norma geral, com mesmo
poder da lei 8.666/93.

Lei 9.472/97 (institui ANP e ANATEL): Criou o pregão e a consulta, enquanto


modalidades específicas das agências reguladoras. Não é norma geral de licitação. STF:
Mesmo não se tratando de norma geral de licitação, a Lei 9.472/97 poderia, como fez, criar
a consulta e o pregão.

Obs. A Lei de Licitação do Estado da Bahia traz os procedimentos das modalidades de


licitação totalmente invertidos em relação aos da Lei 8666/93.

COMISSÃO DE LICITAÇÃO:

Art. 51. A habilitação preliminar, a inscrição em registro cadastral, a sua alteração ou


cancelamento, e as propostas serão processadas e julgadas por comissão permanente ou
especial de, no mínimo, 3 (três) membros, sendo pelo menos 2 (dois) deles servidores
qualificados pertencentes aos quadros permanentes dos órgãos da Administração
responsáveis pela licitação.

§ 3o Os membros das Comissões de licitação responderão solidariamente por todos os


atos praticados pela Comissão, salvo se posição individual divergente estiver devidamente
fundamentada e registrada em ata lavrada na reunião em que tiver sido tomada a decisão.

§ 4o A investidura dos membros das Comissões permanentes não excederá a 1 (um) ano,
vedada a recondução da totalidade de seus membros para a mesma comissão no período
subsequente.

Qual comissão é mais econômica? ( ) permanente ( ) especial

A administração pode contratar de forma direta, portanto, sem licitação?

6. INEXIGIBILIDADE de LICITAÇÃO (art.25 da Lei 8.666/93, Rol Exemplificativo):

- Competição inviável, impossível.

Art. 25. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição, em especial:


Direito Administrativo II – 6º Bloco – 2019.1 - VESP
Prof. Jefferson SanCo

I - para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam ser fornecidos por
produtor, empresa ou representante comercial exclusivo, vedada a preferência de marca, devendo a
comprovação de exclusividade ser feita através de atestado fornecido pelo órgão de registro do
comércio do local em que se realizaria a licitação ou a obra ou o serviço, pelo Sindicato, Federação
ou Confederação Patronal, ou, ainda, pelas entidades equivalentes;

II - para a contratação de serviços técnicos enumerados no art. 13 desta Lei, de natureza


singular, com profissionais ou empresas de notória especialização, vedada a inexigibilidade para
serviços de publicidade e divulgação;

III - para contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente ou através de


empresário exclusivo, desde que consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública.

PRESSUPOSTOS para ocorrência de uma Licitação:

I) Pressuposto Lógico: Concorrência, pluralidade de ofertantes e objetos (+ de um


sujeito/fornecedor e + de um objeto). Obs. O Objeto pode ser único em razão:

 Caráter Absoluto: Só existe 01 objeto, porque só foi produzido 1 objeto.


 Evento externo.
 Caráter pessoal do objeto.

Obs: a Singularidade do Objeto tem que ser relevante para que haja inexigibilidade, e
tem que estar na lista do art.13 da Lei 8.666/93; Tem que ter Notória Especialização
(reconhecida pela mídia, pela crítica). Quando se falar de singularidade do objeto com
todos os seus requisitos, sempre haverá um juízo de valor do administrador.

II) Pressuposto Jurídico (interesse público): A licitação serve para proteger e atender
ao interesse público. Se a licitação acaba por prejudicar o interesse público, será inexigível.

Obs. Nos casos das Empresas Públicas e das Sociedades de Economia Mista, a Licitação
será inexigível quando prejudicar a atividade fim da empresa (Banco do Brasil não precisa
licitar para realizar as suas atividades fins).

III) Pressuposto Fático: Se não há interesse do mercado, há inexigibilidade.

7. DISPENSA DE LICITAÇÃO

São situações em que há viabilidade de competição, no entanto, a lei determina a


desnecessidade de realização do certame. O rol de dispensa é definido em lei de forma
taxativa nos art. 17 (licitação dispensada - obrigatória) e 24 (licitação dispensável -
discricionária) da lei 8666/93.

É importante decorar as hipóteses de dispensa de caem bastante em prova.


Direito Administrativo II – 6º Bloco – 2019.1 - VESP
Prof. Jefferson SanCo

Basta o decoreba da lei que trata de dispensa por urgência, dispensa em razão do valor,
entre outros.

Vide art.24, V – licitação deserta.

E a licitação fracassada?? Os licitantes comparecem, mas são todos


desabilitados/desclassificados. Faz-se um novo procedimento licitatório.

#cuidado com o art.24, VII (dispensa).