Você está na página 1de 2

Colégio ADV – Unidade BOTUCATU

Resumo de aula / Geografia / Prof. Eduardo


SOLOS
Nome: ............................................................................. Turma: ..................... Data: ..... .... / ....... / ........

 SOLOS ARENOSOS ► maior permeabilidade


O QUE É SOLO e sua FORMAÇÃO (menor capacidade para retenção de água e nutrientes)
 SOLOS ARGILOSOS ► menor permeabilidade
É a camada mais superficial e fina da crosta ( maior capacidade para retenção de água e nutrientes)
terrestre, com espessura que varia de alguns
centímetros até no máximo alguns metros.
É um recurso natural dentre os mais c) FERTILIDADE – refere-se a disponibilidade de
importantes para o ser humano. elementos nutritivos num solo, que possibilita ou não
um bom desenvolvimento dos vegetais.
Os solos tem uma lenta formação, podendo
chegar a milhares de anos, e se originam pela Entretanto, para uma boa colheita, não basta que o solo seja
fértil. Isso dependerá de uma conjugação de fatores: boa
decomposição das rochas que formam a superfície
drenagem, regime de chuvas, topografia e principalmente o
terrestre. Essa decomposição é feita pela ação do seu manejo pelo homem.
intemperismo (químico – físico – biológico) , chuvas, rios,
animais, ventos.
No entanto, para a agronomia, esse conceito ALGUNS TIPOS DE SOLOS FÉRTEIS
não é suficiente, pois ela considera que o solo
precisa, entre muitos outros fatores, possuir vida, isto No mundo
é, vida microbiana ou microorganismos, pois as plantas  TCHERNOZION – na Ucrânia, Rússia. Ou “terra
precisam de matéria orgânica (húmus). E quem produz negra”. Um dos solos mais férteis do mundo, formado
a matéria orgânica no solo são os microorganismos pela decomposição da vegetação de estepes.
que aí existem.  LOESS – na China. Solo de coloração amarela. Existe
no vale do rio Amarelo (Huang Ho). Formado pela
O tempo de formação do solo é determinado acumulação eólica (vento).
pela rapidez com que a rocha mater ou matriz (rocha
mãe – ainda não alterada) é intemperizada. De início, ela é No Brasil
desgastada, formando o regolito (ou seja, material  TERRA ROXA – solo de coloração avermelhada,
desagregado que repousa diretamente sobre a rocha mater sem ter argiloso, formado pela decomposição de rochas
sofrido transporte pelas chuvas, ventos, rios, ...). No decorrer do basálticas (vulcânicas). Encontrado sobretudo no
tempo, vai evoluindo para solo propriamente. Planalto Meridional, na Bacia Sedimentar Paranaica
(estados de SP, PR, ...)
Horizontes do solo: são as camadas diferentes entre  MASSAPÊ – é um solo encontrado principalmente no
si que se sucedem em profundidade, de cima para litoral nordestino constituído a partir da decomposição
baixo. São eles que definem o perfil do solo. Cada de rochas com características minerais de gnaisses de
horizonte possui cor, composição mineralógica e tonalidade escura, calcários entre outros.
textura próprias  ALUVIAIS: é um tipo de solo formado em decorrência
da sedimentação em áreas de várzea ou vales, é
possível de ser encontrado em diversos pontos do país.

CARACTERÍSTICAS DOS SOLOS:


Dentre as várias características dos solos, PROBLEMAS DO SOLO
destacam-se 3: PROFUNIDADE – TEXTURA – FERTILIDADE.
a) LIXIVIAÇÃO: é a “lavagem” dos solos. Este processo
a) PROFUNDIDADE -- podem ser classificados em: ocorre nas regiões de climas tropicais úmidos (por exemplo,
nas regiões equatoriais), quando as chuvas intensas “lavam”
S OLO PR OFUND IDADE o solo de cima para baixo e, com a infiltração da água, esta
RASO Menor ou igual a 50 cm leva em profundidade os nutrientes do solo, deixando nos
POUCO PROFUNDO Maior que 50 cm e menor que 100 cm horizontes superiores baixa quantidade de nutrientes. No
PROFUNDO Maior que 100 cm e menor que 200 cm Brasil, este problema ocorre na Amazônia.
MUITO PROFUNDO Maior que 200 cm b) LATERIZAÇÃO: processo característico das regiões
intertropicais de clima com duas estações bem definidas:
uma seca e outra chuvosa (clima tropical típico). No período
b) TEXTURA – em geral, podem ter textura arenosa de chuva, a água infiltra-se no solo; no período de seca, esse
ou argilosa, dependendo do teor ou proporção de solo passa por um “ressecamento”, pois a água nele contida
argila e areia. é evaporada, e eleva-se até a superfície óxidos de ferro e
alumínio, formando uma crosta dura e ferruginosa. No
A dominância de um ou de outro no solo é que Brasil, este tipo de solo aparece nos Chapadões do Brasil
determina sua porosidade ou permeabilidade ( Central e da Amazônia. Popularmente é conhecido como
capacidade de absorção de água e oxigênio ) . Regra geral, “canga”. Essa crosta ferruginosa é capaz de impedir ou
dentre outros fatores: dificultar a prática agrícola.
c) SALINIZAÇÃO: é um fenômeno crescente em todo o TÉCNICAS DE CONSERVAÇÃO E/OU USO
mundo e ocorre com maior intensidade nas regiões de
climas áridos e semi-áridos. RACIONAL DOS SOLOS
Uma das causas principais relaciona-se com ações
do homem ao realizar a agricultura irrigada. Por ser uma área
com alto grau de evaporação, a água do solo então evapora, a) CURVAS DE NIVEL: é um sistema de cultivo, seguindo
acumulando sais no solo que não são dissolvidos. Este as cotas altimétricas do terreno. As curvas ajudam reter
problema afeta negativamente o desenvolvimento das nutrientes e outros elementos do solo, permitindo a
plantas e, em caso extremo, leva a morte. intensificação da produção. A água das chuvas, ao encontrar
No Brasil, estima-se que cerca de 30% das áreas as curvas, não escorre e se infiltra no solo, deixando-o úmido
irrigadas por projetos públicos no sertão nordestino e evitando a erosão e a lixiviação.
apresentam problemas de salinização. Podem-se recuperar
os solos, mas os custos são elevados.
Técnicas de irrigação:
 Por inundação;
 Por aspersão;
 Por gotejamento.

d) DESERTIFICAÇÃO: Desertificação é o fenômeno


de transformação de terras com potencial produtivo em
terras inférteis.
Dentre as causas principais encontra-se o uso b) TERRACEAMENTO: é uma técnica agrícola utilizada
intensivo e inadequado do solo em regiões de em terrenos muito inclinados, onde as curvas de nível não
ecossistemas frágeis com baixa capacidade de seriam suficientes. Os terraços são nivelados parecendo-se
recuperação resultando na salinização de solos pela como “degraus”. Comuns em algumas regiões do sul da
irrigação mal planejada. O sobre-pastoreio (excesso de Ásia.
gado) , o desmatamento, o esgotamento do solo e dos
recursos hídricos e o manejo inadequado na
agropecuária são outros fatores que agravam o
problema.
No mundo, a desertificação é rápida.
No Brasil, algumas áreas pontuais no sertão
nordestino e no sul do Rio Grande do Sul, onde está
ocorrendo uma arenização (formação de areais que limitam
ou impedem a prática agrícola – porém, o clima continua a ser
úmido)
c) ROTAÇÃO DE CULTURAS: é uma técnica agrícola de
conservação que visa diminuir a exaustão do solo. Isto é feito
e) EROSÃO / DESGASTE: este problema tem muito a ver trocando as culturas a cada novo plantio de forma que as
com a ação antrópica, pois se um solo for manejado necessidades de adubação sejam diferentes a cada ciclo.
incorretamente, os agentes externos como chuvas e ventos Consiste em alternar espécies vegetais, numa mesma área
podem agir mais intensamente e comprometer a capacidade agrícola. As espécies escolhidas devem ter, ao mesmo
de produção do solo. erosões provocadas pelas enxurradas tempo, propósitos comercial e de recuperação do solo
são chamadas de ravinas que, quando se tornam de grandes (“adubação verde”)
proporções, com imensos “buracos”, são chamadas de
voçorocas.
d) ADUBAÇÃO VERDE: é o nome dado à prática de
plantar leguminosas no solo com intenção de enriquecê-lo
nutricionalmente fixando nitrogênio no solo. A decomposição
f) ESGOTAMENTO: ocorre pelo uso intensivo dos solos, destes restos orgânicos favorece o aumento da produção de
normalmente em áreas de monocultura, pois o excesso biomassa vegetal, protegem o solo contra a erosão, mantém
daquela produção esgota os nutrientes naturais nele a umidade, dentre outras vantagens.
contidos.
e) ADUBAÇÃO ORGÂNICA: é a utilização de resíduos
orgânicos, como restos de plantas e esterco de animais para
g) CONTAMINAÇÃO: Pode ser por LIXO,
adubar o solo.
FERTILIZANTES. DEFENSIVOS AGRÍCOLAS (agrotóxicos).
É importante ressaltar que não apenas o solo é prejudicado
pelo uso incorreto, mas também o lençol freático, os rios, os f) PLANTIO CONSORCIADO: é plantas duas ou mais
seres vivos, ... culturas juntas, desde que uma não atrapalhe o
desenvolvimento da outra. Entre as vantagens está um
melhor aproveitamento da terra e possibilidade de lucro,
assim como a possibilidade de melhorar a condição do solo.
h) COMPACTAÇÃO: ocorre quando o solo perde sua
É possível consorciar num cultivo perene (ex: café) alguns
porosidade através do adensamento de suas cultivos temporários (Ex: feijão).
partículas. Na agricultura, a compactação do solo se
dá pela influência de máquinas agrícolas, como g) POUSIO / DESCANSO: é o descanso que se dá a uma
também pelo pisoteio de animais, como o gado. terra de cultura, durante um ou mais anos, para recuperação
Consequências negativas: problema no da fertilidade.
desenvolvimento das raízes, baixa infiltração e
armazenagem de água. h) etc...