Você está na página 1de 2

Para o caso de aço natural e endurecido a frio, com as características do apresentado no EC2,

a resolução da equação é para vários valores de µ a apresentada no gráfico seguinte:

aço natural
1,2

σy ,θ 1
σy ,20
0,8 1/µ=500
1/µ=1000
0,6
1/µ=1500
0,4 1/µ=2000
1/µ=2500
0,2
1/µ=3000
0
100 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600
Temperaturas

aço endurecido a frio

1
0.9
0.8
0.7

σy ,θ 0.6 1/µ=500
σy ,20 0.5 1/µ=1000
0.4 1/µ=1500

0.3 1/µ=2000
1/µ=2500
0.2
1/µ=3000
0.1
0
100

150

200

250

300

350

400

450

500

550

600

650

Temperaturas

O momento último é o binário destas duas forças e igual a:

⎛ 0,8x ⎞
M u = A SσS,k ⎜ d '− ⎟
⎝ 2 ⎠

substituindo o valor de x obtém-se:

σs, k
Mu = d ' A sσs, k (1 − µ)
2

61
PROBLEMA nº 1

Pretende-se calcular o momento


resistente último da secção de
betão armado, indicada na Figura,
ao fim de duas horas de exposição
ao fogo segundo a curva padrão em
3 faces apenas.

40
A armadura é constituída por 5
varões ∅ 25 mm de aço cuja
tensão de cedência à temperatura
1 2 3 2 1
ambiente σy,20º=400Mpa, A400NR.
4,0
O valor característico da tensão de
compressão do betão à temperatura
5,2 5,0 5,0 5,0 5,0 5,2
ambiente é fck= 35 Mpa, B40.
30,4

A secção reduzida é calculada em função da semi-largura w da secção da viga que neste


caso é igual a 15 cm e também da temperatura da linha média das diferentes faixas em
que é dividida a semi-largura. Neste caso tomamos n=5. Com base no diagrama de
temperaturas da Figura A.2.1 para uma secção de largura igual a 30cm os valores de θi
são:
θ1=800ºC, θ2=450 ºC, θ3=250ºC , θ4=150ºC, θ5=75ºC e θM=75ºC

KC(800)=0,16; KC(450)=0,72; KC(250)=0,90; KC(150)=0,97;


1 234
KC(75)=1,0

w=15

⎛⎜1 − 0,2 ⎞⎟
⎝ 5⎠
k c, m = (0,16 + 0,72 + 0,90 + 0,97 + 1,0) = 0,72
5

62