Você está na página 1de 3

AFINAL, COMO INTERPRETAR ROMPIMENTOS?

Umas das operações prediletas de boa parte dos traders são as operações de rompimento de suporte ou resistência. Mas antes de
operá-los, devemos primeiramente entender o que são pontos de suporte ou resistência e como eles beneficiam cada tipo de trader.

Basicamente, pontos de suporte ou resistência são o que mais diferenciam os movimentos de preço dos gráficos de movimentos
aleatórios (estocásticos). Quando um preço tem um movimento direcional definido e, de repente, reverte seu movimento, seja por
causa de correção ou por reversão definitiva de tendência, o ponto de inflexão limite desses preços é chamado de ponto de resistência,
no caso do movimento anterior ser ascendente, ou ponto de suporte, no caso do movimento anterior ser descendente.

OK, suporte e resistência, como são definidos, são fáceis de se identificar e todo mundo que leu um ou outro livro ou até site de
análise técnica sabe a definição básica. Mas como devemos interpretar tais pontos para tirar proveito desse comportamento não-
aleatório¿

Veja o gráfico abaixo:


Gráfico diário do IBOV em certo período de 2013. Exemplo de rompimento bem sucedido.

No gráfico acima vemos um movimento clássico de rompimento de consolidação. Note o volume acima da média do candle que
causou o rompimento. Agora, veja o gráfico abaixo:
Gráfico Intraday de Petr4 no dia 04-09-2013. Exemplo de falso rompimento.

Note que em ambos os gráficos o volume no candle de rompimento foi acima da média. Entretanto, um dos rompimentos se sucedeu
(breakout), enquanto outro retornou (fakeout). Para entender porque isso ocorre, devemos entender o que há ao redor dessas regiões e
como cada participante do mercado interpreta e tira proveito da situação.

Temos o seguinte: