Você está na página 1de 1

Este é um resumo dos factores internos para variação do volume dos solos expansivos.

O potencial de inchamento e a pressão de inchamento dependem de vários fatores,


como o tipo e a quantidade de minerais de argila presentes, a densidade seca inicial
(índice de vazios) e teor de água do solo, a natureza do fluido de poros, o tipo de cátions
trocáveis, pressão de sobrecarga e os efeitos de umedecimento e secagem (Yong e
Warkentin, 1975; Subba Rao e Satyadas, 1987; Chen, 1988; Nelson e Miller, 1992; Day,
1994, Al-Homoud et al., 1995; Subba Rao e cols. ., 2000). Sabe-se que o potencial de
expansão e a pressão de ondulação aumentam com o aumento no teor de argila e
densidade seca e diminuem com o aumento no conteúdo inicial de água, pressão
excessiva, concentração de sal dos poros e valência de cátions trocáveis (Holtz e Gibbs,
1956; Seed et al. 1962; Mitchell, 1976; Chen, 1988). Por isso, foi sugerido que os solos
argilosos poderiam ser compactados no conteúdo de água em excesso de seus valores
de OMC para controlar seus potenciais de expansão (Gromko, 1974).

ntretanto, solos argilosos em regiões áridas e semi-áridas são submetidos a ciclos de


molhamento e secagem no campo devido a variações climáticas. Os dados de Day
(1994), Al-Homoud et al. (1995) e Subba Rao et al. (2000) demonstraram que o
umedecimento e secagem cíclicos anulam a influência do teor inicial de água e da taxa
de vazios nos potenciais de expansão das argilas expansivas. As Figuras 2.6 e 2.7 ilustram
o impacto de um ciclo de secagem nos potenciais de expansão dos solos de algodão
preto compactado de Karnataka. A Tabela 2.6 fornece as propriedades de índice do
algodão preto Soil Nos 4 e 5 de Karnataka. A Figura 2.6 apresenta o potencial de
ondulação vertical como uma função do teor de água de compactação para amostras do
Solo No. 4 compactado para uma densidade seca de 1,3 Mg / m3. A figura 2.7 apresenta
os potenciais de ondulação verticais em função do teor de água de compactação para
os exemplares do solo n ° 5 compactado para uma densidade seca de 1,24 mg / m3. Os
espécimes compactados nas Figuras 2.6 e 2.7 foram inundados à pressão nominal de
6,25 kPa. Previsivelmente em ambas as figuras, a amostra seca exibe um maior potencial
de expansão a uma dada densidade seca na primeira molhagem. Após atingir o máximo
inchaço na primeira molhagem, os espécimes compactados foram submetidos a
secagem completa a 45 ° C nos conjuntos de edímetros. Os espécimes totalmente secos
foram novamente molhados pela inundação dos conjuntos do oedometro com água.