Você está na página 1de 2

ormulário padrão do IPNI: Cuvier

Georges Léopold Chrétien Frédéric Dagobert Cuvier (mais frequentemente publicado


simplesmente como "Georges Cuvier") foi um naturalista francês e zoólogo. Ele é às
vezes referido como o pai fundador da paleontologia. Cuvier foi uma figura
importante na pesquisa em ciências naturais no início do século 19 e foi
fundamental para estabelecer os campos da anatomia comparativa e paleontologia
através de seu trabalho na comparação de animais vivos com fósseis. O trabalho de
Cuvier é considerado a base da paleontologia dos vertebrados, e ele expandiu a
taxonomia lineana agrupando classes em filos e incorporando tanto fósseis quanto
espécies vivas na classificação. Cuvier também é conhecido por estabelecer a
extinção como um fato: na época, a extinção era considerada por muitos dos
contemporâneos de Cuvier como especulação polêmica.

Ele também é lembrado por teorias fortemente opostas da evolução, que na época
(antes da teoria de Darwin ) foram propostas principalmente por Jean-Baptiste
Lamarck e Étienne Geoffroy Saint-Hilaire . Cuvier acreditava que não havia
evidências para a evolução, mas sim evidências de criações cíclicas e destruição de
formas de vida por eventos de extinção global, como dilúvio (inundações).

Cuvier escreveu centenas de artigos e livros científicos. Sua obra mais famosa é Le
Règne Animal (1816-1817, quatro tomos; título inglês The Animal Kingdom ). Ele se
propõe a descrever a estrutura natural de todo o reino animal com base na anatomia
comparativa e em sua história natural. Cuvier dividiu os animais em quatro
embranquamentos ("Ramos", correspondendo aproximadamente aos filos), nomeadamente
vertebrados, moluscos, animais articulados (artrópodes e anelídeos) e zoófitos
(cnidaria e outros filos).

Ele é o autor de milhares de novos táxons, entre eles mais de 5.000 espécies de
peixes e moluscos. Em 1800 e trabalhando apenas a partir de um desenho, Cuvier foi
o primeiro a identificar corretamente, um fóssil encontrado na Baviera como um
pequeno réptil voador, que ele chamou de Ptero-Dactyle em 1809 (mais tarde
latinizado como Pterodactylus antiquus ).

Quando a Academia Francesa estava preparando seu primeiro dicionário, definiu


"caranguejo" como "Um pequeno peixe vermelho que anda para trás". Esta definição
foi enviada com um número de outros para o naturalista Cuvier para sua aprovação. O
cientista escreveu de volta: " Sua definição, senhores, seria perfeita, apenas por
três exceções. O caranguejo não é um peixe, não é vermelho, e não anda para trás. "
Em 1819, ele foi criado um par para a vida. em honra de suas contribuições
científicas e é posteriormente conhecido como Baron Cuvier.

Veja também: Distinguished authors of previous months .


Espécie do mês
Birdwing da rainha Alexandra
Ornithoptera alexandrae

Ornithoptera alexandrae (espécime masculino descrito acima)

Alguns fatos sobre essa borboleta gigante:

Comprimento médio : 8 cm.


Envergadura : até 31 cm para mulheres e 20 cm para homens.
Peso : até 12 gramas
Esperança de vida : cerca de três meses.
Alimentação : Larvas alimentam-se de canos e adultos em flores.
Status da proteção : Em perigo (IUCN 3.1)
Gama : Cerca de 100 quilômetros quadrados de floresta tropical costeira perto de
Popondetta, Província de Oro, Papua Nova Guiné.
Ornithoptera alexandrae é a maior borboleta
no mundo. A fêmea coloca cerca de 27 ovos durante toda a sua vida útil. As lagartas
comem a planta da vinha, que contém veneno, tornando a borboleta tóxica para os
predadores. Os machos são fortemente territoriais e perseguem potenciais rivais e,
às vezes, pequenos pássaros também. É nomeado em honra da rainha Alexandra, esposa
do rei Eduardo VII do Reino Unido.

Predefinição: Especies-2019-07