Você está na página 1de 66

Presidência da República

Secretaria-Geral da Presidência
Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos
Michel Temer
Presidente da República

Ronaldo Fonseca de Souza


Ministro de Estado Chefe da
Secretaria-Geral da Presidência da República

Hussein Kalout
Secretário Especial de Assuntos Estratégicos

Marcelo Baumbach
Secretário Especial Adjunto

Marden de Melo Barboza


Secretário de Ações Estratégicas

Luis Ferreira Marques


Diretor de Assuntos de Defesa e Segurança

Georgia Renata Sanchez Diogo


Diretora de Assuntos Internacionais Estratégicos

Ana Paula Lindgren Alves Repezza


Diretora de Integração Produtiva e Desenvolvimento Econômico

Maurício Estellita Lins Costa


Diretor de Projetos Especiais
DIÁLOGOS
ESTRATÉGICOS
As opiniões expressadas na Revista Diálogos
Estratégicos representam apenas a visão dos Editores:
autores, não obrigatoriamente correspondendo à Geórgia Renata Sanchez Diogo, Renata Carvalho
visão da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos. Fonseca e Cássia Catharine de Souza Melo,
SAE/SG/PR
Todos os direitos reservados. As informações
contidas nesta publicação poderão ser reproduzidas, Colaboradores:
desde que citada a fonte. Não é permitida a Douglas Campos Frazão, Fabiano de Andrade Lima,
reprodução para fins comerciais. Júlia Flausino Traboulsi, Maria Selenita da Silva
Cavalheiro Fragoso, Pietro Carlos de Souza Rodrigues
© 2018 Secretaria Especial de Assuntos Estratégico e Caio Cunha Cestari (diagramação).

Nota dos editores: nossos sinceros agradecimentos


a todos os autores por suas generosas contribuições,
sem as quais não teria sido possível realizar esta
publicação.

DIÁLOGOS ESTRATÉGICOS VOLUME 1,


NÚMERO 4 – DEZEMBRO/18
DIÁLOGOS ESTRATÉGICOS
VOLUME 1, NÚMERO 4 – DEZEMBRO/18

SUMÁRIO

EDITORIAL

REPENSANDO O PROCESSO MIGRATÓRIO

Georgia Renata Sanchez Diogo

IMIGRAÇÃO, VETOR ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO E


CRESCIMENTO NACIONAL

Hugo Medeiros Gallo da Silva

MIGRAÇÕES TRANSNACIONAIS E INSERÇÃO LABORAL NO BRASIL NO SÉCULO


XXI

Rosana Baeninger

IMPACTOS ECONÔMICOS DA IMIGRAÇÃO A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DA


MISSÃO DE PAZ

Pe. Paolo Parise

MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS NO SÉCULO XXI: EVIDÊNCIAS DE PESQUISAS NO


BRASIL

Leonardo Cavalcanti / Marília de Macêdo

NOTAS DE LA PRESENTACIÓN SOBRE MIGRACIÓN EN AMÉRICA LATINA Y EL


CARIBE: PROTEGER LAS PERSONAS MIGRANTES COMO DESAFÍO INMEDIATO

Jorge Martínez Pizarro

EVOLUCIÓN DE LA POLÍTICA INMIGRATORIA DE COLOMBIA


William Mejía
APRIMORANDO A GOVERNANÇA DAS MIGRAÇÕES: EXPERIÊNCIAS
INTERNACIONAIS E O CASO BRASILEIRO
Matteo Mandrile

O PACTO GLOBAL SOBRE MIGRAÇÃO SEGURA, ORDENADA E REGULAR

Marise Nogueira

MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS E A GARANTIA DE DIREITOS – UM DESAFIO NO


SÉCULO XXI

Jaime Nadal
EDITORIAL

A décima edição da série de eventos Diálogos Estratégicos, da Secretaria


Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, realizada no dia 24 de
setembro de 2018, no Palácio do Planalto, em Brasília, teve como tema “Migração e
seus Impactos na Sociedade do Século XXI”.
Os debates foram motivados pelo movimento migratório contemporâneo e
pela necessidade de se discutir políticas de migração nacional. Representantes do
governo, da academia e da sociedade civil avaliaram os impactos da imigração no
Brasil sob a perspectiva da força de trabalho, da renda e da produtividade do
migrante no mercado nacional. Durante o evento, foi traçado um histórico da
migração no Brasil e seus principais fluxos, tendo como referência a Nova Lei de
Migração.
Especialistas da Colômbia, do Canadá, do Chile e de Organismos
Internacionais apresentaram experiências de políticas migratórias desses e de outros
países, demonstrando tendências mundiais e analisando indicadores de governança
da migração.
Este número da revista Diálogos Estratégicos traz aos leitores artigos de
autoria dos palestrantes convidados ao evento. Os textos expressaram, ainda, o papel
das instituições brasileiras na governança migratória e o processo de construção do
Pacto Global por uma migração segura, ordenada e regular.
“Migração e seus Impactos na Sociedade do Século XXI” foi realizado pela
Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE-PR)
com apoio institucional do Fundo de População para as Nações Unidas (UNFPA/ONU)
no âmbito do projeto da Comissão Nacional de População e Desenvolvimento
(CNPD).

Boa leitura!
REPENSANDO O PROCESSO
MIGRATÓRIO
Georgia Renata Sanchez Diogo1

Os movimentos migratórios maior ou de menor flexibilidade a entrada


contemporâneos têm impulsionado o de estrangeiros dentro de suas fronteiras.
debate sobre políticas nacionais
No Brasil, em termos jurídicos, o
migratórias em diversos países. No Brasil,
marco histórico de regulamentação para
alguns artigos da Nova Lei de Migração,
imigrantes começa em 1808, época da
que entrou em vigor em 2017, ainda estão
vinda da família real portuguesa para o
pendentes de regulamentação a exemplo
Brasil e ocasião em que foi oficialmente
do Art. 120, que propõe a política nacional
concedida, pela Coroa portuguesa, o
para migração, refúgio e apatridia. As
direito de sesmarias - porções de terras
políticas migratórias de um país podem ter
entregues a imigrantes europeus já
características restritivas, mas podem
residentes no Brasil. A Carta Régia de 02
também estimular fluxos por meio da
de maio e o Decreto Real de 06 de maio
atração de trabalhadores e pesquisadores
de 1818 indicam, por sua vez, os mais
científicos e por ações de acolhimento de
antigos dispositivos jurídicos de imigração
migrantes de diversas partes do mundo.
planejada, com o estabelecimento de
Várias são as razões pelas quais as pessoas
famílias suíças na fazenda de “Morro
decidem se deslocar de seus países de
Queimado”, local onde se originaria a vila
origem para buscar novas oportunidades
Nova Friburgo, no Rio de Janeiro.
em outros territórios. Os Estados devem
adotar diretrizes de governança desses
Desde então, foram publicadas
movimentos migratórios, dotando de
leis, decretos, artigos constitucionais,
decretos-leis até a aprovação do Estatuto
do Estrangeiro, em 1980. Este arcabouço

1 Diretora de Assuntos Internacionais Estratégicos –


SAE/PR
jurídico, que perdurou por quase 40 anos, do Século XXI”, cujos debates deram

priorizava a segurança nacional e os origem aos artigos desta publicação.


supostos interesses dos trabalhadores
nacionais. Sua revogação, em tempos
contemporâneos, era aclamada por
Os múltiplos benefícios da
diversas classes da sociedade civil, do setor
participação de migrantes na
privado e até mesmo por atores
economia dos países de destino e de
governamentais. A partir de 2010, com o
origem
cenário econômico favorável no Brasil e

com a crise financeira em diversos países, Estima-se que 258 milhões de


o volume de entrada de migrantes se pessoas vivam atualmente fora de seu país
intensificou, e esse novo panorama, de origem2. Os cidadãos que migram
somado a diversos outros fatores, decidem sair de seus lares e, por vezes,
contribuiu com os movimentos em prol da abandonar seus familiares, por diferentes
promulgação da nova Lei de Migração, em motivos, mas todos trazem consigo
2017. distintas experiências de vida,

conhecimentos os mais variados, culturas


A nova lei dialoga com diversos
desconhecidas e, também, ambições. Esses
dispositivos internacionais que lidam com
aspectos de sua vivência passada somados
o tema migratório, todos visando à
à necessidade e ao desejo de uma vida
proteção da dignidade humana e dos
melhor contribuem para sua inserção nos
direitos inalienáveis dos migrantes. Não há
países de acolhimento à medida em que se
dúvidas do avanço alcançado. No entanto,
estabelecem na vida econômica e
a carência de regulamentação para a
adquirem novas habilidades.
implementação de uma política nacional
de migração, refúgio e apátrida ainda é Os migrantes contribuem para as
uma realidade, o que levou a Secretaria economias dos países de acolhimento, não
Especial de Assuntos Estratégicos da só com suas habilidades e experiências.
Presidência da República a reflexões que Contribuem, também, ao pagarem os
culminaram em um seminário intitulado impostos nesses países, ao oferecerem
“Migração e seus impactos na Sociedade experiências culturais, ao ocuparem
posições carentes de mão de obra

especializada e ao normalizarem a

2 Dados do site da Organização Internacional para as


Migrações, de dezembro de 2017.
demografia nas comunidades com altos reduzirá a produção econômica. Uma das

níveis de envelhecimento populacional. formas de solucionar a questão é por meio


da integração de outros cidadãos à
Embora a existência da percepção
população economicamente ativa. Para
comum de que migrantes, provenientes
tanto, uma política nacional que favoreça a
principalmente de países menos
entrada de migrantes nessas regiões deve
desenvolvidos, ocupem empregos pouco
ser seriamente considerada.
qualificados nos países desenvolvidos, essa
não é a realidade como um todo. Como O migrante, em geral, possui
observado em estudos recentes3, os habilidades e qualificações profissionais

nigerianos são um dos grupos migrantes diferenciadas por ter vivenciado situações
de maior sucesso nos Estados Unidos em em outros ambientes e outras realidades,
setores como direito, negócios e bancos de o que favorece o mercado de trabalho
investimento. tornando-o mais dinâmico. Profissionais

com experiências acadêmicas e laborais


Outro aspecto de grande
distintas da realidade local podem
relevância que deve ser levado em
contribuir de forma bastante inovadora em
consideração nessa abordagem é o espírito
situações cotidianas.
empreendedor dos migrantes. É de notório
conhecimento e objeto de análises 4 que Por outro lado, os migrantes
migrantes indianos, por exemplo, ocupam auxiliam, ainda, suas famílias e

lugares de destaque em posições comunidades em seus países de origem

administrativas, comerciais ou financeiras enviando remessas financeiras para casa, o


nos Estados Unidos ou no Reino Unido. Ao que é reconhecido como um importante
empreender, o migrante contribui para o instrumento de desenvolvimento

surgimento de postos de trabalho na associado à migração. O dinheiro enviado


comunidade local. pelos migrantes mostra-se, muitas vezes,
maior do que a ajuda internacional ao
Ademais, com o envelhecimento
desenvolvimento5.
populacional em diversos países, incluindo
o Brasil, a mão de obra ativa será Para além dos aportes financeiros
responsável, no futuro breve, por sustentar aos países de origem, as comunidades
a maior parte dos idosos inativos, o que transnacionais de migrantes também

3 The Triple Package - How Three Unlikely Traits 4 Dados do site da National Foundation for American
Explain the Rise and Fall of Cultural Groups in Policy.
America 5 Dados do site do “World Economic Forum”.
contribuem por meio de “remessas terreno a proposta de uma coordenação

sociais”, pois é expressivo o fluxo de novas global para as políticas de migração. O


habilidades, conhecimentos, ideias e "Pacto Global para uma migração segura,
valores que os regressos levam consigo de ordenada e regular", das Nações Unidas,
volta para casa. O impacto dessas une mais de 100 países, inclusive o Brasil,
contribuições sociais é fortemente sentido em torno do consenso de que a migração,

em áreas como educação, saúde, emprego, como fenômeno global, implica uma
negócios e aspectos de governança, governança estratégica internacional.
segundo um estudo realizado pela OIM,
Referências Bibliográficas
em 2014. Os efeitos não são transmitidos,
apenas, às suas redes mais próximas de
CHUA, Amy e RUBENFELD Jed. Ter Triple
amigos e parentes, mas a uma comunidade
Package: How Unlikely Traits Explain the
mais ampla, o que gera visível
Rise and Fall of Cultural Groups in America.
desenvolvimento econômico e social para
2014.
o país.

DELFIM, Rodrigo Borges. 151 associações


Conclusão
entregam carta a Temer pedindo sanção

da nova Lei de Migração, Migramundo.


Muitos dos benefícios expostos
acima são frequentemente desafiados ou
DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO. Nota
inexplorados por regulamentações
Técnica a respeito da Nova Lei de
migratórias restritivas ou por políticas
Migração. Brasília, 2017.
nacionais de migração inexistentes, que
atuam como obstáculos à mobilidade entre GUIA DE REFERÊNCIA PARA O MINISTÉRIO
pessoas. Há, claramente, em diversos PÚBLICO FEDERAL. Migração e Tráfico
países, uma abordagem erroneamente Internacional de Pessoas. 2016
negativa sobre a migração. É preciso olhar
para os migrantes como agentes de

transformação, tanto em seus países de


origem, como nos Estados de acolhimento.

A contribuição do migrante tem relação


direta com o desenvolvimento econômico
e humano.

Os infortúnios humanos recentes


relacionados a migrações têm feito ganhar
IMIGRAÇÃO, VETOR ESTRATÉGICO
PARA O DESENVOLVIMENTO E
CRESCIMENTO NACIONAL
Hugo Medeiros Gallo da Silva6

Em 24 de maio de 2017, por meio Em decorrência dessas premissas


da publicação da Lei nº 13.445, foi é possível, hoje, avançar em temas de
instituído no ordenamento jurídico grande relevância para o País, como
nacional o novo marco regulatório das atração de mão de obra altamente
migrações, a Lei de Migração, a qual fora qualificada, déficit profissional,
regulamentada pelo Decreto nº 9.199, de capacidades estratégicas e investimento.
20 de novembro de 2017. Tal marco
regulatório possibilita ao Estado Brasileiro Temas como esses, por muito

tratar a imigração como vetor estratégico tempo, não tiveram a devida e merecida

para o desenvolvimento e o crescimento abordagem e tratamento, não por uma

nacional. falta de interesse, mas pela legislação que


não fomentava esse tipo de discussão, haja
Sob esse olhar, é importante vista o defasado Estatuto do Estrangeiro, a
destacar dentre os princípios e diretrizes Lei nº 6.815/80.
previstos na Lei de Migração os seguintes:
i) desenvolvimento econômico, turístico, Com o novo marco regulatório da

social, cultural, esportivo, científico e migração no País, temas como os

tecnológico do Brasil e ii) promoção do mencionados, além de estarem

reconhecimento acadêmico e do exercício expressamente previstos na norma, podem

profissional no Brasil, nos termos da lei. ser melhor explorados e discutidos em


razão da nova visão atribuída ao próprio
imigrante, no sentido de reconhecê-lo

6 Presidente do Conselho Nacional de Imigração e Coordenador-Geral de Imigração do Ministério do Trabalho


como efetivo sujeito de direito, detentor Nesse norte, a Lei de Migração e
de direitos e de garantias. sua respectiva regulamentação, Lei nº
13.445/2017 e Decreto nº 9.199/2017,
No Brasil há uma forte trouxeram grandes desafios para o
necessidade de elaboração de políticas Conselho Nacional de Imigração (CNIg) e
públicas voltadas para atração e retenção para o Ministério do Trabalho (MTb), não
de profissionais altamente qualificados em só em razão das novas atribuições e
áreas estratégicas para o desenvolvimento competências, mas principalmente por
social e econômico do país. oportunizar o avanço de temas de grande
relevância para o País citados acima.
O desenvolvimento de uma
política de atração de imigrantes É importante lembrar que o
qualificados deve ter entre os seus Conselho Nacional de Imigração (CNIg) é
objetivos suprir o déficit do mercado com um órgão colegiado integrante da
determinadas competências e perfis estrutura básica do Ministério do Trabalho,
profissionais demandados no mercado de que tem como competência a formulação
trabalho nacional, assim como propiciar o da política de imigração laboral, na forma
aprimoramento do sistema educacional, disposta no art. 55 e art. 56 na Lei nº
por meio do recrutamento de quadros 13.502, de 01 de novembro de 2017.
qualificados em especialidades julgadas
importantes para o futuro do Brasil. O CNIg tem formação
“quadripartite” e conta com a participação
Quanto a esse ponto, podem ser de nove Ministérios, cinco Centrais
citadas, como exemplo, as disposições Sindicais, cinco Confederações de
previstas no Decreto nº 9.199/2017 com Empregadores e um representante da
relação à atração de mão de obra Sociedade Civil, nos termos do Decreto nº
altamente qualificada em áreas 840, de 22 de junho de 1993. Além disso,
estratégicas para o desenvolvimento as reuniões do CNIg são acompanhadas
nacional ou com déficit de competências por observadores, representantes de
profissionais, bem como a dispensa de órgãos e Secretarias Federais, Organismos
comprovação de oferta de trabalho Internacionais e Organizações da
(contrato individual de trabalho ou de Sociedade Civil, que atuam direta ou
contrato de prestação de serviços), de indiretamente na área das migrações, entre
forma a priorizar a comprovação de elas: Agência Brasileira de Inteligência
titulação em curso de ensino superior ou (ABIN); Polícia Federal (PF), Ministério
equivalente, na hipótese de capacidades Público Federal (MPF), Ministério Público
profissionais estratégicas para o País. do Trabalho (MPT), Defensoria Pública da
União (DPU), Organização Internacional
para as Migrações (OIM) e Organização está consubstanciado no estudo e no
Internacional do Trabalho (OIT). levantamento comparativo entre países,
levantamento do cenário nacional por
O Decreto nº 9.199, de 2017, que categorias profissionais, análise crítica da
regulamenta a Lei nº 13.445, de 2017, experiência internacional e as
dispõe em vários artigos, que a concessão possibilidades de ação no âmbito
do visto temporário e a autorização de doméstico e diálogo com o setor
residência observarão os requisitos, as produtivo/privado.
condições, os prazos e os procedimentos
estabelecidos em resolução do Conselho Já se constata que para o avanço
Nacional de Imigração. na construção dessa política alguns
paradigmas precisarão ser quebrados e
Em caráter de urgência, no início temas deverão ser devidamente estudados
da vigência da Lei de Migração, o CNIg e aprofundados como, por exemplo,
teve que se debruçar na revisão de todas aferição de déficits de mercado e áreas
as Resoluções Normativas editadas à luz da estratégicas, revalidação de diplomas,
antiga lei (Lei nº 6.815, de 1980) com o protecionismo dos órgãos de classe,
propósito de evitar prejuízo no ingresso de experiência profissional, incentivos,
trabalhadores imigrantes no Brasil, o que desemprego, capacitação/qualificação do
ocorre diuturnamente. Não obstante, o nacional e transferência de
CNIg vem promovendo discussões e conhecimento/tecnologia.
aprovando normas que se destinam a
nortear a formulação da política de Em paralelo a isso, ratificando
imigração laboral no país. ainda o olhar estratégico da imigração e
partindo da premissa de que a política de
Com o objetivo de atender à imigração laboral também abarca a
necessidade de definição da política de possibilidade de fomentar, por meio do
imigração laboral, foi criado, no âmbito do investimento externo, a geração de
CNIg, um Grupo de Trabalho para tratar de empregos ou de renda no País, utilizando
“Atração de mão de obra em áreas como base estrutural a mobilidade
estratégicas ou com déficit de humana, ou seja, a imigração, também foi
competências profissionais para o País”, criado no âmbito do CNIg, Grupo de
cujas discussões são feitas com a Trabalho para tratar especificamente do
participação de diversos órgãos, entidades tema atração de investimento, como
da Administração Pública Federal, instrumento de desenvolvimento
comunidade cientifica e acadêmica, além econômico e social.
de organismos internacionais e sociedade
civil. Isso porque o planejamento operativo
Dentre as formas de investimento estabilidade econômica e política; ou
externo identificadas, analisadas e mesmo a aquisição de uma segunda
discutidas pelo CNIg destaca-se a do residência em lugares mais aprazíveis, com
“Investimento Imobiliário”, o qual já vem climas mais agradáveis.
sendo adotado por países que possuem
programas relacionados a atração de Dentro desse contexto, a nova

investimento externo, como Portugal, legislação migratória brasileira, atendo-se

Espanha, México, Colômbia e Costa Rica. a esses fatores, também prevê como uma
das formas de atração de investimento
Esses países, em decorrência da estrangeiro a aquisição de bens imóveis
crise econômica de 2008, promoveram por imigrantes. Tais discussões e ações
mudanças legislativas com vistas a ampliar somente são possíveis em razão desse
os fluxos de circulação de capitais e de olhar estratégico com relação à imigração,
pessoas de forma a incentivar a atração de possibilitado pela Lei de Migração, mas
investimentos estrangeiros que definitivamente robustecido por sua
compreendem desde o estímulo à entrada regulamentação.
de recursos humanos, a atração de
recursos financeiros, notadamente pelo Assim, é possível concluir que o

investimento em títulos dos governos, a País poderá obter grandes avanços em

abertura de empresas e a compra de temas de grande relevância, como atração

imóveis. de mão de obra altamente qualificada,


déficit profissional, capacidades
Além disso, observa-se que há estratégicas e investimento, haja vista o
uma tendência crescente na busca de novo marco regulatório das migrações e as
melhor qualidade de vida por segmentos políticas de atração de mão de obra
específicos de migrantes – em geral, com qualificada e de investimento que estão
elevada qualificação e disponibilidade de sendo formuladas dentro do novo marco
recursos econômicos. O visto de residência legal”.
por compra de imóveis vem se tornando
uma alternativa para investidores “pessoa
física” por diversas razões, dentre as quais
estão: qualidade de vida após a
aposentadoria; acesso a benefícios como
saúde e educação gratuitas; maior
MIGRAÇÕES TRANSNACIONAIS E
INSERÇÃO LABORAL NO BRASIL NO
SÉCULO XXI
Rosana Baeninger 7

Introdução Nesse cenário, um dos principais


desafios é conhecer o perfil de
Este estudo com imigrantes trabalhadores migrantes internacionais no
internacionais8 possibilitou apreender a Brasil no século XXI. A identificação e a
inserção laboral desigual a partir das análise da inserção laboral deste
especificidades do mercado de trabalho contingente populacional no mercado de
brasileiro e sua intersecção com nichos trabalho requerem diferentes
étnicos do trabalho imigrante. procedimentos metodológicos; em
Contingentes de imigrantes particular a utilização dedados secundários
internacionais, cada vez mais e a pesquisa exploratória de campo que
heterogêneos, têm chegado ao Brasil, envolva agentes institucionais e sujeitos
apresentando perfis socioeconômicos e migrantes.
laborais diversificados, distintas
nacionalidades, diferentes percursos e A Inserção Laboral nos Nichos

histórias migratórias. Tais fluxos mostram a Étnicos

inserção do Brasil na rota das migrações


A presença de migrantes
internacionais em âmbito global9.
internacionais na economia informal
apresenta concentração crescente, em

7 Universidade Estadual de Campinas/Núcleo de Estudos de População Elza Berquó

8 Este estudo, realizado pelo Observatório das Migrações em São Paulo (Núcleo de Estudos de População Elza
Berquó- Universidade Estadual de Campinas) em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT)
analisa a situação dos trabalhadores migrantes na economia formal e informal na cidade de São Paulo-Brasil em
2017. Agradecemos à OIT/Brasil, em especial à Cyntia Sampaio e Anne Caroline Phostuma, bem como ao Professor
Duval Fernandes-PUCMinas.
9 Baeninger (2012).
particular pelas formas de organização das subcontração para determinados
cadeias migratórias, suas redes e a contingentes migrantes.
dinâmica dos nichos étnicos nas
sociedades receptoras (Waldinger, 1993). A participação de parcela

Assim, a participação de parcela expressiva expressiva de migrantes no mercado de

de migrantes no mercado de trabalho trabalho enfrenta, dentre outros fatores, a

enfrenta, dentre outros fatores, a inserção inserção informal nas atividades

informal nas atividades econômicas. econômicas13. Especificamente no que


tange ao acesso ao mercado laboral, a
A inserção do Brasil na rota das população migrante – composta por
migrações internacionais no século XXI diversos grupos étnicos, nacionalidades,
passa, necessariamente, pela cidade de São idades, sexo, grau de instrução – utiliza-se
Paulo: lugar privilegiado da concentração de suas redes migratórias, na origem e no
da atividade econômica, incluindo a forte destino, para adentrar nos nichos étnicos14
base de indústria, comércio e serviços, com formado por e para imigrantes. Contudo, a
impactos no seu mercado de trabalho, e própria inserção por meio desse nicho em
que compõe a hierarquia das cidades atividades laborais para migrantes pode
inseridas na mobilidade do capital e da ser mais um elemento presente nas
força de trabalho em âmbito mundial . As 10
barreiras que impedem o acesso a
análises presentes neste estudo privilegiam empregos formalizados.
os grupos migrantes inseridos em setores
da economia, onde há a concentração de O cenário da reestruturação

formas informais de inserção laboral. Os produtiva, de fins do século XX para o

aspectos teórico-metodológicos para a século XXI, segundo Sassen (1988),

compreensão da migração internacional se intensificou a mobilidade do capital e da

baseiam na reestruturação econômica, força de trabalho em âmbito mundial, com

destacando os focos setoriais do trabalho mudanças implementadas a partir da

precário e informal e os novos fluxos de reestruturação produtiva.15 Barrientos

migrantes no século XXI11. Para o (2013 p. 1069) destaca que “as redes

entendimento da inserção de globais de produção e as cadeias de valor

trabalhadores migrantes no mercado de fornecem uma forma específica de

trabalho, este estudo parte do conceito de interação entre as operações comerciais

nichos étnicos12, que permitirá uma avançadas de empresas e sua terceirização

aproximação da inserção formal-informal- de produção de mão-de-obra intensiva

10 Sassen (2001). 13 Portes e Sassen (1987); Guarnizo et al (2003); Portes


11 Basso (2003). (1996).
12 Waldinger (1993) 14 Waldinger (1993)
15 Castles e Miller (2009)
para países em desenvolvimento”. A sociedades de destino. Assim, a “economia
produção global de mercadorias torna-se, étnica”, para Light (1972) e Bonacich
assim, o motor de recrutadores que (1973), inclui a presença migrante como
buscam, na origem do fluxo migratório ou empregador, empregado por conta própria
em suas comunidades no destino, ou empregado de co-nacionais/co-étnicos
imigrantes para o trabalho nos nichos e passa a compor um dos aspectos para o
étnicos. Muitas vezes, as relações de entendimento da incorporação laboral de
trabalho informais estabelecidas no migrantes nas sociedades de destino.
contexto desta ‘contratação’ acabam por
aprisionar os imigrantes. A autora destaca Waldinger (1984) aponta que tais

que nas “cadeias do trabalho”, a atividades e negócios estão relacionadas às

contratação de mão-de-obra pode se novas demandas para prover produtos

sobrepor a atividades ilícitas, incluindo alimentícios para os co-étnicos, bem como

servidão por dívidas e contrabando de outros tipos de bens culturais - como

pessoas. música, roupa, livros - onde essa


distribuição e abastecimento conforma um
Consideramos, nesse contexto nicho étnico entre os próprios migrantes.
transnacional do século XXI, que Outras necessidades também estão
compreender a inserção de migrantes no presentes, surgindo serviços de tipo
mercado de trabalho formal e informal de jurídico, administrativo com proprietários
determinado país requer que se analise a de mesma nacionalidade. Os novos fluxos
complexidade do fenômeno migratório em migratórios e suas formas de inserção
âmbito mundial16, para o conhecimento socioeconômica - relativamente
das migrações internacionais locais, autônomas nas sociedades de destino -
regionais e nacionais 17
e sua inserção estão articuladas, de acordo com
laboral. Sassen (1988) afirma que a Waldinger (1993), à presença de nichos
migração internacional é um elemento de econômicos nos países de destino – que já
(re)produção do capital internacional e da presentes nas sociedades com migrantes
reprodução social de contingentes internos – passam a se configurar como
migrantes no mundo. nichos étnicos, com o predomínio de
determinadas nacionalidades.
Os circuitos da produção mundial
se estabelecem desde os locais de origem Para este estudo privilegiamos a
da força de trabalho migrante, identificação dos seguintes nichos étnicos
direcionando fluxos imigratórios para na cidade de São Paulo: da costura, do
atividades econômicas específicas nas

16 Wimmer e Glick-Schiller (2003) 17 Baeninger (2015)


restaurantes, do comércio ambulante. No

caso da imigração boliviana, os resultados

desta pesquisa, de fato, apontam que o citado de forma recorrente. Um


sistema de recrutamento para o nicho dos migrantes entrevistados afirmou que

étnico da costura opera desde a origem, abrir um negócio é a única alternativa de

de modo que há relações de dominação sobrevivência no Brasil. No nicho étnico do

no interior do grupo migrante. comércio ambulante há migrantes de


diferentes nacionalidades, desde

Begnami (2014 p. 35) apresenta bolivianos, na Praça Kantura, até

para o trabalho na costura em São Paulo senegaleses. O comércio ambulante se

essas características do sistema produtivo divide em mercadorias “importadas”, de

denominado sistema do suor, “que está acessórios e eletrônicos, e “mercadorias

fundamentado na subcontratação de étnicas”, ambos marcados pela

serviços para pequenas células produtivas informalidade do trabalho, com a presença

normalmente localizadas em residências e de “bicos”, em especial aos finais de

associadas à superexploração do trabalho, semana, e fortes relações sociais somente

a jornadas exaustivas e a precárias com co-nacionais.

condições de segurança e de saúde”. No


Os resultados desta pesquisa,
nicho étnico dos restaurantes há a
segundo a ocupação laboral dos
presença de imigrantes internacionais
imigrantes e sua inserção no mercado
(camaronês, nigeriano, peruanos,
formal e informal de trabalho,
bolivianos) que preparam e servem comida
possibilitaram a seguinte categorização
típica do país de origem de seus
das ocupações dos migrantes
proprietários. O recrutamento se dá
entrevistados neste estudo de acordo com:
sempre no interior da rede imigrante. Os
1.Ocupações da estrutura do mercado de
restaurantes apresentam também a história
trabalho brasileiro (formal e informal);
e a cultura de seus países; os funcionários
2.Ocupações do nicho econômico para
são todos ou quase todos da mesma
migrantes; 3.Ocupações do nicho étnico,
nacionalidade. O empreendedorismo é
conforme sistematizado no Quadro 1.
Quadro 1. Categorização das Ocupações dos Migrantes entrevistados. Cidade de São
Paulo-Brasil, 2017.

1. Ocupações da estrutura do
2 Ocupações nicho
2. Ocupações do nicho étnico
mercado de trabalho brasileiro econômico para Bolivianos, Senegaleses,
(formal e informal): Haitianos, migrantes Paraguaios, Peruanos,
Cubanos, Europeus, Latino- Haitianos, latino- Bengaleses, colombianos,
americanos americanos camaroneses, ganeses
Ambulante (geral) pedreiro Ambulante – mercadorias étnicas
Serviços gerais Ajudante de Venda de comida étnica
(limpeza/manutenção/reposição pedreiro
de mercadorias)
Professor de Inglês - autônomo Serviços da Ajudante de cozinha/ajudante
construção civil de garçom/copeira em
(pintor/marceneiro) restaurante étnico
Engenheiro Co Cozinheiro em restaurante étnico
“Bico” cozinheiro/entregador/garçom
em restaurante de outra etnia
Programa Mais Médicos Proprietário de
loja/comércio/restaurante
étnico
Cabeleireiro salão étnico
Cabeleireiro salão de brasileiro
Vendedor/garçom/atendente
em estabelecimento étnico
Atendimento Lan
house/locutório
Frigoríficos
Costura
Fonte: OIT (2017). Observatório das Migrações em São Paulo (NEPO-UNICAMP/Fapesp-CNPq).
Considerações Finais comunidades imigrantes residentes na
cidade de São Paulo, com forte presença
É de se ressaltar, como a
do setor informal.
estrutura da dinâmica do mercado de
trabalho globalizada constrói o “lugar do Referências
imigrante” na sua inserção laboral nos
países de destino. As análises advindas dos BAENINGER, R. Migrações Internacionais
no século 21: desafios para uma agenda de
formulários de pesquisa aplicados nas 71
pesquisa. VI Congreso de la Asociación
entrevistas com migrantes na cidade de
Latinoamericana de Población, Lima, Peru,
São Paulo expressam a inserção laboral
agosto, 2014
desigual de imigrantes internacionais,
em especial, pela rede migratória acionada
BAENINGER, R.; PERES, R., FERNANDES, D.;
no lugar de origem e de destino, bem SILVA, S.;ASSIS, G.; CASTRO,
como a necessidade de políticas de M.C.;COTINGUIBA,M. (org) Migração
inserção laboral para trabalhadores Haitiana no Brasil.
imigrantes no Brasil. NEPO/UNICAMP/Unfpa/Fapesp/CNPq,
Paco Editorial, 2016.
É revelador, por exemplo, o fato
de trabalhadores imigrantes do Haiti BAILEY, Thomas & WALDINGER, Roger.
estarem concentrados na própria estrutura Primary, Secondary and Enclave Labor
do mercado de trabalho nacional Markets: a training systems approach”.

(categoria 1) e no nicho econômico para American Sociological Review, v. 56, n. 4,

migrantes no Brasil (categoria 2), p.432-445, agosto de 1991.

justamente pela política de governo


BARRIENTOS, S.W.The Role of Labour
adotada para esta imigração: o visto
Contractors in Global Production Networks
humanitário como Resolução Normativa
The Journal of Development Studies, 2013
do Ministério do Trabalho. Nos casos das
Vol. 49, No. 8, 1058–1071.
inserções laborais nestas categorias, nota-
se que os imigrantes transitam entre o BEGNAMI, Renato. Trabalho escravo na
mercado de trabalho formal e informal, indústria da moda : o sistema do suor
acompanhando as conjunturas da como expressão do tráfico de pessoas.
dinâmica econômica nacional. Na categoria Revista de direito do trabalho, São Paulo,
3, nas ocupações dos nichos étnicos, é SP, v. 40, n. 158, p. 35-59, jul./ago. 2014.
onde se concentra a diversidade de
nacionalidades e inserções laborais, com BONACICH, Edna. “The other side of ethnic
entrepreneurship: a dialogue with
uma rede forte de recrutamento e
Waldinger, Aldrich, Ward and associates”.
“aprisionamento laboral” tanto na origem
do fluxo migratório, quanto nas
International Migration Review, V. 27, n. 3,
outono de 1993. GUARNIZO, L., PORTES, A.; HALLER, W.
Assimilation and transnationalism:
CASTLES, Stephen; MILLER, Mark J. The Age determinants of transnational political
of Migration: International Population action among contemporary migrants.
Movements in the Modern World: New American Journal of Sociology, 108 (6):
York: The Guilford Press, 2009. 1211-1248, 2003

CHAMMARTIN, G. M. F. Las Migraciones HARVEY, David. Condição pós-moderna:


Laborales Internacionales: Visión, trabajo y uma pesquisa sobre as origens da
propuestas de la Organización mudança social. São Paulo: Edições Loyola,
Internacional del Trabajo. Revista Trabajo, 1993.
Ciudad de México, v. 8, n. 11, p. 5-60, 2014.
KONTIC, B. Redes produtivas e
COSTA, L. Subcontratação e informalidade aprendizado na indústria do vestuário de
na construção civil, no Brasil e São Paulo. Anais do II Encontro da ABER,
França.Cadernos CRH, vol.24 no.62 . São Paulo, 2002.
Salvador, maio/agosto 2011.
KREIN, J. D.; PRONI, M. W. Economia
COSTA, M. S. Trabalho informal: um informal: aspectos conceituais e teóricos.
problema estrutural básico no Série Trabalho Decente no Brasil –
entendimento das desigualdades na Documento de Trabalho 4. Brasília, OIT,
sociedade brasileira. Caderno CRH, 2010.
Salvador, v. 23, n. 58, p. 171-190, 2010.
KUSHNIROVICH, N. Ethnic niches and
CRUZ-MOREIRA. “Industrial upgrading nas immigrants' integration. In International
cadeias produtivas globais: reflexões a Journal of Sociology and Social Policy
partir das indústrias têxtil e do vestuário”. 30(7/8):412-426 · July 2010
Tese do doutorado, Escola Politécnica de LEITE,M. Tecendo a precarização: trabalho
São Paulo, 2003. a domicílio e estratégias sindicais na
indústria de confecção em São Paulo.
CZAIKA, Mathias; DE HAAS, Hein. The Revista Trabalho, Educação e Saúde. vol. 2,
effectiveness of immigration policies. nº. 1, mar, 2004.
Population and Development Review, v. 39,
n. 3, p. 487-508, 2013. LINDBECK, A.; SNOWER, D.J., The Insider-
Outsider Theory: A Survey (July 2002). IZA
FERNANDES, D.; RIBEIRO, J.C. Migração Discussion Paper No. 534.
laboral no Brasil: problemáticas e
perspectivas. Cadernos Obmigra, vol. 1, nº. OIT. Derechos de los Trabajadores y
1, Brasília, p. 15-37, 2015. Trabajadoras Migrantes: lagunas y desafíos
en matéria de protección en 5 países de urbanas da indústria de confecção em São
américa latina y el caribe, 2016. Paulo dissertação de mestrado,
departamento de sociologia, Universidade
OIT. La migración laboral en América Latina de São Paulo, São Paulo, 141 p.
y el Caribe: diagnóstico, estrategia y líneas
de trabajo de la OIT en la región. [OIT WALDINGER, R. (1991) Le développement
Américas – Informes técnicos 2016/2] Lima: des entreprises ethniques à New York in G.
OIT, 2016. Abou Sada, B. Courault, Z. Zeroulou Eds.,
L’immigration au tournant, Paris,
OIT. Tendencias de la inspección del L’Harmattan, p. 227-236.
trabajo frente a la formalización:
experiencias de América Latina y el Caribe. WALDINGER, R. (1993) The Ethnic Enclave
Lima: OIT, 2015. Debate Revisited. International Journol of
Urban and Regional Research 17.
SASSEN, S. J. Cities in a world economy.
Sage Publications, 2011. WALDINGER, R. (1994) The Making of an
Immigrant Niche, International Migration
SASSEN, S. The mobility of labor and Review, 28 (1), New York, p.3-30.
capital: A study in international investment
and labor flow. Cambridge University Press, WALDINGER, R. Networks and Niches: The
1990. Continuing Significance of Ethnic
Connections”. In Glenn Loury, Tariq
SASSEN, S. Una sociología de la Modood and Steven Teles, Race, Ethnicity
globalización. Katz Editores, 2007. and Social Mobility in the US and UK, New
York: Cambridge University Press, 2003, pp.
SILVA, C. F. da (2008) Trabalho informal e 343-362
redes de subcontratação: dinâmicas
IMPACTOS ECONÔMICOS DA
IMIGRAÇÃO A PARTIR DA
EXPERIÊNCIA DA MISSÃO DE PAZ
Pe. Paolo Parise 18

revela que o PIB mundial foi US$ 3 bilhões


maior com a contribuição do trabalho
A imigração, como todo desenvolvido por imigrantes (CASTRO,
fenômeno complexo, pode ser estudada a 2016). Poderíamos apresentar outros
partir de diferentes perspectivas. Entre elas estudos que demonstram os impactos
encontramos as análises sociológica, econômicos específicos para cada país,
psicológica, política, demográfica, como Alemanha, Estados Unidos e Reino
antropológica, ética, cultural e econômica, Unido, mas neste artigo é nossa intenção
dentre outras. O foco deste artigo será o expor, a partir da experiência recente da
impacto econômico, porém destacando Missão Paz, as contribuições econômicas
que estamos diante de seres humanos. Por dos imigrantes. Em um primeiro momento,
isso, casos nos quais não ocorre o apresentaremos a Missão Paz e, em
chamado retorno econômico somos seguida, extrapolaremos, de maneira
chamados a exercer a solidariedade, uma indutiva, algumas considerações a respeito
das atitudes mais nobres e que nos torna dos impactos econômicos.
humanos.
Missão Paz
Em várias partes do mundo
multiplicam-se estudos que demonstram o A Missão Paz tem suas raízes

impacto econômico dos imigrantes para o históricas na década dos anos trinta do

país de acolhida. O McKinsey Global século passado. A entidade começou a

Institute contabilizou a contribuição dos atuar com italianos que chegavam a São

imigrantes para a economia mundial. Os Paulo. Os anos passaram e a Missão Paz,

imigrantes produziram, em 2015, cerca de além dos italianos, começou a acolher

US$ 6,7 trilhões no mundo. A pesquisa também outros imigrantes, dentre eles

18 Diretor da ONG Missão Paz


vietnamitas, coreanos, chilenos, bolivianos, regiões onde se instalavam. Tudo isso
paraguaios, peruanos, congoleses, diante de um Estado sem lei de migração
angolanos, nigerianos, senegaleses, e, por isso, incapaz de dar respostas diante
colombianos, equatorianos, haitianos e deste êxodo maciço. A iniciativa de
venezuelanos. Atualmente, a Missão Paz Scalabrini surgiu neste período, criando
atende mais de 70 nacionalidades por ano, uma Congregação masculina e outra
imigrantes e refugiados. Em vários feminina para acompanhar os imigrantes.
momentos de sua história a Missão Paz Sua obra se espalhou por várias partes do
ganhou visibilidade. Destacamos as mundo e atualmente os scalabrinianos
atuações de destaque mais recentes: em estão presentes em 33 países. É importante
2005, no contexto do acordo Brasil-Bolívia, lembrar que a Missão Paz é parte da Rede
foram atendidos milhares de bolivianos; Internacional de Migração Scalabrini (em
em 2009, quando por ocasião da última inglês SIMN, ou seja, Scalabrini
anistia, mais de onze mil imigrantes, na sua International Migration Network). Entre as
maioria bolivianos, bateram às portas desta várias estratégias de advocacy, a SIMN tem
entidade; entre 2014 e 2015, quando onze um representante permanente nas Nações
mil haitianos foram acolhidos ou ajudados Unidas em New York.
de várias formas; em 2018, colaborando no
processo de interiorização dos No caso específico do Brasil,

venezuelanos que estavam em Roraima. existe uma rede de posições scalabrinianas


que atua com imigrantes. Entre as mais
A Missão Paz pertence à significativas posições, lembramos as de
Congregação dos Missionários de São Manaus, Cuiabá, São Paulo, Santo André,
Carlos, cujos integrantes são conhecidos Jundiaí, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto
como Scalabrinianos. O nome está ligado Alegre, Florianópolis e algumas cidades do
ao bispo italiano Giovanni Battista Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Essa
Scalabrini, que fundou, em 1887, esta presença no território nacional insere a
Congregação para atender os imigrantes atuação da Missão Paz num contexto mais
italianos numa época marcada por grandes amplo e articulado.
transformações e dificuldades. Naqueles
anos, muitos italianos emigravam em Ao longo de sua história, a

direção a alguns países da Europa e das Missão Paz foi mudando, renovando-se e

Américas. A piorar a situação estavam as reestruturando-se a partir dos desafios

dificuldades, sofrimentos, humilhações e apresentados pelos diferentes fluxos

exploração enfrentadas por muitos migratórios. Assim, chegou-se à sua

imigrantes na saída dos portos, durante a estrutura atual formada por quatro

viagem, nos lugares de chegada e nas realidades intercomunicantes: a Casa do


Migrante, o Centro Pastoral e de Mediação
dos Migrantes, o Centro de Estudos intercultural que inclui formação sobre as
Migratórios e a Igreja Nossa Senhora da leis trabalhistas e mecanismos de denúncia
Paz. É importante conhecer esses quatro diante de situações de trabalho
projetos. degradante ou análogo ao escravo.
Somente após essa preparação prévia são
a) A Casa do Migrante possui capacidade realizadas as entrevistas de trabalho e as
para acolher 110 imigrantes ou refugiados. contratações. Os agentes do setor
Nela são oferecidos alimentação, material posteriormente visitam as empresas que
de higiene pessoal, roupas, aulas de contrataram para verificar a situação do
português, acompanhamento por parte de trabalhador. O terceiro eixo, saúde, atende
assistentes sociais e apoio psicológico. A por meio de um grupo de médicos
casa disponibiliza uma sala de TV, voluntários e ajuda os imigrantes e
biblioteca, brinquedoteca e lavanderia; refugiados no acesso ao serviço público de
saúde. Além disso, se esforça para
b) O Centro Pastoral e de Mediação dos
sensibilizar os órgãos municipais e
Migrantes está estruturado em cinco eixos:
estaduais de saúde para o bom
documentação e jurídico; trabalho e
atendimento dos imigrantes e dos
cursos; saúde; educação; família e
refugiados. O quarto eixo, educação, faz
comunidade. O primeiro eixo,
algo semelhante, tentando sensibilizar
documentação, ajuda os imigrantes em
professores e diretores. Ajudam, também,
relação a tudo o que se refere à
as famílias a inserir seus filhos nas creches
documentação. Complementar a esse
e nas escolas. O quinto eixo, família e
serviço está a parte jurídica com a atuação
comunidade acompanha os núcleos
de advogados. O segundo eixo, trabalho e
familiares, em especial os que se
cursos, pode ser dividido em dois setores.
encontram em situações mais vulneráveis,
O setor cursos encaminha o imigrante para
como os que vivem em ocupações. Além
aulas de português realizadas nas
disso, apoia a organização de associações
dependências da Missão Paz ou em outros
de imigrantes.
bairros da cidade. Da mesma maneira, a
entidade, a partir do interesse de cada c) O Centro de Estudos Migratórios (CEM)
pessoa, orienta para cursos possui uma biblioteca especializada em
profissionalizantes ou universitários. Outro migração e é responsável pela publicação
setor realiza a inserção laboral graças ao da revista Travessia, pela oferta de cursos
encontro entre empresas e imigrantes ou a distância, pela organização de seminários
refugiados. Os empregadores passam por e pela assessoria de momentos de
uma palestra de sensibilização e formação.
esclarecimento, enquanto os imigrantes e
refugiados participam de uma palestra
d) A Igreja Nossa Senhora da Paz acolhe em 2014, 1.473 em 2015, 371 em 2016 e
várias comunidades de imigrantes e, por 355 em 2017.
isso, celebra em português, francês, inglês,
espanhol e italiano. Vale a pena observar Desde o início até hoje, foram

que se de um lado esta realidade religiosa inseridos no mercado de trabalho quase

constitui a identidade da Missão Paz, por sete mil imigrantes. Mais de duas mil

outro opera com abertura ecumênica e empresas ou pessoas físicas contrataram

interreligiosa, sem formas de proselitismo, por meio do eixo trabalho da Missão Paz e

acolhendo o imigrante e o refugiado como um número equivalente não foi autorizado

pessoa, respeitando escolhas religiosas e a prosseguir o processo de contratação por

tradições culturais. oferecer trabalho informal ou por


apresentar evidentes indícios de
A partir destas realidades exploração.
intercomunicantes, a Missão Paz leva
adiante ações de incidência política que A partir da experiência

são desenvolvidas de duas formas: setorial acumulada pela Missão Paz, observamos

e global. Por setorial entende-se a vários impactos econômicos. Destacamos

incidência que cada profissional realiza nas alguns, sem pretensão de esgotá-los.

diferentes redes em que atua (a psicóloga,


a) Elevado número de pessoas formadas. O
com os psicólogos da rede pública,
exemplo do recente fluxo de venezuelanos
assistentes sociais, com os colegas de
que foi atendido pela entidade pode
outras entidades, etc. Por global se
ajudar a explicar o aporte econômico.
entende a atuação em nível federal,
Observando o perfil profissional,
estadual ou municipal para melhorar a
encontramos engenheiro, chefe de
legislação e as políticas migratórias.
cozinha, operador de fluxo aéreo,

Impactos econômicos mecânico de navio, trabalhador em


plataforma de petróleo, biomédico,
Anteriormente foi descrito de eletricista, segurança, motorista de
maneira esquemática o eixo trabalho e caminhão, cabelereira, costureiro,
como é realizada a inserção laboral dos educador, artesão, carpinteiro, dentre
imigrantes. Esse serviço surgiu em 2012 outros. No caso da mão de obra
por ocasião da grande chegada de qualificada, o estado brasileiro não gastou
haitianos e foi se estruturando e se recurso algum na formação. São
desenvolvendo até o momento presente. profissionais prontos para entrar no
Foram contratados, de maneira formal, 452 mercado de trabalho.
imigrantes em 2012, 1.203 em 2013, 2.739
b) Pessoas que falam outros idiomas. O Este é um caso de como um refugiado foi
fato do imigrante falar outra língua é uma criativo, inovador, arrojado a partir da sua
riqueza e uma oportunidade para se inserir experiência. É só pensar no perfil das
no mercado carente desta competência. pessoas que trabalham no Vale do Silício,
Uma recente experiência ilustra bem esta na Califórnia, Estados Unidos, e constatar a
potencialidade. Uma famosa marca de quantidade de imigrantes. A diversidade e
roupa contratou uma dezena de imigrantes as experiências culturais são um celeiro de
de vários países por meio do eixo trabalho inovação. Os imigrantes trazem a
da Missão Paz. Depois de oferecer um disposição para correr riscos, possuem
treinamento por dois meses, os imigrantes capacidade de adaptação a uma vida
começaram a trabalhar nos shoppings de diferente e a vontade de construir algo
São Paulo. O fato de falar inglês, francês e novo. São mais abertos às oportunidades,
espanhol, além do português, se mostrou flexíveis e se adaptam a condições
um grande diferencial no atendimento a adversas, já que muitos deixam seu país de
turistas estrangeiros. origem após passar por crises e mudanças
intensas.
c) Pessoas com outras experiências e
culturas. Para ilustrar esta contribuição d) Vários países desenvolvidos e com taxas
voltamos algumas décadas atrás. No ano de natalidade muito baixas sabem que o
de 1979 um navio petroleiro brasileiro seu sistema previdenciário funciona graças
resgatou em alto mar um grupo de à presença de imigrantes jovens que
vietnamitas que passou quatro dias à contribuem economicamente. Por isso, a
deriva. Esse grupo foi acolhido na Casa do acolhida nem sempre é movida por razões
Migrante da Missão Paz. Os anos se humanitárias, mas também como
passaram e atualmente vários dos estratégia para o equilíbrio da previdência.
resgatados têm empresas. Um dos Projeções demográficas apontam que a
vietnamitas transformou em oportunidade taxa de natalidade no Brasil diminui
a experiência acumulada no país de progressivamente e que, num futuro
origem. Lembrando os vietcongues que próximo, a acolhida de imigrantes ajudará
lutavam contra os americanos na guerra do não apenas a reequilibrar a pirâmide
Vietnã, notou que não usavam botas, mas populacional envelhecida, como também
pneus cortados e amarrados com tiras de contribuirá para o equilíbrio do sistema
borracha. Daí a ideia de criar uma marca e previdenciário.
abrir uma firma que comercializa as
sandálias a partir de pneus reciclados. Observando o banco de dados

Atualmente, exporta para vários países da dos imigrantes que utilizam os serviços da

Europa, Estados Unidos e para o Japão. Missão Paz, percebemos que na última
década a média dos que têm entre 18 e 38 aproximação ao fenômeno migratório em
anos está próxima a 80%. termos funcionalistas e economicistas. Esta
perspectiva pode esconder uma visão do
Amplo horizonte “outro” como um mero instrumento que
traz benefícios ao grupo nacional. A
Acabamos de fazer referência a
dimensão econômica é importante, mas
algumas consequências econômicas
não é o suficiente para compreender o
diretas, mas existem outras indiretas, como
valor e a dignidade de outrem. Antes de
o aumento de viagens entre pais de
mais nada, é um dever ético e humano
origem e destino e crescimento do
acolher o imigrante. Impactos econômicos
comércio devido a importação de produtos
e interesses nacionais são consequências.
típicos.

Referências
Outras consequências podem ser
medidas a curto, a médio e a longo prazo. CASTRO, José Roberto, Qual a
A curto prazo constata-se que o imigrante contribuição dos imigrantes para a
não consegue exercer sua profissão, economia mundial. Disponível em:
trabalhando em patamares inferiores à sua https://www.nexojornal.om.br/expresso
formação. A médio prazo é demonstrado /2016/12/30/Qual-
que depois de dois anos da chegada, a acontribui%C3%A7%C3%A3o-dos-
economia ganha força e o desemprego imigrantes-para-aecono mia-mundial.
diminui, pois os imigrantes aumentam a Acesso em 9/10/2018.
demanda do mercado, fornecem serviços,
criam novos empregos e pagam os D’ALBIS, Hippolyte, BOUBTANE, Ekrame
impostos (D’ALBIS, et al., 2018). Essas and COULIBALY, Dramane,
atividades superam os gastos do governo Macroeconomic evidence suggests that
na acolhida pelo fato dos imigrantes asylum seekers are not a “burden” for
serem, na sua maioria, jovens e, Western European countries. Disponível
consequentemente, menos dependentes em: http://advances.sciencemag.org/
dos serviços de saúde do Estado. A longo content/4/6/eaaq0883. Acesso em
prazo, o influxo econômico se desdobra 8/10/2018.
em muitas frentes, impulsionando muitos
âmbitos da cultura, como gastronomia,
música, moda, arquitetura e festas.

Concluímos retomando a
observação inicial. Não podemos reduzir a
MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS NO
SÉCULO XXI: EVIDÊNCIAS DE
PESQUISAS NO BRASIL
Leonardo Cavalcanti19
Marília de Macêdo20

No Brasil, as migrações expressivos de pessoas, as chamadas


internacionais passaram por diferentes migrações Sul-Sul.
“etapas”. Se até a segunda metade do
século XX o Brasil era fortemente marcado No Brasil, os fluxos migratórios

pela imigração internacional, a partir da tornam-se mais dinâmicos na atualidade e

década de oitenta ou da chamada “década diferenciam-se completamente dos fluxos

perdida”, houve uma inversão nesse que ocorreram nos séculos XIX e XX, em

processo (Reis & Sales, 1999). Uma que grande parte dos imigrantes que

considerável parte da população deste país chegavam, eram oriundos de países da

começou a protagonizar uma nova Europa. Sendo assim, os chamados novos

realidade migratória, penetrando desse fluxos migratórios do Sul Global tem uma

modo, no quadro dos países exportadores presença significativa na nossa sociedade e

de mão de obra (Margolis, 1994; Feldman- mercado de trabalho. Assim, o país volta

Bianco, 1997; Sales, 1999). a receber fluxos migratórios diversificados.

A partir de 2007 com a crise Para dar conta da complexidade

financeira iniciada nos Estados Unidos - do fenômeno, o Observatório das

com desdobramentos em diversos outros Migrações Internacionais (OBMigra), por

países, tanto do continente Europeu, meio da análise dos registros

quanto do Asiático, as migrações administrativos do governo federal, produz

internacionais se tornaram mais complexas. relatórios trimestrais e anuais que

No Sul Global, surgem novos eixos de permitem traçar um perfil socioeconômico

deslocamentos envolvendo números e sóciodemográfico dos imigrantes no

19 Professor da Univesidade de Brasília e Coordenador Científico do Observatório das Migrações Internacionais


OBMigra
20 Pesquisadora do Observatório das Migrações Internacionais - OBMigra
mercado de trabalho formal brasileiro. atualidade (Cavalcanti, Oliveira e Tonhati,
Essas informações são importantes para 2015). O setor da construção civil e o final
auxiliar na formulação de políticas da cadeia produtiva do agronegócio foram
migratórias. os principais responsáveis pela contratação
dos haitianos no mercado formal de
Os relatórios são elaborados a trabalho.
partir das seguintes bases de dados:
Ministério do Trabalho - Coordenação É importante salientar que estes
Geral de Imigração (CGIg), Conselho dados sobre o crescimento do fluxo
Nacional de Imigração (CNIg), Relação migratório haitiano não refletem a
Anual de Informações Sociais (RAIS), realidade de todos os estados da
Carteira de Trabalho e Previdência Social Federação. Os imigrantes haitianos na
(CTPS) e Cadastro Geral de Admitidos e atualidade não se encontram dispersos em
Demitidos (CAGED), Polícia Federal – todo o território nacional. O coletivo está
Sistema de Tráfego Internacional (STI) e concentrado no chamado Brasil Meridional
Sistema Nacional de Cadastro de Registro (Estados de São Paulo, Paraná, Santa
de Estrangeiros (SINCRE), na perspectiva Catarina e Rio Grande do Sul). Assim, a
de acompanhar o comportamento dos presença desses imigrantes parece resgatar
movimentos de entradas regulares e o papel que essa região desempenhou na
registros de estrangeiros no território história da imigração para o Brasil, ainda
brasileiro, bem como a inserção desses que com diferenças significativas entre a
migrantes no mercado de trabalho formal. imigração europeia nos séculos XIX e XX e
a atual chegada dos haitianos.
O material disponível na página
web (http://obmigra.mte.gov.br/) evidencia A partir do ano de 2015, outro
uma tendência da migração sul-sul. Um grupo de imigrantes que ganhou destaque
caso emblemático é a imigração haitiana. no mercado de trabalho formal brasileiro
Esse grupo de imigrantes cresceu de forma foi o venezuelano. Presente no discurso da
significativa durante os primeiros cincos mídia, de políticos e de acadêmicos, a
anos da presente década. De fato, como já imigração tem atraído a atenção de
mostrado no relatório do Observatório das pesquisadores e gestores públicos. Nesse
Migrações Internacionais (OBMigra) do sentido, o OBMigra também gerou dados
ano de 2014, os imigrantes haitianos quantitativos, com a pesquisa sobre o perfil
passaram no curto espaço de três anos sociodemográfico da imigração
(entre 2011 e 2013) a ser a principal venezuelana que foi promovida pelo
nacionalidade no mercado de trabalho Conselho Nacional de Imigração (CNIg),
formal no Brasil, superando os com o apoio do Alto Comissariado das
portugueses, posição que se mantem até a Nações Unidas para Refugiados (ACNUR).
O desenho metodológico da investigação globo nas últimas décadas nos mostram
foi realizado pelo Observatório das que não há modelos a serem seguidos. A
Migrações Internacionais (OBMigra) e a questão migratória compõe a agenda
execução ficou por conta da Cátedra política de discussão, tanto de países do
Sérgio Vieira de Melo da Universidade Norte, quanto no Sul Global e tem gerado
Federal de Roraima (CSVM/UFRR). O grandes desafios à administração pública
objetivo do estudo foi analisar o perfil de todos os estados que vivenciam estes
sociodemográfico e laboral dos imigrantes novos fluxos. A pesquisa e análise de
venezuelanos para subsidiar a formulação dados tem um papel fundamental no
e implementação de políticas migratórias auxílio a formulação de uma política
específicas, em conformidade com as migratória brasileira que dê conta da
necessidades da imigração venezuelana no complexidade do fenômeno.
Brasil. Tanto o Resumo Executivo realizado
pelo OBMigra, quanto o livro “Perfil No Brasil, no dia 21 de novembro

sociodemográfico e laboral da imigração de 2017, foi sancionada a Nova Lei de

venezuelana no Brasil” organizado pelo Dr. Migração, que caminha na contramão da

Gustavo Simões estão disponíveis no link: tendência do Norte, onde propõem o

http://obmigra.mte.gov.br/index.php/publi fechamento de fronteiras. O Brasil que em

cacoes-obmigra seu antigo Estatuto do Estrangeiro tinha o


imigrante com questão de segurança
Diante do exposto, ressaltamos a nacional, na Lei de Migração passa a
importância da geração, não somente de prevalecer um discurso voltado para os
dados estatísticos a partir dos registros direitos dos imigrantes. Para além do
administrativos do governo federal, mas marco legal, necessitamos de políticas
também a produção de dados públicas mais adequadas onde a junção
quantitativos próprios, como os gerados entre políticas que acomodem os
no caso da pesquisa realizada com imigrantes no mercado de trabalho formal,
imigrantes venezuelanos em Roraima no com a perspectiva dos direitos humanos,
ano de 2017. As informações censitárias, contribua de forma decisiva para a
atualizadas a cada dez anos, não são consolidação da imigração como um ativo
suficientes para dar conta do fenômeno para o desenvolvimento do país, não
migratório que é dinâmico e multifacetado. somente do ponto de vista econômico,
Por isso é necessário utilizar outras fontes mas também cultural, social e político.
de dados, quantitativas e qualitativas, para Nesse sentido, a produção rigorosa de
entender as migrações na atualidade. dados e pesquisa sobre as migrações é de
fundamental importância para a
Ao pensarmos em políticas construção de políticas migratórias.
migratórias, as experiências ao redor do
Referência:

FELDMAN-BIANCO, B. Globalização,
nação e diáspora: incorporação de
transmigrantes na criação de nações
desterritorializadas. Trabalho apresentado
no Simpósio Internacional sobre Emigração
Brasileira, CEMI-UNICAMP, Casa do Brasil
de Lisboa, 1997.

SALES, T. Brasileiros Longe de Casa. São


Paulo: Cortez Editora, 1999.

REIS, R.; SALES, T. Cenas do Brasil Migrante.


São Paulo: Boitempo Editorial.

Sales, T. Brasileiros Longe de Casa. São


Paulo: Cortez Editora, 1999.

MARGOLIS, M. Little Brazil: An


Ethnography of Brazilian Immigrants in
New York City. Princeton: Princeton
University Press, 1994.

CAVALCANTI, L.; OLIVEIRA, T.; TANIA, T.;


DELIA. D., A inserção dos imigrantes no
mercado de trabalho brasileiro. Relatório
Anual 2015. Observatório das Migrações
Internacionais; Ministério do Trabalho e
Previdência Social/Conselho Nacional de
Imigração e Coordenação Geral de
Imigração. Brasília, DF: OBMigra, 2015.
NOTAS DE LA PRESENTACIÓN
SOBRE MIGRACIÓN EN AMÉRICA
LATINA Y EL CARIBE: PROTEGER LAS
PERSONAS MIGRANTES COMO
DESAFÍO INMEDIATO
Jorge Martínez Pizarro21

Caribe es la mayor presencia de


La migración es parte de un mujeres en varios flujos, en especial
contexto global y regional. Es una a los principales países de
lección para estos tiempos, ya que migración, lo que advierte de una
es una arista de los intercambios de demanda de necesidades que
todo tipo vigentes en la actualidad. deben atender las políticas públicas.
La migración en las distintas En rigor, en las poblaciones
regiones está muy asociada a migrantes hay más mujeres que
situaciones de desprotección para hombres en la mayoría de los países
muchas personas, las que al computar los índices de
amenazan las oportunidades que masculinidad.
esta puede ofrecer, por lo que
erradicar la discriminación es
fundamental.

Una característica muy


relevante en América Latina y el

21 CELADE – División de Población CEPAL


Octubre de 2018
Gráfico 1
América Latina: composición por sexo entre las poblaciones inmigrantes,
circa 2010, países seleccionados

Fuente: proyecto IMILA del CELADE. Pacto existen muchas cuestiones a tratar y
definir con claridad, sobre todo de la forma
en que se llevará a cabo y el mecanismo
La migración presenta de cómo se rendirán cuentas. Para ello, se
problemáticas urgentes en la región, para considera que el requisito mínimo a
las que existen muchas iniciativas cumplir sería la creación de una plataforma
regionales y globales, y las cuales se regional de seguimiento.
encuentran más asociadas al patrón
migratorio extra-regional, pero no En la región hay también
excluyen el patrón intra-regional. Es problemas inmediatos asociados a la niñez
relevante, por ejemplo, el Pacto Mundial de y adolescencia migrante no acompañada,
las Naciones Unidas para una migración la migración irregular, las deportaciones,
segura, ordenada y regular, el cual será una detenciones, flujos mixtos, mujeres en
plataforma de largo plazo para la servicios y las normativas discrecionales
implementación de nuevas agendas. Sin que, cada cierto tiempo, retoman la escena
embargo, para la implementación del normativa. Para esto se debe asumir como
respuesta una auténtica regulación, ya que acciones e iniciativas, como se puede ver
una protección efectiva es imperativa, pues reflejado en el Consenso de Montevideo
en estos casos los derechos humanos se sobre Población y Desarrollo de 2013 y las
encuentran en una encrucijada. acciones encaminadas a su seguimiento,
en la Agenda 2030 de los objetivos de
Todos los países reconocen estas desarrollo sostenible de las Naciones
problemáticas y llevan a cabo muchas Unidas y otras instancias.

Agenda 2030 y migración específicas sobre migración en el marco


de los objetivos de desarrollo sostenible.
Existen nuevas posibilidades de
Junto con estas iniciativas, hay
cara al Pacto Mundial para la migración
que destacar el papel de la región y sus
segura, ordenada y regular, donde por
espacios en el rol de regular la migración,
ejemplo, cabe resaltar el aporte de las
como la Comunidad Andina de Naciones
discusiones acontecidas en la consulta
(CAN), la Comunidad del Caribe
regional de agosto de 2017 en la CEPAL,
(CARICOM), el Sistema de Integración
donde se vieron temas como la
Centroamericana (SICA), el Mercado
priorización de la regularidad migratoria,
Común del Sur (MERCOSUR), la Unión de
la necesidad de erradicar y enfrentar la
Naciones Suramericanas (UNASUR), la
discriminación, generar evidencias de
Comunidad de Estados Latinoamericanos
contribuciones de la migración y debatir
y Caribeños (CELAC) y la Organización de
sobre el desarrollo, entre otras muchas
Estados Americanos (OEA), junto con un
cuestiones. Centralmente, es menester
sinfín de iniciativas en sinergia con la
destacar la Agenda 2030 y las metas
agenda 2030 y los órganos subsidiarios
de CEPAL.
ODS Meta asociada a la migración internacional
3.c - Aumentar la capacitación y la retención del personal de salud en los países en
desarrollo.
4.b - Aumentar el número de becas disponibles para estudiar en el extranjero.

5.2 /8.7/16.2- Erradicar la trata de personas y el tráfico ilícito de migrantes.

8.8 - Proteger los derechos laborales de las y los trabajadores migrantes.

10.7 - Facilitar la migración y la movilidad ordenada, segura, regular y responsable de


las personas, mediante la aplicación de políticas migratorias planificadas y bien
gestionadas
10.c - Reducir los costos de transacción de las remesas de los migrantes
16.9 - Proporcionar acceso a identidad jurídica, en particular mediante el registro de
nacimientos

17.18 – Aumentar la disponibilidad de datos desglosados por condición migratoria

La región debe considerar la social. Y en tal sentido cabe resaltar el rol


prioridad de erradicar la niñez y de la protección social, el cual es
adolescencia migrante no acompañada, imperativo, y se refiere a la oferta de
que si bien no está destacada en la Agenda servicios y bienes que tienen como
2030, sí lo está en el Pacto Mundial y en destinatarios a las personas, sean
las medidas prioritarias y los indicadores migrantes o no, y que representan la
del Consenso de Montevideo. demanda.
Las acciones concretas de la
La protección social es imperativa protección social son los ámbitos de la
política pública que permiten el acceso de
De otro lado, la irregularidad
las personas migrantes a los servicios
migratoria pone en jaque la inclusión social
esenciales como salud, educación y trabajo
y la convierte en un flanco de desigualdad
decente, entre otros. Lo que se busca es
esencialmente es superar las desventajas a factores de vulnerabilidad para las
las que están sujetas algunas personas. personas migrantes como el género, el
La protección social supone una ciclo de vida, la estructura familiar y la raza,
variedad de acciones que buscan atender como se representan en el gráfico
las múltiples necesidades referidas a varios siguiente, se puede observar que estos
ámbitos del desarrollo individual y familiar factores sociodemográficos inciden en el
en función del género, la condición nivel de vulnerabilidad de las personas
socioeconómica y la etapa en la que se migrantes tanto como los factores político-
encuentren de su ciclo de vida, así como institucionales y de mercado como lo son
de la combinación de las anteriores. Existen el tipo de trabajo y la condición migratoria.

Diagrama 1
Factores de riesgo y demanda de protección social

Un desafío elemental de la los 29 países de la región no mencionan


problemática migratoria es el de coordinar los principales derechos de los migrantes
las normativas y políticas migratorias con en sus legislaciones nacionales sobre
la protección social, ya que como se puede migración tanto en educación, salud,
ver en el siguiente gráfico, la mayoría de vivienda como en el trabajo.
Gráfico 2
América Latina: menciones a los principales derechos de las personas
migrantes en las legislaciones migratorias nacionales (29 países)

Mención No mención

24
22
19
18

11
10
7
5

Educación Salud Vivienda Trabajo

Fuente: Maldonado Varela, Martínez Pizarro y Martínez (2918).

Dentro del ámbito de la Referencias recomendadas


protección social, se da la demanda de las
personas migrantes por sistemas de Canales, Alejandro y Marta Rojas (2018),

protección social debido a la vulnerabilidad Panorama de la migración internacional en

a la cual se ven expuestos durante el ciclo México y Centroamérica, Reunión Regional


Latinoamericana y Caribeña de Expertas y
migratorio. En cada una de las
Expertos en Migración Internacional
circunstancias migratorias; origen, tránsito,
preparatoria del Pacto Mundial para una
destino y retorno (las cuales no son
migración segura, ordenada y regular,
necesariamente consecutivas ni cumplidas
Santiago, CEPAL, Serie Población y
en totalidad) las necesidades de las
Desarrollo, 124,
personas pueden adoptar rasgos https://www.cepal.org/es/publicaciones/43
particulares. 697-panorama-la-migracion-internacional-
Desde luego, los desafíos deben mexico-centroamerica.
ir más allá de las normas, y por lo tanto
son objetivos a largo plazo que envuelven Carrasco, Ignacio y José Ignacio Suárez
a las políticas públicas, los acuerdos y las (2018), Migración internacional e inclusión

iniciativas regionales y globales en marcha. en América Latina: Análisis en los países de


destino mediante encuestas de hogares,
Santiago, CEPAL, Serie Políticas sociales, Latina; una mirada integral, un enfoque de
231, derechos, Santiago, CEPAL / GIZ.
https://www.cepal.org/es/publicaciones/43
947-migracion-internacional-inclusion- Maldonado Varela, Carlos, Jorge Martínez
america-latina-analisis-paises-destino. Pizarro y Rodrigo Martínez (2018),
Protección social y migración: una mirada
Cecchini, S. (2016). Protección social con desde las vulnerabilidades a lo largo del
enfoque de derechos humanos para la ciclo de la migración y de la vida de las
América Latina del siglo XXI. OPERA, 18, pp. personas, Santiago, CEPAL, documentos de
11-33. DOI: proyectos, LC/TS.2018/62,
http://dx.doi.org/10.18601/16578651.n18.0 https://www.cepal.org/es/publicaciones/44
3. 021-proteccion-social-migracion-mirada-
vulnerabilidades-lo-largo-ciclo-la-
Cecchini, S., & Martínez, R. (2011), migracion
Protección social inclusiva en América
. y Desarrollo,114, LC/L.4146,
https://www.cepal.org/es/publicaciones/39
Martínez Pizarro, Jorge y Cristián Orrego 994-nuevas-tendencias-dinamicas-
(2016), Nuevas tendencias y dinámicas migratorias-america-latina-caribe.
migratorias en América Latina y el Caribe,
Santiago de Chile, CEPAL, Serie Población
EVOLUCIÓN DE LA POLÍTICA
INMIGRATORIA DE COLOMBIA
William Mejía22

Cuando los Estados se dependiendo del valor de lo adquirido 23.


promocionan como destinos migratorios e, Poco después, se dispuso, como incentivo,

incluso, ofrecen incentivos al respecto, no la entrega de tierras a los inmigrantes,

ven llegar a los inmigrantes deseados si considerando que “una población


numerosa y proporcionada al territorio de
estos cuentan con alternativas mejores. En
un estado, es el fundamento de su
sentido contrario, cuando los migrantes
prosperidad y de su verdadera grandeza”24.
desean o requieren llegar a un destino,
generalmente llegan, independiente de las A través del resto del siglo XIX y
restricciones que les impongan, y asumen durante buena parte del XX, se adoptaron
los mayores costos, tiempos o riesgos que otras medidas en el mismo sentido, con las
esas restricciones implican. La experiencia cuales se buscaba, mediante mecanismos
histórica colombiana es un buen ejemplo de los más diversos tipos, la llegada
de lo dicho. selectiva de personas, con propósitos
variados: poblamiento de las tierras bajas;
Antecedentes
modernización de relaciones de

Desde los inicios de su vida producción; atención a desajustes del

republicana, Colombia asumió políticas mercado laboral; desarrollo económico; y


explícitas, o implícitas en sus normas, hasta “mejoramiento de [las] condiciones
proclives a la inmigración. En 1821, por étnicas, tanto físicas como morales” del
ejemplo, se ofreció a quienes adquirieran país; entre otros propósitos. Además de la
propiedades rurales la naturalización, con adjudicación de tierras y de facilidades
poco o ningún tiempo de residencia previa, para nacionalizarse, se trató de incentivar

22 Investigador y consultor independiente


Grupo de Investigación en Movilidad Humana (UTP – UNAD – SUEJE, Colombia)

23 Congreso General de Colombia. Ley sobre los modos de adquirir naturaleza en Colombia, 3 de septiembre de
1821.
24 Senado y Cámara de Representantes de la República de Colombia, reunidos en Congreso. Decreto autorizando al
poder ejecutivo para que promueva eficazmente la migración de extranjeros europeos y norteamericanos, en el
territorio de la República, 7 de junio de 1823.
la inmigración con: tratamientos tributarios en general, se sucedieron por cerca de 120
especiales; apoyos para el transporte y la años, hasta la segunda guerra mundial,
instalación; y liberación de algunas cuando hubo restricciones importantes,
obligaciones, como el servicio militar. justificadas con razones de seguridad, en la
También se crearon estímulos para movilidad y derechos de los pocos
empleadores e intermediarios migratorios inmigrantes de los países del bando
en el exterior25. “enemigo” (Alemania, Italia y Japón) y en la
inmigración en general. El decreto 1205 de
Los perfiles buscados variaron a 1940 amplió las causales de expulsión y
través del tiempo, acordes con la prohibió el cambio de actividad y de
justificación de la inmigración, con domicilio sin permiso previo, mientras el
predominio de hombres europeos o 1720 estableció que quienes pretendieran
norteamericanos, en edades productivas y ingresar al país en condición de
que, por sus saberes o capacidades, trabajadores no estarían exentos del
pudieran contribuir a la sociedad depósito de inmigración y deberían tener
colombiana. De manera paralela, y también un contrato previo.
cambiante, se definieron controles para
limitar el ingreso de inmigrantes no A pesar de esos 120 años de
deseados, entre los que estuvieron: incentivos a la migración, como lo
limitados físicos o mentales; ancianos y reconoció el Departamento Nacional de
enfermos; judíos y gitanos, o personas que Planeación, años después: “Los grandes
por sus condiciones fueran “inconvenientes procesos migratorios trasatlánticos de fines
para la nacionalidad y para el mejor del siglo XIX y comienzos del XX no fueron
desarrollo de la raza”. En materia política, significativos para el país. Los excedentes
también fueron excluidas, entre otras, las de mano de obra, las guerras civiles, los
personas con antecedentes en huelgas y problemas económicos, y las deficientes
las consideradas comunistas o comunicaciones internas fueron obstáculos
anarquistas . 26
importantes a la migración”27.

Las medidas tendientes a Con la postguerra, la inmigración


promover flujos inmigratorios, y las regresó como tema asociado al auge
correspondientes adecuaciones del económico de la época y a los flujos de
aparato de Estado y de la institucionalidad inversión que le fueron propios. Aunque se

25 Mejía, William. Gestión migratoria laboral en 26 Ibidem.


Colombia a través de la historia. Un vistazo a partir 27 Colombia (1994). Acciones para el fomento de la
de la normatividad. IV Congreso de la Red inmigración en Colombia. Documento CONPES 2706
Internacional de Migración y Desarrollo, 18-20 de DNP: UDS, UDE, Santafé de Bogotá, 11 de mayo de
mayo de 2011, Quito. 1994. Versión: aprobada. P. 3.
impuso límite a la proporción de depósitos, conceptos del Ministerio del
extranjeros en las empresas28 (que duró trabajo y autorizaciones para cambio de
hasta 2010), se crearon nuevas entidades y ocupación31.
se expidieron normas, que hemos
identificado hasta 1961, para la promoción Al comenzar los años 90, los

de diversos flujos inmigratorios29. intentos de integralidad en el manejo de la


política migratoria de Colombia ya eran
A mediados de los 70, cuando ya cosa del pasado y la inmigración, a pesar
era evidente la emigración colombiana, de su peso mínimo, recobró el
que para el momento estaba consolidando protagonismo durante un corto tiempo.
stocks importantes en Venezuela, Estados Aunque se mantenía cierta preocupación
Unidos y Ecuador, se vio la importancia de por la “protección” del trabajo nacional, el
mirar de manera integral la migración, período presidencial 90-94, caracterizado
como en efecto ocurrió. En 1976, se creó como de apertura económica, insistió en la
en el Ministerio de Trabajo y Seguridad importancia de la inmigración selectiva, lo
Social, la sección de Migraciones, que tenía que llevó a la adopción de algunas
entre sus funciones la de “programar la medidas de simplificación de trámites
movilidad geográfica y profesional de los migratorios y al impulso de dos programas
trabajadores, de acuerdo con las de promoción de inmigración calificada32.
necesidades del mercado de trabajo”, Del mismo período, debe mencionarse la
considerando, simultáneamente, los consideración en la Constitución (1991) de
movimientos internos y los internacionales los inmigrantes como sujetos de derecho
y en el caso de estos, los de emigración, en Colombia, particularmente al
inmigración y retorno30. establecerse que los extranjeros gozan de
los mismos derechos civiles que los
Mientras la adecuación nacionales. Los años siguientes
institucional continuaba, se desarrolló una transcurrieron entre la eliminación de las
política orientada a la regulación de la facilidades inmigratorias establecidas con
oferta de fuerza de trabajo, con una la apertura y un nuevo posicionamiento de
gestión “proteccionista” del trabajo la emigración, a costa de la inmigración,
nacional, que dificultaba la inmigración dentro de la agenda pública.
laboral. La normatividad para este
propósito fue múltiple e incluyó exigencias
de contrato previo, cláusula de retorno,

28 Mencionada inicialmente en la Ley 161 de 1948 e 30 Decreto 062 de enero de 1976.


incluido luego en el Código Sustantivo del Trabajo 31 Ver, por ejemplo, los decretos 1000 de 1986 y 2000
(1951). de 1987.
29 Ver: Mejía, op. cit., pags. 12-17. 32 Ver: Documento CONPES 2706 de 1994
Formalización de una nueva política objetivos de largo plazo para “los
migratoria en 2009 extranjeros” residentes: lograr la defensa,
protección y garantía de sus derechos;
En 2009, mediante documento
mantener y ampliar sus oportunidades de
del Consejo de Política Económica y
formación; garantizar una oferta de
Social33, Colombia formalizó un nuevo
servicios estatales permanente, suficiente y
intento de política integral en materia
efectiva, teniendo en cuenta los cambios
migratoria, esta vez centrada en los
permanentes de la dinámica migratoria.
derechos humanos, con el propósito de
Igualmente, se declaró la intención de
integrar los lineamientos, estrategias y
tener una migración regular de acuerdo
acciones de intervención para los
con la normatividad internacional.
colombianos en el exterior y los extranjeros
en el país. Los principios declarados como Nuevas dinámicas migratorias,
base fueron: coherencia (dar a otro lo que nuevos desafíos para el Estado
reclamo para mí); integralidad y largo plazo
(flexibilidad en el tiempo); concordancia En poco tiempo, particularmente

(dentro del conjunto de la política exterior); a partir de 2017, Colombia ha pasado de

plena observancia de garantías individuales ser país de origen a serlo también de

(migrante como sujeto de derechos y destino y tránsito. A la fecha, solo los

obligaciones); y focalización (atención inmigrantes venezolanos, cuyo número

prioritaria a quienes se encuentren en crece mensualmente en decenas de miles,

situación de vulnerabilidad). deben superar el millón. Respecto al


tránsito, a unos miles de asiáticos, africanos
Aunque la mayor preocupación y de otras nacionalidades que, desde el
de la nueva política eran los colombianos comienzo de la década, entran por sur del
en el exterior, cuyo volumen se había país, en busca de Estados Unidos, se han
estimado, para 2005, en 3.3 millones34 sumado los cientos de miles de
(equivalentes al 8.1% de los habitantes del venezolanos que van por tierra, incluso
país), mientras que en el mismo año el caminando, en dirección contraria, hacia
censo nacional apenas encontró un poco los países andinos y del sur del
más de cien mil personas nacidas fuera de continente36.
Colombia35, se definieron los siguientes

33 Colombia (2009). Política Integral Migratoria. 35 DANE. Censo General 2005.


Documento CONPES 3603, Consejo Nacional de http://www.dane.gov.co/index.php/estadisticas-por-
Política Económica y Social, Departamento Nacional tema/demografia-y-poblacion/censo-general-2005-1
de Planeación 36 Con respecto a los volúmenes y características de
34 DANE (2007). Conciliación Censal 1985-2005. la nueva migración venezolana que llega o cruza por
Colombia. Estimación de la Migración 1973-2005. Pag. Colombia, pueden verse las infografías de Migración
12. Colombia en:
Ante la nueva situación, que de Migrantes Venezolanos (RAMV) “como
nadie había previsto, el Estado colombiano insumo para el diseño de una política
ha respondido de diversas formas. En el integral de atención humanitaria”. Se trató
primer momento, en 2015, cuando el flujo de un gran operativo interinstitucional,
principal proveniente de Venezuela era realizado en 413 municipios, incluidas las
mayoritariamente de retorno de ciudades mayores, de los 1101 existentes.
colombianos, muchos con sus familias Participaron: Unidad Nacional para la
venezolanas, se dieron orientaciones para Gestión del Riesgo de Desastres,
los sectores de educación, salud y trabajo, Defensoría del Pueblo, Personerías
para facilitar su acceso a servicios. Municipales, Alcaldías, Gobernaciones y
entidades del Gobierno nacional, además
En julio de 2017, se autorizó la de OIM, USAID y ACNUR. Si se tiene en
expedición de un Permiso Especial de cuenta que el RAMV se orientó a la
Permanencia (PEP) a los venezolanos población en condiciones de irregularidad,
ingresados antes de la publicación de la que era de carácter voluntario, que no se
norma, a través de un puesto oficial de hizo ningún ofrecimiento previo a quienes
control migratorio con pasaporte, sin se registraran, y que su cubrimiento
antecedentes judiciales a nivel nacional e geográfico se concentró en las áreas
internacional y sin medida de expulsión o urbanas, sin cubrirlas a todas, debe
deportación vigente. Con validez de 90 considerarse un éxito el registro de
días prorrogables por períodos iguales, 442.462 personas, pero también debe
hasta por 2 años y autorización a realizar aceptarse que esta cifra entraña un
cualquier actividad o trabajo legal. El plazo subregistro de nivel desconocido38.
de solicitud fue de 90 días, que luego se
amplió en cuatro meses para quienes se En julio de 2018, se definió la
encontraban en el territorio colombiano el posibilidad de acceder al PEP a las
2 de febrero. Al vencerse el plazo (7 de personas inscritas en el RAMV y se
junio de 2018), se habían expedido 181.472 precisaron derechos: validación de
PEP37. estudios de básica y media académica;
convalidación de títulos de educación
Entre el 6 de abril y el 8 de junio superior; atención sanitaria de urgencias;
2018, se levantó el Registro Administrativo acciones en salud pública; afiliación al

http://migracioncolombia.gov.co/index.php/es/prensa 38 Migración Colombia (2018). Registro Administrativo


/infografias de Migrantes Venezolanos (RAMV).
37 Migración Colombia (2018). Infografía PEP 1er http://migracioncolombia.gov.co/index.php/es/prensa
semestre 2018. /infografias/7922-infografia-ramv
http://migracioncolombia.gov.co/index.php/es/prensa
/infografias/7921-infografia-pep
Sistema General de Seguridad Social en que estas situaciones sean incluidas en el
Salud, tanto al régimen contributivo como documento CONPES que el gobierno
al subsidiado; servicios de orientación, prepara sobre la inmigración venezolana40
información y remisión prestados por la
Red de Prestadores del Servicio Público de En la actualidad, Colombia ha

Empleo; inclusión de niños, niñas, puesto su diplomacia a prueba en la

adolescentes, mujeres gestantes y sus búsqueda de recursos internacionales para

familias en las políticas, programas y oferta atender el éxodo venezolano, así como

institucional del Instituto Colombiano de para su abordaje regional y subregional,

Bienestar Familiar. particularmente andino, marchando, a


nuestro juicio, en la dirección correcta, a
Adicionalmente, se han adoptado pesar de los pendientes anotados y de la
medidas complementarias, como las ausencia de una estrategia para el
directrices para la inscripción aprovechamiento del recurso humano que
extemporánea en el registro civil de hijos está recibiendo, dentro del cual,
de colombianos nacidos en Venezuela y la seguramente está mucho del,
simplificación del sistema de visas infructuosamente, ha querido atraer y
(Resolución 6045 de 2017). necesita actualmente.

Como pendientes están: la


consideración de la condición de refugio,
con los criterios de la Declaración de
Cartagena, como mecanismo
complementario en la coyuntura; la
accesibilidad al PEP independiente de la
fecha de entrada, presencia irregular o
disposición de documentos de identidad; y
garantías de no retorno39. Además, está
por abordar la situación de quienes van en
tránsito, particularmente a pie, así como la
apatridia de hijos de migrantes nacidos en
territorio colombiano, que parece ser ya
importante y de fácil solución. Se espera

39 Ver: ACNUR, Nota de orientación sobre el flujo de nacional, regional y multilateral en el foro Desafíos de
venezolanos, marzo de 2018. la migración venezolana, 2/10/2018.
http://www.refworld.org.es/pdfid/5aa076f74.pdf http://www.cancilleria.gov.co/newsroom/news/cancill
40 Cancillería. Canciller Carlos Holmes Trujillo explicó er-carlos-holmes-trujillo-explico-manejo-crisis-
el manejo de la crisis migratoria en los niveles migratoria-niveles-nacional
APRIMORANDO A GOVERNANÇA
DAS MIGRAÇÕES: EXPERIÊNCIAS
INTERNACIONAIS E O CASO
BRASILEIRO
Matteo Mandrile41

Pensar a governança migratória internacionais que viviam no país em 2017


sob uma perspectiva internacional é crucial representavam aproximadamente 0,4% da
perante a diversidade e a rapidez dos população42.
fluxos migratórios contemporâneos. Hoje
escutamos muitas vezes falarem de “crises Nesse contexto, destaca-se o

migratórias” quando, na realidade, o que processo de construção do Pacto Mundial

se observa é uma crise humanitária frente por uma Migração Segura, Ordenada e

às migrações. Não esqueçamos que, se nos Regular43, cuja redação foi finalizada no dia

concentramos nas migrações 13 de julho de 2018. O texto final do Pacto

internacionais, a atual estimativa é que em Mundial foi o culminar de seis rodadas de

2017 havia cerca de 257,7 milhões de negociações intergovernamentais na

migrantes internacionais no mundo, o Assembleia Geral da ONU, entre fevereiro

equivalente a 3,4% da população global. e julho de 2018, que seguiu as fases de

No Brasil, os 735,6 mil migrantes consulta e de levantamento ocorridas entre

41 Matteo Mandrile é Oficial Regional para o Desenvolvimento de Projetos na América do Sul da Organização
Internacional para as Migrações (OIM). Entre 2015 e 2017, esteve a cargo do Escritório da OIM no Brasil. Tem uma
importante trajetória como funcionário e consultor em várias Organizações Internacionais, com uma experiência de
10 anos na América Latina em cooperação multilateral e bilateral em matéria de migração e desenvolvimento,
inclusão financeira transnacional e remessas. É licenciado em Economia da Administração Pública e das Instituições
Internacionais da Universidade Bocconi de Milão e tem um Mestrado em Relações Internacionais da London School
of Economics.
42 Dados do Departamento das Nações Unidas para Assuntos Econômicos e Sociais (UN DESA), disponíveis no
Migration Data Portal <https://migrationdataportal.org>.
43 IOM. The Global Compact for Safe, Orderly and Regular Migration (GCM). Disponível em:
<https://www.iom.int/global-compact-migration>.
abril de 2017 e janeiro de 2018. O Pacto Organização Internacional para as
será apresentado para adoção em uma Migrações (OIM) é a Secretaria Técnica.
Conferência Intergovernamental sobre
Migração Internacional a ser realizada em Em todos os níveis, a migração é

Marrakesh entre 10 e 11 de dezembro. um fator fundamental para pensarmos o


desenvolvimento hoje. A migração está
A finalização do Pacto Mundial é relacionada com diversas metas dos
uma conquista verdadeiramente histórica e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
memorável. Histórica, porque é o primeiro (ODS) da Agenda 2030 da ONU44. É a
acordo abrangente sobre migração primeira vez que a migração é integrada
desenvolvido por meio de negociações na agenda de desenvolvimento global de
intergovernamentais na Organização das forma direta em diversas metas, tais como
Nações Unidas. Memorável, por ter sido as referentes ao aumento da mobilidade
realizada em um momento em que a estudantil, à erradicação do trabalho
narrativa em torno da migração é tão forçado e do tráfico de pessoas, à
carregada politicamente, por vezes mesmo promoção dos direitos dos trabalhadores
tóxica. O Pacto Mundial reconhece que a migrantes e à redução do custo das
gestão da migração internacional é uma remessas. Além das referências diretas,
responsabilidade compartilhada de todos devemos considerar que a migração é um
os países. Ele apresenta uma oportunidade tema transversal que impacta todos os
para aprimorar a governança em ODS e que deve ser considerado na
migrações internacionais e para abordar os implementação de diversas metas, como o
benefícios e os desafios associados com a acesso à saúde e as respostas à mudança
migração contemporânea. climática. A Agenda 2030 reconhece os
migrantes tanto como um grupo sujeito a
É relevante destacar que a maior vulnerabilidades que deve ser protegido,
parte da migração internacional ocorre quanto como agentes de desenvolvimento.
dentro de regiões, e que cada região
possui dinâmicas migratórias específicas. Na Agenda 2030, a referência
Dessa maneira, é imprescindível a central à migração é feita na Meta 10.7,
participação de processos, plataformas e sob um objetivo de redução de
organizações regionais e sub-regionais na desigualdades, que é um chamado para
implementação e revisão do Pacto facilitar a migração e a mobilidade
Mundial. Um exemplo é a Conferência Sul- ordenada, segura, regular e responsável
Americana sobre Migrações, da qual a das pessoas, inclusive por meio da

44 ONU BR. Nações Unidas no Brasil. Transformando Desenvolvimento Sustentável. Disponível em:
Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o <https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/>.
implementação de políticas de migração OIM em 2015. Utilizando o MiGOF como
planejadas e bem geridas. Frente a esse quadro conceitual, a 11ª Pesquisa da ONU
objetivo, a questão é: o que são políticas entre os Governos sobre População e
migratórias planejadas e bem geridas? Desenvolvimento46 incorporou perguntas
específicas para medir o indicador 10.7.2
Um grande desafio é medir e dos ODS em seu módulo III, que trata a
monitorar aquilo que é tão complexo, migração internacional.
transversal e abrangente como a
governança migratória. De maneira a O MiGOF47 é uma iniciativa
apoiar os Estados Membros a medir seu inédita de definição do que são políticas
progresso em relação aos ODS e a medir de migração bem planejadas e bem
o indicador 10.7.2 – número de países com geridas, que contém um conjunto de três
políticas migratórias bem geridas – o princípios e três objetivos. Seus princípios
Quadro de Governança das Migrações45 e objetivos são:
(MiGOF) foi adotado pelo Conselho da

Princípios Objetivos
I. Respeito aos padrões I. Melhorar o bem-estar
internacionais e promoção dos socioeconômico dos migrantes e

direitos humanos. da sociedade.


II. Formulação de políticas II. Abordar as dimensões da

baseadas em evidências e uma mobilidade em situações de


abordagem whole of crise.

government.
III. Criação de parcerias para III. Assegurar que a migração seja
abordar questões migratórias. ordenada, segura, regular e
digna.

A partir desses princípios e Indicadores de Governança da Migração48


objetivos, foram desenvolvidos os (MGI), um conjunto de aproximadamente

45 Em inglês, Migration Governance Framework. <https://www.iom.int/sites/default/files/about-


46 Em inglês, UN Inquiry among Governments on iom/migof_brochure_a4_en.pdf>.
Population and Development. 48 Em inglês, Migration Governance Indicators.
47IOM. Migration Governance Framework: Principles
and Objectives. Disponível em:
90 indicadores elaborado pela OIM em cooperação bilateral e multilateral na
conjunto com a Unidade de Inteligência da temática; o nível de participação e
revista The Economist (The Economist engajamento da sociedade civil; os
Intelligence Unit). Esses indicadores esforços no sentido de aprimorar a
operacionalizam de forma sistemática as disponibilidade de informações; e pontos
seis áreas contidas nos princípios e específicos desenvolvidos desde a Nova Lei
objetivos do MiGOF, facilitando sua de Migração, como, por exemplo, a
aplicação prática. possibilidade de vistos estudantis serem
convertidos em residências permanentes e
As migrações são um fenômeno a ampliação do rol de possibilidades para
complexo e diverso, cujas questões reunificação familiar.
relacionadas perpassam diversas áreas da
administração pública e variam de acordo É necessário ressaltar que a Nova
com o contexto nacional e regional. Por Lei de Migração brasileira de 2017, Lei
essa razão, os MGI não pretendem ser uma 13.445, representa um grande avanço,
estrutura rígida nem um método de tanto em termos de garantia de direitos,
classificação dos países, mas sim funcionar como em termos de facilitação de
como uma moldura estrutural para apoiá- processos de gestão migratória. A Lei inclui
los no exercício de uma apreciação prática princípios e garantias ao migrante que
e compreensiva de sua estrutura de colocam a legislação doméstica brasileira
políticas migratórias – considerando o em alinhamento com as normas
contexto nacional, suas especificidades e internacionais que regem as áreas de
prioridades próprias. migração, refúgio e apatridia. O repúdio à
xenofobia, ao racismo e a qualquer forma
O Brasil fez parte da terceira de discriminação; o tratamento igualitário
rodada de países a participar do estudo aos migrantes; o repúdio a práticas de
dos MGI, sendo seu retrato de país lançado expulsão e deportação coletivas; a acolhida
em setembro de 2018 no portal de dados humanitária; a não criminalização das
migratórios da OIM . Algumas áreas bem
49
migrações; entre outros, são princípios que
desenvolvidas de governança migratória tornam a legislação brasileira um exemplo,
apontadas no retrato são: as garantias de sobretudo em um contexto global de crises
amplo acesso de imigrantes aos serviços humanitárias.
públicos de saúde, educação e assistência
social; a política de vistos humanitários; o O Brasil é um país
envolvimento em diversos mecanismos de internacionalmente reconhecido por sua

49 OIM. Retrato da Governança da Migração: <https://migrationdataportal.org/snapshots/mgi/braz


República Federativa do Brasil. 2018. Disponível em: il>.
solidariedade e hospitalidade. No entanto, dedicado à questão das migrações
a Lei é o primeiro passo, e sua que coordenaria a comunicação
regulamentação completa e entre as instâncias
implementação efetiva representam governamentais, facilitando a
desafios ao país. Dentre os aspectos da identificação de responsabilidades
Nova Lei que ainda serão regulamentados
e o arranjo de esforços conjuntos.
destaca-se o Artigo 120, que prevê a
II. A segunda seria a atribuição dessa
criação de uma Política Nacional de
Competência de Coordenação a
Migrações, Refúgio e Apátrida. Atualmente,
uma autoridade existente,
a elaboração dessa Política está sendo
ampliando sua estrutura. Nesse
discutida pelos diferentes órgãos
caso, seria aprofundada e
envolvidos com a governança migratória.
estruturada a cooperação entre as
A OIM realizou um estudo, em autoridades migratórias já
parceria com o Programa das Nações existentes – o Ministério da Justiça,
Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Ministério das Relações Exteriores,
com o Ministério da Justiça (MJ), que ouviu Ministério do Trabalho e Polícia
39 atores relevantes para a governança
Federal.
migratória brasileira (atores
III. Por fim, terceira seria a articulação
governamentais, organizações
de uma Estratégia Nacional
internacionais, academia, iniciativa privada,
Multiagencial, de maneira similar
sociedade civil e associações de migrantes
ao modelo da Estratégia Nacional
e refugiados) e buscou boas práticas no
de Combate à Corrupção e
Brasil e na Alemanha, Argentina, Canadá,
Lavagem de Dinheiro (ENCCLA).
Espanha, França e Uruguai50. O estudo
apontou para três possíveis alternativas Essa Estratégia seria estabelecida

para coordenar a política migratória, de por meio de um grupo de trabalho

acordo com a estrutura de governança horizontal composto por órgãos

migratória brasileira: relevantes para a área das


migrações, que se reuniria
periodicamente para elaborar e
I. A primeira delas é a criação de
pactuar ações, com
uma Autoridade Migratória
responsabilidades bem definidas.
Central. Essa seria um órgão

50 TORELLY, Marcelo (Coord.). Política de migração e Internacional para as Migrações, 2017. Disponível em:
refúgio do Brasil consolidada: Visões do Contexto <https://repository.oim.org.co/handle/20.500.11788/2
Migratório no Brasil. Brasília: Organização 032>.
Desde uma perspectiva regional, 2008, a qual foi regulamentada no ano de
existem experiências relevantes na América 2009 pelo Decreto 394/009. A Junta
do Sul que podem auxiliar na construção Nacional de Migração do Uruguai está
da Política Migratória do Brasil, como a integrada pelos delegados dos seguintes
Mesa de Trabalho Intersetorial para a organismos, designados por suas
Gestão Migratória no Peru e a Junta respectivas autoridades: Presidência da
Nacional de Migração do Uruguai51. República, Ministério das Relações
Exteriores, Ministério do Interior, Ministério
Criada em 2011, a Mesa de do Trabalho e Segurança Social e
Trabalho Intersetorial para a Gestão Ministério do Desenvolvimento Social. A
Migratória (MTIGM) é uma instância ligada Presidência é exercida de forma
ao MRE e integrada por 20 setores permanente pelo delegado do Ministério
Membros e 3 Observadores, responsável de Relações Exteriores, sendo as
por coordenar, avaliar, propor, priorizar e resoluções tomadas por consenso. A Junta
supervisionar políticas e ações vinculadas à dispões de uma Secretaria Executiva
gestão integral migratória do Peru. Esta também designada por consenso.
mesa se articula em torno de quatro eixos:
(1) peruanos no exterior e seus familiares; Em qualquer alternativa adotada
(2) peruanos com vontade de emigrar; (3) pelo governo brasileiro na formulação da
peruanos retornados ou com vontade de Política Nacional, a coordenação
retornar; e (4) estrangeiros no Peru. A interinstitucional se estabelece como
MTIGM identifica prioridades prioridade frente à transversalidade da
compartilhadas de gestão e as traduz em temática migratória e às necessidades
uma série de metas concretas no marco de impostas por fluxos excepcionais que
seu plano de trabalho. Sua plenária se podem ocorrer inesperadamente, tal como
reúne mensalmente em sessões ordinárias ocorreu com a chegada de haitianos no
e, se necessário, convoca reuniões Acre a partir de 2010 e com a migração
extraordinárias. venezuelana atual em Roraima.

No caso uruguaio, a Junta A criação e implementação da


Nacional de Migração (JNM) é o órgão Política Nacional é fundamental para que a
assessor e coordenador das políticas Nova Lei contribua para o estabelecimento
migratórias do Poder Executivo e foi criada de ações compreensivas e coordenadas de
no ano de 2008, por meio da Lei de recepção e integração de fluxos
“Migração” No 18.250 de 6 de janeiro de migratórios, incluindo todos os entes

51 KRIEGER, Mario. La importancia de la coordinación Organización Internacional para las Migraciones –


interinstitucional en el marco de la gestión migratoria. Oficina Regional para América del Sur, 2014.
federativos – governos federal, estaduais e mudanças e aos desafios relacionados aos
municipais – e sociedade civil, garantindo fluxos migratórios.
uma pronta resposta do Brasil às
O PACTO GLOBAL SOBRE
MIGRAÇÃO SEGURA, ORDENADA
E REGULAR
Marise Nogueira52

A existência de fluxos migratórios regular" resultou da Reunião de Alto Nível


é registrada desde os primórdios da da Assembleia Geral das Nações Unidas
humanidade. No entanto, a recente sobre Grandes Movimentos de Refugiados
intensificação desses fluxos levou a e Migrantes, realizada em 19 de setembro
comunidade internacional a advogar pela de 2016, na qual foi adotada a Declaração
existência de um sistema de governança de Nova York.
global das "grandes movimentações de
pessoas" ("large movements of people"), Considerando a existência prévia

que promovesse a migração segura, de arcabouço legal voltado para a

ordenada e regular. categoria de refugiados, decidiu-se, na


ocasião, pela separação dos dois temas e
Em 2015, o número de migrantes pela criação de vias paralelas para a
superou os 244 milhões, número que negociação de um pacto global na área de
aumenta em velocidade acima do refugiados e outro na de migração
crescimento populacional. Desses, estima- internacional.
se que 65 milhões tenham sido deslocados
de maneira forçada, incluindo 21 milhões A despeito de sua dimensão

de refugiados, 3 milhões de solicitantes de global e de sua natureza multifacetada, as

asilo e mais de 40 milhões de pessoas migrações compreendem o único dos

deslocadas internamente. grandes temas globais que, até então, não


integrava uma instituição multilateral com
A decisão de elaborar um "Pacto mandato abrangente. O regime sobre
Global sobre Migração segura, ordenada e migrações era marcado pela fragilidade

52 Conselheira Chefe de Divisão de Temas Sociais do Ministério das Relações Exteriores


institucional, pela fragmentação, pela para reconhecer os direitos humanos de
informalidade e pela assimetria na todos os migrantes, a despeito de seu
distribuição dos custos e benefícios do "status" migratório.
manejo dos fluxos migratórios. O quadro
normativo internacional caracterizava-se As causas das migrações

pela proliferação de "think tanks" e foros constituem desafio que não pode ser

sub-regionais, regionais e multilaterais, negligenciado e evidenciam um dos

com pouca ou nenhuma força cogente ou aspectos da relação entre migração e

capacidade de governança internacional desenvolvimento. O diferencial de

das migrações, paralelamente à desenvolvimento entre os países é um dos

multiplicidade de instrumentos normativos principais fatores por trás dos grandes

emanados de órgãos dedicados fluxos migratórios. Nesse sentido, o

primariamente a outros temas, a exemplo desenvolvimento social e econômico

de convenções de direitos humanos, contribui para a moderação desses fluxos

convenções da Organização Internacional e para que estes sejam crescentemente

do Trabalho (OIT) e resoluções do ordenados, seguros e regulares, bem como

Conselho de Direitos Humanos e da AGNU. para prevenir o tráfico de pessoas, os


deslocamentos forçados e os conflitos a
A diferenciação entre as eles associados.
circunstâncias que levam uma pessoa a ser
caracterizada como migrante ou refugiada Outro aspecto da relação entre

nem sempre é muito clara. Em linhas migração e desenvolvimento diz respeito à

gerais, o termo refugiado é aplicado a necessidade de reconhecer a significativa

pessoas que estejam fugindo de conflito contribuição dos migrantes para o

armado ou perseguição. Para os migrantes, desenvolvimento social, econômico,

não haveria risco direto de perseguição ou cultural e educacional nos países de

morte em seus países de origem, mas, por acolhimento, bem como o impacto

diversas razões, sejam elas de cunho positivo que a dinâmica migratória produz

econômico ou familiar, optou-se pela para o bem-estar e o desenvolvimento dos

mudança para outro país. países de origem. Na visão brasileira, a


regularização migratória constitui uma das
A Declaração de Nova York foi condições mais importantes para assegurar
acordada pouco após a elaboração da que a migração atinja seu potencial em
Agenda 2030 e inspirou-se nos objetivos termos de desenvolvimento tanto para os
de desenvolvimento sustentável para imigrantes quanto para as sociedades que
enaltecer a contribuição positiva oferecida os acolhem.
por migrantes em um processo de
desenvolvimento sustentável e inclusivo, e
As decisões emanadas de Nova O Brasil defendeu que políticas
York serviram como o "mínimo que criminalizam a imigração irregular são
denominador comum" das tratativas inaceitáveis, já que essa perspectiva
alusivas ao Pacto Global. A atuação alimenta a prática de maus-tratos contra
brasileira centrou-se em cinco pilares: (i) migrantes e o desrespeito de seus direitos
defesa do fortalecimento dos regimes fundamentais. Partiu-se do entendimento
internacionais migratórios e continuado de que os direitos humanos dos migrantes
tratamento do tema em organismos não podem ser negligenciados sob
multilaterais; (ii) reconhecimento do qualquer pretexto, devendo ser
princípio de responsabilidade observados independentemente de sua
compartilhada entre países de origem e de condição migratória, nacionalidade, origem
destino; (iii) respeito e promoção dos étnica ou qualquer outro fator. Na
direitos humanos dos migrantes, formulação e execução de políticas
independentemente de sua situação migratórias, deve ser fomentada a
migratória, e rejeição a políticas que introdução de dispositivos que promovam
coloquem os migrantes em situação de a integração dos migrantes nas sociedades
maior vulnerabilidade, tais como as que em que foram recebidos, por meio de
preveem a criminalização da migração facilidades de inserção legal, laboral,
irregular; (iv) promoção de medidas que produtiva e cultural.
fomentem a integração dos migrantes nas
sociedades de destino; e (v) reforço à Ademais, nas intervenções

prevenção e ao combate de práticas brasileiras, argumentou-se que as políticas

criminosas como o tráfico de pessoas, o migratórias que impeçam o exercício de

contrabando de migrantes e o trabalho determinados direitos fundamentais e

escravo, bem como a assistência às vítimas. limitem o acesso de migrantes à educação,


ao trabalho e à saúde, muitas vezes
O Brasil atuou, ao longo das incentivando a adoção de atitudes racistas,
negociações, de modo a enfatizar a xenófobas e discriminatórias devem ser
indivisibilidade dos direitos humanos e a condenadas.
inviolabilidade da dignidade de todos os
migrantes, defendendo a visão de que os Considerando a situação de

acordos internacionais na área de direitos vulnerabilidade do migrante, a posição

humanos preveem que todas as pessoas brasileira foi a de que devem ser

devem ter acesso a seus direitos fomentadas políticas de prevenção e

econômicos, sociais e culturais, sem combate ao tráfico de pessoas,

discriminação. contrabando de migrantes e trabalho


escravo, assim como de assistência às
vítimas, garantindo seu acesso à justiça e
estabelecendo programas de cooperação enfrentadas pelos migrantes ao longo de
contra a atuação criminosa dos chamados sua jornada pelos países de origem,
"coiotes". trânsito e destino, sobretudo no que diz
respeito aos desafios enfrentados por
O processo negociador foi co- mulheres e crianças migrantes.
facilitado pelos representantes
permanentes de México e Suíça junto às Entre os dispositivos constantes
Nações Unidas em Nova York, do texto final, há previsão de
respectivamente, embaixadores Juan José compromissos relacionados ao convívio e
Gómez Camacho e Jürg Lauber. O Brasil à unidade familiar. As referências à
atuou tanto em capacidade nacional expansão das vias de regularização, à
quanto como parte do grupo de amigos proteção dos direitos dos trabalhadores
do trabalho decente (Argentina, Costa Rica, migrantes e aos desafios acarretados pela
Equador, El Salvador, Fiji, Filipinas, migração no contexto das mudanças do
Guatemala, Honduras, Indonesia, Jamaica, clima também representam aspectos
Paraguai, República Dominicana Uruguai, e centrais do documento.
Vietnã) e como parte do grupo de países
afins (Argentina, Bangladesh, Bolívia, Chile, Hoje, 24 de setembro, durante a

Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, 39ª sessão do Conselho de Direitos

Filipinas, Guatemala, Honduras, Humanos, em curso em Genebra, será lida

Liechtenstein, México, Nepal, Panamá, declaração conjunta proposta pelo México

Paraguai, República Dominicana, Suíça e sobre migração, que contou com apoio

Uruguai). brasileiro. A declaração enfatiza a


importância do envolvimento do sistema
É motivo de celebração o de direitos humanos das Nações Unidas no
reconhecimento, no texto final do Pacto tema de migração internacional.
Global, da dignidade e os direitos humanos
de todos os migrantes, A implementação do Pacto

independentemente da sua situação Global não poderá passar ao largo da

migratória. Desse reconhecimento, transversalidade do documento, que

decorrem importantes compromissos dialoga com diversos outros sistemas de

políticos (foram acordados 23 objetivos), proteção dos direitos humanos, como a

como, por exemplo, o da garantia de Convenção para Eliminação de Todas as

acesso à justiça e a serviços públicos Formas de Discriminação Racial, a

básicos a todos os migrantes. O Pacto Convenção sobre a Eliminação de Todas as

Global reconhece ainda a necessidade de Formas de Discriminação contra a Mulher,

os Estados adotarem políticas públicas a Convenção contra a Tortura e outros

para afastar ou atenuar as vulnerabilidades Tratamentos ou Penas Crueis, Desumanas


ou Degradantes; a Convenção sobre os resolução sobre as modalidades do Fórum
Direitos da Criança, a Convenção sobre os de Revisão da Migração Internacional.
Direitos das Pessoas com Deficiência, a
Convenção Internacional sobre a Proteção O Brasil co-patrocinará, no dia 26

e os Direitos de Todos os Trabalhadores de setembro, juntamente com Alemanha,

Migrantes e dos Membros de suas Bahrein, Canadá, Filipinas, Indonésia,

Famílias; a Convenção Internacional para a Marrocos, México e Turquia evento à

Proteção de Todas as Pessoas contra margem da 73ª Assembleia-Geral das

Desaparecimentos Forçados, dentre outros. Nações Unidas organizado pelo Escritório


da Representante do Secretário-Geral da
As provisões sobre cooperação ONU para Migração, Louise Arbour,
internacional serão de grande utilidade intitulado “Road to Marrakech”. O Senhor
para o reforço das ações regionais e Ministro das Relações Exteriores, Aloyisio
multilaterais relacionadas à migração Nunes, proferirá discurso na ocasião. O
internacional, além de fornecerem objetivo do evento é manter o ambiente
importantes parâmetros para as discussões favorável à adoção do Pacto até a
bilaterais do tema. Também deve ser Conferência de Marraquexe.
destacado que o Pacto Global estabelece
estrutura para a implementação, A adoção do Pacto Global, em

seguimento e revisão dos compromissos Marraquexe, nos dias 10 e 11 de dezembro

assumidos, o que contribuirá para o de 2018, será importante marco no

avanço da cooperação e dos debates sobre processo de construção da governança

o tema da migração internacional nos multilateral da migração internacional, mas

próximos anos. constituirá, por outro lado, apenas o


primeiro passo rumo à difusão e à
Sobre esse ponto, deve ser consolidação de visões e práticas que
ressaltada a menção expressa à elaboração priorizam o indivíduo e seus direitos
e à utilização voluntária de plano nacional inalienáveis no contexto da migração.
de implementação do Pacto, mencionada Esperamos, ainda, que o documento venha
no parágrafo 53 do documento, bem a impulsionar a inclusão definitiva do tema
como, no mesmo dispositivo, o no sistema ONU.
estabelecimento de mandato para que a
Presidente da Assembleia Geral inicie e
conclua, em 2019, a negociação da (DTS, 24/09/2018)
MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS E
A GARANTIA DE DIREITOS – UM
DESAFIO NO SÉCULO XXI
Jaime Nadal53

A globalização aumentou de partes da Europa e da Ásia, por exemplo, a


maneira muito significativa a mobilidade migração vem contribuindo para reduzir o
do trabalho no mundo. De acordo com as declínio populacional relacionado à baixa
últimas estatísticas da Organização fecundidade e ao envelhecimento da
Internacional do Trabalho, quase 73% da população.
população migrante em idade ativa eram
trabalhadores. Os migrantes econômicos Embora a migração entre

são o grupo de migrantes que mais cresce continentes receba atenção significativa, a

no mundo, e muitos países que já enviaram maioria dos migrantes internacionais passa

trabalhadores para o exterior - a exemplo por distâncias menores. A América do

da Argentina, da Irlanda e da República da Norte e a Oceania atraem a maioria dos

Coréia - também estão passando por migrantes internacionais de outras regiões,

fluxos migratórios. mas a maioria dos migrantes na África,


Ásia, Europa, e América Latina e Caribe são
A alta fecundidade e o rápido provenientes da mesma região.
crescimento populacional em alguns países
em desenvolvimento criaram pressões para É necessário compreender que,

emigrar, seja por problemas de para além de suas vontades, as pessoas

infraestrutura, seja por problemas também se movem, muitas vezes, de

relacionados ao sistema de serviços sociais. maneira forçada. A comunidade

Ao mesmo tempo, a migração se tornou internacional tem presenciado um enorme

um componente importante para o volume de migrantes de países em crise. O

crescimento populacional em países onde número de pessoas deslocadas à força no

a fecundidade diminuiu. Em algumas mundo já é considerado o maior desde a

53 Representante do UNFPA no Brasil


Segunda Guerra Mundial. De acordo com economia segregados por gênero e não
a Agência de Refugiados da ONU (ACNUR), regulamentados, como o trabalho
até o final de 2014, 59,5 milhões de doméstico, elas acabam expostas a riscos e
pessoas haviam sido deslocadas à força a maior exploração, violência e abuso. As
como resultado de perseguição, conflito, mulheres migrantes são particularmente
violência generalizada e violações de vulneráveis ao tráfico de seres humanos
direitos humanos. Essa tendência pode ter para fins de exploração sexual, o que as
intensificado nos últimos anos. tornam vulneráveis à violência e a
infecções sexualmente transmissíveis, ,
A migração interna nos países realidade agravada pelo acesso restrito a
também está aumentando em resposta a serviços médicos e legais.
distribuições injustas de recursos, de
serviços e de oportunidades às pessoas. Milhões de pessoas migram sem
Esse fenômeno também é acelerado pela a devida autorização a cada ano, de acordo
violência, por desastres naturais e por com a Organização Internacional para
eventos climáticos extremos que Migração (OIM). Esses migrantes
pressionam o deslocamento da população. frequentemente enfrentam jornadas
A migração das áreas rurais para as áreas perigosas, exploração por redes criminosas
urbanas contribuiu para o crescimento de de contrabando, difíceis condições de
cidades ao redor do globo nas últimas trabalho e de vida, intolerância quando
décadas. Em países como o Brasil, já se chegam em solo estrangeiro e falta de
observam novos fluxos, que em geral vão acesso a serviços sociais básicos, como
das grandes cidades para cidades médias, assistência médica. Seu status irregular
que oferecem, muitas vezes, melhor muitas vezes os deixa com medo de
qualidade de vida. procurar ajuda quando seus direitos são
violados.
Uma das mudanças mais
significativas nos padrões de migração nos Apesar de ser vista, muitas vezes,
últimos 50 anos é o aumento do número como um aspecto negativo, a migração é
de mulheres que migram sozinhas. As um fenômeno que está associado de
mulheres constituem, hoje, quase metade maneira muito positiva com o
da população migrante internacional desenvolvimento das nações. Os migrantes
chegando a representar cerca de 70 a 80% contribuem para a prosperidade
do total de migrantes em alguns países. econômica de seus países de acolhimento,
Como as mulheres migrantes e para o fluxo de capital financeiro,
frequentemente acabam em empregos de tecnológico, social e humano de volta a
produção e de serviço com baixos salários seus países de origem, o que ajuda a
e frequentemente trabalham em setores da
reduzir a pobreza e a estimular o mutuamente benéficos tanto para os
desenvolvimento econômico. países remetentes, quanto para os países
receptores, bem como para os próprios
As remessas - dinheiro enviado migrantes. Há esforços para neutralizar os
por migrantes para suas famílias - são uma efeitos negativos da fuga de cérebros por
importante fonte de capital para os países meio do incentivo aos migrantes em
em desenvolvimento. As remessas investir em seus países de origem trazendo
alimentam e educam as crianças e seus conhecimentos técnicos e habilidades
geralmente melhoram o padrão de vida para o processo de desenvolvimento.
dos entes queridos deixados para trás.
Essas transferências financeiras estão A Agenda 2030 para o
crescendo em importância. As remessas Desenvolvimento Sustentável reconheceu
registradas oficialmente para os países em a migração como um fator chave para o
desenvolvimento chegaram a quase US$ desenvolvimento e os Objetivos de
450 bilhões em 2017. Quando as remessas Desenvolvimento Sustentável adotados em
para os países de alta renda são incluídas, setembro de 2015 exigem a proteção dos
o número chega a quase US$ 600 bilhões. direitos trabalhistas dos trabalhadores
Em muitos países, as remessas são maiores migrantes, o combate às redes de tráfico
que a ajuda oficial ao desenvolvimento ou humano e a promoção de migração e
o investimento estrangeiro direto. Vale mobilidade bem regulamentadas. A
lembrar que os migrantes são também comunidade internacional também está
veículos importantes para a transmissão de buscando enfrentar os desafios de
“remessas sociais”, incluindo novas idéias, desenvolvimento, governança e direitos
produtos, informações e tecnologia. humanos que obrigam as pessoas a fugir
de seus países de origem.
Ao mesmo tempo, a migração
também enfrenta desafios importantes que Um exemplo desta atuação pode
necessitam ser superados pelos países. Por ser observado no Brasil. Desde 2015,
um lado, pode retirar trabalhadores quando a região Norte do Brasil começou
altamente qualificados, um processo a receber maior fluxo de imigrantes de
conhecido como "fuga de cérebros". países vizinhos, em especial da Venezuela,
Também pode separar famílias e aumentar o UNFPA tem trabalhado para promover a
as desigualdades entre aqueles que saúde sexual e reprodutiva, além de
recebem remessas e aqueles que não coordenar as intervenções da ONU em
recebem. situações como violência sexual e violência
de gênero na região. O foco central das
Os especialistas estão cada vez ações tem sido, desde então, o
mais preocupados em alcançar resultados desenvolvimento de padrões de políticas
públicas capazes de elevar a capacidade de integração e o acesso aos serviços em
resposta do Estado no âmbito da proteção áreas como saúde, educação e mercado de
a grupos que precisam de atenção especial trabalho. Um olhar sensível aos diferentes
no processo migratório: mulheres em grupos populacionais, nesse sentido, é
idade reprodutiva, jovens, pessoas idosas, fundamental. Compreender as
com deficiência, e pessoas LGBTI. Além especificidades das pessoas migrantes em
disso, o UNFPA vem trabalhando ao lado situação de maior vulnerabilidade
de outras agências do sistema das Nações possibilita o desenvolvimento de ações e
Unidas no Brasil e com o governo brasileiro de políticas orientadas que consigam
na resposta humanitária emergencial a reduzir as inequidades e promover o
crise migratória na região, apoiando no desenvolvimento sustentável para todas e
acolhimento, no ordenamento da fronteira todos.
e nos processos de interiorização de
venezuelanos e venezuelanas que chegam
a Roraima.

A migração deve ser feita por


escolha e não por necessidade. Portanto, é
essencial que a opção de permanecer no
próprio país seja viável para todas as
pessoas. Políticas são necessárias para
garantir a boa governança, o estado de
direito, o acesso à justiça, a proteção dos
direitos humanos e a eliminação de
conflitos e violência. A educação, o
emprego decente, os salários justos, a
saúde acessível e a habitação decente
devem estar disponíveis para todos. As
políticas de migração também devem estar
alinhadas às necessidades do mercado de
trabalho, de modo que as habilidades
correspondam às oportunidades de
trabalho em casa. Quando isso não é
possível, é fundamental garantir que os
países que acolhem os migrantes tenham
condições de proteger os direitos destas
pessoas e de promover o bem-estar, a
Presidência da República
Secretaria-Geral da Presidência
Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos